Estilo internacional 2013

2,322 views
2,193 views

Published on

0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
2,322
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1,024
Actions
Shares
0
Downloads
80
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Estilo internacional 2013

  1. 1. O Estilo Internacional
  2. 2. Introdução
  3. 3. Corrente de tendência internacional que parte das vanguardaseuropeias do início do século XX e que amadurece ao longo dadécada de 1920, como resposta tardia às grandes questõesformuladas no século XIX a respeito da relação criativa doHomem com a máquina, com a cidade e com o novo modo deviver da sociedade.Definição de Movimento Moderno
  4. 4. Quatro tendências formaram o quadro cultural doMovimento Moderno:Quadro cultural do Movimento Moderno
  5. 5. 1-PURISMOEdifício:• Planta livre• Fachada livre• Pilotis• Janela corrida• Terraço-jardimCidade - dividida em quatro funções:• Habitar• Trabalhar• Cultivar o corpo e o espírito• CircularOutros pressupostos:zoneamento e verticalização.Designação derivada do movimento criado por Le Corbusier e Amedée Ozanfant.Apoiado em slogans futuristas, tais como: a casa é uma máquina de morar.
  6. 6. Villa Savoye – Le Corbusier, 1928.
  7. 7. Paris, plano Voisin– Le Corbusier, 1925.
  8. 8. 2-NEOPLASTICISMOTendência desenvolvida por Piet Mondrian e Theo VanDoesburg. É a mais abstrata das quatro vertentes.Carta de Princípios: Os dezessete pontos da arquiteturaNeoplástica –revista De Stijl, 1925.Ex: Casa Schröder - Gerrit RetveldPavilhão de Barcelona – Mies Van Der Rohe
  9. 9. Casa Schröder - Gerrit Retveld, 1924.
  10. 10. Pavilhão de Barcelona – Mies Van Der Rohe, 1929.
  11. 11. 3-BAUHAUSTendência que reuniu obras dos mais importantes arquitetosprogressistas da época: Oud, Poelzig, Behrens, Stam, Scharoun,Bruno e Max Tout, Mies, Gropius e Le Corbusier.
  12. 12. Sede da Bauhaus em Dessau – Walter Gropius1925-1926
  13. 13. Exposição Werkbund – Mies Van der Rohe (org.) - Stuttgart, Alemanha, 1927.
  14. 14. Exposição Werkbund – Mies Van der Rohe (org.) - Stuttgart, Alemanha, 1927.
  15. 15. Exposição Werkbund – Mies Van der Rohe (org.) - Stuttgart, Alemanha, 1927.
  16. 16. 4-CONSTRUTIVISMO SOVIÉTICOTendência que faz uma leitura profunda do futurismo deSant’Elia, tirando dele indicações concretas e recomendaçõespara se fazer uma arquitetura do tempo presente: expor asmáquinas, elevadores, antenas de rádio, elementos estruturais,além de explorar ao máximo as possibilidades dos novosmateriais e técnicas, distendendo as estruturas até o seu limite.Ousadia e forte conteúdo ideológico de suas ideias serão suaprincipal característica.
  17. 17. Monumento à III Internacional– Vladimir Tatlin, 1919.
  18. 18. Projeto de Chernikhov.
  19. 19. Torre Bawher – Chernikhov.
  20. 20. PRINCÍPIOS GERAIS DA POÉTICA MAQUINISTAPodemos resumir a poética das quatro tendências que formamo Movimento Moderno nos seguintes conceitos gerais:
  21. 21. 1-ECONOMIAEconomia financeira;Economia de espaço;Economia de elementos arquitetônicos.
  22. 22. 2-OBJETIVIDADEVisão voltada para o objeto, sem subjetivismos oumarcas pessoais.
  23. 23. 3-ANTI-INDIVIDUALISMOResposta final à eterna discussão sobre trabalho artesanal ereprodução mecânica.
  24. 24. 4-LEVEZAContrária à ideia de massa da arquitetura tradicional.
  25. 25. 5-FUNCIONALISMOO espaço é determinado por dados funcionais e não formaiscomo era na arquitetura tradicional.
  26. 26. 6-ANTIMONUMENTALIDADEEliminação de elementos expressivos por seuporte e simbolismo.
  27. 27. 7-RACIONALIDADEEscolha de elementos pela sua condição de universalidade,necessidade e suficiência.
  28. 28. 8-ANTI-HISTORICISMOAutossuficiência dos novos tempos, que não necessitamrecorrer ao passado.
  29. 29. 9-ANTIRREGIONALISMOPretensão de formulação de uma arquitetura geograficamenteabrangente.
  30. 30. 10-DISSEMANTIZAÇÃOEnfraquecimento da relação entre o objeto arquitetônico e seuspossíveis significados. Clara objeção à teoria associacionista doecletismo.
  31. 31. Estas ideias constituíam os fundamentos da arquitetura doMovimento Moderno, uma síntese do espírito da época que,sem jamais terem sido agrupadas num documento, eramproclamadas e defendidas como se tal tivesse acontecido.Fundamentos do Movimento Moderno
  32. 32. Maior expressão de uma ortodoxia formalista de âmbitointernacional. Esse termo aparece pela primeira vez no livroModern architecture: romantism and regionalism de Henry-Russel Hitchcock, de 1929 e iria balizar a fase adulta doMovimento Moderno.O ESTILO INTERNACIONAL
  33. 33. Na exposição Modern architecture: International Exibition realizadano MOMA de NY em 1932 (curadoria de Henry-Russel Hitchcock ePhilip Johnson) o termo é definitivamente consagrado.O ESTILO INTERNACIONAL
  34. 34. Aos fundamentos da poética maquinista são acrescentados algunsitens:• Perfeição técnica dos materiais e acabamento, comocontrapartida à ausência de ornamentação;• Flexibilidade da planta, agora obrigatoriamente construída sobreuma malha ortogonal;• Uso de materiais industrializados.O ESTILO INTERNACIONAL
  35. 35. O centro de gravidade da arquitetura moderna transfere-se daEuropa para os Estados Unidos onde arquitetos como Gropius,Mies, Neutra, Breuer e Mendelsohn, entre outros, encontrarãoas condições propícias para o estabelecimento de umaarquitetura que, em poucos anos, mudará a face das metrópolesdo mundo inteiro, com os práticos, simbolicamente neutros,totalmente industrializados e geometricamente puros arranha-céus de aço e vidro.O ESTILO INTERNACIONAL
  36. 36. Do ponto de vista ideológico, essa migração para os EstadosUnidos, não somente das pessoas, mas também das ideias, exigiumudanças conceituais, com o abandono do ideário socialista paraoutro, de feições mais liberais.Com o tempo, os seguidores da primeira geração moderna,passam a desenvolver de forma acrítica seus projetos, caindo emum novo maneirismo e institucionalizando um método queacabará por esvaziar inteiramente o movimento.O ESTILO INTERNACIONAL
  37. 37. Os imitadores de Mies Van der Rohe são o melhor exemplo desseesvaziamento.O ESTILO INTERNACIONAL
  38. 38. Nos Estados Unidos, Mies assume a direção do Departamento de Arquitetura do Armour Institute of Technology (hojeIllinois Institute of Technology). Sua primeira encomenda como diretor foi o anteprojeto do campus do Instituto, queocupará uma grande área na zona sul de Chicago. Trata-se do primeiro projeto americano de caráter urbanístico. Nele Miesutilizou, uma grelha geral, determinando uma quadrícula de 7,30 x 7,30 metros, dimensão baseada nas medidas de umasala de aula padrão americana. Esta medida serviria de apoio para o dimensionamento de todas as construções e espaçosabertos no campus. O próprio Mies projetou 35 edifícios no local, construindo mais de 20 deles. Principais destaques:Alumni Memorial Hall, Prédio das Caldeiras, a Capela e a sede da Escola de Arquitetura (Crown Hall).
  39. 39. Conjunto do Illinois Institute of Tecnology. Chicago - Mies van der Rohe, 1938-1958
  40. 40. Capela do Instituto Tecnológico de Illinois - 1949-1952
  41. 41. O Crown Hall possui o maior espaço interior projetado e construído por Mies van Der Rohe no campus do ITT: 37 x 71metros e pé-direito de 5,60 metros de altura. O edifício tem uma estrutura diferenciada já que, para conseguir um espaçolivre de colunas, Mies dispôs 4 vigas superiores de aço de onde se pendura a cobertura. O fechamento perimetral écompletamente envidraçado. O prédio eleva-se do piso meio nível, deixando aparecer as janelas do andar inferior, onde selocalizam as salas de aula.
  42. 42. Lake Shore Drive Apartments.Mies van der Rohe.Chicago - 1948-1951.
  43. 43. Chicago Federal Center. Chicago - Mies van der Rohe, 1959-1974
  44. 44. Seagram Building – NY, 1954-1958.Símbolo da arquitetura do século XX, esta construção de 39andares e pele de vidro de cor bronze, foi erguida sobrepilares, em forma de prisma retangular. O desenho de cadaelemento foi feito com um cuidado extraordinário, desdeos elevadores, até as divisórias, iluminação, estruturas etopografia. Sua implantação ocupa apenas um terço daárea e possibilitou a criação de uma praça que dá adistância necessária para a visualização do edifício.
  45. 45. IBM Building. Chicago- Mies van der Rohe, 1971.
  46. 46. Inland Steel. Chicago - Skidmore, Owings & Merrill – 1958.
  47. 47. John Hancock Center. Chicago- Skidomore, Owings & Merrill – 1970.
  48. 48. Lever House. NY- Skidmore, Owings & Merrill, 1952.
  49. 49. Pan Am Building. NY- Walter Gropius & Architect’s Collaborative. Belluschi, Emery and sons. 1963.
  50. 50. Demolição do Conjunto Habitacional Pruitt-Igoe,Saint Louis - EUAMinoru Yamasaki, 1952-1955FIM DO ESTILO INTERNACIONAL
  51. 51. Conjunto Habitacional Pruitt-Igoe, Saint Louis - Minoru Yamasaki, 1952-1955.
  52. 52. Conjunto Habitacional Pruitt-Igoe, Saint Louis – Demolido entre 1972-1976.

×