Integração de Serviços como requisito fundamental no processo de migração para uma plataforma livre

569 views
517 views

Published on

Trabalho apresentado no evento SUCESU 2005 em Belo Horizonte - Integração de Serviços como requisito fundamental no processo de migração para uma plataforma livre.

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
569
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
7
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • A primeira tentativa de criar um serviço de diretório para suprir informação comuns a várias aplicações foi o X.500, que nós veremos mais adiante.
  • DNS é um serviço de nomes tradicional Traduz um nome para o conteúdo do nodo correspondente Similar a uma Agenda Telefônica É preciso saber o fullname para encontrar a informação associada a ele. Basicamente, retorna IPs. Só que muitas vezes, você quer fazer determinados tipos de consultas para as quais você não conhece esse fullname, mas, ao contrário, é exatamente ele que você está procurando (exemplo: páginas amarelas). Exemplo: NumeroTelefone Exemplo: tipoImpressora
  • DNS é um serviço de nomes tradicional Traduz um nome para o conteúdo do nodo correspondente Similar a uma Agenda Telefônica É preciso saber o fullname para encontrar a informação associada a ele. Basicamente, retorna IPs. Só que muitas vezes, você quer fazer determinados tipos de consultas para as quais você não conhece esse fullname, mas, ao contrário, é exatamente ele que você está procurando (exemplo: páginas amarelas). Exemplo: NumeroTelefone Exemplo: tipoImpressora
  • Integração de Serviços como requisito fundamental no processo de migração para uma plataforma livre

    1. 1. A Integração de Serviços como Requisito Fundamental no Processo de Migração para uma Plataforma Livre Prof. Mauro Tapajós Santos SUCESU - 01/04/2005 Belo Horizonte 1
    2. 2. <ul><li>Muito interesse no real uso de tecnologia em software livre em ambiente corporativo
    3. 3. Não há ainda um bom número de grandes cases corporativos documentados
    4. 4. No mundo do SL muitas das funcionalidades já existem de forma pontual
    5. 5. Necessidade de integração das ferramentas de administração e gerenciamento de ambientes de TI para uso neste tipo de ambiente </li></ul>Gerenciamento de TI em Ambiente Corporativo
    6. 6. <ul><li>Autenticação única (single-logon) de usuários na rede
    7. 7. Controle de Login scripts
    8. 8. Serviço de impressão em rede
    9. 9. Mapeamento de diretórios em servidores remotos para usuários
    10. 10. Backup corporativo
    11. 11. Inventário automatizado de TI
    12. 12. Distribuição automática de pacotes de software – atualizações automáticas de aplicações e SO </li></ul>Serviços de TI
    13. 13. <ul><li>Tem papel de destaque em qualquer arquitetura integrada de TI
    14. 14. É o repositório de informações de controle e administração
    15. 15. Exige configurações redundantes e distribuídas
    16. 16. Área de grande domínio de soluções proprietárias, principalmente governo (produtos maduros com anos de experiência)
    17. 17. Protocolo LDAP (RFC 2251): padrão aberto para acesso e alterações em servidores de diretório </li></ul>Serviço de Diretórios
    18. 18. Serviço de Diretório SERVIÇO DE DIRETÓRIO Nome=jose lima email=josel@ucb.br Login+senha Login OK ADDRESS BOOK
    19. 19. Serviço de Diretório Armazena dados na forma de objetos segundo uma estrutura hierárquica Alunos Professores Campus II Campus I UCB objectclass : Pessoa nome: Isaac sobrenome: Newton nc: inewton password: 2A2A324ZC3 email: inewton@ucb.br nascimento: 03/09/1984
    20. 20. Serviços de Diretório <ul><li>Permite recuperar informações através de seus objetos e atributos </li></ul>Exemplo 1: qual o email de Isaac Newton? Exemplo 2: quais alunos se chamam “Isaac” e têm menos de 20 anos? <ul><li>Similar às Páginas Amarelas
    21. 21. Exemplos: </li></ul><ul><ul><li>Microsoft AD
    22. 22. Netscape Directory Server
    23. 23. NDS/eDirectory
    24. 24. Critical Path
    25. 25. OpenLDAP (livre!) </li></ul></ul>
    26. 26. Integração de Serviços de TI com o Diretório
    27. 27. <ul><li>Possui no seu cerne um serviço de diretórios distribuído e saudável
    28. 28. OpenLDAP ( www.openldap.org )
    29. 29. Criação e administração dos objetos necessários para administração de serviços de TI
    30. 30. Implementação de mecanismos para administração dos serviços de rede via LDAP </li></ul>Arquitetura de TI Integrada em Plataforma Livre
    31. 31. <ul><li>Processo não trivial : em muitos casos o usuário leigo não consegue realizar o processo manual de instalação/atualização de software em ambiente livre
    32. 32. Diversidade : plataformas livres se diferem bastante em configurações e componentes
    33. 33. Dependências : pacotes de software dependem de outros para estarem operacionais
    34. 34. Controle de versões de pacotes
    35. 35. Funcionamento em rede : premissa para se automatizar o processo
    36. 36. Permissões : mantidas em objetos no diretório </li></ul>Serviço de Distribuição de SW
    37. 37. <ul><li>Instalação transparente e automática para o usuário
    38. 38. Adequação às limitações de rede
    39. 39. Categorização dos pacotes de software
    40. 40. Uso em diferentes distribuições
    41. 41. Administração do serviço
    42. 42. Distribuição agendada
    43. 43. Tolerância a falhas e segurança
    44. 44. Requisitos de plataforma ao instalar pacotes </li></ul>Arquitetura de Distribuição de Software - Aspectos
    45. 45. <ul><li>Informações de privilégios de execução de aplicativos para usuários no serviço de diretórios – objetos customizados
    46. 46. Definição de formato de pacotes
    47. 47. Mecanismo transparente de instalação e atualização de pacotes
    48. 48. Protocolo usado para transporte dos pacotes via rede </li></ul>Distribuição de Software Integrada
    49. 49. <ul><li>Repositórios de software compatíveis com um esquema de distribuição de pacotes em rede
    50. 50. Permite a montagem de repositórios personalizados e categorizados (homologação)
    51. 51. Atualização rápida e transparente de componentes de software nas estações – suporta a própria arquitetura de TI
    52. 52. Não há problemas de licenciamento </li></ul>SDS – Servidores de Distribuição de Software
    53. 53. O Serviço de Distribuição de Software Integrado
    54. 54. <ul><li>A adoção de soluções em software livre em redes corporativas exige integração para a correta administração do ambiente
    55. 55. O serviço de distribuição de software é um dos mais importantes por que mantém e atualiza toda a arquitetura de software nas estações de usuário de maneira automática e transparente
    56. 56. As informações de administração dos diversos serviços devem estar num serviço de diretórios disponibilizado em rede </li></ul>Conclusão
    57. 57. Perguntas!
    58. 58. Site do Projeto CESMIC: www.ucb.br/cesmic Site Pessoal: www.ucb.br/prg/professores/maurot
    59. 59. O Projeto CESMIC Centro de Excelência em Servidores de Missão Crítica Trata-se de um convênio entre a Universidade Católica de Brasília e a Itautec visando implementar um centro de estudos de servidores de missão crítica, servindo de base para avaliação, simulação e testes de homologação de ferramentas e aplicações sobre plataformas de software livre
    60. 60. Recursos Alocados <ul><li>O CESMIC conta com um laboratório localizado na Universidade Católica de Brasília onde vários servidores de 32 e 64 bits estão disponíveis, além de uma equipe multidisciplinar de pesquisa composta de profissionais da UCB (professores pesquisadores e bolsistas) e da Itautec
    61. 61. Espaço Físico e Infra-estrutura: Bloco M - São Gaspar Bertoni - Lab. M115 – Campus I – Águas Claras (Brasília) – DF </li></ul>
    62. 62. Recursos Disponíveis <ul><li>Hardware Itautec e software livre </li></ul><ul><ul><li>Servidores Intel – Infoservers
    63. 63. Estações de trabalho
    64. 64. Storage
    65. 65. Software: sistemas operacionais, aplicações, etc
    66. 66. Others: Equpamentos de redes (switches, routers, Access Points), Switch servers, webcams, etc </li></ul></ul>
    67. 67. <ul><li>Arquitetura interna de servidores
    68. 68. Sistemas operacionais
    69. 69. Integração SO/Hardware
    70. 70. Testes e benchmarks de aplicações de missão crítica
    71. 71. Gerenciamento de ambientes de TI </li></ul>Interesses em Pesquisa
    72. 72. CESMIC – Parcerias <ul><li>Consultoria </li></ul><ul><ul><li>Auxília na montagem de editais para licitação pública (governo)
    73. 73. Avaliação de aplicações de clientes sobre plataforma livre
    74. 74. Aspectos na migração para plataformas livres </li></ul></ul><ul><li>Suporte Técnico em Plataforma Livre </li></ul><ul><ul><li>Planejamento e execução de procedimentos de testes de aplicações
    75. 75. Customizações </li></ul></ul>
    76. 76. Alguns Produtos CESMIC <ul><li>Estudo comparativo das distribuições Linux Enterprise – entendimento melhor das diferenças entre as várias alternativas
    77. 77. Cursos GNU/Linux – instalação, configuração e administração de servidores
    78. 78. Confecção de CD de instalação automática do Linux para auxílio de técnicos de suporte em campo – minimizar problemas em procedimentos de instalação
    79. 79. Teste de carga de aplicações (plataforma de colaboração DIRETO, OpenLDAP, aplicações próprias)
    80. 80. Desenvolvimento da Plataforma GATI com o SERPRO </li></ul>

    ×