INTEGRAÇÃO ENERGÉTICA DESAFIOS [email_address] Professor Adilson de Oliveira Instituto de Economia Universidade Federal do...
Roteiro <ul><li>Pano de Fundo </li></ul><ul><li>Mercosul </li></ul><ul><li>Integração Energética </li></ul><ul><li>Novo Pa...
Roteiro <ul><li>Pano de Fundo </li></ul><ul><li>Mercosul </li></ul><ul><li>Integração Energética </li></ul><ul><li>Novo Pa...
INTEGRAÇÃO <ul><li>Sonho antigo </li></ul><ul><li>ALALC  </li></ul><ul><li>ALADI </li></ul><ul><li>Enfoque sub-regional </...
GARGALOS ESTRUTURAIS <ul><li>Transporte </li></ul><ul><li>Telecomunicações </li></ul><ul><li>Energia </li></ul>[email_addr...
Oportunidade <ul><li>Recursos energéticos ociosos </li></ul><ul><ul><li>Baixo custo de oportunidade </li></ul></ul><ul><ul...
Roteiro <ul><li>Pano de Fundo </li></ul><ul><li>Mercosul </li></ul><ul><li>Integração Energética </li></ul><ul><li>Novo Pa...
MERCOSUL <ul><li>Ponto de partida </li></ul><ul><ul><li>Potencial hidrelétrico fronteiriço </li></ul></ul><ul><li>Objetivo...
RESULTADOS INICIAIS <ul><li>Redução das tarifas externas </li></ul><ul><ul><li>33,7% (1990) </li></ul></ul><ul><ul><li>12,...
DIFICULDADES <ul><li>Regimes macro-econômicos distintos </li></ul><ul><li>Estrutura institucional frágil </li></ul><ul><li...
CONJUNTURA ATUAL <ul><li>Crise econômica </li></ul><ul><ul><li>Reformas liberalizantes sob júdice </li></ul></ul><ul><ul><...
CONJUNTURA ATUAL <ul><li>Retomada do crescimento </li></ul><ul><ul><li>Aumento significativo dos saldos comerciais </li></...
OPORTUNIDADE <ul><li>Regimes macroeconômicos similares </li></ul><ul><li>Vontade política </li></ul><ul><li>Novo papel par...
DESAFIO <ul><li>Ampliar nexo de integração para além do incremento dos fluxos comerciais </li></ul>[email_address] ARPEL N...
PONTOS FOCAIS <ul><li>Coordenação macroeconômica </li></ul><ul><li>Articulação das cadeias produtivas </li></ul><ul><li>Re...
Roteiro <ul><li>Pano de Fundo </li></ul><ul><li>Mercosul </li></ul><ul><li>Integração Energética </li></ul><ul><li>Novo Pa...
EVOLUÇÃO <ul><li>Até 1970 </li></ul><ul><ul><li>Desenvolvimento de sistemas nacionais </li></ul></ul><ul><li>Após a crise ...
POLÍTICA ENERGÉTICA <ul><li>Autarquia </li></ul><ul><ul><li>Minimização das importações de petróleo </li></ul></ul><ul><ul...
DÉCADA DE 90 <ul><li>Liberalização e contratos bilaterais  </li></ul><ul><li>Fluxos comerciais contínuos </li></ul><ul><ul...
CRISE <ul><li>Preocupação com o esgotamento dos recursos fósseis </li></ul><ul><li>Reemergência do conceito de autarquia  ...
SITUAÇÃO REGIONAL <ul><li>Ampla disponibilidade de recursos energéticos de baixo custo de oportunidade </li></ul><ul><ul><...
INTEGRAÇÃO REGIONAL <ul><li>Benefícios estimados : US$ 120 milhões/ano (setor elétrico) </li></ul><ul><li>Crises energétic...
SITUAÇÃO REGIONAL <ul><li>Infra-estrutura física de transporte insuficiente </li></ul><ul><li>Arcabouço jurídico-instituci...
OPORTUNIDADES <ul><li>Economias de escala e de escopo </li></ul><ul><li>Complementaridades </li></ul><ul><li>Baixos custos...
Roteiro <ul><li>Pano de Fundo </li></ul><ul><li>Mercosul </li></ul><ul><li>Integração Energética </li></ul><ul><li>Novo Pa...
VELHO   PARADIGMA <ul><li>Segurança do Abastecimento </li></ul><ul><ul><li>Autarquia  </li></ul></ul><ul><li>Comercializaç...
<ul><li>Segurança do Abastecimento </li></ul><ul><ul><li>Estratégia cooperativa </li></ul></ul><ul><ul><li>Eletricidade: p...
<ul><li>Comercialização </li></ul><ul><ul><li>Fluxos energéticos sustentados </li></ul></ul><ul><ul><li>Empresas multinaci...
[email_address] ARPEL Novembro 2004
<ul><li>Reguladores </li></ul><ul><ul><li>Reduzir assimetrias regulatórias </li></ul></ul><ul><ul><li>Garantir transparênc...
<ul><li>Organismos Multilaterais </li></ul><ul><ul><li>Condições de financiamento indutivas para os projetos de integração...
<ul><li>Governos </li></ul><ul><ul><li>Coordenação macroeconômica </li></ul></ul><ul><ul><li>Coordenação dos regimes juríd...
<ul><li>Empresas Multinacionais de Comercialização de Energia </li></ul><ul><ul><li>Identificação dos projetos de integraç...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

INTEGRAÇÃO ENERGÉTICA...

297

Published on

INTEGRAÇÃO ENERGÉTICA-DESAFIOS (pelo Professor Adilson de Oliveira, Instituto de Economia-Universidade Federal do Rio de Janeiro/Brazil)

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
297
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

INTEGRAÇÃO ENERGÉTICA...

  1. 1. INTEGRAÇÃO ENERGÉTICA DESAFIOS [email_address] Professor Adilson de Oliveira Instituto de Economia Universidade Federal do Rio de Janeiro/Brazil
  2. 2. Roteiro <ul><li>Pano de Fundo </li></ul><ul><li>Mercosul </li></ul><ul><li>Integração Energética </li></ul><ul><li>Novo Paradigma </li></ul>[email_address] ARPEL Novembro 2004
  3. 3. Roteiro <ul><li>Pano de Fundo </li></ul><ul><li>Mercosul </li></ul><ul><li>Integração Energética </li></ul><ul><li>Novo Paradigma </li></ul>[email_address] ARPEL Novembro 2004
  4. 4. INTEGRAÇÃO <ul><li>Sonho antigo </li></ul><ul><li>ALALC </li></ul><ul><li>ALADI </li></ul><ul><li>Enfoque sub-regional </li></ul>[email_address] ARPEL Novembro 2004
  5. 5. GARGALOS ESTRUTURAIS <ul><li>Transporte </li></ul><ul><li>Telecomunicações </li></ul><ul><li>Energia </li></ul>[email_address] ARPEL Novembro 2004
  6. 6. Oportunidade <ul><li>Recursos energéticos ociosos </li></ul><ul><ul><li>Baixo custo de oportunidade </li></ul></ul><ul><ul><li>Inserção geopolítica favorável </li></ul></ul>[email_address] ARPEL Novembro 2004
  7. 7. Roteiro <ul><li>Pano de Fundo </li></ul><ul><li>Mercosul </li></ul><ul><li>Integração Energética </li></ul><ul><li>Novo Paradigma </li></ul>[email_address] ARPEL Novembro 2004
  8. 8. MERCOSUL <ul><li>Ponto de partida </li></ul><ul><ul><li>Potencial hidrelétrico fronteiriço </li></ul></ul><ul><li>Objetivo: </li></ul><ul><ul><li>Inicial: União Aduaneira </li></ul></ul><ul><ul><li>Meta: Mercado Comum </li></ul></ul>[email_address] ARPEL Novembro 2004
  9. 9. RESULTADOS INICIAIS <ul><li>Redução das tarifas externas </li></ul><ul><ul><li>33,7% (1990) </li></ul></ul><ul><ul><li>12,3% (1994) </li></ul></ul><ul><li>Fluxo de comércio </li></ul><ul><ul><li>US$ 5,1 bilhões (1991) </li></ul></ul><ul><ul><li>US$ 14,3 bilhões (1995) </li></ul></ul>[email_address] ARPEL Novembro 2004
  10. 10. DIFICULDADES <ul><li>Regimes macro-econômicos distintos </li></ul><ul><li>Estrutura institucional frágil </li></ul><ul><li>Falta de infra-estrutura física </li></ul><ul><li>Assimetrias </li></ul><ul><li>Desequilíbrios comerciais importantes </li></ul>[email_address] ARPEL Novembro 2004
  11. 11. CONJUNTURA ATUAL <ul><li>Crise econômica </li></ul><ul><ul><li>Reformas liberalizantes sob júdice </li></ul></ul><ul><ul><li>Protecionismo voltou a ser vocalizado </li></ul></ul>[email_address] ARPEL Novembro 2004
  12. 12. CONJUNTURA ATUAL <ul><li>Retomada do crescimento </li></ul><ul><ul><li>Aumento significativo dos saldos comerciais </li></ul></ul><ul><ul><li>Sensível melhoria nas contas fiscais </li></ul></ul><ul><ul><li>Crescimento sustentado (!) </li></ul></ul>[email_address] ARPEL Novembro 2004
  13. 13. OPORTUNIDADE <ul><li>Regimes macroeconômicos similares </li></ul><ul><li>Vontade política </li></ul><ul><li>Novo papel para o Estado: </li></ul><ul><ul><li>Parcerias público-privada </li></ul></ul><ul><ul><li>Planejamento indicativo </li></ul></ul>[email_address] ARPEL Novembro 2004
  14. 14. DESAFIO <ul><li>Ampliar nexo de integração para além do incremento dos fluxos comerciais </li></ul>[email_address] ARPEL Novembro 2004
  15. 15. PONTOS FOCAIS <ul><li>Coordenação macroeconômica </li></ul><ul><li>Articulação das cadeias produtivas </li></ul><ul><li>Redução de assimetrias </li></ul><ul><li>Financiamento da infra-estrutura física </li></ul>[email_address] ARPEL Novembro 2004
  16. 16. Roteiro <ul><li>Pano de Fundo </li></ul><ul><li>Mercosul </li></ul><ul><li>Integração Energética </li></ul><ul><li>Novo Paradigma </li></ul>[email_address] ARPEL Novembro 2004
  17. 17. EVOLUÇÃO <ul><li>Até 1970 </li></ul><ul><ul><li>Desenvolvimento de sistemas nacionais </li></ul></ul><ul><li>Após a crise do petróleo </li></ul><ul><ul><li>Desenvolvimento do potencial hidrelétrico fronteiriço </li></ul></ul><ul><ul><li>Pequenas interconexões na fronteira </li></ul></ul>[email_address] ARPEL Novembro 2004
  18. 18. POLÍTICA ENERGÉTICA <ul><li>Autarquia </li></ul><ul><ul><li>Minimização das importações de petróleo </li></ul></ul><ul><ul><li>Preservação dos recursos nacionais </li></ul></ul>[email_address] ARPEL Novembro 2004
  19. 19. DÉCADA DE 90 <ul><li>Liberalização e contratos bilaterais </li></ul><ul><li>Fluxos comerciais contínuos </li></ul><ul><ul><li>Gasodutos </li></ul></ul><ul><ul><li>Linhas de transmissão </li></ul></ul><ul><li>porém: fortes assimetrias nos regimes regulamentares </li></ul>[email_address] ARPEL Novembro 2004
  20. 20. CRISE <ul><li>Preocupação com o esgotamento dos recursos fósseis </li></ul><ul><li>Reemergência do conceito de autarquia </li></ul><ul><li>Paralisação do processo de integração </li></ul>[email_address] ARPEL Novembro 2004
  21. 21. SITUAÇÃO REGIONAL <ul><li>Ampla disponibilidade de recursos energéticos de baixo custo de oportunidade </li></ul><ul><ul><li>Renováveis </li></ul></ul><ul><ul><li>Fósseis </li></ul></ul>[email_address] ARPEL Novembro 2004
  22. 22. INTEGRAÇÃO REGIONAL <ul><li>Benefícios estimados : US$ 120 milhões/ano (setor elétrico) </li></ul><ul><li>Crises energéticas não teriam ocorrido </li></ul>[email_address] ARPEL Novembro 2004
  23. 23. SITUAÇÃO REGIONAL <ul><li>Infra-estrutura física de transporte insuficiente </li></ul><ul><li>Arcabouço jurídico-institucional inadequado </li></ul>[email_address] ARPEL Novembro 2004
  24. 24. OPORTUNIDADES <ul><li>Economias de escala e de escopo </li></ul><ul><li>Complementaridades </li></ul><ul><li>Baixos custos de oportunidade </li></ul>[email_address] ARPEL Novembro 2004
  25. 25. Roteiro <ul><li>Pano de Fundo </li></ul><ul><li>Mercosul </li></ul><ul><li>Integração Energética </li></ul><ul><li>Novo Paradigma </li></ul>[email_address] ARPEL Novembro 2004
  26. 26. VELHO PARADIGMA <ul><li>Segurança do Abastecimento </li></ul><ul><ul><li>Autarquia </li></ul></ul><ul><li>Comercialização </li></ul><ul><ul><li>Exploração de sazonalidades </li></ul></ul><ul><ul><li>Potenciais hidrelétricos fronteiriços </li></ul></ul><ul><li>Recursos energéticos </li></ul><ul><ul><li>Preservação das reservas nacionais </li></ul></ul>[email_address] ARPEL Novembro 2004
  27. 27. <ul><li>Segurança do Abastecimento </li></ul><ul><ul><li>Estratégia cooperativa </li></ul></ul><ul><ul><li>Eletricidade: pólo de articulação regional </li></ul></ul><ul><ul><li>Gás Natural: anel de articulação regional </li></ul></ul>NOVO PARADIGMA [email_address] ARPEL Novembro 2004
  28. 28. <ul><li>Comercialização </li></ul><ul><ul><li>Fluxos energéticos sustentados </li></ul></ul><ul><ul><li>Empresas multinacionais </li></ul></ul><ul><li>Recursos energéticos </li></ul><ul><ul><li>Exploração orientada pelos custos de oportunidade no mercado regional </li></ul></ul>NOVO PARADIGMA [email_address] ARPEL Novembro 2004
  29. 29. [email_address] ARPEL Novembro 2004
  30. 30. <ul><li>Reguladores </li></ul><ul><ul><li>Reduzir assimetrias regulatórias </li></ul></ul><ul><ul><li>Garantir transparência dos mercados </li></ul></ul><ul><ul><li>Oferecer acesso eqüitativo às infra-estruturas essenciais </li></ul></ul>PAPÉIS [email_address] ARPEL Novembro 2004
  31. 31. <ul><li>Organismos Multilaterais </li></ul><ul><ul><li>Condições de financiamento indutivas para os projetos de integração física </li></ul></ul><ul><ul><li>Mecanismos adequados para a mitigação de riscos </li></ul></ul><ul><ul><li>Organização de ambiente adequado para a negociação da Carta Energética da América Latina </li></ul></ul>PAPÉIS [email_address] ARPEL Novembro 2004
  32. 32. <ul><li>Governos </li></ul><ul><ul><li>Coordenação macroeconômica </li></ul></ul><ul><ul><li>Coordenação dos regimes jurídicos e tributários </li></ul></ul><ul><ul><li>Formulação de políticas energéticas cooperativas </li></ul></ul><ul><ul><li>Constituição de uma Comissão MERCOSUL Permanente </li></ul></ul>PAPÉIS [email_address] ARPEL Novembro 2004
  33. 33. <ul><li>Empresas Multinacionais de Comercialização de Energia </li></ul><ul><ul><li>Identificação dos projetos de integração física </li></ul></ul><ul><ul><li>Articulação de fluxos comerciais equilibrados </li></ul></ul><ul><ul><li>Impulsão do ritmo de valorização dos recursos energéticos de baixo custo de oportunidade </li></ul></ul>PAPÉIS [email_address] ARPEL Novembro 2004

×