ePortefólios e novas práticas

3,550 views
3,445 views

Published on

Os ePortefólios de aprendizagem e a mudança de prática profissional do professor

Published in: Education

ePortefólios e novas práticas

  1. 1. Os ePortfolios de aprendizagem e a mudança de prática profissional do professor e Portfolio s e novas prátic@s [email_address] [email_address] [email_address] [email_address]
  2. 2. o que é um eP de apr. princípios orientadores mudança de práticas repercussões sumário
  3. 3. o que é um eP de apr. 1º Encontro sobre e-Portefólio Auditório B1, Complexo Pedagógico II, Campus de Gualtar, Braga, O e-Portefólio, na Europa, surge como um instrumento de facilitação da mobilidade, da transparência e do reconhecimento das aprendizagens formais e informais realizadas ao longo da vida. Em 2003, o consórcio europeu EifEL (European Institute for E-Learning, http://www.europortfolio.org ) lançou a campanha "ePortfolio para todos", cujo principal objectivo é o de que, em 2010, todo o cidadão europeu tenha acesso a um e-Portefólio.  
  4. 4. <ul><li>Espaço integrador de todas as aprendizagens, fusão do espaço onde se aprende, descobre, pensa, reflecte, executa, experimenta, testa, pratica, onde se faz, onde se interage. </li></ul><ul><li>“ um instrumento de avaliação de carácter reflexivo, contínuo no tempo, pessoal e personalizável, valorizador da autonomia e do sentido de responsabilidade” </li></ul><ul><li>Gomes, Mª João, “ Portefólios digitais: revisitando os princípios e renovando as práticas”, VII Colóquio sobre Questões Curriculares realizado na Universidade do Minho em Fevereiro de 2006 </li></ul>o que é um eP de apr.
  5. 5. o que é um eP de apr. E-portefólio é mais do que uma nova expressão do portefólio de formato tradicional para o formato digital “ usa tecnologias electrónicas como base, permitindo que estudantes e professores recolham e organizem materiais de diversos tipos de suporte (áudio, vídeo, gráficos, texto); e usando links de hipertexto para organizar o material, relacionando evidências para atingir resultados, objectivos ou critérios ” (Barrett, 2005, p. 5) (s. 8) E-Portefólios Centro de Competência em TIC da Escola Superior de Educação de Santarém • Arquivar • Relacionar/ Pensar • Contar uma história • Colaborar • Publicar • … • Recolher • Seleccionar • Reflectir • Projectar • … Mais-valias proporcionadas pelas e-tecnologias: O processo de realização de um Portefólio tradicional inclui:
  6. 6. “ O que é que transforma um conjunto de artefactos num portefólio? Eixos orientadores Reflexividade (para conhecer, actuar, mudar, melhorar, decidir, resolver); Implicação pessoal (envolvimento, empenhamento, sentimento de posse em relação ao trabalho); Continuidade (trabalho flexível e dinâmico, construído e reconstruído ao longo do tempo; Partilha (pares, consultores, colegas, outros)”. http://blogfolios.blogspot.com/2005/08/mais-uma-proposta.html João Maria Grilo, em blogfolios Um blogue sobre portefólios na educação e sobre educação - essa tarefa impossível! - com ou sem portefólios... princípios orientadores
  7. 7. <ul><li>O ePortfolio potencia a aprendizagem… </li></ul><ul><li>desenvolve-se gradualmente no decorrer da disciplina sem se centrar em momentos específicos e públicos determinados. </li></ul><ul><li>documenta e demonstra as áreas de interesse do autor, salientando-as. </li></ul><ul><li>motiva actividades de pesquisa e de reflexão pessoal ou seja de metacognição. </li></ul><ul><li>encara a aprendizagem não só como um “produto”, mas fundamentalmente como um “processo”. </li></ul><ul><li>é e deve ser desenvolvido colaborativamente, fazendo-se constantemente apelo ao confronto com os outros e à partilha. </li></ul><ul><li>objectivos e conteúdos da disciplina articulam-se com competências, desempenhos do aprendente. </li></ul><ul><li>Gomes, Mª João, “ Portefólios digitais: revisitando os princípios e renovando as práticas”, VII Colóquio sobre Questões Curriculares realizado na Universidade do Minho em Fevereiro de 2006 </li></ul>princípios orientadores
  8. 8. princípios orientadores Aprendizagem assume significados possui características traduz-se em acções <ul><li>Arquitectar </li></ul><ul><li>Apresentar </li></ul><ul><li>Avaliar </li></ul><ul><li>Experimentar </li></ul><ul><li>Explorar </li></ul><ul><li>Expor </li></ul><ul><li>… … </li></ul><ul><li>Situada </li></ul><ul><li>Significativa </li></ul><ul><ul><li>Pesquisada </li></ul></ul><ul><ul><li>Planeada </li></ul></ul><ul><ul><li>Partilhada </li></ul></ul><ul><ul><li>Proficiente </li></ul></ul><ul><ul><li>Plural </li></ul></ul><ul><li>Reflexiva </li></ul><ul><li>Referenciada </li></ul><ul><li>Reconstruída </li></ul><ul><li>… … </li></ul><ul><ul><li>Processo </li></ul></ul><ul><ul><li>Produto </li></ul></ul><ul><ul><li>Progresso </li></ul></ul><ul><li>Consciência </li></ul><ul><li>Construção </li></ul><ul><li>Competência </li></ul><ul><li>Contexto </li></ul><ul><li>Confronto </li></ul><ul><li>… … </li></ul>
  9. 9. <ul><li>“ Os portfolios podem influenciar positivamente as formas como </li></ul><ul><li>se ensina, se aprende e se avalia. Podem dar origem a uma outra ideia de sala de aula: um local em que as aprendizagens se vão construindo em conjunto e individualmente ao ritmo de cada um, em que se reflecte e pensa, em que se valorizam as experiências, intuições e saberes de cada aluno, em que se acredita que as dificuldades podem ser superadas e em que, essencialmente, se aprende. Com mais ou menos esforço, mas sempre com gosto. </li></ul><ul><li>Muitos professores têm debatido a utilização de portfolios nas suas aulas. Um deles comentou: «Mas será que poderemos trabalhar doutra maneira?»” </li></ul><ul><li>Portfolios:para uma avaliação </li></ul><ul><li>mais autêntica,mais participada e mais reflexiva </li></ul><ul><li>In: .Pensar avaliação, melhorar a aprendizagem./IIE Lisboa: IIE, 1994 </li></ul><ul><li>http:// cedes.ipsantarem.pt / lms / file.php /402/Entre1e2/ Portfolios-Para-uma.pdf </li></ul>mudança de práticas
  10. 10. mudança de práticas Discutindo sobre portfólios nos processos de formação Entrevista com Idália Sá-Chaves Olhar de professor, 7(2): 09-17, 2004 http://cedes.ipsantarem.pt/lms/file.php/402/Entre1e2/entrevista.pdf O portfolio constitui uma narrativa de cariz reflexivo, que dá voz à pessoa do aprendente, na medida da sua auto-implicação no processo e na complexa e múltipla interacção, que a relação entre aprender e ensinar pressupõem. De um modo sempre inacabado e intencional o aprendente vai dando conta não apenas dos conteúdos que medeiam essa interacção, como também dos significados e dos sentidos que ele mesmo atribui à informação com a qual interage.
  11. 11. <ul><li>o formador toma conhecimento da evolução do aluno e dá, em tempo útil, informação apropriada, que reencaminha os processos de desenvolvimento de cada aluno. </li></ul><ul><li>Este diálogo (co-operado) em que, são tornadas evidentes as zonas de não saber permite aos intervenientes (formador e formando) (re)desenhar e agilizar procedimentos que, caso a caso, possam colmatar as lacunas, corrigir erros, clarificar ambiguidades e reorientar percursos. </li></ul>mudança de práticas Discutindo sobre portfólios nos processos de formação Entrevista com Idália Sá-Chaves Olhar de professor, 7(2): 09-17, 2004 http://cedes.ipsantarem.pt/lms/file.php/402/Entre1e2/entrevista.pdf
  12. 12. mudança de práticas <ul><li>No final do período de formação previsto observa-se, numa lógica de continuidade do processo de aprendizagem, a evidenciação </li></ul><ul><ul><li>de um saber reconfigurado, de uma perspectiva corrigida, aprofundada ou ampliada </li></ul></ul><ul><ul><li>de um processo de desenvolvimento gradual, progressivo, intencional e suportado, quer do ponto de vista científico, quer na gestão da relação pessoal e afectiva. </li></ul></ul><ul><li>Este processo de supervisão e de regulação reflexivas pressupõe que os conteúdos científicos, através dos quais o desenvolvimento de competências se instaura, sejam actualizados, pertinentes e oportunos face aos novos desafios </li></ul>Discutindo sobre portfólios nos processos de formação Entrevista com Idália Sá-Chaves Olhar de professor, 7(2): 09-17, 2004 http://cedes.ipsantarem.pt/lms/file.php/402/Entre1e2/entrevista.pdf
  13. 13. exemplos
  14. 14. <ul><li>O ePortfolio tende a reforçar a aprendizagem centrada na cooperação crítica, na personalização de trajectos e na virtualização da relação com o conhecimento, segundo um “paradigma de navegação” </li></ul><ul><li>Machado, Eusébio André* “O uso de e-Portefólios na formação profissional – um contributo reflexivo” http://www.revista-til.net/afi/artigos.php </li></ul><ul><li>*Escola Secundária de Tomaz Pelayo </li></ul>repercussões
  15. 15. <ul><li>http://blogfolios.blogspot.com/2005/08/mais-uma-proposta.html </li></ul><ul><li>João Maria Grilo, em blogfolios Um blogue sobre portefólios na educação e sobre educação - essa tarefa impossível! - com ou sem portefólios... </li></ul>“ Um portfolio leva uma pessoa dentro” “ Numa entrevista recente, José Saramago diz que todos os livros deviam levar uma cinta com estas palavras: “atenção, este livro leva uma pessoa dentro”. Este aviso, pelo que implica de entrega e exposição do autor e pelo apelo que faz à cumplicidade do leitor, poderia ser facilmente transposto para o portefólio reflexivo. E então diríamos: “atenção, este portefólio leva um profissional/professor/aluno dentro”. E que o aviso fosse entendido como um convite à descoberta”. repercussões
  16. 16. <ul><li>[email_address] </li></ul><ul><li>[email_address] [email_address] [email_address] </li></ul>e Portfolio s e novas prátic@s

×