Your SlideShare is downloading. ×
Principios reguladores da interacao comunicativa
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Principios reguladores da interacao comunicativa

2,053

Published on

Documento produzido pelas edições Asa.

Documento produzido pelas edições Asa.

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
2,053
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
93
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Princípios Reguladores da Interação Discursiva Todo o ato comunicativo é regulado por princípios que contribuem para uma comunicação eficaz e de qualidade… © Edições ASA II, SA
  • 2. 1. Princípio da cooperação - Os interlocutores desenvolvem esforços no sentido de a comunicação seguir o mesmo objetivo. - Promove-se, assim, a boa-formação conversacional. © Edições ASA II, SA
  • 3. 1. Princípio da cooperação Máximas conversacionais Máxima da Quantidade Máxima da Qualidade Máxima da Relação Máxima do Modo © Edições ASA II, SA
  • 4. 1. Princípio da cooperação Máxima da Quantidade  Que a informação transmitida seja a estritamente necessária. Exemplo - Que livro estás a ler? - Campo de Lágrimas de Jorge Letria. © Edições ASA II, SA
  • 5. 1. Princípio da cooperação Resposta que não obedece à máxima da quantidade - Que livro estás a ler? - Um livro de Jorge Letria que é espetacular! Não há identificação precisa do livro, que é o pretendido na questão, e há informação acrescida – a opinião sobre o livro. © Edições ASA II, SA
  • 6. 1. Princípio da cooperação Máxima da Qualidade  Que o que se afirma seja verdadeiro.  Que não se diga o que se pensa ser falso.  Que não se façam afirmações que não se possam provar. Resposta que não obedece à máxima da quantidade - Foi o António que mexeu no cacifo da Joana. - Tens a certeza? Viste-o? - Não, mas toda a gente sabe como é o António!... © Edições ASA II, SA
  • 7. 1. Princípio da cooperação Máxima da Relevância Ser relevante no sentido de cooperar com o outro, evitando situações comunicativas como a do exemplo Resposta que não obedece à máxima da relevância © Edições ASA II, SA - Achas que o António já fez as pazes com a Joana? - Acho que, hoje, ainda vai chover!…
  • 8. 1. Princípio da cooperação Máxima do Modo  A mensagem deve passar de uma forma ordenada e clara © Edições ASA II, SA Exemplo O António e a Joana casaram e já partiram em lua de mel. e não Já partiram em lua de mel e o António e a Joana casaram.
  • 9. 1. Princípio da cortesia - Aplicação das regras sociais e culturais, recorrendo a estratégias verbais e não verbais (gestos, expressões, tom de voz), de modo a evitar conflitos e a não pôr em causa a imagem pública do interlocutor. © Edições ASA II, SA
  • 10. 1. Princípio da cooperação Mecanismos linguísticos que minimizam efeitos negativos inerentes a certos atos de fala Expressões do tipo “por favor” Frases interrogativas Uso do condicional / imperfeito Verbos modais © Edições ASA II, SA
  • 11. 1. Princípio da cooperação Expressões do tipo “por favor” Desculpe, pode dar-me uma pequena informação? Lamento , mas não consegui chegar a horas! © Edições ASA II, SA
  • 12. 1. Princípio da cooperação Frases interrogativas Importas-te de fechar a porta? Podes atender o telefone? Não estamos perante questões cuja resposta implique acréscimo de informação, mas sim perante ato ilocutório diretivo indireto © Edições ASA II, SA
  • 13. 1. Princípio da cooperação Uso do condicional / imperfeito Seria possível dar-me uma informação? Queria um bilhete para a sessão das 21:30! Poderia acompanhar-me à esquadra? © Edições ASA II, SA
  • 14. 1. Princípio da cooperação Verbos modais Posso entrar? Pode (Poderia) sair? Poderias (Podes) dar-me uma ajuda? © Edições ASA II, SA
  • 15. Atividades As frases seguintes evidenciam desvios aos princípios reguladores da interação discursiva Assinale a opção que revela esse desvio. © Edições ASA II, SA
  • 16. 1. Dois amigos conversam: - Onde fica a tua casa nova? - Num local extraordinário, cheio de sol e aconchegado por frondosas árvores! É cá uma paz!... A) Princípio da cooperação, máxima da qualidade. B) Princípio da cortesia linguística. C) Princípio da cooperação, máxima da relevância © Edições ASA II, SA
  • 17. 2. Dois amigos conversam: - Vais já para casa? - Primeiramente, vou à escola, depois à piscina. Ainda vou ao supermercado e à farmácia. Só depois é que vou para casa. A) Princípio da cortesia linguística. B) Princípio da cooperação, máxima da quantidade. C) Princípio da cooperação, máxima do modo. © Edições ASA II, SA
  • 18. 3. Num autocarro, diz o passageiro: - Dê-me um bilhete para a Foz. A) Princípio da cortesia linguística. B) Princípio da cooperação, máxima da qualidade. C) Princípio da cooperação, máxima do modo. © Edições ASA II, SA
  • 19. 4. Entre amigos, um comenta: - Chovia muito! Pendurei no bengaleiro a gabardine toda molhada e entrei em casa. - Ah? A) Princípio da cooperação, máxima da relevância. B) Princípio da cooperação, máxima da qualidade. C) Princípio da cooperação, máxima do modo. © Edições ASA II, SA
  • 20. 5. Duas vizinhas conversam: - Sabes que o João do 5º esq. foi preso? - Não me digas! Porquê?! - Não sei, nem tenho a certeza que seja verdade. Mas, é o que se comenta no prédio. A) Princípio da cortesia linguística. B) Princípio da cooperação, máxima da quantidade. C) Princípio da cooperação, máxima da qualidade. © Edições ASA II, SA
  • 21. 6. Pergunta o chefe ao funcionário: - Ainda não percebeu as ordens? A) Princípio da cortesia linguística. B) Princípio da cooperação, máxima da quantidade. C) Princípio da cooperação, máxima do modo. © Edições ASA II, SA
  • 22. 7. Na frutaria… - Ó Senhora, não mexa na fruta! A) Princípio da cooperação, máxima da qualidade. B) Princípio da cortesia linguística. C) Princípio da cooperação, máxima do modo. © Edições ASA II, SA
  • 23. Bibliografia Gramática de Língua Portuguesa, Clara Amorim e Catarina Sousa, Areal Editores © Edições ASA II, SA

×