(Jornal escolar palavras d'encanta 2.º ed.

977 views
877 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
977
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
6
Actions
Shares
0
Downloads
5
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

(Jornal escolar palavras d'encanta 2.º ed.

  1. 1. Volume 2, Edição 2 Jo r n a l E s c o la r — E B I d e G i n e t e s Abril de 2008 Coordenador: Max Teles PALAVRAS D’ENCANTAR Colaboradoras: Grace Oliveira Célia Lima NESTA EDIÇÃO: Visita de Estudo ao Instituto de Editorial 2 Jantar Páscoa 3 Meteorologia, no Relvão, em Ponta Romeiros 4 /5 Delgada. Corta-Mato 6 Taça Coca-Cola 7 Nos dias 12 e 13 de Março, as turmas A, B, Concurso Karaoke 8/9 C e D do 7º ano e a tur- Torneio futebol 5 10 ma de Oportunidade Teatro Escolar 10 realizaram uma visita de estudo ao Instituto de Projecto do 8.ºC 11 Meteorologia, no Rel- Palestra da CIPA 11 vão, em Ponta Delgada. Canguru Mat. 2008 12 A visita de estudo foi organizada pelas docen- Visita de Estudo 13 tes de Geografia e teve “Norte Crescente” 14 o apoio dos professores Visita de Estu- 15 Sílvia Costa, Maria José do(Inst. Meteo.) Aurélio, Mary Medeiros, Clube de Xadrez 16/17 Sónia Costa e Max Pág. Língua Port. 18 Teles que ... (cont. pág. Pág. Francês 19 15) Jantar Convívio 9.ºA 20 Concurso de Karaoke O rapaz Ideal 20 Um dos pontos altos do encerra- Pensamento de 21 mento do 2º Período foi sem dúvida o I adolescente Concurso de Karaoke da E.B.I. de Ginetes. Baile da Primavera 21 À hora marcada para o início do Vários Jogos 22/23 concurso, o anfiteatro da escola estava /24 completamente cheio, o que fazia prever um final de manhã muito divertido. (cont. Taça Coca-Cola pág. 8) (pág. 7) Visita de Estudo No dia 7 de Março a turma do 5º A e 5º B foram visitar o “Centro de Educação Ambiental e Ciência (Norte Crescente)”. em Stº António das Capelas. (cont. pág. 13)
  2. 2. Página 2 Palavras d’Encantar Volume 2, Edição 2 te a participar na elaboração deste jornal escolar, sejam eles alunos, funcionários, professores ou Editorial “Marcianos”, todos são bem vindos. A novidade é sempre importante e como disse Fernando Pessoa: Para ser grande, sê inteiro: nada Segunda edição do jornal Teu exagera ou exclui. Sê todo em cada coisa. Põe quanto és escolar Palavras d’Encantar No mínimo que fazes. Assim em cada lago a Lua toda A segunda edição do jornal escolar Palavras Brilha, porque alta vive. d’Encantar está outra vez aí para as curvas. Mais uma vez, procuramos editar o máximo possível de O Coordenador do Jornal. notícias, trabalhos e outros assuntos, dando prima- zia aos anseios dos alunos. Aconteceram muitas coisas boas durante o segundo período (sinal duma escola viva e partici- pativa) e, por isso, nada melhor que as compilar e mostrar à Comunidade Educativa. Assim, veremos que o programa festivo alusivo às actividades de final de período (segundo período) encontrou gran- de receptividade, sobretudo as actividades desporti- vas e o magnânimo Karaoke. Muitas outras iniciati- vas forem organizadas, realizadas e consumadas com êxito ao longo do período passado, isso enri- quece sem dúvida o quotidiano da vida escolar. Reiteramos o pedido: - queremos mais gen- Folar da Páscoa 5.Passado esse tempo divida a massa em bolas, Preparação achate-as, e sobre cada uma coloque 1 ou mais ovos cozidos. Prenda os ovos com tiras de massa. Pincele com gema de ovo e coza em forno bem 1.Comece por dissolver o fermento num pouco de quente 200º C. leite morno, de seguida junte-o a 200grs de farinha e faça uma massa. Deixe levedar. 2.Trabalhe a restante farinha com os ovos, o açú- car, e o leite, até obter uma massa muito leve. A seguir junte a margarina, o sal, a erva doce e a cane- la. 3.Trabalhe muito bem a massa, e por fim adicione a massa que estava a levedar. Amasse tudo até a mas- sa se descolar das mãos e do alguidar. 4.Cubra com um pano e deixe levedar 2 a 5 horas em local aquecido.
  3. 3. P á g i n a 3 P al a v r a s d ’ E n c an t a r Volume 2, Edição 2 mais audazes que deram voz às mais populares can- Jantar Convívio da Páscoa ções do panorama nacional e internacional. 2008 Para concluir, podemos dizer que, embora tenha sido um jantar não muito irreverente, se sal- dou num bom convívio entre professores e funcio- nários da nossa escola. O coordenador do jornal A comunidade escolar da EBI de Ginetes encontrou-se na Churrasqueira Paulista para mais um inaudível convívio. Desta vez, o jantar incluiu- se na época festiva da Páscoa. Os convivas depararam-se, conforme o jan- tar ia decorrendo, com um ambiente enérgico e descontraído. Assim, alguns momentos depois do prato principal ser consumido, houve uma amena cavaqueira entre os comensais. Discutiram-se vários temas actuais, ora ligados à educação, ora relacionados com outros assuntos menos pedagógi- cos. Como é da praxe, mais uma vez, houve o tradicional karaoke. Este foi interpretado pelos
  4. 4. Página 4 palavras d’Encantar Volume 2, Edição 2 Romeiros: a fé de um povo que percorre a ilha de S. Miguel Pesquisado por André Oliveira 7.ºA (também ele romeiro) Os primeiros ranchos de romeiros saem hoje em O peregrinação pelas estradas da ilha de S. Miguel... A romaria é uma manifestação de fé, na qual as pessoas demonstram a sua peregrinação e sacrifí- cio, numa semana repleta de obstáculos que, mui- tas vezes, se tornam inalcançáveis para alguns. Esta semana é de muita peregrinação, penitência e O romeiro refere que "a Romaria é uma peregrina- sobretudo de dor. É chamada de peregrinação, ção única em todos os sentidos. Fez questão de porque os romeiros têm de andar muito e são só salientar que destacar o sentido espiritual, ou seja, recolhidos à noite para dormir na casa das pessoas o mais importante, onde se faz penitência pelos que os recolhem e também sofrem muito. pecados próprios e alheios, onde se louva e agrade- É denominada por semana de penitência, porque a ce ao Senhor pelas Graças recebidas e onde se oração, bem como a reflexão dos erros da vida, a suplica pela paz e as bênçãos de Deus para a suplicação da paz e as bênçãos de Deus para a humanidade, para a Igreja, para a Diocese e para as Humanidade, para a Igreja, para a Diocese e para nossas famílias". as famílias são digamos que postas em ponto de André Melo refere que a sua experiência tem reflexão e de oração. aumentado de ano para ano, como tudo na vida. Os principais meios que possibilitam a demonstra- Disse ainda que "aumentou o sentido de Cristão, ção dessa fé são os pés, uma vez que são estes que onde o compromisso evangelizador é muito maior, fazem com que a sua deslocação seja possível. o sentido de responsabilidade na comunidade onde Durante a romaria, apesar do cansaço ser muito e estou inserido e o testemunho perante todos os quase impossível de suportar, é incrível o grau de outros cristãos que tem de ser diferente e para fé com que nos deparamos quando perguntam "de melhor". que serve o sacrifício". O peregrino acrescenta que "a nível técnico e Mas existem também muitas pessoas que levam a durante a semana propriamente dita, a experiência romaria na desportiva e não para fazerem-na com acumulada de tantos anos e um maior amadureci- dedicação, peregrinação e penitência, porque será mento como irmão levou-me a desempenhar que fazem isto? diversos cargos, tais como: orador, despenseiro e Esta é uma semana em que se deve esquecer neste momento, como um dos guias", adiantando alguns dos problemas da vida e ter a fé em Deus, que faz de boa vontade com um sentido de entrea- podemos dizer ainda que na romaria os romeiros juda aos seus irmãos. são mensageiros de Deus. André Melo faz romaria há onze anos, sendo filho Para André Melo, romeiro do rancho de Água de de um Mestre de Romeiros durante muitos anos, Pau, um Romeiro é "um cristão católico, organiza- diz ser romeiro desde que se conhece. do em ranchos por localidades, que se propõe visi- Refere que o sacrifício do romeiro começa pelo tar, durante o Tempo da Quaresma, o maior afastamento da família, dos amigos, da casa, da número de igrejas e ermidas da ilha de S. Miguel, cama, dos pratos preferidos. Acrescenta que cantando e rezando em todo o seu percurso". "depois, durante a semana, o sol, a chuva, o vento, o dormir pouco ou nada, as bolhas nos pés, o joe- lho que não corresponde, o peso da sacola, o mau piso dos caminhos, a calúnia e o apontar do dedo
  5. 5. Volume 2, Edição 2 Página 5Palavras d’Encantar conhecimento de todos os obstáculos e é através da fé que nós, romeiros, nos propomos a ultrapassá-los Rituais e Itinerário e, ao mesmo tempo, fazendo sacrifício em honra e louvor de Nosso Senhor Jesus Cristo". A Romaria decorre ao longo de oito dias, acabando André Melo fez questão de salientar que este ano o itinerário no ponto de partida. Os participantes completa o seu décimo segundo ano de Romeiro, se são, por norma, leigos que contam com a colabora- Deus quiser! ção do clero durante toda a sua realização. A sua intenção é visitar "as casas de Nossa Senhora". O O início das romarias itinerário é pré-estabelecido e a sua efectivação fica A Romaria micaelense iniciou-se como consequên- a cargo do Mestre do grupo. Actualmente, a pernoi- cia dos violentos sismos e erupções vulcânicas que ta e a esmola de outrora foram substituídas por uma abalaram Vila Franca do Campo em 1522 e 1563. organização mais em sintonia com os nossos tem- Numa era em que os cataclismos naturais eram pos. É providenciada com a devida antecedência a tidos como punição divina pelos pecados do colaboração das paróquias ao longo de todo o per- Homem, os sacerdotes instigaram o povo à prática curso previsto para a romaria, e onde os paroquia- da devoção e procissões marianas, passando os nos acolhem os romeiros em suas casas, facultando- micaelenses a peregrinar pelas capelas, igrejas e lhes a refeição da noite e água quente com sal para ermidas da ilha, rogando a protecção da Virgem e os pés fatigados e lacerados pela caminhada. O intervenção Divina para a resolução dos seus males romeiro porta ao ombro o saco de alimentos para as e aflições. A tradição romeira encontra-se bem viva demais refeições da jornada. Ao lavar os pés do nos corações e vidas das pessoas de S. Miguel, não peregrino, alguns anfitriões relembram o gesto de havendo, todavia, conhecimento ou registo da sua humildade e caridade de Jesus junto dos seus Após- existência nas restantes ilhas do Arquipélago dos tolos. Açores. Com a difusão da cultura açoriana pelo mundo através da emigração, o povo micaelense levou, entre os seus vários costumes e tradições, a romaria quaresmal, hoje ainda é um ponto referen- cial da sua fé como tantos outros, nomeadamente as Festas do Divino Espírito Santo, estando bem pre- sente nos vários grupos de romeiros existentes nas comunidades de imigrantes do continente norte- americano, os quais regressam anualmente à ilha para manifestar a sua fé junto das seus lugares sacros, invocando a Virgem Santíssima por todo o percurso. Equipar um romeiro dos pés à cabeça ultrapas- ser "cada vez mais difícil encontrar um bom tecido sa os 150 euros para o xaile, pois este tem de ser quente e ter o Pesquisado por João Medeiros 7.ºD (também ele romeiro) A Fé não escolhe idades e muitos jovens participam padrão axadrezado tradicional. Esse tecido vem de nessa caminhada fraternal. As Tradicionais romarias fora, mas são cortados e franjados cá”. No caso do começam brevemente e as lojas já expõem os artigos lenço, esse provém do "norte de Portugal continen- para venda... tal". Por uma quantia de, Um dos funcionários da Loja das Chitas afirma que aproximadamente, 110 é "o maior vendedor destes acessórios" e que euros, sem contar com o "muitos jovens vêm comprá-los". A loja tem à ven- calçado, o romeiro estará da "bordões antigos de madeira com as ponteiras adequadamente equipado metálicas". O bordão, que pode ser personalizado para participar nesta cami- gravando nele algumas passagens bíblicas, serve de nhada espiritual. apoio na caminhada por caminhos difíceis. Admite
  6. 6. Página 6 Palavras d’Encantar Volume 2, Edição 2 Corta-Mato Escolar – Fase de Ilha 2008 A nossa escola, EBI de Ginetes, participou no dia 16 de Janeiro de 2008, no Corta-Mato Esco- lar – Fase de Ilha 2008. A prova realizou-se no Pinhal da Paz, em Ponta Delgada. A escola apresentou, para a competição, atletas em todos os escalões, desde os Infantis A e B, passando pelos Iniciados e finalizando nos Juve- nis, isto de ambos os sexos. O tempo estava ame- no, convidativo a uma boa prestação por parte dos nossos atletas. E assim foi! Os resultados obtidos foram os seguintes: Pinhal da Paz - Corta-Mato de Ilha 2008 Infantis A feminino Classificação Classificação Juvenis feminino Classificação Classificação 1000 m / Nome individual por equipas 2500 m / Nome individual por equipas Catarina Cordeiro 1.º lugar Marília Ferreira 3.º lugar 1.º lugar 2.º lugar Catarina Arruda 3.º lugar Vânia Pereira 10.º lugar Carolina Martins 4.º lugar Sara Carvalho 16.º lugar Infantis A masculino Classificação Classificação Juvenis masculino Classificação Classificação individual por equipas 3500 m / Nome individual por equipas 1000 m / Nome Tiago Silva 4.º lugar Hugo Tavares 10.º lugar 2.º lugar 4.º lugar Alexandre 6.º lugar Rafael Pereira 12.º lugar João Ferreira 11.º lugar Rodrigo Pereira 21.º lugar Infantis B feminino Classificação Classificação 1500 m / Nome individual por equipas Olívia Melo 7.º lugar 2.º lugar Beatriz Ponte 11.º lugar Vanessa Melo 16.º lugar Infantis A masculino Classificação Classificação 1500 m / Nome individual por equipas Marcelino Vasconcelos 7.º lugar 2.º lugar Flávio Benevides 16.º lugar Sérgio Ponte 28.º lugar Sónia Cabral 7.ºD
  7. 7. Volume 2, Edição 2 Página 7 Palavras d’Encantar Pontapé de saída nos Taça Coca-Cola Açores Taça Coca-Cola A primeira fase da Taça Coca-Cola teve lugar no A primeira etapa da edição deste ano da dia 16 de Fevereiro, na Escola Secundária da Ribeira Taça Coca-Cola tem lugar no dia 16 de Grande. Estavam inscritas catorze equipas femininas e Fevereiro no complexo desportivo da masculinas de várias escolas da nossa ilha: Antero de Ribeira Grande, São Miguel. O dia de com- Quental, Capelas, Ginetes, Laranjeiras, Ribeira Grande e petição inicia-se às 10 horas da manhã com Roberto Ivens. muito futebol, culminando com a entrega A equipa feminina dos Ginetes iniciou o torneio das medalhas às 17h30. com a equipa da Ribeira Grande, vencedora do ano pas- sado. O jogo foi bastante renhido e foram quinze minu- Será a essa hora que os Açores ficam a tos de grande tensão. O jogo terminou empatado, sem conhecer as equipas masculina e feminina que houvesse golos de ambas as equipas, obtendo cada que irão representar o arquipélago nas uma delas um ponto. finais de 24 de Maio, no Porto. O segundo jogo da equipa feminina dos Ginetes foi disputado contra a equipa da Antero de Quental, ter- A Taça Coca-Cola é um torneio de futebol minando vencedora a equipa dos Ginetes, por 3-0, e de onze, dirigido a todos os jovens com conquistando três pontos. Após este jogo, a equipa dos idades compreendidas entre os 13 e os 15 Ginetes ficou apurada para a semi-final deste torneio, anos. Tem como objectivo sensibilizar os visto ter conseguido alcançar quatro pontos. jovens para a importância da prática des- O terceiro jogo da equipa feminina da nossa escola portiva e adopção de um estilo de vida acti- foi disputado contra a Roberto Ivens. Foi novamente va. O torneio é apadrinhado por Ricardo um jogo complicado. Apenas nos últimos minutos é que Quaresma e junta cerca de 14 mil rapazes e uma das jogadoras do Ginetes conseguiu marcar um raparigas que competem por um lugar na golo, tornando possível o apuramento para a fase final almejada final que este ano tem como palco que decorrerá nos dias 24 e 25 de Maio, na cidade do o relvado principal do Estádio do Dragão, Porto, com a presença do famoso jogador de futebol no dia 25 de Fevereiro. Ricardo Quaresma. Sílvia Travassos 8.ºB A iniciativa conta com os apoios do Institu- to do Desporto de Portugal, Instituto Por- tuguês da Juventude e Instituto da Droga e da Toxicodependência. —Etapa dos Açores da Taça Coca-Cola 07- 08 —16 de Fevereiro (Sábado), às 10h00 (Entrega das medalhas às 17h30) —Complexo desportivo da Ribeira Grande
  8. 8. Volume 2, Edição 2 Página 8 Palavras d’Encantar grandes interpretações de temas, que passaram pela Concurso de Karaoke música popular e rock brasileira, algum rock portu- guês, e até mesmo temas clássicos da música ligeira portuguesa. O júri confessa que não teve uma decisão fácil, mas acabou por atribuir o primeiro à Miriam Resendes, do 8º Profij, que interpretou o tema “Telepatia”, original de Lara Li, em segundo lugar ficou a Simone Sousa, do 9º C, que interpretou o tema “Papel Principal”, da Adelaide Ferreira e em terceiro lugar ficou o Benedito Ferreira, do 6º B que interpretou o tema “Vermelho”, da Fafá de Belém. Os vencedores receberam respectivamente um leitor de mp3 (primeiro lugar), um D.V.D. dos Um dos pontos altos do encerramento do Tokio Hotel (segundo lugar) e o álbum Now 17 2º Período foi sem dúvida o I Concurso de Karao- (terceiro lugar). ke da E.B.I. de Ginetes. Para além da excelente participação dos concorren- À hora marcada para o início do concurso, tes, é preciso não esquecer que este concurso teve o anfiteatro da escola estava completamente cheio, também a colaboração da auxiliar de educação o que fazia prever um final de manhã muito diverti- Marina Mateus, à qual os professores de Educação do. Com a enchente verificada, mesmo antes de Musical agradecem a ajuda, esperando que colabore começar o concurso, os professores organizadores, novamente no II Concurso de Karaoke da E.B.I. Bruno Pascoal e Rodrigo de Sá, professores de de Ginetes. Educação Musical, perceberam que este tipo de Prof. Rodrigo de Sá iniciativa seria para se repetir. Apesar de o número P de concorrentes não ser o desejado, a restante r o comunidade escolar mostrou muito interesse em f acompanhar o concurso. . O júri era composto pelos professores Luís R Alves (Conselho Executivo), Eugénia Brilhante o (Inglês) e Ana Silvestre (História). Também fez par- d te do júri a Dª. Manuela Costa, auxiliar de educação r i e ainda a Genoveva Sousa do 9ºA. g Nos bastidores notava-se algum nervosismo o por parte dos concorrentes, no entanto, quando d cada aluno entrava em palco parecia que perdia o e seu receio de enfrentar o público, e assistimos a
  9. 9. Página 9 Palavras d’Encantar Volume 2, Edição 2
  10. 10. Página 10 Palavras d’Encantar Volume 2, Edição 2 Torneio Quadrangular de Futebol de 5 Teatro Escolar No dia 14 de Março de 2008, pelas 9h00, Depois da experiência com a realizou-se mais um Torneio Quadrangular de peça “A Marte”, apresentada no final do primeiro Futebol de 5, no pavilhão desportivo da Escola Básica Integrada de Ginetes. Participaram duas período, o clube de teatro desta escola atravessou equipas de professores e duas equipas de alunos, uma ligeira crise: alguns elementos viram-se for- de realçar uma de antigos alunos da escola. Defrontaram-se, primeiramente, as duas equipas çados, por diversas razões, a desistir, o professor de professores, e posteriormente, as dos alunos. responsável esteve de baixa médica um mês e um As equipas vencedoras foram à final. Após, vitória renhida da equipa A por 2-1 novo texto dramático tardou a aparecer. Tudo à equipa B de professores, esta defrontou a equi- isto resultou na impossibilidade de apresentar um pa vencedora dos alunos. O jogo foi bem dispu- tado! As tácticas implementadas pelas duas equi- trabalho no final do segundo período. No entanto pas, em campo, levou a que surgisse um equilí- estas dificuldades estão a ser ultrapassadas: o clu- brio ao longo do jogo. No entanto, no final da contenda a maior maturidade da equipa de pro- be de teatro tem novos elementos, o professor fessores levou-os à vitória por 4-3. regressou da baixa médica e um novo texto dra- Concluindo, mais uma vez foi demons- trado que o futebol é uma grande festa! Toda a mático encontra-se em franco desenvolvimento comunidade escolar participou e incentivou os com o nome de “A Festa”, baseado numa comé- seus favoritos. Alunos e alunas ensaiaram cânti- cos e slogans para que os jogadores dessem show dia Italiana de Baglio Di Stefano com adaptações de bola! do próprio clube de teatro. Tudo deverá estar O coordenador do jornal pronto para fins de Maio, estando em estudo uma forma conveniente de ser apresentada, uma vez que, no Natal, o público estava muito barulhento, o que prejudicou bastante o primeiro trabalho deste clube. Prof. João Ferreira
  11. 11. Página 11 Palavras d’Encantar Volume 2, Edição 2 apresentar este trabalho, no próximo ano lectivo, a todos os alunos que transitarem do 4º ano para O projecto do 8º C o 5º ano. Esperemos que o nosso trabalho proporcio- ne, a toda a comunidade educativa, o mesmo pra- O 8ºC, no início deste ano lectivo, em Área zer que nos deu a nós fazê-lo. de Projecto, decidiu falar sobre o Mar e, associado A turma 8.ºC a este tema, surgiram mais dois: pesca excessiva e poluição dos mares. Alguns alunos da turma elaboraram traba- lhos sobre estes temas, enquanto que outros escreveram o guião de um filme que será apresen- tado no final do 3º período a toda a escola. No final do 2º período, os trabalhos foram apresentados aos 7º anos nas suas aulas de Formação Cívica e serão apresentados também aos 5ºs e 6ºs anos para que eles fiquem com a noção de como é importante preservar as espécies marinhas da extinção e os oceanos do lixo, que todos nós pomos lá de propósito ou inconsciente- mente. Está também a ser estudada a hipótese de se Sejam curiosos e se querem saber mais sobre este Palestra da assunto, que engloba outros, podem ir aos sites, CIPA telefonem ou mandem E-mail para: -www.cipavioleta.org Durante este 2º perío- -www.interregvioleta.org do, tivemos a honra de -Telefone-296295600 ter uma palestra na nossa escola intitulada -Fax-2962959 «Ser jovem em Igualdade» com o sub tema -E-mail – info@cipavioleta.org «Igualdade de oportunidades no trabalho». Esta palestra foi concebida pela CIPA (centro Joana Ferreira 7ºA de informação, promoção e acompanhamento de políticas de igualdade), onde falaram da igualdade e da discriminação no trabalho. Fundamentaram que os trabalhadores devem ter o direito à igualdade de oportunidades e de trata- mento no que toca ao acesso ao emprego e ao não serem discriminados, privilegiados, privados de qualquer direito ou dever tendo em conta a sua idade, sexo, estado civil, deficiência, doença, nacio- nalidade, religião e muitos outros. No fundo, querem que saibamos que com muitos trabalhadores, pelas razões acima apresentadas, isto não deve acontecer.
  12. 12. Página 12 Palavras d’Encantar Volume 2, Edição 2 lho Executivo para a realização da prova, uma vez que as fotocópias Regulamento do Concurso das provas e toda a logística associada é da total responsabilidade da Escola. Canguru sem Fronteiras de 2008 — As escolas terão de pagar uma inscrição de 25 euros. A SPM- Centro enviará uma factura electrónica para o e-mail da Escola e A Associação Canguru sem Fronteiras é uma associação de carácter para o E-mail do Professor, que deverá ser impressa e entregue na internacional que junta personalidades do mundo da matemática de Secretaria da Escola. diversos países. O seu objectivo é promover a divulgação da mate- Após, efectuado o pagamento, a SPM-Centro enviará um recibo mática elementar por todos os meios ao seu alcance e, em particu- para o endereço da Escola. lar, pela organização deste concurso. — A SPM-Centro disponibiliza as provas e a folha de resposta Pretende-se estimular e motivar o maior número possível de alunos às Escolas devidamente inscritas. As Escolas têm acesso à prova e à para a matemática e é um complemento a outras actividades, tais folha de resposta 5 a 3 dias antes do dia do concurso. como competições e olimpíadas. Em Portugal a organização deste — As Escolas participantes comprometem-se a enviar as folhas de concurso está a cargo da Sociedade Portuguesa de Matemática - resposta (folhas especiais, disponibilizadas em formato pdf às Delegação Regional do Centro (SPM-Centro), Departamento de Escolas) dos alunos à SPM-centro depois da realização das provas. Matemática da Universidade de Coimbra. — A SPM-Centro divulga na sua página o nome dos alunos com — O Concurso consiste numa única prova realizada no mesmo dia melhor classificação de duas formas: o os nomes de todos os alunos em todas as Escolas. Não existe selecção prévia nem existe uma que conseguirem as 10 melhores classificações em cada uma das prova final. categorias por escola; o os nomes dos alunos classificados nos pri- — O Concurso Canguru de 2008 realiza-se no dia 10 de Abril, na meiros lugares em cada uma das categorias a nível nacional e o própria escola, da parte da tarde, com início oficial às 14h30. Se for nome da escola . necessário, por motivos de ajustamento ao horário lectivo, a Escola — A SPM-Centro disponibiliza, em formato digital, dois certificados poderá iniciar a prova dentro do período das 14h às 15h30m. que a Escola deve imprimir caso pretenda entregar aos seus alunos: — O Concurso apresenta-se em cinco categorias, de acordo com as um certificado de presença no concurso e um certificado para os idades dos alunos: Categoria Escolar (para alunos dos 5º e 6º anos melhores classificados. de escolaridade); Categoria Benjamim (para alunos dos 7º e 8º anos — A SPM-Centro está a fazer esforços para que este ano possa even- de escolaridade); Categoria Cadete (para alunos do 9º ano de escola- tualmente atribuir prémios aos alunos com a melhor classificação a ridade); Categoria Júnior (para alunos dos 10º e 11º anos de escola- nível nacional em cada uma das categorias. Cada Escola pode anga- ridade); Categoria Estudante (para alunos do 12º ano de escolarida- riar patrocínios e distribuir prémios pelos melhores classificados de). assim como realizar uma cerimónia. O objectivo é que cada Escola — As provas são individuais com duração de 1h30m. Não é permiti- tenha uma parte activa no concurso. do o uso de máquinas de calcular ou de computador. Os alunos As páginas oficiais são as seguintes: SPM-Centro : http:// respondem na folha de prova a cerca de 30 questões de resposta www.mat.uc.pt/spmc . múltipla com dificuldade crescente. Inscrição no concurso: http://www.mat.uc.pt/spmc/canguru.html — O Coordenador de Matemática da Escola (ou o Professor interes- sado na realização do Concurso) deve pedir autorização ao Conse- http://www.canguru.org Canguru Matemático sem fronteiras 2008 No dia 10 de Abril de 2008, das 15:10 às 16:40 horas, vai realizar-se em muitos paí- ses o Canguru Matemático sem fronteiras 2008... e também na nossa escola!... Não te esqueças de participar! Faz a tua inscri- ção com o teu professor de Matemática. ... E, desde já, boa sorte! Para mais informações, visita www.mat.uc.pt/spmc/canguru.html Departamento de Matemática
  13. 13. Página 13 Palavras d’Encantar Volume 2, Edição 2 Visita do “Centro de Educação Ambiental e Ciência (Norte Crescente)” No dia 3 de Abril as turmas do 5º ano tive- ram uma visita inesperada. A equipa do “Centro de Educação Ambiental e Ciência (Norte Crescente)”. em Stº António das Capelas veio à nossa escola. Os alunos tiveram a oportunidade de ver em microscópios células vegetais, organismos microscó- picos (nemátodes) e fungos do bolor do pão. Foi muito divertido!!! Turmas do 5.º ano
  14. 14. Página 14 Palavras d’Encantar Volume 2, Edição 2 Visita “Centro de Educação Ambiental e Ciência (Norte Crescente)”. No dia 7 de Março a turma do 5º A e 5º B foram visitar o “Centro de Educação Ambiental e Ciência (Norte Crescente)”. em Stº António das Cape- las. A sessão de esclarecimento sobre a “Agricultura Biológica” e “Compostagem” foi muito interessante. Fizeram-se actividades experimentais com as minhocas e até viram como se constrói um vermi- compostor. Aqui vão alguns comentários dos alunos que foram à visita de estudo: “Aprendi que construindo uma caixa sem fun- do e colocando dentro cascas de batatas, laranja, folhas secas, etc, podia-se transformar essas substâncias em composto. Mais tarde é colocado nas hortas para tor- nar a terra fraca numa terra fértil.” Bianca 5º A “Os aspectos que considerei mais positivos foram aqueles em que falamos sobre a reciclagem e sobre a compostagem, porque são muito importantes para o ambiente” Inês 5ºA “Gostei muito de observar as minhocas com a lupa ocular e de aprender como se faz um compostor” Catarina 5º A
  15. 15. Página 15 Palavras d’Encantar Volume 2, Edição 2 Visita de Estudo ao Instituto de Meteorolo- gia, no Relvão, em Ponta Delgada. Nos dias 12 e 13 de Março, as turmas A, B, C e D do 7º ano e a turma de Oportunidade realizaram uma visita de estudo ao Instituto de Meteorolo- gia, no Relvão, em Ponta Delgada. A visita de estudo foi organizada pelas docentes de Geogra- fia e teve o apoio dos professores Sílvia Costa, Maria José Aurélio, Mary Medeiros, Sónia Costa e Max Teles que acompanharam os alunos na observação/compreensão de instrumentos meteorológicos e numa sessão esclarecedora sobre a Sismologia nos Açores. O balanço da actividade foi positivo, uma vez que os alunos demonstraram interesse e empenho ao longo da realização da mesma. Sandra Botelho 7.ºD
  16. 16. Página 16 Palavras d’Encantar Volume 2, Edição 2 Intermunicípios realizado na Escola E.B. 2,3 Canto CLUBE DE XADREZ – da Maia, onde em 4 jogos (4 pontos possíveis) obti- E.B. 2,3 DE GINETES veram 3 e 3,5 pontos, respectivamente. O Clube de Xadrez, constituído e dinamizado O Clube de Xadrez tem por competências: pelo Professor Carlos Domingues é membro da - Estimular a capacidade de raciocínio; Associação de Xadrez dos Açores e está filiado na - Desenvolver a capacidade de concentração; Federação Portuguesa de Xadrez desde 27-11-2006, - Desenvolver a capacidade de aplicar conhe- com o número 8753 e com o nome Escola E.B. 2,3 cimentos a novas situações; de Ginetes. - Estimular a aquisição de métodos de traba- Até ao momento, o Clube de Xadrez, já filiou lho; 13 jogadores (alunos), estando esta época a partici- - Incutir regras de trabalho de grupo; par assiduamente os alunos, André Ponte, Frederico - Incutir o respeito pelos colegas. Ferreira, Hugo Silva, João Fragata e Miguel Terceira, todos do 6ºA e o aluno Manuel Sousa do 5ºA. O Clube de Xadrez tem como objectivos especí- ficos: A época 2005-2006 serviu para filiar o clube, os jogadores e introduzir a prática do xadrez. - Filiar o clube na Federação Portuguesa de Xadrez; Nas épocas 2006-2007 e 2007-2008 o Clube de Xadrez participou na Taça de Portugal e no Cam- - Filiar jogadores (alunos) na Federação Portu- peonato Nacional por Equipas – 3ª Divisão – Série guesa de Xadrez; I. - Participar na Taça de Portugal; Esta época, o clube já se deslocou ao Concelho - Participar no Campeonato Nacional por Equi- do Nordeste para defrontar o União Desportivo do pas; Nordeste para a 1ª Eliminatória da Taça de Portugal. - Realizar um Campeonato Interno. Para o Campeonato Nacional por Equipas, recebe- mos na nossa escola o C.X. da Escola Secundária da Lagoa II e a A.A. Universidade II, deslocámo-nos ainda à casa do União Desportivo do Nordeste, do C.D. da Escola Preparatória das Capelas e da A.A. Universidade III, faltando ainda duas deslocações onde defrontaremos o Clube Desportivo de Velas e o C.X. da Escola Secundária da Lagoa I. Paralelamente, dois alunos do 6ºA, Frederico Ferreira e Miguel Terceira, participaram no Torneio
  17. 17. Página 17 Palavras d’Encantar Volume 2, Edição 2 (CONT.) Os treinos do Clube de Xadrez são às sextas-feiras das 11:50 às 12:35 onde se trabalha: identificação das diferentes peças de xadrez; introdução às regras do jogo; movimento das dife- rentes peças de xadrez; prática do jogo com poucas peças para aprendizagem do ataque e da defesa; prática do jogo normal; mates elementares; mates clás- sicos; problemas de mate numa jogada; rei e peão contra rei; software de aprendizagem e treino; anotação do jogo de xadrez e prática do jogo com Sabes jogar xadrez? relógio. Então faz uma jogada vitoriosa !!! Na página web da escola há uma hiperligação na qual está disponível toda a informação sobre o clube entre as quais os jogadores filiados, os resul- tados obtidos nas diversas provas e os próximos jogos a realizar. Prof. Carlos Domingues
  18. 18. Página 18 Palavras d’Encantar Volume 2, Edição 2 Página da Língua Portuguesa Respostas na próxima edição
  19. 19. Página 19 Palavras d’Encantar Volume 2, Edição 2 Página do Francês
  20. 20. Página 20 Palavras d’Encantar Volume 2, Edição 2 Jantar Convívio – 9. º A O Rapaz Ideal No dia 26 de Janeiro de 2008, realizou-se um Feio ou giro? Magro ou gordo? Cabeludo Jantar de Convívio do 9.º Ano, na Sede da Banda ou pelado, que interessa? Muito, pois o físico é o Lira Nossa Senhora da Estrela, na freguesia da primeiro passo para conheceres um rapaz! É claro Candelária, com o objectivo de angariar fundos que se já conheces rapazes menos giros ou para um intercâmbio escolar (Projecto “IR”) a rea- “feiosos”, podes, de igual modo, apaixonar-te por lizar no final do ano lectivo. eles. Estiveram presentes neste jantar os nossos Mas, passando à frente, o rapaz ideal para pais e encarregados de educação, alguns professo- mim a nível físico é o de todas as raparigas, com res, familiares e amigos. excepção daquelas que acham as “banhas sexy”, ou seja, giro, bonzão, com mãos bem feitas e, de prefe- Organizámos o salão no dia anterior, rência, olhos claros. “vestimos” as mesas de gala, o salão foi enfeitado com confetis e serpentinas. Tudo estava perfeito A nível psicológico, as primeiras exigências para o evento do dia seguinte. Como não poderia que faço são: estar seguro da sua orientação sexual deixar de ser, aconteceram alguns imprevistos pelo e não ser violento. O resto é conversa… Inteligente meio…, mas nada que atrapalhasse o nosso diver- ou não, organizado ou cabeça no ar… tanto faz. timento. No entanto, há outras características que aprecio num rapaz, mas que, por vezes, as raparigas con- Chegada a hora do jantar, o nervosismo natu- fundem com defeitos: gosto de um rapaz simpático, ral que antecede este tipo de eventos, aquele frio- mas não melga; querido, mas não lamechas; român- zinho na barriga, começou a fazer-se sentir. Entre- tico, mas não piroso e bonito, mas não convencido. tanto, chegaram os convidados que foram encami- nhados para as mesas e o jantar propriamente dito Numa relação, espero que seja fiel, mas começou. A alegria reinou e o convívio instalou- com liberdade individual para cada um. Gosto de se. uma relação aberta, de um rapaz sincero, maturo e não muito parvo. Para terminar em grande, sucedeu-se o bingo e a animada sessão de karaoke. Pronto, acho que já disse tudo. Em resumo, quero um rapaz imperfeitamente perfeito. Agradecemos a todos quantos nos ajudaram na concretização deste jantar, que foi um enorme sucesso. Graças a este êxito, conseguimos arreca- Anónimo dar uma generosa quantia de dinheiro para a nossa viagem. A turma do 9.ºA
  21. 21. Página 21 Palavras d’Encantar Volume 2, Edição 2 vezes, escolhem caminhos errados. O pensamento de uma Mas por que é que toda a gente lhes aponta adolescente o dedo? Por que é que toda a gente julga os ado- lescentes? Esquecem-se que os adolescentes têm A vida de um adolescente é um jogo que ainda mais raiva quando são julgados! muitos não sabem jogar. Mas porquê? Se pensarem bem, já foram Os adolescentes são sempre culpabilizados como eles, apesar das épocas serem outras... por tudo o que de errado acontece, sendo sempre Tudo, no geral, mudou! Até o clima mudou! Por vistos como os maus da fita. É verdade que exis- que é que os adultos querem que agora os adoles- tem adolescentes rebeldes que têm a mania que centes façam tudo como eles fizeram no seu tem- sabem tudo e fazem os outros sofrer, magoando- po, se tudo mudou? Por que é que nos julgam? os sem dó nem piedade. Outros há que têm a Não vêem que, ao fazerem isso, fazem com que mania da perseguição e que adoram fazer-se de muitos adolescentes se revoltem com essas injus- vítimas. No entanto, há adolescentes que sofrem tiças, levando-os a fazerem coisas graves? por amor, solidão, desprezo e devido a injustiças. Não vale a pena continuar a falar, pois pare- A sua vida é difícil, pois existe falsidade e ce que tudo o que dizemos cai em saco roto e é muitos deles são gozados, ignorados, humilhados tempo perdido e, quando nos tentamos explicar, e até magoados, não necessariamente a nível físi- só arranjamos mais problemas, conflitos... Por co, mas a nível psicológico. Isso é injusto! Muitos isso, muitos adolescentes vivem a sua vida sem adolescentes pensam que estão bem inseridos no dar qualquer explica- seu grupo de amigos e na família, mas afinal, por ção... trás, são atacados aos poucos sem se aperceberem de nada. Maria Carolina Mas uma coisa todos estes adolescentes têm Costa 9.ºC em comum: ninguém vê o lado deles, esquecen- do-se que eles também sofrem, também choram por serem sempre culpados de tudo o que aconte- ce, sendo tratados, muitas vezes, abaixo de cão. Não vou mentir que os adolescentes são muito curiosos, aventureiros, adoram conhecer e ter experiências novas, vestir coisas diferentes e, por Baile da Primavera No passado dia 12 de Março, a turma B do 9º ano organizou o Baile da Primavera, na sala de convívio da escola. Graças ao empenho e ao esforço da turma, toda a sala estava enfeitada com muitas flores de papel de diferentes cores e com luzes, tornando o ambiente agradável e convidativo. Das 14h00 às 16h30, houve grandes momentos de diversão e bem-estar, quer para os participantes quer para a nossa turma. Além da música agradável, também houve bolos e refrigerantes à venda, com o objecti- vo de angariarmos fundos para a nossa viagem de finalistas à ilha Terceira, no mês de Junho. A turma agradece a todos os que participa- ram e alegraram este baile. Alexandre Botelho 9.ºB
  22. 22. Página 22 Palavras d’Encantar Volume 2, Edição 2 Charada de Einstein Um animal por aluno No final do século passado, Einstein propôs A Cristina, a Celeste, o César, a Carlota e um problema que, segundo ele, 98% das pessoas a Catarina adoptaram animais (morcego, tou- não seriam capazes de resolver. peira, mosca hamster, rato e joaninha) na aula de Ciências Naturais. Os animais foram bapti- zados, sendo os seus nomes: Paulo, Patrícia, Há cinco casas de diferentes cores. Em cada Pancho, Pinto, Pedro e Pacheco. Foi também casa, mora uma pessoa de uma diferente nacionali- medido o comprimento de cada um deles: 1 dade. Os cinco proprietários bebem diferentes cm, 1,3 cm, 11 cm, 14 cm, 18 cm e 23 cm. bebidas, fumam diferentes tipos de cigarros e têm diferentes animais de estimação. A questão é: quem tem um peixe? Utilizando as seguintes pistas, tenta des- cobrir a que aluno pertence cada animal. 1. O Inglês vive na casa vermelha. 2. O Sueco tem cachorros. 1. O Pedro voa; o Paulo não. 2. O animal da Cristina mede 14 cm de com- 3. O Dinamarquês bebe chá. primento; 4. A casa verde fica à esquerda da casa branca. 3. A joaninha não pertence a uma rapariga e 5. O dono da casa verde bebe café. não é o animal mais pequeno; 6. O homem que fuma Pua Mali cria pássaros. 4. O Paulo mede menos 5 cm que o animal 7. O dono da casa amarela fuma Dunhill. maior; 8. O dono da casa do centro bebe leite. 5. O animal do Carlos não é uma mosca nem 9. O Norueguês vive na primeira casa. uma joaninha; 10. O homem que fuma Blends vive ao lado do 6. O Pedro mede menos 10 cm que o morce- que tem gatos. go, que mede menos 3 cm que o Pinto; 11. O homem que cria cavalos vive ao lado do que 7. A Patrícia é o animal maior; fuma Dunhill. 8. O animal do Carlos é o mais pequeno; 12. O homem que fuma Bluemaster bebe cerveja. 9. O hamster pertence à Catarina; 13. O Alemão fuma Prince. 10. O Paulo não é um rato nem um hamster; 14. O Norueguês vive ao lado da casa azul. 11. O Pancho, que voa, pertence ao César; 15. O homem que fuma Blends é vizinho do que 12. O bicho que a Celeste adoptou mede 18 bebe água. cm. Nome do Aluno Animal Comprimen- Nome do to Animal Nacionalidade Animal Tabaco Bebida
  23. 23. Página 23 Palavras d’Encantar Volume 2, Edição 2 3 – Soma todos os números do teu nome. Passatempo 4 – Se o teu resultado tiver mais de um algarismo, Desloca quatro fósforos e forma exactamente soma todos os dígitos até ficares apenas com um. três triângulos equiláteros. Este algarismo é o número da personalidade do teu nome. 5 – Consulta o retrato da personalidade e vê o que o número da personalidade do teu nome diz sobre ti. Descobre o retrato da tua personalidade Outras sugestões Calcula o número da personalidade da tua data de nascimento. Compara-o com o número da perso- A ciência da numerologia atribui um núme- nalidade do teu nome e vê qual deles está mais pró- ro a todas as pessoas. Será que este número especial ximo de quem és. pode revelar informações importantes sobre a tua Exemplo personalidade? Experimenta e vê se funciona. A data de nascimento do Tomás é 14 de Outubro Precisas de: papel e lápis de 1987 ou 14-10-1987. O que fazer 10+14+1987=2011 1 – Escreve o teu nome completo, tal como está no 2011 2+0+1+1=4 teu Bilhete de Identidade, na vertical. Não escrevas alcunhas nem diminutivos. O número da personalidade da data de nascimento 2 – Ao lado de cada letra, escreve o algarismo cor- dele é 4. respondente, de acordo com este quadro de valores das letras. Estás a gostar! Continua na próxima página.
  24. 24. Página 24 Palavras d’Encantar Volume 2, Edição 2 (cont.) As cidades da Europa aqui são Retrato da personalidade três. Adivinha lá outra vez. 1 – Não há ninguém como tu. És um líder nato. A originalidade e a independência são dois dos teus pontos fortes. Tens a coragem de experimentar coisas novas. 2 – És amável e bondoso. As pessoas dizem que és atencioso e sensível aos sentimentos dos outros. És o melhor amigo que uma pes- soa pode ter. Escrever poesia é um dom natu- ral que tu possuis. 3 – És a alma da festa. O centro do palco é como uma segunda casa para ti. Tens um grande sentido de humor. Os teus verdadeiros talentos residem na arte e na escrita. 4 – Pode-se contar contigo para fazer o que for preciso. Trabalhas sempre com afinco para atingires os teus objectivos. O teu forte é a paciência e a auto-disciplina. És muito leal com os teus amigos. 5 – És muito inteligente. As viagens a sítios longínquos interessam-te. És muito curioso e adoras investigar coisas novas. Um dos teus fortes é correr riscos. 6 – Tens fortes valores morais. As pessoas sabem que podem confiar em ti e que és honesto. Dás o exemplo para todos os outros. Dois dos teus pontos fortes são ajudar e cui- dar dos outros. 7 – És muito esperto para a tua idade. Interes- sas-te em resolver mistérios. Nutres amor for- te pela Natureza e pelos animais. És um pen- sador e gostas de passar tempo sozinho. 8 – Tens poder para ser bem sucedido e és sempre organizado. A gestão e a autoridade são dois dos teus pontos fortes. Ganhar dinheiro é uma coisa que fazes naturalmente. O futuro reserva-te uma posição executiva. 9 – Os acontecimentos da actualidade interes- sam-te. Estás sempre a tentar ajudar toda a gente. Preocupas-te com os direitos humanos. A bondade e a compreensão são dois dos teus pontos fortes.

×