Your SlideShare is downloading. ×
Aula 06 naturalismo-realismo
Aula 06 naturalismo-realismo
Aula 06 naturalismo-realismo
Aula 06 naturalismo-realismo
Aula 06 naturalismo-realismo
Aula 06 naturalismo-realismo
Aula 06 naturalismo-realismo
Aula 06 naturalismo-realismo
Aula 06 naturalismo-realismo
Aula 06 naturalismo-realismo
Aula 06 naturalismo-realismo
Aula 06 naturalismo-realismo
Aula 06 naturalismo-realismo
Aula 06 naturalismo-realismo
Aula 06 naturalismo-realismo
Aula 06 naturalismo-realismo
Aula 06 naturalismo-realismo
Aula 06 naturalismo-realismo
Aula 06 naturalismo-realismo
Aula 06 naturalismo-realismo
Aula 06 naturalismo-realismo
Aula 06 naturalismo-realismo
Aula 06 naturalismo-realismo
Aula 06 naturalismo-realismo
Aula 06 naturalismo-realismo
Aula 06 naturalismo-realismo
Aula 06 naturalismo-realismo
Aula 06 naturalismo-realismo
Aula 06 naturalismo-realismo
Aula 06 naturalismo-realismo
Aula 06 naturalismo-realismo
Aula 06 naturalismo-realismo
Aula 06 naturalismo-realismo
Aula 06 naturalismo-realismo
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Aula 06 naturalismo-realismo

915

Published on

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
915
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
5
Actions
Shares
0
Downloads
26
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. REALISMO – NATURALISMO – SIMBOLISMO Prof. Márcio Duarte FAIP/FAEF
  • 2. 1880 1800 1850 1900 Romantismo Realismo Naturalismo Impressionismo Expressionismo Simbolismo
  • 3. REALISMO Segunda metade do século XIX
  • 4. Origem • O realismo foi um movimento artístico e cultural que se desenvolveu na segunda metade do século XIX, surgido na França, e cuja influência se estendeu a numerosos países europeus. • A característica principal deste movimento foi a abordagem de temas sociais e um tratamento objetivo da realidade do ser humano. • Possuía um forte caráter ideológico, marcado por uma linguagem política e de denúncia dos problemas sociais como, por exemplo, miséria, pobreza, exploração, corrupção entre outros. • Com uma linguagem clara, os artistas e escritores realistas iam diretamente ao foco da questão, reagindo, desta forma, ao subjetivismo do romantismo. Uma das correntes do realismo foi o Naturalismo, onde a objetividade está presente, porém sem o conteúdo ideológico.
  • 5. A angústia de um operário em greve é o tema de OnStrike (Em Greve), 1891, óleo sobre tela, famoso quadro de Hubertvon Herkomer, um dos maiores nomes da arte realista.
  • 6. História do realismo na arte • Esta corrente aparece no momento em que ocorrem as primeiras lutas sociais, sendo também objeto de ação contra o capitalismo progressivamente mais dominador. • Das influências intelectuais que mais ajudaram no sucesso do Realismo denota-se a reação contra as excentricidades românticas e contra as suas falsas idealizações da paixão amorosa.
  • 7. Comparação com o Romantismo
  • 8. "O Bar do Folies-Bergère" de Édouard Manet (1882)
  • 9. Características • Retrato da sociedade e das suas relações sem idealização. Exclui-se da obra tudo o que vier da sorte, do acaso, do milagre. Tudo é regido por leis naturais. • Cientificismo – uso de teorias científicas e filosóficas, como o determinismo, o evolucionismo, a psicologia, o positivismo. • Linguagem simples e direta. • Tempo da narrativa – preferencialmente o presente, o que faz com que a literatura sirva de denúncia dos aspectos sociais e políticos. • Espaço urbano.
  • 10. Características • Personagens caricaturados das pessoas do dia-a-dia, retratando-se ou o aspecto psicológico ou o biológico desses. • Preferência pela individualidade dos personagens. • Romance documental. • Observação direta e interpretação crítica da realidade. • Objetividade. • Análise psicológicas dos personagens. • Materialismo. • Crítica às instituições burguesas, à monarquia, a religiosidade, às crendices populares.
  • 11. "O almoço sobre a relva", de Manet
  • 12. The Uprising (1860), Honoré Daumier
  • 13. Realismo na literatura • Motivados pelas teorias científicas e filosóficas da época, os escritores realistas desejavam retratar o homem e a sociedade em sua totalidade. Não bastava mostrar a face sonhadora e idealizada da vida como fizeram os românticos; era preciso mostrar a face nunca antes revelada: a do cotidiano massacrante, do amor adúltero, da falsidade e do egoísmo humano, da impotência do homem comum diante dos poderosos. • Uma característica comum ao Realismo é o seu forte poder de crítica, porém sem subjetividade. Grandes escritores realistas descrevem o que está errado de forma natural. Em lugar do egocentrismo romântico, verifica-se um enorme interesse de descrever, analisar e até em criticar a realidade. Em lugar de fugir à realidade, os realistas procuram apontar falhas como forma de estimular a mudança das instituições e dos comportamentos humanos. Na Europa, o realismo teve início com a publicação do romance realista Madame Bovary (1857) de Gustave Flaubert.
  • 14. Artistas do realismo • Édouard Manet • Gustave Courbet • Honoré Daumier • Jean-Baptiste Camille Corot • Jean-François Millet • Theódore Rousseau
  • 15. O REALISMO Gustave Coubert (1819- 1877) foi o grande teorizador do realismo pictórico. Com uma visão socialista, pinta temas sociais, paisagens campestres, operários e retratos. A origem do mundo 1866.
  • 16. Os Quebradores de Pedras – Courbet
  • 17. Enterro em Ornans - CoubertCoubert
  • 18. Auto-retrato – Gustave Coubert
  • 19. Jean-François Millet (1814-1875) pinta cenas do trabalho rural As respigadoras do trigo, 1857 Angelus, 1859
  • 20. Realismo no Brasil • No Brasil, esse contexto se inicia em 1881, com Machado de Assis, que publica Memórias póstumas de Brás Cubas (primeiro romance realista do Brasil). • Durante o período de passagem do Romantismo para o Realismo , o Brasil sofreu inúmeras mudanças na história econômica, política e social. • O Realismo encontrou no Brasil uma realidade propícia para a ascensão da literatura, já que escritores como Castro Alves e José de Alencar haviam preparado o terreno.
  • 21. naturalismo Iniciou-se com a Escola de Barbizon (1880)
  • 22. • O Naturalismo é a radicalização do Realismo. • Iniciou-se com a Escola de Barbizon (1880) - essa nova escola literária baseava-se na observação fiel da realidade e na experiência, mostrando que o indivíduo é determinado pelo ambiente e pela hereditariedade.
  • 23. Naturalismo na Literatura • Os romances naturalistas se destacam pela abordagem extremamente aberta do sexo e pelo uso da linguagem falada. O resultado é um diálogo vivo e extraordinariamente verdadeiro, que na época foi considerado até chocante de tão inovador. Ao ler uma obra naturalista, tem-se a impressão de estar lendo uma obra contemporânea, que acabou de ser escrita.
  • 24. Imagens do Naturalismo
  • 25. J-B. Camille Corot, 1796-1875 A Ponte de Nantes
  • 26. NATURALISMO Os progressos da vida citadina no séc. XIX levaram à laicização do pensamento, a um maior racionalismo e pragmatismo. Na ciência, surge o positivismo e o cientismo. Os artistas aumentaram o interesse pela vida real e condenaram o rigoroso academismo da época que se ensinava nas Escolas; Nas telas, focam atenção pormenorizada na luz e seus efeitos. As Casas de Cabassud na Vila d’Avray.
  • 27. Johan B. Jongkind (1819-1891), Paisagem com moinho.
  • 28. James Whistler (1834-1903) EUA, Retrato da Mãe do pintor, 1871
  • 29. Eugène Boudin (1824-1898), Praia em Trouville, 1860-70
  • 30. Os pintores da “Escola de Barbizon” • Barbizon é uma aldeia a 30km de Paris, na floresta de Fontainebleau. Alguns pintores parisienses fixaram-se aí para pintar a Natureza em plena natureza. É o início da pintura fora dos ateliês. Esta proximidade da natureza levou os artistas a pormenorizarem brilhos, tonalidades, texturas, cambiantes de atmosfera, etc. • Pintores que passaram por Barbizon: Théodore Rousseau, Constant Troyon, Charles Daubigny, Camile Corot, Gustave Courbet, etc.
  • 31. Os naturalistas pintam paisagens, cenas do quotidiano e retratos, e abandonam os temas dos pintores românticos (temas de inspiração literária ou histórica, fantasias) e o sentimentalismo. T. Rousseau, Paisagem. Este pintor é considerado o precursor do Impressionismo.
  • 32. Naturalismo no Brasil • No país, a tendência manifesta-se nas artes plásticas e na literatura. Não há produção de textos para teatro, que se limita a encenar peças francesas. • Na literatura, em geral não há fronteiras nítidas entre textos naturalistas e realistas. No entanto, o romance O Mulato (1881), de Aluísio Azevedo (1857-1913), é considerado o marco inicial do naturalismo no país.

×