• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
EEB Francisco Mazzola
 

EEB Francisco Mazzola

on

  • 3,048 views

Apresentação da Escola de Educação Básica Francisco Mazzola, patrono, história, fotos, espaço físico, etc.

Apresentação da Escola de Educação Básica Francisco Mazzola, patrono, história, fotos, espaço físico, etc.

Statistics

Views

Total Views
3,048
Views on SlideShare
3,019
Embed Views
29

Actions

Likes
0
Downloads
2
Comments
0

3 Embeds 29

http://eebfmazzola.blogspot.com 16
http://www.slideshare.net 9
http://www.eebfmazzola.blogspot.com 4

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    EEB Francisco Mazzola EEB Francisco Mazzola Presentation Transcript

    • EEB FRANCISCO MAZZOLA NOVA TRENTO - SC
    • A PRIMEIRA SALA
    • FOTOS HISTÓRICAS
    • QUADRAS DE ESPORTE
    • JARDIM E PÁTIO
    • A ESCOLA
      • Hino da Escola de Educação Básica Francisco Mazzola
      III Ilumina através de seus mestres, novas rendas ao campo saber; Ela educa e incute nas mentes, Tudo aquilo que é bom conhecer! IV Sejas tu, jovem forte e brilhoso, seu esteio no estudo e na lida; Sempre mostro teu amor ardoroso, Para ser realizado na vida! Nossa escola é bela e formosa, Onde todos labutam com ardor; Muito jovem e criança mimosa, Nela fazem seu berço de amor! Estribilho  Vinte e nove de abril foi fundada Nossa escola, por seus pioneiros; Ainda hoje ela é freqüentada, Por mil jovens e bons brasileiros! II Gigantesca e bela estrutura, Ela acolhe, ensina e conduz Ao caminho da vida futura, Espalhando seus raios de luz! Letra da música: Newton B. Cadorin Composta em 05/04/1988
    • Francisco Mazzola nasceu no dia 04 de abril de 1878, no bairro Besenello - Nova Trento/SC. Filho de Giovanni Mazzola e Carolina Boseli, oriundos da Província de Verona - Itália (1874/75) teve dois irmãos chamados Italo Mazzola e Romildo Mazzola. Foi batizado aos 23 de setembro do mesmo ano pelo padre Arcangelo Ganarini na Capela de Santa Agata. Estudou no Colégio São Luiz, em Itu, São Paulo, em companhia de Henrique Carlos Boiteux, José Valle, Farncisco Valle e Benjamim Gallotti. Francisco Mazzola casou-se duas vezes. Pela primeira vez com Rosa Sgrott, nascida em Nova Trento, filho de Jomenicio Sgrott e Somenica Posthinghel, oriundos de Besenello - Trento - Itália, No casamento com Rosa Sgrott nasceram sete filhos: Ricardo, Carolina, Maria Inês, Theodolina, Marcos, Julieta e Vitoriano. Só seu segundo casamento com a também viúva Adelina Piazza Gullini, teve apenas uma filha, Catarina Cecília Mazzola. Após a morte de Rosa Sgrott, motivos particulares levaram Franciso Mazzola a mudar-se para Palmas, no Estado do Paraná, onde trabalhou como músico, contribuindo para fundação de uma banda naquela cidade. Dados Bibliográficos de Francisco Mazzola
      • Em nossa comunidade prestou revelantes serviços, trabalhando como professor primário, divulgante através de jornais da capital do Estado o nosso município e publicando a "Monografia do município de NT". Além do idioma pátrio, ensinava italiano, inglês e alemão. Deu aulas na escola de Lombardia e na antiga prefeitura. Foi componente da Banda Dobrado Trilho de Morro do Bom Socorro - Acordai se Estais Dormindo - Dobrado Thiago Polli - Orquestrações etc. Participou ativamente na reforma dos Estatutos da Sociedade filarmônica Neotrentina e foi grande admirador da Sociedade Recreativa Humaitá. Francisco Mazzola faleceu em 11 de dezembro de 1927 com 49 anos de idade. Foi o 1º professor homem do município. Essa é, provavelmente, a razão pela qual o colégio recebeu o seu nome.
    • Histórico
      • 29 de abril de 1947 - Grupo Escolar Lacerda Coutinho
      • 14 de abril de 1948 - Ginásio Normal Regional Pio XII
      • 1955 - Curso Normal Regional Pio XII
      • 1963 - Ginásio Normal Pio XII
      • 19 de outubro de 1966 Outubro de 1975 - Colégio Normal Professor Francisco Mazzola (cursos técnicos e magistério) Escola Básica Lacerda Coutinho (primário e ginásio)
      • 29 de abril de 1981 - Colégio Estadual Francisco Mazzola (funde-se as duas escolas)
      • Março de 2000 - Escola de Educação Básica Francisco Mazzola
      • O grupo Escolar Lacerda Coutinho foi criado em 1942, ano também em que iniciou-se a construção do prédio. A sua inauguração ocorreu em 29 de abril de 1947. 
      • Havia, porém, a necessidade de se estender o grau de escolaridade de nossa comunidade, e em 1948 criou-se o Curso Normal Regional, com o nome de Pio Xii , funcionando onde hoje é a fábrica de Móveis Marchi.
      • Em 1955 as Irmãzinhas da Imaculada Conceição, através de um convênio celebrado com o Estado, assumiram as aulas do Grupo Escolar. No ano de 1963 mudou-se o nome de Curso Normal Regional para Ginásio Normal Regional Pio XII . 
      • Só o Ginásio, no entanto, não era suficiente para nova Trento, e em 1966 criou-se o Colégio Normal Professor Francisco Mazzola, vinculado ao mesmo, no ano seguinte, o ginásio Normal Pio XII, tudo agora funcionando no Prédio do Grupo Escolar.
      • O Conselho Estadual de Educação aprova em 1973 o Núcleo comum do Colégio Normal Professor Francisco Mazzola e com o Parecer 353 de 1974 aprova os Cursos de Técnico em Secretariado e magistério - 1ª a 4ª Série. Nesta época o primário era separado do Ginásio, embora funcionasse no mesmo prédio, o que dificultava as coisas. Então em 1975 transformou-se o Grupo Escolar em Escola Básica Lacerda Coutinho, com estudos de 1ª a 8ª série. Como a nossa comunidade é essencialmente agrícola, criou-se a habilitação Básica em Agropecuária, que não foi entendida pela clientela e por isto está fechada por falta de matrícula. O 1º e 2º graus funcionavam no mesmo prédio, porém com administração diferente, o que também não era producente. Assim em 29 de abril de 1981 unificou-se os dois estabelecimentos com o nome oficial de Colégio Estadual Francisco Mazzola, nome que vigorou até o ano 2000. Em 1985 foi criado o Curso de 2º Grau de Educação Geral. Em 1987 criou-se, o Pré Escolar.
      • Em 28/02/2000 altera a identificação dos estabelecimentos da rede Pública Estadual, passando a ser denominada " Escola de Educação Básica Francisco Mazzola ", por atender a clientela da Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio. Hoje a escola possui um total de 1151 alunos, sendo 45 no Pré Escolar, 186 de 1ª a 4ª, 494 de 5ª a 8ª série e 422 no Ensino Médio.
      • Para formar um aluno crítico e participativo na sociedade, conta com o apoio de 46 professores, 10 orientadores, 1 diretor adjunto, 3 secretarias, 3 bibliotecários e 5 serventes
    • ESPAÇO FÍSICO
      • A escola conta com as seguintes dependências:  Dezesseis salas de aulas, que atendem desde pré-escola até ensino médio,  Duas instalações sanitárias para os professores,  Duas instalações sanitárias para os alunos,  Uma cozinha/ depósito de alimentos  Uma cantina,  Uma sala de apoio pedagógico,  Uma sala administração,  Uma sala de professores,  Uma sala de direção,  Uma sala de atendimento para deficientes auditivos,  Uma sala de atendimento psicopedagógico,  Uma biblioteca,  Um laboratório de ciências, física, química e biologia  Um laboratório de informática,  Três quadras de esporte em dois ginásios de esportes.
      • Todas as salas possuem aparelho de TV e vídeo, 
      • Uma secretaria, um almoxarifado,  Três departamentos (ciências/comunicação e expressão e estudos sociais),  Um galpão para homenagens e refeições,  Um abrigo de bicicleta,  Um jardim interno,
      • Amplos corredores para locomoção dos alunos,  Um parque, sendo o prédio totalmente cercado.
    • OBJETIVOS
      • Assessorar os professores na construção, desenvolvimento e execução de seus planos de Ensino e respectivos Projetos.  Assessorar professores no processo de avaliação e recuperação, para que esta deixe de ser meritocrática e seletiva e se tome parte integrante do processo de construção e elaboração do conhecimento.  Oferecer aos alunos orientação quando aos métodos de estudo, orientação profissional, orientação sexual, prevenção de drogas, programa de assistência social, ecológica…  Organizar atividades culturais e de lazer com o objetivo de atrair os pais para uma participação efetiva no processo educativo da escola. 
    • FILOSOFIA
      • "Desenvolver o processo de mediação na formação de cidadãos com capacidade de pensar e agir mediante a elaboração de conhecimento científico erudito e universal.  Pretendemos com essa filosofia a formação de um aluno crítico, autônomo e participativo. Essa concepção busca garantir os direitos e deveres preconizados pela constituição da República Federativa do Brasil nos artigos 5º 6º e 14º, bem como os estabelecidos no estatuto da criança e do adolescente, cap IV, art 53 a 59 (anexo I), visando assim diminuir as diferenças sociais e construir uma sociedade mais justa e humana." 
    • CURRÍCULO
      • É necessário pensar o currículo como um artefato social e cultural que implica em relações de poder, transmite visões sociais particulares e interessadas. Produz identidades individuais e sociais a partir da seleção de determinados conceitos a ser trabalhados em cada tempo histórico. Não é um instrumento neutro nem pode ser separado do contexto social, uma vez que ele e historicamente situado e culturalmente determinado.  O currículo escolar vai sendo construído por um processo dinâmico a partir das Diretrizes Curriculares Nacionais, da Proposta Curricular que vem sendo implementada nas escolas estaduais e das referencias locais, produzidas no âmbito do Projeto Político Pedagógico elaborado pela unidade escolar.  Desta forma, entendido como ato que só se realiza na coletividade e que envolve todas as experiências de conhecimento desenvolvidas pela escola, com o objetivo de produzir identidades (tanto individuais, quanto sociais) e que o currículo constitui-se no principal objeto de atuação dos educadores.  Com relação a organização curricular, a escola deverá considerar que o currículo dos cursos dos diferentes níveis e modalidades de ensino terá uma base nacional comum e uma parte diversificada, observada a legislação especifica.
    • METODOLOGIA
      • A escola tem um planejamento anual coletivo que define as atividades curriculares a serem desenvolvidas pela mesma durante o ano letivo. Sendo que estas atividades poderão ser replanejadas conforme a necessidade da escola.  A escola trabalha com a concepção pedagógica sócio-interacionista elegendo a interdisciplinaridade como visão de totalidade, unidade de contradição e conflito do conhecimento científico. Procura-se na medida do possível, realizar o trabalho através de sub-projetos.  Na educação infantil e séries inicias cada professor, baseado no seu plano de ensino elaborado no ano letivo e com base estudos desenvolvidos, pelos alunos e professores de turma anterior, elaborará junto aos especialistas e direção os projetos que pretenderão, desenvolver naquele período letivo. A execução do mesmo deverá envolver alunos, pais e professores de outras séries num verdadeiro mutirão interativo. Estes projetos deverão estar de acordo com a filosofia e a concepção pedagógica adotada pela escola. O professor será mediador do conhecimento na relação com seus alunos. Trabalhará com eles a produção de textos individuais e coletivos, usando a pesquisa e a participação ativa como aliados indispensáveis. Como mediador o professor estará trabalhando as zonas de desenvolvimento da criança: NDR, ZDP, NDP e NDR.  Para que a escola desenvolva o sócio-interacionismo precisa adotar algumas estratégias e procedimentos como:  Pesquisa em grupa e individual   Monitoria prevendo a diversidade do aprender   Trabalho em grupo visando produção coletiva   Entrevistas, gincanas, viagens de estudo, grêmios literários, jograis, varias literários e jornais.   Festivais de teatro, poesia, dança, canto, conto...   Recursos tecnológicos, computador, vídeo, retroprojetor, aparelho de som...  A escola trabalha em sala de aula de forma democrática. O professor e aluno são sujeitos que interagem entre si na elaboração e reelaboração do conhecimento, sempre partindo do conhecimento já dominado pelo aluno. A aprendizagem acontecerá quando houver mediação e interação entre aluno/aluno, aluno/professor e destes com o meio social, bem como o conhecimento científico. Neste processo de interação e mediação, no qual se respeitam os diversos níveis de aprendizagem, todos aprendem e a escola terá garantia de sua função social de socialização e produção de saber. Por isso na sala de aula, a relação entre alunos e professores acontecerá de forma democrática sendo a questão dos limites uma construção coletiva, assim como a conteúdo a ser trabalhado
    • FIM