Apresentação corporativa – junho 2008

343 views
280 views

Published on

Published in: Travel
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
343
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
18
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Apresentação corporativa – junho 2008

  1. 1. APRESENTAÇÃO CORPORATIVA JUNHO 2008
  2. 2. DISCLAIMEREsta apresentação contém algumas afirmações e informações prospectivas relacionadas a Companhia que refletem a atual visão e/ouexpectativas da Companhia e de sua administração a respeito de seu plano de negócios. Afirmações prospectivas incluem, entreoutras, todas as afirmações que denotam previsão, projeção, indicam ou implicam resultados, performance ou realizações futuras,podendo conter palavras como "acreditar", "prever", "esperar", "contemplar", "provavelmente resultará" ou outras palavras ouexpressões de acepção semelhante. Tais afirmações estão sujeitas a uma série de expressivos riscos, incertezas e premissas.Advertimos que diversos fatores importantes podem fazer com que os resultados reais divirjam de maneira relevante dos planos,objetivos, expectativas, estimativas e intenções expressos nesta apresentação. Em nenhuma hipótese a Companhia ou suassubsidiárias, seus conselheiros, diretores, representantes ou empregados serão responsáveis perante quaisquer terceiros (inclusiveinvestidores) por decisões ou atos de investimento ou negócios tomados com base nas informações e afirmações constantes destaapresentação, e tampouco por danos conseqüentes, indiretos ou semelhantes. A Companhia não tem intenção de fornecer aoseventuais detentores de ações uma revisão das afirmações prospectivas ou análise das diferenças entre as afirmações prospectivas eos resultados reais.Esta apresentação e seu teor constituem informação de propriedade da Companhia, não podendo ser reproduzidos ou divulgados notodo ou em parte sem a sua prévia anuência por escrito. Relações com Investidores Nelson Guitti – Diretor de Relações com Investidores Elizabeth Cruz – Gerente Gina Pinto - Analista Tel. 55 21 2555-5634 / 5558/ 5563 ri@mmx.com.br http://www.mmx.com.br/ri
  3. 3. Transação MMX & Anglo American Estrutura da MMX anterior a reestruturação e à proposta da Anglo 70% 70% 51% 100% 85% 100% MMX Corumbá MMX Amapá MMX Minas-Rio MMX Sudeste* LLX Logistica MMX Metálicos 30% Centennial 30% Cleveland 49% Anglo 15% OTPP Asset Corumbá Cliffs American 51% 70% LLX Minas-Rio LLX Açu Projeto Minas-Rio 49% Anglo American 30% Centennial Asset Participações Logística* Ex- AVX Mineração 1
  4. 4. Transação MMX & Anglo American Estrutura da MMX após a reestruturação e aprovação da proposta da Anglo Acionistas Acionistas Atuais atuais da MMX Controladores & Minoritários da MMX 100% 100% 57% 43% Iron X MMX Metálicos 70% 51% 70% 51% 70% 100% MMX Amapá) (1 MMX ( 2 ) MMX ( 3 ) MMX LLX LLX Minas-Rio Corumbá Sudeste* Minas-Rio Açu 30% 49% 30% 49% 30% Cleveland Cliffs Centennial Asset Centennial Asset Corumbá Participações Logística( 1 ) Inclui 100% da Metálicos Amapá; ( 2 ) Inclui opção de 50% da futura planta de pelotização do Açú; (3) Inclui 100% da Metálicos Corumbá* Ex- AVX Mineração 2
  5. 5. Transação MMX & Anglo American Sumário da operação Pagamento total à vista para os acionistas da Iron X (incluindo oferta obrigatória de tag along) de US$5.518.547.123,63, US$ 18,056 por ação. Estabelecimento de um acordo para pagamento de Royalties de 2,415% do EBITDA (excluindo despesas com vendas, gerais e administrativas, mas incluindo as despesas de permanência no negócio, conforme definido no respectivo instrumento) da MMX Minas-Rio, remuneração esta que está sujeita a um limite máximo de US$ 50 milhões anuais, e 3,276% do EBITDA (conforme será definido no respectivo instrumento) da MMX Amapá, remuneração esta que está sujeita a um limite de US$ 14 milhões anuais. Recebimento por parte de cada acionista atual da MMX de uma ação de emissão da LLX e manutenção integral da sua participação na Companhia: Condições Finalização do termos do protocolo de cisão da MMX S.A. e contrato de compra-e-venda de ações da Iron X entre Controlador e Anglo Aprovação da proposta de cisão pelo Conselho de Administração da MMX e da cisão em Assembléia de Acionistas da MMX Aprovação da documentação definitiva da operação pelo do Conselho de Administração da Anglo 3
  6. 6. Transação MMX & Anglo American Cronograma da transação Anúncio da transação: 17 de janeiro de 2008 Assinatura do contrato de compra-e-venda entre Anglo e Controlador: até 31 de Março de 2008 Reunião do Conselho de Administração e convocação de Assembléia de Acionistas para aprovação da cisão: 7 de abril de 2008 Aprovação da cisão na Assembléia de Acionistas: 19 de junho de 2008 Closing financeiro da venda do Controlador: imediatamente após realização da Assembléia de Acionistas Listagem da Iron X e LLX na Bovespa: imediatamente após a cisão (esse processo, todavia, poderá ser iniciado antes da realização da Assembléia, para fins de cumprimento do cronograma) Oferta de tag along aos demais acionistas de Iron X: após listagem de Iron X e conseqüente registro de oferta pública pela CVM Outros comunicados serão feitos de acordo com a execução dos documentos definitivos da transação 4
  7. 7. MMX NO MERCADO DE CAPITAIS – BOVESPA E TSX Capital Social – 304.609.840 ações ordinárias FreeFloat – Distribuição Geográfica 2% 2% Acionista 9% Controlador e 9% Administradores Brazil 34% United States 21% Canada FreeFloat EU 66% 41% GDRs Asia Other 16% BOVESPA (MMXM3) TSX (XMM) MMXM3 integra a carteira do Índice de Ações com GDRs começam a ser negociados em 27 de Governança Corporativa Diferenciada junho 2007 Ações Ordinárias, 100% tag along. Proporção de GDR por ação 1:1 Oferta Pública realizada com sucesso em 24 de Banco depositário: The Bank of New York julho de 2006: US$ 509 milhões, a maior oferta base conduzida no Brasil, até então. 5
  8. 8. MMXM3 NO NOVO MERCADO - BOVESPA MMXM3 X IBOVESPA R$ 55 Preço(R$) 60 MMXM3 55 MMXM3 17,9% IBOV IBOVESPA 16,0% 50 45 40 35 30 25 20 (US$MM) 35,0 30 549 600 29 29 30,0 500 23 25,0 21 400 20,0 16 16 300 15,0 13 10 13 11 5 6 4 9 450 200 10,0 136 3 22 4 6 41 59 77 84 95 129 19 2 12 20 21 44 65 100 5,0 0,2 0,2 1 1 27 104 0,0 0 Nov/06 Fev/07 Nov/07 Fev/09 Jul/06 Jan/07 Jun/07 Jul/07 Jan/08 Ago/06 Set/06 Out/06 Dez/06 Mar/07 Abr/07 Ago/07 Abr/08 Mai/07 Set/07 Out/07 Dez08 Mar/08 Mai/09 Volume Negociado* (US$MM) Número de Negócios**média diária 6
  9. 9. MMX – PROGRESSO RECONHECIDO VALOR DE MERCADO ALCANÇOU US$ 10 B, COM CRESCIMENTO PRÓXIMO A 7x: CRESCIMENTO DO MERCADO DE MINÉRIO DE FERRO ATENDIMENTO DAS EXPECTATIVAS VALOR AGREGADO 7
  10. 10. NOVA MMXA MMX é veículo exclusivo paraprojetos de mineração:atualmente é formada por 4 Royalties Sistema MMX Amapásistemas • Opção da planta de pelotização do Açu • Royalties do Sistema MMX Minas-Rio Sistema MMX Corumbá Minério de ferro: 4,9 Mtpa Ferro Gusa: 0,4 Mtpa MMX Sudeste* Semi-Acabados: 0,5 Mtpa Minério de ferro: 20 Mtpa Reserva Natural Engenheiro Eliezer Batista Nova MMX inclui Aplicações Financeiras + Caixa MMX + Royalties * Ex- AVX Mineração 8
  11. 11. SISTEMA MMX CORUMBÁ – ESTRATÉGIANossa estratégia contempla a venda da produção através de contratos de suprimento de Longo Prazo.Contratos de longo prazo já assinados com siderúrgicas tradicionais . Minério de Ferro Cliente Prazo Volume 64% da produção de minério AMERICAS 2007-2012 500 ktpa de ferro em 2008 já possui contratos de longo prazo. EUROPA 2007-2012 640 ktpa Pig Iron Plant *** 700 ktpa Ferro Gusa O contrato com a Cargill Cliente Prazo Volume representa 75% da produção AMERICAS 2007-2012 308 ktpa de ferro gusa 9
  12. 12. SISTEMA MMX CORUMBÁ – CRONOGRAMA Produção Total 4,9 4,9 1,5 3,5 2,1 0,4 0,1 0,4 0,4 0,5 0,4 0,5 0,7 0,2 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Engenharia Início ferro gusa Início semi- Aquisição de ativos e início da acabados campanha Corumbá Corumbá de sondagem Início da Início Mina segunda Corumbá planta de minério de ferro Minério de Ferro (Mt) Ferro Gusa (Mt) Sistema MMX Corumbá Semi-acabados (Mt) Minério de Ferro: 4,9 Mtpa Ferro Gusa: 0,4 Mtpa Semi-Acabados: 0,5 Mtpa 10
  13. 13. MMX SUDESTE* - DESTAQUES Aquisição AVG: Acordo celebrado em dezembro deMMX Sudeste 2007 por US$ 224 milhões (5 parcelas anuais) Aquisição Minerminas: Acordo celebrado em Março de 2008 por US$ 115,6 milhões (7 parcelas anuais) Contratos de exportação em negociações Novas aquisições a serem negociadas Porto do Açu Vendas atuais – aproximadamente 75% para o mercado interno Logística atual: ferrovia MRS e Porto de Sepetiba Logística no futuro: ferrovia MRS, com conexão para o Porto Sudeste Porto Sudeste* Ex- AVX Mineração 11
  14. 14. MMX SUDESTE* - CRONOGRAMA Aprovado Capex de US$40 milhões para 2008 + 2009 MMX SUDESTE* Capacidade de produção – sinter feed (63%) + granulados (21%)+ pellet feed (16%) AVG + Minerminas Expansão da capacidade de produção para 20 Mtpa em análise Novas aquisições Estudos de engenharia estão sendo conduzidos para definir o capex de expansão a partir de 2009 UNDER UNDER 10 ANALYSIS ANALYSIS 6.6 6.1 2007 2008 2009 2010 2011 2012 Aquisição Estudos para Ativos aumento da capacidade* Ex- AVX Mineração 12
  15. 15. MMX SUDESTE* – LOCALIZAÇÃO Direito Minerário SOMISA (J Mendes) J Mendes Itatiaiuçu Itatiaiuçu Santanense Minerita COMISA Global (J Mendes) Minerminas EMICON Serra da Farofa AVG + Minerminas Pau de Vinho (J Mendes) Esperança* Ex- AVX Mineração 13
  16. 16. LLX LOGÍSTICA S.A. – DESTAQUES A LLX foi criada em março de 2007, com o objetivo de explorar o significativo potencial de crescimento no setor de infraestrutura e serviços de logística, através do desenvolvimento de sistemas portuários na região sudeste do Brasil. Seus projetos se destacam pelos seguintes diferenciais: Localizações estratégicas e extensas retroáreas; Modelo operacional de baixo custo; Contratos de longo prazo com diversos segmentos da indústria e sinergias geradas dentro do grupo EBX; Administração com vasta experiência; Responsabilidade Social e Ambiental. 14
  17. 17. LLX – PROJETOS LLX irá construir 3 sistemas portuários na região Sudeste do Brasil Porto Açu - “Super Porto” Terminal de uso misto projetado para receber navios de até 200.000 tons Área total de 7.800 ha Calado de 18,5 m Principais Produtos: minério de ferro, produtos siderúrgicos, carvão, granito, etanol/ derivados de petróleo, GNL e contêineres. Porto Sudeste Terminal portuário localizado na região indutrial de Itaguaí Acesso ferroviário pela MRS Localização estratégica para escoar a produção de mineradoras de Minas Gerais Calado de 18,5 m Área total de 52,1 ha Porto Brasil - “Super Porto” Terminal de uso misto Área total de 1.950 ha Calado de 18,5 m Principais Produtos: Contêineres, minério de ferro, granéis agrícolas, granéis líquidos e fertilizantes. Localizado a 70 km de seu principal concorrente, com enorme vantagem competitiva; possibilidade para expansão e 2x capacidade de contêineres atualTodas as instalações portuárias foram projetadas de acordo com as regras do ISPS (International Ship and Port Facility Security Code) 15
  18. 18. LLX – PORTO DO AÇU LLX Minas-Rio (minério de ferro) / LLX Açu (outras cargas) Retroárea de 300ha Complexo Industrial de 7.500 ha com: Movimentação de Minério de Ferro no usina termoelétrica, complexo Porto do Açu; siderúrgico, montadoras, entre outras; Ponte de Acesso; Direito de construir berços adicionais; Canal de Acesso; 2 fontes principais de receita: 1) movimentação de carga e serviços Quebra-mar; associados e 2) aluguel de área; Exportações de Minério de Ferro a partir Acordo de Compartilhamento de de 2010 Infraestrutura com a LLX Minas-Rio dará à LLX Açu acesso à ponte, ao canal e ao quebra-mar. 16
  19. 19. LLX – PORTO BRASIL – RESUMOO Porto Brasil é um porto privado localizado em São Paulo, principal centro econômico do país Terminal portuário de uso misto projetado para operar contêineres, minério de ferro, granel agrícola, granellíquido e fertilizantes. Será um player relevante em contêineres com capacidade superior a 4 milhões de TEUs aser alcançada em módulos até 2032; Calado de 18,5 m; maior píer contínuo e maior retroárea dentre seus concorrentes no Porto de Santos;dimensionado para receber Super Containerships (>11.000 TEUs) e navios Capesize; Direto acesso ferroviário (ALL) e à rodovia larga (Padre Manoel da Nobrega); Localizado fora da área portuária publica, enorme vantagem competitiva em razão de custos reduzidos.Operador único, vis-à-vis Santos onde empresas de navegação têm que negociar com diversos terminaisdiferentes;Retroárea única (Santos tem diversas, em locais diferentes do porto) o que evita a necessidade de realocaçãocustosa de contêineres;Oportunidade de se consolidar operações em um único terminal, com parque industrial contíguo, o que abrigarávárias indústrias de alto valor agregado tais como a de eletro-electrônica, metal mecânico e montadoras. 17
  20. 20. LLX – PORT BRASIL – CONEXÕES LOGÍSTICAS Port Brasil will be connected by 1800 km of railway track (ALL) and by a four lane highway (Padre Manoel da Nóbrega) 18
  21. 21. LLX – PORTO BRASIL – Conexões Logísticas Linha ferroviária com 1800 km irá ligar o Porto Brasil à Corumbá. 18
  22. 22. LLX – PORTO SUDESTEPrincipais Atividades: O porto está localizado no Estado do Rio de Janeiro, próximo ao Porto de Itaguaí, na Baía de Sepetiba. Toda área de 512.000 m² será dedicada à operação de minério de ferro; Calado de 18,5 m; A região tem acesso ferroviário através da MRS Logística e rodoviário pela BR-101; o governo federal aprovou investimentos em uma rodovia ligando a área portuária à Rodovia Rio-São Paulo; A área já está disponível. O licenciamento e a construção podem ser executados em tempo relativamente curto; operação do terminal portuário de minério de ferro (armazenagem e embarque) pode iniciar em 2011. Minério de Ferro Até 25,0 mtpa 19
  23. 23. LLX – PORTO SUDESTE Logística para o transporte de minério de ferro da MMX SUDESTE* para o Porto Sudeste: Igarapé MRS MMX Port Açu Sudeste* Port Sudeste Contrato de transporte com a MRS e acesso ao terminal portuário da CSN em* Ex- AVX Mineração Sepetiba até 2011, quando o Porto Sudeste inicia operação. 20

×