Your SlideShare is downloading. ×
Estratégias Inovadoras em E-mail Marketing
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Estratégias Inovadoras em E-mail Marketing

9,430
views

Published on

Curso sobre e-mail marketing ministrado em 2007 e 2008 para executivos e profissionais de comunicação (publicidade, jornalismo, relações públicas, marketing).

Curso sobre e-mail marketing ministrado em 2007 e 2008 para executivos e profissionais de comunicação (publicidade, jornalismo, relações públicas, marketing).

Published in: Business

3 Comments
15 Likes
Statistics
Notes
  • Coloquei em meu blog um MindMap interessante sobre o livro 'Estratégias de Email Marketing' - Vale a pena conferir: http://www.estrategiasdemarketing.com.br/assuntos-variados/livro-estrategias-de-email-marketing-resenha/

    Abraços
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
  • O artigo os '10 mitos do e-mail marketing' que utilizei neste curso é da Juliana Padron, da W3P Projetos Web (www.w3p.com.br).
    Desculpe não ter citado a fonte antes, Juliana. Vou tentar achar o arquivo original da palestra e atualizar.
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
  • SIMPLESMENTE FANTÁSTICO
    POR ISSO ESSE MEU PRIMO ESTA COM O BURRO
    NA SOBRA HA ANOS.
    DEUS DEU ESSE FANTASTICO DOM DE ENSINAR
    AS PESSOAS A FICAREM RICOS COMO ELE.

    UM ABRAÇO
    SUCESSO
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
No Downloads
Views
Total Views
9,430
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
9
Actions
Shares
0
Downloads
983
Comments
3
Likes
15
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Breve Currículo – Paulo Milreu Engenharia Elétrica/Eletrônica Administração – Ênfase Marketing Pós-graduação Comunicação Corporativa Em 1987 comecei a trabalhar com informática Em 1995 conheci a Internet Em 1998 comecei a trabalhar com Internet Fundei uma produtora de sites
  • 2. Agenda Módulo I Como planejar de forma eficaz ações de e-mail marketing Módulo II Criação e desenvolvimento de e-mail marketing Módulo III Gerenciamento de campanhas de e-mail marketing Módulo IV Mensuração de resultados das campanhas
  • 3. Antes de começarmos...
  • 4. 12 anos de Internet... Quem é o consumidor?
  • 5. 12 anos de Internet... Quem é o consumidor? Quem nasceu em 1995 tem 12 anos. Quem tinha 12 anos, tem agora 24 anos. Esse consumidor não conhece um mundo sem internet, sem e-mail, sem messenger. Será que ele toma suas decisões da mesma forma?
  • 6. Um novo consumidor Valoriza menos a propaganda. Ouve mais indicações de amigos, experts e até mesmo de marcas que ele considera relevantes. Seu impulso de compra é motivado pela tentativa de se sentir parte de uma comunidade. Para atingir esse consumidor são necessárias ações de cross-media.
  • 7. 10 Tendências de Consumo Jovem 1. Geração Seleção 2. Consumo Viral 3. Consumo da Expectativa 4. Comportamento Indie 5. Design Nation 6. O Consumidor É o Conteúdo 7. Psiconomadismo 8. Mente Global, Alma Local 9. A Revolução Natural 10. Consumo do Vazio
  • 8. Geração Seleção O jovem não quer perder mais tempo procurando as coisas que deseja consumir. Ele necessita de referências que pré- selecionem as melhores opções.
  • 9. Consumo Viral O jovem, inseguro diante das decisões de consumo, busca referências confiáveis entre amigos. O próprio jovem torna-se a maior mídia disseminadora dentro do seu universo.
  • 10. Consumo da Expectativa A expectativa da aquisição é mais intensamente vivida do que a própria posse do produto. A imagem do artigo é, muitas vezes, mais importante que o artigo em sim.
  • 11. Comportamento Indie O jovem desafia o sistema como forma de se opor à massa, mesmo que apenas no discurso. A contracultura ganha força como produto.
  • 12. Design Nation O design é cada vez mais um fator de decisão entre os jovens.
  • 13. O Consumidor É o Conteúdo A interação da internet revela uma nova forma de conteúdo, principalmente para as novas gerações: os próprios usuários. A tecnologia permite que a juventudade expresse a sua criatividade e mostre os seus desejos. Por meio das informações que disponibiliza sobre si na internet, o jovem passa a ser ele mesmo o conteúdo.
  • 14. Psiconomadismo A aceleração da sociedade provoca no jovem uma ânsia e uma tentativa de experimentar tudo, no menor tempo possível, sem se prender a crenças ou estilos.
  • 15. Mente Global, Alma Local O jovem apóia discursos que colocam o Brasil no centro, mas continua antenado e curioso com o que vem de fora. Conectado com o mundo, o jovem percebe os valores do nosso país.
  • 16. A Revolução Natural As novas gerações manifestam o desejo de buscar o bem-estar, o equilíbrio entre o corpo e a mente, entre o indivíduo e o meio-ambiente.
  • 17. Consumo do Vazio O jovem é bombardeado por informações caóticas, estímulos e identidades. Por conta disso, consome cada vez mais um espaço no universo físico-virtual para lidar com o excesso de informações.
  • 18. Rafinha TV1 Comunicação / São Paulo http://www.youtube.com/watch?v=JMR F_ZXms9E
  • 19. Os 10 Mitos do E-mail Marketing Fonte: Juliana Padron (www.w3p.com.br)
  • 20. 10 Mitos do E-mail Marketing 1. E-mail marketing é gratuito. 2. Fazer/enviar e-mail marketing é fácil. 3. E-mail marketing é spam. 4. Devo colocar um Assunto “misterioso” para despertar a curiosidade do usuário em ler minha mensagem. 5. O que importa é o número de destinatários: quanto mais, melhor. Fonte: Juliana Padron (www.w3p.com.br)
  • 21. 10 Mitos do E-mail Marketing 6. Não posso/preciso usar e-mail marketing porque sou uma empresa pequena. 7. Se eu mandar e-mail marketing sempre, os consumidores vão fixar minha marca. 8. Nenhum usuário gosta de receber e-mail marketing ou e-mail marketing é chato. 9. Meus produtos não tem um perfil de venda por e-mail. 10. E-mail marketing é ferramenta com maior custo-benefício. Fonte: Juliana Padron (www.w3p.com.br)
  • 22. A Internet no Brasil e no Mundo
  • 23. Internet Brasileira
  • 24. Internet Brasileira
  • 25. Internet Brasileira
  • 26. Internet Brasileira
  • 27. Internet Brasileira
  • 28. Internet Brasileira
  • 29. Internet Brasileira
  • 30. Internet Brasileira
  • 31. Internet Brasileira
  • 32. Internet Brasileira
  • 33. Internet Brasileira 1.193.293 851
  • 34. Internet Brasileira
  • 35. Internet Brasileira
  • 36. Internet Brasileira
  • 37. Internet Brasileira Em 25/10/2007
  • 38. Internet no Mundo
  • 39. Internet no Mundo
  • 40. Internet no Mundo
  • 41. Internet no Mundo
  • 42. Internet no Mundo
  • 43. Internet no Mundo
  • 44. Internet no Mundo
  • 45. Módulo I Como planejar de forma eficaz ações de e-mail marketing Objetivos Mostrar quais os passos fundamentais para um planejamento de ações de e-mail marketing que podem gerar resultados efetivos. Analisando continuamente e retornando resultados.
  • 46. Conceitos Básicos Marketing de permissão Economia da Atenção Opt-in e Opt-out Double Opt-in Peça Campanha
  • 47. Marketing de Permissão Estratégia de marketing digital que desenvolve e gerencia o relacionamento com “prospects” e clientes (ativos ou nativos). Uma forma de comunicação de 2 vias. Permite interatividade e suprimento de informações. O inverso do “Marketing de Invasão”.
  • 48. Seth Godin Escrito em 1999 quando Seth Godin era Vice-presidente de Marketing do Yahoo!. Foi lançado no Brasil em 2000. http://sethgodin.typepad.com/
  • 49. Economia da Atenção O excesso de informação da era digital nos força a desenvolver estratégias de concentração. Em bom português: Não dá para prestar atenção em tudo o que recebemos via web. Precisamos filtrar essas informações.
  • 50. Boas Maneiras do E-mail Marketing Criado pela ABEMD – Associação Brasileira de Marketing Direto. http://www.abemd.org.br/boasmaneiras.htm
  • 51. Opt-in e Opt-out Opt-in: A ação de concordar em receber e-mails de uma determinada fonte, cadastrando-se em uma lista de e-mail. Opt-out: A ação de “descadastramento” de uma determinada lista de e-mails.
  • 52. Opt-in O primeiro recebimento é muito importante, porque marca o início da relação. É preciso ter permissão para prosseguir o relacionamento, por meio do opt-in do receptor, tanto quando ele procura como quando é procurado. Quando é a pessoa quem procura a empresa, o campo onde é feita a opção pelo recebimento da mensagem deve estar visível e com descrição clara do produto ou serviço oferecido.
  • 53. Opt-in Quando é a empresa quem procura a pessoa, tratando-se do primeiro contato deve-se informar como foi possível chegar a ela, explicitar o produto ou serviço oferecido e apresentar de forma visível a alternativa opt-in. Se a pessoa não responder o e-mail com essa alternativa assinalada, deve-se entender que não deseja receber novas mensagens.
  • 54. Double Opt-in A dupla confirmação de alguém que se cadastrou para receber informações comerciais pela internet. Geralmente é feito automaticamente quando a pessoa se inscreve em uma lista de e-mail, enviando uma mensagem para a caixa postal dela e pedindo a confirmação da inscrição para que uma pessoa não se inscreva por uma outra. Só depois que o destinatário confirma a inscrição, devolvendo o e-mail para o remetente ou clicando num link de confirmação dentro da mensagem, é que o cadastramento é realizado.
  • 55. Opt-out Toda mensagem precisa ter opt-out. É prerrogativa do receptor decidir o momento em que não quer mais receber mensagens de determinado emissário.
  • 56. Peça de E-mail Marketing É composta pelos arquivos HTML e imagens (JPG ou GIF), estruturada de acordo com os padrões atuais da web. Compreende as premissas básicas para se ter sucesso nessa estratégia digital.
  • 57. Campanha É o conjunto de ações que serão desenvolvidas para atingir os objetivos mercadológicos. No caso do e-mail marketing, é o conjunto de ações (envios) e peças de e-mail marketing que serão desenvolvidas.
  • 58. Planejando uma Campanha Lembre-se do básico: A lista que receberá o e-mail deve ser opt-in. A permissão é o primeiro passo para se estabelecer o relacionamento com o cliente. Comece pelos itens: Relevância Personalização Periodicidade Visibilidade Testes e Mensuração Confiança
  • 59. Relevância O que a pessoa receberá deve ter valor para ele. Se você manda um e-mail sobre cuidados com cachorros para sua lista de proprietários de gato é provável que você não satisfaça as necessidades deles. Pense sempre no seguinte: Se você fosse o destinatário e recebesse este e-mail, abriria? Gostaria de receber?
  • 60. Personalização Trate o destinatário como único. Se você conhece o seu cliente, mostre para ele. Campanhas com o nome do destinatário no campo assunto tem altas taxas de abertura. Segmente sempre que possível. Divida a sua base em grupos com afinidades em comum. Com isto você cria uma relevância maior para cada público. Proprietários de cães e proprietários de gatos merecem peças diferentes, certo?
  • 61. Periodicidade Defina a periodicidade da sua campanha. Receber três e-mails todo dia da sua empresa pode não interessar ao destinatário. Escolha se será semanal, mensal, ou até eventual, mas defina um espaço de tempo para enviar o próximo. Procure enviar sempre na mesma data. Se escolheu na quinta-feira, envie sempre nas quintas. Possibilite previsibilidade para o seu destinatário.
  • 62. Relacionamento O mais importante. O objetivo da campanha deve ser criar um laço com o destinatário. Grave todo o contato que você estabeleceu com o cliente. Lembre-se que o seu destinatário não deve ser tratado apenas como um cliente e sim como quot;oquot; cliente.
  • 63. Visibilidade A visibilidade é em todos os sentidos. A dobradinha quot;Dequot; e quot;Assuntoquot;, é que faz a diferença na abertura ou não do e-mail. Forneça um endereço para quem não conseguir visualizar a peça. Deixe visível o link para “descadastro”. Use também um link de quot;envie a um amigoquot;. Lembre-se: nem todos conseguem ver imagens em anexo por isso, use sempre as imagens no seu servidor. Envie sempre uma peça alternativa ao HTML, em formato texto (ou coloque um link).
  • 64. Teste e Mensuração Essencial: Testar, testar e testar. Medir, medir e medir. Faça pequenos disparos com parte da sua base testando assuntos e peças diferentes. Registre todos os detalhes e lições aprendidas com a campanha. Guarde os números e compare os resultados com todas as outras campanhas.
  • 65. Confiança A confiança é a chave de todo relacionamento. Você fornece o seu e-mail para quem não confia? Você abre um e-mail de quem não confia? Respeite sempre o destinatário. Deixe claro sua política de privacidade. Informe que você não vai nem vender, nem passar a ninguém os dados do seu destinatário a ninguém em hipótese nenhuma.
  • 66. Qual o melhor horário? ... para enviar meu e-mail marketing? Analise sempre: Idade Profissão Assunto da campanha Tipo de interação Teste!
  • 67. Módulo II Criação e desenvolvimento de e-mail marketing Objetivos Como combinar criatividade, inovação e o formato adequado para o meio. Limitações, anti-spam e como se adequar para atingir seu público.
  • 68. Algumas Regras de Redação Não engane o prospect. Assuma sua identidade. Não force o prospect a responder. Deixe o prospect ir até você.
  • 69. Não engane o prospect Poucas coisas deixam uma pessoa mais enfurecida do que receber um e–mail com um nome falso. Quase sempre é um nome próprio com um convite ou um falso reply, do tipo Re: sobre aquele assunto que conversamos outro dia. Distraído, o usuário acha que deve ser algum conhecido com o qual trocou e–mails e quando vê abriu um spam. Se você ou sua empresa recorrerem a esse tipo de expediente, espere um retorno zero de clientes.
  • 70. Assuma sua identidade No campo DE, assuma seu nome ou de sua empresa. No campo ASSUNTO, uma frase que deixe claro o propósito do e-mail. Criatividade é fundamental para essa estratégia de 3 pontos: (1) não irritar (2) atrair a atenção e (3) cativar
  • 71. Não force o prospect a responder Uma das estratégias mais conhecidas de e– mails de divulgação é encerrá–lo com a clássica frase: se não desejar mais receber nossos e– mails, clique no seguinte link. A maioria dos sites que fazem isso desejam apenas confirmar o recebimento da mensagem, para continuar enviando e–mails não– autorizados ao coitado do indivíduo que acreditou que se livraria deles. Se você fizer isso, o retorno provavelmente não será nulo: você deverá receber alguns e–mails muito inflamados e mal–educados.
  • 72. Deixe o prospect ir até você Se depois de tudo isso o prospect não responder de forma nenhuma, nada de pânico. Você já pensou em criar uma newsletter periódica com seus mais recentes lançamentos e convidar o visitante de sua página a assiná– la? Ou quem sabe até mesmo criar uma comunidade virtual vinculada ao seu site? Isso pode trazer resultados mais interessantes do que redigir e-mails de permissão. E você ganha de quebra o respeito do prospect que agora virou um cliente.
  • 73. Você sabe o que é Spam?
  • 74. SPAM
  • 75. Criação e Programação de E-mail Marketing
  • 76. Arquitetura da Informação
  • 77. Wireframe
  • 78. Wireframe
  • 79. Layout
  • 80. Evitando o Spam Software Anti-spam Listas Anti-spam Open Relay SPF (Sender Policy Framework) Greylisting
  • 81. Regras Anti-spam dos Provedores
  • 82. Usuários querem mais controle contra spam Reuters - 28/03/2007 11:30 Bombardeados por spam, os usuários de e-mail querem mais ferramentas como botões de denúncia de fraudes que possam ajudar na eliminação de mensagens indesejadas que entopem caixas postais, afirma uma pesquisa divulgada nesta terça-feira. Segundo levantamento do grupo E-mail Sender and Provider Coalition, mais de 80 por cento dos usuários de e-mail nos Estados Unidos já usam esses recursos de denúncia de fraude e os links para deixarem de participar de listas de destinatários de e-mails como forma de melhor administrarem suas caixas de correio eletrônico. A pesquisa, que também foi conduzida pela empresa de pesquisa de marketing Ispos, ouviu 2.252 internautas que acessam e-mail por meio de sites como AOL, MSN/Hotmail, Yahoo! e Gmail. O levantamento descobriu que quase 80 por cento dos consultados usam os botões de denúncia de fraude ou de spam dos serviços de webmail quando eles não conhecem quem está mandando a mensagem, enquanto 20 por cento afirmam que usam o recurso como uma maneira rápida de eliminar endereços indesejados de suas listas de correio. Os usuários de webmail normalmente decidem clicar nos botões de quot;reportar como spamquot; ou quot;lixoquot; baseados apenas no endereço do remetente e na linha de assunto, sem abrir as mensagens, afirma a pesquisa. quot;Isso é um alerta para as pessoas que usam e-mail como ferramenta de marketingquot;, disse Trevor Hughes, diretor executivo do grupo. quot;Vocês estão sendo apagados antes mesmo de suas mensagens serem abertas.quot; Quase todos os usuários disseram que usariam um botão de quot;unsubscribequot; se ele fosse incorporado diretamente no programa de e-mail. A AOL foi um dos primeiros grandes provedores de Internet a incluir um botão de quot;reportar spamquot;. Agora, a companhia, cujo sistema de e-mail inteiro passar por esse sistema, bloqueia 1,5 bilhão a 2 bilhões de mensagens indesejadas por dia, ou 80 a 85 por cento de todos os e-mails que chegam a seus servidores.
  • 83. Módulo III Gerenciamento de campanhas de e- mail marketing Objetivos Processos de gerenciamento estratégico de campanhas de e-mail marketing e newsletter digital. Utilizando plataformas robustas de e-mail marketing.
  • 84. Ferramentas Outlook e outros programas de e-mail “Disparadores” Sistemas web via SENDMAIL, qMail e Postfix Sistemas web via SMTP Listas MAILMAN
  • 85. Módulo IV Mensuração de resultados das campanhas Objetivos Métricas e metodologias para mensurar de forma segura os resultados de campanhas de e-mail marketing e newsletter.
  • 86. Exemplos de Relatórios – Virtual Target
  • 87. Relatórios de E-mail Marketing Opt-out Performance Erros Aberturas Visitas Aparência
  • 88. Tipos de Erros
  • 89. Evolução de Aberturas
  • 90. E-mails Enviados X Aberturas
  • 91. Tempo de Abertura
  • 92. URLs Mais Visitadas
  • 93. Cobertura do E-mail Marketing
  • 94. Duração da Interação
  • 95. Resoluções de Tela
  • 96. Exemplos de Relatórios – Nitronews Motivos de Rejeição
  • 97. Exemplos de Relatórios – Nitronews Detalhes do Envio
  • 98. Exemplos de Relatórios – MediaPost
  • 99. Exemplos de Relatórios – MediaPost
  • 100. Exemplos de Relatórios – MediaPost
  • 101. Finalizando... ... mas não concluindo...
  • 102. Fontes de Pesquisa www.cetic.br http://www.cert.br http://registro.br http://email.uol.com.br/postmaster http://www.internetworldstats.com www.webinsider.com.br http://www.abemd.org.br http://www.imasters.com.br/artigo/2792
  • 103. Fontes de Pesquisa http://webinsider.uol.com.br/index.php/20 04/07/05/marketing-de-permissao http://www.imasters.com.br/artigo/7237/e mail_marketing/10_mitos_do_e- mail_marketing www.ebitempresa.com.br http://super.abril.com.br/ytrends http://www.youtube.com
  • 104. Fontes de Pesquisa http://www.google.com.br http://info.abril.com.br Juliana Padron (www.w3p.com.br)
  • 105. Sistemas E-mail Marketing www.virtualtarget.com.br www.zartana.com www.mediapost.com.br www.activemail.com.br www.webmailer.com.br www.fracto.com.br www.alacarta.com.br www.mailsender.com.br
  • 106. Mais dúvidas? paulo@milreu.com.br www.paulomilreu.com.br

×