Sequência didática

9,457 views
9,054 views

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
9,457
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
126
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Sequência didática

  1. 1. SEQUÊNCIA DIDÁTICA GÊNERO TEXTUAL: CONTO CONTEMPORÂNEO1. APRESENTAÇÃO DA SITUAÇÃO Proposta de atividade para o 5º ano da Escola Municipal XYZ. A partir da utilizaçãode contos contemporâneos para contextualizar e viabilizar a confecção de um conto de natal, aturma irá refletir sobre as histórias que servirão de base para o trabalho e produzirão um contopara o encerramento das atividades letivas. Os contos produzidos serão expostos no hall daescola e posteriormente o material virará parte do acervo da biblioteca da escola. Os contos selecionados contem cada um, um assunto comum em nossa realidade, trabalhado de maneira bastante simples e esclarecedora. Pretende-se, ao trabalhar esses contos com os alunos, que eles possam refletir sobre o verdadeiro sentido do natal, independentemente de sua escolha religiosa ou credo. Os valores postos em “discussão”, servem para a vida em sociedade e não somente para discutir as crenças individuais.Para iniciar a contextualização do gênero: a) Que tipo de textos você gosta de ler? b) Você conhecem contos? c) Você sabe a diferença de um conto de fadas e um conto contemporâneo? d) Alguém na sua casa gosta de ler contos? e) Qual a intenção do contista ao produzir seus contos?2. RECONHECIMENTO DO GÊNERO Os contos são narrativas que podem tanto partir de elementos de nossa realidadecomo da fantasia/ficção. Os contos costumam ser escritos para publicação em livros, mastambém podem circular em revistas. Segundo REAIS (apud COSTA-HÜBES e BAUMGÄRTNER, 2009), o contocontemporâneo, reflexo da nova narrativa que se foi construindo nas últimas décadas,substituiu a estrutura clássica pela construção de um texto curto, com o objetivo de conduzir oleitor alem do dito, para a descoberta do não-dito. O conto sugere ao leitor que este participeativamente, buscando não somente o que esta explícito, mas também, o que o texto trazoculto, suas entrelinhas.
  2. 2. Os contos apresentam uma estrutura mais enxuta, apresenta todas as partes dahistoria (apresentação, conflito, desfecho) em um tempo bastante reduzido se comparado asnarrativas longas, tão comuns antigamente. Geralmente é bastante objetivo, apresentaparágrafos curtos, há interação do narrador com o leitor e com a narrativa, possui poucospersonagens, com cenário limitado e normalmente um único conflito. Os contos selecionados para serem trabalhados com a turma fazem parte dasproduções literárias de Rubem Alves. Os textos são: a) O pescador e sua mulher; b) O gato que gostava de cenoura e; c) A princesinha que falava sapos.Para familiarização com os contos: a) Você já ouviu falar de Rubem Alves? b) Você conhecer alguma outra publicação dele? Solicitar aos alunos que pesquisem sobre a vida do autor e suas obras.2.1 OS CONTOSTEM QUE DIGITAR OS OUTROS 2 LIVROS.... O PESCADOR E A SUA MULHER Era uma vez um pobre pescador e sua mulher. Eram pobres, muito pobres. Moravamnuma choupana à beira-mar, num lugar solitário. Viviam dos poucos peixes que ele pescava.Poucos porque, de tão pobre que era, ele não possuía um barco: não podia aventurar-se ao maralto, onde estão os grandes cardumes. Tinha de se contentar com os peixes que apanhava comos anzóis ou com as redes lançadas no raso. Sua choupana, de pau-a-pique era coberta comfolhas de palmeira. Quando chovia a água caía dentro da casa e os dois tinham de ficarencolhidos, agachados, num canto. Não tinham razões para serem felizes. Mas, a despeito de tudo, tinham momentos defelicidade. Era quando começavam a falar sobre os seus sonhos. Algum dia ele teria sorte,
  3. 3. teria uma grande pescaria, ou encontraria um tesouro, e então teriam uma casinha branca comjanelas azuis, jardim na frente e galinhas no quintal. Eles sabiam que a casinha azul nãopassava de um sonho. Por vezes a felicidade se faz com sonhos impossíveis. E assim,sonhando com a impossível casinha azul, eles faziam amor e dormiam abraçados. Era um dia comum como todos os outros. O pescador saiu muito cedo com seusanzóis para pescar. O mar estava tranqüilo, muito azul. O céu limpo, a brisa fresca. De cimade uma pedra lançou o seu anzol. Sentiu um tranco forte. Um peixe estava preso no anzol.Lutou. Puxou. Tirou o peixe. Ele tinha escamas de prata com barbatanas de ouro. Foi entãoque o espanto aconteceu. O peixe falou. "Pescador, eu sou um peixe mágico, anjo dos deusesno mar. Devolva-me ao mar que realizarei o seu maior desejo..." O pescador acreditou. Umpeixe que fala deve ser digno de confiança. "Eu e minha mulher temos um sonho", disse opescador. "Sonhamos com uma casinha azul, jardim na frente, galinhas no quintal... E mais,roupa nova para minha mulher..." Ditas estas palavras ele lançou o peixe de novo ao mar e voltou para casa, para ver seo prometido acontecera. De longe, no lugar da choupana antiga, ele viu uma casinha brancacom janelas azuis, jardim na frente, e galinhas no quintal e, à frente dela, a sua mulher comum vestido novo - tão linda! Começou a correr e enquanto corria pensava: "Finalmente nossosonho vai se realizar! Finalmente vamos ser felizes!" Foi um abraço maravilhoso. Ela ria de felicidade. Mas não estava entendendo nada.Queria explicações. E ele então lhe contou do peixe mágico. "Ele me disse que eu poderiapedir o que quisesse. E eu então me lembrei do nosso sonho..." Houve um momento desilêncio. O rosto da mulher se alterou. Cessou o riso. Ficou séria. Ela olhou para o marido e,pela primeira vez, ele lhe pareceu imensamente tolo: "Você poderia ter pedido o quequisesse? E por que não pediu uma casa maior, mais bonita, com varanda, três quartos e doisbanheiros? Volte. Chame o peixe. Diga-lhe que você mudou de idéia." O marido sentiu a repreensão e sentiu-se envergonhado. Obedeceu. Voltou. O mar jánão estava tão calmo, tão azul. Soprava um vento mais forte. Gritou: "Peixe encantado, deescamas de prata e barbatanas de ouro!" O peixe apareceu e lhe perguntou: "O que é que vocêdeseja?" O pescador respondeu "Minha mulher me disse que eu deveria ter pedido uma casamaior, com varanda, três quartos e dois banheiros!" O peixe lhe disse: "Pode ir. O desejo delajá foi atendido." De longe o pescador viu a casa nova, grande, do jeito mesmo como a mulherpedira. "Agora ela está feliz", ele pensou. Mas ao chegar à casa o que ele viu não foi umrosto sorridente. Foi um rosto transtornado. "Tolo, mil vezes tolo! De que me vale essa casa
  4. 4. nesse lugar ermo, onde ninguém a vê? O que eu desejo é um palacete num condomínioelegante, com dois andares, muitos banheiros, escadarias de mármore, fontes, piscina,jardins. Volte! Diga ao peixe esse novo desejo!" O pescador, obediente, voltou. O mar estava cinzento e agitado. Gritou: "Peixeencantado, de escamas de prata e barbatanas de ouro!" O peixe apareceu e lhe perguntou: "Oque é que você deseja?" O pescador respondeu "Minha mulher me disse que eu deveria terpedido um palacete num condomínio elegante..." Antes que ele terminasse o peixe disse:"Pode voltar. O desejo dela já está satisfeito." Depois de muito andar - agora ele já não morava perto da praia - chegou à cidade eviu, num condomínio rico, um palacete tal e qual aquele que sua mulher desejava. "Que bom",ele pensou. "Agora, com seu desejo satisfeito, ela deve estar feliz, mexendo nas coisas dacasa." Mas ela não estava mexendo nas coisas da casa. Estava na janela. Olhava o palacetevizinho, muito maior e mais bonito que o seu, do homem mais rico da cidade. O seu rostoestava transtornado de raiva, os seus olhos injetados de inveja. "Homem, o peixe disse que você poderia pedir o que quisesse. Volte. Diga-lhe queeu desejo um palácio de rainha, com salões de baile, salões de banquete, parques, lagos,cavalariças, criados, capela." O marido obedeceu. Voltou. O vento soprava sinistro sobre o mar cor de chumbo."Peixe encantado, de escamas de prata e barbatanas de ouro!" O peixe apareceu e lheperguntou: "O que é que você deseja?" O pescador respondeu "Minha mulher me disse que eudeveria ter pedido um palácio com salões de baile, de banquete, parques, lagos..." "Volte!",disse o peixe antes que ele terminasse. "O desejo de sua mulher já está satisfeito." Era magnífico o palácio. Mais bonito do que tudo aquilo que ele jamais imaginara.Torres, bosques, gramados, jardins, lagos, fontes, criados, cavalos, cães de raça, salõesricamente decorados... Ele pensou: "Agora ela tem de estar satisfeita. Ela não pode pedir nadamais rico." O céu estava coberto de nuvens e chovia. A mulher, de uma das janelas, observava oreino vizinho, ao longe. Lá o céu estava azul e o sol brilhava. As pessoas passeavamalegremente pelo campo. "De que me serve este palácio se não posso gozá-lo por causa da chuva? Volte, digaao peixe que eu quero ter o poder dos deuses para decretar que haja sol ou haja chuva!" O homem, amedrontado, voltou. O mar estava furioso. Suas ondas se espatifavam norochedo. "Peixe encantado, de escamas de prata e barbatanas de ouro!" - ele gritou. O peixe
  5. 5. apareceu. "Que é que sua mulher deseja?", ele perguntou. O pescador respondeu: "Ela desejater o poder para decretar que haja sol ou haja chuva!" O peixe disse: “Vou lhes dar uma coisa melhor: vou lhes dar a felicidade!" O homemriu de alegria. “è o que eu mais quero”, ele disse. "Volte", disse o peixe. "Vá ao lugar da suaprimeira casa. Lá você encontrará a felicidade..." E com estas palavras desapareceu. O pescador voltou. De longe ele viu a sua casinha antiga, a mesma casinha. Viu suamulher, com o mesmo vestido velho. Ela colhia verduras na horta. Quando ela o viu veiocorrendo ao seu encontro. "Que bom que você voltou mais cedo", ela disse com um sorriso."Sabe? Vou fazer uma salada e sopa de ostras, daquelas que você gosta. E enquantocomemos, vamos falar sobre a casinha branca com janelas azuis... Ditas essas palavras elasegurou a mão do pescador enquanto caminhavam, e foram felizes para sempre.3. ATIVIDADES a) Análise dos textos - geral1) Os contos lidos falam sobre o que?- O pescador e sua mulher: _____________________________________________________- O gato que gostava de cenoura: ________________________________________________- A princesinha que falava sapos: ________________________________________________2) Os textos trabalhados são textos antigos, que já foram escritos a muito tempo ou são textosmodernos? Como você sabe isso? ___________________________________________________________________________________________________________________________3) Para que tipo de público os contos foram escritos? Por quê? ____________________________________________________________________________________________________4) Relacione os itens no quadro abaixo: O pescador e sua O gato que gostava A princesinha que mulher de cenoura falava saposEm relação à apresentação Curtos: ________ Curtos: ________ Curtos: ________dos parágrafos, quantos sãocurtos e quantos são longos? Longos: ________ Longos: ________ Longos: ________
  6. 6. Quais as personagens?Qual o “problema” do texto?Qual a tipologia ( ) narrativa ( ) narrativa ( ) narrativapredominante? ( ) argumentativa ( ) argumentativa ( ) argumentativa b) Análise dos textos - específica O PESCADOR E SUA MULHER;Releia o conto novamente e depois responda:1) Como era a vida do pescador? ___________________________________________________________________________________________________________________________2) Que personagem surgiu durante a pescaria e quais suas características? ___________________________________________________________________________________________3) Qual a intenção do pescador os fazer seus desejos? ___________________________________________________________________________________________________________4) O que representa a figura do peixe para a história? ___________________________________________________________________________________________________________5) Como foi o comportamento da esposa ao saber da possibilidade de ter sempre mais? ________________________________________________________________________________6) Como o tempo foi se comportando durante o desenrolar da trama? ______________________________________________________________________________________________7) O comportamento do pescador é comum nos dias de hoje? _____________________________________________________________________________________________________8) O comportamento da mulher é comum nos dias de hoje? ______________________________________________________________________________________________________9) Esse comportamento é bom ou ruim para a vida em sociedade? Argumente. _______________________________________________________________________________________ O GATO QUE GOSTAVA DE CENOURA E;Releia o conto novamente e depois responda:1) Quem é a personagem principal e quais suas caracteristicas? ________________________
  7. 7. ___________________________________________________________________________2) Quantas personagens o texto tem? ________________________________________________________________________________________________________________________3) O que Gulliver tinha de diferente? ________________________________________________________________________________________________________________________4) Sua diferença é realmente um problema? ___________________________________________________________________________________________________________________5) Por que os pais de Gulliver ficaram tristes? _________________________________________________________________________________________________________________6) Qual era a maior tristeza para Gulliver? ____________________________________________________________________________________________________________________7) O que você entende por diferença? ________________________________________________________________________________________________________________________8) Qual foi o comportamento do professor? ___________________________________________________________________________________________________________________9) Esse comportamento (do professor) é bom ou ruim para a vida em sociedade? Argumente.______________________________________________________________________________________________________________________________________________________10) Como você interpreta: “porque um amigo é isso: alguém de quem não é preciso seesconder.” _____________________________________________________________________________________________________________________________________________ A PRINCESINHA QUE FALAVA SAPOS.Releia o conto novamente e depois responda:MEU CÉREBRO TÁ NULOOOOOOOOOOO.....RSRSRSRSRRSRS........VC FAZ? :D c) Análise Lingüística
  8. 8. Para trabalhar este tópico, foi escolhido o conto “O Pescador e sua Mulher”.1ª parte – contextualização2ª parte – possibilidade de mudança – peixe mágico3ª parte – problema – desejos e mais desejos4ª parte - desfechoReleia a 1ª parte do conto: Era uma vez um pobre pescador e sua mulher. Eram pobres, muito pobres.Moravam numa choupana à beira-mar, num lugar solitário. Viviam dos poucos peixes queele pescava. Poucos porque, de tão pobre que era, ele não possuía um barco: não podiaaventurar-se ao mar alto, onde estão os grandes cardumes. Tinha de se contentar com ospeixes que apanhava com os anzóis ou com as redes lançadas no raso. Sua choupana, depau-a-pique era coberta com folhas de palmeira. Quando chovia a água caía dentro da casa eos dois tinham de ficar encolhidos, agachados, num canto. Não tinham razões para serem felizes. Mas, a despeito de tudo, tinham momentosde felicidade. Era quando começavam a falar sobre os seus sonhos. Algum dia ele teriasorte, teria uma grande pescaria, ou encontraria um tesouro, e então teriam uma casinhabranca com janelas azuis, jardim na frente e galinhas no quintal. Eles sabiam que a casinhaazul não passava de um sonho. Por vezes a felicidade se faz com sonhos impossíveis. Eassim, sonhando com a impossível casinha azul, eles faziam amor e dormiam abraçados.1) O que aparece nessa parte do texto?( ) Descrição da praia ( ) Argumentação do texto( ) Interação dos personagens ( ) Contextualização da história2) Como era considerada a felicidade para o casal? Justifique. ____________________________________________________________________________________________________3) Aparecem dois adjetivos no texto: pobre e felizes; a que situações eles remetem? ___________________________________________________________________________________4) O autor utiliza a expressão “Por vezes a felicidade se faz com sonhos impossíveis”, o queele quer dizer com isso? __________________________________________________________________________________________________________________________________
  9. 9. 5) Qual o tempo verbal predominante nessa 1ª parte do texto?( ) presente ( ) passado ( ) futuro6) Por que, na sua opinião, o autor se utiliza desse tempo nessa parte do texto? _______________________________________________________________________________________Releia a 2ª parte do conto: Era um dia comum como todos os outros. O pescador saiu muito cedo com seusanzóis para pescar. O mar estava tranqüilo, muito azul. O céu limpo, a brisa fresca. De cimade uma pedra lançou o seu anzol. Sentiu um tranco forte. Um peixe estava preso no anzol.Lutou. Puxou. Tirou o peixe. Ele tinha escamas de prata com barbatanas de ouro. Foi entãoque o espanto aconteceu. O peixe falou. "Pescador, eu sou um peixe mágico, anjo dosdeuses no mar. Devolva-me ao mar que realizarei o seu maior desejo..." O pescadoracreditou. Um peixe que fala deve ser digno de confiança. "Eu e minha mulher temos umsonho", disse o pescador. "Sonhamos com uma casinha azul, jardim na frente, galinhas noquintal... E mais, roupa nova para minha mulher..." Ditas estas palavras ele lançou o peixe de novo ao mar e voltou para casa, para verse o prometido acontecera. De longe, no lugar da choupana antiga, ele viu uma casinhabranca com janelas azuis, jardim na frente, e galinhas no quintal e, à frente dela, a suamulher com um vestido novo - tão linda! Começou a correr e enquanto corria pensava:"Finalmente nosso sonho vai se realizar! Finalmente vamos ser felizes!"Releia a 3ª parte do conto: Foi um abraço maravilhoso. Ela ria de felicidade. Mas não estava entendendo nada.Queria explicações. E ele então lhe contou do peixe mágico. "Ele me disse que eu poderiapedir o que quisesse. E eu então me lembrei do nosso sonho..." Houve um momento desilêncio. O rosto da mulher se alterou. Cessou o riso. Ficou séria. Ela olhou para o marido e,pela primeira vez, ele lhe pareceu imensamente tolo: "Você poderia ter pedido o que
  10. 10. quisesse? E por que não pediu uma casa maior, mais bonita, com varanda, três quartos edois banheiros? Volte. Chame o peixe. Diga-lhe que você mudou de idéia." O marido sentiu a repreensão e sentiu-se envergonhado. Obedeceu. Voltou. O marjá não estava tão calmo, tão azul. Soprava um vento mais forte. Gritou: "Peixe encantado, deescamas de prata e barbatanas de ouro!" O peixe apareceu e lhe perguntou: "O que é quevocê deseja?" O pescador respondeu "Minha mulher me disse que eu deveria ter pedido umacasa maior, com varanda, três quartos e dois banheiros!" O peixe lhe disse: "Pode ir. Odesejo dela já foi atendido." De longe o pescador viu a casa nova, grande, do jeito mesmocomo a mulher pedira. "Agora ela está feliz", ele pensou. Mas ao chegar à casa o que ele viu não foi umrosto sorridente. Foi um rosto transtornado. ... "Homem, o peixe disse que você poderia pedir o que quisesse. Volte. Diga-lhe queeu desejo um palácio de rainha, com salões de baile, salões de banquete, parques, lagos,cavalariças, criados, capela." O marido obedeceu. Voltou. O vento soprava sinistro sobre o mar cor de chumbo."Peixe encantado, de escamas de prata e barbatanas de ouro!" O peixe apareceu e lheperguntou: "O que é que você deseja?" O pescador respondeu "Minha mulher me disse queeu deveria ter pedido um palácio com salões de baile, de banquete, parques, lagos...""Volte!", disse o peixe antes que ele terminasse. "O desejo de sua mulher já está satisfeito." ... "De que me serve este palácio se não posso gozá-lo por causa da chuva? Volte,diga ao peixe que eu quero ter o poder dos deuses para decretar que haja sol ou haja chuva!" O homem, amedrontado, voltou. O mar estava furioso. Suas ondas se espatifavamno rochedo. "Peixe encantado, de escamas de prata e barbatanas de ouro!" - ele gritou. Opeixe apareceu. "Que é que sua mulher deseja?", ele perguntou. O pescador respondeu: "Eladeseja ter o poder para decretar que haja sol ou haja chuva!"Releia a 4ª parte do conto: O peixe disse: “Vou lhes dar uma coisa melhor: vou lhes dar a felicidade!" Ohomem riu de alegria. “è o que eu mais quero”, ele disse. "Volte", disse o peixe. "Vá ao
  11. 11. lugar da sua primeira casa. Lá você encontrará a felicidade..." E com estas palavrasdesapareceu. O pescador voltou. De longe ele viu a sua casinha antiga, a mesma casinha. Viu suamulher, com o mesmo vestido velho. Ela colhia verduras na horta. Quando ela o viu veiocorrendo ao seu encontro. "Que bom que você voltou mais cedo", ela disse com um sorriso."Sabe? Vou fazer uma salada e sopa de ostras, daquelas que você gosta. E enquantocomemos, vamos falar sobre a casinha branca com janelas azuis... Ditas essas palavras elasegurou a mão do pescador enquanto caminhavam, e foram felizes para sempre.4. PRODUÇÃO FINAL – ESCRITA DE CONTO DE NATALApós relembrar os pontos destacados em cada conto, e os aspectos que os contos possuem,iniciar o trabalho de produção do conto.- definição das personagens;- definição do cenário ou contexto em que a história vai desenvolver-se;- definir sobre qual problema a história abordará;- após a produção inicial, trabalhar a correção gramatical e revisar se o texto produzido atendeminimamente as características de um conto;- incentivar que os alunos leiam atentamente seus textos para verificar se esta tudo certo emsua produção;- últimos ajustes para a exposição no hall da escola.

×