áReas metropolitanas de lisboa e do porto
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

áReas metropolitanas de lisboa e do porto

on

  • 1,737 views

Trabalho sobre a formaçao das áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto

Trabalho sobre a formaçao das áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto

Statistics

Views

Total Views
1,737
Views on SlideShare
1,737
Embed Views
0

Actions

Likes
2
Downloads
41
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

áReas metropolitanas de lisboa e do porto Presentation Transcript

  • 1. Áreas Metropolitanas de Lisboa e do Porto Miguel Silva nº25 11º7
  • 2. A formação das áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto• O crescimento demográfico e funcional provocou o consequente crescimento das cidades, em geral, e de Lisboa e do Porto, em particular.• Devido à elevada pressão demográfica e funcional existente no interior da cidade surgiu um movimento divergente. Neste movimento é característico que as periferias sejam alvo de uma crescente procura, tanto para construção de habitações como para a implantação de indústrias e serviços.• Deste modo, vão surgindo áreas que constituem importantes bacias de emprego e outras áreas onde, pelo contrário, a função residencial é predominante.
  • 3. A formação das áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto• Expansão de Aldeias e Vilas.• Elevações a cidade.• Amadora, Almada, Montijo e Odivelas (periferia de Lisboa).• Vila Nova de Gaia, Maia, Matosinhos e Ermesinde (periferia do Porto).• Assim foram formadas as áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto, de modo a reconhecer e a promover ainda mais a existência de uma relação de interdependência e interacção entre as várias cidades de cada área.
  • 4. Área Metropolitana de Lisboa• 18 municípios da Grande Lisboa e da Península de Setúbal.• 2 819 433 habitantes (2008)• 25% da população portuguesa• 3.3% do território nacional (3.213 km2• 30% das empresas nacionais• 33% do emprego• 36% do PIB nacional
  • 5. AML• Os municípios que compõem a Área Metropolitana de Lisboa são 18:• Alcochete• Almada• Amadora• Barreiro• Cascais• Lisboa• Loures• Mafra• Moita• Montijo• Odivelas• Oeiras• Palmela• Seixal• Sesimbra• Setúbal• Sintra• Vila Franca de Xira
  • 6. Área metropolitana do Porto• 16 concelhos• Em 2009 totalizava 1 684 901 habitantes• 2.089 km² de área.• densidade populacional próxima de 1546 hab/km² (2001).
  • 7. AMP• É constituída pelos seguintes municípios:• Arouca• Espinho• Gondomar• Maia• Matosinhos• Oliveira de Azeméis• Porto• Póvoa de Varzim• Santa Maria da Feira• Santo Tirso• São João da Madeira• Trofa• Vale de Cambra• Valongo• Vila do Conde• Vila Nova de Gaia
  • 8. PopulaçãoAMP-povoamento disperso-algumas aglomerações urbano-industriais.AML-povoamento mais concentrado-contínuos urbanos (a maioria dascidades da AML constitui umcontínuo urbano centrado emLisboa).-Área urbana central mais vincada-Influência constante com maiordistância.
  • 9. Decréscimo da População
  • 10. Movimentos da população
  • 11. Envelhecimento da População• Uma característica bastante relevante da população das áreas metropolitanas é a sua juventude (como podemos observar no mapa ao lado) e a sua maior instrução/ qualificação, em relação ao resto do país. Isto torna, como é evidente, essas áreas mais competitivas em domínios como por exemplo a tecnologia, a economia ou a inovação cultural.
  • 12. Deslocalização da População• A deslocação dessa camada da população, referida anteriormente, para as áreas suburbanas, tem várias razões de ser. Eis algumas das insatisfações das pessoas, na AMP, na AML e no resto do país, em relação às grandes cidades.• Estas podem ser algumas das razões que as levam a abandonar os grandes centros urbanos para passar a morar nas áreas periféricas das cidades.
  • 13. Actividades Económicas• As actividades económicas constituem um excelente indicador do pulsar das cidades. O perfil de especialização, os padrões de localização das empresas e o posicionamento nos mercados internacionais reflectem as oportunidades que as aglomerações urbanas criam às pessoas.
  • 14. Actividades Económicas na AMLDeste ponto de vista, a área metropolitana de Lisboa tem uma série devantagens únicas ao nível nacional:- capital do país,- principal acumulação geográfica de recursos estratégicos para odesenvolvimento,- atracção de pessoas e actividades qualificadas de outros países,- presença relevante em redes supranacionais de cooperação eintercâmbio.De facto, a área metropolitana de Lisboa representa um pólo deactividade económica e de consumo de valiainternacional, desempenhando um papel fundamental deintermediação entre o nosso país e o mundo. É considerada a maiorconcentração empresarial do país.
  • 15. Actividades Económicas na AMLDimensão empresarial evidenteem termos de produção:• produtividade por trabalhador quase 30% superior à média do país.Inclusão de cerca de 2.5 milhõesde habitantes:• PIB per capita 45% mais alto do que a média
  • 16. AMP• Na Área Metropolitana do Porto, existem empresas com um nível organizativo e um nível de competitividade de médias empresas europeias. Algumas destas dispõem até, actualmente, de estruturas próprias de I&D.• A AMP conta ainda com algumas estruturas universitárias de prestígio internacional na área da Investigação, como por exemplo o IBMC e o IPATIMUP.
  • 17. AMP no Contexto InternacionalAs empresas mais em voga ao nível de valorização e de importância internacional são:• EFACEC• Salvador Caetano• SiemensOutras áreas: - “Clusters” de valorização internacional: as ciências e a economia marítima (através do laboratório CIMAR e da indústria náutica). - Universidades, como a do Minho e a de Aveiro, podem encontrar-se talentosos grupos de investigadores, constituindo suportes importantes na AMP. - Áreas industriais mais tradicionais, como o Calçado, os Têxteis/Vestuário e o Mobiliário
  • 18. AML vs. AMP vs. Resto do País
  • 19. Indústria nas Áreas MetropolitanasVantagens:• Complementaridade entre diferentes ramos industriais;• Existência de infrestruturas e serviços diversos;• Disponibilidade de mão-de- obra, quer pouco qualificada, quer especializada;• Acessibilidade aos mercado nacionais e internacionais.Desvantagens:• Crescente Terciarização das áreas metropolitanas e consequente perda de importância da industria.