• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Geografia do Brasil - Meio ambiente - [www.gondim.net]
 

Geografia do Brasil - Meio ambiente - [www.gondim.net]

on

  • 6,414 views

Geografia do Brasil - Meio ambiente - [www.gondim.net]

Geografia do Brasil - Meio ambiente - [www.gondim.net]

Statistics

Views

Total Views
6,414
Views on SlideShare
1,515
Embed Views
4,899

Actions

Likes
1
Downloads
0
Comments
0

5 Embeds 4,899

http://www.gondim.net 4889
http://2482228580547266372_8aa8460b0d989c13d463e7689242676438e6f219.blogspot.com 7
http://2482228580547266372_8aa8460b0d989c13d463e7689242676438e6f219.blogspot.com.br 1
http://3.bp.blogspot.com 1
http://1.bp.blogspot.com 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Geografia do Brasil - Meio ambiente - [www.gondim.net] Geografia do Brasil - Meio ambiente - [www.gondim.net] Presentation Transcript

    • GEOGRAFA DO BRASIL ATUALIDADES MEIO AMBIENTEProf. Marco Aurélio Gondim www.gondim.net
    • CONFERÊNCIAS AMBIENTAIS• Estocolmo 1972: – Convocada pela ONU – 113 países e 250 ONGs – Preocupação com a degradação da natureza e os riscos à sobrevivência humana – Visão antropocêntrica – Confronto entre desenvolvidos e subdesenvolvidos – Documento: Declaração sobre o Meio Ambiente Humano
    • CONFERÊNCIAS AMBIENTAIS• Rio de Janeiro 1992 (Cúpula da Terra): – Convocada pela ONU para avaliar os resultados da Estocolmo 1972 – 172 países (10.000 participantes) – Criar mecanismos de transferência de tecnologia não poluente para os países pobres – Incorporar processos ambientais ao processo de desenvolvimento – Cooperação internacional em casos emergenciais – Johannesburgo: Rio +10 – Rio de Janeiro +20
    • Rio 92• Documentos – Declaração do Rio sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento – Agenda 21: estratégias para o desenvolvimento sustentável – Princípios para a Administração Sustentável das Florestas – Convenção da Biodiversidade – Convenção sobre Mudança do Clima: aquecimento global
    • Agenda 21• Desenvolvimento sustentável: crescimento econômico com igualdade e justiça social, sem comprometer os recursos naturais, que garanta qualidade de vida para as gerações futuras.• As atividades humanas não devem esgotar os recursos como terras aráveis, água limpa e florestas.• Ao mesmo tempo, o desenvolvimento deve garantir saúde, moradia e educação a todos.
    • Agenda 21• 27 princípios calcados em 3 premissas – Os países desenvolvidos devem mudar o seu padrão de consumo – Os países em desenvolvimento devem manter as metas de crescimento, mas adotar um modelo sustentável – Os países desenvolvidos devem apoiar o crescimento dos mais pobres
    • RIO + 20 / Agenda 21• Avaliação dos resultados da Agenda 21• A ONU já adiantou que o resultado não é animador: progresso limitado• Últimos 25 anos: redução de um terço do volume de recursos empregados em cada bem• Apesar disso, o planeta consome 50% a mais de recursos naturais: países ricos não reduziram o nível de consumo
    • RIO + 20 / Agenda 21• Países emergentes (China e Índia) passaram a consumir mais• O aumento da população aumentou o uso de recursos naturais, inclusive alimentos – EUA: 90 kg de recursos naturais por dia – UE: 45 kg – África: 10 kg
    • RIO + 20 / Agenda 21• Os países ricos não promoveram a igualdade de oportunidades• Os países em desenvolvimento abriram as suas economias, mas o ricos continuam a proteger seu mercado• Ajuda financeira: metade da ajuda prometida• A emissão de gases de efeito estufa aumentou• Notícia boa: o buraco sobre a camada de ozônio parou de crescer
    • PROTOCOLO DE QUIOTO (1997)• Tratado internacional complementar e vinculado à Convenção das Nações Unidas sobre Mudança do Clima.• Compromissos de limitação ou redução quantificada de emissões de gases de efeito estufa.
    • PROTOCOLO DE QUIOTO (1997)• Histórico: – 1988: Toronto (Canadá) – reuniao para discutir as mudanças climáticas – 1990: primeiro relatório do IPCC (redução de emissão de carbono em 60%) – 1992: Rio 92 (responsabilidade comum e diferenciada) – 1995: segundo relatório do IPCC confirmando a causa antropogênica da mudança climática – 1997: terceiro relatório do IPCC
    • ORGANIZAÇÕES• Comissão de Desenvolvimento Sustentável (CDS)• PNUMA (ou UNEP)• Conselho Consultivo de Alto Nível sobre Desenvolvimento Sustentável
    • CONSEQUÊNCIAS DO AQUECIMENTO GLOBAL• Aumento na frequência da ocorrência de eventos climáticos extremos• Perda de cobertura de gelo• Elevação do nível do mar• Alterações na disponibilidade de recursos hídricos• Mudanças nos ecossistemas• Desertificação• Interferências na agricultura• Impactos na saúde e bem-estar da população humana
    • DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL• Modelo de desenvolvimento que permite atender às necessidades atuais sem comprometer as capacidades que terão as futuras gerações para satisfazer suas próprias necessidades.
    • CORREDORES BIOLÓGICOS• O conceito de corredor biológico implica uma ligação entre zonas protegidas e áreas com uma biodiversidade importante, a fim de contrapor-se à fragmentação dos habitats.
    • SUMIDOUROS DE CARBONO• São florestas que, ao crescerem, retiram o gás carbônico da atmosfera pela fotossíntese e fixam o carbono em sua biomassa (troncos, folhas e raízes). É graças a eles que as concentrações de CO2 no ar se mantêm mais ou menos constantes, embora as emissões mundiais do gás não parem de crescer.
    • SEQUESTRO DE CARBONO• EUA e Austrália• Estoque do excesso de carbono, por prazo longo e indeterminado, na biosfera, no subsolo e nos oceanos. – Sequestrar o carbono em repositórios subterrâneos; – Melhorar o ciclo terrestre natural através da remoção do CO2 da atmosfera pela vegetação e estoque da biomassa criada no solo; – O sequestro do carbono nos oceanos através do aumento da dissolução do CO2 nas águas oceânicas pela fertilização do fitoplâncton com nutrientes e pela injeção de CO2 nas profundezas dos oceanos, a mais de 1.000 metros de profundidade.
    • CÓDIGO FLORESTAL• Apesar de existir desde os anos 60, não houve fiscalização para garantir o seu cumprimento• Polêmicas: – Áreas de preservação permanente – Reserva Legal – Anistia
    • CONSUMO DE ÁGUA Fonte: OMS e PERH/MS
    • DEMANDA PER CAPITA NO MS• Abastecimento urbano: – 219,9 litros / dia / hab com perdas – 131,9 litros sem perdas.• O consumo humano é o segundo maior uso de recurso hídrico do MS.• Em primeiro lugar, está a pecuária, com a dessedentação de animais.
    • USO DA ÁGUA NO BRASILUnesco 22
    • CONSUMO DE ÁGUA NO BRASIL• Pegada hídrica: 3.400 litros / dia• Gasto real: 200 litros / dia• Total: 3.600 litros / dia- Água virtual é a água usada como matéria-prima ou insumo- Pegada hídrica leva em conta não apenas a água agregada aos produtos, mas também o volume poluído.Fonte: ONU - Water Footprint Network
    • NÚMEROS BRASILEIROS• O Brasil detém 26% da água doce do planeta• Região Norte: carência de água, onde estão perto de 70% das reservas do Brasil• 60% das empresas de água não coletam esgoto 24
    • ÁGUA VIRTUAL
    • EXPECTATIVA DE AUMENTO DE CONSUMO DA ÁGUA• Países desenvolvidos: 18%• Países em desenvolvimento: 50% – Crescimento intolerável para muitas regiões 26
    • RICO X POBRE• Homem necessita de 50 litros/dia – EUA: 600 litros – Brasil: 200 litros – Etiópia: 20 litros• Desperdício de 2/5 na irrigação• Desperdício de 1/3 nas residências 27
    • AÇÃO ANTRÓPICA• Sempre, os fatores naturais limitaram o volume de água disponível• Hoje, ameaça de escassez crônica de proporções globais – Consumo crescente – Desperdício – Contaminação dos mananciais – Alterações climáticas• Desequilíbrio da relação entre oferta e demanda 28
    • A CRISE DA ÁGUA• A redução dos estoques de água doce têm ocorrido devido: – ao crescimento da população – à automação dos trabalhos domésticos – à expansão agrícola e industrial – à poluição ambiental – ao desmatamento das áreas de mananciais• * A agropecuária consome 2/3 da água
    • SANEAMENTO BÁSICO - BRASIL 82% 40% Até meio salário mínimo Mais de 5 salários mínimos 30Percentual de domicílios com saneamento básico de acordo com a renda
    • Doenças relacionadas ao saneamento ambiental inadequado
    • ÁGUA100% 32
    • 2,5% DE ÁGUA DOCE 33
    • 0,4% DE ÁGUA ATMOSFÉRICA E DE SUPERFÍCIE 34
    • IMPLICAÇÕES DA MÁ DISTRIBUIÇÃO• Somente 0,002% da água é utilizável• Usamos ½ da água disponível• Em 30 anos, utilizaremos 100% da água disponível 35
    • REFERÊNCIA• NATIONAL GEOGRAPHIC• IBGE• THE WORLD CONSERVATION UNIT• IPCC, ONU• MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE, BRASIL• SABESP 36
    • SUGESTÃO• Opinião da senadora fazendeira Katia Abreu sobre o Código Florestal: http://g1.globo.com/economia/noticia/2012/01/senadora-katia-abreu-diz-que-codigo-florestal-e-incumprivel.htmlGreenpeace sobre o Protocolo de Quioto: http://www.greenpeace.org.br/clima/pdf/protocolo_kyoto.pdf• Filme: Uma verdade inconveniente• Livro gratuito sobre aquecimento global: http://www.climaefloresta.org.br/download/livro/Perguntas_e_Respostas_sobre_o_Aquecimento_Global/194
    • Prof. Marco Aurélio Gondim www.gondim.net