Algumas dicas básicas para a redação do enem
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Algumas dicas básicas para a redação do enem

on

  • 216 views

Algumas recomendações básicas na hora de escrever sua redação no ENEM.

Algumas recomendações básicas na hora de escrever sua redação no ENEM.

Statistics

Views

Total Views
216
Views on SlideShare
213
Embed Views
3

Actions

Likes
0
Downloads
7
Comments
0

1 Embed 3

http://www.slideee.com 3

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Algumas dicas básicas para a redação do enem Algumas dicas básicas para a redação do enem Presentation Transcript

  • Ms. MiquéiasVitorino
  •  Certamente os professores já corrigiram um mais ou mas na sua redação. As duas palavras são de classes gramaticais diferentes e têm funções diferentes.  MAIS (advérbio): dá ideia de soma, adicionar. e.g. “Isso é mais difícil do que eu pensei.  MAS (conjunção/conectivo de oposição). O mas, geralmente, introduz uma ideia oposta a anterior ou corrige a informação anterior. e.g. “Maria não é secretária, mas cabelereira.” ou “O Brasil se alegra com a copa, mas se revolta contra a corrupção.”
  •  Muitos candidatos também confundem os verbos. Isso ocorre com mais frequência em verbos infinitivos, que tem a terminação –AR (planejar), -ER (cometer) ou –IR (infligir);  A confusão: é comum os alunos escreverem planeja ao invés de planejar, porque confundem os sons. Basta lembrar que o infinitivo, geralmente, se usa em três casos: 1. Verbos principais no infinitivo juntos de um primeiro verbo auxiliar: “O que as autoridades querem colocar é que há muito a ser feito. Então, a população pode cobrar e reivindicar seus direitos.” 2. Depois de preposição, quando fazem parte de uma locução: “Situações como esta são complicadas de resolver 3. Após o conectivo “que” em alguns casos como estes a seguir: “aquele que seguir após mim...”, “o consumidor que quiser denunciar...”
  •  Usar palavras como “bom”, “bem”, “olha” em redações, no início de períodos, é altamente desrecomendável.  Corruptelas da fala, como “pra”, “pro”, “tá”, “tava” entre outras, são pecados na redações. Não correspondem à norma culta da língua.  Não use o internetês. Não utilize as corruptelas vc, tmb, rsrsrs ou kkkk. Você não está em um bate-papo.
  •  Qual a diferença entre pesquisaram e pesquisarão? Além da pronuncia, um dos verbos indica o tempo passado ou presente e o outro o futuro. Mas tem gente que ainda teima de trocar um pelo outro.  Cuidado com o –ão no final dos verbos. Ele indica o tempo futuro. (pesquisarão, olharão, estudarão).  Verbos que não tem a antepenúltima da palavra “r” não aceitam a desinência “ão”. Outros casos trata-se apenas de um aumentativo. Cuidado. E.g. Peçam (e não peção, que é uma peça grande), ou compram (que se você colocar o –ão vira comprão).
  •  Ser redundante, repetir ideias, repetir palavras ou conectivos faz com que você perca uma quantidade considerável de pontos na redação. (re)leia sempre que escrever um período novo e faça a leitura do início ao final, para evitar cometer repetições.  Procure usar palavras sinônimas, paráfrases, introduzir informações novas que sejam estreitamente relacionadas ao que você está escrevendo.
  •  O artigo de opinião não é uma conversa. O seu leitor é distante e você não precisa dialogar com ele no seu texto.  Não se dirija ao leitor, não use verbos no imperativo (faça, vamos fazer...). Artigo de opinião é campanha publicitária.
  •  As pessoas gostam de usar abreviações para economizar tempo. Usamos com tanta frequência que às vezes nós não nos damos conta. Não use abreviações de nenhum tipo no seu texto. Escreva sempre tudo por extenso.  “como, por exemplo, ....” e não “ex.:”
  •  Usar “hoje em dia”, “atualmente”, “nos dias de hoje” é tão clichê quanto superhomem com cueca por cima do uniforme. Evite.  Prefira expressões do tipo “é comum”, “é frequente”, “comumente”, “recentemente” (se for relatar algo que circulou na imprensa há pouco tempo).
  •  Cuidado! Muito cuidado! Colocar advérbios de lugar com moderação. Recomenda-se escrever algo diferente de “No país”, “No nosso país”, “No nosso Brasil”.  Por favor, não precisa dizer onde você mora para o corretor da banca. Ele não vai te mandar uma carta. “Onde eu moro”, “Aqui na minha cidade”, “No nosso estado”, “Aqui na minha rua”. Por favorzão... Não põe isso.
  •  Talvez um dos tópicos de gramática que você mais vai precisar numa redação é a colocação pronominal correta.  Não escreva, numa redação, algo do tipo “eu mim lembro”. Você está indo pra faculdade, não pra selva do Tarzan. Use o me quando o verbo for reflexivo.  “Nós precisamos se conscientizar” é uma aberração da língua portuguesa. O correto é “Nós precisamos nos conscientizar”. TARZAN
  •  Esses são o agente Mulder e a agente Scully, do FBI.  Essa aí é uma agente de trânsito