• Like
  • Save
Aula17
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Teoria Geral da Administração

Teoria Geral da Administração

Statistics

Views

Total Views
4,058
Views on SlideShare
4,058
Embed Views
0

Actions

Likes
2
Downloads
56
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Aula17 Aula17 Presentation Transcript

    • TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO – AULA 17 Hoje abordaremos uma teoria que teve como origem a Teoria dos Sistemas, mas aprofundou-se na complexidade da mente humana e na permanente situação de mudança do mundo administrativo. O assunto de hoje é a ABORDAGEM CONTINGENCIAL .
    • 1. ORIGENS DA TEORIA CONTINGENCIAL
      • Anos 70: profusão de pesquisas projetavam estruturas organizacionais e ações gerenciais para situações específicas.
      • É um desenvolvimento: da teoria de sistemas;
      • A estrutura mais apropriada: depende das contingências da situação para cada organização individual.
      • Fatores situacionais: poder e controle, características dos membros de organizações (habilidades, experiências, necessidades e motivações)
      • A abordagem contingencial: pode ser vista por relações SE – ENTÃO *
      • Grande impacto : sobre teorias organizacionais contemporâneas
      • Contribuição: identificação das variáveis de influenciam projeto geral das organizações (tecnologia, tamanho e natureza do ambiente)
      * Se tal situação se apresenta assim, então a resposta é... Ou seja, não existe um modelo único e mágico para solucionar problemas administrativos.
    • Construída a partir de idéias da teoria dos sistemas, a perspectiva contingencial afirma que uma variedade de fatores, tanto internos quanto externos à empresa podem afetar o desempenho da organização. Desse modo, não existe uma “única melhor maneira” de administrar e organizar, porque as circunstâncias variam. Características situacionais são chamadas de contingências . Entender as contingências auxilia o administrador a saber quais os conjuntos de circunstâncias que ditam as ações administrativas, que incluem:
      • taxa de mudança e grau de complexidade do ambiente externo à organização;
      • forças e fraquezas internas da organização;
      • valores, objetivos, habilidades e atitudes dos administradores e trabalhadores da organização; e
      • tipos de tarefas, recursos e tecnologias que a organização utiliza .
    • 2. CONCEITOS A teoria das Contingências estabelece que situações diferentes exigem práticas diferentes, empregando o uso das teorias tradicionais, comportamentais e de sistemas separadamente ou combinadas. “ A visão de contingência procura entender as relações dentro e dentre os subsistemas, bem como entre a organização e seu ambiente, e procura definir padrões de relações ou configurações de variáveis”. (Fremont Kast & Rosenzweig)
    • A palavra CONTINGÊNCIA significa algo incerto ou eventual , que pode suceder ou não, dependendo das circunstâncias . Quer dizer que determinado assunto pode ser considerado verdadeiro ou falso somente através do seu conhecimento pela experiência e pela evidência, e não pela razão. Não há nada absoluto nos princípios básicos de Administração! (POR ESSA VOCÊ NÃO ESPERAVA! OU ESPERAVA?) Dois fatores que afetam as estruturas das organizações e que são ênfases da TEORIA CONTINGENCIALISTA : Variações no AMBIENTE ou na TECNOLOGIA conduzem a variações na estrutura organizacional
    • 3. O CAMINHO PARA A CONTINGÊNCIA – ( I )
        • Abordagens Prescritivas em Sistema Fechado
          • Administração Científica de Taylor (TAREFAS)
            • Estudo das rotinas produtivas e seleção do trabalhador
            • Incentivo salarial e condições ambientais de trabalho
            • Homem Econômico
          • Teoria Clássica de Fayol (ESTRUTURA)
            • Divisão do trabalho gerencial
            • Funções administrativas e “técnicas”
            • Importância da Coordenaçãoadministrativa
            • Conceito de Linha e Staff
          • Teoria da Burocracia de Weber (ESTRUTURA)
            • Normas e regulamentos garantem consistência
            • Racionalidade e formalidade da comunicação
            • Impessoalidade e profissionalismo
          • Teoria das Relações Humanas de Mayo (PESSOAS)
            • Estudo da Organização Informal (Homem Social)
            • Motivação, Liderança e Comunicação
            • Dinâmica de Grupo e Mudança Organizacional
          • Abordagem Prescritiva em Sistema Aberto
          • Teoria Neoclássica (ESTRUTURA)
            • Integração de Conceitos Clássicos com PESSOAS e AMBIENTE
            • Eficiência e Eficácia Organizacional
            • Administração por Objetivos
      Continuação
    • 3.1 O CAMINHO PARA A CONTINGÊNCIA ( II )
        • Abordagens Descritivas em Sistema Aberto
          • Teoria Estruturalista (ESTRUTURA)
            • Integração de conceitos da Burocracia com PESSOAS e AMBIENTE
            • Análise Interorganizacional
            • Visão positiva dos conflitos organizacionaisl
          • Teoria Comportamental (PESSOAS)
            • Maslow e Herzberg: Análise da Motivação
            • Estilos de Administração: autocrático (Sistema X e Y)
            • Homem Administrativo
          • Teoria Cibernética e de Sistemas (AMBIENTE)
            • Sistema: entrada, processo, saída e retroação
            • Organização como Sistema Aberto
            • Subsistema técnico e subsistema social
            • Visão Sistêmica é a lente que a teoria contingencial usará para interpretar as demais teorias
      • 4. PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS
        • Organização como um sistema orgânico
      Sistema Mecânico Sistema Orgânico Complexo inter-relacionamento entre as variáveis organizacionais internas e destas com o AMBIENTE Relacionamento em linha
      • CARACTERÍSTICAS DOS SISTEMAS MECÂNICOS
      • estrutura burocrática assentada em minuciosa divisão do trabalho;
      • cargos ocupados por especialistas com atribuições perfeitamente definidas;
      • altamente centralizadas , as decisões são geralmente tomadas nos níveis superiores da empresa;
      • hierarquia rígida
      • sistema simples de controle : a informação ascendente sobe através de uma sucessão de filtros e as decisões descem através de uma sucessão de amplificadores;
      • predomínio da interação vertical entre superior – subordinado;
      • amplitude de controle do supervisor mais estreita;
      • maior confiança nas regras e procedimentos formais;
      • ênfase nos princípios da Teoria Clássica
      • CARACTERÍSTICAS DOS SISTEMAS ORGÂNICOS
      • estruturas flexíveis que nem sempre podem sofrer divisão do trabalho e fragmentação bem definida;
      • cargos continuamente redefinidos por interação com outros indivíduos participantes da tarefa;
      • relativamente descentralizadas , com decisões delegadas aos níveis inferiores;
      • tarefas são executadas à luz do conhecimento que os indivíduos têm das tarefas da empresa como um todo;
      • predomínio da interação lateral sobre a vertical;
      • amplitude de controle do supervisor mais ampla;
      • maior confiança nas comunicações ;
      • ênfase nos princípios da Teoria das Relações Humanas
    • 5. LINHA EVOLUTIVA DAS TEORIAS ADMINISTRATIVAS Ênfase Intra-Orgnanizacional Ênfase no Ambiente Clássica Rel. Humanas Burocracia Comportamental Estruturalista Sistemas P.O. Contingência Nem todas as contingências críticas foram identificadas. A teoria pode não ser aplicável a todas as questões administrativas. Limitações Identificou as principais contingências. Contestou os princípios universais da administração. Contribuições As contingências situacionais influenciam estratégias, estruturas e processos que resultam em alto desempenho. Existe mais de uma forma de se atingir um objetivo. Os administradores devem adaptar suas organizações à situação. Conceitos-chave
    • 6. O HOMEM COMPLEXO A concepção contingencial focaliza o homem complexo que caracteriza-se por ter um sistema complexo de valores, percepções, características pessoais e necessidades. O homem é um ser transacional. O homem tem comportamento dirigido p/ objetivos. Os sistemas individuais não são estáticos. H. ADMINISTRATIVO HOMEM SOCIAL HOMEM ECONÔMICO HOMEM COMPLEXO
    • 7. LIMITAÇÕES E CRÍTICAS Relacionamento casual: Outros elementos (desenho organizacional e sistemas de informação) influenciam o desempenho além da estrutura Desempenho organizacional: Multifacetado Variáveis independentes: Discutível (organização pode influenciar seu ambiente) Contingências múltiplas: diferentes padrões de fatores contingenciais têm implicações distintas para o desenho organizacional Mudança planejada: Modelos falham na ênfase das conseqüências não-previstas da mudança planejada Fatores de poder: Não determinadas por condições situacionais impessoais Velocidade da mudança organizacional: Dificuldade de mudar com freqüência a intervalos muito curtos
    • CHIAVENATO, I . Introdução à teoria geral da Administração. 7.ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003. MAXIMIANO , A. C. A. Teoria geral da Administração : da revolução urbana à revolução digital . São Paulo: Atlas, 2002 BIBLIOGRAFIA BÁSICA