Your SlideShare is downloading. ×
Quadro - Enquadramento da Auto Avaliação da Be na Avaliação da IGE
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Quadro - Enquadramento da Auto Avaliação da Be na Avaliação da IGE

944
views

Published on

Sessão 6

Sessão 6

Published in: Education, Technology

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
944
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
13
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Conclusão) DREC 5 – Sessão 6 Tarefa: Enquadramento da auto-avaliação da BE na avaliação da IGE Considerando os documentos disponíveis na Plataforma: “Tópicos para apresentação da escola: campos de análise de desempenho”, através do qual se orienta o conteúdo do texto e da apresentação das escolas à IGE; “Quadro de Referência para a avaliação de escolas e agrupamentos, em função do qual, a IGE elabora os seus Relatórios de Avaliação externa. 1. Elabore um quadro que permita cruzar o tipo de informação resultante da auto-avaliação da BE nos seus diferentes Domínios com os Campos e Tópicos estabelecidos pela IGE, nos quais aquela informação deve ser enquadrada.  Introdução O processo de Avaliação Externa da Inspecção-Geral de Educação é despoletado com a redacção de um texto, por parte da Escola ou Agrupamento visado, baseado em sete campos de análise. Após a visita, esta entidade elabora o seu relatório, utilizando um modelo próprio, não coincidente com o proposto às escolas. Face a esta dualidade, e numa tentativa de enquadramento global da auto- avaliação da Biblioteca no texto de apresentação da Escola e no relatório final da IGE, foi elaborado um quadro com a seguinte orientação metodológica: nas duas primeiras colunas da tabela, foram inseridos os campos de análise e os respectivos tópicos descritores propostos às escolas pela IGE; na coluna seguinte, foi-lhes feito corresponder os indicadores dos domínios e sub-domínios do Modelo RBE de Auto-avaliação de Bibliotecas; na quarta coluna, foram explicitados alguns dos conteúdos, relativos à BE, passíveis de serem incluídos no texto de apresentação da escola; na última coluna, foram sugeridos os domínios do Relatório Final da IGE em que as referências ao papel da BE poderiam ser incluídas. Maria do Rosário Monteiro de Figueiredo 1
  • 2. O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Conclusão) DREC 5 – Sessão 6 Enquadramento da informação resultante da auto-avaliação da BE nos campos e tópicos estabelecidos pela IGE. Domínios do Modelo da IGE para a análise de Modelo de auto-avaliação de Bibliotecas proposto Inserção da Auto-avaliação da BE no documento de Relatório final da desempenho da escola/agrupamento pela RBE desempenho da Escola IGE Campos de Tópicos Domínios / Subdomínios Cruzamento de dados Itens do relatório análise descritores 1. Contexto e 1.1 - Contexto C.1.2. Dinamização de actividades livres, de A BE explicita neste ponto: 4.4 – Parcerias, caracterização físico e social. carácter lúdico e cultural na escola/ agrupamento. a forma como se propôs adequar a sua protocolos e geral da intervenção ao contexto físico e social da projectos. C.2.1. Envolvimento da BE em projectos da escola. escola/ agrupamento. respectiva escola/agrupamento ou desenvolvidos em parceria, a nível local ou mais amplo. as propostas de melhoria que estiveram na génese do seu Plano de Acção. C.2.3. Participação com outras os projectos, actividades e parcerias escolas/agrupamentos e, eventualmente, com desenvolvidas e o impacto tido na Comunidade outras entidades (RBE, DRE, CFAE) em reuniões Educativa. da BM/SABE ou outro grupo de trabalho a nível concelhio ou interconcelhio. o envolvimento de pais e E.E. na organização de eventos. D.3.1. Planeamento/ gestão da colecção de acordo a articulação da BE com a BM. com a inventariação das necessidades curriculares e dos utilizadores da escola/ agrupamento. a definição da política documental, de acordo com o público-alvo da escola/ agrupamento. 1.2 - Dimensão D.2. 2. Adequação da equipa em número e A BE inventaria: 3.3 – Gestão dos e condições qualificações às necessidades de funcionamento a adequação de recursos humanos afectos à BE recursos físicas da da BE e às solicitações da comunidade educativa. de acordo com as necessidades dos seus materiais e escola. utilizadores. financeiros. D.2.3. Adequação da BE em termos de espaço e de equipamento às necessidades da a conformidade dos seus espaços funcionais 5.2 – escola/agrupamento. com os normativos ME/RBE. Sustentabilidade a eficácia de prestação de serviços dos seus do progresso. D.2.4. Resposta dos computadores e equipamentos multimédia, software e hardware. equipamentos tecnológicos ao trabalho e aos novos desafios da BE. Maria do Rosário Monteiro de Figueiredo 2
  • 3. O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Conclusão) DREC 5 – Sessão 6 Modelo da IGE para a análise de Modelo de auto-avaliação de Bibliotecas proposto Inserção da Auto-avaliação da BE no Domínios do Relatório desempenho da escola/agrupamento pela RBE documento de desempenho da Escola final da IGE Campos de Itens do relatório Tópicos descritores Domínios / Subdomínios Cruzamento de dados análise 1. Contexto e 1.3 - Caracterização A.1.3. Articulação da BE com os docentes A BE especifica: 1.2 – Participação e caracterização da população responsáveis pelos serviços de apoios o trabalho colaborativo mantido com os desenvolvimento geral da discente. especializados e educativos (SAE) da docentes de Educação Especial. cívico. escola. escola/agrupamento. as acções realizadas no tocante ao 2.4 – Abrangência do A.2.4. Impacto da BE nas competências desenvolvimento de competências currículo e tecnológicas, digitais e de informação dos alunos tecnológicas, digitais e de literacia da valorização dos na escola/agrupamento. informação. saberes e da as actividades associadas à promoção da aprendizagem. A.2.5. Impacto da BE no desenvolvimento de leitura. valores e atitudes indispensáveis à formação da 3.5 – Equidade e cidadania e à aprendizagem ao longo da vida. os recursos e estratégias que justiça. responderam a metas e estratégias B.3. Impacto do trabalho da BE nas atitudes e definidas no Projecto Educativo, competências dos alunos, no âmbito da leitura e Projecto Curricular de Agrupamento e da literacia. Projectos Curriculares de Turma. D.1.3. Resposta da BE às necessidades da escola e a adequação da colecção ao público dos utilizadores. discente, em variedade de suportes, D.3.1. Planeamento da colecção de acordo com a quantidade e qualidade. inventariação das necessidades curriculares e dos utilizadores. D.3.2. Adequação dos livros e outros recursos de informação (no local e online). 1.4 - Pessoal D.2.1. Liderança do/a professor/a coordenador/a. A BE afere: 3.2 – Gestão dos docente. a formação da P.B. nos termos da recursos humanos. D.2. 2. Adequação da equipa em número e legislação em vigor. qualificações às necessidades de funcionamento 1.5 - Pessoal não a adequação da equipa em número e da BE e às solicitações da comunidade educativa. docente. formação pluridisciplinar. Maria do Rosário Monteiro de Figueiredo 3
  • 4. O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Conclusão) DREC 5 – Sessão 6 Modelo da IGE para a análise de Modelo de auto-avaliação de Bibliotecas proposto Inserção da Auto-avaliação da BE no Domínios do Relatório desempenho da escola/agrupamento pela RBE documento de desempenho da Escola final da IGE Campos de Tópicos Itens do relatório Domínios / Subdomínios Cruzamento de dados análise descritores 1. Contexto e 1.6 - Recursos C.1.2. Dinamização de actividades livres, de A BE esclarece: 3.3 – Gestão dos caracterização financeiros. carácter lúdico e cultural na escola/ recursos materiais e o envolvimento de pais e E.E. no geral da agrupamento. financeiros. financiamento de eventos. escola. D.1.2. Valorização da BE pelos órgãos de 4.1 – Visão e estratégia. a colaboração da autarquia no transporte gestão e de decisão pedagógica. de crianças até à BE. 4.3 – Abertura à D.1.3. Resposta da BE às necessidades da inovação. a verba anual com que foi dotada para a escola/agrupamento. renovação de equipamentos e actualização 4.4 – Parcerias, do fundo documental. protocolos e projectos. a forma como foram partilhados recursos e 5.2 – Sustentabilidade serviços no Agrupamento. do progresso. os programas e projectos em que se inscreveu e as mais valias obtidas. 2. O Projecto 2.1 - Prioridades A.1.1.Cooperação da BE com os órgãos A BE refere a colaboração prestada: 3.1 – Concepção, Educativo. e objectivos. pedagógicos de gestão intermédia da escola/ planeamento e na elaboração do Projecto Educativo, agrupamento. desenvolvimento da Regulamento interno, Projecto Curricular actividade. A.1.2. Parceria da BE com os docentes de Agrupamento e Plano Anual de responsáveis pelas áreas curriculares não Actividades. disciplinares (ACND) da escola/agrupamento. na formulação de princípios e de A.1.3.Articulação da BE com os docentes objectivos de aprendizagem. responsáveis pelos serviços de apoios na definição de estratégias dos diferentes especializados e educativos (SAE) da escola/ departamentos, áreas curriculares e agrupamento. serviços de apoio especializado. D.1.1. Integração/ acção da BE na Escola/Agrupamento. Maria do Rosário Monteiro de Figueiredo 4
  • 5. O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Conclusão) DREC 5 – Sessão 6 Domínios do Modelo da IGE para a análise de Modelo de auto-avaliação de Inserção da Auto-avaliação da BE no documento de Relatório final da desempenho da escola/agrupamento Bibliotecas proposto pela RBE desempenho da Escola IGE Campos de Tópicos Itens do relatório Domínios / Subdomínios Cruzamento de dados análise descritores 2. O Projecto 2.2 - Estratégias e A.1. Articulação Curricular da BE A BE refere as actividades realizadas: 1.4 – Valorização Educativo. planos de acção. com as Estruturas de Coordenação com os docentes de ACND. e impacto das Educativa e Supervisão Pedagógica. com Directores de Turma. aprendizagens. (Indicadores: A.1.2; A.1.3; com outros docentes. no âmbito do PTE e do plano TIC. 2.1- Articulação e A.1.4;A.1.5; A.1.6). no âmbito do PNL, Plano Nacional do Ensino do sequencialidade. A.2. Promoção das Literacias da Português, Plano de Acção da Matemática, Educação para 2.2 – Informação, Tecnológica e Digital. a Saúde, etc. Acompanhamento (Indicadores: A.2.1; A.2.2; A.2.3). no âmbito do planeamento e realização de actividades de da prática lectiva B. Leitura e Literacia. (Indicadores: OTE. em sala de aula. B.1 e B.2) no acompanhamento de grupos e turmas. na sala de aula. 2.4 – Abrangência C.1. Apoio a actividades livres, extra- na formação de utilizadores da BE. do currículo e curriculares e de enriquecimento no ensino de competências ligadas à literacia da valorização dos curricular. (Indicadores: C.1.1; C.1.2; informação. saberes e da C.1.3; C.1.5) no ensino de competências ligadas à literacia informática. aprendizagem. C.2. Projectos e parecerias. no desenvolvimento de competências leitoras. 3.1 – Concepção, (Indicadores: C.2.1; C.2.2; C.2.3; na exploração de técnicas de estudo variadas. planeamento e C.2.4; C.2.5). na dinamização cultural. desenvolvimento em parceria, com a comunidade local, com outras escolas, da actividade. D.1. Articulação da BE com a Escola/ Bibliotecas Escolares e Biblioteca Municipal. Agrupamento. Acesso e serviços com os pais / Encarregados de Educação. prestados pela BE. (Indicador D.1.3). na disponibilização e optimização da colecção. D.2. Condições humanas e materiais na gestão integrada dos recursos. para a prestação dos serviços. no planeamento da colecção, de acordo com o contexto (Indicadores D.2.1 e D.2.4). físico e social do público do Agrupamento. na adequação de recursos de informação on.line às D.3. Gestão da Colecção/da necessidades curriculares e interesses dos utilizadores. informação. (Indicadores: D.3.1; na difusão da informação. D.3.2; D.3.5). Maria do Rosário Monteiro de Figueiredo 5
  • 6. O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Conclusão) DREC 5 – Sessão 6 Domínios do Modelo da IGE para a análise de Modelo de auto-avaliação de Bibliotecas proposto Inserção da Auto-avaliação da BE no Relatório final da desempenho da escola/agrupamento pela RBE documento de desempenho da Escola IGE Campos de análise Tópicos descritores Domínios / Subdomínios Cruzamento de dados Itens do relatório 3. A organização e 3.1 - Estruturas de D.1.1. Integração/ acção da BE na A BE descreve: 4.1 – Visão e gestão da gestão. Escola/Agrupamento. as propostas ... formuladas em C.P. estratégia. escola. o apoio dado pelos órgãos de gestão às D.1.2. Valorização da BE pelos órgãos de 4.2 – Motivação e direcção, administração e gestão da orientações da RBE e às opções da PB. empenho. escola/agrupamento. D.2.1. Liderança do professor bibliotecário na escola/ agrupamento. 3.2. Gestão A.1.1.Cooperação da BE com os órgãos A BE afere a sua função na supervisão e 3.2 – Gestão dos pedagógica. pedagógicos de gestão intermédia da escola/ gestão pedagógica escolar pela participação recursos humanos. agrupamento. no Conselho Pedagógico. 3.5 – Equidade e A BE enfatiza o seu papel: D.1.1. Integração/ acção da BE na justiça. Escola/Agrupamento. na formulação de princípios e objectivos de aprendizagem. D.2.1. Liderança do professor bibliotecário na no trabalho sistemático e na comunicação escola/ agrupamento. com os órgãos de direcção, administração e gestão. 3.3 - D.1.4. Avaliação da BE na escola/ agrupamento. A BE destaca: 5.1 – Auto- Procedimentos de o modelo utilizado para sua auto-avaliação. avaliação. autoavaliação o domínio escolhido em cada ano lectivo. os resultados da auto-avaliação. 5.2 – institucional. a identificação de pontos fracos e fortes. Sustentabilidade as actividades de benchmarking. do progresso. as estratégias de melhoria propostas. Maria do Rosário Monteiro de Figueiredo 6
  • 7. O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Conclusão) DREC 5 – Sessão 6 Domínios do Modelo da IGE para a análise de Modelo de auto-avaliação de Bibliotecas proposto Inserção da Auto-avaliação da BE no Relatório final da desempenho da escola/agrupamento pela RBE documento de desempenho da Escola IGE Campos de análise Tópicos descritores Domínios / Subdomínios Cruzamento de dados Itens do relatório 4. Ligação à 4.1 - Articulação e B.2. Integração da BE nas estratégias e programas A BE menciona: 3.4 – Participação comunidade. participação dos de leitura ao nível da escola/ agrupamento. como envolveu a família nos projectos... e dos pais e outros pais e encarregados C.1.2. Dinamização de actividades livres, de actividades... na área da leitura. elementos da de educação na carácter lúdico e cultural na escola/ agrupamento. como colaborou com os pais e E.E. na comunidade vida da escola. C.2.1. Envolvimento da BE em projectos da organização de... . educativa. respectiva escola/agrupamento ou desenvolvidos como colaborou com a Associação de Pais em parceria, a nível local ou mais amplo. e E.E. no projecto... . C.2.4. Estímulo à participação e mobilização dos pais/encarregados de educação no domínio da promoção da leitura e do desenvolvimento de competências das crianças e jovens que frequentam a escola/agrupamento. C.2.5. Abertura da biblioteca à comunidade local. 4.2 - Articulação e C.1.2. Dinamização de actividades livres, de A BE indica: 4.4 – Parcerias, participação das carácter lúdico e cultural na escola/ agrupamento. como envolveu a Autarquia na protocolos e autarquias. C.1.3. Apoio à utilização autónoma e voluntária planificação e realização de ... . projectos. da BE como espaço de lazer e livre fruição dos como solicitou à B.M. o empréstimo de ... recursos. documentos. C.2.1. Envolvimento da BE em projectos da como reuniu assiduamente com a respectiva escola/agrupamento ou desenvolvidos Bibliotecária Municipal. em parceria, a nível local ou mais amplo. como aferiu procedimentos e política de C.2.3. Participação com outras desenvolvimento de colecção com a B.M. escolas/agrupamentos e, eventualmente, com outras entidades (RBE, DRE, CFAE) em reuniões da BM/SABE ou outro grupo de trabalho a nível concelhio ou interconcelhio. Maria do Rosário Monteiro de Figueiredo 7
  • 8. O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Conclusão) DREC 5 – Sessão 6 Modelo da IGE para a análise de Domínios do Modelo de auto-avaliação de Bibliotecas proposto pela Inserção da Auto-avaliação da BE no desempenho da Relatório final da RBE documento de desempenho da Escola escola/agrupamento IGE Campos de Tópicos Itens do relatório Domínios / Subdomínios Cruzamento de dados análise descritores 4. Ligação à 4.3 - C.1.2. Dinamização de actividades livres, de carácter A BE cita: 4.4 – Parcerias, comunidade. Articulação e lúdico e cultural na escola/ agrupamento. como envolveu a empresa/ instituição ... na protocolos e participação das C.1.3. Apoio à utilização autónoma e voluntária da BE planificação e realização de ... . projectos. instituições como espaço de lazer e livre fruição dos recursos. como solicitou a ... o financiamento de .... locais – C.2.1. Envolvimento da BE em projectos da respectiva como articulou com associações, museus e empresas, escola/agrupamento ou desenvolvidos em parceria, a outros a acção ... . instituições nível local ou mais amplo. como programou com outras BE a sociais e C.2.2. Desenvolvimento de trabalho e serviços realização de ... . culturais. colaborativos com outras escolas, agrupamentos e BE. como partilhou recursos e serviços com ... . 5. Clima e 5.1 - Disciplina A.2.5. Impacto da BE no desenvolvimento de valores e A BE indica: 1.2 – Participação ambiente e atitudes indispensáveis à formação da cidadania e à como aplicou modalidades diversificadas de e desenvolvimento educativos. comportamento aprendizagem ao longo da vida. trabalho. cívico. cívico. como no seu espaço, os alunos: 1.3 - − seguiram as normas estabelecidas. Comportamento e − cooperaram na realização de tarefas. disciplina. − revelaram autonomia, iniciativa e 3.5 – Equidade e criatividade. justiça. 5.2 - Motivação A.1.6. Colaboração da BE com os docentes na A BE declara como colaborou: 1.2 – Participação e empenho. concretização das actividades curriculares desenvolvidas com os docentes na planificação, e desenvolvimento no espaço da BE ou tendo por base os seus recursos. acompanhamento e dinamização de acções cívico. A.2.1. Organização de actividades de formação de no seu espaço e na sala de aula. 2.4 – Abrangência utilizadores na escola/agrupamento. com alunos e docentes na formação de do currículo e A.2.5. Impacto da BE no desenvolvimento de valores e utilizadores. valorização dos atitudes indispensáveis à formação da cidadania e à com alunos, na criação de um grupo de saberes e da aprendizagem ao longo da vida. “amigos da BE”. aprendizagem. D.3.2. Adequação dos livros e de outros recursos de com a Comunidade Educativa na definição informação (no local e online) às necessidades 4.2 – Motivação e da colecção. empenho. curriculares e aos interesses dos utilizadores na escola/agrupamento. Maria do Rosário Monteiro de Figueiredo 8
  • 9. O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Conclusão) DREC 5 – Sessão 6 Modelo da IGE para a análise Inserção da Auto-avaliação da BE no Domínios do Relatório de desempenho da Modelo de auto-avaliação de Bibliotecas proposto pela RBE documento de desempenho da Escola final da IGE escola/agrupamento Campos de Tópicos Itens do relatório Domínios / Subdomínios Cruzamento de dados análise descritores 6. Resultados. 6.1 - A.2.4. Impacto da BE nas competências tecnológicas, A BE esclarece que recolheu evidências 1.1 – Sucesso Resultados digitais e de informação dos alunos na que demonstraram que: académico. académicos. escola/agrupamento. ... % de alunos adquiriram na BE 2.3 – Diferenciação e A.2.5. Impacto da BE no desenvolvimento de valores e competências tecnológicas, digitais e de apoios. atitudes indispensáveis à formação da cidadania e à informação. aprendizagem ao longo da vida. ... % de alunos adquiriram métodos de B. 3. Impacto do trabalho da BE nas atitudes e trabalho. competências dos alunos, no âmbito da leitura e da ... % de alunos melhoraram as suas literacia. competências de leitura e literacia. 6.2 - A.2.2. Promoção do ensino em contexto de competências A BE informa que promoveu acções de 1.2 – Participação e Resultados de informação da escola/agrupamento. formação que potenciaram a autonomia e desenvolvimento sociais da a aprendizagem ao longo da vida: cívico. A.2.3. Promoção do ensino em contexto de competências no âmbito da literacia de informação. educação. tecnológicas e digitais na escola/agrupamento. 1.4 – Valorização e no âmbito da utilização das novas impacto das A.2.5. Impacto da BE no desenvolvimento de valores e tecnologias. aprendizagens. atitudes indispensáveis à formação da cidadania e à da promoção de valores. aprendizagem ao longo da vida. 2.4 – Abrangência do A BE comunica que: currículo e valorização C.2.5 Abertura da BE à comunidade local. dinamizou acções que responderam às dos saberes e da D.1.3. Resposta da BE às necessidades da metas ... e objectivos ... definidos nos aprendizagem. escola/agrupamento. projectos educativo e curricular de agrupamento. 4.2 – Motivação e D.3.2 Adequação dos livros e de outros recursos de empenho. informação (no local e online) às necessidades curriculares colaborou no projecto ... de prevenção e aos interesses dos utilizadores na escola/ agrupamento. do abandono escolar. Maria do Rosário Monteiro de Figueiredo 9
  • 10. O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Conclusão) DREC 5 – Sessão 6 Modelo da IGE para a Domínios do Modelo de auto-avaliação de Inserção da Auto-avaliação da BE no documento de desempenho da análise de desempenho da Relatório final da Bibliotecas proposto pela RBE Escola escola/agrupamento IGE Campos de análise/ Itens do relatório Domínios / Subdomínios Cruzamento de dados Tópicos descritores 7. Outros elementos B.1. Trabalho da BE ao serviço da A BE explicita que: 4.1 – Visão e relevantes para a promoção da leitura. estratégia. incentivou a leitura em ambientes digitais explorando as caracterização da D.3.1. Planeamento/ gestão da possibilidades facultadas pela WEB, como o hipertexto, o e-mail, 4.3 – Abertura à escola. colecção de acordo com a blogs, wikis, slideshare e youtube… inovação. inventariação das necessidades recorreu a estratégias formativas e de interacção com os 5.2 – curriculares e dos utilizadores da utilizadores, através de webquest, testes, jogos ou outras Sustentabilidade do escola/ agrupamento. ferramentas que desafiem a sua curiosidade acerca de um livro ou progresso. D.3.4. Organização da informação. assunto. Informatização da colecção. usou páginas Web e a denominada segunda geração de serviços D. 3.5. Difusão da informação. disponibilizados – blogs, wikis, o RSS, o YouTube – para difusão da informação. Maria do Rosário Monteiro de Figueiredo 10

×