Modernismo em Portugal
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Modernismo em Portugal

on

  • 39,285 views

 

Statistics

Views

Total Views
39,285
Views on SlideShare
39,028
Embed Views
257

Actions

Likes
6
Downloads
574
Comments
1

11 Embeds 257

http://www.slideshare.net 161
http://litportuguesa2.wordpress.com 25
http://cronoarte.blogspot.com 22
http://redodromo.blogspot.com.br 16
http://cronoarte.blogspot.pt 12
http://redodromo.blogspot.com 9
http://modernismos-katiane.blogspot.com.br 5
http://abaciente.blogspot.pt 3
http://cronoarte.blogspot.com.br 2
http://modernismos-katiane.blogspot.com 1
http://webcache.googleusercontent.com 1
More...

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Modernismo em Portugal Modernismo em Portugal Presentation Transcript

  • MODERNISMO em PORTUGAL
  • MODERNISMO – A Geração ORPHEU O Modernismo é um movimento estético onde a literatura surge associada às artes plásticas.
  • MODERNISMO – A Geração ORPHEU Este movimento é empreendido pela geração de: Almada Negreiros Fernando Pessoa Em uníssono com a arte e a literatura mais avançadas na Europa. Mário de Sá Carneiro
  • MODERNISMO – A Geração ORPHEU O modernismo rompia com o provincianismo, com as tradições académicas, defendendo a liberdade de criação e pesquisa estética.
  • Almada Negreiros (1893 - 1970)
    • Escritor e artista plástico, José Sobral de Almada Negreiros nasceu em S. Tomé e Príncipe a 7 de Abril de 1893.
    • Foi um dos fundadores da revista Orpheu (1915), veículo de introdução do modernismo em Portugal, onde conviveu de perto com Fernando Pessoa.
    Almada Negreiros (1893 - 1970) Auto-retrato, Almada Negreiros
    • Além da literatura e da pintura a óleo, Almada desenvolveu ainda composições coreográficas para ballet. Trabalhou em tapeçaria,  gravura, pintura mural, caricatura, mosaico, azulejo e vitral. Revelou-se um artista e um escritor multifacetado. Foi o artista mais receptivo às novidades futuristas importadas por Santa-Rita.
    • Faleceu a 15 de Junho de 1970 no Hospital de S. Luís dos Franceses, em Lisboa,  no mesmo quarto onde morrera o seu amigo Fernando Pessoa.
    Almada Negreiros (1893 - 1970)
    • I Conferência Futurista Em Abril de 1917, foi a apresentação do futurismo ao povo português, numa sessão realizada às cinco da tarde no Teatro República (hoje São Luiz). Intitulada "I Conferência Futurista", sob a responsabilidade de Almada Negreiros.
    • A sessão foi constituída por três partes ou três leituras: O "Ultimatum Futurista às Gerações Portuguesas do Século XX", de Almada, o "Manifesto Futurista da Luxúria" da belga Valentina de Saint-Point, texto de 1913 e "Music-Hall" e "Tuons le Clair de Lune", dois textos de Marinetti, de 1913 e 1909.
    • A sala esteve meia vazia, Santa-Rita, esteve numa frisa, animando e ordenando o espectáculo.
    Almada Negreiros (1893 - 1970)
  • Almada Negreiros (1893 - 1970) Auto-retrato com boné 1927; óleo sobre tela
  • Almada Negreiros (1893 - 1970) Retrato de Suzanne Lenglen 1923
  • Almada Negreiros (1893 - 1970) Auto-retrato com grupo , 1925; óleo sobre tela
  • Almada Negreiros (1893 - 1970) Maternidade, 1935; óleo sobre tela
  • Almada Negreiros (1893 - 1970) Retrato de Fernando Pessoa 1954; óleo sobre tela
  • Almada Negreiros (1893 - 1970) Retrato de Almada Negreiros 1964
  • Amadeu de Souza Cardoso (1887 - 1918) * Nasceu em Amarante, em 1887; * Morreu em Espinho, em 1918; * O pintor trouxe consigo influências do cubismo, do futurismo e do abstraccionismo, além de um currículo invejável: uma participação na exposição de cubistas no Salão de Outono (Paris, 1912).
  • Amadeu de Souza Cardoso (1887 - 1918) Saut du lapin 1911; óleo sobre tela
  • Amadeu de Souza Cardoso (1887 - 1918) Menina dos Cravos 1913,; óleo sobre madeira
  • Amadeu de Souza Cardoso (1887 - 1918) Cabeça 1913; óleo sobre tela
  • Amadeu de Souza Cardoso (1887 - 1918) Canção Popular a Russa e o Fígaro 1916; óleo sobre tela
  • Amadeu de Souza Cardoso (1887 - 1918) Entrada 1917, óleo sobre tela com colagem
  • Amadeu de Souza Cardoso (1887 - 1918) Pintura 1917; óleo sobre tela
  • Eduardo Viana (1881 - 1967) * Nasceu em Lisboa, em 1881; * Morreu em Lisboa, em 1967; * Conviveu com os Delaunay, em Vila do Conde. Foi, de entre os quatro maiores da arte moderna nacional, o único que pôde ser entendido pela geração seguinte.
  • Eduardo Viana (1881 - 1967) Paisagem de Sintra óleo sobre tela
  • Eduardo Viana (1881 - 1967) Interior 1914, óleo sobre tela
  • Eduardo Viana (1881 - 1967) La Petite 1916, óleo sobre tela
  • Eduardo Viana (1881 - 1967) K4 Quadrado Azul 1916, óleo sobre tela
  • Eduardo Viana (1881 - 1967) A Revolta das Bonecas 1916; óleo sobre tela
  • Eduardo Viana (1881 - 1967) Louça de Barcelos 1916; óleo sobre tela
  • Eduardo Viana (1881 - 1967) As três abóboras 1919; óleo sobre tela
  • Eduardo Viana (1881 - 1967) O homem das Louças 1919; óleo sobre tela
  • Eduardo Viana (1881 - 1967) Pousada dos Ciganos, 1923; óleo sobre tela
  • Eduardo Viana (1881 - 1967) Nu, 1925; óleo sobre tela
  • Eduardo Viana (1881 - 1967) Ponte D. Maria, 1925; óleo sobre tela
  • Eduardo Viana (1881 - 1967) Natureza Morta, 1957; óleo sobre tela
  • Santa-Rita Pintor (1889 - 1918) * Nasceu em Lisboa, em 1889; * Morreu a 29 de Abril de 1918; * Foi considerado o introdutor do Futurismo em Portugal. Após a morte do pintor, a família destruiu grande parte da sua obra. Santa-Rita Pintor, na I Conferência Futurista, Abril de 1917
  • Santa-Rita Pintor (1889 - 1918) Guilherme de Santa-Rita , em 1912 era bolseiro de Belas-Artes em Paris (posição que perdeu em Setembro de 1912, devido às suas ideias monárquicas, em conflito com o embaixador republicano João Chagas), com apenas 23 anos de idade, viu a exposição dos futuristas italianos e aderiu ao movimento. Em Setembro de 1914, Santa-Rita regressa a Lisboa, propondo-se editar, com procuração do autor, os manifestos de Marinetti. Em Lisboa Santa-Rita foi o motor do incerto movimento futurista português. Santa-Rita Pintor, na I Conferência Futurista, Abril de 1917
  • Santa-Rita Pintor (1889 - 1918) Cabeça , 1912