Aranha marrom
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
1,909
On Slideshare
1,909
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
26
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Aranha Marrom Características e cuidados
    • Esta apresentação irá envolver algum debate com a platéia, o que irá criar itens de ação. Use o PowerPoint para registrar estes itens de ação durante sua apresentação
    • No modo de apresentação de slides, clique no botão direito do mouse
    • Selecione 'Registro de reunião'
    • Selecione a guia 'Itens de ação'
    • Digite os itens de ação à medida que eles forem surgindo
    • Clique em OK para desconsiderar esta caixa
    • Isso criará automaticamente um slide do item de ação no fim da apresentação contendo os pontos que você forneceu.
  • 2. Características
    • Dentre todas é a que provoca o pior envenenamento;
    • É de pequeno porte (não passa de 2,5 cm de envergadura);
    • Tem temperamento extremamente tímido;
    • Tem coloração castanha e poucos pelos recobrindo o corpo;
    • Possui seis olhos perolados, agrupados de dois em dois na região da cabeça;
    • É extremamente comum dentro de residências;
  • 3.
    • É de hábitos noturnos, escondendo-se durante o dia, atrás de quadros, móveis e no meio de roupas usadas, principalmente nos lugares mais suados e com odor mais forte, como axilas e virilha;
    • Não faz teia, mas forra seu abrigo com um tapete pegajoso de seda;
    • O acidente sempre ocorre da mesma maneira, quando a pessoa veste a roupa, com o animal dentro, comprimindo-o contra o corpo;
    • Seu veneno é extremamente potente, sendo anestésico, hemolítico (destrói as células sangüíneas) e proteolítico (destrói os tecidos, causando necrose);
    Características
  • 4.
    • O fato do veneno ser anestésico faz com que a pessoa não sinta a picada, procurando o médico somente após alguns dias, quando os sintomas já estão bastante adiantados;
    • É a única aranha que, causando acidente, vai requerer, obrigatoriamente um tratamento soroterápico, independente da condição de saúde da pessoa ou de sua idade;
    • O soro utilizado é preferencialmente o anti-loxocélico; ou, então, o anti-aracnídico na falta daquele;
    Características
  • 5. Sintoma
    • Inicialmente aparece um eritema com edema duro no local da picada (vermelhidão com uma placa dura de 1 a 2 cm de diâmetro;
    • A região da picada fica avermelhada, com aspecto marmóreo;
    • Acompanham estes primeiros sinais: febre e exantema;
    • Dias depois abre-se, no local da picada, uma fenda de difícil cicatrização e que pode evoluir para necrose da área;
    • Podem aparecer, ainda: anemia aguda (diminuição de glóbulos vermelhos), icterícia (corpo com pele amarelada) e hemoglobinúria (urina escura, podendo chegar à cor de café expresso concentrado, por destruição de células sangüíneas = hemólise;
  • 6.
    • Pode, por este motivo, evoluir para insuficiência renal aguda, principal causa de morte provocada por este tipo de acidente;
    • Lembrete Especial: Neste tipo de acidente a soroterapia é sempre indicada. A soroterapia neutraliza o veneno ainda circulante no organismo; porém, o local lesado (ferida) pode evoluir (piorar), pois o soro não age no local da picada. Em muitos casos há necessidade de se recorrer à cirurgia plástica para reconstruir o local lesado.
    Sintoma
  • 7.  
  • 8.  
  • 9.  
  • 10.  
  • 11.  
  • 12. Antíduto
    • 5 a 10 ampolas de SAAr/SALox (SAAr Soro Antiaracnídico / SALox Soro Antiloxocélico);
    • Centro de Informações Toxicológicas – CIT/Curitiba: Fones: (41) 248-9969/346-2204 – F/DDG: 0800-410148 Fax: (41) 330-4479  CCI Londrina – F: (43) 371-2244 CCI Maringá – F: (44) 225-8484 
  • 13.
    • O tratamento complementar consiste na limpeza local com anti-sépticos e hidratação do doente de maneira semelhante ao preconizado para o acidente crotálico.
    • A vacinação anti-tetânica está indicada. Os antibióticos devem ser utilizados quando houver infecção secundária de maneira semelhante ao preconizado no acidente botrópico.
    • O emprego do soro específico deve ser feito até 36 horas após o acidente.
    Antíduto
  • 14. Conduta do paciente
    • Evitar que o paciente se movimente muito;
    • Não fazer torniquete no membro acidentado;
    • Aplicar compressas frias (10 a 15 ºC) nas primeiras horas;
    • Aplicar respiração artificial, caso a pessoa não estiver espirando bem.
  • 15. Efeitos