Your SlideShare is downloading. ×
´Pixinguinha - Mima Badan
´Pixinguinha - Mima Badan
´Pixinguinha - Mima Badan
´Pixinguinha - Mima Badan
´Pixinguinha - Mima Badan
´Pixinguinha - Mima Badan
´Pixinguinha - Mima Badan
´Pixinguinha - Mima Badan
´Pixinguinha - Mima Badan
´Pixinguinha - Mima Badan
´Pixinguinha - Mima Badan
´Pixinguinha - Mima Badan
´Pixinguinha - Mima Badan
´Pixinguinha - Mima Badan
´Pixinguinha - Mima Badan
´Pixinguinha - Mima Badan
´Pixinguinha - Mima Badan
´Pixinguinha - Mima Badan
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

´Pixinguinha - Mima Badan

719

Published on

Published in: Education, Travel
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
719
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
30
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. PIXINGUINHA
  • 2. Alfredo da Rocha Viana Filho,
    conhecido como Pixinguinha, nasceu no Rio de Janeiro em 23/4/1897 e faleceu no Rio de Janeiro em 17/2/1973.
    Foi um flautista, saxofonista, compositor e arranjador brasileiro.
  • 3. Pixinguinha é considerado um dos maiores compositores da música popular brasileira, contribuiu diretamente para que o choro encontrasse uma forma musical definitiva.
  • 4. Era filho do músico
    Alfredo da Rocha Viana,
    funcionário dos correios, flautista e que possuía uma grande coleção de partituras de choros antigos..
  • 5. Pixinguinha aprendeu música em casa, fazendo parte de uma família com vários irmãos músicos, entre eles
    Otávio Viana, o China.
  • 6. Foi ele quem obteve o primeiro emprego para o garoto, que começou a atuar em 1912 em cabarés da Lapa e depois substituiu o flautista titular na orquestra da sala de projeção do Cine Rio Branco.
  • 7. Nos anos seguintes continuou atuando em salas de cinema, ranchos carnavalescos, casas noturnas e no teatro de revista.
  • 8. Pixinguinha integrou o famoso grupo Caxangá, com Donga e João Pernambuco.
    A partir deste grupo, foi formado o conjunto Oito Batutas, muito ativo a partir de 1919. Na década de 1930 foi contratado como arranjador pela gravadora RCA Victor, criando arranjos celebrizados na voz de cantores como Francisco Alves ou Mário Reis.
  • 9. No fim da década foi substituído na função por Radamés Gnattali(foto).
  • 10. Na década de 1940 passou a
    integrar o regional de
    Benedito Lacerda,
    passando a tocar o
    saxofone tenor.
  • 11. Quando compôs “Carinhoso", entre 1916 e 1917 e "Lamentos" em 1928, que são considerados alguns dos choros mais famosos, Pixinguinha foi criticado e essas composições foram consideradas como tendo uma inaceitável influência do jazz, enquanto hoje em dia podem ser vistas como avançadas demais para a época.
  • 12. Além disso, "Carinhoso" na época não foi considerado choro, e sim uma polca.
    Outras composições, entre centenas, são "Rosa", "Vou vivendo", "Lamentos", "1 x 0", "Naquele tempo" e "Sofres porque Queres".
  • 13. No dia 23 de abrilcomemora-se o DiaNacional do Choro, trata-se de uma homenagem ao nascimento de Pixinguinha.
    A data foi criada oficialmente em 4 de setembro de 2000, quando foi sancionada lei originada por iniciativa do bandolinista Hamilton de Holanda e seus alunos da Escola de Choro Raphael Rabello.
    Pixinguinha e Orlando Silva
  • 14. Em 5 de janeiro de 1927, casou-se com Abertina da Rocha Viana (foto), uma moça que ele havia conhecido quando fora maestro da Companhia Negra de Revista, onde ela era a estrela da companhia e também atuava como cantora, e usava o nome artístico de Jandira Aimoré.
    Logo após o casamento ela abandonou a carreira artística e passou a dedicar-se ao lar.
  • 15. No dia 17 de fevereiro de 1973, quando Pixinguinha se preparava para ser o padrinho de uma criança na Igreja de NossaSenhora da Paz, em Ipanema, num sábado de carnaval, sofreu o seu último e derradeiro ataque cardíaco, dentro da própria igreja e morreu aos 75 anos de idade, e foi enterrado no Cemitério de Inhaúma.
    Durante o velório, o povo cantou a música “Carinhoso” prestando-lhe assim a sua última homenagem.
  • 16. “deus descansatira um cochilo na cadeira de balançosonha que é Pixinguinha”
  • 17.
  • 18. ALGUMAS COMPOSIÇÕES DE PIXINGUINHA
    Cafezal em flor (com Eugênio Fonseca)
    Carinhoso (com João de Barro)
    Chorei
    Displicente
    Estou voltando
    Isto não se faz (com Hermínio Bello de Carvalho)
    Lamentos (com Vinícius de Moraes)
    Os batutas (com Duque)
    Que querê (com Donga e João da Baiana)
    Quem foi que disse
    Rosa (com Otávio de Sousa)
    Rosa
    Samba de fato (com Baiano)
    Samba de nego
    Samba fúnebre (com Vinícius de Moraes)
    Samba na areia
    Saudade do cavaquinho (com Muraro)
    Um a zero (com Benedito Lacerda)
    Vem cá! não vou!
    Vou Vivendo
  • 19. PESQUISA E FORMATAÇÃO: Mima (Wilma) Badan
    mimabadan@yahoo.com.br
    MÚSICA: Carinhoso (Pixinguinha)
    Execução: Toquinho
    IMAGENS: Google
    (Repasse com os devidos créditos)
    BLOGS:
    www.mimabadan.blogspot.com
    wwwrecantodepalavras.blogspot.com
    wwwrecantodasreceitas.blogspot.com
    wwwpurezadoutrinaria.blogspot.com
    wwwcasadavovomima.blogspot.com
    PPSs e ESTÓRIAS INFANTIS em:
    www.slideshare.net/mimabadan

×