Cartilha do Patrimônio Cultural de Piracicaba : referência  de ação patrimonial no território paulista e brasileiro       ...
Sentidos de preservação           Qualidade de vida                                                  Desenvolvimento suste...
As projeções de futuro necessitam se somar a um maior entendimento do passado porque corremos o risco de quenossos agentes...
Precisamos perceber de maneira mais profunda o engendramento de um "mundo paulista" que se acha contido noterritório que d...
As lavouras paulistas de cana de açúcar começaram a surgir nas últimas décadas doséculo XVIII na porção sul da Capitania, ...
Casa do Padre Ignácio/Cotia                        Numa escala ainda mais recuada, as atividades de abastecimento e de pec...
No século XVIII, com a descoberta do ouro nos atuais estados de Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso, a produçãode gêneros se...
A pecuária, em meio a tudo isso, ganhou forma no curso do século XVIII e contou desde suas origens com afixação de outras ...
No âmbito da produção agrícola, a chamada “economia cafeeira” que entrou em cena substituindo os canaviais, promoveu a par...
A ausência de um entendimento mais detalhado destes processos nos dificulta compreender as trajetórias singulares dedesenv...
Sentidos de patrimônio         valorar os testemunhos       (cultura, história, ambiente, arquitetura,          arqueologi...
Sentidos de gestão da preservação e do patrimônio                          Conselho                          municipal    ...
Obra do/pelo bem comum                            “Toda a cidade tem uma história (...) Ela está presente na cultura      ...
Parabéns Piracicaba!           Mirza Pellicciotta           mirzapellicciotta@yahoo.com.br
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Cartilha do patrimônio cultural de piracicaba referência de ação patrimonial no território paulista e brasileiro

964 views

Published on

Reflexão de conceitos patrimoniais a partir da ação do IPPLAP Piracicaba e de sua cartilha de preservação patrimonial

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
964
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
11
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Cartilha do patrimônio cultural de piracicaba referência de ação patrimonial no território paulista e brasileiro

  1. 1. Cartilha do Patrimônio Cultural de Piracicaba : referência de ação patrimonial no território paulista e brasileiro Mirza Pellicciotta Doutora em História Cultural (Unicamp) e coordenadora do Departamento de Turismo da Prefeitura Municipal de Campinas
  2. 2. Sentidos de preservação Qualidade de vida Desenvolvimento sustentável identidade Bens edificados Propósitos e desafios de toda e Bens culturais qualquer sociedade... questões, no entanto, que se tornam essenciais quando os processos de desenvolvimento se aceleram Saberes e Fazeres Paisagem
  3. 3. As projeções de futuro necessitam se somar a um maior entendimento do passado porque corremos o risco de quenossos agentes não se reconheçam mais em meio a tantos redesenhos produtivos, e também porque um olharsobre o passado implica em reconhecer passos, em identificar esforços e em reconhecer as superações que sefizeram necessárias para se alcançar tais níveis de desenvolvimento
  4. 4. Precisamos perceber de maneira mais profunda o engendramento de um "mundo paulista" que se acha contido noterritório que deu lugar aos nossos municípios e regiões; um "mundo paulista" que tornou possível a nossa própriaconstituição. E para tanto, torna-se essencial reconhecer a existência de processos que no curso do tempo fizeramnascer áreas especializadas, redes produtivas, núcleos rurais e urbanos... processos que em vários aspectos esentidos permaneceram vivos no prolongamento de funções e atribuições especializadas de caráter centenário.
  5. 5. As lavouras paulistas de cana de açúcar começaram a surgir nas últimas décadas doséculo XVIII na porção sul da Capitania, no chamado “quadrilátero do açúcar” (entreos atuais municípios de Piracicaba, Mogi Guaçu, Campinas e Itu). data deste períodoa abertura e instalação de grandes propriedades monocultistas, a introdução dotrabalho escravo africano, a transformação dos sistemas viários, o desenvolvimentodo comércio internacional, uma série de inovações tecnológicas, além de umaprofunda transformação ambiental.
  6. 6. Casa do Padre Ignácio/Cotia Numa escala ainda mais recuada, as atividades de abastecimento e de pecuária (dimensões fundantes do mundo paulista desde os primeiros séculos de formação) também fizeram nascer e sobreviver atividades, áreas e redes especializadas. As atividades de abastecimento, em especial, foram responsáveis pela fixação dos colonizadores no território paulista ainda no século XVI e se traduziram no cultivo e comercialização de gêneros procedentes das culturas indígenas e européia para uma população que pouco a pouco se espraiava pelos sertões.
  7. 7. No século XVIII, com a descoberta do ouro nos atuais estados de Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso, a produçãode gêneros se faria intensificada, transformando-se o território paulista numa zona de abastecimento da regiãodas minas. A região da atual Piracicaba integrava um território de papel central nestas atividades, fornecendogêneros através de caminhos fluviais e terrestres, entre eles, a Estada para a Vila da Constituição, o Picadão deCuiabá, a Estrada dos Goiases. Com o passar do tempo, ainda, a chegada de novas populações promoveu umagrande diversificação de gêneros sem no entanto alterar as antigas dinâmicas de comércio, mas sim amplia-las.
  8. 8. A pecuária, em meio a tudo isso, ganhou forma no curso do século XVIII e contou desde suas origens com afixação de outras populações (em particular, de mineiros); esta atividade foi promotora não apenas de forçamotriz e alimentos, mas de um sistema viário que transformou de maneira profunda a dinâmica interna eexterna deste território, podendo-se atribuir as origem da logística contemporânea ao papel deentrocamento viário que no século XVIII passou a ser desempenhado pelas picadas e estradas de tropas ecarroças, substituídas no final do século XIX pelas redes ferroviárias.
  9. 9. No âmbito da produção agrícola, a chamada “economia cafeeira” que entrou em cena substituindo os canaviais, promoveu a partir demeados do século XIX um novo conjunto de transformações, entre eles a transformação do trabalho escravo para o trabalho livre; aintensificação da agricultura para exportação; a expansão do comércio internacional; a substituição acelerada da cobertura vegetal pelaprodução de café (e cultivo diversificado de gêneros); a entrada massiva de grupos populacionais procedentes das mais variadas regiõesdo Brasil e do mundo (cerca de 70 grupos étnicos); a intensificação da urbanização; a complexificação dos sistemas de escoamento(estradas tropeiras, linhas férreas, estradas de rodagem, aviação); a complexificação e divesificação do uso de tecnologias na produção. Aeconomia cafeeira, neste caso, seria responsável pela complexificação, integração e mercantilização de uma grande variedade deatividades rurais e urbanas, redesenhando não apenas o território da atual RMC, mas todo o território paulista.
  10. 10. A ausência de um entendimento mais detalhado destes processos nos dificulta compreender as trajetórias singulares dedesenvolvimento tecnológico e inovação presentes no curso do tempo, oi ainda, o desempenho de papéis e funções de temposimemoriais – que muitas vezes, por se fazerem desconhecidas das populações contemporâneas, impõem dificuldades para a projeçãodo futuro. Este limite de entendimento nos leva também a refletir sobre as razões do desinteresse e descuido com que muitosmunicípios tratam de seu patrimônio histórico. Desvendar nossa paisagem cultural: eis aqui uma tarefa que nos próximos anos poderános ajudar a potencializar ainda mais os nossos caminhos de desenvolvimento.
  11. 11. Sentidos de patrimônio valorar os testemunhos (cultura, história, ambiente, arquitetura, arqueologia, turismo, afetividade) registrar, reconhecer, manter respeitar a propriedade “escolher” coletivamente Conselho municipal
  12. 12. Sentidos de gestão da preservação e do patrimônio Conselho municipal tombamento sociedade Propósitos de Projetos de coletividade desenvolvimento Desafios de sustentabilidade
  13. 13. Obra do/pelo bem comum “Toda a cidade tem uma história (...) Ela está presente na cultura de seu povo, nos ciclos de seu desenvolvimento econômico e social, nas obras ilustres, e também nas edificações, memória visível da evolução urbana. Selecionar na cidade e em seu entorno exemplares de arte, arquitetura, ou ainda conservar as paisagens naturais constituem ações significativas para a integração desses elementos à história. Assim, eles podem cumprir a função social, contando o que aconteceu no desenvolvimento humano em cada época” “A escolha e a manutenção de determinados valores através das edificações e obras de arte, principalmente quando feitas de uma maneira clara, com participação de segmentos da comunidade (...) podem contribuir para o desenvolvimento de uma cidade” “É meta do IPPLAP incentivar modos de atuação junto à comunidade, promovendo ações que estimulem o cidadão comum a identificar os bens de patrimônio, resgatando com isso parte da história da coletividade. Estas ações podem gerar uma relação positiva de compartilhar-se as responsabilidades entre o cidadão e o Pode Público no lugar onde se vive, elevado o civismo e a valorização da história da cidade”
  14. 14. Parabéns Piracicaba! Mirza Pellicciotta mirzapellicciotta@yahoo.com.br

×