• Save
INTEGRAÇÃO ENERGÉTICA...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share

INTEGRAÇÃO ENERGÉTICA...

  • 555 views
Uploaded on

INTEGRAÇÃO ENERGÉTICA-DESAFIOS (pelo Professor Adilson de Oliveira, Instituto de Economia-Universidade Federal do Rio de Janeiro/Brazil)

INTEGRAÇÃO ENERGÉTICA-DESAFIOS (pelo Professor Adilson de Oliveira, Instituto de Economia-Universidade Federal do Rio de Janeiro/Brazil)

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
555
On Slideshare
555
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
0
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. INTEGRAÇÃO ENERGÉTICA DESAFIOS [email_address] Professor Adilson de Oliveira Instituto de Economia Universidade Federal do Rio de Janeiro/Brazil
  • 2. Roteiro
    • Pano de Fundo
    • Mercosul
    • Integração Energética
    • Novo Paradigma
    [email_address] ARPEL Novembro 2004
  • 3. Roteiro
    • Pano de Fundo
    • Mercosul
    • Integração Energética
    • Novo Paradigma
    [email_address] ARPEL Novembro 2004
  • 4. INTEGRAÇÃO
    • Sonho antigo
    • ALALC
    • ALADI
    • Enfoque sub-regional
    [email_address] ARPEL Novembro 2004
  • 5. GARGALOS ESTRUTURAIS
    • Transporte
    • Telecomunicações
    • Energia
    [email_address] ARPEL Novembro 2004
  • 6. Oportunidade
    • Recursos energéticos ociosos
      • Baixo custo de oportunidade
      • Inserção geopolítica favorável
    [email_address] ARPEL Novembro 2004
  • 7. Roteiro
    • Pano de Fundo
    • Mercosul
    • Integração Energética
    • Novo Paradigma
    [email_address] ARPEL Novembro 2004
  • 8. MERCOSUL
    • Ponto de partida
      • Potencial hidrelétrico fronteiriço
    • Objetivo:
      • Inicial: União Aduaneira
      • Meta: Mercado Comum
    [email_address] ARPEL Novembro 2004
  • 9. RESULTADOS INICIAIS
    • Redução das tarifas externas
      • 33,7% (1990)
      • 12,3% (1994)
    • Fluxo de comércio
      • US$ 5,1 bilhões (1991)
      • US$ 14,3 bilhões (1995)
    [email_address] ARPEL Novembro 2004
  • 10. DIFICULDADES
    • Regimes macro-econômicos distintos
    • Estrutura institucional frágil
    • Falta de infra-estrutura física
    • Assimetrias
    • Desequilíbrios comerciais importantes
    [email_address] ARPEL Novembro 2004
  • 11. CONJUNTURA ATUAL
    • Crise econômica
      • Reformas liberalizantes sob júdice
      • Protecionismo voltou a ser vocalizado
    [email_address] ARPEL Novembro 2004
  • 12. CONJUNTURA ATUAL
    • Retomada do crescimento
      • Aumento significativo dos saldos comerciais
      • Sensível melhoria nas contas fiscais
      • Crescimento sustentado (!)
    [email_address] ARPEL Novembro 2004
  • 13. OPORTUNIDADE
    • Regimes macroeconômicos similares
    • Vontade política
    • Novo papel para o Estado:
      • Parcerias público-privada
      • Planejamento indicativo
    [email_address] ARPEL Novembro 2004
  • 14. DESAFIO
    • Ampliar nexo de integração para além do incremento dos fluxos comerciais
    [email_address] ARPEL Novembro 2004
  • 15. PONTOS FOCAIS
    • Coordenação macroeconômica
    • Articulação das cadeias produtivas
    • Redução de assimetrias
    • Financiamento da infra-estrutura física
    [email_address] ARPEL Novembro 2004
  • 16. Roteiro
    • Pano de Fundo
    • Mercosul
    • Integração Energética
    • Novo Paradigma
    [email_address] ARPEL Novembro 2004
  • 17. EVOLUÇÃO
    • Até 1970
      • Desenvolvimento de sistemas nacionais
    • Após a crise do petróleo
      • Desenvolvimento do potencial hidrelétrico fronteiriço
      • Pequenas interconexões na fronteira
    [email_address] ARPEL Novembro 2004
  • 18. POLÍTICA ENERGÉTICA
    • Autarquia
      • Minimização das importações de petróleo
      • Preservação dos recursos nacionais
    [email_address] ARPEL Novembro 2004
  • 19. DÉCADA DE 90
    • Liberalização e contratos bilaterais
    • Fluxos comerciais contínuos
      • Gasodutos
      • Linhas de transmissão
    • porém: fortes assimetrias nos regimes regulamentares
    [email_address] ARPEL Novembro 2004
  • 20. CRISE
    • Preocupação com o esgotamento dos recursos fósseis
    • Reemergência do conceito de autarquia
    • Paralisação do processo de integração
    [email_address] ARPEL Novembro 2004
  • 21. SITUAÇÃO REGIONAL
    • Ampla disponibilidade de recursos energéticos de baixo custo de oportunidade
      • Renováveis
      • Fósseis
    [email_address] ARPEL Novembro 2004
  • 22. INTEGRAÇÃO REGIONAL
    • Benefícios estimados : US$ 120 milhões/ano (setor elétrico)
    • Crises energéticas não teriam ocorrido
    [email_address] ARPEL Novembro 2004
  • 23. SITUAÇÃO REGIONAL
    • Infra-estrutura física de transporte insuficiente
    • Arcabouço jurídico-institucional inadequado
    [email_address] ARPEL Novembro 2004
  • 24. OPORTUNIDADES
    • Economias de escala e de escopo
    • Complementaridades
    • Baixos custos de oportunidade
    [email_address] ARPEL Novembro 2004
  • 25. Roteiro
    • Pano de Fundo
    • Mercosul
    • Integração Energética
    • Novo Paradigma
    [email_address] ARPEL Novembro 2004
  • 26. VELHO PARADIGMA
    • Segurança do Abastecimento
      • Autarquia
    • Comercialização
      • Exploração de sazonalidades
      • Potenciais hidrelétricos fronteiriços
    • Recursos energéticos
      • Preservação das reservas nacionais
    [email_address] ARPEL Novembro 2004
  • 27.
    • Segurança do Abastecimento
      • Estratégia cooperativa
      • Eletricidade: pólo de articulação regional
      • Gás Natural: anel de articulação regional
    NOVO PARADIGMA [email_address] ARPEL Novembro 2004
  • 28.
    • Comercialização
      • Fluxos energéticos sustentados
      • Empresas multinacionais
    • Recursos energéticos
      • Exploração orientada pelos custos de oportunidade no mercado regional
    NOVO PARADIGMA [email_address] ARPEL Novembro 2004
  • 29. [email_address] ARPEL Novembro 2004
  • 30.
    • Reguladores
      • Reduzir assimetrias regulatórias
      • Garantir transparência dos mercados
      • Oferecer acesso eqüitativo às infra-estruturas essenciais
    PAPÉIS [email_address] ARPEL Novembro 2004
  • 31.
    • Organismos Multilaterais
      • Condições de financiamento indutivas para os projetos de integração física
      • Mecanismos adequados para a mitigação de riscos
      • Organização de ambiente adequado para a negociação da Carta Energética da América Latina
    PAPÉIS [email_address] ARPEL Novembro 2004
  • 32.
    • Governos
      • Coordenação macroeconômica
      • Coordenação dos regimes jurídicos e tributários
      • Formulação de políticas energéticas cooperativas
      • Constituição de uma Comissão MERCOSUL Permanente
    PAPÉIS [email_address] ARPEL Novembro 2004
  • 33.
    • Empresas Multinacionais de Comercialização de Energia
      • Identificação dos projetos de integração física
      • Articulação de fluxos comerciais equilibrados
      • Impulsão do ritmo de valorização dos recursos energéticos de baixo custo de oportunidade
    PAPÉIS [email_address] ARPEL Novembro 2004