• Save
Conferência Internacional de Cidades Inovadoras 2011
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Conferência Internacional de Cidades Inovadoras 2011

on

  • 1,192 views

Resumo da programação que assisti representando o CJE FIESP.

Resumo da programação que assisti representando o CJE FIESP.

Statistics

Views

Total Views
1,192
Views on SlideShare
1,191
Embed Views
1

Actions

Likes
1
Downloads
0
Comments
1

1 Embed 1

http://www.linkedin.com 1

Accessibility

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Conferência Internacional de Cidades Inovadoras 2011 Conferência Internacional de Cidades Inovadoras 2011 Presentation Transcript

  • CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DAS CIDADES INOVADORAS 2011 CURITIBA/PR 17 a 20 de Maio FIEP – Federação das Indústrias do Paraná
  • 2011“Uma cidade é feita de pessoas, ideias e ações”
  • • 3.500 participantes• 500 municípios do Brasil e Exterior• 203 conferencistas• 97 painéis• 170 jornalistas do Brasil e Exterior• 60.000 visitas em 4 dias no site da CiCi 2011• 2.700 seguidores no twitter - #CiCi2011 Top Trend• 50.000 publicações no facebook• CICITY com 50 horas de interação
  • O Conceito de CidadesÉ uma formação urbana ou um aglomerado de pessoas ocupadas dentro de umespaço ou território. Transformação/Inovação/Empreendedorismo
  • Eventos que confundem os cidadãos: Cidade com Prefeitura Esfera Pública com Governo Cidade com departamentos sub racionais Auto organização com planejamento Fractual com unitário Redes com hierarquia Social com populacional“São as pessoas em suas comunidades e redes que determinam que tipo decidade elas querem para se viver”
  • Programa Cidades Inovadoras (FIEP)• A partir de 2004, a federação adotou o desenvolvimento sustentável como visão de futuro e movimentopara mudar a história da indústria paranaense.• Em 2005 estrearam com um projeto de prospectiva para 2015 baseado em estudos e planejamentoestratégico e nos entendimentos construídos concluíram que as cidades enquanto territórios , espaços dealocação in locus de vida para empreendedores e empreendimentos inovadores passaram a ser comounidades vitais para a bandeira do desenvolvimento sustentável.• Estes resultados somados a reflexões e experiências culminaram para a criação do Programa CidadesInovadoras.• Foi acordado que uma dessas frentes de atuação seria o desenvolvimento e aplicação de uma metodologiade reflexão e prospectiva com potencial de influência nos planejamentos municipais tendo como objetivofinal inserir as cidades e empresas paranaenses no mapa da inovação sustentável mundial.• O trabalho foi iniciado em 2009 com Curitiba e o Curitiba 2030 no ano seguinte.• O fundamental é que a sociedade participe ativamente ativamente.
  • Programa Cidades Inovadoras (FIEP)Apoiadores
  • Agenda de Desenvolvimentos
  • PROGRAMAÇÃO ASSISTIDA
  • 1. Um panorama inovador e sustentável para cidades brasileirasJaime Lerner (Ex-Governador do Paraná)• Primeira pergunta, Qual o problema da Cidade?• Qual o teu sonho ?• A cidade para acontecer a inovação precisa aceitar a sua biodiversidade cultural• Pensar e comunicar bem. Simplificar a mensagem e atingir a todos os níveis de cidadãos.• 75% do CO2 se origina nas cidades• Para tornar uma cidade inovadora precisa-se de: 1) Vontade Política 2) Responsabilidades 3) Estratégia• As cidades hoje estão como casco de tartarugas – separadas por nichos de crenças, classes, cultura etc...• Toda vez que a sociedade separou a economia de gente não deu certo• Gostamos mais da cidade quando entendemos ela.• Quando a cidade sabe aonde vai, a iniciativa privada vai atrás
  • 1. Um panorama inovador e sustentável para cidades brasileirasJaime Lerner (Ex-Governador do Paraná)• Cidade sustentável tem que alavancar parques. Parques se iniciam mas não terminam• A cidade é o nosso retrato de família , nossas referências. Temos que assumir a diversidade da nossa família• Acupuntura urbana• Sustentabilidade é não desperdiçar• O problema da copa não são estádios mas mobilidade urbana• Inovar é começar uma trajetória e não terminar
  • 2. O reflorescimento das CidadesParag Khana (Owner New American Foundation e Consultor de Barack Obama)• A revolução industrial deu o poder as cidades pelo comércio. Cidade 4.0 – século XX• Entramos no século XXI na Era da Globalização Total. Cidade 5.0a) Estamos todos conectadosb) Não passa mais por países individuais, mas por todos. Acabou-se intermediáriosc) O mundo não está mais dividido por países mas por conexões de cidades• Estamos construindo novas cidades para captalizar novas tecnologias . Fatores Geopolíticos• Geralmente prefeitos desejam tornar-se presidentes mas os presidentes não deixam isso acontecerindicando eles os sucessores• Para formar um governo colaborativo precisa de uma forma de inclusão participativa e parcerias entre:a) .orgb) .comc) .govd) .edu
  • 2. O reflorescimento das CidadesParag Khana (Owner New American Foundation e Consultor de Barack Obama)• Só as cidades podem atrair o cidadão para o civismo e senso de pertencer aquele lugar• O aparelhamento partidário/hierarquia oprime o papel do gestor público onde a discussão não gera emtorno da cidade mas na manutenção do poder• O reflorescimento das cidades vem acontecendo principalmente em cidades que não possuem democracia(Arábia, Koréia, China ...)• A educação é a grande importância para a inovação. Representa ¼ do processo. Ex. Vale do Silício.
  • 3. A reinvenção do governo a partir das cidadesJeffrey Gilmore (Dep. Planej. E desenv. Comunitário de Victória/Austrália)Amal Medani (Dir. de desenvolvimento local do Unitar)Alexander Hoefsloot (Vice-Prefeito de Wageningen/Holanda)Harvey Brooks (Vereador de Aukland/Nova Zelândia)• A educação é a única forma de reinventar o governo e as cidades.• Deve-se tentar encontrar uma maneira inteligente de distribuir o dinheiro. Educação• A educação e inovação acontecem com a liderança. Toda criança deveria ter no mínimo 2 anos de educaçãode alta qualidade.• Em Wageningen (Holanda) a população decidiu que não queria mais pagar impostos sem viver os benefícioscontribuídos. Então a prefeitura instituiu o programa de consulta popular de projetos. EX.: Fora proposto acriação de uma ferramenta de internet de gestão e transparência e a população aprovou a taxação.• Para ter uma cidade inovadora o conhecimento não pode ficar apenas na universidade, mas deve haver umencontro com a diversidade do povo.• O ganho mútuo surge com o encontro das redes sociais• Os governos deveriam pensar em como deixar o cidadão em primeiro lugar, daí surge a estratégia• Papel cidadão x governo – O desafio está no .gov e não no cidadão. Este cabe apontar.
  • 3. A reinvenção do governo a partir das cidadesJeffrey Gilmore (Dep. Planej. E desenv. Comunitário de Victória/Austrália)Amal Medani (Dir. de desenvolvimento local do Unitar)Alexander Hoefsloot (Vice-Prefeito de Wageningen/Holanda)Harvey Brooks (Vereador de Aukland/Nova Zelândia)• O grande canal entre o cidadão e o político pode ser as mídias sociais. Cidadão Ativo• Na Holanda foi criado um sistema virtual de atendimento ao cliente (civil). Melhorar o diálogo e serviço• Deve existir uma parceria entre o governo e o civil e não ações separadas• O empreendedorismo é necessário na indústria e no governo. O último deve aprender a assumir riscos• A reinvenção parte do governo e dos cidadãos juntos atuando como força maior de construção desociedade
  • 4. A governança no desenvolvimento das cidadesKlaus Frey (Phd em planejamento urbano e regional)Kathy DeVault (Assessora de relações internacionais e negócios Orlando/EUA)• O importante é o eleito criar planos de ação para saber aonde estão indo• Em Orlando a parceria entre público e privado tem ajudado e dado certo para o desenv. Da cidade• Na cidade de Orlando se desenvolveu uma campanha para divulgação das suas mídias sociais. Houveresistência pelo medo do conteúdo positivo ou negativo que podia gerar. Mas tem que ser feito.• É importante o engajamento do cidadão. Fazer valer a voz do povo• Kathy – Como divulgamos nossa cidade ?a) Disney e o Turismo não são só os motores de desenv. Da cidade. Mas os mais importantes.b) Setor de Medicina e Mídia Eletrônica são vocações impulsionadoras que estão sendo desenvolvidas• O City Marketing deve ser tanto pra fora como pra dentro da cidade.• Como fazer o governante eleito não parar a execução de um planejamento de projeto?O envolvimento da cidade pode impedir. Engajamento• Em Orlando as mídias sociais ajudam a entender os bairros e redes sociais• Temos dificuldades de introduzir a solidariedade no processo pensando nas próximas gerações
  • 4. A governança no desenvolvimento das cidadesKlaus Frey (Phd em planejamento urbano e regional)Kathy DeVault (Assessora de relações internacionais e negócios Orlando/EUA)• O papel da tecnologia é muito importante na governança política. Aproxima o cidadão e mostratransparência. Deve ser combinado os 2 para a melhoria da gestão• Em Orlando twitter, facebook, website são ferramentas de aproximação com a população. A ferramentadeixa o cidadão embaixador da cidade• Como engajar o funcionário servidor público “vitalício” ?a) Primeiro quem deveria fazer concurso público deveria ter o perfil de servir aos outrosb) Criação de programas de incentivos de resultados e gestãoc) Talvez o sucesso de Orlando seja que não há troca de pessoas nos cargos pelas trocas de políticos desde 2003• A maneira da governança e de reinventar as práticas são os desafios
  • 5. Cidade Rede e Redes CidadesSteven GrahamDaniel Cardoso• Quando as cidades funcionam estão sujeitas a uma ruptura. Ex.: Japão com o Tsunami. Destruição dalogística• Quanto mais temos redes menos dependemos dela, assim são com os governos• A infraestrutura tem importância social e política. Ela ajuda a promover a justiça.• Precisamos olhar para o sistema múltiplo. A internet sem o sistema de energia é inútil.• Há uma tendência atual das cidades de se regionalizarem e pequenas cidades juntarem-se a ela.• As cidades estão crescendo e o modo como vivemos. Ex.: iPhone ou Software. O softaware é político e nãotécnico.• A cidade digital trás um novo planejamento político e urbano• A tecnologia hoje está muito individualizada e com pouca função pública, até para o aumento daImportância dela, como o 3G.• O empreendedorismo tem levado as lan houses as comunidades carentes possibiltandoA inclusão digital
  • 6. Prefeito InovadorErick Camarano• Prefeito inovador é um prêmio criado pela Ong Brasil Competitivo pelo fundador Jorge Gerdau• Frente da Ação: Gestão – Inovação - Benchmarking• O prêmio é um incentivo as prefeituras para inovarem em ferramentas digitais para aproximar prefeituras ecidadãos• A cidade de Maringá venceu em 2010. Investimento alto em T.I (Software & Equipamentos).• Foi implementado o sistema datasus. Um dos benefícios foi o prontuário online.• Almoxarifado – Sistema de estoque online. Modelo de supermercados. Houve redução de 20% nos preçosdevido a eliminação dos atrasos de pagamentos (prazos).• www.prefeitoinovador.com.br
  • 7. Ambientes rurais conectadosLuis Fernando Guggenberger (VIVO)Case Amazônia• Começou no Instituto VIVO com o tema Educação e a história do Dr. Eugênio (Médico)• Foi analisado a cidade da Fordlândia que não deu certo e a partir daí foi criada a cidade de Belterra.• A pergunta foi:a) Como deixar a cidade inteligente?b) Como conectar pessoas?• A VIVO colocou uma torre. O Mobile facilitou as pesquisas médicas. Jovens produzindo filmes por celular emostrando a Amazônia.• Jovens também já estão empreendendo com a WEB. Promovem o complemento da renda• Com a web houve 40% de aumento nas vendas, 20% matrículas de ensino a distância, 10% acessandobibliotecas• O turismo aumentou nas cidades .• SMS tem ajudado em determinadas logísticas.• Hoje o negócio é social 3.0. As telecomunicação ajudam no desenv. Social . Hoje o desafio éCriar valor para a sociedade
  • 8. Como executar uma estratégia de Gov 2.0 e se aproximar docidadão? Caso Acre.Rafael Osório (IBM)• Governo 2.0 - Pensar em como o cidadão pode conversar e se aproximar do governo• Novas redes de tecnologia aplicadas ao governoa) FixmyStreet - No site você aponta e comprova (foto) o problema do seu bairrob) eDemocracia (br)c) WikiCrimes – Você contribui informando o local do crime e sua opinião do por que. Ajuda no policiamentod) SACsp – Estatísticas e gráficos de reclamações de serviços nas cidadese) GSIJam – Propor debater ideias (projeto participativo)f) Limpa Brasil – Limpeza do lixo• Governo 2.0 não significa apenas aproximar o cidadão, mas ajudar os funcionários• Para fazer uma gestão inteligente precisa de todas as pessoasDesafios1. Cada canal/secretaria trata o cidadão como um cidadão diferente2. Cidadão é o office boy do governo3. Longo tempo de espera pelos serviços presenciais4. Cidade participa mas colabora pouco5. Serviço limitado no canal web6. Cidadão precisa criar diferentes senhas/usuários
  • 8. Como executar uma estratégia de Gov 2.0 e se aproximar docidadão? Caso Acre.Rafael Osório (IBM)Estratégia1. Criação de um serviço de base única (informação confiável)2. Uma vez cadastrado você acessa tudo. Dossiê do cidadão3. Serviço de orquestrar e comandar essa base4. Serviço de inteligência pública5. Canais de atendimentoCaso AcreElaboração de um programa de transformação.Visão: Acre como o melhor lugar da Amazônia pra se morar1. OCA – Poupatempo do Acre2. É um portal digital da cidade com o conceito balcão multi serviço3. Objetivo: Melhorar a participação e aumentar a transparência
  • 9. Governo local no Brasil. Experiências e lições aprendidas no BrasilVitor Lippi (Prefeito de Sorocaba)Vicente Teixeira (Secr. De Educação Jundiaí)Case Sorocaba: Cidade Educadora• Duas chaves para o sucesso: 1) Planejamento 2) Gestão de Pessoas• Planejamento Estratégico : SAUDÁVEL – CIDADE - EDUCAÇÃO• Conceito de Cidade Educadora – Espaço Comunitário de Aprendizagem• Conceito de Cidade Saudável – Repensar os espaços públicos e proporcionar qualidade de vida• A equipe fez uma reflexão do que queriam para a cidade e as crianças• O comportamento da cidade tem influenciado na saúde das pessoas. Estilo de vida.• Trabalharam o conceito de escola de tempo integral• Criaram um roteiro educador. Roteiro cultural/Valor da cidadania• Programa Amigos do Zippy e Maçã – Trabalha a saúde emocional das crianças• Cantinhos da informática – Inclusão Digital
  • 9. Governo local no Brasil. Experiências e lições aprendidas no BrasilVitor Lippi (Prefeito de Sorocaba)Vicente Teixeira (Secr. De Educação Jundiaí)Case Sorocaba: Cidade Educadora• Centro de referência em educação – Espaço de atendimento para alunos com dificuldades de aprendizagem• Espaço de lazer e esportes• Parques e academias ao ar livre• 70 Km de ciclovias – 2ª maior do país• Campanhas: Pedala e caminhada Sorocaba• Vai e Vem – Mini bibliotecas nos terminais de ônibus• Projeto Tela de Cinema – Ao ar livre• Programa Nais – Atende jovens infratores. É um clube de apoio.• Espaços livres de manifestação cultural• Feira de profissões
  • 9. Governo local no Brasil. Experiências e lições aprendidas no BrasilVitor Lippi (Prefeito de Sorocaba)Vicente Teixeira (Secr. De Educação Jundiaí)Case Sorocaba: Cidade Educadora• Amigo da Família – Programa mede o IDH da cidade para ajudar a população carente. É feito um plano deoportunidades para o desenvolvimento depois.• Programa de inclusão dos ex-presidiários• Casa do cidadão – Descentralização dos serviços (Poupatempo)• Orçamento Participativo – O que a população deseja para a sua comunidade?• Programa de plantio de árvores e despoluição• Futuro desenv. De Parques Tecnológicos (Metal mecânico, eletroeletrônico)
  • 9. Governo local no Brasil. Experiências e lições aprendidas no BrasilVitor Lippi (Prefeito de Sorocaba)Vicente Teixeira (Secr. De Educação Jundiaí)Case Jundiaí: Cidade Educadora• Lema: Oportunidade é para todos• Princípios do projeto educacional1. Foi desenvolvido um material didático padrão onde o professor deve estar capacitado para aplicar o conteúdo2. Foco nas crianças com dificuldades3. Autonomia para as escolas. Cada diretoria monta sua equipe e é cobrada por resultados de metas de aprendizagem4. Constituir cidadania e competências básicas para sobreviver5. No projeto educacional contém: Amigos do Zippy, Jogos de Raciocínio e Tecnologias para motivação6. Incentivo a leitura entre pais e filhos7. Ações para envolver a comunidade – Trazer os pais para a vida escolar dos filhos. Alunos levam atividades para casa para fazerem com os pais8. Assumir a responsabilidade para e escola pública9. Não tem nota de avaliação e nem menção. É feito uma ficha descritiva da evolução do aluno até aOitava série do ensino fundamental.
  • 10. TED a-LikeColméia – Idéias em cooperação. Rafael Reinehr• Trata-se de oficinas de criação de autonomia.• Objetivo é capacitar as comunidades (Empoderar o indivíduo)• Nova Economia – Fazer o Bem ComumA Escola Necessária. Denise Vilardo• O aluno não gosta da obrigação de estudar• Pais escolhem as escolas pela infraestrutura e não pelo material pedagógico• Tecnologia – Um quadro negro e um giz• Considerações: a) Subjetividade – pessoas que emocionam e pensam b) Identidades – cultura e localizaçãoc) Superação da cultura do silêncio d) Possibilidades criativas e inovadoras pela web e) Possibilitando ocompartilhamento dos saberes
  • 10. TED a-LikeCases de sucesso nas mídias sociais. Almir Neves• As mídias sociais deram o direito da voz as pessoas• Uma coisa podemos afirmar hoje, o consumidor tem vez e voz• Empresas não sabem escutar. Comunicam mas não dialogam• Case Brastemp
  • 11. Identificando desafios e perspectivas para o desenvolvimentomunicipalJuares Costa (Prefeito de Sinop/MT)Roberto Eduardo Sobrinho (Prefeito de Porto Velho/RO)Case Sinop/MT• É a 7ª cidade que mais cresce no Brasil. Matéria Revista Veja• Planejamento foi participativo. Foram ouvidas 30.000 pessoas• Cidade focada no conhecimento (Universidades Federais, Estaduais, Particulares)• Benchmarking com Maringá• Investimento e desenv. Econômico. Saúde e sustentabilidadeCase Porto Velho/RO• Porto Velho nasceu do ciclo da borracha e Rio Madeira• O extrativismo/exploração apenas, deixou a cidade com diversos problemas sociais• O PAC vai investir 30 bi em energia elétrica e com isso gerará 30.000 empregos
  • 11. Identificando desafios e perspectivas para o desenvolvimentomunicipalJuares Costa (Prefeito de Sinop/MT)Roberto Eduardo Sobrinho (Prefeito de Porto Velho/RO)Case Porto Velho/RO• O desafio é assegurar o desenvolvimento com inclusão social• Não repetir o passado
  • 12. Explorando lições apreendidas e conhecendo modelos de sucessopara o desenvolvimento das cidadesMárcia Casseb (Diretora do BID no Brasil)O BID e as cidades• Se a cidade esta bem ela promove a prosperidade e economia mais rápido• O trabalho ocorre apenas nas cidades de médio porte• É aplicado o modelo de plataforma nas cidades escolhidas. Participam hoje Maringá, Curitiba e agora foiescolhida Goiânia. Mais de 120 cidades já foram beneficiadas• A ideia é preparar as cidades para a sustentabilidade• A plataforma do BID orienta, financia, mensura e faz o Pós.• Para contrair o empréstimo do BID o governo federal precisa ser o fiador. Regra: Cidades > 100.000 hab
  • 13. Soluções inovadoras para o desenvolvimento das cidadesKrzystif Buczkowski (CIFAL Plock/Polônia)Gonzalo Guier (Vice-Prefeito de San José/Costa Rica)Wladimir (Prefeito de Tigre/Argentina)M. Stuiver (Wageningen/Holanda)Plock/Polônia• A Polônia era um país comunista até 20 anos atrás• A partir de 1960 teve um crescimento rápido e a poluição foi o pior fator de desastre ambiental• Um dos problemas da cidade foi a falta de senso de pertencer devido aos problemas da taxa dedesemprego• As empresas comunistas não são competitivas• Estratégia para tratar os desafios:1. Desenvolvimento de Infraestrutura2. Digital Plock3. Desenvolvimento do Capital Humano• Para a solução do desemprego foi convidada uma indústria petrolífera• Investimento em Cultura. Governo 2.0 . Cooperação Internacional tem ajudado• Fórum for Plock. Até 2022 se discute a sustentabilidade e desenvolvimento
  • 13. Soluções inovadoras para o desenvolvimento das cidadesKrzystif Buczkowski (CIFAL Plock/Polônia)Gonzalo Guier (Vice-Prefeito de San José/Costa Rica)Wladimir (Prefeito de Tigre/Argentina)M. Stuiver (Wageningen/Holanda)San José/Costa Rica• Foi estimulado o turismo para o desenvolvimento• San Jose vai se transformar em uma cidade planificada• Papa Sixto V chegou a projetar algo e acompanhar com o arquiteto mais não foi tão pra frente• A cidade agora reconstrói sua identidade e vocaçãoTigre/Argentina• Tigre é uma cidade digital• Foi construída uma rede metropolitana para o município para garantir os direitos e liberdade dos cidadãos• Os mecanismos digitais apoderam as pessoas contra as irregularidades• O sistema (web) da prefeitura possibilita o cidadão a criar uma ordem de serviço, este passa porUm funcionário e chega na mesa do prefeito
  • 13. Soluções inovadoras para o desenvolvimento das cidadesKrzystif Buczkowski (CIFAL Plock/Polônia)Gonzalo Guier (Vice-Prefeito de San José/Costa Rica)Wladimir (Prefeito de Tigre/Argentina)M. Stuiver (Wageningen/Holanda)Tigre/Argentina• Foi colocado netbooks nas escolas• WIFI gratuito nos parques e outros locais• Instaurado serviço de bairros• A cidade e serviços estão em todas as mídias sociais• A internet gratuita possibilita transações online e tudo é monitorado pela prefeituraWageningen/Holanda• Cidade focada em ciências da vida. Verde e cheia de vida• Paradigmas – Agro Industrial. Conseguir soluções para alimentos verdes. Transformar o global emRegional• Cooperação ou Davi ou Golias?
  • 14. Arranjos educativos locais: rodas de conversas sobre a experiênciaem AELSTião VianaJosé PachecoJosé FaresAna Beatriz GoulartLuis GuggenbergerTião Viana• Criou os não objetivos de uma escola. Aprendizagem sem a instituição.• Educação só existe no plural, se houver mais de 1 pessoa• Ganhou o prêmio pelo desenvolvimento da pedagogia da roda• Criou a Escola no Pé de Manga• Escola de hoje é um quartel e uma fábrica fordista• Se criar os ambientes qualquer coisa pode ser aprendida• Hoje se tem a metodologia do Jack Stripador “Vamos por partes”• Pedagogia é gerada pela convivência
  • 14. Arranjos educativos locais: rodas de conversas sobre a experiênciaem AELSTião VianaJosé PachecoJosé FaresAna Beatriz GoulartLuis GuggenbergerTião Viana• Redes não tem causa, mas interesses• A carta da Terra é a melhor metodologia de aprendizagemExperiência e visão para mudar o Vale do Jequitinhonha• Empoderamento para mudar• Meu lugar é aqui (senso de pertencer)“Sonho é que um dia a cultura do Brasil seja a matéria prima de transformação do nosso povo”• Modelo de Escola de Samba – Harmonias. Existe uma causa. Ex.: Joãzinho 30.
  • 14. Redes como padrão unificador da vidaFritjov Capra (Profº Phd em Física)• O que é sustentável é toda Terra da Vida• Uma cidade deve ser projetada sem interferência na natureza• O mundo material é uma rede interligada. Nós encontramos a mudança de um homem de máquina parauma rede• A rede também é um organismo biológico. Toda vez que vemos vida, vemos redes.• As estruturas materiais produzidas pelas redes sociais # redes celulares tem um propósito e projeto.• Através da cultura montamos uma comunidade. Cada comunidade tem uma maneira de ser.• As redes sociais possuem um corpo de conhecimento compartilhado• as redes são modelos de relacionamentos e conhecimentos. A ecologia está ligada a rede. Começa em casa.• Todas as propriedades da vida, precisa do relacionamento. Pensamento sistêmico é contextualizadoOs sistemas não são linear.• Para entender a teia da vida tem que aumentar a relação da biologia e ecologia
  • 14. Redes como padrão unificador da vidaFritjov Capra (Profº Phd em Física)• Nossa sobrevivência vai depender da ecologia. Vai ser a principal matéria e trabalho• A Terra sustenta a vida e as comunidades, então percebe que a sustentabilidade funciona em redes ecomunidades• Uma cidade sustentável não pode ser feita separada e isolada. Tudo está interconectado• Parte do crescimento populacional e pobreza tem levado a destruição da natureza• Precisamos de uma estratégia para salvar o mundo• Arquitetura verde é a tendência. Jaime Lerner é o pioneiro nisso.• Precisamos de vontade política e liderança para acontecer a sustentabilidade“Você acha a felicidade em relacionamentos e esse é gratuito”
  • 15. EmpreendedorismoGonzalo Guier (Vice-Prefeito de San Jose/Costa Rica)Paulo Garcia (Prefeito de Goiânia)Case San Jose/Costa Rica• As classes nobres se uniram com os pobres a partir dos anos 90 para o desenvolvimento e recuperaçãourbana• Planejamento Estratégico: 1) Estabiização 2) Relançar um novo modelo de industrialização 3)Desenvolvimento Econômico• Dividiu o setor produtivo em: 1) Capital+ Tecnologia 2) Capital - Tecnologia• A indústria turística é a principal atividade do país, seguido de software e call center para transnacionais• Para um maior êxito houve um abandono da hierarquia municipal• Em San Jose optaram ocupar o espaço público com a polícia para:1) Redefinir a imagem2) Ajudar o cidadão a utilizar e gostar da cidade3) Segurança• O governo criou um jeito de subsidiar os empreendedores nas sazonalidades
  • 15. EmpreendedorismoGonzalo Guier (Vice-Prefeito de San Jose/Costa Rica)Paulo Garcia (Prefeito de Goiânia)Case Goiânia/Goiás• Goiânia completa esse ano 78 anos• A cidade foi projetada para 50.000 habitantes e hoje tem mais de 1 milhão• Goiânia foi apresentada ontem como a melhor escola fundamental na média do IDEB nacional• Está projetando o maior parque linear das Américas e tem investido bastante na manifestação cultural paraos atores locais• A prefeitura vai entregar 10.000 moradias no modelo condomínio habitacional• Mobilidade urbana é o principal desafio• O prefeito usa o twitter para se comunicar com a população e os intitulou como fiscais os seus seguidores• Criou um programa que ao receber uma reclamação ele retwitta para seu secretário já com umaOrdem de serviço• Ele implantou que cada secretário deve ter um twitter para agilizar a comunicação e serviços
  • 16. A influência oculta das redes sociaisNicholas Christakis (Médico e Profº em Harvard)• Suas emoções dependem das pessoas que te cercam• Então você influencia sua rede direta e indiretamente• Cada pessoa sabe quantas pessoas tem na sua rede. Quantos amigos por exemplo.• As coisas online se espalham com as presenciais• As pessoas para terem ações no Facebook precisam de ações reais• Seus estudos concluíram com base na observação de pessoas obesas que a saúde de uma pessoa noindividual pode influenciar no coletivo• Cada rede tem 6 graus de influencia vice e versa
  • Fotos
  • Obrigado !Maurílio Santos Jr Diretor do CJE