07 2014 - gestão tributária

1,972 views
1,689 views

Published on

Gestão Tributária ministrada para alunos da disciplina de Gestão Financeira e Orçamentária 3

Published in: Economy & Finance
0 Comments
4 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
1,972
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
7
Actions
Shares
0
Downloads
146
Comments
0
Likes
4
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

07 2014 - gestão tributária

  1. 1. Gestão Tributária Prof. Milton Henrique mcouto@catolica-es.edu.br
  2. 2. Sistema Tributário Nacional • Estado: Custo de Manutenção, repartir o ônus entre todos os brasileiros • Tributo: Toda prestação pecuniária compulsória, em moeda. Instituída em lei • Regras não serão mudadas no decorrer do jogo • Lei não pode atingir fatos passados Irretroatividade
  3. 3. Princípio Republicano • O custeio do Estado é distribuído por todos, de acordo com a capacidade de contribuir • Tratar igualmente os iguais e desigualmente os desiguais – Art 5: Todos serão iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza. • Parágrafo 1. Sempre que possível, os impostos terão caráter pessoal e serão guardados segundo a capacidade econômica do contribuinte
  4. 4. Normas Tributárias • Normas Gerais: Normas que tratam conflitos entre entres federados • Lei Complementar: Define tributos e espécies, bases de cálculos e contribuintes • Legislação Infraconstitucional: Decretos, resoluções, portarias, que explicam a
  5. 5. Receita e Despesa Receita de Vendas Receita Empresa Privada Despesa Custo Despesa Tributos Governo Receita Custo
  6. 6. Tributos • • • • 55.767 artigos 33.374 parágrafos 23.497 incisos 9.956 alíneas São editadas, em média, 300 normas por
  7. 7. Dados Interessantes Distribuição dos tributos totais (2008) Consumo: Salários: Renda: Transações Financeiras: Propriedade: Outros: 47% 22% 20% 5% 3% 3%
  8. 8. Dados Interessantes Tributos Federais: 70% Tributos Estaduais: 26% Tributos Municipais: 4%
  9. 9. Tributo É toda prestação pecuniária compulsória, em moeda ou cujo valor nela se possa exprimir, que não se constitua sanção de ato ilícito, instituída em lei e cobrada mediante atividade administrativa plenamente vinculada Código Tributário Nacional, artigo 3º
  10. 10. Espécies de Tributos • Impostos – É tributo que se destina a cobrir as necessidades públicas gerais, tem característica não vinculada.
  11. 11. • Taxa Espécies de Tributos – Tem como característica essencial a vinculação à prestação de serviços públicos, portanto de caráter remuneratório
  12. 12. Diferença de Taxas e Tarifas • Tarifas – receita decorrente da prestação de serviços públicos sob regime de concessão ou permissão. Serviço Prestado pelo Governo Serviço Prestado Pela Iniciativa Privada em Regime de Concessão ou Permissão TAXA TARIFA
  13. 13. Espécies de Tributos • Contribuição de Melhoria – É o tributo instituído para fazer face ao custo de obras públicas de que decorra valorização imobiliária
  14. 14. Espécies de Tributos • Empréstimos Compulsórios – Tributos que poderão ser instituídos para o atendimento de despesas extraordinárias, decorrentes de calamidade pública, de guerra externa ou de sua iminência, ou no caso da necessidade relevante de investimentos públicos de caráter urgente
  15. 15. Espécies de Tributos • Contribuições – Previstas pelo artigo 149 da CF/88, podem ter diferentes finalidades e distintas bases de cálculo. Poderão, pois, conceituarem-se como imposto ou taxa, ou ser um misto das duas categorias, ou contribuição de melhoria
  16. 16. Espécies de Tributos • Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (CIDE) – São contribuições regulatórias, utilizadas como instrumento de política econômica para enfrentar determinadas situações que exijam a intervenção da União na economia do País
  17. 17. Alguns Conceitos • Competência Tributária – União – Estados – Município
  18. 18. Alguns Conceitos • Campo de Incidência – É o delimitador da área de incidência de um tributo Campo de Incidência ICMS ISS Circulação de mercadorias Prestação de serviços
  19. 19. Alguns Conceitos • Função dos Tributos Fiscal • arrecadação para Estado. Extra-fiscal • interferência no domínio econômico. Para-fiscal • arrecadação para atividades que não são próprias do Estado.
  20. 20. Alguns Conceitos • Fato Gerador – É a situação definida em lei como necessária e suficiente à sua ocorrência. É o “nascimento” da obrigação tributária
  21. 21. Alguns Conceitos • Base de Cálculo – Junto com a alíquota correspondente, proporciona a característica de valor (quantificação) do tributo
  22. 22. Alguns Conceitos • Alíquota – É o % definido em lei que, aplicado sobre a base de cálculo, determina o montante do tributo a ser pago.
  23. 23. Incidência Tributária Impostos Diretos: Recaem sobre o patrimônio e renda. Exemplo: IR, ITR, IPTU, IGF. Impostos Indiretos: Estão incluídos no preço de venda. Exemplo: ICMS, IPI, ISS, II.
  24. 24. Contribuinte / Responsável • Sujeito Ativo – é credor do tributo, i.e., aquele que tem direito subjetivo de exigir a prestação pecuniária. • Sujeito Passivo – é a pessoa que tem o dever jurídico de efetuar o pagamento do tributo. O sujeito passivo pode ser : Direto ou Contribuinte, Indireto ou Responsável, substituto.
  25. 25. Contribuinte / Responsável • Contribuinte – sujeito passivo da obrigação tributária que tem relação pessoal e direta com fato gerador. • Responsável – pessoal que a lei escolher para responder pela obrigação tributária, em substituição ao contribuinte de fato, dada a maior complexidade para alcança-lo.
  26. 26. Princípios Tributários • • • • • • Princípio da Legalidade Princípio da Isonomia Tributária Princípio da Irretroatividade Princípio da Anterioridade Princípio da Uniformidade Princípio da Capacidade Contributiva
  27. 27. Princípios Tributários • Princípio da Legalidade – Precisam estar previstos em lei
  28. 28. Princípios Tributários • Princípio da Isonomia Tributária – É vedado instituir tratamento desigual entre contribuintes que se encontrem em situação equivalente, proibida qualquer distinção em razão de ocupação profissional ou função por eles exercida, independentemente da denominação jurídica dos rendimentos, títulos ou direitos
  29. 29. Princípios Tributários • Princípio da Irretroatividade – É vedado cobrar tributos, em relação a fatos geradores ocorridos antes do início da vigência da lei que os houver instituído ou aumentado
  30. 30. Princípios Tributários • Princípio da Anterioridade – É vedado cobrar tributos no mesmo exercício financeiro em que haja sido publicada a lei que os instituiu ou aumentou
  31. 31. Princípios Tributários • Princípio da Uniformidade – A tributação da União deverá ser uniforme em todo território nacional, não podendo criar distinções em relação aos Estados, aos Municípios e ao Distrito Federal.
  32. 32. Princípios Tributários • Princípio da Capacidade Contributiva – Estabelece o princípio da capacidade econômica do contribuinte, que, por mera definição, seria a possibilidade de pagar tributos.
  33. 33. Obrigação • • • • Há um credor e um devedor Tributo – Obrigação de pagar Direito do Estado – de cobrar Tributo só incide em contratos lícitos
  34. 34. Obrigação • Principal – Pagamento do Tributo • Acessória – Cadastro, NF, informações • Deveres do Contribuinte para fiscalização Multa
  35. 35. Incidência • Material – Situação ou comportamento humano • Espacial – Local onde ocorre a obrigação • Temporal – Quando nasce a obrigação • Pessoal – Sujeitos da Obrigação • Quantitativa – Base de cálculo, alíquota
  36. 36. Exemplo - IPTU • • • • • • Material – prédio, terreno Espacial – localizado em zona urbana Temporal – 1 de janeiro Pessoal – Sujeito Ativo – Fazenda Municipal Sujeito Passivo – Proprietário imóvel Quantitativa – Valor venal e alíquota
  37. 37. Crédito Tributário • Corresponde ao direito do Estado de exigir do contribuinte ou do responsável o pagamento do tributo, uma vez ocorrido o fato gerador.
  38. 38. Lançamento de Ofício • Quando é feito por iniciativa da autoridade administrativa, independentemente de qualquer colaboração do sujeito passivo. • Ex: IPTU
  39. 39. Lançamento por Declaração • É o que deve ser feito em atuação conjunta da administração e do sujeito passivo da obrigação tributária, é feito em face de declaração fornecida pelo contribuinte ou por terceiros. • Ex: ITBI
  40. 40. Lançamento por Homologação • É que corresponde a tributo cuja iniciativa de apuração e de pagamento competem ao sujeito passivo, devendo ser homologado por parte da autoridade administrativa. • Ex: IR, IPI, ICMS
  41. 41. Planejamento Tributário • É o termo utilizado para definir procedimentos que proporcionem a economia legal dos tributos, envolvendo aspectos: – Fiscais – Contábeis – Financeiros – Societários – Jurídicos
  42. 42. Planejamento Tributário • É esperado que o administrador zele pela maximização dos recursos financeiros disponíveis valendo-se de procedimentos lícitos, cuja proporção seja uma menor carga tributária
  43. 43. Exemplos de Planejamento Tributário • Evitar a incidência do fato gerador do tributo Pagamento de ProLabore aos sócios Distribuição de Lucros aos sócios
  44. 44. Exemplos de Planejamento Tributário • Reduzir o montante do tributo, sua alíquota ou reduzir a base de cálculo do tributo. Declaração simplificada do IR Declaração completa do IR
  45. 45. Exemplos de Planejamento Tributário • Retardar o pagamento do tributo, adiando o seu pagamento, sem a ocorrência da multa Emitir NF no dia 31 Emitir NF no dia 01
  46. 46. Elisão e Evasão Fiscal • Elisão Fiscal É a economia tributária resultante da adoção da alternativa legal menos onerosa ou de lacuna da lei. Esta é legítima e lícita. • Evasão Fiscal Consiste em prática contrária à lei. Geralmente é cometida após a ocorrência do fato gerador da obrigação tributária, objetivando reduzi-la ou oculta-la.
  47. 47. Lucro Real e Lucro Presumido • Lucro Real: – Base de Cálculo do Imposto de Renda das Pessoas Jurídicas • Lucro Presumido: – outra base de cálculo do imposto de renda, basicamente sobre Receitas, e com escrituração simplificada no Livro Caixa
  48. 48. Contrabando ou Descaminho • Contrabando – Entrada ilegal e transporte de mercadorias que tem venda proibida • Descaminho – Entrada ou saída de produtos sem passar pelos tramites legais
  49. 49. Preocupação da Gestão Tributária • Lei S/A, art. 153: “...O administrador da companhia deve empregar, no exercício de suas funções, o cuidado e a diligência que todo homem ativo e probo costuma empregar na administração dos seus próprios negócios.”
  50. 50. Crime Tributário Geralmente são fraudes • Suprimir ou reduzir tributo ou contribuição – Pena: De 2 a 5 anos de reclusão • Declaração falsa, ou omissão, deixar de recolher tributo – Pena: De 3 a 8 anos de reclusão e multa
  51. 51. Quem sou eu? Prof. Milton Henrique do Couto Neto mcouto@catolica-es.edu.br Engenheiro Mecânico, UFF MBA em Gestão Empresarial, UVV MBA em Marketing Empresarial, UVV Mestre em Administração, UFES Pós-MBA em Inteligência Empresarial, FGV http://lattes.cnpq.br/8394911895758599
  52. 52. Professor Universitário 2004 2011 2006 2007 2009 2011
  53. 53. Disciplinas Lecionadas Marketing Empreendedorismo Administração de Materiais Matemática Matemática Financeira Gestão Financeira Fundamentos da Administração Gestão de Processos e Empresas
  54. 54. miltonhenrique miltonhcouto miltonhcouto
  55. 55. Este e outros arquivos estão disponíveis para download no www.slideshare.net/miltonh

×