Fundamentos e metodologia_de_lingua_portuguesa resolução pequena

  • 5,416 views
Uploaded on

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
5,416
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
136
Comments
0
Likes
1

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Tutor a distância – Talita de Moraes Marcelino 1 Centro de Educação a Distância Universidade Anhanguera – Uniderp Fundamentos e Metodologia de Língua Portuguesa CINTIA LOURENÇO 2307352607 EDICLEIA BUENO BATISTA 2317374697 GISELE DE FÁTIMA PEREIRA MATULOVIC 2330444243 Piracicaba – São Paulo 2013
  • 2. 2 Introdução ESTE TRABALHO TEM COMO OBJETIVO, PONTUAR AS PRINCIPAIS DIFERENÇAS ENTRE LINGUAGEM VERBAL E ESCRITA, A FONÉTICA E SUAS ALTERAÇÕES, VARIAÇÕES LINGUÍSTICAS, PROBLEMAS DA LÍNGUA CONVENCIONAL, LINGUAGEM E COMUNICAÇÃO, A IMPORTÂNCIA E O PODER DA LÍNGUA, E SEUS GÊNEROS LITERÁRIOS. COMO TAMBÉM APRESENTAR OS PRECONCEITOS QUE ENVOLVEM A LINGUÍSTICA.
  • 3. 3 Principais diferenças entre a linguagem verbal e a escrita. LINGUAGEM É A REPRESENTAÇÃO DO PENSAMENTO, POR MEIO DE SINAIS, OS OPORTUNIZAM A COMUNICAÇÃO E SOCIALIZAÇÃO. LINGUAGEM VERBAL É AQUELA QUE UTILIZA A PALAVRA PARA A COMUNICAÇÃO. LINGUAGEM NÃO VERBAL É AQUELA QUE SE UTILIZA DE GESTO, IMAGENS, ESCRITA, MOVIMENTOS, IMAGENS, ETC.  A LÍNGUA É O CÓDIGO FORMADO PELAS PALAVRAS, COM REGRAS E COMBINAÇÕES PARA A INTERAÇÃO ENTRE AS PESSOAS.  VARIAÇÕES LINGUÍSTICAS SÃO AS MODIFICAÇÕES QUE OCORREM NA LINGUAGEM, CAUSADA POR INFLUENCIA, DA CONDIÇÃO SOCIAL, REGIONAIS, CULTURAIS E HISTÓRICAS, A QUAL SE FAZ PARTE.  NORMA CULTA É A LÍNGUA PADRÃO, E VARIAÇÕES LINGUÍSTICAS DE MAIOR IMPORTÂNCIA.  NORMA POPULAR SÃO AS VARIAÇÕES LINGUÍSTICAS QUE NÃO SE ENQUADRAM NAS NORMAS DA LÍNGUA PADRÃO.
  • 4. 4 Principais diferenças entre a linguagem verbal e a escrita. A FALA NOS POSSIBILITA A INTERAÇÃO FACE A FACE COM O INDIVIDUO, JÁ A ESCRITA INTERAGE A DISTANCIA. COM A FALA PODEMOS PRODUZIR INSTANTANEAMENTE OS PENSAMENTOS E AS PALAVRAS, JÁ COM A ESCRITA ESSE PROCESSO PODE SER PLANEJADO ANTERIORMENTE. EM UMA CONVERSA ONDE EXISTAM MAIS DE DUAS PESSOAS É POSSÍVEL CONSTRUIR E ADMINISTRAR DETALHADAMENTE A MENSAGEM A SER TRANSMITIDA, JÁ NA ESCRITA O FATO OCORRE INDIVIDUALMENTE E NEM SEMPRE OCORRE A TRANSIÇÃO COMO O ESPERADO. COM A FALA SE OCORRER UM EQUIVOCO, PODERÁ SER CORRIGIDO QUASE QUE INSTANTANEAMENTE, JÁ NA ESCRITA, APÓS A MENSAGEM TRANSMITIDA ISSO NÃO SERÁ POSSÍVEL. A FALA POSSIBILITA VOCÊ TRANSMITIR O SEU CONHECIMENTO, JÁ NA ESCRITA VOCÊ PODE PESQUISAR E CONSULTA OUTRAS IDEIAS. COM A FALA, É POSSÍVEL OBSERVAR A REAÇÃO NA EXPRESSÃO E FALA DO RECEPTOR, JÁ NA ESCRITO NÃO SE TORNA POSSÍVEL. ATRAVÉS DA FALA É POSSÍVEL ANALISAR TODO O CONTEXTO DE UMA CONVERSA, JÁ NA ESCRITA, SÓ É POSSÍVEL SABER O RESULTADO FINAL, JÁ QUE NÃO SE TEVE ACESSO AO PROCESSO DE CRIAÇÃO DAS IDEIAS.
  • 5. 5 A Fonética que é alterada no momento da fala. ESCRITA PRONUNCIA NÓS NOIS COLHER CULHER MOCHILA MUCHILA BOTINA BUTINA SATISFAÇÃO SASTIFAÇÃO SALSICHA SALCHICHA PROBLEMA PIQUI PROBLEMA PLOBLEMA IDIOTA INDIOTA MENDIGO MENDINGO ESCRITA PRONUNCIA MORTADELA MORTANDELA CHOURIÇO CHURIÇO GARFO GALFO VASSOURA BASSOURA CABELEIREIRO CABELELERO BASCULANTE VASCULANTE IOGURTE IORGUTE TRAVESSEIRO TRABISSEIRO CADARÇO CARDAÇO ASTERÍSTICO ASTERISCO
  • 6. 6 A Fonética que é alterada no momento da fala. ESCRITA PRONUNCIA VASSOURA BASSOURA UTENSÍLIO DOMÉSTICO DE LONGO CABO COM FIBRAS DE PIAÇABA, FIOS PLÁSTICOS ETC., E USADO PARA LIMPEZA DOS SOLOS, DAS PAREDES E DOS TETOS. ESCRITA PRONUNCIA ASTERISCO ASTERISTICO http://galeria.colorir.com/profiss oes/outras- profissoes/vassoura-pintado- por-bruno-47517.html ESCRITA PRONUNCIA COLHER CULHER SINAL TIPOGRÁFICO EM FORMA DE ESTRELA (*), QUE INDICA UMA REMISSÃO OU CHAMADA PARA CITAÇÃO. (QUANDO REPETIDO TRÊS VEZES [], INDICA LACUNA OU OMISSÃO DE TRECHO NUMA CITAÇÃO OU TRANSCRIÇÃO. http://andretarnowskyfilho.blog spot.com.br/2012/05/campeonat o-de-asteriscos.html UTENSÍLIO DE MESA FORMADO DE UM CABO E UMA PARTE CÔNCAVA, QUE SERVE PARA SE TIRAR OU LEVAR À BOCA OS ALIMENTOS LÍQUIDOS OU POUCO CONSISTENTES http://galeria.colorir.com/profiss oes/cozinheiros/colher-pintado- por-marilene-452031.html
  • 7. 7 A Fonética que é alterada no momento da fala. ESCRITA PRONUNCIA MOCHILA MUCHILA ESPÉCIE DE SACO DE LONA, COM PERTENCES DE MILITAR. BOLSA DE PANO, PELE OU COURO QUE LEVAM ÀS COSTAS OU A TIRACOLO, COM SEUS PERTENCES ESCRITA PRONUNCIA BOTINA BUTINA http://www.juntadeandalucia.es/ averroes/vicentealeixandredebr enes/lp11/lp11.htm ESCRITA PRONUNCIA IOGURTE IORGUTE BOTA DE CANO CURTO (ATÉ POUCO ACIMA DO TORNOZELO) http://1papacaio.com.br/module s.php?op=modload&name=Clip arts&file=index&do=showgall&g id=86 LEITE COALHADO PELO FERMENTO LÁCTICO, ALIMENTO NACIONAL DOS MONTANHESE S BÚLGAROS, ATUALMENTE DE CONSUMO MUNDIAL. http://ideiasoltas.no.sapo.pt/p rojectos/origem.htm
  • 8. 8 Variações Linguísticas. MENINO GURI CANOA PIROGA LAGARTO TEIÚ FILÃO PÃO AGUADO LAGARTIXA TATUÍRA AGONIA GASTURA PERNILONGO MURIÇOCA CÓRREGO RIACHO MANDIOCA TAPIOCA PERTURBAR APERREAR APRESSADO AVEXADO BEBE BRUGUELO MORRER BATE A CAÇOLETA DESCONFIADO CABREIRO PARECIDO CUSPIDO PONTE PINGUELA PORTEIRA COLCHETE MAMADEIRA BIBERON NECROTÉRIO MORGUE DEDO DURO CHIBO ÁGUA SANITÁRIA LIXÍVIA CONCRETO BETÃO
  • 9. 9 Variações Linguísticas. NORDESTE SUDESTE TATUÍRA LAGARTIXA NOME COMUM A DIVERSOS LAGARTOS INSETÍVOROS E TREPADORES, DA FAM. DOS GECONÍDEOS, DE PELE DELICADA, REVESTIDA DE TUBÉRCULOS, ENCONTRADOS EM TODAS AS PARTES DO MUNDO. SUL SUDESTE PÃO AGUADO PÃO FRANCES É UM TIPO DE PÃO CARACTERÍSTICOS POR SUA CASCA DOURADA E O MIOLO BRANCO. MUITO POPULAR NO BRASIL, É PRINCIPALMENTE CONSUMIDO EM REFEIÇÕES COMO O CAFÉ DA MANHÃ E O LANCHE DA TARDE. SUL SUDESTE PINGUELA PONTE SIGNIFICADO: FRUTO DA ABOBOREIRA. UTILIZADO PARA REFEIÇÕES, TANTO DOCES COMO SALGADAS. TAMBÉM UTILIZADA NA DECORAÇÃO DAS FESTAS DO DIA DA BRUXA.
  • 10. 10 Variações Linguísticas. SUL SUDESTE MURIÇOCA PERNILONGO TIPO DE MOSQUITO QUE TEM AS PERNAS LONGAS NORDESTE SUDESTE BETÃO CONCRETO NORDESTE SUDESTE BIBERON MAMADEIRA RECIPIENTE DE VIDRO OU PLÁSTICO MUNIDO DE UMA CHUPETA, QUE SERVE PARA AMAMENTAR ARTIFICIALMENTE AS CRIANÇAS. MISTURA DE ÁGUA, AREIA, CIMENTO, PEDRA BRITADA, COM ESTRUTURA DE VERGALHÃO DE FERRO, E USADA EM OBRA DE ALVENARIA; CIMENTO ARMADO
  • 11. 11 Problemas da língua convencional. FONTE: http://www.placaserradas.com.br/ Direitos reservados © 2006 - 2013 | Pagina-uno: www.pagina-uno.com
  • 12. 12 Problemas da língua convencional. FONTE html:file://C:UsersNBDownloadsSociolinguistica_01.mht!Sociolinguistica_01_arquivos/frame.htm
  • 13. 13 Problemas da língua convencional. NO DESENVOLVIMENTO DA LINGUAGEM, PROCEDEM DUAS FASES, SENDO ELAS: • PRÉ LINGUÍSTICA: QUE É A FASE QUE SÃO VOCALIZADOS APENAS BALBUCIAS, SEM FORMAÇÃO DE PALAVRAS A QUAL NORMALMENTE TEM SEU FINAL AOS 12 MESES. • FASE LINGUÍSTICA : A CRIANÇA COMEÇA A PRONUNCIAR PALAVRAS COM CONSISTÊNCIA E COMPREENSÃO. O PROCESSO DE AQUISIÇÃO DA LINGUAGEM ENVOLVE O PROCEDIMENTO DE EVOLUÇÃO DE QUATRO SISTEMA INTERDEPENDENTES: • PRAGMÁTICO: QUE SE REFERE AO USO COMUNICATIVO DA LINGUAGEM NUM CONTEXTO SOCIAL,. • FONOLÓGICO: O QUAL ENVOLVE A PERCEPÇÃO E A PRODUÇÃO DE SONS PARA FORMAÇÃO DE PALAVRAS. • SEMÂNTICO: RESPEITANDO AS PALAVRAS E SEU SIGNIFICADO E COMO TAMBÉM O GRAMATICAL, COM A COMPREENSÃO AS REGRAS SINTÁTICAS E MORFOLÓGICAS PARA COMBINAR PALAVRAS, PARA COMPREENSÃO DAS FRASES.
  • 14. 14 Problemas da língua convencional. A LINGUAGEM DIFERE DE REGIÃO EM REGIÃO, EM SOTAQUES TRADICIONAIS, EM FORMAÇÃO DA FALA, EM QUESTÃO DE CULTURA E ESCOLARIDADE. SÃO COMUNS VISUALIZAR ERROS GROTESCOS EM PROPAGANDAS NAS ESTRADAS E NO INTERIOR. ISSO ACONTECE PORQUE A ESCRITA É O REFLEXO DA FALA, SE A PESSOA APRENDE A FALAR ERRADO, VOCÊ ESCREVE ERRADO. A BAIXA ESCOLARIDADE NOS INTERIOR DE ALGUMAS REGIÕES TAMBÉM AJUDAM NAS ESCRITAS INCORRETAS, COMO TROCAS DE LETRAS DE TEM A MESMA SONORIZAÇÃO, COMO EXEMPLO “Ç = SS”, “S = C”, “X = CH”, “S = Z”, ENTRE OUTROS ERROS DE COLOCAÇÃO VERBAL E PONTUAÇÃO. DEVEMOS COMPREENDER QUE TODAS AS LÍNGUAS VARIAM, TODAS AS VARIAÇÕES LINGUÍSTICA ACONTECEM NATURALMENTE, POIS ELA ACOMPANHA AS VARIAÇÕES SOCIAIS. LOGO NÃO EXISTE CERTO OU ERRADO, AFINAL OS ERROS SÃO HIPÓTESES SIGNIFICATIVAS.
  • 15. 15 Linguagem verbal e a comunicação entre as pessoas. A LINGUAGEM NÃO É APENAS A EXPRESSÃO DO PENSAMENTO, NEM SÓ UM INSTRUMENTO DE COMUNICAÇÃO, A LINGUAGEM É A FORMA DE SE INTERAR SOCIALMENTE. A LINGUAGEM VERBAL POSSIBILITA A RELAÇÃO DE PLENA PARTICIPAÇÃO SOCIAL, POIS, É POR MEIO DELA QUE O HOMEM SE COMUNICA NA MAIORIA DO TEMPO, EXPRESSA – SE, COMPARTILHA SUAS IDEIAS, TRANSFERINDO CONHECIMENTOS. AFINAL A LINGUAGEM VERBAL NÃO SE APRENDE NA ESCOLA, A ESCOLA APENAS A COMPLEMENTA, APERFEIÇOA, TEORIA E PRÁTICA CAMINHAM JUNTAS. A ESCOLA APRESENTA AS NORMAS CULTA DA LINGUAGEM VERBAL, PARA QUE SIRVA DE FERRAMENTA PARA O FUTURO, AFINAL O PORTUGUÊS PADRÃO TEM O SEU VALOR E SUA NECESSIDADE.
  • 16. 16 A melhor e a pior coisa do mundo. ESOPO - A MELHOR E A PIOR COISA DO MUNDO A LÍNGUA TEM UM PODER EXORBITANTE, ELA PODE TRAZER O BEM OU O MAL, CABE A CADA UM DECIDIR O LADO A QUAL ESCOLHER, SE VOCÊ OPTAR POR FALAR MAL DE ALGUÉM, E ESSE ALGUÉM AUMENTAR A HISTÓRIA, PODE PREJUDICAR A TERCEIRA PESSOA. DEVE SE TOMAR, MUITO POIS UMA PALAVRA DITA NÃO PODE SER DEVOLVIDA À VIDA. A MÍDIA UTILIZA DE MENTIRAS PARA CONQUISTAR O POVO, ISSO É DENOMINADO SENSACIONALISMO. COMO INÚMEROS OUTROS FATORES QUE ENVOLVEM A MENTIRA E DISSIMULAÇÃO. POR ESSE MOTIVO DEVEMOS PENSAR ANTES DE FALAR POIS, UMA PALAVRA MAL DITA PODE MATAR OU SALVAR ALGUÉM. AFINAL A LÍNGUA PODE SER A MELHOR OU A PIOR COISA DO MUNDO. ENTÃO ESSE MEIO TÃO USADO PARA SE COMUNICAR É EXTREMAMENTE PODEROSO.
  • 17. 17 Gêneros Literários. A LITERATURA É A ARTE QUE SE MANIFESTA PELA PALAVRA, SEJA ELA FALADA OU ESCRITA. A FORMA DE APRESENTAÇÃO PODE SER PROSEADA OU RECITADA EM VERSOS. OS GÊNEROS LITERÁRIOS PODEM SER APRESENTADOS EM TRÊS TIPOS LÍRICO: QUANDO UM "EU" NOS PASSA UMA EMOÇÃO, UM ESTADO; DRAMÁTICO: QUANDO OS "ATORES, NUM ESPAÇO ESPECIAL, APRESENTAM, POR MEIO DE PALAVRAS E GESTOS DOS CONFLITOS HUMANOS. ÉPICO: QUANDO TEMOS UMA NARRATIVA DE FUNDO HISTÓRICO; NORMALMENTE SÃO EFEITOS HEROICOS E ANTIGOS QUE REPRESENTAM OS ASPECTOS TEMPORAIS.
  • 18. 18 Considerações Finais A LINGUAGEM OCORRE EM REFLEXO AO AMBIENTE VIVIDO, EM ALGUNS CASO DEMONSTRA –SE PROBLEMAS NEUROLÓGICOS E FONOLÓGICOS, PORÉM EM SUA MAIORIA OCORRE POR INFLUENCIA DA REGIÃO, CULTURA, E TECNOLOGIAS, AS QUAIS ESTÃO INSERIDOS. NA VISÃO DO GRUPO O ENSINO DA LINGUAGEM DEVE – SE UTILIZAR DA ESTRATÉGIA LÚDICA, POIS O APRENDIZADO DA LINGUÍSTICA É DETALHADO E CHEIO DE REGRAS E SINAIS. SENDO ASSIM, SE FOR TRABALHADO DE FORMA DIVERTIDA O OBJETIVO SERÁ ATINGIDO DE FORMA QUE NÃO ASSUSTE A CRIANÇA, E AINDA FARÁ DO APRENDIZADO UMA GRANDE BRINCADEIRA. A LEITURA É ALGO FASCINANTE QUE SE FOR ESTIMULADO DE MANEIRA CORRETA, SE FAZ CAPAZ DE DESENVOLVER O IMAGINÁRIO DA CRIANÇA, CRIANDO PESSOAS DESENVOLVIDAS SOCIALMENTE, CRITICAS, QUESTIONADORAS, DE AMPLO CONHECIMENTO. ASSIM SENDO, CONCLUÍMOS QUE A LINGUÍSTICA NÃO É APENAS LER E ESCREVER, QUE O TEXTO NÃO É APENAS PAPEL E LÁPIS, QUE TODO ESSE PROCESSO FAZ PARTE DA FORMAÇÃO DO ALUNO EM SEU MEIO DE CONVÍVIO, E QUE INDEPENDENTE DAS DIFERENÇAS TODOS DEVEM SER RESPEITADOS, PARA QUE SE ATINJA O OBJETIVO DO ENSINO APRENDIZAGEM
  • 19. 19 Referências Bibliográficas CAGLIARI, L. C Alfabetização e linguistica. São Paulo: Scipione, 1994 GOMES, Maria Lucia de Castro. Metodologia do Ensino de Língua Portuguesa. Curitiba: IBPEX, 2011. PLT 240. http://pt.wikipedia.org/wiki/Lingu%C3%ADstica – ACESSO EM 16/04/2013 http://jcienciascognitivas.home.sapo.pt/05-11_silva.html - ACESSO EM 18/04/2013 http://www.infoescola.com/portugues/erros-gramaticais-comuns-na-lingua-portuguesa - ACESSO EM 19/04/2013 http://www.mentirasverissimas.com/2011/08/palavras-erradas-faladas-normalmente.html - ACESSO EM 20/04/2013 http://www.mentirasverissimas.com/2011/08/palavras-erradas-faladas-normalmente.html - ACESSO EM 23/04/2013