Amazonia

1,509 views
1,319 views

Published on

0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
1,509
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
58
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Amazonia

  1. 1. AMAZÔNIA: AMAZÔNIA: Quadro natural Clima Relevo Hidrografia Vegetação 5ª série
  2. 2. Introdução A Amazônia é uma região na América do Sul, definida pela bacia do rio Amazonas e coberta em grande parte pela Floresta Equatorial da Amazônia ou Hiléia Amazônica, seu relevo e predominantemente coberto de planícies. Os elementos do quadro natural apresentam uma forte interdependência. No Brasil, para efeitos de governo e economia, a Amazônia é delimitada por uma área chamada Amazônia Legal. É chamado também de Amazônia o bioma que, no Brasil, ocupa 49,29% do território, sendo o maior bioma terrestre desse país. Na atualidade bastante agredido pela ação humana.
  3. 3. A floresta amazônica é a maior floresta equatorial da face da Terra, assentada sobre a grande planície sedimentar que se estende entre o maciço Guiano e o planalto Brasileiro. A presença da água é permanente sobre depósitos de sedimentos de fertilidade variável, mas em geral específica, indissociável de seu ecossistema, com vastas extensões alagadas na maior parte do ano (igapós) e contínua rede de pequenos canais entre os rios (igarapés). A maior parte dos solos da Amazônia é pobre em nutrientes. Pode parecer contraditório que uma floresta tão rica possa sobreviver sobre um solo pobre. Isso se explica pelo fato de ocorrer um ciclo fechado de nutrientes. Quase todos os minerais estão acumulados no vegetal. Quando as plantas morrem, são decompostos e os nutrientes são reabsorvidos pelas raízes. Amazônia: Vegetação
  4. 4. Clima Equatorial Amazônia: Clima A Amazônia é terra de clima equatorial, de calor intenso e úmido, com temperaturas médias acima de 25°C e uma variação do mês mais quente ao mais frio de menos de 2° C. No sudoeste, porém, a oscilação térmica é bem maior no inverno, quando a massa polar atlântica faz a temperatura descer a 10° C ou menos, no que localmente chamam friagem. Importantes são os totais pluviométricos anuais, que ultrapassam os 1.500mm. Apesar disso, na Amazônia não é particularmente perigosa a incidência de doenças tropicais, e a região apresenta, nesse aspecto, ameaças muito menores que as de regiões parecidas da África e da Ásia.
  5. 5. O relevo amazônico de modo geral, raramente apresenta altitudes acima de 200 metros, porém, nesta região (fronteira do Brasil com a Venezuela) localiza-se o ponto culminante do País, o Pico da Neblina, com 3.014 metros, mais precisamente na Serra do Imeri. O relevo e o solo da Amazônia são bastante diversificados, com zonas de planícies e grandes montanhas. Enquanto as várzeas do Rio Amazonas estão entre 8 a 10 m acima do nível do mar. Os terrenos sedimentares predominam. Ao norte, o relevo se eleva pouco a pouco, constituindo o Planalto das Guianas, de formação cristalina. Ao sul, a bacia sedimentar é imitada pelas encostas setentrionais do planalto Brasileiro, com terrenos bastante erodidos; a oeste, estende-se até Andes. Amazônia: Relevo
  6. 6. A Bacia Hidrográfica Amazônica possui uma área de 6 892 475 km², sendo que 3. 984.467 km² estão no Brasil e representam 46,8% do território nacional. O restante distribui-se por outros sete países da América do Sul. É a maior bacia hidrográfica do mundo. O clima equatorial exerce influência direta sobre a bacia Amazônica, pois a quantidade de chuva é intensa na região é bastante elevada. Com isso, o rio Amazonas, que é o eixo dessa bacia, despeja no Oceano Atlântico aproximadamente 20% de toda a água que todos os rios do mundo jogam juntos nos oceanos . Os afluentes do rio Amazonas possuem grande capacidade de gerar energia elétrica, pois em seu curso até o rio principal há inúmeras quedas-d'água. Esse aproveitamento, entretanto, é inexpressivo por causa da falta de demanda local e da dificuldade de transporte dessa energia até mercados mais distantes Amazônia: Hidrografia
  7. 7. O ser humano é, sem dúvida, um dos principais agentes modificadores do quadro natural. As consequências de sua atuação são muito mais evidentes e rápidas do que qualquer outro agente, já que dispõe de recursos cada vez mais sofisticados e suas ações são contínuas. Infelizmente, essas consequências na Amazônia têm sido sempre negativas. Amazônia: Danos ambientais
  8. 8. Conclusão A Amazônia vem passando por grandes transformações, sobretudo pela ação do homem que em busca do lucro constante destrói o ecossistema amazônico. Ações como desmatamento, queimadas e a mineração provocam grandes impactos ambientais, comprometendo o futuro da região e de sua população.

×