Carta(s)

2,939 views
2,235 views

Published on

Algumas poucas considerações sobre o gênero carta e seus principais derivados. O slide não é muito detalhado, mas pode ajudar a compreender melhor o uso de cartas em determinados contextos de produção.

Published in: Education
0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
2,939
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
71
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Carta(s)

  1. 1. CARTA(S) Miquéias Vitorino
  2. 2. O que caracteriza uma carta  Até hoje ninguém estabeleceu “regras” para escrever uma carta, porque existem cartas dos mais variados tipos e formatos.  A primeira coisa a se observar é o tipo de discurso que a carta vai veicular: jornalístico/crítico, pessoal, comercial, acadêmica etc.  Os tipos mais comuns de carta: pessoal, aberta, comercial e acadêmica (de recomendação).
  3. 3. Limites extrapolados  A carta não tem formato fechado, mas tem conteúdo definido. A carta pessoal trata dos mais diversos assuntos e pode conter o NARRAR como o EXPOR; já a comercial é mais objetiva. Mais conhecidas pelos memorandos, solicitações, avisos e etc; a acadêmica já tem uma linguagem mais rebuscada, trabalhada e tem por fim defender um ponto de vista com base numa hipótese/teoria, ou simplesmente, se for uma carta de recomendação ou apresentação, vai defender a imagem de alguém, mostrando suas qualidades e perícias.
  4. 4. A carta do leitor  Circula geralmente no âmbito do discurso jornalístico.  Discute um assunto relacionado à revista/jornal (elogios, críticas, comentários sobre uma reportagem, matéria, correções de informação, opinião etc.).  São extremamente pessoais (o EU é presente no discurso – usa-se a primeira pessoa – eu ou nós).
  5. 5. Formato da carta do leitor •Opcional. •Geralmente relacionado ao título da matéria sobre a qual você vai falar Título • o motivo pelo qual você está escrevendoIntrodução • Tudo o que você pensou sobre uma matéria – comentários, opiniões, críticas, correções de informação, elogios etc.Desenvolvimento •seus agradecimentos ao meio de comunicação, o que você espera daqui em diante e a despedida.Conclusão CONSELHOS: adeque sua linguagem, seja educado e objetivo. As cartas do leitor geralmente vão direto ao ponto, sem rodeios. Fale somente daquilo que você tem certeza.)
  6. 6. A carta aberta  É um gênero focada em argumentação, defesa de ideais, crenças ou teorias.  Geralmente a carta aberta trata de problemas que afetam o coletivo (moradores de um bairro, grupo de idosos, alunos de uma escola, clientes de um serviço ou empresa etc.); também é um gênero muito utilizado em movimentos de conscientização da população.  Dependendo do assunto, o tom da carta aberta pode ser desde um protesto ou clamor popular até meio de conscientização de um país sobre um determinado assunto.
  7. 7. Formato da carta aberta •Aqui você descreve, em poucas palavras, o tema central do texto e, caso ache interessante, citar o destinatário/remetente; Título •apresentação do problemaIntrodução •Os principais pontos do problema que precisam ser resolvidos, com a apresentação de argumentos que defendam o ponto de vista de quem escreve. Desenvolvimento •Nesta última parte vem o clamor, a solicitação para a resolução do problema.Conclusão CONSELHOS: A carta aberta é um gênero de opinião. Portanto, você deve ter em mente primeiro qual a sua posição quanto ao assunto e organizar os seus argumentos.
  8. 8. Exemplos
  9. 9. Exemplos

×