Your SlideShare is downloading. ×
0
Jornalismo e Tecnologia
Jornalismo e Tecnologia
Jornalismo e Tecnologia
Jornalismo e Tecnologia
Jornalismo e Tecnologia
Jornalismo e Tecnologia
Jornalismo e Tecnologia
Jornalismo e Tecnologia
Jornalismo e Tecnologia
Jornalismo e Tecnologia
Jornalismo e Tecnologia
Jornalismo e Tecnologia
Jornalismo e Tecnologia
Jornalismo e Tecnologia
Jornalismo e Tecnologia
Jornalismo e Tecnologia
Jornalismo e Tecnologia
Jornalismo e Tecnologia
Jornalismo e Tecnologia
Jornalismo e Tecnologia
Jornalismo e Tecnologia
Jornalismo e Tecnologia
Jornalismo e Tecnologia
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Jornalismo e Tecnologia

5,030

Published on

Published in: Technology, News & Politics
0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
5,030
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
130
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Jornalismo e tecnologia (ou o factor tecnológico na configuração do jornalismo)
  • 2. Johannes Gutenberg (1397-1468) <ul><li>1451 </li></ul>
  • 3. McLuhan sobre a Imprensa <ul><li>A prensa de imprimir teve um impacto comparável a uma bomba de 100 megatoneladas... O novo meio de tipo linear, uniforme e repetível reproduzia informação em quantidades ilimitadas e a velocidades até então impossíveis , assegurando desse modo à visão um lugar de total predominância entre os sentidos do Homem. </li></ul>
  • 4. 1702: The Daily Courant, Londres
  • 5. http://eink.com/index.html Papel e Tinta digitais
  • 6. Telégrafo eléctrico de Samuel Morse (1791-1872) 24 .5. 1844: transmissão entre Baltimore e Washington: “ What hath God wrought”
  • 7. “ Uma nova da Austrália Que venha pelo correio Gasta em chegar a Lisboa Talvez mais que mês e meio. Se porém pelo telégrafo A mesma for enviada Em menos que um segundo Será ela cá chegada” Mário de Sá Carneiro, 1907 Poemas Completos . Lisboa: Assírio e Alvim, 1999:218
  • 8. 1925-1926: O escocês John Baird desenvolve transmissão de imagens a distância <ul><li>1948: Televisão por cabo (Pensilvania, EUA) </li></ul><ul><li>1950: 1º sistema de TV a cores (EUA) </li></ul><ul><li>1956: controlo remoto </li></ul><ul><li>1962: emissões por satélite </li></ul><ul><li>1969: emissão a partir da Lua </li></ul><ul><li>1996: webTV </li></ul>
  • 9. 1925-1926: O escocês John Baird desenvolve transmissão de imagens a distância <ul><li>1948: Televisão por cabo (Pensilvania, EUA) </li></ul><ul><li>1950: 1º sistema de TV a cores (EUA) </li></ul><ul><li>1962: emissões por satélite </li></ul><ul><li>1996: webTV </li></ul>
  • 10. Ciberespaço <ul><li>1969: ARPANET /Internet </li></ul><ul><li>1991: WWW </li></ul>
  • 11. <ul><li>Velocidade </li></ul><ul><li>Instantaneidade (síncrono, directo) </li></ul><ul><li>Fluxo constante (crise da noção de periodismo) </li></ul><ul><li>Redes globais e “globalização” </li></ul>
  • 12. Pergunta de base <ul><li>Qual a importância de integrar o factor tecnológico na compreensão do jornalismo e das mudanças que o afectam? </li></ul>
  • 13. Razões sócio-culturais <ul><li>A técnica surge no quadro das relações sociais (de poder…) </li></ul><ul><li>Multifactorialidade na vida social </li></ul><ul><li>Modos socialmente construídos de olhar a técnica </li></ul><ul><li>Os mitos na tecnologia (ex.: tecnologia = progresso) </li></ul>
  • 14. Razões técnicas <ul><li>Do analógico ao digital </li></ul><ul><li>Da comunicação em linha à com. em rede </li></ul><ul><li>Da lógica da edição à lógica do fluxo </li></ul><ul><li>Da coexistência à convergência dos media </li></ul>
  • 15. Tendências <ul><li>Convergência de suportes, incentivada pela digitalização </li></ul><ul><li>Carácter multimédia: combinação de formatos de informação num mesmo suporte </li></ul><ul><li>Da comunicação ponto-multiponto à comunicação em rede </li></ul><ul><li>Da audiência às comunidades virtuais de interesses, partilha, conhecimento </li></ul><ul><li>Desintermediação e acesso directo às fontes: crise do gatekeeping e agenda-setting? </li></ul><ul><li>Serviços multi-plataforma e acesso por múltiplos terminais. </li></ul>
  • 16. mudança tecnológica ( Neil Postman <ul><li>As vantagens de uma nova tecnologia têm sempre um reverso de desvantagens e de perdas; (cf. Fedro, de Platão) </li></ul><ul><li>Desvantagens e vantagens nunca são distribuídas social e culturalmente de forma equilibrada; </li></ul><ul><li>Em cada tecnologia vem sempre incorporada uma ideia forte, uma ideologia, uma mundividência ; </li></ul><ul><li>Uma mudança tecnológica não se faz por acumulação, mas por recomposição do meio ambiente; </li></ul><ul><li>Cada novo meio tecnológico tende a ser mitificado e, por essa via, tomado como natural, não construído. </li></ul><ul><li>Postman, Neil (1998) Five Things We Need to Know About Technological Change </li></ul>
  • 17. Neil Postman: the computer, a machine or a messiah? <ul><li>The computer is , in a sense, a magnificent toy that distracts us from facing what we most needed to confront -- spiritual emptiness, knowledge of ourselves, usable conceptions of the past and future. Does one blame the computer for this? Of course not. It is, after all, only a machine . But it is presented to us (…) as a technological messiah . </li></ul>
  • 18. Aspectos positivos <ul><li>quantidade e diversidade de informação disponível </li></ul><ul><li>a multiplicidade de formas e de serviços </li></ul><ul><li>as diversas modalidades de utilização e de relacionamento </li></ul><ul><li>as inúmeras possibilidades de definir menus individualizados de informação </li></ul><ul><li>Acesso directo às fontes </li></ul>
  • 19. Interrogações <ul><li>Determinismo tecnológico </li></ul><ul><li>Causalidade linear das práticas sociais </li></ul><ul><li>Modelos de alocução e modelos de conversação </li></ul>
  • 20. Reducionismo a evitar: o determinismo tecnológico <ul><li>Crença de que ó factor técnico constitui uma força autónoma capaz de, por si só, mudar a sociedade </li></ul>
  • 21. <ul><li>Estaremos perante simples desenvolvimentos do passado em cenários novos ou, pelo contrário, diante de uma ruptura ou mesmo de uma revolução relativamente àquilo que tem sido característico do jornalismo? </li></ul>
  • 22. Sugestões de leitura <ul><li>Jose Luis Orihuela, Los 10 Paradigmas de la e-Comunicación </li></ul><ul><li>http://mccd.udc.es/orihuela/paradigmas/ </li></ul><ul><li>Lasica, J.D. (2003) We Media – How audiences are shaping news and information </li></ul><ul><li>http://www.hypergene.net/wemedia/ </li></ul><ul><li>Gillmor, D. (2004) We the Media – Grassroots journalism by the people, for the people </li></ul><ul><li>http://www.authorama.com/we-the-media-1.html </li></ul><ul><li>Neil Postman: Informing Ourselves to Death </li></ul><ul><li>http://www.mat.upm.es/~jcm/postman-informing.html </li></ul><ul><li>M. Pinto: Jornalismo, Tecnologia e Mercado (texto fotocopiado) </li></ul><ul><li>Diaz Noci; R. Salaverría (coords.) (2003) Manual de Redacción Ciberperiodística . Madrid: Ariel </li></ul>
  • 23. Sítios recomendados

×