4. êxodo
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

4. êxodo

on

  • 5,182 views

BLOGSPOT

BLOGSPOT
Estudando.combiblia

Statistics

Views

Total Views
5,182
Views on SlideShare
4,421
Embed Views
761

Actions

Likes
2
Downloads
263
Comments
2

10 Embeds 761

http://estudandocombiblia.blogspot.com.br 548
http://estudandocombiblia.blogspot.com 169
http://www.estudandocombiblia.blogspot.com 17
http://estudandocombiblia.blogspot.pt 13
http://estudandocombiblia.blogspot.fr 5
http://teologiaporexcelencia.blogspot.com.br 4
http://estudandocombiblia.blogspot.de 2
http://estudandocombiblia.blogspot.co.il 1
http://estudandocombiblia.blogspot.ch 1
http://estudandocombiblia.blogspot.co.uk 1
More...

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel

12 of 2

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    4. êxodo 4. êxodo Presentation Transcript

    • ÊXODORedenção e organização de Israel como Povo da Aliança
    • " ÊxodoIntrodução •Título 1. Os hebreus deram-lhe o nome de “We’elleh” devido à sua primeira frase, “São estes os nomes”. 2. Os tradutores da Septuaginta chamaram-no de “Êxodo” (Saída) devido ao fato de seu tema central das ações redentoras de Deus para o seu povo.
    • " Autoria Como em Gênesis, a autoria de Moisés éconfirmada pela estreita conexão e unidade com oslivros restantes do Pentateuco. Neste livro,entretanto, Moisés coloca-se como centro de todasas ações (17.14; 24.4; 25.9; 36.1).
    • " Cenário Histórico • DATA DA ESCRITA – 1440 a.C., APROXIDAMENTE. Se Moisés escreveu Gênesis nesta data, deve tê-lo feito durante a primeira parte da sua peregrinação com o povo judeu pelo deserto de Cades-Barnéia. • DATA DO ÊXODO – 1445 A.C., APROXIDAMENTE. 1. I Reis 6.1 coloca o êxodo 480 anos antes de Salomão começar a construir o templo, o que está fixado em 967 a.C. 2. Juízes 11.26 coloca a conquista da Transjordânia 300 antes da época de Jefté (que viveu ao redor de 1100 a.C.).
    • " 4. Atos 13.17-20 dá o período aproximadamente do êxodo a Samuel como sendo de 450 anos. Samuel morreu por volta de 1020 a.C. 5. O nome “Ramissés” deriva do deus-sol “Ra”, e é provável que tenha sido usado muito antes do nascimento desse Faraó popular e forte.
    • " A VIDA DE MOISÉS – TRÊS PERÍODOS DE QUARENTA ANOS.1. Os primeiros quarenta anos de sua vida Moisés passou no lar dos seus pais e no palácio do Faraó. Nascido em Gósen mais ou menos em 1525 a.C., foi o segundo filho de Anrão e Joquebede, da tribo de Levi. No lar paterno Moisés recebeu a sua formação religiosa, e na corte do faraó adquiriu conhecimento intelectual e político, além de treinamento militar.
    • " 2. Os segundos quarenta anos passaram exilado em Midiã, fugindo do Faraó, meditando e trabalhando como pastor. Casou-se com Zípora, filha de Jetro, o sacerdote, e nasceram-lhe dois filhos Gérson e Eliezer (Êxodo 18.34). 3. Os últimos quarenta anos de sua vida ele os viveu no Egito e no deserto, na condição de primeiro líder de Israel. Serviu ao senhor como profeta, sacerdote e rei, muito antes de esses cargos serem estabelecidos entre os judeus. Ensinou a todos como profeta; como um sacerdote intercedeu por eles quando caíram na idolatria e, como líder, retirou-os da servidão e os organizou como povo da aliança de Deus.
    • " O Egito antigo consistia emGEOGRAFIA DO EGITO duas partes: Baixo Egito, com a larga região do delta, e o Alto Egito, com sua estreita faixa de terra (mais ou menos 19 km de largura) ao longo do rio Nilo, numa extensão de 966 km ao sul.
    • " O Egito dependia inteiramente do Nilo. Este recebia água de diversos rios e lagos do interior da África. Em setembro, o Nilo transbordava, irrigando e fertilizando o vale com os ricos depósitos de águas aluviais, o que tornava o país o “celeiro” do Oriente Médio. Sua posição isolada também contribuiu para a tranqüilidade e o progresso pacífico da nação em muitos períodos da história.
    • " POLÍTICA DO EGITO Dividido administrativamente em duas regiões, Norte e Sul, sua capital teve de ser mudada várias vezes, funcionado ora em Tebas (Nô- Amon), no Alto Egito, ao Sul, ora em Mênfis (Nofe ou Ramissés) ou Avaris, no Delta do Baixo Egito. O nome bíblico para o país dos Faraós é “Mizraim”, que significa “dois Egitos”.
    • " FARAÓS 1. AMOSIS I (1580-1558) não somente continuou a opressão sobre os judeus, como aumentou devido à formação estrangeira de Israel e seu crescimento demográfico ameaçador. 2. TUTMÉS (1539-1514) ordenou a matança dos meninos na época em que Moisés nasceu.
    • " 3. A Rainha HATSHEPSUT (1504-1450), filha de TUTMÉS I e esposa de TUTMÉS II (1520-1504) usurpou o trono depois da morte deste, e foi provavelmente a filha de Faraó que adotou Moisés em 1525. 4. Foi de TUTMÉS III (1504-1450) que Moisés fugiu para o deserto de Midiã (apesar de Hatsheptsu, na época dessa fuga ainda estar viva).
    • " 5. AMENOFIS II (1450-1426) foi o faraó com quem Moisés se confrontou e a quem Deus mandou as pragas. O Faraó seguinte (TUTMÉS IV) não era herdeiro natural, mas um filho nascido tarde, o que sugere que o primogênito tenha morrido.
    • CENÁRIO RELIGIOSO DO EGITO" Os egípcios eram muito religiosos, adorando uma infinidade de divindades. Tinham deuses locais e nacionais, além de acreditarem em diversas manifestações da natureza. Eis exemplos de seus deuses principais: Ra e Amom-Ra = deuses do sol. Osíris = deus do Nilo (senhor da fertilidade e da vida). Hórus, também um deus do sol, representado por um falcão.
    • " •Os egípcios acreditavam que em cada ser ou objeto da natureza habitava um espírito que tinha escolhido aquela forma para se expressar. Essa idéia levou-os à adoração de animais como o gato, o touro, a vaca e o crocodilo. •Todas as religiões praticadas no Egito defendiam a crença na vida após a morte. Tal crença levou os egípcios a se preocupar, como nenhum outro, com os preparativos para o sepultamento.
    • PIRÂMEDEDE QUÉOPS
    • " A RELIGIÃO DE ISRAEL NO EGITO • José exerceu grande influência espiritual sobre Israel até 1804 a.C., data da sua morte. Liderou espiritualmente aquele povo durante 51 anos. O isolamento em Gósen também contribuiu para proteger os israelitas da idolatria do Egito. • Houve uma época em que os descendentes de Jacó aderiram aos deuses egípcios, e a corrupção tomou conta de quase todos eles (Ezequiel 20.6-10). Talvez isso explique a causa de Israel ter sido tão oprimido no Egito.
    • " TEMA: REDENÇÃO E ORGANIZAÇÃO DE ISRAEL COMO POVO DA ALIANÇA. •É um livro de libertação, de redenção, e o caminho, o meio sempre apontado aqui é o sangue. Neste êxodo, libertação virá sempre através do Sangue. É seu tema e anúncio profético da obra de Jesus. VERSO-CHAVE Êx. 3.10 – “Vem agora e eu te enviarei a Faraó para que tires meu povo, os filhos de Israel, do Egito”.
    • " OBJETIVO DO LIVRO O principal objetivo é descrever como Deus livrou Israel da servidão e da idolatria do Egito, conduzindo-o a um lugar de destaque na condição de povo exclusivo seu, num relacionamento de aliança teocrática. Três grandes acontecimentos definem o objetivo didático do livro: 1. A saída do Egito 2. A entrega da Lei 3. A construção do Tabernáculo.
    • " Esboço do Livro Redenção e Organização de Israel como Povo da Aliança A. A SAÍDA – ÊNFASE DO PODER DE DEUS............................................ (1-18) 1. Aflição de Israel no Egito...................................................................... 1-11 2. Livramento de Israel........................................................................... 12-15 3. Jornada de Israel até o monte Sinai................................................... 16-18 B. A LEI – ÊNFASE DOS PRINCÍPIOS DE DEUS...................................... (19-24) 1. A Aliança proposta pelo Senhor.............................................................. 19 2. Mandamentos Espirituais e Morais........................................................ 20 3. Ordenanças Civis e Sociais................................................................. 21-23 4. Aliança aceita por Israel........................................................................... 24 C. O TABERNÁCULO – ÊNFASE DA PRESENÇA DE DEUS........................ (25-40) 1. O plano de Deus para o Tabernáculo.................................................... 25-31 2. Punição de Deus para a idolatria do povo............................................ 32-34 3. Presença de Deus no término do Tabernáculo..................................... 35-40
    • Contribuições singulares de Êxodo 1. Origem da nação de Israel. Descreve o seu princípio em terra estranha sob pesada e cruel servidão, o livramento divino e a pronta organização do povo com um conjunto de leis espirituais, sociais e civis para o governo da comunidade.2. Primeiros milagres da Bíblia. Com exceção dos julgamentos sobrenaturais de Gênesis, as pragas do Egito são a primeira demonstração de milagres ou sinais sobrenaturais executados por homens. Foi esse um modo singular de Deus se manifestar ao mundo e ao seu povo.
    • 3. Instituição da Páscoa." Apesar das muitas festas e comemorações de Israel, nenhuma era tão importante quanta aquela que abria o ano religioso (em meados do primeiro mês), a Páscoa. Tinha ela três finalidades:1. Comemorar a salvação e o resgate físico dos primogênitos pela morte do cordeiro;2. Lembrar a cada pessoa a necessidade de se alcançar redenção espiritual do pecado pelo sacrifício de um cordeiro substituto, indicando desse modo a provisão futura prometida por Deus na aliança Abraâmica. 3. Ensina-nos o significado da morte de Cristo, que desempenhou aquele tipo como o "Cordeiro de Deus" (João 1.29). O cordeiro da páscoa foi o maior tipo da redenção no Antigo Testamento.
    • 4. Construção do Tabernáculo" Israel permaneceu no monte Sinai até o final do primeiro ano, ocupado com a construção do Tabernáculo designado por Deus. Do mesmo modo como a Lei retratava a santidade de Deus e a separação do homem por causa da desobediência, o Tabernáculo retratava a graça de Deus, ao prover um lugar de encontro e comunhão pelo sacrifício de sangue. Tipicamente, o Tabernáculo retrata Cristo como a única maneira de o homem se aproximar de Deus. As diferentes peças de mobília descrevem, numa forma visual, os muitos propósitos cumpridos na vida e morte de Jesus, a fim de capacitar as pessoas a se aproximarem dele e terem comunhão com ele (Hb. 9.1-14).
    • MAR VERMELHO
    • MAR VERMELHO
    • TRAVESSIA DO MAR VERMELHO
    • " O Senhor Revela-se em Êxodo1. O “Eu Sou” da sarça ardente .....(3) – Um Deus que mantém aliança2. As pragas ............................................(8-12) – Um Deus de punição3. A Páscoa ..............................................(12) – Um Deus de redenção4. A travessia do ...........................................(14) – Um Deus de poder5. A jornada até o Sinai (fome, sede e guerra) ....................(16-17) – Um Deus de provisão6. A Lei..............................................(19-24) – Um Deus de santidade7. Tabernáculo, Sacerdotes, Ofertas .(25-30) – Um Deus de comunhão8. A punição devido ao bezerro de ouro ..(32) – Um Deus de disciplina9. A renovação da Aliança .............................(33) – Um Deus de Graça10. A vinda da Glória.......................................(40) – Um Deus de glória
    • " CRISTOLOGIA EM ÊXODO 1. Arão, o sumo sacerdote, tipificou Cristo em muitos aspectos do sacerdócio (Hb. 5,7) 2. O cordeiro da páscoa foi, no Antigo testamento, um notável tipo de Cristo como o Cordeiro de Deus, que derramou o seu sangue para a Salvação Jo. 1.29; I Cor. 5.7 3. Cristo declarou que o maná era o seu tipo, dádiva gratuita dos céus a ser recebida pelo povo para sustento e vida espiritual (Jo. 6.32,33 58) 4. O Tabernáculo e os móveis tipificavam com nitidez a obra de Cristo, a única que proporcionou ao homem uma aproximação de Deus.