METODOLOGIA DE DESENVOLVIMENTO DOS JOGOS TRANSVERSAIS                                    METODOLOGIA DOS JOGOS            ...
enriquecimento e a estimulação. A constatação é a etapa que visa detectar que grau deconhecimento os alunos possuem sobre ...
desenvolvendo isso irá acontecendo de forma lenta e gradativa. Cada jogo transversal contémuma ou mais reflexões que podem...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Metodologia de desenvolvimento dos jogos transversais

1,507 views
1,414 views

Published on

Published in: Technology, Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,507
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
23
Actions
Shares
0
Downloads
8
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Metodologia de desenvolvimento dos jogos transversais

  1. 1. METODOLOGIA DE DESENVOLVIMENTO DOS JOGOS TRANSVERSAIS METODOLOGIA DOS JOGOS 1ª ETAPA CONTEXTUALIZAÇÃO 1. CONSTATAÇÃO 2. ENRIQUECIMENTO 3. ESTIMULAÇÃO 2ª ETAPA REFLEXÃO Quando aqui se estabelece uma metodologia para aplicação dos Jogos transversais,pensamos não como um roteiro ou caminho fechado que deva ser seguido rigidamente paraatingir seus objetivos, porém assim estabelecemos como um exemplo de experiência que vemdando resultado e que pode e deve ser questionada, ampliada e até modificada. Quandopensamos então nos Jogos Transversais como proposta de abordagem para a Educação FísicaEscolar, pensamos primeiro nas condições ideais para o seu desenvolvimento. E o ideal é queesse desenvolvimento se dê dentro dos princípios da transversalidade. Nesta perspectiva, onde aunião faz a força, onde as áreas do conhecimento se entrecruzam para atingirem em suatotalidade os temas sociais relevantes, surgem às condições mais favoráveis para execução dosfins a que se propõe o processo ensino-aprendizagem. A organização dos Temas Transversaissob forma de projetos ou de temas geradores também atendem a essa demanda. Destacamosainda que a divisão da aula foi adotada para melhor compreensão didática e que odesenvolvimento da aula se processa de forma contínua. . Ressaltamos ainda que nossotrabalho é desenvolvido para o 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental, porém temos desenvolvidoexperiências com todos os seguimentos e etapas de ensino. Inicialmente, como parte primeira de cada aula, definimos como primeira etapa e defundamental importância para o sucesso dos Jogos Transversais, a contextualização do TemaTransversal a ser abordado. Essa contextualização se refere a criar um ambiente favorável para odesenvolvimento da aula e dos jogos. Dividimo-la em três partes, a constatação, o
  2. 2. enriquecimento e a estimulação. A constatação é a etapa que visa detectar que grau deconhecimento os alunos possuem sobre o tema a ser abordado. Ela se dá através de perguntasbásicas relacionados ao tema (Ex. Tema: Ética; perguntas: Quem sabe dizer o que é ética?Alguém poderia dar um exemplo?). A segunda parte é o enriquecimento através da utilização deum material de apoio. Esta parte pode se dá sob diversas formas, ou seja, através da leitura umpequeno texto, de uma reportagem, uma música, uma fábula, um caso, um velho ditado, umpoema, um provérbio, ou até mesmo uma pequena frase, que esteja relacionado ao tema ou areflexão proposta pelo jogo. Pode se dar também através da exibição de uma imagem, foto ouum simples desenho. A terceira parte, que é a estimulação, ocorrerá exclusivamente pela práticados Jogos Transversais, visando sempre a segurança e possibilitando a inclusão de todos. Aprática dos jogos nada mais é do que, a construção de situações didático-metodológicas quebuscam valorizar e potencializar a capacidade de questionar, de debater, de refletir sobre ostemas sociais em questão, ou seja, situações de aprendizagem que buscam garantir aos alunoso desenvolvimento das capacidades necessárias à construção progressiva de conhecimentospara uma atuação pautada por princípios da ética democrática. Todos os jogos podem e devemser adequadas as condições sócio-cognitivas dos alunos e as suas realidades locais e coletivas.Variações poderão surgir. Esperamos também que, principalmente, possam servir de inspiraçãopara que novos jogos sejam criados por qualquer aluno, profissionais ou pessoa que com elessimpatize e os adote. A segunda e última etapa é a reflexão, que acontecerá após cada jogo e/ou ao final daaula, preferencialmente nos momentos de recuperação e descanso, buscando fazer uma ligaçãodo tema com o jogo e a realidade individual e social, ou seja, com a vida de seus praticantes,buscando sempre que possível propor mudanças para melhorar as condições existentes, tantoendógenas quanto exógenas. É neste momento que serão confrontados os valores definidos notexto constitucional e os valores que cada aluno trás consigo, para que a partir desse confronto,possam eleger seus novos valores. Após a reflexão teríamos então como resultado as propostas ou sugestões direcionadas paraas resoluções dos problemas sociais apresentados ou de apontamentos sobre qual a melhorconduta, comportamento e/ou atitude a ser adotada ante a questão exposta no momento econtexto histórico-cultural atual. Segundo os PCNs (BRASIL, 1998), o fato de os alunos serem crianças e adolescentes nãosignifica que sejam passivos e recebam sem resistência ou contestação de tudo o que implícitaou explicitamente se lhes quer transmitir; e que mesmo nas séries iniciais é possível oferecerinformações, vivências e reflexão sobre as causas e as nuanças dos valores que orientam oscomportamentos e tratá-los como produtos de relações sociais, que podem ser transformados.Inicialmente nem todos os alunos de uma turma, ou apenas alguns poucos, terão um nível deconsciência crítica favorável as devidas reflexões, porém à medida que esse trabalho for se
  3. 3. desenvolvendo isso irá acontecendo de forma lenta e gradativa. Cada jogo transversal contémuma ou mais reflexões que podem ser adaptadas e até serem substituídas, tendo o devidocuidado de não deixar de fazer sentido com o respectivo jogo. As adaptações deverão semprebuscar uma adequação ao nível de consciência e ao vocabulário dos seus alunos.

×