Alcoolismo

4,277 views

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
4,277
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1,288
Actions
Shares
0
Downloads
187
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Alcoolismo

  1. 1. ALCOOLISMO E SUASCONSEQUÊNCIAS Dra. Márcia Valéria Colli Gastroenterologista Professora do Curso de Medicina da Universidade Federal de Viçosa
  2. 2. INTRODUÇÃO2001: 11,2% de dependentes de álcoolentre maiores de 12 anos, com a maior taxa (15,5%) entre 18-24 anos
  3. 3. INTRODUÇÃOA FOME A PESTE A GUERRA
  4. 4. HISTÓRICODestilação: descoberta no século XI por um perfumista árabe (Albucases)
  5. 5. HISTÓRICO Álcool etílico: responsável pelos efeitos físicos e psicológicos observados na intoxicação alcoólica
  6. 6. CONCEITOSAlcoolismo: termo proposto pelo médico sueco Magnus Huss, no século XIX
  7. 7. CONCEITOSCID-10: Bebedores com uso nocivo Bebedores com síndrome de dependência do álcool
  8. 8. CONCEITOSSíndrome de dependência: conjunto de fenômenos fisiológicos, comportamentais e cognitivos no qual o uso do álcool tem prioridade muito maior que outros comportamentos que antes eram priorizados
  9. 9. SÍNDROME DEDEPENDÊNCIA Característica central: desejo forte, muitas vezes irresistível, de consumir álcool
  10. 10. DEPENDÊNCIA Dificuldade de controlar a ingestão de álcool Estado de abstinência fisiológica quando cessa o uso do álcool Evidências de tolerância Abandono progressivo de interesses alternativos Persistência no uso da bebida apesar de consequências nocivas
  11. 11. CONCEITOS Bebedores excessivos: consumo de álcool excede limites tradicionalmente seguros, pela OMS: máximo de 21 unidades de álcool por semana para homens e de 14 unidades para mulheres (cada unidade equivale a 10g de álcool)
  12. 12. CONCEITOS Vinho 1 cálice 11g 1,1 unid (90 ml)Cerveja 1 lata 17g 1,7 unid (350 ml)Destila 1 dose 20g 2,0 uniddos (35 ml)
  13. 13. CONCEITOS Bebedor excessivo episódico: consumo, em uma única ocasião, superior à metade do número recomendado de unidades de álcool por semana (10 unidades para homens e 7 para mulheres)
  14. 14. CONCEITOS Porém, muitas pessoas apresentam perdas sociais, familiares e condutas arriscadas devido ao uso do álcool sem preencher os critérios para uso nocivo ou síndrome de dependência, e também não se mostram adequadas para a abordagem exclusivamente quantitativa: são os “bebedores- problema” ou “abusadores de álcool”
  15. 15. CONCEITOSUma boa definição é a de que oalcoólico é o indivíduo no qual a bebida acarreta problemas e dificuldades e, todavia, é incapaz de parar de beber!!
  16. 16. CONCEITOS
  17. 17. METABOLISMO DO ÁLCOOL Hidrossolúvel e de baixo peso molecular 90% metabolizado no fígado Distribui-se rapidamente por quase todos os tecidos do corpo, atravessando rapidamente as barreiras placentária e hematoencefálica
  18. 18. METABOLISMO DO ÁLCOOL Mulheres: características que resultam em maior efeito nocivo do álcool, resultando em um maior nível sanguíneo do que nos homens para uma mesma dose
  19. 19. CAUSAS DO ALCOOLISMO EFATORES DE RISCO TODAS AS PESSOAS QUE CONSOMEM BEBIDAS ALCOÓLICAS ESTÃO EM RISCO DE APRESENTAR ALGUM TIPO DE COMPLICAÇÃO AO LONGO DA VIDA!!!
  20. 20. CAUSAS DO ALCOOLISMO EFATORES DE RISCO Fatores socioculturais: maior disponibilidade de bebida alto grau de estresse coletivo estímulo ou pressão social para beber Inexistência de sanções sociais contra a embriaguez e o abuso de álcool Costumes tradicionais que incluem consumo frequente de álcool
  21. 21. CAUSAS DO ALCOOLISMO E FATORES DE RISCO Fatores biológicos:• Predisposição genética: não implica em predestinação ou fatalidade: é a interação dos fatores genéticos e ambientais que irá determinar a vulnerabilidade individual
  22. 22. CAUSAS DO ALCOOLISMO E FATORES DE RISCO Fatores biológicos:• doenças psiquiátricas: transtornos de personalidade (psicopatias, psicoses), doenças afetivas (depressão) e transtornos de ansiedade
  23. 23. HISTÓRIA NATURAL DOALCOOLISMO Para aqueles que desenvolverão a dependência, as dificuldades vão aumentando e os primeiros problemas mais sérios costumam aparecer do final da 3ª década ao início da 6ª
  24. 24. DIAGNÓSTICO DO ALCOOLISMO Achados gastrointestinais: glossite náuseas e vômitos gastrites e úlceras tumores do aparelho digestivo diarréias de repetição hemorragia digestiva pancreatites lesões no fígado
  25. 25. DIAGNÓSTICO DO ALCOOLISMO Alterações hormonais: perda dos caracteres sexuais masculinos: perda de pelos, mudança no tom de voz, ginecomastia hiperpigmentação da pele envelhecimento precoce da pele odor desagradável na pele disfunção sexual maior incidência de aborto
  26. 26. DIAGNÓSTICO DO ALCOOLISMO Achados cardiovasculares: hipertensão arterial aneurismas tromboses varizes e úlceras de perna miocardiopatia palpitações e arritmias acidente vascular cerebral
  27. 27. DIAGNÓSTICO DO ALCOOLISMO Traumatismos: acidentes ferimentos queimaduras frequentes cicatrizes múltiplas
  28. 28. DIAGNÓSTICO DO ALCOOLISMO Problemas psicológicos: ansiedade (com sudorese, tremores) depressão (risco de suicídio, intoxicações medicamentosas) abusos de drogas transtornos do sono (insônia, pesadelos)
  29. 29. DIAGNÓSTICO DO ALCOOLISMO Problemas familiares: problemas psicológicos: dificuldades no relacionamento com o cônjuge ou os filhos violência doméstica: agressões ao cônjuge ou aos filhos
  30. 30. DIAGNÓSTICO DO ALCOOLISMO Problemas sociais: financeiros: dívidas legais: transgressões às leis, dirigir embriagado profissionais: faltas e atrasos, desemprego prolongado, acidentes do trabalho isolamento brigas e agressões
  31. 31. DIAGNÓSTICO DO ALCOOLISMO Outros problemas: aparência descuidada irritabilidade hálito alcoólico obesidade (especialmente em homens jovens) ou emagrecimento atrasos menstruais tuberculose
  32. 32. DIAGNÓSTICO DO ALCOOLISMO Problemas neurológicos:• “dormências” nas pernas, que podem evoluir para anestesias e paralisias• anestesia e depois excitação de áreas do cérebro: delírios, tremores, alucinações• perda do medo e aumento da agressividade• “apagamentos” (blackouts)• convulsões e demência
  33. 33. DIAGNÓSTICO DO ALCOOLISMO
  34. 34. DIAGNÓSTICO DO ALCOOLISMO
  35. 35. DIAGNÓSTICO DO ALCOOLISMO
  36. 36. DIAGNÓSTICO DO ALCOOLISMO
  37. 37. DIAGNÓSTICO DO ALCOOLISMO
  38. 38. EFEITOS DO ÁLCOOL NO COMPORTAMENTO Afeta gravemente o comportamento Atua principalmente no córtex cerebral, eliminando o “sistema nervoso controlador” Primeira fase da doença: o desempenho parece estar aumentado Com o tempo: perda do controle
  39. 39. EFEITOS DO ÁLCOOL NOCOMPORTAMENTO Primeiro sintoma: negação Segundo sintoma: manipulação Terceiro sintoma: o alcoólico começa a perder coisas: os valores, a família, o emprego O ÁLCOOL VIRA O CENTRO DA SUA VIDA PODE CHEGAR AO “FUNDO DO POÇO”!! ESTÁGIOS FINAIS: DEMÊNCIA
  40. 40. TRATAMENTO DO ALCOOLISMO Em todo o mundo, a entidade de AA (Alcoólicos Anônimos) possui o programa que mais êxito tem obtido na recuperação dos alcoólicos, com manutenção do estado de sobriedade – que define-se por abstinência e paz interior
  41. 41. TRATAMENTO DO ALCOOLISMO O AA funciona porque:• mostra que o alcoolismo não é uma opção, e sim uma condição que não pode ser mudada: uma vez alcoólico, sempre alcoólico, por isso deve-se evitar o “primeiro gole”
  42. 42. TRATAMENTO DO ALCOOLISMO O “não beber” não é planejado por toda a eternidade, e sim por 24 horas, proposta que é renovada dia após dia É uma entidade que procura manter-se simples, sem ajudas externas, e tem como “slogan” o anonimato – a mensagem é mais importante que o mensageiro
  43. 43. TRATAMENTO DO ALCOOLISMO O seu “Programa dos 12 Passos” é uma proposta de recuperação espiritual, que se faz num caminhar constante, infinito
  44. 44. TRATAMENTO DO ALCOOLISMOO AA demonstra que “o primeiro gole” não é o início, e sim o fim do processo de recaída: esta já se inicia antes, ocorrendo primeiro espiritualmente
  45. 45. CONSIDERAÇÕES...“É tão séria a ação do álcool nas pessoas que ele endoidece artistas notáveis, desfibra o caráter de abnegados pais de família, favorece doenças e engrossa a estatística dos manicômios; no entanto, diga isso num banquete de luxo e tudo indica que você, a conselho dos amigos mais generosos,
  46. 46. CONSIDERAÇÕES...será conduzido ao psiquiatra, se não for parar no hospício. As crônicas vivas do álcool estão nos próprios consumidores, largados à bebedeira; nos crimes que a imprensa recama de sensacionalismo, nos ataques de violência e nos lares destruídos. E é indispensável sejam trazidas à fala
  47. 47. CONSIDERAÇÕES...as vítimas de espancamento no recinto doméstico, os homens e mulheres de vida respeitável que viram a loucura aparecer de chofre no ânimo de familiares queridos, as crianças transidas de horror ante os desvarios de tutores inconscientes e, sobretudo, os médicos encanecidos no duro ofício
  48. 48. CONSIDERAÇÕES...de aliviar os sofrimentos humanos... São estes os efeitos da calamidade terrível que escorre, de copinho a copinho”... (HUMBERTO DE CAMPOS)
  49. 49. CONSIDERAÇÕES....OBRIGADA!!

×