• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content

Loading…

Flash Player 9 (or above) is needed to view presentations.
We have detected that you do not have it on your computer. To install it, go here.

Like this document? Why not share!

Declaração Doutrinária

on

  • 1,720 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,720
Views on SlideShare
1,718
Embed Views
2

Actions

Likes
4
Downloads
0
Comments
0

2 Embeds 2

http://www.slideshare.net 1
http://www.teologando.teo.br 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft Word

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Declaração Doutrinária Declaração Doutrinária Document Transcript

    • BIBLIOLOGIA DOUTRINA DA BÍBLIA Introdução: Creio que a Bíblia é a Palavra de Deus, portanto, é a única regra de fé e prática para a vida cristã. Propósito: Creio que o propósito da Bíblia é apresentar ao homem o seu Salvador: O Senhor Jesus Cristo (Jo. 5:39). Revelação: Creio que a Bíblia é a revelação escrita de Deus ao homem; através dela o homem pode conhecer a Deus e saber a Sua vontade (Dt. 29:29; 2 Tm.3:16,17). Inspiração: Creio que o Espírito Santo dirigiu de maneira sobrenatural os autores Bíblicos a escreverem exatamente aquilo que Deus queria que fosse escrito na composição de Sua Palavra que é a autoridade final sobre nossas vidas (1 Pe.1:20,21). Creio na Inspiração: 1. Verbal: Onde cada palavra foi inspirada; Deus guiou os autores na escolha de cada palavra (1 Cor.2:13) , contudo as características autorais foram respeitadas. 2. Plenária: A inspiração de Deus se estende a toda Bíblia. Todas as partes da Bíblia são inspiradas por igual (2 Tm3:16). Inerrância: Além de totalmente inspirada por Deus, creio que a Bíblia é isenta de erros em tudo que afirma (Sl. 12:6 Perfeição absoluta das Escrituras; Nm. 23:19; Jo. 17:17 Veracidade em cada palavra dita por Deus). Infalibilidade: Creio que a Bíblia não pode falhar com respeito as suas declarações; tudo que está relatado na Bíblia se cumpriu, se cumpri e se cumprirá. Creio que a Bíblia por ser infalível quando aplicada na vida da pessoa sob a direção do Espírito Santo produz o resultado que glorifica a Deus (Jo. 10:35). Canonicidade: Creio que o Cânon Sagrado está completo em um conjunto de 66 livros inspirados por Deus que formam a Bíblia (a Palavra de Deus); que é a nossa única regra de fé e prática. Creio que o Cânon está completo e por isso não há lugar para qualquer decréscimo dos Livros que formam o Cânon ou acréscimo de outros Livros (Dt. 4:2; Ap.22:18,19). Sua autoridade: Creio que toda a Bíblia é a Palavra de Deus, é o próprio Deus falando; por isto demanda obediência e determina o que devemos crer. Algumas provas da autoridade Bíblica. 1. Jesus citou as Escrituras do A.T e se sujeito a elas (Mt.4:4). 2. Jesus se referiu as Escrituras do A.T como Palavra de Deus (Mr.7:13). 3. Jesus disse que as Suas Palavras devem ser ouvidas e obedecidas (Mt. 7:24). 4. Os apóstolos deram ordens com autoridade e tinham segurança absoluta no que falavam (1Cor. 2:13; Gl. 1:8, 9; 2 Ts.3:6,14). 1
    • TEOLOGIA DOUTRINA DE DEUS Introdução: Creio em um único Deus verdadeiro e soberano (Dt. 6:4; Is. 44:6), criador dos céus e da terra (Gn. 1:1; Sl. 33:6-9), que é espírito e pessoal, e que pode ser conhecido pelos homens de maneira limitada através da sua revelação. Trindade: Creio que o único Deus verdadeiro existe em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo. Sua prova no A.T : (Gn.1:26;Gn.3:22; Is.6:8); Sua prova no N.T : (Mr.1:10,11;At.5:3,4; Jo.14:26). Personalidade: Creio que Deus é um ser pessoal; porque possui os elementos da personalidade: Intelecto (Sl. 147:5; Rm. 11:33,34); Emoções (Jo.3:16) e Vontade Própria (Gn.8:21; Ef.1:9). Atributos: Creio que os atributos, são qualidades próprias de Deus. Podem ser divididos em: Naturais e Morais. Os atributos Naturais são aqueles que são pertencentes apenas a Deus. Morais são aqueles que existem em Deus, mas são compartilhados aos homens de forma limitada. 1. Atributos Naturais: a. Onisciência: Deus conhece todas as coisas perfeitamente (1Jo. 3:20; Sl.139:2-4). b. Onipotência: Deus é o único que possui todo poder (Gn. 18:14; Jó 42:2; Sl.93:4). c. Onipresença: Deus é o único que presencia e agi instantaneamente em todos os lugares (Jr.23:23,24; Pv.15:3; Sl.139:7-10). d. Espiritualidade: Deus é um ser verdadeiro, sem corpo físico e invisível (Jo. 4:24; Lc.24:39; Jo.1:18). e. Eternidade: Deus nunca teve inicio e nunca terá fim; Deus sempre existiu e sempre existirá (Gn. 21:33; Sl.90:2; Is.40:28). f. Auto-Existente: Deus não recebeu a sua vida de outra fonte externa, Ele existe por si mesmo. Por isto Ele é a vida e a fonte de toda a vida (Ex.3:14; Jo.5:26). g. Imutabilidade: Deus não muda; mas permanece eternamente o mesmo (Ml. 3:6; Tg. 1:17). h. Unidade: Deus é um. Deus é um ser singular. Não existe ser igual ou superior a Deus (Dt. 6:4; 1 Tm.1:17). 2
    • 2. Atributos Morais: a. Santidade: Creio que a Santidade de Deus trata do fato de que Ele é totalmente puro e separado de tudo que é pecado (Is.6:3;1 Pe.1:16). Creio que retidão e justiça é a Santidade de Deus exercida aos homens. Retidão: A Santidade de Deus exige retidão por parte dos homens (Sl. 25:8). Justiça: É o agir de Deus contra os pecados devido a sua Santidade (Sl. 11:4-7; Pv. 15:9). b. Amor: Creio que o amor de Deus é o que O leva a buscar o maior bem das suas criaturas e dos seus amados (1 Jo.4:16; 4:7,8). Creio que o amor de Deus é demonstrado: Pela sua Benevolência (Sl. 145:8; Mt. 6:26). Pela sua Graça: Favor imerecido dado por Deus aos pecadores (Ef. 2:8; Rm. 3:24; Tt.2:11). Pela sua Misericórdia: Não dá o que realmente o pecador merece (Lm. 3:22,23). Revelação: Revelação é o ato de Deus comunicar aos homens o que de outra maneira seria impossível deles saberem. Creio que Deus se revela ao homem das seguintes maneiras: 1. Pela Obra da criação (Sl. 19:01; Rm. 1:20). 2. Pela história, como por exemplo: de Israel (Ex.14:15-25). 3. Pela Bíblia: A Bíblia é a revelação escrita de Deus ao homem e apresenta fielmente o Deus vivo (2 Tm.3:16,17). 4. Pelo Senhor Jesus Cristo: Jesus é a revelação perfeita do Deus vivo. Pois Ele é Deus mesmo (Jo. 14:9). 3
    • CRISTOLOGIA DOUTRINA DE CRISTO Introdução: Creio que Jesus Cristo é o filho de Deus é Deus, segunda pessoa da Trindade e completamente igual às outras duas pessoas da divindade. Preexistência: Creio que Jesus Cristo sempre existiu eternamente mesmo antes da sua encarnação (Jo. 1:1, 2; Jo.8:58). Nascimento Virginal: Creio que Jesus Cristo nasceu sem a participação de um pai humano, sendo gerado pelo Espírito Santo no ventre da virgem Maria como declarado na Bíblia (Mt. 1:16,18-25; Lc.1:26-56; 2:1-7; Is.7:14). Creio que o nascimento virginal tinha os seguintes propósitos: 1. Revelar a divindade de Cristo. 2. Revelar a sua natureza humana sem pecado. Humanidade: Creio que Jesus Cristo foi um homem como todos os outros; exceto por sua natureza humana perfeita, e por nunca ter pecado. Na Bíblia temos claras evidências da sua humanidade: 1. Teve nascimento humano (Mt. 1:18; Gl. 4:4). 2. Teve crescimento e desenvolvimento natural (Lc. 2:40,52). 3. Teve corpo (Mt. 26:12). 4. Teve limitações físicas (Mt. 21:18; Jo.4:6). Divindade: Creio que Jesus Cristo é Deus. Encontramos na Bíblia evidencias acerca da sua divindade: 1. Declarações diretas (Tt. 2:13; 2 Pe.1:1). 2. Alusão a sua preexistência, sempre existiu (Jo. 1:1). 3. Aceitação da atribuição de Deus (Jo. 20:28). 4. Poder para perdoar pecados (Mr. 2:5). 5. Sua essência divina (Jo. 10:30). União Hipostática: Creio que Jesus Cristo em sua encarnação possuía duas naturezas: a divina e a humana. Estas eram completamente unidas sem haver mistura, separação ou transferência de propriedades de uma para a outra (Jo. 1:1-14). Kenosis: Quanto a Kenosis, conforme (Fil. 2:7, 8), creio que o ato de Jesus Cristo em “esvaziar-se” não significa perda dos seus atributos divinos ,ou até mesmo, da sua divindade. Mas sim um ato voluntário do Senhor Jesus Cristo em não exercer de maneira independente certos atributos divinos enquanto esteve aqui na terra (Jo. 17:5; Mt. 12:28; At.10:38). Impecabilidade: Creio que Jesus Cristo nunca pecou e não podia pecar; pois, possuía a natureza divina que tornou a pecabilidade impossível, e não possuía uma natureza humana 4
    • corrupta que o impulsionava ao pecado. Creio que o propósito da tentação de Cristo foi provar a sua impecabilidade (1 Pe.2:22; Hb.4:15; 1 Jo.3:5). Ressurreição: Creio que Jesus Cristo ressuscitou corporalmente ao terceiro dia como declarado nas escrituras (1Cor. 15:3, 4). Algumas provas: 1. O túmulo vazio (Mr. 16:6). 2. O corpo não foi achado (Lc. 24:3). 3. A pedra de quase duas toneladas removida (Lc. 24:1, 2). 4. Foi visto por mais de quinhentas pessoas (1 Cor.15:5-11). 5. Foi visto por todos os apóstolos (1 Cor.15:7). 6. Foi visto pelos discípulos no caminho de Emaús (Lc. 24:13-35). Morte: Creio que Jesus Cristo morreu voluntariamente (Jo. 10:17,18) em favor de todos os homens (1 Tm.2:6). Ascensão: Creio que Jesus Cristo ascendeu corporalmente ao céu, onde está agora a direita do Pai (At.1:9-12; Mr. 16:19). Creio que em seu estado de exaltação o seu ministério atual é de mediador e intercessor (2 Tm2:15; Rm.8:34). 5
    • PNEUMATOLOGIA DOUTRINA DO ESPIRITO SANTO Introdução: Creio que o Espírito Santo é pessoal e divino, terceira pessoa da Trindade, completamente igual às outras duas pessoas da divindade. Personalidade: Creio que o Espírito Santo é um ser pessoal; e isto pode ser provado pelas seguintes evidências: 1. Possui os elementos da personalidade: Intelecto (Rm. 8:27); Emoções (Ef.4:30); Vontade (1 Cor.12:11). 2. Pelas coisas que realiza: a. Ensina (Jo. 14:26). b. Guia (Rm. 8:14). c. Convence (Jo. 16:8). d. Dirige (At.16:6, 7). Divindade: Creio que o Espírito Santo é Deus e a sua divindade pode ser provada pelos seguintes fatos: 1. Ele é chamado Deus (At.5:3, 4). 2. Ele possui atributos de Deus: a. Eternidade (Hb. 9:14); b. Onisciência (Is. 40:13,14; 1 Cor.2:10,11). c. Onipotência (Sl. 104:30; Rm. 15:19). d. Onipresença (Sl. 139:7). 3. Pelas suas Obras: a. Na criação (Gn. 1:2; Gn. 1:26). b. Na autoria da Palavra de Deus (2 Pe.1:21). c. Na ressurreição (1 Pe.3:18). Atuação: 1. No A.T.: a. Habitou temporariamente nos homens capacitando-os para obras especificas (Ex.31:3-5  Bezalel; Jz. 6:34  Gideão; 1 Sm.16:13,14  Davi e Saul ; Sl.51:11  Davi) b. Atuou no caráter espiritual e moral dos servos de Deus (Sl.143:10 ). 2. No N.T. (Época da igreja): a. Convence do pecado (Jo. 16:8-11); b. Regenera (Jo. 3:6; Tt. 3:5); c. Batiza no Corpo de Cristo (1 Cor.12:13,14); d. Habita no Crente ( Jo.14:16,17; 1 Cor.6:19; 3:16); d. Sela (Ef.1:13); c. Testifica a filiação dos salvos (Rm.8:16); e. Capacita com dons espirituais (1 Cor.12:11). Dons Espirituais: Creio que os dons espirituais são capacidades dadas gratuitamente e soberanamente pelo Espírito Santo a cada crente no momento da sua conversão para que cada crente desempenhe um serviço no corpo de Cristo (1 Cor.12:11; 1 Pe.4:10a). 6
    • Creio que alguns dons miraculosos (ou temporários) foram dados com a finalidade de autenticar a mensagem do evangelho pregada na época infante da Igreja (Hb. 2:3, 4). Creio que estes dons miraculosos cessaram quando a revelação escrita de Deus foi consumada (1 Cor.13:10) Lista dos Dons Espirituais Rm. 12:6-8 1 Cor.12:8-9 Ef. 4:11 Profecia Palavra de sabedoria Apóstolo Ministério (servir) Palavra do conhecimento Profeta Ensino Fé Evangelista Exortar Dons de curar Pastores e mestres Contribuir Operações de milagres Presidir Profecia Exercer misericórdia Discernimento de espíritos Línguas Interpretação de línguas 7
    • ANGELOLOGIA DOUTRINA DOS ANJOS Introdução: Creio na existência dos Anjos como seres reais e espirituais criados por Deus; portanto creio que não são eternos e nem auto-existentes. Natureza: 1. Foram criados por Deus (Sl. 148:2, 5; Ne.9:6; Jó. 38:7; Cl.1:16). 2. São seres espirituais (Hb. 1:14). 3. Tem poderes miraculosos (2 Pe.2:11; Mt.28:2). 4. São imortais (Lc. 20:35, 36). 5. São gloriosos (Lc. 9:26; Mt.28:1-3). 6. São numerosos (Ap.5:11; Lc.2:13). 7. Não se reproduzem (Mr. 12:25). 8. São dotados de personalidade: intelecto (2 Sm.14:20), emoções (Lc.15:10) e vontade própria (2 Tm.2:26). Organização: 1. Querubins (Gn. 3:24); 2. Serafins (Is.6:1-6); 3. Arcanjo (1 Ts.4:16); 4. Principados e potestades (Ef.3:10; Cl.2:10), são classes de anjos que ocupam posição de autoridade no mundo angélico. Atuação: 1. Adoram a Deus (Jó38: 7; Is.6:3; Sl.148:2). 2. Servem aos santos (Hb1: 14). 3. Serviram de intermediários na revelação de Deus antes das Escrituras estarem completas (Dn.10:14; At.7:53; Mt.13:39). 4. Fazem a vontade de Deus (Sl.103:20); 5. Estarão envolvidos na vinda de Cristo (2 Ts.1:7; 4:16; Mt. 25:31). ANJOS MAUS. Origem: Creio que os anjos maus foram criados bons, e tornaram-se maus quando caíram seguindo Satanás na sua queda (Mt. 25:41). Atuação: Creio que os anjos maus agem em favor de Satanás com o propósito de atrapalhar os servos e os planos de Deus; com isso a atuação de Satanás é imensa (Ef. 6:11,12). Alguns meios de atuação são: 1. Induzem ao mal e atividades impuras (Dt. 32:17; Sl.106:37-39). 2. Influenciam as pessoas (Mt. 4:24). 3. Podem possuir corpos (Mt. 9:32;Mt.4:24). 4. Se opõem ao Reino e aos servos de Deus (1 Pe.5:8; Ef.6:11,12). 5. Desejam o mal para os homens (Mt. 17:15-18). 6. Fonte de falsos obreiros (1 Tm.4:1). SATANÁS Origem: Creio que Satanás é um ser espiritual que foi criado por Deus em perfeição (Ez. 28: 14,15; Ef. 2:2); mas que devido ao seu orgulho (Ez.28:17; 1Tm.3:6), se rebelou contra Deus, desejando ser igual a Deus (Is.14:13,14), deixando o seu estado original 8
    • de santidade e perfeição gerando o pecado em si mesmo (Ez.28:15). Alguns meios de atuação são: 1. Tem sob o seu controle o mundo mau (1 Jo.5:19). 2. Cega o entendimento dos homens (2 Cor.4:4). 3. Se opõem aos servos de Deus (Zc. 3:1). 4. Vai contra a verdade é pai da mentira (Jo. 4:4); 5. Traz sofrimento aos homens (At.10:38) 6. É Tentador (1 Ts.3:5). O final de Satanás e dos Anjos maus: Creio que o fim se Satanás como dos Anjos Maus será a condenação eterna no lago de fogo e enxofre (Mt.25:41; Ap.20:10). 9
    • ANTROPOLOGIA DOUTRINA DO HOMEM Introdução: Creio que o homem veio a existir por um ato criativo da parte de Deus, onde estavam envolvidas as três pessoas da Trindade (Gn. 1:26,27 ; 2:7,21-23). Propósito: Creio que Deus criou o homem para Sua própria Glória, para que este O glorifica-se em toda a sua vida (Is. 43:7). A natureza do homem: Creio que o Homem: 1. Foi criado em santidade (Ec. 7:29). 2. Foi criado a imagem e semelhança de Deus (Gn1:26a). 3. Foi criado possuindo uma natureza material (corpo) e outra imaterial (alma e espírito) (Hb. 4:12; 1 Ts.5:23). Creio que todos os homens possuem alma como também possuem espírito, porém não vejo que a Bíblia fornece qualquer base para definirmos a diferença entre um e outro. 4. Foi criado possuindo os elementos da personalidade: Intelecto (Pv. 19:2; Pv. 21:5; Tg. 3:13) Emoções (Sl.107:5; Lc.1:47);e Vontade (Gn3:6; Sl.35:25; Tg.4:4). 5. Foi criado possuindo total comunhão com Deus (Gn. 3:8-10; Gn. 2:15-17). O estado presente: Creio que devido a queda o homem encontra-se em um estado de depravação total, a sua natureza material e imaterial foram totalmente corrompidas (Gn.3:10; Gn.6:5; Is.1:4-6; Jo.8:34; Rm.1:20-32). 10
    • HAMARTIOLOGIA DOUTRINA DO PECADO Introdução: Creio que o pecado é uma realidade e podemos ver está realidade declarada na Palavra de Deus (Sl. 14:1-3; Rm. 3: 23; Gn. 3: 17-19; Is.1:18). Creio que pecado é tudo aquilo que vai contra a vontade de Deus. Origem: Creio que o pecado teve a sua origem no mais elevado dos anjos; e que após ter pecado, tornou-se Satanás (Ez. 28:15; Is.14:13,14). Creio que o pecado entrou na raça humana por meio de Adão (Rm. 5:12; Gn.3:1-6); que voluntariamente desobedeceu a ordem de Deus (Gn.2:15-17). Extensão: Creio que a extensão do pecado é universal. 1. As regiões celestes foram afetadas – com relação aos anjos (Ef. 6:11,12). 2. A terra foi afetada. a. O reino vegetal (Gn3: 17-18). b. O reino animal (Is. 11:6-8). c. Os homens foram afetados (Ec. 7:20; 3:23). Conseqüências do pecado: Creio que todos estão sujeitos às conseqüências do pecado; porque todos pecaram (Rm. 3:23). As conseqüências do pecado são: 1. Morte espiritual (Ef. 2:1, 5). 2. Morte física (Gn. 3:19). 3. Condenação eterna (Ap.20:15) 4. Sofrimento (Gn. 3:16; Gn.3:17-19). 5. Distúrbios sociais (Gn. 3:12,13  acusação entre o homem e a mulher ; Gn.4:1-8; Gn.4:23  homicídios). 6. Influência por parte de Satanás (Ef. 2.2). 11
    • SOTERIOLOGIA DOUTRINA DA SALVAÇÃO Introdução: Creio que a salvação é oferecida a todos os homens. Mesmo que alguns não a recebam creio que a vontade de Deus é que todos sejam salvos (Mr. 16:15; 1 Tm.2:4). Creio ainda que a Salvação é uma Obra Soberana de Deus na vida do pecador (Ef.2:8,9), que por ser escolhido1 por Deus e exercendo sua vontade própria decide ser salvo recebendo Jesus Cristo como seu único Salvador (Ap.22:17). Aspectos que envolvem a Salvação 1. Arrependimento: É o reconhecimento por parte do pecador de que está errado, sendo constrangido a tomar uma atitude com referência a Salvação (2 Cor.7:10). 2. Fé: É a convicção no sacrifício de Cristo para a Salvação (Rm. 10:9, 10; Jo. 1:12). 3. Conversão: É uma mudança de direção. O pecador volta-se a Deus por meio da fé e arrependimento, deixando sua vida de pecado (At.3:19; 1 Ts.1:9). 4. Regeneração: É a Obra do novo nascimento operada por Deus no homem natural (Jo. 1:12:13; Jo.3:5). 5. Justificação: O pecador é declarado justo, livre da condenação, mediante a sua fé em Jesus Cristo (Jo. 5:24; Rm.8:33). 6. Santificação: a. Santificação posicional: É a santificação adquirida no momento da regeneração (1 Cor.1:2). b. Santificação progressiva: É a santificação adquirida pelo pecador durante a trajetória da sua vida cristã (1 Pe.1:16). c. Santificação final: É a santificação adquirida no momento da glorificação (1 Cor.15:53). 7. Adoção: É o ato de colocar o pecador regenerado na família de Deus como filho adulto que passa a desfrutar de todas as heranças divinas (Ef. 1:5). 8. Segurança Eterna: Por ser a Salvação uma Obra Soberana de Deus na vida do pecador, é Deus mesmo que dá ao pecador a certeza de que é filho de Deus e Salvo para sempre (Jo. Jo. 3:36; Jo.5:24; Jo.6:37;10:28-29). 1 Eleição: Ato soberano de Deus em escolher antes da fundação do mundo aqueles que serão salvos (Ef. 1:4; Rm. 8:33; Cl.3:12; 1 Ts.1: 4). 12
    • 9. Glorificação: É o aspecto da salvação que ocorrerá com a vinda do Senhor Jesus Cristo, onde cada crente receberá um corpo glorificado semelhante ao de Cristo após sua ressurreição (Fil. 3:20,21). ECLESIOLOGIA DOUTRINA DA IGREJA Introdução: Creio que a Igreja é um grupo de pessoas regeneradas, chamadas para fora de várias nações que formam o corpo de Cristo (1 Cor.1:2), tendo sido instituída no dia de pentecostes (At.2). Propósito: Creio que o propósito da Igreja é glorificar a Deus (Ef. 3:20,21) cumprindo os seguintes propósitos: 1. Evangelizar o mundo (Mr. 16:15; Mt.28:18-20). 2. Edificar a si mesma (Ef. 4: 11-13). 3. Glorificar a Deus em sua vida pratica (1 Cor.10:31). 4. Ser fiel às ordenanças deixadas por Cristo: Batismo – um testemunho público de fé (Mt. 28:19,20; At.8:36-39) e Ceia do Senhor – um memorial da morte de Cristo (1 Cor.11:23-26). Oficiais: Creio que os oficiais da Igreja são os seguintes: 1. Pastor (At.20:17,28; Ef.4:11;1 Tm.3:1-7; Tt.1:5-9). Creio que os termos bispo, presbítero e pastor indicam as funções de um mesmo líder. Pastor: Indica aquele que cuida e alimenta o rebanho. Bispo: Enfatiza a função como supervisor. Presbítero: Indica aquele que governa. 2. Diáconos (At.6:1-4; Fil. 1:1; 1 Tm.3:8-13). São aqueles que foram e são escolhidos para servirem na Igreja em diversas áreas e são necessários para que os pastores desempenhem a sua função pastoral mais específica (At.6:4). Governo: Creio que a Igreja local deve ter o seu próprio governo, autônomo e democrático (1 Cor.5:13; At.15:22). Separação: Creio que a Igreja deve ser separada: 1. Do mundanismo (1 Jo.2:15-17). 2. Das seitas, reuniões ecumênicas e carismáticas (2 Jo.9,10). 3. Do estado (Mt. 22:21). Creio que a Igreja deve ser separada de interesses políticos e de qualquer influência do governo, antes; a Igreja deve governar a si mesma e se interessar pelo que é espiritual. Disciplina: Creio que a Igreja deve exercer disciplina tendo em vista os seguintes aspectos: 13
    • 1. Deve ter como base: (Mt. 18:15-17). 2. Deve ter o propósito de manter a pureza da Igreja local (1 Cor.5:6-7). ESCATOLOGIA DOUTRINA DAS ÚLTIMAS COISAS Introdução: Creio que os acontecimentos futuros acontecerão como declarados nas Escrituras. E que seguirão as seguintes ordens dentro do plano escatológico: O Arrebatamento: A palavra arrebatamento significa: arrebatar, tomar ou arrancar com força. Creio que a volta de Jesus se dará em duas fases: a primeira é para o arrebatamento que se dará nos ares, onde Jesus não pisará na terra (1 Ts.4:16, 17). A segunda fase da volta de Cristo acontecerá no final da tribulação (Mr.13:26). Depois do arrebatamento acontecerá o tribunal de Cristo e as bodas do Cordeiro O Tribunal de Cristo: É o julgamento para as recompensas (galardões) dos Salvos, de acordo com as boas obras de cada um. Este julgamento não é para a Salvação, pois os que creram em Cristo já estão salvos (2 Cor.5:10). As Bodas do Cordeiro: Depois da Igreja já julgada será unida eternamente a Cristo como sua noiva (Ap 19:7). Enquanto no céu acontecerá o tribunal de Cristo e as bodas do cordeiro, na terra acontecerá a... A Tribulação: Creio que a Tribulação será um tempo de 7 anos entre o arrebatamento da Igreja e a segunda fase da volta de Cristo. Creio que a Igreja não passará pela tribulação (1 Ts.1:10) e que a Tribulação será dividida em dois períodos de 3 anos e meio. O primeiro período é chamado de “O princípio das dores” (Mt. 24:3-14), e o segundo período é chamado de “A grande tribulação” (Mt. 24:15-28). No final da tribulação, acontecerá... A Batalha do Armagedom: Que terá seu início no final da tribulação, quando o reino das trevas convocar todos os reis (exércitos) da terra para batalharem contra Israel e tentar impedir a volta de Cristo (Ap.16:13-14,16). Com a vinda de Cristo (Mr. 13:26) a batalha termina, Satanás é preso e lançado no abismo por mil anos (Ap. 20:2-3); O Anticristo e o falso profeta serão lançados vivos no lago de fogo eternamente (Ap. 19:20); os reis da terra e os seus exercito serão mortos (Ap. 19:21). Tendo vencido Cristo estabelecerá... O Milênio: Será um período de mil anos onde Cristo reinará sobre toda a terra (Zc. 14:9; Ef. 1:10). Será um tempo maravilhoso de paz, prosperidade e justiça ( Is.11:6-8). 14
    • Após o milênio acontecerá... A Batalha de Gogue e Magogue: Depois do milênio, onde Cristo reinou por mil anos, Satanás será solto é sairá para enganar as nações com o propósito de reuni-las em rebelião contra Deus. A Bíblia se refere a estas nações como Gogue e Magogue (Ap.20:7-10). Devido ao juízo de Deus os rebeldes serão destruídos e Satanás lançado no lago de fogo e enxofre para sempre onde já se acharão o Anticristo e o Falso profeta. O Grande Trono Branco: Onde todos os mortos ímpios desde Adão ressuscitarão e serão julgados, conforme as suas obras, porém para a condenação eterna (Ap.20:11,12). O Estado Eterno: Creio que todos os homens chegarão a um fim, porém com destinos eternos diferentes: 1. Os incrédulos no lago de fogo e enxofre (Ap.20:15). 2. Os salvos habitarão na nova Jerusalém (Ap.21:1-3) 15
    • ASSUNTOS DIVERSOS Missões Creio que missões é uma Obra do coração de Deus; e que a Igreja deve se empenhar totalmente em realizar esta Obra. (Mr. 1:15; Mat.28:18-20; At.1:8). Creio que sem missões a Igreja não será abençoada pelo Senhor e cabe a mim como pastor incentivar minha Igreja a se envolver com a Obra missionária. Pastoral: Creio que o pastorado não é um ato de boa vontade de alguém, mas é um chamado que vem de Deus. Creio que é minha obrigação como pastor: pregar, ensinar, visitar, administrar, supervisionar, socorrer, aconselhar, cuidar, evangelizar e discipular. Creio que como pastor sou responsável pela Igreja que Deus me confiar (Ef.4:11-16). Namoro e Casamento: 1. Não concordo com namoros e casamentos mistos (2 Cor.6:14-18; 1 Cor.7:39). 2. Creio que o casamento foi instituído por Deus (Gn. 2:18,24), e é uma união indissolúvel que dura enquanto viver uma das partes (1 Cor.7:39; 1 Cor.7:11; Rm.7:2-3). Ecumenismo. É a junção de todas as crenças. Não apoio e nem participo por entender que a Bíblia condena (2 Cor.6:14; Gl.1:8; 2 Jo.9,10). 16