Your SlideShare is downloading. ×
Residência taques bittencourt
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Introducing the official SlideShare app

Stunning, full-screen experience for iPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Residência taques bittencourt

4,324
views

Published on


0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
4,324
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
86
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. SISTEMAS ESTRUTURAIS Profº Rubens Mauro Cunha
  • 2. Carolina Arbex Cristiana Badra Mayara Virgulino Paula Oribe Virginia Vasques 7º Semestre – Turma 018207A
  • 3. Residência Taques Bittencourt Vilanova Artigas / Carlos Cascaldi
  • 4. Fonte: arquivo pessoal – Abr/12
  • 5. Localização
  • 6. Ficha Técnica• Cliente: Mário Taques Bittencourt• Arquiteto: João Batista Vilanova Artigas / Carlos Cascaldi• Ano do Projeto/construção: 1959• Localização: Rua Votuporanga, 275 – Sumaré - São Paulo• Área do terreno: 549m²• Área total construída: 332m², sendo: 32m² no subsolo 130m² no pavimento térreo 170m² no piso superior
  • 7. Plantas e Cortes
  • 8. Subsolo 9
  • 9. Pavimento Térreo Rua Votuporanga
  • 10. Pavimento SuperiorA AB B
  • 11. Corte AADimensionamento das lajes:Cobertura: h= 0,35m Pavimentos: h= 0,40mEspaçamento entre nervuras: 0,60m Espaçamento entre nervuras: 0,50m
  • 12. Corte AADimensionamento das lajes:Cobertura: h= 0,35m Pavimentos: h= 0,40mEspaçamento entre nervuras: 0,60m Espaçamento entre nervuras: 0,50m
  • 13. Corte BBDimensionamento das lajes:Cobertura: h= 0,35m Pavimentos: h= 0,40mEspaçamento entre nervuras: 0,60m Espaçamento entre nervuras: 0,50m
  • 14. Imagens
  • 15. Fonte: arquivo pessoal – Abr/12
  • 16. 2 Fonte: Vilanova Artigas , Kamita, João Masao– Mar/121 Fonte: arquivo pessoal – Abr/12 2 1
  • 17. 33 Fonte: arquivo pessoal – Abr/12
  • 18. 4 5 Fonte: arquivo pessoal – Abr/12 Fonte: arquivo pessoal – Abr/12 5 4
  • 19. 6 7 Fonte: Vilanova Artigas , Kamita, João Masao– Mar/12 7 6
  • 20. Maquete
  • 21. Estrutura
  • 22. Laje nervurada caixão perdido O uso desta solução não permite o reaproveitamento da fôrma de madeira, pois é impossível retirá-la do miolo da laje. Devido a sua forma de caixas, recebe o nome de laje nervurada caixão perdido. Tipos de fôrmas: podem ser em madeira, papelão rígido ou EPS
  • 23. Laje nervurada caixão perdido Vantagens: • Ocultação das nervuras • Aparência de laje maciça aparente • A livre passagem de tubulação através dos vazios • Melhora no conforto térmico e acústico do ambiente • Alivia cargas e economiza materiais Desvantagens: • Custo elevado ( as fôrmas são perdidas). • Para minimizar o custo das fôrmas de madeira podem ser usados outros tipos de materiais, tais como tubo de papelão rígido (estrutubo) e blocos de EPS (isopor)
  • 24. Outros exemplosCasa de vidro – São Paulo – SPLina bo Bardi (1951)
  • 25. Outros exemplosResidência Carmem Portinho - Rio de Janeiro - RJAffonso Eduardo Reidy (1950)
  • 26. Outros exemplosFórum de Avaré – Avaré – SPPaulo Mendes da Rocha (1962)
  • 27. Outros exemplosColégio XII de outubro – São Paulo – SPVilanova Artigas / Cascaldi (1962)
  • 28. ReferênciasBIBLIOGRAFIAKAMITA, João Masao. 2000. “Vilanova Artigas”. Série Espaços da Arte Brasileira. São Paulo, Cosac & Naify.Instituto Lina Bo e P. M. Bardi & Fundação Vilanova Artigas. 1997. “Vilanova Artigas: Arquitetos Brasileiros”.São PauloSITEShttp://www.arquiteturabrutalista.com.br/fichas-tecnicas/DW%201959-37/1959-37-fichatecnica.htmhttp://www.isar.com.br/index.php?/produtos/isolantes-termicos/poliestireno/caixao-perdidohttp://vitruvius.es/revistas/read/arquitextos/07.074/335http://vitruvius.com.br/revistas/read/arquitextos/04.044/622http://casasbrasileiras.wordpress.com/2011/02/24/casa-bittencourt/#more-246http://www.historiaenobres.net/ficha.php?id=234