´Pixinguinha - Mima Badan

1,045 views
843 views

Published on

Published in: Education, Travel
1 Comment
1 Like
Statistics
Notes
  • Obrigada por sua contribuição para o meu trabalho como professora.
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
No Downloads
Views
Total views
1,045
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
37
Comments
1
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

´Pixinguinha - Mima Badan

  1. 1. PIXINGUINHA<br />
  2. 2. Alfredo da Rocha Viana Filho, <br />conhecido como Pixinguinha, nasceu no Rio de Janeiro em 23/4/1897 e faleceu no Rio de Janeiro em 17/2/1973.<br />Foi um flautista, saxofonista, compositor e arranjador brasileiro.<br />
  3. 3. Pixinguinha é considerado um dos maiores compositores da música popular brasileira, contribuiu diretamente para que o choro encontrasse uma forma musical definitiva.<br />
  4. 4. Era filho do músico<br />Alfredo da Rocha Viana, <br />funcionário dos correios, flautista e que possuía uma grande coleção de partituras de choros antigos..<br />
  5. 5. Pixinguinha aprendeu música em casa, fazendo parte de uma família com vários irmãos músicos, entre eles <br />Otávio Viana, o China.<br />
  6. 6. Foi ele quem obteve o primeiro emprego para o garoto, que começou a atuar em 1912 em cabarés da Lapa e depois substituiu o flautista titular na orquestra da sala de projeção do Cine Rio Branco. <br />
  7. 7. Nos anos seguintes continuou atuando em salas de cinema, ranchos carnavalescos, casas noturnas e no teatro de revista.<br />
  8. 8. Pixinguinha integrou o famoso grupo Caxangá, com Donga e João Pernambuco.<br />A partir deste grupo, foi formado o conjunto Oito Batutas, muito ativo a partir de 1919. Na década de 1930 foi contratado como arranjador pela gravadora RCA Victor, criando arranjos celebrizados na voz de cantores como Francisco Alves ou Mário Reis.<br />
  9. 9. No fim da década foi substituído na função por Radamés Gnattali(foto).<br />
  10. 10. Na década de 1940 passou a <br />integrar o regional de <br />Benedito Lacerda, <br />passando a tocar o <br />saxofone tenor. <br />
  11. 11. Quando compôs “Carinhoso", entre 1916 e 1917 e "Lamentos" em 1928, que são considerados alguns dos choros mais famosos, Pixinguinha foi criticado e essas composições foram consideradas como tendo uma inaceitável influência do jazz, enquanto hoje em dia podem ser vistas como avançadas demais para a época. <br />
  12. 12. Além disso, "Carinhoso" na época não foi considerado choro, e sim uma polca. <br />Outras composições, entre centenas, são "Rosa", "Vou vivendo", "Lamentos", "1 x 0", "Naquele tempo" e "Sofres porque Queres".<br />
  13. 13. No dia 23 de abrilcomemora-se o DiaNacional do Choro, trata-se de uma homenagem ao nascimento de Pixinguinha. <br />A data foi criada oficialmente em 4 de setembro de 2000, quando foi sancionada lei originada por iniciativa do bandolinista Hamilton de Holanda e seus alunos da Escola de Choro Raphael Rabello.<br />Pixinguinha e Orlando Silva<br />
  14. 14. Em 5 de janeiro de 1927, casou-se com Abertina da Rocha Viana (foto), uma moça que ele havia conhecido quando fora maestro da Companhia Negra de Revista, onde ela era a estrela da companhia e também atuava como cantora, e usava o nome artístico de Jandira Aimoré.<br />Logo após o casamento ela abandonou a carreira artística e passou a dedicar-se ao lar.<br />
  15. 15. No dia 17 de fevereiro de 1973, quando Pixinguinha se preparava para ser o padrinho de uma criança na Igreja de NossaSenhora da Paz, em Ipanema, num sábado de carnaval, sofreu o seu último e derradeiro ataque cardíaco, dentro da própria igreja e morreu aos 75 anos de idade, e foi enterrado no Cemitério de Inhaúma. <br />Durante o velório, o povo cantou a música “Carinhoso” prestando-lhe assim a sua última homenagem.<br />
  16. 16. “deus descansatira um cochilo na cadeira de balançosonha que é Pixinguinha”<br />
  17. 17.
  18. 18. ALGUMAS COMPOSIÇÕES DE PIXINGUINHA<br />Cafezal em flor (com Eugênio Fonseca) <br />Carinhoso (com João de Barro)<br />Chorei <br />Displicente <br />Estou voltando <br />Isto não se faz (com Hermínio Bello de Carvalho) <br />Lamentos (com Vinícius de Moraes)<br />Os batutas (com Duque) <br />Que querê (com Donga e João da Baiana) <br />Quem foi que disse <br />Rosa (com Otávio de Sousa) <br />Rosa <br />Samba de fato (com Baiano) <br />Samba de nego <br />Samba fúnebre (com Vinícius de Moraes) <br />Samba na areia <br />Saudade do cavaquinho (com Muraro) <br />Um a zero (com Benedito Lacerda) <br />Vem cá! não vou! <br />Vou Vivendo <br />
  19. 19. PESQUISA E FORMATAÇÃO: Mima (Wilma) Badan<br />mimabadan@yahoo.com.br<br />MÚSICA: Carinhoso (Pixinguinha)<br />Execução: Toquinho<br />IMAGENS: Google<br />(Repasse com os devidos créditos)<br />BLOGS:<br />www.mimabadan.blogspot.com<br />wwwrecantodepalavras.blogspot.com<br />wwwrecantodasreceitas.blogspot.com<br />wwwpurezadoutrinaria.blogspot.com<br />wwwcasadavovomima.blogspot.com<br />PPSs e ESTÓRIAS INFANTIS em:<br />www.slideshare.net/mimabadan<br />

×