Reanimacao Neonatal
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
No Downloads

Views

Total Views
50,977
On Slideshare
50,602
From Embeds
375
Number of Embeds
5

Actions

Shares
Downloads
878
Comments
8
Likes
18

Embeds 375

http://utineo.wordpress.com 236
http://www.slideshare.net 127
http://www.slideee.com 8
http://webcache.googleusercontent.com 3
http://www.google.com.br 1

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Enfermeira Mércia Lisieux especialista em gestão em infecção hospitalar e neonatologia REANIMAÇÃO NEONATAL
  • 2. DEFINIÇÃO
    • Reanimar o recém-nascido significa ressuscitar a criança no nascimento.
    22/07/09 Reanimação neonatal
  • 3. 22/07/09 Reanimação neonatal AR AR AR TRANSIÇÃO CÁRDIO-RESPIRATÓRIA 1 as RESPIRAÇÕES
    • Eliminação do líquido pulmonar
    • Vasodilatação pulmonar
    feto RN
  • 4. Movimentos respiratórios rápidos apnéia primária gasping apnéia secundária Tempo de asfixia Conseqüências: Apnéia 1 ária e 2 ária Óbito  Freqüência Cardíaca  Débito Cardíaco  Pressão Arterial
  • 5.
    • Quanto maior a demora para iniciar a reanimação, mais difícil esta se torna e mais elevado é o risco de lesão cerebral.
    22/07/09 Reanimação neonatal
  • 6. 22/07/09 Reanimação neonatal PREPARO PARA A REANIMAÇÃO HISTÓRIA MATERNA
    • Intercorrências clínicas
    • Intercorrências gestacionais
    • Intercorrências no trabalho de parto e parto
    • Líquido amniótico meconial?
    • A gestação é de termo?
  • 7. PREPARO PARA REANIMAÇÃO 22/07/09 Reanimação neonatal EQUIPAMENTOS
    • Fonte de calor radiante
    • Fontes de O 2 e vácuo
    • Material para aspiração
    • Material para ventilação
    • Material para intubação
    • Medicações
  • 8. 22/07/09 Reanimação neonatal Pelo menos um profissional, cuja responsabilidade seja apenas o RN e capaz de iniciar todos os procedimentos de reanimação neonatal, deve estar presente em todo nascimento. PREPARO PARA A REANIMAÇÃO EQUIPE
  • 9. MATERIAL PARA INTUBAÇÃO 22/07/09 Reanimação neonatal
  • 10. 22/07/09 Reanimação neonatal
  • 11. PRECAUÇÕES UNIVERSAIS
    • Avental
    • Máscara
    • Gorro
    • Luvas
    • Óculos
    22/07/09 Reanimação neonatal
  • 12. ABC DA REANIMAÇÃO
    • A – manter vias aéreas pérvias por meio de posicionamento adequado, aspiração;
    • B – garantir a ventilação por meio de ventilação com pressão positiva;
    • C – manter a circulação com massagem cardíaca e medicação.
    22/07/09 Reanimação neonatal
  • 13.
    • Gestação de termo?
    • Ausência de mecônio ?
    • Respirando ou chorando?
    • Tônus bom?
    22/07/09 Reanimação neonatal IMEDIATAMENTE APÓS O CLAMPEAMENTO DO CORDÃO UMBILICAL
  • 14.
    • Gestação a termo
    • Sem mecônio
    • Respirando ou chorando
    • Tônus bom
    22/07/09 Reanimação neonatal CUIDADOS DE ROTINA
    • Prover calor
    • Aspirar boca e nariz
    • Secar e desprezar os campos úmidos
    • Verificar a cor do RN
    • Posicionar RN no tórax e/ou abdome materno
  • 15. 22/07/09 Reanimação neonatal
  • 16. Prematuro OU Respiração irregular/ausente OU Hipotonia 22/07/09 Reanimação neonatal PASSOS INICIAIS
    • Prover calor
    • Posicionar a cabeça
    • Aspirar boca e nariz
    • Secar e desprezar os campos úmidos
    • Reposicionar o RN
  • 17. FONTE DE CALOR RADIANTE 22/07/09 Reanimação neonatal Manter a temp. axilar em  36,5  C EVITAR: hipotermia hipertermia
  • 18. MANUTENÇÃO DA TEMPERATURA EM PRÉ-TERMO
    • Garantir o funcionamento da fonte de calor radiante
    • Aumentar a temperatura da sala de parto
    • Colocar colchão aquecido abaixo dos campos
    • Recepcionar o RN em campos aquecidos
    • Nos <29 semanas: envolver em papel filme (exceto a cabeça)
    • Usar toucas de algodão
    • Transportar em incubadora pré-aquecida
    22/07/09 Reanimação neonatal Fazer todos as manobras da reanimação no RN envolvido em plástico.
  • 19. POSICIONAR A CABEÇA 22/07/09 Reanimação neonatal Leve extensão do pescoço
  • 20. 22/07/09 Reanimação neonatal
  • 21. ASPIRAR AS VIAS AÉREAS 22/07/09 Reanimação neonatal 1 o 2 o
    • Aspirar primeiro a boca e depois as narinas
    • Empregar o bulbo ou sonda traqueal n o 8/10
    • Fazer movimentos suaves
    • Usar pressão negativa de ~ 100 mmHg
  • 22. 22/07/09 Reanimação neonatal Secar e remover os campos úmidos Reposicionar a cabeça!
  • 23. 22/07/09 Reanimação neonatal Respirando FC > 100 Cianose central AVALIAR Respiração FC Cor
    • NASCIMENTO
    • Gestação de termo?
    • Ausência de mecônio?
    • Respirando ou chorando?
    • Tônus muscular bom?
    • Prover calor
    • Posicionar cabeça e aspirar boca e narinas
    • Secar e reposicionar
    Considerar O 2 inalatório não 30 seg. Oxigênio Inalatório
  • 24. OXIGÊNIO INALATÓRIO 22/07/09 Reanimação neonatal
    • Fluxo de O 2 ~ 5 L/min
    CATETER O oxigênio deve umidificado e aquecido quando fornecido por período superior a poucos minutos.
  • 25. 22/07/09 Reanimação neonatal
  • 26. 22/07/09 Reanimação neonatal
    • RÓSEA OU ACROCIANOSE
    • Retirada gradual do O 2 inalatório
    COR
    • CIANOSE PERSISTENTE
    • Ventilação com Pressão Positiva
    Passos Iniciais + O 2 inalatório Oxigênio Inalatório
  • 27. LÍQUIDO AMNIÓTICO MECONIAL
    • Calor radiante
    • Posicionar
    • Aspirar boca e nariz
    • Secar
    22/07/09 Reanimação neonatal R. rítmica/regular e tônus em flexão e FC > 100 bpm R. irregular/ausente e/ou hipotonia e/ou FC < 100 bpm
    • Passos iniciais da reanimação
    • Aspiração traqueal sob visualização direta
    Avaliar Respiração, FC e Cor para decidir as próximas ações
  • 28. LÍQUIDO AMNIÓTICO MECONIAL
    • A enfermagem deverá estar atenta à história ou à presença de líquido meconial.
    • Sempre que houver líquido meconial é obrigatória a presença do pediatra na sala de parto pela possível necessidade de intubação traqueal imediata do RN.
    22/07/09 Reanimação neonatal
    • Fornecer a cânula traqueal
    • Após a intubação, conectar à cânula traqueal o dispositivo para aspirar mecônio, já ligado à fonte de vácuo.
    • Oferece O 2 inalatório durante todo o procedimento.
    PAPEL DO AUXILIAR
  • 29. LÍQUIDO AMNIÓTICO MECONIAL 22/07/09 Reanimação neonatal Pediatra aspira boca e hipofaringe com sonda traqueal n o 10 Auxiliar Respiração irregular/ausente e/ou hipotonia e/ou FC < 100 bpm
  • 30. 22/07/09 Reanimação neonatal
  • 31. 22/07/09 Reanimação neonatal Respirando FC > 100 Cianose central AVALIAR Respiração FC e Cor
    • NASCIMENTO
    • Gestação de termo?
    • Ausência de mecônio?
    • Respirando ou chorando?
    • Tônus muscular bom?
    PASSOS INICIAIS O 2 inalatório não 30 seg. VENTILAÇÃO COM PRESSÃO POSITIVA (VPP) R. Irregular ou ausente ou FC < 100 Cianose central persistente VPP
  • 32. 22/07/09 Reanimação neonatal PASSOS INICIAIS Apnéia ou gasping FC < 100 bpm Cianose central persistente VENTILAÇÃO COM PRESSÃO POSITIVA COM OXIGÊNIO A 100%
  • 33. EQUIPAMENTOS PARA VPP 22/07/09 Reanimação neonatal
    • Não há necessidade da fonte de gases para inflar o balão.
    • É fácil de ser utilizado.
    BALÃO AUTO-INFLÁVEL
  • 34. 22/07/09 Reanimação neonatal Reservatório de oxigênio TIPOS: Entrada de O 2 Entrada de AR Válvula de escape RN Fonte de Oxigênio 5 l/min Saída para monitoração da pressão Características do balão auto-inflável
  • 35. BALÃO AUTO-INFLÁVEL 90-100% O 2 22/07/09 Reanimação neonatal 21% O 2 100% O 2 O 2 O 2 AR 40% O 2 5 L/min. Porque é necessário o reservatório de oxigênio?
  • 36. PREPARO PARA A APLICAÇÃO DO BALÃO E MÁSCARA 22/07/09 Reanimação neonatal Posicionar o bebê! Posicionar quem reanima! EVITAR !!! EVITAR !!! Posicionar o balão e máscara!
  • 37. MÁSCARAS RNT e PT 22/07/09 Reanimação neonatal
    • Redonda ou anatômica
    • Cobrir ponta do queixo, boca e nariz
  • 38. 22/07/09 Reanimação neonatal
  • 39. QUAL A FREQÜÊNCIA? 22/07/09 Reanimação neonatal 40 a 60 movimentos/minuto “ aperta...” compressão “ solta...solta” liberação “ aperta...” compressão “ solta...solta” liberação
  • 40. 22/07/09 Reanimação neonatal
  • 41. DURANTE A VPP OBSERVAR: 22/07/09 Reanimação neonatal
    • Adaptação da máscara à face do RN
    • Permeabilidade das vias aéreas
    • Expansibilidade pulmonar
  • 42. SINAIS DE VPP EFETIVA 22/07/09 Reanimação neonatal 1º Aumento da FC 2º Melhora da Cor e Tônus 3º Início da respiração regular
  • 43. 22/07/09 Reanimação neonatal O 2 inalatório Suspender gradativamente FC > 100 bpm e Sem cianose central e Respiração regular VPP + O 2 por 30 seg. RN melhora 30 seg.
  • 44. 22/07/09 Reanimação neonatal Verificar... Técnica da VPP FC < 100 bpm ou Cianose central ou Respiração irregular VPP + O 2 por 30 seg. RN não melhora 30 seg.
  • 45. MÁ VENTILAÇÃO COM BALÃO E MÁSCARA
    • Má adaptação da máscara  readaptar a máscara
    • Vias aéreas não pérvias  reposicionar a cabeça  aspirar as secreções  ventilar c/ a boca levemente aberta
    • Pressão insuficiente  aumentar a pressão
    22/07/09 Reanimação neonatal
  • 46. 22/07/09 Reanimação neonatal Sonda gástrica Medir a distância da base do nariz ao lóbulo da orelha e deste até o apêndice xifóide
  • 47. 22/07/09 Reanimação neonatal NASCIMENTO 4 perguntas PASSOS INICIAIS 30 seg. VPP com B & CET R. Irregular/ausente ou FC < 100 bpm ou Cianose persistente VPP com B&M 30 seg. R. Regular e FC >100 bpm e Róseo O 2 inalatório FC < 100 bpm ou RN não melhora Considerar intubação
  • 48. INTUBAÇÃO TRAQUEAL 22/07/09 Reanimação neonatal INDICAÇÕES
    • Necessidade de aspiração traqueal (mecônio)
    • Ventilação com balão e máscara ineficaz ou prolongada
    • Necessidade de massagem cardíaca
    • Suspeita ou presença de hérnia diafragmática
    • Considerar intubação traqueal, em PT < 30 semanas, se há indicação de surfactante profilático
  • 49. Diâmetro interno da cânula traqueal 22/07/09 Reanimação neonatal DI (mm) Peso (g) IG (sem) 2,5 < 1000 < 28 3,0 1000 a 2000 28 a 34 3,5 2000 a 3000 34 a 38 3,5 a 4,0 > 3000 > 38
  • 50. 22/07/09 Reanimação neonatal Prevenir contaminação
    • Usar luvas estéreis.
    • Limpeza das peças do laringoscópio com água e sabão após cada uso.
    • Utilizar cânula, sonda e fio-guia estéreis.
    • Descartar sondas e cânulas após uso único.
  • 51. DURANTE A INTUBAÇÃO 22/07/09 Reanimação neonatal
    • Fixar a cabeça e segurar o recém-nascido se necessário
    • Fornecer o material ao médico que está intubando
    • Auxiliar na aspiração de vias aéreas
    • Pressionar a traquéia, se solicitado
    • Oferecer oxigênio inalatório
    Papel do Auxiliar
  • 52. 22/07/09 Reanimação neonatal Estabilizar a cabeça Fornecer O 2 inalatório Pressionar a traquéia se necessário
  • 53. 22/07/09 Reanimação neonatal Auxiliar na fixação da CET durante a retirada do laringoscópio e do fio-guia
  • 54.
    • TUBO TRAQUEAL
    PROFUNDIDADE DA INSERÇÃO 22/07/09 Reanimação neonatal
  • 55. CUIDADOS DURANTE A INTUBAÇÃO 22/07/09 Reanimação neonatal 20 segundos!
    • Pré-oxigenar antes de cada tentativa de intubação
    • Oferecer oxigênio inalatório durante o procedimento
    • Limitar o procedimento em 20 segundos
  • 56. 22/07/09 Reanimação neonatal Fornecer o balão para iniciar a Ventilação com Pressão Positiva!
  • 57. 22/07/09 Reanimação neonatal
    • Melhora da FC e da cor
    • Expansão torácica simétrica
    • Ausência de distensão gástrica durante a VPP
    • MV torácico bilateral, na região axilar
    • Entrada de ar ausente na região gástrica
    • Presença de condensação de água na cânula
    Verificar se a posição da cânula está correta
  • 58. 22/07/09 Reanimação neonatal Fixar a Cânula Traqueal
    • Limpeza da região com água destilada
    • Esparadrapo
  • 59. INTUBAÇÃO TRAQUEAL 22/07/09 Reanimação neonatal
    • HIPÓXIA
    • APNÉIA e/ou BRADICARDIA
    • PNEUMOTÓRAX
    • LESÃO DE PARTES MOLES ESÔFAGO OU TRAQUÉIA
    • INFECÇÃO
    COMPLICAÇÕES
  • 60. 22/07/09 Reanimação neonatal 1º Aumento da FC 2º Melhora da Cor e Tônus 3º Início da respiração regular Sinais de VPP efetiva
  • 61. VPP com técnica efetiva e O 2 100% 22/07/09 Reanimação neonatal FC < 60 bpm Continuar VPP com B&CET e O 2 100% Iniciar massagem cardíaca 30 seg.
  • 62. MASSAGEM CARDÍACA 22/07/09 Reanimação neonatal Local de compressão Terço inferior do esterno
  • 63. TÉCNICA Técnica dos polegares (preferível) 22/07/09 Reanimação neonatal
  • 64. 22/07/09 Reanimação neonatal
  • 65. 22/07/09 Reanimação neonatal Técnica dos 2 dedos
  • 66. 22/07/09 Reanimação neonatal
  • 67. MASSAGEM CARDÍACA 22/07/09 Reanimação neonatal TEMPO DE COMPRESSÃO SÍSTOLE DIÁSTOLE TEMPO DE LIBERAÇÃO
  • 68. FREQÜÊNCIA 22/07/09 Reanimação neonatal movimento de ventilação movimentos de massagem 1 3 (90/minuto) (30/minuto)
  • 69. RITMO 22/07/09 Reanimação neonatal Mantenha o ritmo: ( 1 e 2 e 3 e ventila ...) Ventilação por pressão positiva e massagem cardíaca
  • 70. A massagem cardíaca está sendo efetiva? É preferível, pois não precisa interromper a VPP Avaliar a FC por 6 segundos e multiplicar o valor obtido por 10
  • 71. 22/07/09 Reanimação neonatal
  • 72. 22/07/09 Reanimação neonatal Interromper a MC Manter VPP (40-60 mpm) até FC > 100 bpm e respiração regular FC > 60 bpm VPP com B&CET e MC por 30 seg. 30 seg. RN melhora
  • 73. 22/07/09 Reanimação neonatal Verificar... Posição da CET e Técnica da VPP e Técnica da MC RN não melhora 30 seg. FC < 60 bpm VPP com B&CET e MC por 30 seg.
  • 74. RN não melhorou R. Irregular/ausente ou FC<100 bpm ou cianose persistente 22/07/09 Reanimação neonatal NASCIMENTO 4 perguntas 30 seg. 30 seg. FC<60 bpm Massagem Cardíaca VPP com B&M VPP com B&CET FC<60 bpm Medicações PASSOS INICIAIS 30 seg. Adrenalina e Expansor de volume
  • 75. MEDICAÇÕES 22/07/09 Reanimação neonatal
    • Separar o material necessário
    • Preparar a adrenalina diluída nas seringas e identificá-las
    • Auxiliar na administração por via endotraqueal ou umbilical
    • Fornecer material e auxiliar no cateterismo de veia umbilical
    Papel do Auxiliar
  • 76. 22/07/09 Reanimação neonatal MEDICAÇÕES VIA PREFERENCIAL veia umbilical Cateter ou Sonda traqueal 1 a 2 cm 0,5 a 1,0 mL SF 0,9% Após medicação, infundir
  • 77. 22/07/09 Reanimação neonatal VPP após instilação da medicação SOMENTE ADRENALINA Administração endotraqueal
  • 78. 22/07/09 Reanimação neonatal VPP com B&CET e O 2 100% Massagem cardíaca FC < 60 bpm 30 seg. Continuar VPP com B&CET e O 2 100% Continuar massagem cardíaca Administrar adrenalina
  • 79. 22/07/09 Reanimação neonatal VPP e MC e Adrenalina FC < 60 bpm Verificar a posição da cânula Verificar a técnica da VPP e da MC Repetir adrenalina EV a cada 3-5 minutos Considerar hipovolemia
  • 80. 22/07/09 Reanimação neonatal
    • Concentração: 1/10.000
    • Preparo: 1 mL adrenalina 1/1.000 + 9 mL SF 0,9%
    • Uso ET é recomendado. Pode-se aplicar por via traqueal uma única vez ( seringa de 5ml) enquanto a veia umbilical é cateterizada.
    ADRENALINA
  • 81. 22/07/09 Reanimação neonatal
    • Concentração: 1/10.000
    • Preparo: 1 mL adrenalina 1/1.000 + 9 mL SF 0,9%
    • Deixar preparado uma seringa com SF 0,9%, para infundir após a medicação
    • Uso EV é recomendado. Pode-se aplicar por via traqueal uma única vez enquanto a v. umbilical é cateterizada.
    ADRENALINA
    • Uso EV
    • Solução a 1/10.000
    • 0,1-0,3 mL/kg/dose (0,01-0,03 mg/kg)
    • Seringas de 1,0 mL
    • Uso ET único
    • Solução a 1/10.000
    • 0,3-1,0 mL/kg/dose (0,03-0,10 mg/kg)
    • Seringa de 5,0 mL
  • 82. 22/07/09 Reanimação neonatal EXPANSORES DE VOLUME Indicações
    • RN não melhora com VPP e MC e adrenalina.
    • RN com evidências de perda sangüínea (DPP ou placenta prévia) e/ou sinais de choque (palidez, má perfusão periférica, pulsos finos e taquicardia ou bradicardia persistente).
  • 83. 22/07/09 Reanimação neonatal Como usar
    • Solução cristalóide  SF 0,9%  Ringer lactato
    • Preparo  volume estimado em seringas de 20 mL
    • Dose  10 mL/kg  repetir s/n
    • Via de infusão  veia umbilical
    • Velocidade de infusão  5 a 10 minutos
    EXPANSORES DE VOLUME
  • 84. 22/07/09 Reanimação neonatal OBSERVE O RN !!! OLHE O TEMPO !!! Avaliar Respiração FC e Cor Fornecer material Aspirar as vias aéreas Ministrar O 2 inalatório Auxiliar na ventilação Preparar as medicações Ajudar na intubação Identificar RN de risco
  • 85. Textbook of Neonatal Resuscitation, 5th Ed. AAP/AHA; 2006 Texto disponível em www.sbp.com.br
  • 86. Obrigada! 22/07/09 Reanimação neonatal