• Save
Cibercultura e redes sociais - aula 01
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Cibercultura e redes sociais - aula 01

on

  • 2,912 views

Slides das aula 01 de Cibercultura e Redes Sociais do MBA e Marketing Digital e Gestão de Projetos Web, realizada em 09/10/2010 na Faculdade Pitágoras de Londrina.

Slides das aula 01 de Cibercultura e Redes Sociais do MBA e Marketing Digital e Gestão de Projetos Web, realizada em 09/10/2010 na Faculdade Pitágoras de Londrina.

Statistics

Views

Total Views
2,912
Views on SlideShare
2,785
Embed Views
127

Actions

Likes
1
Downloads
3
Comments
0

1 Embed 127

http://www.scoop.it 127

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment
  • Luciane Stahl - MBA em Marketing Digital e Gestão de Projetos Web
  • Luciane Stahl - MBA em Marketing Digital e Gestão de Projetos Web
  • Luciane Stahl - MBA em Marketing Digital e Gestão de Projetos Web
  • Luciane Stahl - MBA em Marketing Digital e Gestão de Projetos Web
  • Luciane Stahl - MBA em Marketing Digital e Gestão de Projetos Web
  • Luciane Stahl - MBA em Marketing Digital e Gestão de Projetos Web
  • Luciane Stahl - MBA em Marketing Digital e Gestão de Projetos Web
  • Luciane Stahl - MBA em Marketing Digital e Gestão de Projetos Web
  • Luciane Stahl - MBA em Marketing Digital e Gestão de Projetos Web
  • Luciane Stahl - MBA em Marketing Digital e Gestão de Projetos Web

Cibercultura e redes sociais - aula 01 Cibercultura e redes sociais - aula 01 Presentation Transcript

  • CIBERCULTURA E REDES SOCIAIS Aula 1 09-10-2010
  • Conteúdo Programático
    • 1. Cibercultura e Comunidades em Rede
    • 2. Ciberativismo e Cibermilitância
    • 3. Inovações em Mídia
    • 4. Tecnologias, linguagens e suas interfaces com a comunicação em sociedade
    • 5. Redes pessoais, identidade cultural e inovação
    • 6. Métricas em Redes Sociais
  • Cibercultura
    • Para definir Cibercultura é necessário definir primeiro Ciberespaço.
    • Ciberespaço é um espaço de comunicação que descarta a necessidade do homem físico para constituir a comunicação como fonte de relacionamento, dando ênfase ao ato da imaginação, necessária para a criação de uma imagem anônima, que terá comunhão com os demais.
  • Cibercultura
    • Apesar da internet ser o principal ambiente do ciberespaço, devido a sua popularização e sua natureza de hipertexto, o ciberespaço também pode ocorrer na relação do homem com outras tecnologias: celular, pagers, comunicação entre rádio-amadores e por serviços do tipo “tele-amigos”, por exemplo. (JUNGBLUT, 2004; GUIMARÃES JR., 1999).
  • Cibercultura
    • O termo ciberespaço foi criado em 1984 por William Gibson, um escritor norte-americano que mudou-se para o canadá, que usou o termo em seu livro de ficção científica, NEUROMANCER. Este livro trata de uma realidade que se constitui através da produção de um conjunto de tecnologias, enraizadas na sociedade, e que acaba por modificar estruturas e princípios desta e dos indivíduos que nela estão inseridos.
  • Cibercultura
    • O termo Cibercultura especifica um conjunto de técnicas, materiais e intelectuais, de práticas, de atitudes, de modos de pensamento e de valores que se desenvolvem juntamente com o crescimento do ciberespaço, resumindo as progressivas transformações a que a sociedade digitalmente incluída assiste.
  • Cibercultura
    • A evolução tem como base as novas tecnologias intelectuais, que originaram alterações no imaginário do ser humano, na forma como as pessoas se relacionam entre si e com a própria tecnologia. Surgem novos espaços e meios de sociabilidade que, apesar de diferentes dos tradicionais, são estruturalmente semelhantes. O que se verifica é uma reinvenção ou apropriação dos códigos convencionais.
    • Pontos principais da Cibercultura são a participação e criação de uma inteligência coletiva.
  • Cibercultura
    • A inteligência coletiva jamais irá prescindir da inteligência pessoal, do esforço individual e do tempo necessário para aprender, pesquisar, avaliar e integrar-se nas diversas comunidades, mesmo que virtuais.
    • A cibercultura expressa uma mutação fundamental da própria essência da cultura. De acordo com a tese defendida por Levy, a chave da cultura do futuro é o conceito de universal sem totalidade.
  • Cibercultura
    • É universal porque promove a interconexão generalizada de computadores que formam a grande rede, mas cada nó é fonte de heterogeneidade e diversidade de assuntos, abordagens e discussões, em permanente renovação.
  • O FIM DO DIGITAL - VÍDEO
  • Cibercultura – alguns pontos
    • Criação coletiva desterritorializada
    • Ferramentas Wiki
    • Open Source
    • Copyleft e Creative Commons
    • Redes Sociais
    • Colaboração
    • Engajamento
    • Capital Social
    • Reconhecimento
  • Criação coletiva desterritorializada
    • Erick´s Whitacre Virtual Choir – Lux Aurumque
    • O compositor norte-americano Eric Whitacre reuniu pessoas de 12 países diferentes num coro virtual para cantar Lux Aurumque . O resultado traduz-se em 185 vozes misturadas. Ok, e daí? Pois, a particularidade é que cada uma dessas 185 pessoas gravou o seu vídeo em casa apenas assitindo as instruções do compositor no Youtube.
  • Lux Aurumque – Vídeo de orientação
  • Lux Aurumque – Lux Soprano III
  • Lux Aurumque – Lux Bass II
  • Lux Aurumque – Todas as vozes
  • Ferramentas Wiki
    • O conceito é realmente simples - textos publicados na web que podem ser modificados por qualquer usuário, via browser, sem a necessidade de autorização prévia, aliados a um sistema que registra todas as alterações e as exibe, de forma transparente, tornando a construção do conhecimento muito mais fluída.
    • Na Wikipédia, usuários altamente qualificados pelo produção de conteúdo bem referenciado tornam-se avaliadores de conteúdo das áreas que dominam.
    • Wiki corporativo - http://wiki.locaweb.com.br
  • Ferramentas Wiki
    • O conceito é realmente simples - textos publicados na web que podem ser modificados por qualquer usuário, via browser, sem a necessidade de autorização prévia, aliados a um sistema que registra todas as alterações e as exibe, de forma transparente, tornando a construção do conhecimento muito mais fluída.
    • Na Wikipédia, usuários altamente qualificados pelo produção de conteúdo bem referenciado tornam-se avaliadores de conteúdo das áreas que dominam.
    • http://pt.wikipedia.org/wiki/Lista_de_softwares_wiki
  • Open Source
    • Qualquer licença de software livre é também uma licença de código aberto (Open Source), a diferença entre as duas nomenclaturas reside essencialmente na sua apresentação.
    • Enquanto a Free Software Fundations usa o termo "Software Livre" envolta de um discurso baseado em questões éticas, direitos e liberdade, a Open Source Iniative usa o termo "Código Aberto" sob um ponto de vista puramente técnico, evitando (propositadamente) questões éticas.
  • Open Source
    • Esta nomenclatura e discurso foram cunhados por Eric Raymond e outros fundadores da Open Source Initiative com o objetivo de apresentar o software livre a empresas de uma forma mais comercial evitando o discurso ético.
  • Open Source – Vantagens e benefícios
    • Custo reduzido (nem tudo que é open source sai de graça);
    • Grande comunidade de desenvolvimento (correções de bugs, plugins, integrações e novas versões);
    • Versões estáveis lançadas mais rápido que um software de código fechado;
    • Melhorias e personalizações podem ser feitas pelo próprio usuário se o mesmo tiver conhecimento técnico para realizá-las.
  • Open Source – Exemplos
    • Linux – sistema operacional (várias distribuições);
      • http://br-linux.org/
    • Open Office – pacote de softwares para escritório;
      • http://www.broffice.org/
    • Mozilla Firefox – Nagevador para web
      • http://br.mozdev.org/
    • Wordpress – plataforma para blogs / gestão de conteúdo;
      • http://br.wordpress.org/
    • Magento – plataforma para e-commerce
      • http://www.magentocommerce.com/
  • Copyleft e Creative Commons
    • Copyleft é uma forma de usar a legislação de proteção dos direitos autorais com o objetivo de retirar barreiras à utilização, difusão e modificação de uma obra criativa devido à aplicação clássica das normas de propriedade intelectual, exigindo que as mesmas liberdades sejam preservadas em versões modificadas. O copyleft difere assim do domínio público, que não apresenta tais exigências. "Copyleft" é um trocadilho com o termo "copyright" que, traduzido literalmente, significa "direitos de copia".
  • Copyleft e Creative Commons
    • Uma das razões mais fortes para os autores e criadores aplicarem copyleft aos seus trabalhos é porque desse modo esperam criar as condições mais favoráveis para que mais pessoas se sintam livres para contribuir com melhoramentos e alterações a essa obra, num processo continuado.
  • Copyleft e Creative Commons
    • O copyleft funciona como um termo adicional a uma licença. Por exemplo, uma licença livre visa garantir a quem receba uma cópia da obra licenciada as seguintes liberdades:
      • a liberdade para usar o trabalho,
      • a liberdade para estudar o trabalho,
      • a liberdade para copiar e compartilhar o trabalho com os outros,
      • a liberdade para modificar o trabalho e também para distribuir os trabalhos modificados e derivados.
  • Copyleft e Creative Commons
    • Creative Commons é uma organização não governamental sem fins lucrativos localizada em São Francisco, Califórnia, nos Estados Unidos, voltada a expandir a quantidade de obras criativas disponíveis, através de suas licenças que permitem a cópia e compartilhamento com menos restrições que o tradicional todos direitos reservados . Para esse fim, a organização criou diversas licenças, conhecidas como licenças Creative Commons.
  • Copyleft e Creative Commons
    • As licenças Creative Commons foram idealizadas para permitir a padronização de declarações de vontade no tocante ao licenciamento e distribuição de conteúdos culturais em geral (textos, músicas, imagens, filmes e outros), de modo a facilitar seu compartilhamento e recombinação, sob a égide de uma filosofia copyleft.
  • Redes Sociais - Tipos de Redes REDE CENTRALIZADA REDE DESCENTRALIZADA REDE DISTRIBUÍDA
  • Redes Sociais - Definições
    • Uma rede social é uma estrutura social composta por pessoas ou organizações, conectadas por um ou vários tipos de relações, que partilham valores e objetivos comuns. Uma das características fundamentais na definição das redes é a sua abertura e porosidade, possibilitando relacionamentos horizontais e não hierárquicos entre os participantes.
  • Redes Sociais - Definições
    • Muito embora um dos princípios da rede seja sua abertura e porosidade, por ser uma ligação social, a conexão fundamental entre as pessoas se dá através da identidade. Os limites das redes não são limites de separação, mas limites de identidade. Não é um limite físico, mas um limite de expectativas, de confiança e lealdade, o qual é permanentemente mantido e renegociado pela rede de comunicações.
  • Redes Sociais - Definições
    • As Redes Sociais podem operar em diferentes níveis, como, por exemplo, redes de relacionamentos (Facebook, Orkut, Myspace, Twitter), redes profissionais (Linkedin), redes comunitárias (redes sociais em bairros ou cidades), redes políticas, dentre outras, e permitem analisar a forma como as organizações desenvolvem a sua atividade, como os indivíduos alcançam os seus objetivos ou medir o capital social – o valor que os indivíduos obtêm da rede social.
  • Redes Sociais - Definições
    • A criação de uma comunidade no meio digital não difere muito das comunidades que criamos fora delas – sempre é a respeito de pessoas que se unem em torno de um tema que interessa a todos, e que deve ser cultivado para que não se perca.
  • Redes Sociais – qual o perfil dos usuários?
  • Redes Sociais – Projeções da Internet no Brasil
    • 67,5 milhões de internautas segundo o Ibope/Nielsen em dezembro de 2009.
    • 27,5 milhões acessam regularmente a Internet de casa.
    • 87% dos internautas brasileiros entram na internet semanalmente.
    • Em julho de 2009, o tempo de navegação mensal foi de 48 horas e 26 minutos. Considerando apenas a navegação em sites. O tempo sobe para 71h30m se considerar o uso de aplicativos on-line (MSN, Torrent, Skype, etc)
  • Contato com Giuliano Rodrigues de Souza
    • E-mail e G-Talk – [email_address]
    • Celular – 43 9988-2820
    • Outros contatos – http://www.meadiciona.com/giuliano