Suporte e Disponibilidade sobre GNU/Linux Free Software Meeting 3/12/2003 – São Paulo Prof. Msc Mauro Tapajós
<ul><li>(Re)apresentar o sistema GNU/Linux
Ilustrar o panorama de TI que o espera - tendências
Apontar aspectos relevantes sobre suporte Linux
Verificar algumas das opções de tecnologias para disponibildade neste ambiente
Ajudar na resposta da pergunta “Existe um mínimo adequado de segurança para realizar operações corporativas em plataforma ...
Sistema GNU/Linux <ul><li>Dispensa apresentações
Tem apresentado a robustez e a aceitação necessárias para sua utilização em plataformas de Alta Disponibilidade e Performa...
Aceitação crescente nas empresas, ONG's e governo
Viabiliza custos com software em vários projetos
Distribuições : conjuntos do kernel Linux e aplicativos (muitos deles criados pelo OSF) juntamente com  programas de insta...
Sistemas de Missão Crítica <ul><li>O que são? Qual a importância?
Exemplos de aplicações que os requerem </li><ul><li>Serviços WEB
Sistemas Corporativos, ERP, CRM
Bancos de Dados
Outros (sistemas de telecomunicações, bancários, etc) </li></ul><li>Fatores de impacto </li><ul><li>Custos
Tecnologias
Padrões </li></ul><li>Requisitos </li><ul><li>Alta Disponibilidade
Alta Performance </li></ul></ul>
Tendências Observadas <ul><li>Necessidades cada vez maiores de processamento em áreas diversas, tais como: corporações, ci...
Discussão do software Livre – Grande aceitação </li></ul><ul><ul><li>Os benefícios estão claros
Ações a serem tomadas - Agir! </li></ul></ul><ul><li>Disponibilização de SO's estáveis, rápidos, funcionais e com código l...
Itens de Desempenho </li></ul><ul><ul><li>Aumento de largura de banda em redes
Hardware cada vez mais rápido
Ganhos ainda maiores de performance </li></ul></ul><ul><li>Relação preço/performance cada vez mais favorável – viabilidade...
Suporte em Ambientes Linux - Contexto <ul><li>Exigências cada vez mais rígidas de SLA de atendimento
Know-how  necessário em ambiente de Datacenters
Dia-a-dia de equipes internas ou externas de operação e manutenção
Outsourcing
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Suporte e Disponibilidade no Linux

905 views
806 views

Published on

Palestra dada pelo prof. Mauro Tapajós Santos no evento Free Software Meeting em São Paulo - Suporte e Disponibilidade no Linux

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
905
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
16
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Suporte e Disponibilidade no Linux

  1. 1. Suporte e Disponibilidade sobre GNU/Linux Free Software Meeting 3/12/2003 – São Paulo Prof. Msc Mauro Tapajós
  2. 2. <ul><li>(Re)apresentar o sistema GNU/Linux
  3. 3. Ilustrar o panorama de TI que o espera - tendências
  4. 4. Apontar aspectos relevantes sobre suporte Linux
  5. 5. Verificar algumas das opções de tecnologias para disponibildade neste ambiente
  6. 6. Ajudar na resposta da pergunta “Existe um mínimo adequado de segurança para realizar operações corporativas em plataforma Linux?” </li></ul>Objetivo
  7. 7. Sistema GNU/Linux <ul><li>Dispensa apresentações
  8. 8. Tem apresentado a robustez e a aceitação necessárias para sua utilização em plataformas de Alta Disponibilidade e Performance
  9. 9. Aceitação crescente nas empresas, ONG's e governo
  10. 10. Viabiliza custos com software em vários projetos
  11. 11. Distribuições : conjuntos do kernel Linux e aplicativos (muitos deles criados pelo OSF) juntamente com programas de instalação e customização criados por determinado grupo </li></ul>
  12. 12. Sistemas de Missão Crítica <ul><li>O que são? Qual a importância?
  13. 13. Exemplos de aplicações que os requerem </li><ul><li>Serviços WEB
  14. 14. Sistemas Corporativos, ERP, CRM
  15. 15. Bancos de Dados
  16. 16. Outros (sistemas de telecomunicações, bancários, etc) </li></ul><li>Fatores de impacto </li><ul><li>Custos
  17. 17. Tecnologias
  18. 18. Padrões </li></ul><li>Requisitos </li><ul><li>Alta Disponibilidade
  19. 19. Alta Performance </li></ul></ul>
  20. 20. Tendências Observadas <ul><li>Necessidades cada vez maiores de processamento em áreas diversas, tais como: corporações, ciências, engenharia e comércio
  21. 21. Discussão do software Livre – Grande aceitação </li></ul><ul><ul><li>Os benefícios estão claros
  22. 22. Ações a serem tomadas - Agir! </li></ul></ul><ul><li>Disponibilização de SO's estáveis, rápidos, funcionais e com código livre (kernel Linux, FreeBSD, etc)
  23. 23. Itens de Desempenho </li></ul><ul><ul><li>Aumento de largura de banda em redes
  24. 24. Hardware cada vez mais rápido
  25. 25. Ganhos ainda maiores de performance </li></ul></ul><ul><li>Relação preço/performance cada vez mais favorável – viabilidade de soluções com software livre </li></ul>
  26. 26. Suporte em Ambientes Linux - Contexto <ul><li>Exigências cada vez mais rígidas de SLA de atendimento
  27. 27. Know-how necessário em ambiente de Datacenters
  28. 28. Dia-a-dia de equipes internas ou externas de operação e manutenção
  29. 29. Outsourcing
  30. 30. Gerenciamento - NOC's </li></ul>
  31. 31. Software Fechado <ul><li>É criado e mantido para alcançar os planos de negócio de seu fabricante
  32. 32. Normalmente derivado de um conjunto limitado de testes, tempo e equipe
  33. 33. Evoluções e atualizações somente virão quando fizerem parte da estratégia de negócio e acompanhada de encargos
  34. 34. É vetada qualquer tentativa do usuário de melhorar o software através da alteração do mesmo - dependência </li></ul>
  35. 35. Software Livre <ul><li>É criado e mantido pela comunidade online que compartilha o software
  36. 36. Fazem parte da comunidade representantes das organizações que o utilizam
  37. 37. O software evolui com base nas demandas e experiências de seus usuários
  38. 38. Com SL o código fonte do mesmo já não é mais um segredo guardado a sete chaves e o suporte não é mais uma obrigação de dependência de uma única fonte
  39. 39. Transforma-se a atividade de suporte num ramo mais competitivo </li></ul>
  40. 40. Software Livre <ul><li>Altera muito o panorama de TI
  41. 41. O preço do software (licenças) cai vertiginosamente, mas o custo com software não necessariamente cai na mesma proporção
  42. 42. A possibilidade de melhorias/customizações no software torna a componente de desenvolvimento mais importante
  43. 43. O papel do usuário também se torna mais importante como elemento utilizador e crítico ( feedback ) – antes era somente apertar botões! </li></ul>
  44. 44. Suporte Linux - Aspectos Relevantes <ul><li>O Linux roda numa razoável diversidade de plataformas (de palmtops a Mainframes passando por estações PC ou até RISC) – os custos de treinamento e gerenciamento diminuem em ambientes diversificados
  45. 45. O Linux é naturalmente ensinado nos cursos regulares das áreas de TI – a massa de mão-de-obra que entra no mercado já teve o contato com o modelo de operação do sistema e já está familiarizada com seus procedimentos de solução
  46. 46. As características de segurança e administração do sistema (derivado do UNIX) evitam muitos dos problemas comuns em sistemas proprietários (virus, invasões, crashs de aplicações, etc) reduzindo o número de chamados para problemas desta ordem </li></ul>
  47. 47. Suporte Linux - Aspectos Relevantes <ul><li>Muitos dos sistemas tradicionalmente não-críticos adquiriram este status (correio eletrônico, web servers, etc) exigindo suporte de missão-crítica
  48. 48. Muitos destes serviços são implementados em plataformas de software livre criando uma necessidade real de suporte “sério” em ambiente Linux
  49. 49. Soluções que envolvam muitas instâncias computacionais (redes de lojas, hotéis ou pontos de venda) estão sendo implementados sobre Linux em função do custo total e prevêm o mesmo tipo de suporte dado às soluções com sistemas fechados
  50. 50. O expertise/ suporte Linux é um ramo de grande oportunidade no atual contexto dos ambientes de TI </li></ul>
  51. 51. Mão-de-obra para Suporte Linux <ul><li>A competência Linux é cada vez mais valorizada
  52. 52. Número crescente de profissionais de TI nascidos sob a bandeira do software livre e tem ampla aceitação do modus operandus do sistema
  53. 53. O sistema GNU/Linux é muito usado como ambiente de aprendizado das disciplinas de “escovação de bits” por que passam os futuros profissionais nas universidades e cursos técnicos
  54. 54. Muitos dos novos desafios de suporte podem ser resolvidos com conhecimentos e profissionais que se tem em casa
  55. 55. Estes profissionais não sentirão tanto o choque da mudança quanto os outros acostumados a trabalhar com versões proprietárias </li></ul>
  56. 56. Know-How para Suporte Linux <ul><li>O conhecimento em ambiente Linux pode ser adquirido de várias formas inclusive informalmente – Basta uma configuração bem modesta de hardware
  57. 57. De qualquer forma, as opções de treinamento não se limitam aos programas de capacitação criados pelos detentores da tecnologia
  58. 58. Muitas alternativas de treinamento estão disponíveis
  59. 59. Credibilidade na formação Linux está sendo possível através da oferta de provas de certificação
  60. 60. Os cursos e certificações Linux custam em meia a metade do preço das demais </li></ul>
  61. 61. Suporte Linux? <ul><li>Se formar uma equipe interna não for alternativa, já existe uma grande oferta de serviços de suporte contratados que viabiliza a terceirização do suporte Linux
  62. 62. O mundo corporativo está se adaptando à nova forma de lidar com suporte no Linux
  63. 63. Vários são os cases de migração e operação para Linux em empresas – grande atenção do governo
  64. 64. Muitos dos grandes “players” estão dando suporte e credibilidade, afastando os argumentos do “sistema sem dono”
  65. 65. As divisas geradas pelos serviços sobre plataforma livre permanecem no país – fato visto com muitos bons olhos pelo governo brasileiro e por várias instituições </li></ul>
  66. 66. <ul><li>Disponibilidade: sistema online e disponível para acesso
  67. 67. Necessidade para serviços de missão crítica
  68. 68. Após certo patamar somente se consegue altas disponibilidades com a replicação de recursos
  69. 69. Exemplos de recursos replicados: placas de rede, fontes, discos rígidos, links de comunicação, etc
  70. 70. Surge um problema: como se acionar os recursos de prontidão?
  71. 71. Necessidade de monitoramento do status de vários itens: serviços disponibilizados, conectividade, unidades de armazenamento,
  72. 72. Processo de chaveamento e disparo de serviços (reinício de serviços num servidor, reboot da máquina, reconfigurações, mudanças de endereços de rede e rotas, notificação de pessoas)
  73. 73. Em sistemas computacionais pode-se replicar componentes internos ou replicar sistemas inteiros ( clusters ) </li></ul>Disponibilidade de Sistemas
  74. 74. <ul><li>Capacidade do sistema de estar operacional com uma probabilidade alta e adequada
  75. 75. Vários níveis possíveis
  76. 76. SLA´s – Algumas práticas </li></ul>99% a 99,5% - Não comercial – 87,6 a 43,8 hs/ano 99,9% - Alta disponibilidade – 8,8 hs/ano 99,99% - Fault Resilient – 53 min/ano 99,999% - Fault Tolerant – 5,3 minutos/ano <ul><li>Atividade: planejamento de contingência – projeto com base em análise de risco
  77. 77. Em níveis críticos ... </li></ul><ul><ul><li>Disaster Recovery
  78. 78. Business Continuity </li></ul></ul>Alta Disponibilidade
  79. 79. <ul><li>Tipos de sistemas distribuídos </li></ul>Alta disponibilidade Alta performance Híbridos <ul><li>Aspectos de complexidade, operação, configuração e custos </li></ul>Clusters
  80. 80. Middleware
  81. 81. <ul><li>Procedimentos rígidos de backup´s – ferramentas de backup já disponíveis no Linux </li></ul>tar cpio, dump/restore – cópias diretas de arquivos amanda, bacula, arkeia – e várias outras soluções de backup proprietárias ou não <ul><li>Configurações em RAID – via hardware ou via software </li></ul>RAID via software já implementado no Linux LVM – Logical Volume Manager – criação de drives lógicos compostos de vários discos <ul><li>Redundância de itens de hardware: fontes, placas de rede, links de comunicação
  82. 82. Filesystems internos ( journalling - ext3, Reiser, XFS, JFS; suporte a outros sistemas como FAT, HPFS e NTFS) </li></ul>Alta Disponibilidade em Servidores Linux – Baseada em Itens Internos
  83. 83. <ul><li>NFS – Network File System – Montagem remota de filesystem
  84. 84. SMB ( Server Message Block ) – Montagem de compartilhamentos em redes Windows
  85. 85. NCP ( Network Core Protocol ) – Acesso a fileservers em redes Novell
  86. 86. GFS ( Global File System ) – montagem de SAN's storages clusters permitindo acesso a dispositivos de storage por todos os nós de um clusters. Acesso a nível de blocos e não de arquivos como a maior parte dos outros fs
  87. 87. Intermezzo – sincronização de arquivos com dispositivos móveis (suporte a desconexão)
  88. 88. CODA – similar ao NFS com recursos a mais
  89. 89. PVFS ( Parallel Virtual File System )
  90. 90. CLVM – Cluster LVM </li></ul>Filesystems Distribuídos no Linux
  91. 91. Dois tipos de organização mais comuns: 1) Replicação – dispositivos standby com suas próprias cópias dos dados 2) Switchover – dispositivos standby com acesso aos storages externos usados pelos dispositivos primários e Alta Disponibilidade em Servidores Linux – Baseada em Clusters
  92. 92. Linux HA Project <ul><li>Opção barata – ligações via rede de dados
  93. 93. Fácil escalabilidade
  94. 94. Concorrência pelos recursos computacionais
  95. 95. Detecção de falhas normalmente baseada em questionamentos diretos e periódicos
  96. 96. heartbeat – notificações periódicas de que o serviço está OK
  97. 97. DRBD - dispositivo de replicação de blocos em servidores remotos
  98. 98. mon – componente de monitoramento e alarme </li></ul>Alternativas na própria aplicação <ul><li>Determinadas aplicações podem ainda criar uma infra-estrutura de cluster HA a nível de aplicação (por exemplo: DB) </li></ul>Alta Disponibilidade em Servidores Linux – Baseada em Clusters
  99. 99. Exemplo: Clusters (vários níveis)
  100. 100. Configurações em Clusters HA - Replication
  101. 101. Configurações em Clusters HA - Switchover
  102. 102. Configurações em Clusters HA - Falhas
  103. 103. <ul><li>Evita a replicação dos dados em todos os nós
  104. 104. Todos os nós veem o storage
  105. 105. Maiores custos
  106. 106. Complexidade
  107. 107. Necessidade de mecanismos de proteção (reservas, acesso de vários nós, quebra de reservas)
  108. 108. Vários problemas comuns no Linux (conflitos de reservas SCSI exigem alterações a nível de kernel) </li></ul>Storage Compartilhado
  109. 109. Alguns Links Relacionados amanda - http://www.amanda.org bacula - http://www.bacula.org arkeia - http://www.arkeia.com Filesystems distribuídos para Linux http://www.linux-mag.com/2000-11/dfs_01.html PVFS - http://www.parl.clemson.edu/pvfs/ Linux Ha Project - http://www.linux-ha.org/ mon - http://www.kernel.org/software/mon/ drbd - http://www.drbd.org/
  110. 110. Perguntas e Mãos à Obra! Site do Projeto: www.ucb.br/cesmic Mail: cesmic@ucb.br 61 356 9686

×