• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Regionalização econômica
 

Regionalização econômica

on

  • 12,060 views

 

Statistics

Views

Total Views
12,060
Views on SlideShare
12,060
Embed Views
0

Actions

Likes
2
Downloads
49
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Regionalização econômica Regionalização econômica Presentation Transcript

    • REGIONALIZAÇÃO ECONÔMICA
    • Países e comércio internacional
      Há dois conjuntos de países no comércio internacional:
      • Países do norte: participam com 75% desse comércio
      • Países do sul:
      detém 25% do comércio
    • Países e comércio internacional
      • 55% entre os países ricos
      • 9% entre países pobres
      • 20% vão dos ricos para os pobres
      • 16% dos pobres para os ricos
      • De 100% das mercadorias comercializadas no mundo
    • Desigual participação...
      FMI e Banco Mundial: peças-chave na condução de uma política econômica mundial, reproduz hierarquia que tem como centro o G8, é criticado por movimentos “antiglobalização”, pois decidem as políticas econômicas globais sem transparência.
      G5:são países como Brasil, México, Índia, África do Sul e China, querem maior participação nas negociações comerciais.
      FMI e B. Mundial: liderados pelos EUA através de acordos como Bretton Woods, que passou a ser o novo lastro da economia mundial através do dólar, trazendo sucesso econômico aos países ricos e aumentando a dívida externa da América Latina.
    • Participação no comércio internacional
      Os EUA, Alemanha e Japão são países cujo comércio corresponde a 23% das exportações e 27,5 das importações mundiais.
      China: modelo ZEE, continua fabricando quinquilharias, mas a BYD é a 2ª maior fabricante de baterias para celulares, abastece a Motorola e a Nokia. Mão de obra barata, baixos salários, partido único..., por outro lado meio milhão de cientistas e engenheiros..., tem a seu lado os EUA, tudo isso resultou numa participação de 3,3% para 6% na economia mundial.
    • Participação no comércio internacional
      • Os produtos que apresentam maior valor comercial são os manufaturados- comercializados pelas nações ricas, levam inúmeras vantagens àqueles países cujo valor é menor.
      • Assim a DIT determina condição diferenciada de cada país no comércio mundial. Não é o volume de mercadorias negociadas que determina a condição de um país no comércio mundial, mas o valor que suas mercadorias adquirem no MI.
      • Porto de Itaqui (MA) x Porto de Roterdã
    • GASBOL- GASODUTO
      • Via de transporte de gás entre Bolívia e Brasil, com 3 150Km de extensão. Inicia-se em Santa Cruz de La Sierra e segue até Campinas, onde se divide em dois dutos. Atravessa o MS, SP, PR, SC e RS.
      • Utilizado em usinas termelétricas, combustível veicular e residencial, matéria-prima nas indústrias petroquímicas e de fertilizantes, nas siderúrgicas para a redução do ferro.
      • A Alemanha recebe gás da Sibéria e os EUA dos campos do Canadá e do México.
    • GASBOL- GASODUTO
      • Na Bolívia a maior parte desse gasoduto se localiza em comunidades indígenas, onde já há impactos: migração de trabalhadores, conflitos fundiários, intensificação do desmatamento. As empresas e o Estado além de desconsiderar as comunidades locais, afetam também os diferentes biomas das regiões por onde passam.
      • BIOMAS- Grandes formações de fauna e flora, determinada pelo clima ( radiação solar, temperatura e pluviosidade), topografia, solo, recursos hídricos e ação humana.
    • BIOMAS BRASILEIROS
      Observe no mapa quais são os biomas atravessados pelo gasoduto.
    • Anamorfose
      • É uma representação cartográfica em que a forma dos países aparece distorcida, pois o objetivo é mostrar a intensidade de determinado fenômeno estatístico.
    • Redefinição das fronteiras do capital
      • Descentralização relativa: IBM- 13 unidades - 7 (EUA) + 6 (Europa).
      • Setores industriais com mão de obra em grande quantidade e pouco qualificada, como calçados e brinquedos: descentralizam a sua produção pelo mundo.
      • Estado = agente facilitador, porque a estabilidade econômica, a infraestrutura, a matéria prima de baixo custo, isenção de impostos ... são atraentes às transnacionais.
      • Países que conseguiram industrializar-se no pós - 2ª Guerra: Brasil, Argentina, México, África do Sul, Egito, Índia, Coreia do Sul, Malásia, Cingapura e Taiwan. Investimento do Estado = rompimento com a antiga DIT.
      • A indústria “descentralizada” pelo norte industrializado é de tecnologia convencional, algumas poluentes.
      • Rearranjos: servem aos interesses de organismos supranacionais.
    • INDÚSTRIA X SUBDESENVOLVIDOS
    • BLOCOS ECONÔMICOS
      • Organização formada por um grupo de países cujo objetivo é facilitar o comércio de mercado entre as empresas transnacionais, que visam favorecer a sua produção.
      • Ex: MERCOSUL x McDonald’s = proporciona a livre circulação de mercadorias, o que leva a redução de custos pela empresa .
      • Transnacionais: vistas pelo Estado como pessoas jurídicas e como “qualquer outra pessoa”, o Estado não pode negar proteção.
      • A formação desses blocos data de 1950, intensificando-se após os anos de 1990, como estratégia de sobrevivência ao mundo globalizado, onde as grandes corporações, como Nike, Dupont, Sony, Exxon, estão em busca de maior rentabilidade.
    • BLOCOSECONÔMICOS
    • Zona de livre comércio
      NAFTA - MÉXICO, EUA E CANADÁ:
      • livre circulação de mercadorias
      • redução de tarifas alfandegárias
      • NÃO há livre circulação de pessoas
      Entrou em vigor em 1994, está aberto para a formação da ALCA. Até 2010 talvez sejam suprimidas totalmente as barreiras alfandegárias entre esses países, onde mercadorias e dinheiro deverão circular livremente.
    • Zona de livre comércio
      APEC - Cooperação econômica da Ásia e do Pacífico, é outro exemplo de ZLC que engloba 22 economias asiáticas, das Américas e da Oceania, caso se concretize, será o maior bloco = 1/3 da população mundial. Os caracteres são os mesmos do NAFTA:
      • livre circulação de mercadorias
      • redução de tarifas alfandegárias
      • NÃO há livre circulação de pessoas
      ALCA - Área de Livre Comércio das Américas, que tem como um dos seus objetivos agregar os 33 países do continente americano, com exceção de Cuba. É nos mesmos moldes do APEC/NAFTA, visa a livre circulação de mercadorias, mas não de pessoas e nem criação de um parlamento e uma moeda comum como ocorreu com a U.E. Estava previsto para iniciar em 2006, divergências alfandegárias e protecionistas, adiaram o começo.
    • UNIÃO ADUANEIRA
      MERCOSUL -
      • Países membros: Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai
      • Países associados: Chile, Bolívia, Peru, Colômbia e Equador
      • Venezuela: está em processo de adesão e se tornará membro efetivo quando entrar em vigor o Protocolo de adesão ao MERCOSUL
      A União Aduaneira segue padrões diferentes da ZLC:
      • Zona de livre comércio sem cobrança de tarifas alfandegárias
      • TEC(taxa externa comum) no MERCOSUL de países que não fazem parte da integração econômica
      • Abertura na concorrência pública
      • Moeda Única
    • Mercadocomum
      UNIÃO EUROPEIA –
      • Livre circulação de mercadorias
      • Livre circulação de pessoas e capital
      • A constituição da UE, é feita pelo tratado de Lisboa
      • Equalização Econômica
      • Tem 27 membros
      • Moeda Única, Euro
      • Quem não aderiu ao Euro:
      Reino Unido, Suécia e Dinamarca
    • Uniãoeuropeia