Mulher - ela é muito mais mãe do que mulher - Dr. Içami Tiba

  • 547 views
Uploaded on

 

More in: Education , Technology , Sports
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
547
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
7
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Mulher: Ela é muito mais mãe do que mulher
  • 2. No tempo ''jurássico'' , o ser humano não sabia que o homem era pai, mas a mulher já sabia que era mãe. O homem tinha mais força física que a mulher e ia matar onças. A mulher ficava cuidando das crianças. Em épocas de onças magras, a mulher descobriu a agricultura, isto é, ela plantava comidas...
  • 3. Para o homem era, e é até hoje, menos estressante caçar onças que cuidar de crianças. Estourava qualquer cérebro masculino olhar tantas criancinhas juntas, gritando, correndo... A mulher teve que desenvolver o controle das crianças com voz para uns, olhar para outros, gestos para terceiros, e sempre avisava: ''Não vá para lá!'' , mas se a criança fosse, a onça a comia. Assim alguns desobedientes eram comidos por onças... Uns gritinhos de tenrinhas crianças não iriam atrapalhar os apetites e as ''comilonças'' das feras...
  • 4. As onças foram se acabando e a população aumentando, e as crianças gastando. A sociedade encontrou um jeito de valorizar o trabalho para que o homem dele tirasse a comida e a sobrevivência. Então o patriarca mandava em tudo e em todos.
  • 5. Agora as crianças precisam não só de comida, mas de casa, de estudo, de segurança, de condução, de escola etc. Muitas despesas para um só homem arcar. Eis que a mulher saiu também à caça, usando como armas os estudos, a competência profissional, informática, seus recursos naturais e tudo o mais. Mas continuou mãe jurássica: tomando conta das criancinhas para que as onças sociais não as devorassem, mesmo que estas ''crioncinhas'' quase a devorassem.
  • 6. Um dia, a mulher resolveu que o homem não mais deveria mandar nela. Começou a onda feminista. Um modelo feminino do machismo. Algumas delas venceram e passaram a impor respeito e todas as mulheres mudaram em quase tudo.
  • 7. Mas como mãe, nada mudou. Continuou engravidando, parindo, criando, fazendo tudo para e pelos filhos, dando da sua comida porque eles não queriam a deles, despindo-se para vestir os filhos, sendo feliz somente com os filhos felizes, sofrendo maus-tratos de quem tratava tão bem...
  • 8. Nova Mulher
  • 9. A mulher seria melhor mãe se fizesse se respeitar mais, não fazer pelos e para os filhos o que estes pudessem fazer, ter sua quota de felicidade pessoal, independentemente da má educação dos filhos, vestir as crianças sem ter que se despir. Desta maneira ela mudaria o conceito de mulher e de mãe na cabeça das crianças, para que fossem homens mais integrais para todos viverem melhor.
  • 10. Nos últimos tempos os casais ficaram mais saudáveis, separando-se quando os cônjuges não se entendiam mais. Muitos separados casam-se outras vezes. Surge a nova família composta por adultos que podem não ser pais biológicos, tendo como dependentes filhos, alguns que nem são seus... mas de relacionamentos anteriores aos parceiros atuais.
  • 11. Todos os adultos gostariam que todos os seus ''filhos'' se unissem como unha e carne, mas não unha de um na carne do outro. Se for sério pode provocar novas separações dos adultos. Coitado do homem que reagir, pois a mãe sempre vai defender os filhos, e coitados dos filhos do pai que vai sempre defender a nova mulher, coitada da mãe que absorve as pancadas de todos os lados...
  • 12. Mas esta variedade de pessoas numa mesma família obriga a um novo paradigma de vida: família é uma equipe de convivência entre os diferentes. Ninguém deve se colocar como superior, nem inferior.
  • 13. É uma questão de desenvolvimento, uns mais que outros. Os mais desenvolvidos que ajudem os menos, os menos que respeitem os mais, e os iguais que se associem, independentemente da idade ou posição familiar. É a cidadania familiar formando já futuros cidadãos.
  • 14. FORMATAÇÃO: Mima (Wilma) Badan [email_address] MÚSICA: She Interpretação: Charles Aznavour (Repasse com os devidos créditos) www.mimabadan.blogspot.com www.slideshare.net/mimabadan