Tabagismo
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Tabagismo

on

  • 5,530 views

Apresentação preparada para graduandos de medicina, sobre a abordagem do tabagismo na consulta pediátrica.

Apresentação preparada para graduandos de medicina, sobre a abordagem do tabagismo na consulta pediátrica.

Statistics

Views

Total Views
5,530
Slideshare-icon Views on SlideShare
5,499
Embed Views
31

Actions

Likes
3
Downloads
141
Comments
2

1 Embed 31

http://www.slideshare.net 31

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel

12 of 2

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
  • Eu fumei durante 25 anos, deixei de fumar há 35 anos, herdei uma bronquite crônica, e tenho visto, lido, na Internet onde estou há 8 anos, todos os malefícios do cigarro e do álcool. Um Brasil com muito menos fumantes será um componente a mais e muito importante para o progresso econômico da nação, O que o país arrecada de impostos, que não abala nem um pouco a indústria do tabaco, não cobre de modo nenhum os gastos do sistema de saúde para uma enorme série de doenças provocadas pelo cigarro.
    Mesmo os fumantes que aparentemente não apresentam problemas de saúde, li recentemente as diferenças no rendimento em suas vidas social, familiar, profissional, é uma diferença enorme. Mesmo que fume apenas 10 cigarros por dia. Vi imagens terríveis de crianças com impressionantes deformações cujas mães fumaram durante a gestação. Meus irmãos, não vamos ficar neutros nessa luta, façamos o máximo, todos nós,
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
  • Essa luta dever ser ferrenha, feroz, permanente, objetiva, envolvendo todos os meio de comunicação, ou tudo permanecerá em banho-maria. E o tabagismo que é uma droga comercializada livremente, deve puxar a fila de todas as outras consideradas ilegais, mas que são obtidas facilmente como se fossem legais. Tabagismo e alcoolismo são as piores pragas da sociedade atual, gerando prejuizos enormes para o sistema de saúde, e principalmente para os usuários. Não fique apenas passivamente lendo, passe para a frente, através de emails, de comentários, de todas as formas. Se você que está lendo este meu comentário não fizer nada, será mais um comentário perdido... Fazer alguma coisa, pode ser colocar o assunto em seu blog, passar para os seus contatos através de e-mals, propor uma corrente online, Eu fiquei abismado com o número de morte a cada ano somente em fumantes passivos, que dava a impressão de ser quase inócua. Vamos levantar essa bandeira bem para o alto e PARA VALER MESMO.
    José Sidenei de Melo
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Tabagismo Tabagismo Presentation Transcript

    • Mônica de Cássia Firmida
      • Séc. X a.C. Uso pelos índios
      • Séc. XVI Entrada na Europa
      • Séc. XVII Cachimbo
      • Séc. XVIII Rapé e tabaco ascado
      • Séc. XIX Charuto
      • Séc. XX Cigarro
    • NO BRASÃO NACIONAL…
      • Arrecadação de impostos
      • Falta ao trabalho
      • Gastos com doenças
      • Perda de produtividade
      • Aposentadorias precoces
      • Danos ao meio ambiente
    • Tabagismo no Mundo
      • O tabagismo é considerado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) a principal causa de morte evitável em todo o mundo.
      • A OMS estima que um terço da população mundial adulta, isto é, 1 bilhão e 200 milhões de pessoas (entre as quais 200 milhões de mulheres), sejam fumantes.
      • A participação das mulheres neste total vem aumentando.
      http://www1.inca.gov.br/tabagismo /
    •  
    • http://www.omd.pt/pt-PT/UploadImages/Menus/Tobacco_or_Oral_Health_PT.pdf
    • Tabagismo no Brasil
      • No Brasil, estima-se que cerca de 200.000 mortes/ano são decorrentes do tabagismo (OPAS, 2002).
      • E ntre pessoas de 15 anos ou mais , a prevalência de tabagismo variou de 12,9 a 25,2% ( Inquérito domiciliar, 2002-2003).
      • Experimentação entre escolares: variou de 36 a 58% no sexo masculino e de 31 a 55% no sexo feminino. (Vigescola)
      • Prevalência de fumantes entre escolares: variou de 11 a 27% no sexo masculino e 9 a 24% no feminino (Vigescola).
      http://www1.inca.gov.br/tabagismo
    • http://tobaccocontrol.bmj.com/content/3/3/242.full.pdf TABAGISMO: do diagnóstico à Saúde Pública, Ed. Atheneu, 2007 AMÉRICA LATINA BRASIL
    • Fumantes (%) Mulheres Homens Faixa etária l0 - l4 l5 - l9 20 - 29 30 - 49 50 + 0 5 10 15 20 25 30 35 40 45 50 l0 - l4 l5 - l9 20 - 29 30 - 49 50 +
    • “ As prevalências de tabagismo no país ainda são muito altas, sendo que o grupo de mulheres e, especialmente, adolescentes femininos são os que vêm apresentando menor redução”. MENEZES, AMB. Epidemiologia do Tabagismo no Brasil In: TABAGISMO: do diagnóstico à Saúde Pública, Ed. Atheneu, 2007
    • Convenção Quadro
      • É um instrumento legal, sob forma de um tratado internacional, no qual os países signatários (Estados Partes) concordam em empreender esforços para alcançar objetivos definidos previamente.
      • O objetivo principal da CQCT é preservar as gerações, presentes e futuras, das devastadoras conseqüências sanitárias, sociais, ambientais e econômicas do consumo e da exposição à fumaça do tabaco.
      http://www.inca.gov.br/tabagismo/frameset.asp?item=cquadro3&link=perguntas.htm
    • Oportunidades de abordagem na prática pediátrica
      • A saúde da criança oferece uma oportunidade singular de educação e de motivação para os pais deixarem de fumar.
      • Muitos pais não têm acesso a outro médico de atenção primária ou a outros serviços que o ajudem a parar de fumar.
      • O pediatra pode agir desde o aconselhamento até o tratamento medicamentoso.
      Pediatrics, v. 115, n.3, March 2005
    • Barreiras alegadas pelos pediatras
      • Falta de tempo.
      • Falta de habilidade para fazer aconselhamentos para a cessação do tabagismo.
      • Medo de desaprovação pelos pais ou responsáveis.
      • Consideram a prescrição de medicações anti-tabágicas de responsabilidade de outros médicos.
      Pediatrics, v. 115, n.3, March 2005
    • Como podemos agir?
      • O médico não deve fumar.
      • Deve manter sua casa, seu carro e seu ambiente de trabalho livres do tabaco.
      • Combater propagandas de cigarro.
      • Engajar-se no combate ao tabagismo.
      • Aconselhar pre-adolescentes/adolescentes a evitar o início do tabagismo
      • Desestimular os pais/pacientes a fumar
      • Ajudar quem quiser parar: tratar e/ou encaminhar para serviços de referência
      Pediatrics, v. 124, n. 5, November2009
    • O Tabagismo no dia-a-dia do Pediatra
      • O tabagismo na gestação.
      • Os pais (ou contactantes) fumantes.
      • A iniciação ao tabagismo (criança/adolescente).
      • A criança ou o adolescente tabagistas.
    • CONHECER PARA ACONSELHAR…
      • ALGUMAS INFORMAÇÕES
    • Nicotiana tabacum
      • Rapé
      • Cachimbo
      • Charuto
      • Fumo-de-rolo
      • Outros
      Folha do tabaco Aspirado Inalado Mascado
        • Monóxido de carbono, amônia, formaldeído, acetaldeído, acroleína
        • Alcatrão
          • Arsênio, polônio 210, DDT, níquel
          • Benzopireno, cádmio, dibenzoacridina
        • Nicotina
        • Água
    • A Nicotina
      • Tem grande efeito viciante: de dependência e de abstinência;
      • É absorvida em vários sítios do corpo;
      • A nicotina liberada do cigarro tem meia vida de 10-20 min, com eliminação em 2-3h.
      • Seu efeito no cérebro leva < 20 seg; receptores nicotínicos
      • Cotinina , seu principal metabólito, pode ser detectada na urina, no coro ou na saliva. Meia vida de 19-24h.
      Nelson Textbook of Pediatrics, 18 th ed, 2007
    • O Tabagismo Passivo (TP)
      • DEFINIÇÃO: Exposição involuntária de pessoas não fumantes às substâncias produzidas pela comustão do tabaco em ambientes fechados.
      • É a terceira causa de morte evitável no mundo, ficando atrás apenas do tabagismo ativo e do alcoolismo.
      TABAGISMO: do diagnóstico à Saúde Pública, Ed. Atheneu, 2007
    • Crianças e TP
      • OMS: Cerca de 700 milhões de crianças (uma em cada duas) são expostas ao TP.
      • A exposição muitas vezes começa na vida intra-uterina e persiste da lactância à adoelscência.
      • Risco aumentado de: IRA, asma, mau desempenho escolar, distúrbios cognitivos e neurocomportamentais , doenças cardiovasculares na vida adulta.
      TABAGISMO: do diagnóstico à Saúde Pública, Ed. Atheneu, 2007
      • Efeitos a curto prazo
        • Irritação nos olhos
        • Manifestações nasais
        • Tosse e cefaléia
        • Aumento dos problemas alérgicos e cardíacos
      • Efeitos a médio e longo prazo
        • Redução da capacidade respiratória
        • Infecções respiratórias em crianças
        • Aumento do risco de aterosclerose
        • Infarto do miocárdio
        • Câncer
    • Infecções respiratórias (%) Sem fumantes Com 1 fumante Com 2 fumantes Com mais de 2 fumantes Domicílio 0 10 20 30 40 50
    • Aborto espontâneo 1,7 Prematuridade Recém-nascido de baixo peso Morte perinatal 1,0 Fumantes Não-fumantes 1,0 1,0 1,0 1,4 1,3 2,0
    • Adolescentes e Tabagismo
      • Adolescentes são o alvo da mídia do tabaco.
      • Os brasileiros começam a fumar em média aos 13 anos.
      • Um fumante de cigarros jovem pode começar a sentir desejos poderosos por nicotina em dois dias após a primeira tragada.
      • Segundo uma pesquisa feita pela OMS, 99% dos adolescentes que experimentam o tabaco se tornam fumantes.
      http://www.tabagismonaadolescencia.blogspot.com/
    • Gestante Mulher Trabalhador Fumante passivo
    • O Pediatra nas consultas
      • Deve abordar o tabagismo passivo e ativo nas consultas: Perguntar, aconselhar, etc.
      • Avaliar o grau de dependência do fumante.
      • Avaliar sua vontade de parar.
      • Voltar a conversar sobre isto em outros momentos.
      • Tratá-lo ou encaminhá-lo para um serviço de referência.
    • AVALIANDO O GRAU DE DEPENDÊNCIA
    • ALGUNS LOCAIS DE APOIO NO RJ
      • RIO DE JANEIRO
      • Hospital Central / Rio
      • R. Dona Mariana, 151, Botafogo, Tel. 2286-3183
      • P. S. Eithel Pinheiro de O. Lima
      • Rua M, s/ no, Conj. Taquaral, Bangú
      • CMS Lincoln de Freitas Filho
      • R. Álvaro Alberto, 601, Santa Cruz, Tel 3395-0605/1351/4747
      • Hospital Universitário Pedro Ernesto (HUPE)/UERJ
      • Av. 28 de setembro, 77, Vila Isabel
      • DUQUE DE CAXIAS
      • Centro de Atenção Total ao Adolescente – CEATA
      • R. Correia Mérire, 127, 25 de Agosto. Tel 2673-6144
      • NITERÓI
      • Policlínica de Especialidades Sílvio Picanço
      • Av. Marechal Peixoto, 169, Niterói. Tel 2719-1699/3255
      • Centro Regional Integrado de Atendimento ap Adolescente (CRIAA)/UFF
      • R. General, 558. Barreto. Tel 2628-9242
    •