Your SlideShare is downloading. ×
0
Revisão 9ºano
Revisão 9ºano
Revisão 9ºano
Revisão 9ºano
Revisão 9ºano
Revisão 9ºano
Revisão 9ºano
Revisão 9ºano
Revisão 9ºano
Revisão 9ºano
Revisão 9ºano
Revisão 9ºano
Revisão 9ºano
Revisão 9ºano
Revisão 9ºano
Revisão 9ºano
Revisão 9ºano
Revisão 9ºano
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Revisão 9ºano

6,849

Published on

Published in: Technology, Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
6,849
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
5
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  1. Correcção da Prova de exame ICompreensão da mensagem 1. A raposa encontra-se triste, porque não foi cativada e a sua vida é demasiado monótona. O principezinho estava triste porque se sentia só, não tinha ninguém com quem brincar. 1.1 – A expressão onde está presente a tristeza do principezinho é: “ Anda brincar comigo (…) estou tão triste”. As expressões que permitem perceber a tristeza da raposa são: “ Não estou cativada.” e “ A minha vida é monótona.” 2 – A raposa refere a cor do trigo ao sol para construir uma metáfora, ou seja, ele diz que habitualmente não atribui qualquer significado ao trigo, pois ele não tem importância para ele, uma vez que não serve para a sua alimentação, no entanto, se o principezinho fosse amigo dele, o trigo já poderia ter importância, pois o trigo seria um símbolo da cor dos cabelos louros do principezinho. Assim o principezinho estaria a transferir e a projectar a cor dos cabelos do amigo no trigo.
  2. 3 – Para a raposa os “passos” não são todos iguais, pois há “passos” que são sinónimo de um perigo que se aproxima de algo ou alguém que não se deseja por perto e há “passos” de pessoas que desejamos que estejam perto de nós. 4. 4.1 – “Os homens já não têm tempo para tomar conhecimento de nada” é uma frase que critica a postura dos homens em geral, pois já não despendem de tempo para conhecer e dar-se a conhecer, vivem uma vida de consumismo, onde absorvem o que está pronto a usar, por isso não cativam ninguém, ou seja não são amigos de ninguém, pois a amizade não se comercializa. 4.2 – Para que os homens tenham amigos, têm de investir o seu tempo, a sua disponibilidade para conhecer os outros, pois a amizade constrói-se, descobre-se a pouco e pouco.
  3. 5.5.1 – “ A linguagem é uma fonte de mal-entendidos” significa que as palavras podem ser bem ou mal usadas e por isso podem levar à construção de confusões.5.2 – Esta afirmação adequa-se à acção narrada no conto “A Palavra Mágica”, pois, aí, a utilização errada da palavra “inócuo” levou a uma série de peripécias e mal-entendidos, pois todos lhe foram atribuindo um significado aleatório e diferente, tendo em conta a situação pessoal de cada um. A palavra acabou por ganhar um significado muito negativo e muito diferente do verdadeiro.6 – A raposa era atenta, minuciosa, atenta, cuidadosa e persistente.6.1 – A raposa é o símbolo da amizade. 7 – O principezinho teve de conquistar progressiva e pacientemente a raposa, assim devia começar por se sentar cada vez mais perto dela, depois deveria começar a cumprir alguns rituais, tais como chegar todos os dias à mesma hora.
  4. Funcionamento da língua.1. Anda brincar comigo, propôs-lhe o principezinho. 1.1 Anda - Imperativo Propôs – Pretérito Perfeito do Indicativo Ver conjugação verbal Estudar páginas 45-50 do livro de exercícios1.2 Anda brincar comigo, propôs-lhe o principezinho. O principezinho propôs-lhe que brincasse com ele. Ver regras do discurso directo e indirecto. Fazer ficha 21, página72 do livro de exercícios
  5. Discurso Directo. Discurso IndirectoTempos verbaisPresente …………………………………………………………….. Pretérito ImperfeitoPretérito Perfeito …………………………………..………… Pretérito-mais-que-perfeitoFuturo …………………………………………………………………..… CondicionalImperativo …………………………………………………………….…. ConjuntivoTipos de frase . Todos ………………………………………………………… não estão presentes os sinais de pontuação mais expressivos(?!...) tipo declarativaPronomes pessoais Todos ………………………………………………………. sempre na 3ª pessoa
  6. Pronomes/determinantes demonstrativos Por exemplo: Este, esta… aquele, aquelaPronomes/determinantes possessivos Por exemplo: meu, teu, dele… 3ªpessoa - seu/deleAdvérbios ou Expressões adverbiais Por exemplo: hoje…………………………………………………………………………. Naquele dia Ontem ……………………………………………………………………. No dia anterior Amanhã……………………………………………………….…………. No dia seguinte Aqui………………………………………………………………………… lá Neste momento………………………………………………………. Naquele momentoO discurso indirecto é introduzido por verbos declarativos, tais como: disse que… acrescentou que… perguntou se… exclamou que… etc.No discurso indirecto não devem aparecer as expressões de oralidade, tais como as interjeições, algumas formas enfáticas…
  7. Classes de palavras: VerboConjugação verbal Estudar páginas 45-50 do livro de exercíciosAnálise morfológica / classe de Palavras - verbo Tempo ------------------- Modo -------------------- Pessoa ------------------- Número ----------------- Conjugação ------------ Exercício: Infinitivo ---------------- Voz ----------------------- . Estivesse . Compra . Faria . Encontrará . Fazia . descobri Ver voz passiva
  8. Voz activa e voz passiva Ontem, o rapaz comeu uma maçã, no pomar.Voz activa Sujeito verbo Complemento Directo Ontem, uma maçã foi comida pelo rapaz no pomar.Voz passiva Sujeito verbo na voz passiva Agente da passiva Regras básicas: . O sujeito da frase com uma conjugação verbal activa passa a agente da passiva introduzido pela preposição “por”; . O Complemento directo da frase com uma conjugação verbal activa passa a sujeito na frase com uma conjugação verbal passiva; . O verbo na voz passiva é conjugado com o verbo ser + particípio passado do verbo principal; . Em exercícios de conversão de voz, na voz passiva o verbo “ser” tem sempre o mesmo tempo verbal do verbo principal na voz activa.
  9. Formação de PalavrasAfixação/DerivaçãoAfixos Prefixo – afixo que se coloca no princípio da base da palavra. exemplo: imperfeita Sufixo – afixo que se coloca no fim da base da palavra. exemplo: perfeitamente Interfixo – afixo que se coloca entre duas formas de base (vogal de ligação) exemplo: musicoterapia Parassíntese – acrescentamento simultâneo de prefixo e sufixo. Sem que exista a forma a mesma forma de base só com sufixo ou só com prefixo) exemplo: amanhecer
  10. Formação de Palavras – (cont.) Derivação imprópria – consiste na formação de palavras pela mudança da classe ou subclasse de origem. A palavra não sofre alterações, mas a mudança de classe implica uma mudança de sentido. Exemplo: De entre as flores, prefiro a rosa. A Rosa chega esta tarde. Derivação regressiva – consiste na formação de nomes a partir de verbos. ( nomes que denotam acção) Exemplo: alcançar – alcance resgatar - resgate
  11. Formação de PalavrasComposição Justaposição – processo de formação de palavras pela união de duas palavras, com recurso a hífen. exemplo: abre-latas porta-voz conta-gotas Aglutinação – processo de formação de palavras pela união de duas palavras que sofrem alterações devidas à união. exemplo: televisão vinagre
  12. Relações lexicaisCampo Lexical – conjunto de palavras que pertencem a uma área da realidade.Campo Semântico – O campo semântico de uma palavra é constituído pelo conjunto decontextos em que a palavra surge e os significados que aí apresenta, ou seja, o camposemântico encontra-se nos vários sentidos que uma palavra pode ter (polissemia),dependendo do contexto. Significação lexical Polissemia – significação múltipla de uma palavra. Pertencem ao mesmo campo semântico Ex:….. Partir o copo/ Partir o coração Monossemia – Significados diferentes / um só significado como é o caso de vocabulário científico ou técnico Denotação – sentido denotativo é o primeiro sentido da palavra. Conotação – sentido conotativo são os segundos sentidos que uma palavra pode apresentar. Ex:……………………………………Tu és a minha luz.
  13. Relações semânticas entre palavras Hiponímia – termo específico – Ex: carroRelações dehierarquia Hiperonímia – termo genérico – Ex: veículoRelações de Sinonímia – palavras com significados iguais ou semelhantesequivalênciaRelações de Antonímia – palavras com significados opostosoposição Holonimia – Representa o Todo – Ex: carroRelações deinclusão Merónimo – Representa uma Parte – Ex: volante Homofonia – mesma forma fonética, significado e grafia diferentes. Exemplo: Paço/ Passo Homografia – mesma forma gráfica, significado diferente, fonética semelhante. Ex: Eu governo/ o governo; cerca a casa / a cerca da casa ; gosto do molho/ umRelações molho de rosas.fonéticas egráficas Homonímia – com o mesmo significante e significados diferentes. Ex: Partir de Lisboa/ Partir o copo Paronímia – Têm significado diferente, mas grafia e som semelhantes Ex: Perfeito/ Prefeito
  14. Coordenação e subordinação Frases Simples Têm apenas um sujeito e um único verbo principal com os seus complementos. Exemplo: O Cavaleiro entrou em casa. Ele abraçou a família. Frase Complexa As frases complexas resultam da junção de duas ou mais frases simples estabelecendo relação entre as ideias aí expressas. Relação de Coordenação Relação de subordinação
  15. Coordenação Sindética – Quando as orações são ligadas por conjunções ou locuções coordenativas Assindética – Orações em que a conjunção não está presente. Valor semântico Conjunções e locuções coordenativas Relação de adição e/nem/ também/que (=e)/ Copulativas não só… mas também não só… como também tanto… como Relação de oposição ou Mas/porem/ todavia/ contudo/ apesar Adversativas contraste disso/no entanto/ ainda assim/não obstante/de outra sorte Relação de alternativa Ou/ ou…ou…/ já…já/ ora…ora/ nem…nem/ Disjuntivas quer…quer/seja…seja/seja…ou Relação de conclusão Logo/ pois/ portanto/ por conseguinte / Conclusivas por consequência Adjectivo - graus
  16. SubordinaçãoOração Subordinante – Oração principal que serve de referência à oração subordinada.Oração Subordinada – Orações em que a conjunção não é expressa. Exemplo: Eles estão aqui presentes, porque foram convidados Oração subordinante oração subordinada causal Conjunção subordinativa causal
  17. Conjunções e locuções subordinativasSubstantivas Completivas ou integrantes Restritivas – limitam o Pronomes relativosAdjectivas ou relativas sentido da frase Que/ o qual… Que Explicativas – acrescentam uma informação acessória (,) Causal Porque/ visto que/ poisAdverbiais que/ Temporal Quando/ Enquanto/antes que depois que/ sempre que… Final Para que/ a fim de que / Condicional Se/ a não ser se…/ a menos que/ uma vez que… Comparativa Como/ mais…do que/ assim como… Concessiva Embora/ ainda que/ mesmo que/ se bem que/ apesar de que/ por menos que… Consecutiva Que (= ainda que) de maneira que/ De modo que…
  18. Infinitivas Orações sem conjunção ou locução e com o verbo no Infinitivo Por ser tua irmã, ninguém me (pessoal ou impessoal) fala. Gerundivas Gerúndio Caindo mais chuva, ficamos molhados Participiais Particípio passado Terminada a reunião, as pessoas saíramExercícios: Divide e classifica as orações que se seguem:a) “ Associa-te aos meus negócios e estabelece a tua vida junto de mim.”b) “No céu azul, as andorinhas cruzavam o seu voo.”c) “Contaste uma bela história, mas daqui a pouco chegará um grande contador de histórias.”d) “ Continuaram viagem, aproximaram-se de terra, dobraram o cabo e seguiram viagem.”e) “ Eles cantaram e dançaram, portanto pareciam amigos.”a) “Enquanto esteve em casa, Pedro demonstrou as suas características de bom pai.”b) “Pedro, que era filho de Paulo, não gostava de confusões.”c) “Carla não abandonou Pedro, porque se apaixonou por ele.”d) “ Ele era o grande advogado que tinha estado nem grandes julgamentos.”

×