Your SlideShare is downloading. ×
71614875 palestra-combate-a-incendio
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Introducing the official SlideShare app

Stunning, full-screen experience for iPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

71614875 palestra-combate-a-incendio

388
views

Published on


0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
388
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
29
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIO
  • 2. Conceito de fogo Fogo é uma reação química que desprende luz e calor devido à combustão de materiais diversos. INCÊNDIOÉ O FOGO QUE FOGE DO CONTROLE
  • 3. Elementos que compõem o fogo Combustível Comburente (oxigênio) Calor Reação em cadeia COMBUSTÍVEL
  • 4. CombustívelÉ todo material que queima.São sólidos, líquidos e gasosos,SólidosMadeira, papel, tecido, algodão, etc.
  • 5. Combustível LíquidosVoláteis – são os que desprendemgases inflamáveis à temperaturaambiente. Ex.:álcool, éter, benzina, etc.Não Voláteis – são os quedesprendem gases inflamáveisà temperaturas maiores doque a do ambiente.Ex.:graxa, etc
  • 6. Combustível GasososButano, propano, etano.
  • 7. Comburente (oxigênio)É o elemento ativador dofogo, que se combina com os O ARvapores inflamáveis doscombustíveis, dando vida às 1% 21%chamas e possibilitando aexpansão do fogo.Compõe o ar atmosférico na 78%porcentagem de 21%, sendoque o mínimo exigível para OXIGENIO NITROGENIO OUTROS GASESsustentar a combustão é de16%.
  • 8. CalorÉ uma forma de energia. É oelemento que dá início ao fogo, éele que faz o fogo se propagar.Pode ser uma faísca, uma chamaou até um super aquecimento emmáquinas e aparelhosenergizados.
  • 9. Reação em cadeiaOs combustíveis, após iniciarem a combustão, geram maiscalor(1). Esse calor provocará o desprendimento de maisgases ou vapores combustíveis (2), desenvolvendo umatransformação em cadeia ou reação em cadeia, que, emresumo, é o produto de uma transformação gerando outratransformação.
  • 10. Propagação do fogoO fogo pode se propagar: Pelo contato da chama em outros combustíveis; Através do deslocamento de partículas incandescentes; Pela ação do calor.
  • 11. ConduçãoÉ a forma pela qual se transmite o caloratravés do próprio material, de molécula amolécula ou de corpo a corpo.
  • 12. ConvecçãoÉ quando o calor setransmite através de umamassa de ar aquecida,que se desloca do localem chamas, levando paraoutros locais quantidadede calor suficiente paraque os materiaiscombustíveis aí existentesatinjam seu ponto decombustão, originandooutro foco de fogo.
  • 13. IrradiaçãoÉ quando o calor se transmite por ondascaloríficas através do espaço, sem utilizarqualquer meio material. Sol
  • 14. Pontos e temperaturas importantes do fogo Ponto de FulgorÉ a temperatura mínima necessária para que um combustíveldesprenda vapores ou gases inflamáveis, os quais,combinados com o oxigênio do ar em contato com uma chama,começam a se queimar, mas a chama não se mantém porqueos gases produzidos são ainda insuficientes. Ponto de CombustãoÉ a temperatura mínima necessária para que um combustíveldesprenda vapores ou gases inflamáveis que, combinados como oxigênio do ar e ao entrar em contato com uma chama, seinflamam, e, mesmo que se retire a chama, o fogo não seapaga.
  • 15. Pontos e temperaturas importantes do fogo Temperatura de IgniçãoÉ aquela em que os gases desprendidos doscombustíveis entram em combustão apenas pelo contatocom o oxigênio do ar, independente de qualquer fonte decalor. Principais pontos e temperaturas de alguns combustíveis ou inflamáveis Combustíveis Inflamáveis Ponto de Fulgor Temperatura de Ignição 371,0°C Álcool etílico 12,6°C 257,0°C Gasolina -42,0°C 254,0°C Querosene 38,0°C a 73,5°C 245,0°C Parafina 199,0°C
  • 16. CLASSES DE INCÊNDIO
  • 17. CARACTERÍSTICAQUEIMA NA SUPERFÍCIE E EM PROFUNDIDADEQUEIMA DEIXANDO RESÍDUOS OU CINZAS
  • 18. EXEMPLO – CLASSE APAPEL MADEIRA BORRACHA
  • 19. CARACTERÍSTICAQUEIMA SOMENTE NA SUPERFÍCIE E NÃO QUEIMA EM PROFUNDIDADE
  • 20. EXEMPLO CLASSE BGASOLINA ÁLCOOL ÉTER
  • 21. CLASSE C CARACTERÍSTICAMATERIAL ELÉTRICOS ENERGIZADOS
  • 22. CLASSE D METAIS PIROFÓRICOSESTES METAIS SÃO ENCONTRADOS EM FÁBRICASE INDUSTRIAS AUTOMOBILÍSTICA POR EXEMPLOS RASPA DE ZINCO. LIMALHA DE MAGNÉSIO, ETC.
  • 23. Incêndios Classe KEsta classificação é relativamente nova e envolve óleos egorduras combustíveis para cozinhar. Incêndios em óleosalimentares foram previamente classificados comocombustíveis líquidos de incêndios classe B. Com a utilizaçãode equipamentos modernos para cozinhar e a tendência deutilizar óleos vegetais em vez de gorduras animais para fritaralimentos, necessitou-se do desenvolvimento de uma novaclasse de agentes extintores. Muitos restaurantes ainda estãoutilizando agentes extintores que foram aprovados para aclasse B de incêndios.Soluções aquosas de acetato de potássio, carbonato de potássioe citrato de potássio são agentes extintores mais comumenteutilizados para incêndios de classe K
  • 24. Métodos de extinção do fogoPartindo do princípio de que, para haver fogo,são necessários o combustível, comburente e ocalor, formando o triângulo do fogo ou, maismodernamente, o quadrado ou tetraedro dofogo, quando já se admite a ocorrência de umareação em cadeia, para nós extinguirmos ofogo, basta retirar um desses elementos.Com a retirada de um dos elementos do fogo,temos os seguintes métodos de extinção:extinção por retirada do material, porabafamento, por resfriamento.
  • 25. Métodos de extinção do fogoExtinção por retirada docomburente (Abafamento)Este método consiste nadiminuição ou impedimentodo contato de oxigênio com ocombustível. combustível
  • 26. Métodos de extinção do fogoExtinção por retirada docalor (Resfriamento)Este método consiste nadiminuição da temperaturae eliminação do calor, atéque o combustível não geremais gases ou vapores ese apague. combustível
  • 27. Métodos de extinção do fogo Extinção por retirada do material (Isolamento)Esse método consisteem duas técnicas:  Retirada do material que está queimando;  Retirada do material combustível que está próximo ao fogo.
  • 28. Métodos de extinção do fogo Extinção QuímicaOcorre quando interrompemos a reação em cadeia.Este método consiste no seguinte: o combustível, sobação do calor, gera gases ou vapores que, ao secombinarem com o comburente, formam uma misturainflamável. Quando lançamos determinados agentesextintores ao fogo, suas moléculas se dissociam pelaação do calor e se combinam com a mistura inflamável(gás ou vapor mais comburente), formando outra misturanão–inflamável.
  • 29. EXTINTOR
  • 30. TIPO DE EXTINTOR ESÁGUA CO2 PQS ESPUMA
  • 31. EXTINTOR ÁGUA RESFRIAMENTOÁGUA-10 L CLASSE A: SIM CLASSE B: NÃO CLASSE C: NÃO CLASSE D: NÃO
  • 32. EXTINTOR DE ÁGUA BAIXA PRESSÃO DURAÇÃO DE 60 SEGUNDOS PESA 12 Kgs. ALCANÇA 10 METROS ÁGUA TEM GRANDE PODER DE INFILTRAÇÃO; EFICIENTE EM INCÊNDIO CLASSE “A” QUE QUEIMA EM SUPERFÍCIE E PROFUNDIDADE ATACA O FOGO DIRIGINDO JATO PARA SUA BASE
  • 33. EXTINTOR CO2 ABAFAMENTO E RESFRIMANTOCO2 CLASSE A: NÃO06 Kg CLASSE B: SIM CLASSE C: SIM CLASSE D: NÃO
  • 34. EXTINTOR DE CO2 DURAÇÃO DE 25 SEGUNDOS; FORMA DE GELO SECO QUE QUEIMA; POSSUI EPUNHAMENTO E DIFUSOR; 2.100 LIBRAS DE PRESSÃO; NÃO POSSUI MANÔMETRO; APÓS 6 MESES, PESAR E SE ESTIVER CONSTANDO PERDA DE MAIS DE 10% DE CARGA, ENVIAR PARA RECARGA; PESA 22 Kgs. CARREGADO, 16 Kgs. VAZIO; ATACA O FOGO, PROCURANDO ABAFAR TODA A ÁREA ATINGIDA.
  • 35. EXTINTOR PÓ QUÍMICO ALTA PRESSÃO ABAFAMENTO PQS PÓ QUÍMICO SECO CLASSE A: SIM CLASSE B: SIM CLASSE C: NÃO 4 Kgs CLASSE D: NÃO
  • 36. EXTINTOR PQS DURAÇÃO DE 15 SEGUNDOS; PÓ BICARBONATO; POSSUI MANOMENTRO; VERDE PRESSÃO NORMAL; VERMELHO PRESSÃO INSUFICIENTE; NÃO SE UTILIZA NA BASE DO FOGO, USAR FORMANDO NUVEM POR CIMA DAS CHAMAS; ATACAR O FOCO PROCURANDO FORMAR UMA NUVEM DE PÓ A FIM DE COBRIR A ÁREA ATINGIDA.
  • 37. EXTINTOR ESPUMA QUÍMICA ABAFAMENTO E RESFRIAMENTOESPUMAQUÍMICA CLASSE A: SIM CLASSE B: SIM CLASSE C: NÃO CLASSE D: NÃO10 LITROS
  • 38. MODO DE USAR OS EXTINTORES ROMPA O LACRE E APERTE O GATILHO, DIRIGINDO O DIFUSOR PARA A BASE DO FOGO. NÃO TOQUE NODIFUSOR, PODERÁ CAUSAR LESÕES PELO FRIO.
  • 39. RECOMENDAÇÕES .MANDAR OS EXTINTORES SEMPRE VAZIO PARA RECARGA; .APRENDA A USAR OS EXTINTOR DE INCÊNDIO;CONHEÇA OS LOCAIS ONDE ESTÃO INSTALADOS OS OUTROS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO AO FOGO; NUNCA OBSTRUA OS ACESSOS AO EXTINTORES OU HIDRANTES; .NÃO MÊXA NOS EXTINTORES DE INCÊNDIO E HIDRANTES A MENOS QUE SEJA NECESSÁRIO A SUA UTILIZAÇÃO OU REVISÃO PERIODICA.
  • 40. QUADRO RESUMO DE EXTINTORESIncêndio Água PQS CO2 HalonClasse “ A “ Eficiente Pouco Pouco Pouco Eficiente Eficiente EficienteClasse “ B “ Não eficiente Eficiente EficienteClasse “ C “ Não Eficiente* Eficiente EficienteClasse “ D “ Não PQS** Não Não especialUnidadeExtintora 10 Litros 4 Kg 6 Kg 2 Kg***AlcanceMédio do jato 10 m 5m 2,5 m 3,5 mTempo deDescarga 60 Seg. 15 Seg. 25 Seg. 15 Seg.Método de Resfriamento Quebra da Abafamento QuímicoExtinção reação em (resfriamento) (abafamento) cadeia (abafamento)
  • 41. Sistemasde extinçãomaiscomplexos Hidrantes Sprinklers
  • 42. ALGUNS COMPONENTES DOS HIDRANTES
  • 43. MANGUEIRAS HIDRANTES.MANGUEIRAS – CONFECCIONADA EM FIBRASINTÉTICA, COM REVESTIMENTO INTERNO,PRODUZIDA COM COMPOSTO DE BORRACHAVULCANIZADA. MEDINDO 15 MTS E 30 MTS.HIDRANTE – CORPO EM CHAPA SAE 1020LAMINADA A FRIO, FROTA COM VENTILAÇÃOE VISOR COM INSCRIÇÃO “INCÊNDIO”
  • 44. Equipamentos de Detecção e Alarme1. Alarme: Caixinhas de cor vermelha, instaladas em diversoslocais e que, ao serem acionadas, disparam um alarme nolocal e na Central de Segurança, avisando o sinistro.2. Sirene: É fixada sobre o alarme. Quando acionada, emite umsom característico e pisca intermitentemente.3. Dispositivo de detecção: Instalados no teto. Quando napresença de fumaça ou calor, avisam automaticamente á Centralde Segurança.
  • 45. Equipamentos de Detecção e AlarmeAcessórios: Detectores de fumaça, detectores manuais, sirene
  • 46. Táticas de combate á Incêndios
  • 47. Ataque em “O”: trata-se de um simples movimento circular, égeralmente o mais utilizado.
  • 48. Ataque em “T”:
  • 49. Ataque em “Z”:
  • 50. Quando o Brigadista não visualizar o focode incêndio, ou ainda, este se encontrar emlocal confinado, o chefe de linha deveráutilizar jato neblinado e realizar um ataqueindiretoAo adentrar na edificação ou cômodo e oBrigadista conseguir visualizar a área emchamas, deverá efetuar um ataque diretoàs chamas