MÚSICA TRADICIONAL ALENTEJANA7º c DIOGO CARVALHO     MIGUEL PIMENTA
MÚSICA TRADICIONAL         ALENTEJANAHá algumas diferenças entre as tradições do Alto Alentejo e do                       ...
MÚSICA TRADICIONAL   ALENTEJANA
MÚSICA TRADICIONAL   ALENTEJANA
MÚSICA TRADICIONAL   ALENTEJANA
MÚSICA TRADICIONAL         ALENTEJANAEsta dança apresenta-se-nos em várias formas:Saias Velhas – mais antigas dançadas em ...
MÚSICA TRADICIONAL          ALENTEJANADurante a sua caminhada para Elvas, normalmente emcarros, churriões ou charretes – p...
MÚSICA TRADICIONAL          ALENTEJANAAs saias eram dançadas ao som do canto dohomem e da mulher: São por norma cantadas p...
MÚSICA TRADICIONAL         ALENTEJANANa região do Redondo, e por causa da existência da Serra d’Ossa as saias desaparecem ...
    OUVIMOS:    SAIAS DO ZÉ MANELRANCHO FOLCLÓRICO DE CASTELO DE VIDE
MÚSICA TRADICIONAL       ALENTEJANA    O « Cante Alentejano » é uma polifonia vocal simples.Estudiosos da matéria apontam...
MÚSICA TRADICIONAL            ALENTEJANAA tradição vocal polifónica no Baixo Alentejo, designada por« Cante », é constituí...
MÚSICA TRADICIONAL    ALENTEJANANo Baixo Alentejo quase sempre se desprezam osinstrumentos a favor da voz, trabalhada em c...
MÚSICA TRADICIONAL          ALENTEJANA                               Outrora entoado nos campos                           ...
MÚSICA TRADICIONAL   ALENTEJANAAdufe ou PandeiroCastanholasTamborilChincalhoViola CampaniçaFlauta de TamborileiroSarroncaC...
MÚSICA TRADICIONAL     ALENTEJANA   Instrumentos musicais mais utilizados no Alentejo:     Tamboril e Flauta – na região ...
MÚSICA TRADICIONAL   ALENTEJANA
MÚSICA TRADICIONAL   ALENTEJANA
MÚSICA TRADICIONAL   ALENTEJANA
MÚSICA TRADICIONAL   ALENTEJANA
MÚSICA TRADICIONAL   ALENTEJANA
MÚSICA TRADICIONAL       ALENTEJANA  Viola Campaniça -cordofone - tipo de viola popular com          cinco ordens de corda...
MÚSICA TRADICIONAL   ALENTEJANA
MÚSICA TRADICIONAL     ALENTEJANA               Sarronca   - Membranofone de fricção.             A SARRONCA é conhecida p...
MÚSICA TRADICIONAL      ALENTEJANA       A Sarronca é um instrumento muito antigo.Considerada um instrumento de carácter c...
MÚSICA TRADICIONAL   ALENTEJANA
MÚSICA TRADICIONAL   ALENTEJANA
MÚSICA TRADICIONAL   ALENTEJANA
 OUVIMOS: O ALENTEJO DÁ PÃO GRUPO CORAL E ETNOGRÁFICO« OS TRABALHADORES DE FERREIRA DO ALENTEJO»
Trajo Alentejano – com algumas diferenças em função das    localidades, actividades profissionais, económicas, sociais e  ...
O trajo usado nas diversas fainas do campo quer pelo homem quer pelamulher eram muito semelhantes, diferenciando-se sobret...
MulherOs trajos de trabalho eram constituídospor:ChapéuLençoSaia de riscado da qual fazia calças aquando doinicio do traba...
Ceifeira   Ao sol e ao calor, a ceifeira do Alentejo era sempre           caracterizada pela maneira de vestir, modesta, e...
Ceifeira           Mulher que estava preparada para           trabalhar, como em todos os serviços era           preciso d...
Mondadeira                Tal como as outras mulheres que             trabalham no campo ela veste tecidos             sim...
ArtesãTraje da mulher do campo, que durante a semanase dedicava aos trabalhos agrícolas, nos Domingos depoisde vir da miss...
Traje de Festa/ DomingueiroTraje domingueiro da mulhercamponesa, quando em dias festivos iam àmissa ou a outras festas.Os ...
Mulher da Serra DOssa      Embora pertencendo ao Concelho de Redondo                         este traje era usado pelas (m...
Traje de Senhora Rica   Traje usado pelas senhoras ricas, quando em dias                        festivos iam à missa ou a ...
HOMEMHá algumas diferenças nos trajes em função das suas profissões.Trajos e utensílios usados por estes homens :   Alforg...
Pastor         Tinha a seu cargo um rebanho de         ovelhas e borregos. Usava camisa de         riscado, lenço ao pesco...
Pastor   Usava ainda :         Calça e colete de cotim – no Inverno seriam de         saragoça ou serrobeco , antes estame...
Ganadeiro (de bois)                   Figura muito conhecida nos meios agrícolas                  ele era o ganadeiro de b...
Tirador de Cortiça                     Homem que se dedicava a tirar a cortiça e                     que usava camisa de r...
Semeador           Era chamado o ganhão de ano, pois era           contratado ao ano, ao contrário dos outros           ga...
Lavrador           Lavrador Alentejano – homem abastado e proprietário           Calça, colete e jaqueta de lã . A jaqueta...
Traje de Homem domingueiro/ traje de festa                    Apresentava –se em dias de festa no adro da                 ...
MÚSICA TRADICIONAL     ALENTEJANAPara além dos grupos corais alentejanos também se podem                       encontrar: ...
 Rancho Folclórico e Etnográfico de Belver Rancho Folclórico da casa do Povo de Ponte de Sor Rancho Folclórico de Monta...
MÚSICA TRADICIONAL   ALENTEJANA        ADIAFA      MAIO MOÇO       VITORINO     JANITA SALOMÉ  BRIGADA VITOR JARAGRUPO« TE...
No Alentejo, sempre se cultivaram muitos cereais e por isso opão é um elemento fundamental na alimentaçãoA comida regional...
O pão ( normalmente de trigo ) é um ingredientefundamental na maioria dos pratos desta região :sopa de cação, sopa da pane...
Muitos pratos típicos são feitos com borrego e carnede porco, principalmente porco preto: Ensopado deborrego, Borrego assa...
Doces típicos: Encharcada, sericá com asameixas de Elvas, bolo de rala , nógados, …AZEITE e azeitonas são tambémprodutos...
AerofonesCategoria de instrumentos musicais cujo som é produzido pela vibraçao do ar  no (ou pelo) instrumento.Cordofones ...
Alamares – cordão metálico que enfejita uma peça de vestuário.Alforge – saco formado mpor dois compartimentos que se traz ...
Gãnhão- moço delavoura.Gorgorina-tecido que imita o gorgurão ( tecido grosso de seda, algodão ou lã).Gravato- vara comprid...
 OUVIMOS: AS MENINAS DA RIBEIRA DO SADO ADIAFA
Musica tradicional alentejana
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Musica tradicional alentejana

1,796

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
1,796
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
14
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Musica tradicional alentejana

  1. 1. MÚSICA TRADICIONAL ALENTEJANA7º c DIOGO CARVALHO MIGUEL PIMENTA
  2. 2. MÚSICA TRADICIONAL ALENTEJANAHá algumas diferenças entre as tradições do Alto Alentejo e do Baixo Alentejo Elvas
  3. 3. MÚSICA TRADICIONAL ALENTEJANA
  4. 4. MÚSICA TRADICIONAL ALENTEJANA
  5. 5. MÚSICA TRADICIONAL ALENTEJANA
  6. 6. MÚSICA TRADICIONAL ALENTEJANAEsta dança apresenta-se-nos em várias formas:Saias Velhas – mais antigas dançadas em forma de valsa-mazurca.Saias Novas – dançadas nos dias de hoje em forma de valsacampestre.Ainda que comestas pequenas diferenças, as saias velhas ou novas têmmais a ver com o seu aparecimento, isto é, saias novas eramaquelas que apareciam normalmente em finais deSetembro, pelo São Mateus em Elvas, a grande Romaria doAlto Alentejo para onde convergiam muitos romeiros e ondepermaneciam durante oito a dez dias.
  7. 7. MÚSICA TRADICIONAL ALENTEJANADurante a sua caminhada para Elvas, normalmente emcarros, churriões ou charretes – puxados a mulas ou cavalos– pernoitavam em várias localidades onde, sobretudo aoserão e em volta de fogueiras dançavam modas que iamaparecendo ao longo do ano.As saias velhas davam lugar às saias novas, muitas vezescom formas de dançar semelhante.Saias Aiadas – são aquelas em que o cantador grita um “ai”no estribilho, indicando desta forma a volta.
  8. 8. MÚSICA TRADICIONAL ALENTEJANAAs saias eram dançadas ao som do canto dohomem e da mulher: São por norma cantadas por homem emulher, podendo também ser cantadas por duas mulheres quandohá um homem por “meio” ou até por dois homens quando haja uma mulher em disputa. Como forma de interpretação temos: Cantar os 4 versos seguidos, repetindo o terceiro e o quarto e a seguir o primeiro e o segundo Cantar o primeiro e o segundo e repetir e depois cantar o terceiro e o quarto e repetir. Raras vezes acontecia cantar-se a quadra seguida passando imediatamente à quadra seguinte.
  9. 9. MÚSICA TRADICIONAL ALENTEJANANa região do Redondo, e por causa da existência da Serra d’Ossa as saias desaparecem quase por completo. Começa aqui a sentir-se o Cante Alentejo .
  10. 10.  OUVIMOS: SAIAS DO ZÉ MANELRANCHO FOLCLÓRICO DE CASTELO DE VIDE
  11. 11. MÚSICA TRADICIONAL ALENTEJANA  O « Cante Alentejano » é uma polifonia vocal simples.Estudiosos da matéria apontam a génese do cante para aprática dos coros gregorianaos, outros acreditam que estejaligada à herança sociocultural dos árabes no nosso país.Outros ainda acham que teve origem na expressão eexteriorização dos valores mais profundos da alma do povoalentejano, e não seria mais que um grito que aliviava , umsuspiro que tornava menos amarga a dureza da vida.
  12. 12. MÚSICA TRADICIONAL ALENTEJANAA tradição vocal polifónica no Baixo Alentejo, designada por« Cante », é constituída por um repertório de modas, versosritmados , cantados a duas vozes paralelas à terceirasuperior, habitualmente por homens, e por norma semacompanhamento musical.Os cantadores, geralmente homens do campo, cantam em grupo,divididas as vozes em três naipes: o Ponto, o Alto e as SegundasVozes.A função do ponto é iniciar a «moda», retomada depois pelo Alto,e em seguida pelas segundas vozes, constituindo assim o coro.
  13. 13. MÚSICA TRADICIONAL ALENTEJANANo Baixo Alentejo quase sempre se desprezam osinstrumentos a favor da voz, trabalhada em corais polifónicos. Em toda a região e de norte a sul, os cordofones raramente estão presentes.
  14. 14. MÚSICA TRADICIONAL ALENTEJANA Outrora entoado nos campos durante os trabalhos agrícolas, por mulheres e por homens este tipo de canto foi-se tornando maioritariamente masculino àmedida que o trabalho progressivamente se foi mecanizando, e passou a cantar-se nas tabernas , onde como se sabe as mulheres só raramente tinham entrada. Por isso se diz que o « CANTE ALENTEJANO» só é cantado por homens, mas actualmente já muitas mulheres também cantam .Cantam quase sempre as histórias vividas nos ambientes do trabalho , ena sua forte ligação à terra; aos amores e desamores, às saudades, e àmãe e à terra natal, e mesmo ao ALENTEJO.Também há temas para festas populares e litúrgicas.
  15. 15. MÚSICA TRADICIONAL ALENTEJANAAdufe ou PandeiroCastanholasTamborilChincalhoViola CampaniçaFlauta de TamborileiroSarroncaChocalhoPandeireta
  16. 16. MÚSICA TRADICIONAL ALENTEJANA Instrumentos musicais mais utilizados no Alentejo: Tamboril e Flauta – na região do GuadianaPandeiro quadrangular e pandeireta – mais a norte da região Viola Campaniça – mais a sul da região
  17. 17. MÚSICA TRADICIONAL ALENTEJANA
  18. 18. MÚSICA TRADICIONAL ALENTEJANA
  19. 19. MÚSICA TRADICIONAL ALENTEJANA
  20. 20. MÚSICA TRADICIONAL ALENTEJANA
  21. 21. MÚSICA TRADICIONAL ALENTEJANA
  22. 22. MÚSICA TRADICIONAL ALENTEJANA Viola Campaniça -cordofone - tipo de viola popular com cinco ordens de cordas duplas de arame.Outrora, acompanhava muito «balhos» ( bailes ), «despiques » e o cante alentejano, isto é os corais polifónicos do Baixo Alentejo.É tocada nas regiões de : Beja, Castro Verde, Odemira, Ourique e Almodôvar. É a maior das violas portuguesas.
  23. 23. MÚSICA TRADICIONAL ALENTEJANA
  24. 24. MÚSICA TRADICIONAL ALENTEJANA Sarronca - Membranofone de fricção. A SARRONCA é conhecida por muitos nomes dependendo da zona onde é fabricada. RONCADEIRA, ZORRA, ZAMBOMBA, ZAMBURRA, ZURRA-BURROS ou simplesmente RONCA nome porque é conhecida na zona de Elvas. É um instrumento tocado para o acompanhamento de canções de Natal ou das Janeiras.Conhecida pelo nome de ronca, a sarronca, instrumentoprimitivo , tradicional e rudimentar , é constituída por umcântaro de barro que funciona como caixa deressonância, uma pele que tapa a boca do vaso e um pau finoque trespassa a pele e ao traccioná-la produz um som grave efundo, tipo ronco.
  25. 25. MÚSICA TRADICIONAL ALENTEJANA A Sarronca é um instrumento muito antigo.Considerada um instrumento de carácter cerimonialpróprio do ciclo do Inverno é utilizado sobretudo na épocanatalícia no interior dos templos em músicas rústicas epastoris , acompanha os cantares ao Menino Jesus emterras como Elvas, Vila Boim ,Santa Eulália, Vila Fernandoe Campo Maior . Toca-se em casa nas regiões como VilaViçosa, Castelo de Vide e Jerumenha.
  26. 26. MÚSICA TRADICIONAL ALENTEJANA
  27. 27. MÚSICA TRADICIONAL ALENTEJANA
  28. 28. MÚSICA TRADICIONAL ALENTEJANA
  29. 29.  OUVIMOS: O ALENTEJO DÁ PÃO GRUPO CORAL E ETNOGRÁFICO« OS TRABALHADORES DE FERREIRA DO ALENTEJO»
  30. 30. Trajo Alentejano – com algumas diferenças em função das localidades, actividades profissionais, económicas, sociais e religiosas da população.Actualmente os trajes típicos só são utilizados em ocasiões especiais.
  31. 31. O trajo usado nas diversas fainas do campo quer pelo homem quer pelamulher eram muito semelhantes, diferenciando-se sobretudo pelos utensílios necessários ao desempenho dessas mesmas tarefas.
  32. 32. MulherOs trajos de trabalho eram constituídospor:ChapéuLençoSaia de riscado da qual fazia calças aquando doinicio do trabalhoBlusa de chita ou gorgorinaAvental de chitaMeias de linha que variam de cor de terra para Trajos de mulher - domingueiros outerra de festa:Sapatos de atanado Blusa de algodão, gorgorinaXaile escuro SaiaTaleigo Meias de linha trabalhadasTarro Sapatos finosPanela de barro, quando faziam a comida Caixiné Lenço de seda Xaile com barra de seda
  33. 33. Ceifeira Ao sol e ao calor, a ceifeira do Alentejo era sempre caracterizada pela maneira de vestir, modesta, ela ia para o trabalho com uma blusa de chita, saia e avental de riscado, meias de linha grossa normalmente de cor castanha, roxa ou até vermelha feitas com cinco agulhas, sapatos grosseiros, mangueiras e o cântaro. A chamada saia das calças era atada nos joelhos com alfinetes de dama ou com duas tiras de fazenda que se chamavam «ourelos» ou «orelos» .
  34. 34. Ceifeira Mulher que estava preparada para trabalhar, como em todos os serviços era preciso dar água aos companheiros, neste caso era também aguadeira, levava o cântaro, o cocho, a foice ao ombro e muito importante os canudos para proteger os dedos. Usava lenço com riscas pretas e brancas na cabeça e chapéu preto desabado chamado «aguadeiro» no Inverno e chapéu de palha no Verão.
  35. 35. Mondadeira Tal como as outras mulheres que trabalham no campo ela veste tecidos simples e modestos, blusa de chita, saia e avental de riscado, chapéu preto e lenço na cabeça, meias de linha grossa, ela vai a caminho do trabalho por isso leva o xaile debaixo do braço a alcofa com a merenda, o avental ainda vai descaído e a saia não está atada em jeito de calça. Mondadeiras – Usam Sacho, manguitos e/ou punhos feitos de cotim.
  36. 36. ArtesãTraje da mulher do campo, que durante a semanase dedicava aos trabalhos agrícolas, nos Domingos depoisde vir da missa e fazer os trabalhos domésticos,dedicava-se a fazer as meias para os vários membrosda família. As meias eram feitas de linha grossa com cinco agulhas e cores variadas. No cesto quetem no chão pode ver-se uma pequena amostra de meias bordadasusadas, pela mulher da Serra D’Ossa, únicas no Alentejo: onde as cores são o amarelo evermelho.Esta camponesa usava nos Domingos, chinelas de atanado grosseiro, meias de linhalisa, um avental de riscado simples sem rendas, e saia de fazenda sem ser fina, a blusaera de tecido de chita gorgorina sem efeitos de renda, “tratava-se de um mulher pobre”.Na cabeça usava lenço ou cachiné sem ser o de trabalho, como curiosidade esta mulhersentava-se à porta a fazer meia nos Domingo à tarde.
  37. 37. Traje de Festa/ DomingueiroTraje domingueiro da mulhercamponesa, quando em dias festivos iam àmissa ou a outras festas.Os vestidos, “por vezes saia e blusa” eramfeitos de tecidos mais finos, por vezes de chitacom folhados e ornamento de renda.Usava na cabeça uma mantinha.
  38. 38. Mulher da Serra DOssa Embora pertencendo ao Concelho de Redondo este traje era usado pelas (meninas) da Serra. Usava blusa simples mas com motivos dourados. O peitilho da blusa tapava a pele e levava um resguardo da cor da saia. Usava saia de lã normalmente vermelha e bordada a preto, avental fino com rendas feitas pela avó, sapatos ou botas pretas atacoadas, de salientar as meias da Serra DOssa, (únicas no Alentejo), meias feitas com linha grossa de cor vermelha e amarela e com cinco agulhas. O traje desta menina era usado para vir à vila pois na Serra ela vestia do mais modesto que havia, chita e riscado. Vinha à vila vender algo, depois guardava o dinheiro e mais tarde comprava uma peça de ouro. Era muito estimada quando vinha à vila, pois o seu traje em nada se parecia com o das outras raparigas.
  39. 39. Traje de Senhora Rica Traje usado pelas senhoras ricas, quando em dias festivos iam à missa ou a outras festas. Diferenciavam-se das outras classes menos abastecidas. Os vestidos, “por vezes saia e blusa” eram feitos de tecidos finos, por vezes de chita com folhados e ornamento de renda. Usava sapatos pretos de cabedal e meias brancas ou cremes todas elas bordadas, conforme a cor do vestido. Para guardar o lenço “que também era de seda” usava um pequeno saco feito da mesma fazenda de vestido, com cordões feitos de renda. Usava na cabeça uma mantinha branca feita de renda fina, se a senhora fosse já de certa idade a mantilha era substituída por mantinha preta ou lenço de seda com uma cor mais discreta.
  40. 40. HOMEMHá algumas diferenças nos trajes em função das suas profissões.Trajos e utensílios usados por estes homens : Alforge Azeiteiros de corno(usados para o azeite e vinagre) Barril para a água, sendo no entanto mais usada a cabaça por ser mais leve e fácil de transportar Corna - parte de corno - (usada para sal ou azeitonas) Sertã -(para fazer comida quando não levava tarro) Calça e colete de cotim Relógio de algibeira no bolso do colete Camisa de riscado Chapéu ou boné de orelhas ou barrete preto Cinta Lenço que usava ao pescoço por baixo do chapéu para se resguardar do sol Meias de linhas , sempre escuras Safões Taleigo ou alcofa de palha Tarro No Inverno usava capote aguadeiro de burel castanho
  41. 41. Pastor Tinha a seu cargo um rebanho de ovelhas e borregos. Usava camisa de riscado, lenço ao pescoço e chapéu preto, e botas grosseiras de atanado. Por vezes nas calças usava pequenas tiras de sacos para proteger o fundo das calças. Usava safões (calças por cima das de pano ) de lã no Inverno (e de lona branca no Verão ) e samarra do mesmo material, quase sempre feitas por ele. Usava para facilitar o seu trabalho uma vara comprida com um gancho à ponta a que se dava o nome de gravato e servia para apanhar os borregos pelas patas.
  42. 42. Pastor Usava ainda : Calça e colete de cotim – no Inverno seriam de saragoça ou serrobeco , antes estamenha (mistura de lã grosseira e linho). Meias de linha – sempre escuras. Safões e pelico de pele de borrego. Cinta. No Inverno usava também capote aguadeiro de burel castanho para se abrigar da chuva e do frio. Taleigo. Trazia o tarro de cortiça com o almoço e o azeiteiro (corno) às costas, por vezes se a deslocação era grande levava alforges com mantimentos.
  43. 43. Ganadeiro (de bois) Figura muito conhecida nos meios agrícolas ele era o ganadeiro de bois (boieiro) guardava o gado vacum. Usava camisa de riscado sem colarinho, colete e calça de cotim e botas grosseiras. Usava safões de cabedal feitos por ele e trazia ao ombro Os alforges também de cabedal. Por vezes trazia uma pequena corda ou lançadeira assim como uma funda para recolher o gado. Tazia sempre o cajado.
  44. 44. Tirador de Cortiça Homem que se dedicava a tirar a cortiça e que usava camisa de riscado, calça de ganga azul, chapéu preto e lenço atado ao pescoço pela parte de trás, bota de atanado grosseira. Usava sempre o machado e uma pequena escada e era considerado por muita gente o mestre dos sobreiros e não o Tirador de cortiça.
  45. 45. Semeador Era chamado o ganhão de ano, pois era contratado ao ano, ao contrário dos outros ganhões que eram contratados ao mês, a função deste ganhão de ano, era para além de semear, dirigia também outros trabalhos, cortes de arvores, limpeza de valas etc. Usava camisa de riscado (simples), lenço ao pescoço, chapéu tradicional , calças de cotim, botas de atanado grosseiro e safões de lona. Havia trabalhos em que os safões de lona eram substituídos por safões de cabedal (nas lavouras de Inverno). Semeador – usava saco de sarapilheira onde transportava a semente.
  46. 46. Lavrador Lavrador Alentejano – homem abastado e proprietário Calça, colete e jaqueta de lã . A jaqueta com alamares Cinta de merino Botas finas Chapéu Camisa de linho Na camisa usava abotoadura de ouro No colete usava relógio de algibeira com correntes de ouro No Inverno usava samarra com pele de borrego ou raposa Usava também no Inverno Capote de lã, até aos tornozelos, com gola de pele de raposa ou Astracã, ou ainda capa de fazenda de lã escura
  47. 47. Traje de Homem domingueiro/ traje de festa Apresentava –se em dias de festa no adro da capela para assistir aos festejos. Usava: Calça, colete e jaqueta Camisa de riscado ou linho sem colarinho por vezes com um pequeno botão de ouro Cinta de merino Botas finas Chapéu Meias de linha – sempre de cor escura Relógio de algibeira com correntes de prata ou cordão de linha com várias cores ou ainda com atacadores das botas.
  48. 48. MÚSICA TRADICIONAL ALENTEJANAPara além dos grupos corais alentejanos também se podem encontrar: Ranchos folclóricos, Bandas filarmónicas, Grupos musicais, ...
  49. 49.  Rancho Folclórico e Etnográfico de Belver Rancho Folclórico da casa do Povo de Ponte de Sor Rancho Folclórico de Montargil Rancho Folclórico de Avis Rancho Folclórico de Castelo de Vide Rancho Folclórico de Arronches Rancho Folclórico "As Ceifeiras" de Alter do Chão Rancho Folclórico da Casa do Povo de Cano Rancho Tipico "Cantarinhas de Nisa" Grupo Folclórico e Cultural da Boavista – Portalegre Grupo coral da Vidigueira Grupo coral de Portel Grupo Coral Os Ceifeiros de Cuba Grupo Coral Margens do Roxo ...
  50. 50. MÚSICA TRADICIONAL ALENTEJANA ADIAFA MAIO MOÇO VITORINO JANITA SALOMÉ BRIGADA VITOR JARAGRUPO« TERRA A TERRA »
  51. 51. No Alentejo, sempre se cultivaram muitos cereais e por isso opão é um elemento fundamental na alimentaçãoA comida regional alentejana é pois feita à base de pão, e com muitas ervas aromáticas, porque antigamente as pessoas tinham poucas coisas e por isso inventaram muitas receitas com poucos ingredientes....
  52. 52. O pão ( normalmente de trigo ) é um ingredientefundamental na maioria dos pratos desta região :sopa de cação, sopa da panela, sopa detomate, sopa de batata , sopa de beldroegas, sopade cachola com rodela delaranja, gaspacho, açorda alentejana, migas, etc. Também é usado para fazer doces.
  53. 53. Muitos pratos típicos são feitos com borrego e carnede porco, principalmente porco preto: Ensopado deborrego, Borrego assado no forno, Pézinhos de porcode coentrada. Migas com carnede porco.Carne de alguidar...Na época da caça , também se cozinham asperdizes, os coelhos e as lebres.Também há alguns pratos com peixe e marisco maistípicos do litoral do Alentejo, como: sopa decação, cação frito, carne de porco com ameijoas, etc.
  54. 54. Doces típicos: Encharcada, sericá com asameixas de Elvas, bolo de rala , nógados, …AZEITE e azeitonas são tambémprodutos caraterísticos do Alentejo.QUEIJOS principalmente de ovelha ealguns de cabra. Vinhos alentejanos:Redondo, Reguengos, Borba, Vidigueira, Portalegre...
  55. 55. AerofonesCategoria de instrumentos musicais cujo som é produzido pela vibraçao do ar no (ou pelo) instrumento.Cordofones Instrumentos cujo elemento vibratório é uma corda ou mais cordas esticadas.IdiofonesO elemento vibratório é o próprio corpo do instrumento, constituido por materiais mais ou menos vibráteis, independentemente da sua tensão.Membranofones Membrofone categoria de instrumentos musicais cujo som e produzido por uma ou mais membranas esticadas.
  56. 56. Alamares – cordão metálico que enfejita uma peça de vestuário.Alforge – saco formado mpor dois compartimentos que se traz ao ombro.Astracã-tecido de lã que imita pele de cordeiro.Atanado- cabedal curtido.Burel- tecido grosseiro de lã.Cajado- pau com a extremidade superiorarqueada.Caixiné- lenço grande de lã, estampado.Capote- capa que desce normalmente quase até aos pés, com cabeção e capuz.Chita- tecido de algodão estampado.Churriões- carruagens grandes e pesadas.Cotim- tipo especial de tecido de linho ou de algodão.Estamenho - tecido grosseiro de lã.Estribilho- verso ou versos que se repetem no fim de cada estânciade uma poesia.
  57. 57. Gãnhão- moço delavoura.Gorgorina-tecido que imita o gorgurão ( tecido grosso de seda, algodão ou lã).Gravato- vara comprida com um gancho à ponta e servia para apanhar os borregos pelas patas.Mazurca- dança a três tempos.Merino- diz-se de uma raça de carneiros muito apreciada pela qualidade superior da sua lã.Saragoça-tecido grosseiro de lã.Serrobeco-espécie de fazenda grosseira de cor acastanhada.Pelico-fato de pastor feito de peles de animais, espécie de casaco sem mangas para proteger as costas.Polifónicos- vários sons .Safões- calças para colocar por cima das de pano, em pele de borrego ou outros materiais.Taleigo- saco estreito e comprido.Trajo- o mesmo que traje.
  58. 58.  OUVIMOS: AS MENINAS DA RIBEIRA DO SADO ADIAFA
  1. Gostou de algum slide específico?

    Recortar slides é uma maneira fácil de colecionar informações para acessar mais tarde.

×