Análise e Comentário Crítico dos relatórios IGE
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Análise e Comentário Crítico dos relatórios IGE

on

  • 351 views

 

Statistics

Views

Total Views
351
Views on SlideShare
349
Embed Views
2

Actions

Likes
0
Downloads
0
Comments
0

1 Embed 2

http://bibliotecaqcportalegre.blogspot.com 2

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Análise e Comentário Crítico dos relatórios IGE Análise e Comentário Crítico dos relatórios IGE Document Transcript

  •   A Biblioteca Escolar     nos     Relatórios da Avaliação Externa da IGE   Análise e Comentário Crítico    dos     Relatórios de Avaliação Externa                                                 Formanda: Manuela Maria Caldeira Mantas  ‐ 1 ‐    Dezembro de 2010  
  • Respondendo  à  segunda  parte  da  tarefa  desta  semana,  seleccionei  três  Relatórios  de  Avaliação Externa:  Agrupamento de Escolas Pedro Eanes Lobato – Avaliação Externa realizada em Janeiro de 2008;  Agrupamento de Escolas Pinhal de Frades – Avaliação Externa realizada em Março de 2008;  Agrupamento de Escolas Paulo da Gama – Avaliação Externa realizada em Novembro de  2008.  O  quadro  apresentado  sintetiza  as  referências,  explicitas  ao  impacto  da  BE  nos  diferentes  domínios observados e avaliados pela equipa da Inspecção Geral da Educação (IGE).  A Análise assenta na leitura dos relatórios de avaliação externa de 3 escolas/agrupamento do  Concelho do Seixal, incluindo o Agrupamento onde exerço funções e foram todas realizadas  no ano civil de 2008.  Depois  de  lidos  todos  os  Relatórios  apurei  quais  os  Domínios  e  factores  em  que  incidiu  a  Avaliação Externa nas escolas mencionadas.   Assim, foram alvo de uma particular atenção os aspectos referidos no seguinte quadro:  Agrupamento  Agrupamento  Agrupamento  Factores a  Domínios  Pedro Eanes Lobato  Pinhal de Frades  Paulo da Gama  Avaliar  2008  2008  2008  Caracterização        Só faz referência ao  Não faz referência  do    Não faz referência  CRE na escola sede.  Agrupamento    São de salientar, como medidas      para diminuir o insucesso    1.1   nestes dois ciclos, as  As Olimpíadas da Leitura  Sucesso  actividades desenvolvidas na  é uma actividade da BE.  Não faz referência  Académico  BE/CRE e nos clubes  nomeadamente os clubes LP 9  (Língua Portuguesa 9.º ano), A  L.P. é fixe e o Português on‐line.     Actividades de  1.2   dinamização com vista a          1.  Participação   promover a  Resultados  A BE aparece referenciada  e  responsabilidade dos  como um espaço de utilização  Não faz referência     Desenvolvimento  alunos para a boa  dos alunos.    utilização e preservação  Cívico    do espaço Biblioteca    Escolar        1.3      Comportamento      Não faz referência  Não faz referência  e  Não faz referência  Disciplina    1.4     Valorização     Não faz referência  Não faz referência  Não faz referência  e Impacto das  Aprendizagens      ‐ 2 ‐     
  •   Agrupamento  Agrupamento  Agrupamento  Domínios  Factores a Avaliar  Pedro Eanes Lobato  Pinhal de Frades  Paulo da Gama  2008  2008  2008        2.1           Articulação   Não faz referência  Não faz referência  Não faz referência  e   Sequencialidade          2.2          2.  Acompanhamento  Não faz referência  Não faz referência  Não faz referência  Prestação   de prática lectiva  em sala de aula  do     Serviço    A BE é referida    Educativo  2.3  enquanto espaço    físico para a     Diferenciação   Não faz referência  prestação de Apoio  Não faz referência   e    Pedagógico  apoios  Acrescido.          Actividades dinamizadas  2.4    no âmbito da Língua  Abrangência  A organização da BE (integra três    Portuguesa  do Currículo e  pólos), onde funciona, com    nomeadamente ligadas  valorização  bastante impacto para a dinâmica  Não faz referência  ao Plano Nacional de  dos saberes da  interna, a rádio escolar.  Leitura.  Aprendizagem                        ‐ 3 ‐     
  •   Agrupamento  Agrupamento  Agrupamento  Domínios  Factores a Avaliar  Pedro Eanes Lobato  Pinhal de Frades  Paulo da Gama  2008  2008  2008  3.1  Contribuição da BE/CRE  Concepção,  no apoio aos projectos  planeamento   Não faz referência  Não faz referência  desenvolvidos em Área  Projecto.  e desenvolvimento da  actividade  3.2      Gestão  Não faz referência  dos  Não faz referência  Não faz referência  Recursos  Humanos    A BE/CRE na escola sede  “A BE/CRE da Escola sede  Todas as escolas do 1.º    ocupa um  espaço amplo e  está bem equipada e são  ciclo têm pólos de BE/CRE    está bem equipada,  ali desenvolvidas várias  a funcionar e que  nomeadamente quanto a  actividades ligadas a  apresentam algum    equipamento informático.  Comemorações, a  desgaste e necessitarem    É neste espaço que  concursos, a exposições, a  de constante    funciona também a Rádio  colóquios, a debates, a  manutenção. Na escola  3.3  Escolar.  sessões de  sede a BE/CRE está bem  3.  Gestão  Em duas escolas do 1.º  esclarecimento, tornando‐ equipado e os alunos são  Organização   dos  ciclo também existe  a num espaço educativo  acompanhados por  Recursos  BE/CRE com docente  muito procurado.  docentes e funcionários,  e  Materiais  destacada que desenvolve  Em duas das escolas do 1º  que lhes prestam o apoio   Gestão Escolar  actividades nestes espaços.  CEB, as BE/CRE, apesar da  necessário.  e   É também nestes espaços  sua reduzida dimensão,  Financeiros   que os alunos têm acesso a  estão razoavelmente   material informático pois o  apetrechadas e   mesmo não existe nas  desenvolvem actividades  salas de aula.  recreativas/educativas    relevantes (visitas de    escritores e ilustradores).    Tanto a Escola sede como    a EB1 de Fernão Ferro    estão inseridas na Rede    Nacional de Bibliotecas    Escolares e o 1º CEB e a    Educação Pré‐Escolar    aderiram ao PNL”.  3.4    Participação     dos pais e     Não faz referência  Não faz referência  Não faz referência  outros elementos da  comunidade educativa    3.5    Equidade e justiça  Não faz referência  Não faz referência  Não faz referência      ‐ 4 ‐     
  •   Agrupamento  Agrupamento  Agrupamento  Factores a  Domínios  Pedro Eanes Lobato  Pinhal de Frades  Paulo da Gama  Avaliar  2008  2008  2008    4.1    Visão      Não faz referência  e  Não faz referência  Não faz referência    estratégia        4.2      Motivação    e  Não faz referência  Não faz referência  Não faz referência    empenho          (…) o Agrupamento        demonstra abertura à        Inovação em diversas    iniciativas de que são      4.3  exemplo (…) Projecto    Abertura    (H)á Noite,    à  promovido pela  Não faz referência  4.  Inovação  Não faz referência  equipa da Biblioteca  Liderança  Escolar que visa    promover o convívio    entre os elementos    da comunidade    educativa.        (…) No CRE da Escola  Projecto com a Rede de  4.4  sede é ainda  Bibliotecas Escolares e  Projecto com a Rede de  Parcerias,  dinamizada a  Plano Nacional de Leitura  Bibliotecas Escolares e Plano  iniciativa Viagens na  protocolos e  Nacional de Leitura  minha Terra,  projectos    destinada à    integração de alunos    estrangeiros e que    promove o convívio e    a partilha de hábitos    e costumes.    Projecto com a Rede    de Bibliotecas  Escolares   Agrupamento  Agrupamento  Agrupamento  Factores a  Domínios  Pedro Eanes Lobato  Pinhal de Frades  Paulo da Gama  Avaliar  2008  2008  2008      5.1  A BE foi sujeita ao Modelo de  Não faz referência  Não faz referência  5.  Auto‐Avaliação  Auto‐Avaliação Capacidade de   Auto‐Regulação    5.2    e Melhoria da  Sustentabilidade  Não faz referência  Não faz referência  Não faz referência  Escola  do    progresso      ‐ 5 ‐   
  • Após  leitura  cuidadosa  dos  referidos  Relatórios  constatei  que  todos  eles  salientavam  o  facto  das Bibliotecas  Escolares  estarem  integradas  na  RBE.  Verifiquei  também  que  tanto  no  texto  do  meu Agrupamento  como  no  do  Agrupamento  Pedro  Eanes  Lobato  a  Biblioteca  é  referida  seis  vezes, enquanto  que  no  caso  do  Agrupamento  de  Escolas  Pinhal  de  Frades,  esta  é  mencionada  apenas quatro vezes. No  que  diz  respeito  aos  domínios  só  o  Agrupamento  Pedro  Eanes  Lobato  é  referido  nos  cinco domínios, o Agrupamento Paulo da Gama é referido em quatro e o Agrupamento Pinhal de Frades em apenas três domínios. De referir ainda que, no caso da avaliação externa do meu agrupamento, os elementos da inspecção logo  que  terminou  a  sessão  de  apresentação,  e  se  dirigiram  para  a  escola  do  1.º  ciclo,  a  BE  foi  o primeiro local a ser visitado com alguma atenção. Como Coordenadora da Biblioteca, pude então dar a conhecer todo o trabalho realizado, aquando da reunião com a equipa da avaliação externa. As políticas de gestão, das Bibliotecas Escolares, implementadas nos diferentes estabelecimentos de ensino  e  a  ênfase  que  foi  dada  ao  papel  da  Biblioteca  Escolar,  no  documento  de  apresentação  do estabelecimento  em  avaliação,  como  elemento  regulador  e  cooperativo  do  processo  ensino‐aprendizagem, permitiram às equipas da IGE uma visão mais ou menos clara do envolvimento da BE nas  diferentes  políticas  educativas  e  por  conseguinte  uma  maior  ou  menor  referência  explícita  ao papel que desempenha. Na minha opinião, cabe aos professores bibliotecários monitorizar a Missão da Biblioteca Escolar, em parceria com os órgãos de administração e gestão da escola e demais comunidade educativa e por que não num futuro muito próximo com toda a Comunidade Escolar. Depois  desta  análise  conclui  que  é  feita  pouca  referência  às  BE’s,  pela  IGE,  sendo  no  entanto destacado  o  papel  das  mesmas  no  processo  de  ensino/aprendizagem  dos  alunos  através  das actividades dinamizadas. No  entanto,  graças  às  equipas  dinâmicas  que  dirigem  as  bibliotecas  e  à  integração  das  BE  na Rede  de  Bibliotecas  Escolares,  são  muitas  as  bibliotecas  que  desenvolvem  um  trabalho  de excelência  em  prol  dos  seus utilizadores, promovendo o  sucesso das aprendizagens e um serviço inovador e adequado às necessidades das diferentes comunidades em que estão inseridas. Penso  que  o  cruzamento  de  dados  que  foi  realizado  para  a  primeira  tarefa  desta  semana,  foi muito  importante  para  termos  uma  panorâmica  mais  correcta  sobre  os  elementos  que necessariamente devem  figurar sobre as BE numa avaliação de Escola/Agrupamento.   ‐ 6 ‐   
  • O  novo  modelo  de  auto‐avaliação  das  BE  irá  permitir,  no  meu  entender,  que  cada escola/Agrupamento reconheça e valorize mais o esforço e o trabalho realizados para combater o insucesso escolar e melhorar o ensino. Assim sendo, estou certa que futuramente os inspectores da IGE  farão  apreciações  ainda  mais  relevantes  acerca  das bibliotecas escolares.   ‐ 7 ‐