Your SlideShare is downloading. ×
Doc6a exames 6.º ano
Doc6a exames 6.º ano
Doc6a exames 6.º ano
Doc6a exames 6.º ano
Doc6a exames 6.º ano
Doc6a exames 6.º ano
Doc6a exames 6.º ano
Doc6a exames 6.º ano
Doc6a exames 6.º ano
Doc6a exames 6.º ano
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Doc6a exames 6.º ano

163

Published on

Análise exames 6.º ano Português 12-13 Agrupamento de Escolas de Cuba

Análise exames 6.º ano Português 12-13 Agrupamento de Escolas de Cuba

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
163
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Escola Básica Fialho de Almeida - Cuba Relatório Provas Finais Português 2012/ 2013
  • 2. Relatório sobre os resultados obtidos na Prova Final de Português No Agrupamento de Escolas de Cuba, no ano letivo 2012/2013, 39 alunos do sexto ano de escolaridade realizaram o exame de Português, tendo obtido os seguintes resultados: turma A (19 alunos): 53% de positivas; turma B (20 alunos): 25% de positivas; Resultados da Avaliação Externa 2013 6º Ano 39% 61% positivas negativas A análise do gráfico permite verificar que o resultado obtido nos exames nacionais pelos alunos dos sextos anos foi de 39% de positivas e 61% de negativas. 2
  • 3. Níveis obtidos por turma 6º ano 15 9 5 5 4 1 0 0 0 0 turma A turma B 1 2 3 4 5 A análise do gráfico permite verificar os seguintes resultados por turma: 6ºA: nenhum aluno obteve nível um; nove alunos obtiveram nível dois; cinco alunos obtiveram nível três; cinco alunos obtiveram nível quatro e nenhum aluno obteve nível cinco; 6ºB: nenhum aluno obteve nível um; quinze alunos obtiveram nível dois; quatro alunos obtiveram nível três; um aluno obteve nível quatro e nenhum aluno obteve nível cinco. 3
  • 4. Níveis obtidos 6º ano 24 9 6 0 0 1 2 3 4 5 A análise do gráfico permite verificar os resultados dos alunos do 6º ano por nível. Nenhum aluno obteve nível um; vinte e quatro alunos obtiveram nível dois; nove alunos obtiveram nível três; seis alunos obtiveram nível quatro e nenhum aluno obteve nível cinco. 4
  • 5. Classificação por Domínio/ por Turma 100,00% 80,00% 60,00% 40,00% 20,00% 0,00% Leitura/ Escrita CEL Escrita 6ºA 6ºB 52,70% 25% 37% 20% 68,50% 55% Feita a análise das classificações por domínio, conclui-se que os alunos da turma A revelam melhores resultados que os da turma B nos três domínios, manifestando mais dificuldades no Conhecimento Explícito da Língua. Os alunos da turma B apresentam muitas dificuldades nos domínios Leitura/ Escrita e Conhecimento Explícito da Língua. 5
  • 6. Classificação por Domínio - 6º Ano 100,00% 80,00% 60,00% 40,00% 20,00% 0,00% Leitura/ Escrita 38,50% CEL 28,30% Escrita 61,60% A análise das classificações por domínio no total dos alunos do sexto ano revela que estes apresentaram muitas dificuldades no domínio Conhecimento Explícito da Língua, seguido do domínio Leitura/Escrita. É de referir que nestas turmas estavam incluídos alguns alunos que tinham ficado retidos no ano letivo transato e que ao longo do ano manifestaram sempre muita falta de trabalho, de empenho e de estudo. Além destes, também outros revelaram muitas dificuldades de aprendizagem, falta de concentração e muita falta de responsabilidade e de estudo. Os professores de português das turmas levaram a cabo várias estratégias para melhorar o desempenho dos alunos e promover uma cultura de sucesso escolar, com as seguintes atividades: planificação semanal, reflexão sobre as aulas, avaliação formativa, utilização de matrizes e grelhas de correção iguais às dos exames, reflexão sobre as práticas didáticas em departamento; reuniões informais com as diretoras de turma; projeto mais sucesso escolar. 6
  • 7. Comparação nível Nacional e E. B. Cuba 60 51 50 39 40 30 20 10 0 % NACIONAL % NACIONAL % EB CUBA % EB CUBA 7
  • 8. 2008/2009 2009/2010 2010/2011 2011/2012 2012/2013 Percentagens de Positivas dos resultados obtidos desde 2008/09 2008/2009 2009/2010 2010/2011 2011/2012 2012/2013 83,5% 82,5% 88,9% 77,1% 39% Analisando comparativamente os resultados alcançados nos últimos cinco anos, pode concluir-se que estes foram sempre bastante satisfatórios, sendo este ano letivo, aquele que apresentou o pior resultado, com uma percentagem negativa. Saliente-se, que a nível nacional, os resultados também registaram uma quebra por comparação a 2012. Alguns alunos, sobretudo aqueles que ficaram retidos no ano letivo transato, revelaram interesses que não convergiam com as aprendizagens curriculares. Os seus interesses culturais eram escassos e pouco diversificados. Manifestaram uma tendência para a desvalorização dos espaços de educação e formação enquanto essenciais para o seu desenvolvimento pessoal e social. 8
  • 9. Medidas a adotar para o ano letivo 2013/14 - Dar continuidade à ação de melhoria número um: Identificação dos fatores que explicam os resultados dos exames nacionais do ensino básico, em português e em matemática. -Realização, no início do ano letivo, de reuniões com a presença dos professores que lecionaram os quintos anos, de modo a que sejam dadas a conhecer as características dos alunos; -Maior articulação entre os professores de Português dos vários ciclos de ensino (1º, 2º e 3º ciclos); - Criação de espaços e grupos de trabalho; -Reflexão sobre as práticas didáticas em departamento; -Avaliação diagnóstica no início do ano letivo; -Realização de atividades que coletivamente forem definidas no âmbito de planos de recuperação, de acompanhamento ou de desenvolvimento de alunos; -Recurso a diversas estratégias, sempre ajustadas aos objetivos, aos conteúdos, às características e às necessidades dos alunos; -Participação dos docentes em ações de formação, de preferência que decorram na própria escola com vista a um enriquecimento profissional e de acordo com as necessidades dos mesmos. - Maior envolvimento dos encarregados de educação. - Articulação com o PNL/PNEP e com as atividades da Biblioteca Escolar. -Exploração de diferentes tipologias de questões textuais (literal, inferencial…) -Planificação de atividades, tendo por base os documentos orientadores do Programa, disponíveis no sítio do min-edu.pt (ex: brochuras do PNEP; Orientações metodológicas de apoio aos novos programas Escrita e Leitura e brochuras do PNL); -Promoção da autonomia dos alunos. Cuba, 17 de julho de 2013 A Coordenadora de Departamento O professor da Turma + Maria Fernanda Rodrigues Rito João Jorge Aguiar ____________________________ ____________________________ 9
  • 10. 10

×