REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE REPARTIÇÃO DE ENSINO À DISTÂNCIA DO I S C E D  DO  ...
2.º SEMINÁRIO DE CAPACITAÇÃO DE DOCENTES “ 2010” A IMPORTÂNCIA DO DOMINIO DAS TECNOLOGIAS DE  ENSINO À DISTÂNCIA NA TUTORI...
REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE EDUCAÇÃO  OU  ENSINO  A DISTÂNCIA? Parte 1
REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE As expressões  Educação   a Distância   ou   Ensino...
REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE METODOLOGIA APLICADA “ No processo de aprendizagem ...
REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE A COMUNICAÇÃO EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA “ No processo...
REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE INTERATIVIDADE E INTERACÇÃO “ A característica prin...
REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE <ul><li>A IMPORTÂNCIA DO MATERIAL DIDÁTICO </li></u...
REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE CARACTERÍSTICAS DO MATERIAL DIDÁTICO 1-  Interativi...
REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE PRODUÇÃO DE MATERIAL DIDÁTICO “ A selecção dos recu...
REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE MATERIAL IMPRESSO O recurso impresso deve ser compo...
REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE VÍDEO VÍDEO AULA ou BROADCAST (TV Aberta) Este tipo...
REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE VÍDEO TELECONFERÊNCIA Transmissão de programa de TV...
REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE ÁUDIO RÁDIO Este recurso conta com a possibilidade ...
REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE MULTIMÍDIA CD-ROM Trata-se da produção de softwares...
REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE AVALIAÇÃO NO PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM NA MODALI...
REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE AVALIAÇÃO NO PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM NA MODALI...
REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE CARACTERÍSTICAS DA AVALIAÇÃO EM EAD Embora haja um ...
REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO Como avaliar? O rendiment...
REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE AVALIAÇÃO A DISTÂNCIA: O espaço e a situação nesta ...
REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE “ A avaliação a distância pode realizar-se por meio...
REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE CARACTERIZAÇÃO DA TUTORIA EM EAD O ensino a distânc...
REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE A tutoria como método nasceu no século XV na univer...
REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE DOCENTE E TUTOR De maneira geral, os conhecimentos ...
REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE A diferença entre o docente e o tutor é institucion...
REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE 3-  Risco –  aparece como conseqüência de privilegi...
REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE O QUE UM BOM TUTOR TEM DE TER? O tutor é um element...
REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE 3- Um bom tutor cria propostas de actividades para ...
REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE Tabela I – Paralelo entre as Funções do Professor e...
REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE Mauri Collins e Zane Berge (1996, apud Palloff; Pra...
REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE Função técnica  - depende do domínio técnico do pro...
REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE <ul><li>Alves Apud, apresenta algumas sugestões par...
“ A TECNOLOGIA EDUCACIONAL” Parte 3
PAINEL 2 Tecnologia educacional: 1- A tecnologia educacional é a área de conhecimento onde a tecnologia se submete aos obj...
PAINEL 2 Tecnologia educacional: 1- Todas as  ferramentas  podem ser utilizadas como instrumentos educacionais. No entanto...
PAINEL 2 “ Tecnologia educacional em EAD” 1- É fruto de uma combinação entre o  ensino  com auxílio da  tecnologia  e a  e...
PAINEL 2 “ Tecnologia educacional em EAD” LMS’s ( Learning   Management   System )  1- São sistemas de gestão de ensino e ...
REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE FIM
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

2.º seminário, slide de apresentação geral 2010

1,832

Published on

1 Comment
0 Likes
Statistics
Notes
  • Este slide foi preparado para o segundo seminário de agregação pegagogica dos docentes do ISCED do Uige, onde trabalhei até 2010. Contém muitas informações interessantes sobre EAD, Tecnologias educacionais, os LMS / SGE e as metodologias aplicadas nesta forma de educação. Posteriormente, poderei publicar outros documentos relacionados aos outros seminários relacionados à matéria.
    Bom proveito a todos.
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,832
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
22
Comments
1
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

2.º seminário, slide de apresentação geral 2010

  1. 1. REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE REPARTIÇÃO DE ENSINO À DISTÂNCIA DO I S C E D DO U Í G E
  2. 2. 2.º SEMINÁRIO DE CAPACITAÇÃO DE DOCENTES “ 2010” A IMPORTÂNCIA DO DOMINIO DAS TECNOLOGIAS DE ENSINO À DISTÂNCIA NA TUTORIA DE DISCIPLINAS CURRICULARES REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE
  3. 3. REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE EDUCAÇÃO OU ENSINO A DISTÂNCIA? Parte 1
  4. 4. REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE As expressões Educação a Distância ou Ensino a Distância , uma ou outra, são frequentemente usadas, embora a expressão Educação a Distância tenha dominado os livros, compêndios, professores e intelectuais da área. Educar é muito mais amplo que ensinar. Educar traz consigo a idéia de socialização em todas as suas formas, incluíndo o ensino. ( http://eduead.com.br/main.php?cerne=portal1 )
  5. 5. REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE METODOLOGIA APLICADA “ No processo de aprendizagem à distância, a Metodologia utilizada deve permitir a comunicação activa entre todos os participantes, fazendo com que toda a informação necessária ao desenvolvimento e aquisição do conhecimento seja acessível a todos. Os métodos em EAD devem buscar reduzir a distância interpessoal promovendo a interacção entre professor-aluno e aluno-aluno, garantindo a aprendizagem e a transferência de mensagens.
  6. 6. REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE A COMUNICAÇÃO EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA “ No processo de EAD, todos os cuidados devem ser tomados para evitar ruídos, que serão muito prejudiciais, porque o professor não estará ao lado do aluno para resolver, de imediato, dúvidas que surjam. “ A comunicação que se realiza em EAD se baseia por diversos meios (a fala, a escrita e o gesto), veiculados pelo próprio emissor ou através de reprodução sonora e/ou visual, utilizando recursos eletroeletrônicos (multimédia).
  7. 7. REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE INTERATIVIDADE E INTERACÇÃO “ A característica principal das Tecnologias de Informação e Comunicação é a interactividade, que significa possibilidade de o utilizador interagir com uma máquina.” Em situações de aprendizagem a distância, a interação não se dá apenas entre aluno e material de instrução, alunos entre si, alunos e tutor ou alunos e instituição de ensino. Dá-se também, entre os demais elementos que compõem o universo do aluno (história de vida, família, trabalho, classe, outros grupos a que pertença). E, na EAD, a interacção professor-aluno se faz intermediada por um meio, recurso ou material estrategicamente elaborado, que estimule a auto-aprendizagem, suprindo a ausência física dos participantes do curso.
  8. 8. REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE <ul><li>A IMPORTÂNCIA DO MATERIAL DIDÁTICO </li></ul><ul><li>NO PROCESSO DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA </li></ul><ul><li>O material didático deve ser uma ferramenta básica de aprendizagem e como princípio ser necessariamente: </li></ul><ul><li>auto-explicativo: permitindo a auto-aprendizagem; </li></ul><ul><li>motivador: incentivando e estimulando ao estudo; </li></ul><ul><li>variado: senso adequado aos vários estilos de aprendizagem </li></ul>
  9. 9. REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE CARACTERÍSTICAS DO MATERIAL DIDÁTICO 1- Interatividade : permitindo ao aprendiz um papel ativo e proporcionando-lhe uma construção do seu aprendizado em nível de sensibilização diferenciado. 2- Praticidade – possibilitando-lhe encontrar as informações para entender qualquer ponto que não tenha compreendido. 3- Autonomia – permite que o aprendiz “navegue” livremente pelo material proposto implicando estruturação própria do seu conhecimento.
  10. 10. REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE PRODUÇÃO DE MATERIAL DIDÁTICO “ A selecção dos recursos didácticos a serem utilizados para cada curso, cada disciplina, deve considerar, principalmente, o público-alvo e o acesso que eles devem proporcionar que não poderá ser desigual, causando o bom desempenho de alguns em relação a outros.”
  11. 11. REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE MATERIAL IMPRESSO O recurso impresso deve ser composto de: GUIA DIDÁTICO – Informações que guiam o aluno através de seu curso como saber estudar, saber organizar-se, interatividades, calendário, professores, monitorias, eventos, avaliações. LIVRO TEXTO - Informações sobre o curso, conteúdo, exercícios, auto-avaliações. MATERIAL DE APOIO – Textos e informes que darão suporte aos conteúdos como textos de livros, jornais, informativos, Internet.
  12. 12. REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE VÍDEO VÍDEO AULA ou BROADCAST (TV Aberta) Este tipo de material provoca um sentimento de pertencer a um grupo, possui menor custo de distribuição mas não permite interrupções e é efêmero e exige hora marcada para assistência. VÍDEO AULA ou VÍDEOCASSETE As vídeos aulas amenizam o isolamento, possuem um custo menor de produção, permitem um horário flexível, admitem pausas e são um material permanente.
  13. 13. REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE VÍDEO TELECONFERÊNCIA Transmissão de programa de TV “fechada”, transmitido para localidades designadas e com capacidade de comunicação corporativa, congressos, seminários, aulas, palestras. VÍDEO-CONFERÊNCIA Permite ver a imagem do interlocutor bem como documentos, através de captura de imagens, é o meio que mais se aproxima da sala de aula tradicional, o número de participantes, de certo modo, é limitado, não devendo ultrapassar a 20 alunos por transmissão ou 10 em cada ponto podendo, também, ser uma transmissão ponto a ponto ( individual ). É um sistema mais eficaz com tópicos do que com textos.
  14. 14. REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE ÁUDIO RÁDIO Este recurso conta com a possibilidade de chegar as mais distantes regiões do país porém, exige um comportamento muito passivo do aluno, não admite interrupções e exige horários pré-determinados. Pelo seu âmbito maior de audiência, pressupõe uma linguagem mais simples e que não haja custo ao receptor. FITA K7 Possui a possibilidade de retorno da mensagem e horário flexível. Pode conter maior complexidade na linguagem e a mensagem necessita de maior tempo para sua elaboração além de implicar em custo para o receptor. TELEFONE · Fixo – Digital e analógico · Móvel – Digital e Analógico
  15. 15. REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE MULTIMÍDIA CD-ROM Trata-se da produção de softwares, adequados à educação (processo ensino-aprendizagem),como método auxiliar ao professor. INTERNET Facilita a comunicação por causa do e-mail, organiza o conhecimento e o recebimento das informações, possibilita o diálogo com fóruns e chats (bate-papos) erespostas a questões e facilita o aprendizado no ritmo próprio do aluno.
  16. 16. REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE AVALIAÇÃO NO PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM NA MODALIDADE EAD No processo de ensino aprendizagem, a avaliação é um sistema contínuo de verificação. É feita por meio de actividades em que o aluno expressa seus conhecimentos e idéias, desenvolvendo o pensamento crítico e criativo. Isso se dá pelo acompanhamento permanente através dos meios e métodos, o que propicia a retro-alimentação, factor indispensável em educação a distância. Dentro deste contexto, alunos poderão retomar o caminho proposto para atingir o objetivo de melhorar o seu desempenho, reabilitar-se e por fim adquirir conhecimento.
  17. 17. REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE AVALIAÇÃO NO PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM NA MODALIDADE EAD Os critérios de avaliação devem ser elaborados no planejamento e explicitados para que o aluno tome conhecimento de como será avaliado logo no início do módulo. ARETIO(1996), vê &quot;na avaliação a distância a possibilidade de proporcionar ao aluno um processo de aprendizagem menos dependente do professor e mais centrado no auto-estudo. Isso permite uma maior flexibilidade para organizar as actividades, o que se constitui numa das principais vantagens indicadas pelos alunos de cursos a distância&quot;.
  18. 18. REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE CARACTERÍSTICAS DA AVALIAÇÃO EM EAD Embora haja um avanço tecnológico em EAD, é preciso desenvolver formas de avaliações inovadoras, que se adaptem a esta modalidade, para que sejam mais dinâmicas e interativas. Os sistemas de avaliação em EAD dependem do conteúdo do curso, do público-alvo, do planejamento, da execução e da escolha dos meios de comunicação que serão utilizados ao longo do curso. Com base em todo esse contexto, o professor irá determinar quais métodos avaliativos são mais adequados ao curso/disciplina ofertado.
  19. 19. REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO Como avaliar? O rendimento do aluno se verifica por meio de instrumentos avaliativos, que podem ser aplicados em diversas situações: AVALIAÇÃO PRESENCIAL: São provas com tempo, espaço e situação delimitados, sob a supervisão de um representante da instituição. Todos os alunos do curso/disciplina estão na mesma situação. O aluno poderá demonstrar que os trabalhos realizados a distância são fruto de seu esforço pessoal.
  20. 20. REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE AVALIAÇÃO A DISTÂNCIA: O espaço e a situação nesta modalidade estão livres para o aluno, porém com datas, limites para entregar os trabalhos e actividades. Apresenta-se normalmente como actividades que devem ser respondidas e enviadas ao professor, através de meios como correio, fax, E-mail ou Plataformas de ensino à distância (SGC). Os mesmos critérios da avaliação presencial podem ser observados por meios assíncronos e/ou síncronos.
  21. 21. REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE “ A avaliação a distância pode realizar-se por meio da AUTO AVALIAÇÃO “ Sendo a EAD uma modalidade voltada para a aprendizagem independente ou auto-aprendizagem, é imprescindível que o aluno seja também seu próprio avaliador, e seja estimulado a exercer essa actividade com freqüência, desenvolvendo uma autonomia crítica sobre seu próprio trabalho. A aprendizagem significativa é reflexiva, construtiva e auto-reguladora, as pessoas são construtoras de seus próprios conhecimentos. O modo como o estudante organiza, estrutura e utiliza as informações é um factor primordial na avaliação. Fonte de matéria: http://www.openit.com.br/?format=html&module=displaystory&story_id=676
  22. 22. REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE CARACTERIZAÇÃO DA TUTORIA EM EAD O ensino a distância difere completamente, em sua organização e desenvolvimento, do mesmo tipo de curso oferecido de forma presencial. No ensino a distância, a tecnologia está sempre presente e exigindo uma nova postura de ambos, professores e alunos. Para que um curso seja veiculado a distância, mediado pelas novas tecnologias, é preciso contar com uma infra-estrutura organizacional complexa (técnica, pedagógica e administrativa). Segundo Lynn Alves, ensino a distância requer a formação de uma equipe que trabalhará para desenvolver cada curso, e definir a natureza do ambiente on-line em que será criado. Parte 2
  23. 23. REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE A tutoria como método nasceu no século XV na universidade, onde foi usada como orientação de caráter religioso aos estudantes, com o objetivo de infundir a fé e a conduta moral. Posteriormente, no século XX, o tutor assumiu o papel de orientador e acompanhante dos trabalhos acadêmicos, e é com este mesmo sentido que incorporou aos actuais programas de educação a distância (Sá, 1998).
  24. 24. REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE DOCENTE E TUTOR De maneira geral, os conhecimentos necessários ao tutor não são diferentes dos que precisa ter um bom docente. Este necessita entender a estrutura do assunto que ensina, os princípios da sua organização conceitual e os princípios das novas idéias produtoras de conhecimento na área. Sua formação teórica sobre o âmbito pedagógico-didático deverá ser actualizada com a formação na prática dos espaços tutoriais.
  25. 25. REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE A diferença entre o docente e o tutor é institucional, que leva a conseqüências pedagógicas importantes. As intervenções do tutor na educação a distância, distinguem-se em função de três dimensões de análise: 1- Tempo – o tutor deverá ter a habilidade de aproveitar bem seu tempo, sempre escasso. Ao contrário do docente, o tutor não sabe se o aluno assistirá à próxima tutoria ou se voltará a entrar em contacto para consultá-lo; por esse motivo aumentam o compromisso e o risco da sua tarefa. 2- Oportunidade – em uma situação presencial, o docente sabe que o aluno retornará; que caso este não encontre uma resposta que o satisfaça, perguntará de novo ao docente ou a seus colegas. Entretanto, o tutor não tem essa certeza. Tem de oferecer a resposta específica quando tem a oportunidade de fazer isso, porque não sabe se voltará a ter.
  26. 26. REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE 3- Risco – aparece como conseqüência de privilegiar a dimensão tempo e de não aproveitar as oportunidades. O risco consiste em permitir que os alunos sigam com uma compreensão parcial, que pode se converter em uma construção errônea sem que o tutor tenha a oportunidade de adverti-lo. “O tutor deve aproveitar a oportunidade para o aprofundamento do tema e promover processos de reconstrução, começando por assinalar uma contradição”.
  27. 27. REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE O QUE UM BOM TUTOR TEM DE TER? O tutor é um elemento importante e indispensável na rede de comunicação que vincula quem cursa à instituição de ensino promotora do curso. 1- Além de manter a motivação dos alunos, possibilita a retroalimentação acadêmica e pedagógica do processo educativo. 2- Deve ter o conhecimento da matéria em que actua como tutor e domínio das técnicas indicadas para o desenvolvimento da acção tutorial, em suas diversas formas e estilos.
  28. 28. REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE 3- Um bom tutor cria propostas de actividades para a reflexão, apóia sua resolução, sugere fontes de informação alternativas, oferece explicações, facilita os processos de compreensão; isto é, guia, orienta, apóia e nisso consiste seu ensino. 4- O tutor ideal deve ter algumas qualidades básicas, como: autenticidade, amadurecimento e estabilidade emocional, conhecimento de si mesmo, empatia, inteligência, rapidez mental, cultura social, confiança nos outros, liderança, capacidade de ouvir, entre outras. 5- É um facilitador e orientador do processo ensino-aprendizagem em EAD.
  29. 29. REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE Tabela I – Paralelo entre as Funções do Professor e do Tutor Fonte: Sá, Iranita. Educação a Distância: Processo Contínuo de Inclusão Social .Fortaleza,CEC, 1998:47. Atendimento pelo tutor, com flexíveis horários, lugares distintos e meios diversos Atendimento, pelo professor, nos rígidos horários de orientação e sala de aula Avaliação de acordo com parâmetros definidos, em comum acordo, pelo tutor e pelo aluno Elaboração, controle e correção das avaliações pelo professor Múltiplas formas de contato, incluída a ocasional face a face Contato face a face entre professor e aluno Ritmo determinado pelo aluno dentro de seus próprios parâmetros Ritmo de processo ditado pelo professor Interatividade entre aluno e tutor, sob outras formas, não descartada a ocasião para os “momentos presenciais” Convivência, em um mesmo ambiente físico, de professores e alunos, o tempo inteiro Diversificadas fontes de informações (material impresso e multimeios) Processo como fonte central de informação Processo centrado no aluno Processo centrado no professor Atendimento ao aluno, em consultas individualizadas ou em grupo, em situações em que o tutor mais ouve do que fala Predomínio de exposições o tempo inteiro Acompanhada pelo tutor Conduzida pelo Professor                  EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA     EDUCAÇÃO PRESENCIAL
  30. 30. REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE Mauri Collins e Zane Berge (1996, apud Palloff; Pratt, 2002) classificaram as várias tarefas e papéis exigidos do professor online em quatro áreas: pedagógica, gerencial, técnica e social. Função pedagógica - diz respeito ao fomento de um ambiente social  amigável, essencial à aprendizagem online . No ambiente online , o professor torna-se um facilitador. Ele conduz o grupo de maneira mais livre, permitindo aos alunos explorar o material do curso, sem restrição.É importante que o professor comente adequadamente as mensagens dos alunos, as quais servirão para estimular debates posteriores.  Função gerencial - envolve normas referentes ao agendamento do curso, ao seu ritmo, aos objectivos traçados, à elaboração de regras e à tomada de decisões. Ele é responsável por enviar um programa para o curso com as tarefas a realizar e as diretrizes iniciais para discussão e adaptação
  31. 31. REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE Função técnica - depende do domínio técnico do professor, sendo então capaz de transmitir tal domínio da tecnologia aos seus alunos. Os professores devem conhecer bem a tecnologia que usam para actuar como facilitadores do curso. Função social - significa facilitação educacional. O professor é responsável por facilitar e dar espaço aos aspectos pessoais e sociais da comunidade online . Collins e Berge, referem-se a essa função como “estímulo às relações humanas, com a afirmação e o reconhecimento da contribuição dos alunos; isso inclui manter o grupo unido, ajudar de diferentes formas os participantes a trabalharem juntos por uma causa comum e oferecer aos alunos a possibilidade de desenvolver sua compreensão da coesão do grupo”.
  32. 32. REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE <ul><li>Alves Apud, apresenta algumas sugestões para o professor que deseja iniciar algum curso a distância. Sugere que, logo no início, ele deve: </li></ul><ul><li>conhecer sua fundamentação pedagógica; </li></ul><ul><li>determinar sua filosofia de ensino e aprendizagem; </li></ul><ul><li>ser parte de uma equipe de trabalho com diversas especialidades; </li></ul><ul><li>desenvolver habilidades para o ensino online ; </li></ul><ul><li>conhecer seus aprendizes; </li></ul><ul><li>conhecer o ambiente online ; </li></ul><ul><li>aprender sobre os recursos tecnológicos; </li></ul><ul><li>criar múltiplos espaços de trabalho, de interação e socialização; </li></ul><ul><li>estabelecer o tamanho de classe desejável; </li></ul><ul><li>criar relacionamentos pessoais online ; </li></ul><ul><li>desenvolver comunidades de aprendizagem; </li></ul><ul><li>definir as regras vigentes para as aulas online ; e </li></ul><ul><li>esclarecer suas expectativas sobre os papéis dos aprendizes.  </li></ul>
  33. 33. “ A TECNOLOGIA EDUCACIONAL” Parte 3
  34. 34. PAINEL 2 Tecnologia educacional: 1- A tecnologia educacional é a área de conhecimento onde a tecnologia se submete aos objectivos educacionais. Ela procura auxiliar o processo ensino e aprendizagem de modo a propiciar formas adequadas de utilizar os recursos tecnológicos na educação; 3- Já no século XXI, um dos grandes desafios é adaptar a educação às novas tecnologias ( TICs ), tais como a internet , a televisão , o rádio , os softwares que funcionam como meios educativos formais ou informais; 2- Nas décadas de 1950 e 1960 , a tecnologia educacional apresentava-se como um meio gerador de aprendizagem , para resolver problemas educacionais dentro de uma concepção tecnicista de educação. Foi na década de 70 que a tecnologia educacional passou a fazer parte do ensino como processo tecnológico. Introdução
  35. 35. PAINEL 2 Tecnologia educacional: 1- Todas as ferramentas podem ser utilizadas como instrumentos educacionais. No entanto, faz-se necessário avaliar sua aplicação de modo a promover a aprendizagem significativa, crítica e reflexiva; Considerações gerais Tecnologia educacional: Electrónicos - Leitores CD/DVD/VHS; - TV; - Rádio; - MP3; - IPOD; - Smart board ; Softwares - Skype; - QUizFaber; - Mikogo; - Plataforma MOODLE; - Policom PVX; - Mirial. Exemplos de tecnologias educacionais simples
  36. 36. PAINEL 2 “ Tecnologia educacional em EAD” 1- É fruto de uma combinação entre o ensino com auxílio da tecnologia e a educação a distância . Ambas modalidades convergiram para a educação on-line e para o treinamento baseado em Web, que ao final resultou no e-Learning . E-Learning E-Learning 2- Abriu um novo mundo para a distribuição e a partilha dos conhecimentos, tornando-se também uma forma de democratizar o saber para as camadas da população com acesso às novas tecnologias, propiciando a estas que o conhecimento esteja disponível a qualquer tempo e hora e em qualquer lugar. <ul><li>3- Exemplos de e-Learning ( Plataformas de educação à distância ): </li></ul><ul><li>- Moodle (192.168.1.120/moodle); </li></ul><ul><li>Claroline; </li></ul><ul><li>TelEduc. </li></ul>
  37. 37. PAINEL 2 “ Tecnologia educacional em EAD” LMS’s ( Learning Management System ) 1- São sistemas de gestão de ensino e aprendizagem na Web. Foram desenvolvidos a fim de apoiar o processo. 2- Softwares projectados para actuarem como salas de aula virtuais, gerando várias possibilidades de interacções entre os seus participantes em tempo real, permitindo com que o aluno tenha contacto com o conhecimento, com o professor e com outros alunos, por meio de um espaço virtual. <ul><li>3- Exemplos: </li></ul><ul><li>QuizFaber; </li></ul><ul><li>Skype; </li></ul><ul><li>Mirial; </li></ul><ul><li>Policom PVX. </li></ul>
  38. 38. REPUBLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO DO UIGE FIM
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×