Your SlideShare is downloading. ×
Correção do Enem 2010
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Correção do Enem 2010

16,202
views

Published on

Published in: Education, Technology

0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
16,202
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
130
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. o É trabalho pioneiro. Prestação de serviços com tradição de confiabilidade. anglo Construtivo, procura colaborar com as Bancas Examinadoras em sua tarefa de não cometer injustiças. resolve Didático, mais do que um simples gabarito, auxilia o estudante no processo de aprendizagem, graças a seu formato: reprodução de cada questão, seguida da resolução elaborada pelos profes- sores do Anglo. No final, um comentário sobre as disciplinas. o As provas do ENEM diferenciam-se das demais por serem estrutura- das para aferir competências e habilidades, propondo questões exame que estimulam o raciocínio e medem o conhecimento dos alunos por meio de enfoque interdisciplinar. nacional do O Novo ENEM mantém essa característica, agregando as habilidadesEnsino Médio medidas a um conjunto de conteúdos formais (programas) mais diretamente relacionados ao que é ministrado no Ensino Médio. ENEM 2010 Cada uma das Áreas de Conhecimentos é estruturada para avaliar os seguintes eixos cognitivos: I. Dominar linguagens (DL): dominar a norma culta da Língua Portuguesa e fazer uso das linguagens matemática, artística e científica e das línguas espanhola e inglesa. II. Compreender fenômenos (CF): construir e aplicar conceitos das várias áreas do conhecimento para a compreensão de fenômenos naturais, de processos histórico-geográficos, da produção tecnológica e das manifestações artísticas. III. Enfrentar situações-problema (SP): selecionar, organizar, relacionar, interpretar dados e informações representados de diferentes formas, para tomar decisões e enfrentar situações- -problemas. IV. Construir argumentação (CA): relacionar informações, repre- sentadas em diferentes formas e conhecimentos disponíveis em situações concretas, para construir argumentação consistente. V. Elaborar propostas (EP): recorrer aos conhecimentos desen- volvidos na escola para elaboração de propostas de interven- ção solidária na realidade, respeitando os valores humanos e considerando a diversidade sociocultural.
  • 2. O ENEM 2010, ou NOVO ENEM, foi aplicado em dois dias:1o dia: 90 testes, em 4,5 horas de prova, assim distribuídos: 45 testes de Ciências da Natureza e suas Tecnologias; 45 testes de Ciências Humanas e suas Tecnologias.2 o dia: 90 testes e uma Redação, em 5,5 horas de prova, como segue: 45 testes de Matemática e suas Tecnologias; 45 testes de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias; Uma prova de Redação (dissertação).Os testes serão corrigidos segundo a Teoria de Respostas ao Item(TRI), um programa estatístico que pontua as questões em trêsconjuntos, de acordo com o grau de dificuldade: fáceis, médias edifíceis. Assim, os testes terão valores diferentes.Para cada uma das provas serão atribuídas notas de 0 a 100 pon-tos, que podem ser consideradas em processos seletivos de Esco-las Públicas ou Privadas como parte da pontuação ou substitu-indo o vestibular.
  • 3. CIÊNC IAS HU ANA E SU A T C O L G AS M S S E N O I ▲ Questão 1 1,3% 30,5% 53% 15,2% Acima de 1.000 ha De 100 a 1.000 ha De 10 a 100 ha Até 10 ha Fonte: Incra, Estatísticas cadastrais 1998. O gráfico representa a relação entre o tamanho e a totalidade dos imóveis rurais no Brasil. Que característica da estrutura fundiária brasileira está evidenciada no gráfico apresentado? A) A concentração de terras nas mãos de poucos. B) A existência de poucas terras agricultáveis. C) O domínio territorial dos minifúndios. D) A primazia da agricultura familiar. E) A debilidade dos plantations modernos. Resolução O gráfico fornecido na questão não representa, de forma clara, a relação entre a extensão e a totalidade dos imóveis rurais, que foi pedida no enunciado. A ausência de um título apropriado, somada à legenda contida em seu enunciado, levariam o candidato a inter- pretar que 53% dos imóveis rurais têm mais de 1.000 hectares, e 1,3% das propriedades no campo têm até 10 hectares. Desse modo, no Brasil, a imensa maioria dos proprietários de terras seriam latifundiários, enquanto uma pequena fração dos donos de terras seriam minifundiários, justamente o oposto da realidade rural brasileira. Sem resposta▼ Questão 2 Antes, eram apenas as grandes cidades que se apresentavam como o império da técnica, objeto de modificações, suspensões, acréscimos, cada vez mais sofisticadas e carregadas de artifício. Esse mundo artificial inclui, hoje, o mundo rural. SANTOS, M. A Natureza do Espaço. São Paulo: Hucitec, 1996. Considerando a transformação mencionada no texto, uma consequência socioespacial que caracteriza o atual mundo rural brasileiro é A) a redução do processo de concentração de terras. B) o aumento do aproveitamento de solos menos férteis. C) a ampliação do isolamento do espaço rural. D) a estagnação da fronteira agrícola do país. E) a diminuição do nível de emprego formal.ENEM/2010 — 1o Dia 4 ANGLO VESTIBULARES
  • 4. Resolução O avanço das técnicas, principalmente após a 2a Guerra Mundial, atua de maneira bastante eficaz também no espaço rural. O desenvolvimento e posterior utilização de insumos agrícolas mais avançados otimiza o aproveitamento de solos considerados pouco férteis. Resposta: B▼ Questão 3 A maioria das pessoas daqui era do campo. Vila Maria é hoje exportadora de trabalhadores. Empresários de Primavera do Leste, Estado de Mato Grosso, procuram o bairro de Vila Maria para conseguir mão de obra. É gente indo distante daqui 300, 400 quilômetros para ir trabalhar, para ganhar sete conto por dia. (Carlito, 43 anos, maranhense, entrevistado em 22/03/98). Ribeiro, H. S. O migrante e a cidade: dilemas e conflitos. Araraquara: Wunderlich, 2001 (adaptado). O texto retrata um fenômeno vivenciado pela agricultura brasileira nas últimas décadas do século XX, consequência A) dos impactos sociais da modernização da agricultura. B) da recomposição dos salários do trabalhador rural. C) da exigência de qualificação do trabalhador rural. D) da diminuição da importância da agricultura. E) dos processos de desvalorização de áreas rurais. Resolução O texto aborda impactos sociais decorrentes de processos de expulsão e reintegração do trabalhador rural. O êxodo rural, resultante da modernização da agricultura, levou à formação de núcleos habitacionais em ci- dades conhecidos como vilas. A hipertrofia urbana impediu a produção de infraestrutura econômica que sustentasse essas crescentes popu- lações, levando vários trabalhadores de volta ao campo, dessa vez ocupando-se de trabalho temporário com baixa remuneração. Resposta: A▼ Questão 4 Os lixões são o pior tipo de disposição final dos resíduos sólidos de uma cidade, representando um grave proble- ma ambiental e de saúde pública. Nesses locais, o lixo é jogado diretamente no solo e a céu aberto, sem nenhu- ma norma de controle, o que causa, entre outros problemas, a contaminação do solo e das águas pelo chorume (líquido escuro com alta carga poluidora, proveniente da decomposição da matéria orgânica presente no lixo). RICARDO, B.; CANPANILLI, M. Almanaque Brasil Socioambiental 2008. São Paulo, Instituto Socioambiental, 2007. Considere um município que deposita os resíduos sólidos produzidos por sua população em um lixão. Esse procedimento é considerado um problema de saúde pública porque os lixões A) causam problemas respiratórios, devido ao mau cheiro que provém da decomposição. B) são locais propícios a proliferação de vetores de doenças, além de contaminarem o solo e as águas. C) provocam o fenômeno da chuva ácida, devido aos gases oriundos da decomposição da matéria orgânica. D) são instalados próximos ao centro das cidades, afetando toda a população que circula diariamente na área. E) são responsáveis pelo desaparecimento das nascentes na região onde são instalados, o que leva à escassez de água. Resolução Normalmente localizados na periferia urbana, os lixões, por não apresentarem uma solução eficiente para o destino final dos resíduos sólidos nas grandes cidades, tendem a se tornar problemas para as autoridades de saúde, devido à decomposição dos resíduos orgânicos (chorume), comprometendo os recursos hídricos (com a contaminação de águas subterrâneas e leito de rios) e o solo. Também são consideradas áreas de disseminação de doenças, por serem locais propícios à proliferação de vetores como pequenos roedores e insetos. Resposta: BENEM/2010 — 1o Dia 5 ANGLO VESTIBULARES
  • 5. Figura para as questões 5 e 6 TEIXEIRA. W. et al. (Orgs). Decifrando a Terra. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2009.▼ Questão 5 O esquema representa um processo de erosão em encosta. Que prática realizada por um agricultor pode resultar em aceleração desse processo? A) Plantio direto. B) Associação de culturas. C) Implantação de curvas de nível. D) Aração do solo, do topo ao vale. E) Terraceamento na propriedade. Resolução A prática da aração dos solos em áreas de encostas, dos topos até os vales, torna-os mais suscetíveis às intem- péries da natureza, pois essa ação desagrega as partículas que os compõem, potencializando os processos de erosão nessas áreas. Resposta: D▼ Questão 6 Muitos processos erosivos se concentram nas encostas, principalmente aqueles motivados pela água e pelo ven- to. No entanto, os reflexos também são sentidos nas áreas de baixada, onde geralmente há ocupação urbana. Um exemplo desses reflexos na vida cotidiana de muitas cidades brasileiras é A) a maior ocorrência de enchentes, já que os rios assoreados comportam menos água em seus leitos. B) a contaminação da população pelos sedimentos trazidos pelo rio e carregados de matéria orgânica. C) o desgaste do solo em áreas urbanas, causado pela redução do escoamento superficial pluvial na encosta. D) a maior facilidade de captação de água potável para o abastecimento público, já que é maior o efeito do escoamento sobre a infiltração. E) o aumento da incidência de doenças como a amebíase na população urbana, em decorrência do escoamento de água poluída do topo das encostas. Resolução As consequências do processo de erosão em encostas não se limitam apenas às áreas afetadas. Os sedimentos transportados pelas águas são levados para as áreas mais baixas e os leitos dos rios. O acúmulo de sedimentos nesses leitos, fenômeno conhecido como assoreamento, diminui o volume das suas calhas, produzindo, nos períodos de chuvas, enchentes de maiores proporções no local. Resposta: AENEM/2010 — 1o Dia 6 ANGLO VESTIBULARES
  • 6. ▼ Questão 7 Pensando nas correntes e prestes a entrar no braço que deriva da Corrente do Golfo para o norte, lembrei- -me de um vidro de café solúvel vazio. Coloquei no vidro uma nota cheia de zeros, uma bola cor rosa-choque. Anotei a posição e data: Latitude 49°49’N, Longitude 23°49’W. Tampei e joguei na água. Nunca imaginei que receberia uma carta com a foto de um menino norueguês, segurando a bolinha e a estranha nota. KLINK, A. Parati: entre dois polos. São Paulo: Companhia das Letras, 1998 (adaptado). No texto, o autor anota sua coordenada geográfica, que é A) a relação que se estabelece entre as distâncias representadas no mapa e as distâncias reais da superfície cartografada. B) o registro de que os paralelos são verticais e convergem para os polos, e os meridianos são círculos imagi- nários, horizontais e esquidistantes. C) a informação de um conjunto de linhas imaginárias que permitem localizar um ponto ou acidente geográ- fico na superfície terrestre. D) a latitude como distância em graus entre um ponto e o Meridiano de Greenwich, e a longitude como a distância em graus entre um ponto e o Equador. E) a forma de projeção cartográfica, usado para navegação, onde os meridianos e paralelos distorcem a su- perfície do planeta. Resolução O sistema de coordenadas geográficas é baseado nos conceitos de latitude (planos paralelos ao plano Equato- rial) e longitude (meridianos em relação a Greenwich). Resposta: C▼ Questão 8 TEIXEIRA, W. et. al. (Orgs.) Decifrando a Terra. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2009 (adaptado). O esquema mostra depósitos em que aparecem fósseis de animais do Período Jurássico. As rochas em que se encontram esses fósseis são A) magmáticas, pois a ação de vulcões causou as maiores extinções desses animais já conhecidas ao longo da história terrestre. B) sedimentares, pois os restos podem ter sido soterrados e litificados com o restante dos sedimentos. C) magmáticas, pois são as rochas mais facilmente erodidas, possibilitando a formação de tocas que foram posteriormente lacradas. D) sedimentares, já que cada uma das camadas encontradas na figura simboliza um evento de erosão dessa área representada. E) metamórficas, pois os animais representados precisavam estar perto de locais quentes. Resolução As rochas ilustradas são sedimentares, formadas pela deposição de sedimentos provenientes de rochas mais antigas e restos de matéria orgânica animal e vegetal. A deposição, combinada a outros processos geológicos — como a litificação, a compactação e a cimentação —, originaram essas rochas, que apresentam como uma das suas principais características a estratificação de camadas. Resposta: BENEM/2010 — 1o Dia 7 ANGLO VESTIBULARES
  • 7. ▼ Questão 9 OG-20 é o grupo que reúne os países do G-7, os mais industrializados do mundo (EUA, Japão, Alemanha, França, Reino Unido, Itália e Canadá), a União Europeia e os principais emergentes (Brasil, Rússia, Índia, China, África do Sul, Arábia Saudita, Argentina, Austrália, Coreia do Sul, Indonésia, México e Turquia). Esse grupo de países vem ganhando força nos fóruns internacionais de decisão e consulta. ALLAN, R. Crise global. Disponível em: http://conteudoclippingmp.planejamento.gov.br. Acesso em: 31 jul. 2010. Entre os países emergentes que formam o G-20, estão os chamados BRIC (Brasil, Rússia, Índia e China), termo criado em 2001 para referir-se aos países que A) apresentam características econômicas promissoras para as próximas décadas. B) possuem base tecnológica mais elevada. C) apresentam índices de igualdade social e econômica mais acentuados. D) apresentam diversidade ambiental suficiente para impulsionar a economia global. E) possuem similaridades culturais capazes de alavancar a economia mundial. Resolução Em 2001, a agência de investimentos Goldman Sachs indicou os quatro países que formam o BRIC como aque- les que teriam grande potencial para liderar a economia mundial ao longo do século XXI. Essas nações apresentam em comum a grande extensão territorial e a numerosa população como fatores que, se- gundo a avaliação da agência, seriam de significativa importância para o sucesso econômico no próximo século. Resposta: A▼ Questão 10 A Inglaterra pedia lucros e recebia lucros. Tudo se transformava em lucro. As cidades tinham sua sujeira lucrativa, suas favelas lucrativas, sua fumaça lucrativa, sua desordem lucrativa, sua ignorância lucrativa, seu desespero lucra- tivo. As novas fábricas e os novos altos-fornos eram como as Pirâmides, mostrando mais a escravização do homem que seu poder. DEANE, P. A Revolução Industrial. Rio de Janeiro: Zahar, 1979 (adaptado). Qual relação é estabelecida no texto entre os avanços tecnológicos ocorridos no contexto da Revolução Indus- trial Inglesa e as características das cidades industriais no início do século XIX? A) A facilidade em se estabelecer relações lucrativas transformava as cidades em espaços privilegiados para a livre iniciativa, característica da nova sociedade capitalista. B) O desenvolvimento de métodos de planejamento urbano aumentava a eficiência do trabalho industrial. C) A construção de núcleos urbanos integrados por meios de transporte facilitava o deslocamento dos traba- lhadores das periferias até as fábricas. D) A grandiosidade dos prédios onde se localizavam as fábricas revelava os avanços da engenharia e da arqui- tetura do período, transformando as cidades em locais de experimentação estética e artística. E) O alto nível de exploração dos trabalhadores industriais ocasionava o surgimento de aglomerados urbanos marcados por péssimas condições de moradia, saúde e higiene. Resolução A Revolução Industrial promoveu um intenso processo de urbanização na Inglaterra. A oferta de empregos e a maior possibilidade de mobilidade social oferecidas pelo espaço urbano atraíram milhares de camponeses para as cidades, que passaram a crescer de forma acelerada e desorganizada. O inchaço urbano causado pelo intenso êxodo rural tornou o espaço das cidades ambientes insalubres, marca- dos por precárias condições de moradia, saúde e higiene. Resposta: E▼ Questão 11 A evolução do processo de transformação de matérias-primas em produtos acabados ocorreu em três estágios: artesanato, manufatura e maquinofatura. Um desses estágios foi o artesanato, em que se A) trabalhava conforme o ritmo das máquinas e de maneira padronizada. B) trabalhava geralmente sem o uso de máquinas e de modo diferente do modelo de produção em série.ENEM/2010 — 1o Dia 8 ANGLO VESTIBULARES
  • 8. C) empregavam fontes de energia abundantes para o funcionamento das máquinas. D) realizava parte da produção por cada operário, com uso de máquinas e trabalho assalariado. E) faziam interferência do processo produtivo por técnicos e gerentes com vistas a determinar o ritmo de produção. Resolução O artesanato se distingue da manufatura e da maquinofatura principalmente porque conta com o trabalho do artesão, que emprega técnicas consideradas mais rudimentares e domina todos os estágios da produção de determinado objeto. Resposta: B▼ Questão 12 A serraria construía ramais ferroviários que adentravam as grandes matas, onde grandes locomotivas com guindastes e correntes gigantescas de mais de 100 metros arrastavam, para as composições de trem, as toras que jaziam abatidas por equipes de trabalhadores que anteriormente passavam pelo local. Quando o guin- daste arrastava as grandes toras em direção à composição de trem, os ervais nativos que existiam em meio às matas eram destruídos por este deslocamento. MACHADO, P. P. Lideranças do Contestado, Campinas: Unicamp, 2004 (adaptado). No início do século XX, uma série de empreendimentos capitalistas chegou à região do meio-oeste de Santa Catarina — ferrovias, serrarias e projetos de colonização. Os impactos sociais gerados por esse processo estão na origem de chamada Guerra do Contestado. Entre tais impactos, encontrava-se A) a absorção dos trabalhadores rurais como trabalhadores da serraria, resultando em um processo de êxodo rural. B) o desemprego gerado pela introdução das novas máquinas, que diminuíam a necessidade de mão de obra. C) a desorganização da economia tradicional, que sustentava os posseiros e os trabalhadores rurais da região. D) a diminuição do poder dos grandes coronéis da região, que passavam disputar o poder político com os no- vos agentes. E) o crescimento dos conflitos entre os operários empregados nesses empreendimentos e os seus proprietá- rios, ligados ao capital internacional. Resolução Até 1912, a maior parte da população do território do Contestado dedicava-se a uma economia de subsistên- cia. A desapropriação de uma faixa de terra com 30 quilômetros de largura ao longo do traçado da ferrovia, a entrega de grande parte dela a imigrantes europeus e a venda de uma enorme área com dezenas de milhões de hectares, a uma madeireira estrangeira — a Lumber — desestruturaram a economia tradicional da região. O desamparo e a miséria que então se abateram sobre os habitantes do Contestado estão entre as causas da revolta sertaneja ocorrida na região, entre 1912 e 1916. Resposta: C▼ Questão 13 As secas e o apelo econômico da borracha — produto que no final do século XIX alcançava preços altos nos mercados internacionais — motivaram a movimentação de massas humanas oriundas do Nordeste do Brasil para o Acre. Entretanto, até o início do século XX, essa região pertencia à Bolívia, embora a maioria da sua população fosse brasileira e não obedecesse à autoridade boliviana. Para reagir à presença de brasileiros, o governo de La Paz negociou o arrendamento da região a uma entidade internacional, o Bolivian Syndicate, iniciando violentas disputas dos dois lados da fronteira. O conflito só terminou em 1903, com a assinatura do Tratado de Petrópolis, pelo qual o Brasil comprou o território por 2 milhões de libras esterlinas. Disponível em: www.mre.gov.br. Acesso em: 03 nov. 2008 (adaptado). Compreendendo o contexto em que ocorreram os fatos apresentados, o Acre tornou-se parte do território nacional brasileiro A) pela formalização do Tratado de Petrópolis, que indenizava o Brasil pela sua anexação. B) por meio do auxílio do Bolivian Syndicate aos emigrantes brasileiros na região. C) devido à crescente emigração de brasileiros que exploravam os seringais. D) em função da presença de inúmeros imigrantes estrangeiros na região. E) pela indenização que os emigrantes brasileiros pagaram à Bolívia.ENEM/2010 — 1o Dia 9 ANGLO VESTIBULARES
  • 9. Resolução O próprio texto esclarece o contexto histórico em que foi assinado o Tratado de Petrópolis, com a consequente incorporação do Acre ao território brasileiro: uma gigantesca massa humana, oriunda do nordeste, invadiu a Amazônia Boliviana para coletar látex, o que ocasionou uma crise militar, somente superada por meio, e ação diplomática e da assinatura do referido tratado. Resposta: C▼ Questão 14 No dia 28 de fevereiro de 1985, era inaugurada a Estrada de Ferro Carajás, pertencente e diretamente operada pela Companhia Vale do Rio Doce (CVRD), na região Norte do país, ligando o interior ao principal porto da região, em São Luís. Por seus, aproximadamente, 900 quilômetros de linha, passam, hoje, 5353 vagões e 100 locomotivas. Disponível em: http://www.transportes.gov.br. Acesso em: 27 jul. 2010 (adaptado). A ferrovia em questão é de extrema importância para a logística do setor primário da economia brasileira, em especial para porções dos estados do Pará e Maranhão. Um argumento que destaca a importância estratégica dessa porção do território é a A) produção de energia para as principais áreas industriais do país. B) produção sustentável de recursos minerais não metálicos. C) capacidade de produção de minerais metálicos. D) logística de importação de matérias-primas industriais. E) produção de recursos minerais energéticos. Resolução A Estrada de Ferro Carajás liga a principal província mineralógica do Brasil, na porção sudeste do estado do Pará, conhecida como Serra dos Carajás, aos portos situados em São Luís (MA). A região concentra a maior reserva de minério de ferro do país, cuja produção é escoada pela ferrovia para o mercado externo. Resposta: C▼ Questão 15 A usina hidrelétrica de Belo Monte será construída no rio Xingu, no município de Vitória de Xingu, no Pará. A usina será a terceira maior do mundo e a maior totalmente brasileira, com capacidade de 11,2 mil megawatts. Os índios do Xingu tomam a paisagem com seus cocares, arcos e flechas. Em Altamira, no Pará, agricultores fecharam estradas de uma região que será inundada pelas águas da usina. BACOCCINA, D.; QUEIROZ. G.; BORGES, R. Fim do leilão, começo da confusão. Istoé Dinheiro. Ano 13, no 655, 28 abr. 2010 (adaptado). Os impasses, resistências e desafios associados à construção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte estão rela- cionados A) ao potencial hidrelétrico dos rios no norte e nordeste quando comparados às bacias hidrográficas das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste do país. B) à necessidade de equilibrar e compatibilizar o investimento no crescimento do país com os esforços para a a conservação ambiental. C) à grande quantidade de recursos disponíveis para as obras e à escassez dos recursos direcionados para o pagamento pela desapropriação das terras. D) ao direito histórico dos indígenas à posse dessas terras e à ausência de reconhecimento desse direito por parte das empreiteiras. E) ao aproveitamento da mão de obra especializada disponível na região Norte e o interesse das construtoras na vinda de profissionais do Sudeste do país. Resolução A energia hidrelétrica é de fundamental importância para o crescimento econômico do país. Ao anunciar a cons- trução de uma nova usina na Amazônia, o maior desafio para os gerentes do empreendimento será viabilizar o projeto, compatibilizando-o com a conservação ambiental de uma das mais ricas biodiversidades do planeta. Resposta: BENEM/2010 — 1o Dia 10 ANGLO VESTIBULARES
  • 10. ▼ Questão 16 O Império Inca, que corresponde principalmente aos territórios da Bolívia e do Peru, chegou a englobar enor- me contingente populacional. Cuzco, a cidade sagrada, era o centro administrativo, com uma sociedade for- temente estratificada e composta por imperadores, nobres, sacerdotes, funcionários do governo, artesãos, camponeses, escravos e soldados. A religião contava com vários deuses, e a base da economia era a agricultura, principalmente o cultivo da batata e do milho. A principal característica da sociedade inca era a A) ditadura teocrática, que igualava a todos. B) existência da igualdade social e da coletivização da terra. C) estrutura social desigual compensada pela coletivização de todos os bens. D) existência de mobilidade social, o que levou à composição da elite pelo mérito. E) impossibilidade de se mudar de estrato social e a existência de uma aristocracia hereditária. Resolução O enunciado da questão descreve a estruturação social da civilização inca, marcada pela presença de camadas sociais bastante definidas e por uma elite que gravitava em torno do imperador. Comentário: A alternativa correta apresenta uma imprecisão ao afirmar que a forte estratificação represen- taria uma “impossibilidade de se mudar de estrato social”. Seria mais preciso afirmar que as possibilidades de mudanças sociais eram exíguas ou bastante limitadas. Resposta: E▼ Questão 17 Coube aos Xavante e aos Timbira, povos indígenas do Cerrado, um recente e marcante gesto simbólico: a re- alização de sua tradicional corrida de toras (de buriti) em plena Avenida Paulista (SP), para denunciar o cerco de suas terras e a degradação de seus entornos pelo avanço do agronegócio. RICARDO, B.; RICARDO, F. Povos indígenas do Brasil: 2001-2005. São Paulo: Instituto Socioambiental, 2006 (adaptado). A questão indígena contemporânea no Brasil evidencia a relação dos usos socioculturais da terra com os atuais problemas socioambientais, caracterizados pelas tensões entre A) a expansão territorial do agronegócio, em especial nas regiões Centro-Oeste e Norte, e as leis de proteção indígena e ambiental. B) os grileiros articuladores do agronegócio e os povos indígenas pouco organizados no Cerrado. C) as leis mais brandas sobre o uso tradicional do meio ambiente e as severas leis sobre o uso capitalista do meio ambiente. D) os povos indígenas do Cerrado e os polos econômicos representados pelas elites industriais paulistas. E) o campo e a cidade no Cerrado, que faz com que as terras indígenas dali sejam alvo de invasões urbanas. Resolução A expansão do agronegócio ligado ao cultivo de soja e à pecuária bovina de corte, nas regiões Centro-Oeste e Norte, ampliou as fronteiras agrícolas para áreas de preservação ambiental e reservas indígenas, elevando a tensão entre ambientalistas, indígenas e latifundiários. Resposta: A▼ Questão 18 Os vestígios dos povos Tupi-guarani encontram-se desde as Missões e o rio da Prata, ao sul, até o Nordeste, com algumas ocorrências ainda mal conhecidas no sul da Amazônia. A leste, ocupavam toda a faixa litorânea, desde o Rio Grande do Sul até o Maranhão. A oeste, aparecem (no rio da Prata) no Paraguai e nas terras bai- xas da Bolívia. Evitam as terras inundáveis do Pantanal e marcam sua presença discretamente nos cerrados do Brasil central. De fato, ocuparam, de preferência, as regiões de floresta tropical e subtropical. PROUS, A. O Brasil antes dos brasileiros. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2005.ENEM/2010 — 1o Dia 11 ANGLO VESTIBULARES
  • 11. Os povos indígenas citados possuíam tradições culturais específicas que os distinguiam de outras sociedades indígenas e dos colonizadores europeus. Entre as tradições tupi-guarani, destacava-se A) a organização em aldeias politicamente independentes, dirigidas por um chefe, eleito pelos indivíduos mais velhos da tribo. B) a ritualização da guerra entre as tribos e o caráter semissedentário de sua organização social. C) a conquista de terras mediante operações militares, o que permitiu seu domínio sobre vasto território. D) o caráter pastoril de sua economia, que prescindia da agricultura para investir na criação de animais. E) o desprezo pelos rituais antropofágicos praticados em outras sociedades indígenas. Resolução Quando os portugueses chegaram ao Brasil, os índios tupi encontravam-se num momento de transição, do nomadismo para o sedentarismo. Suas atividades econômicas eram a caça e a coleta, complementadas por uma cultura rudimentar de alimentos como a mandioca. Quando os recursos tornaram-se escassos, as tribos se deslocavam para outras regiões com maior abundância, caracterizando a semissedentarização da sociedade. Já as guerras eram realizadas para manter o equilíbrio político, e, com o intuito de se absorver o poder de guerreiros valorosos das tribos vencidas, os vencedores realizavam rituais antropofágicos, em que sacrificavam e devoravam seus reféns. Resposta: B▼ Questão 19 Os tropeiros foram figuras decisivas na formação de vilarejos e cidades do Brasil colonial. A palavra tropeiro vem de “tropa” que, no passado, se referia ao conjunto de homens que transportava gado e mercadoria. Por volta do século XVIII, muita coisa era levada de um lugar a outro no lombo de mulas. O tropeirismo acabou as- sociado à atividade mineradora, cujo auge foi a exploração de ouro em Minas Gerais e, mais tarde, em Goiás. A extração de pedras preciosas também atraiu grandes contingentes populacionais para as novas áreas e, por isso, era cada vez mais necessário dispor de alimentos e produtos básicos. A alimentação dos tropeiros era constituí- da por toucinho, feijão-preto, farinha, pimenta-do-reino, café, fubá e coité (um molho de vinagre com fruto cáustico espremido). Nos pousos, os tropeiros comiam feijão quase sem molho com pedaços de carne de sol e toucinho, que era servido com farofa e couve picada. O feijão tropeiro é um dos pratos típicos da cozinha mineira e recebe esse nome porque era preparado pelos cozinheiros das tropas que conduziam o gado. Disponível em: http://www.tribunadoplanalto.com.br. Acesso em: 27 nov. 2008. A criação do feijão tropeiro na culinária brasileira está relacionada à A) atividade comercial exercida pelos homens que trabalhavam nas minas. B) atividade culinária exercida pelos moradores cozinheiros que viviam nas regiões das minas. C) atividade mercantil exercida pelos homens que transportavam gado e mercadoria. D) atividade agropecuária exercida pelos tropeiros que necessitavam dispor de alimentos. E) atividade mineradora exercida pelos tropeiros no auge da exploração do ouro. Resolução Os tropeiros do século XVIII percorriam longas distâncias transportando gado e mercadorias, principalmente para as regiões de mineração. Sua alimentação, portanto, deveria constituir-se de gêneros que não se estra- gassem com facilidade, como feijão-preto, farinha, pedaços de carne de sol e toucinho. Resposta: C▼ Questão 20 Quem construiu a Tebas de sete portas? Nos livros estão nomes de reis. Arrastaram eles os blocos de pedra? E a Babilônia várias vezes destruída. Quem a reconstruiu tantas vezes? Em que casas da Lima dourada moravam os construtores? Para onde foram os pedreiros, na noite em que a Muralha da China ficou pronta? A grande Roma está cheia de arcos do triunfo. Quem os ergueu? Sobre quem triunfaram os césares? BRECHT, B. Perguntas de um trabalhador que lê. Disponível em: http://recantodasletras.uol.com.br Acesso em: 28 abr. 2010.ENEM/2010 — 1o Dia 12 ANGLO VESTIBULARES
  • 12. Partindo das reflexões de um trabalhador que lê um livro de História, o autor censura a memória construída sobre determinados monumentos e acontecimentos históricos. A crítica refere-se ao fato de que A) os agentes históricos de uma determinada sociedade deveriam ser aqueles que realizaram feitos heroicos ou grandiosos e, por isso, ficaram na memória. B) a História deveria se preocupar em memorizar os nomes de reis ou dos governantes das civilizações que se desenvolveram ao longo do tempo. C) os grandes monumentos históricos foram construídos por trabalhadores, mas sua memória está vinculada aos governantes das sociedades que os construíram. D) os trabalhadores consideram que a História é uma ciência de difícil compreensão, pois trata de sociedades antigas e distantes no tempo. E) as civilizações citadas no texto, embora muito importantes, permanecem sem terem sido alvos de pesquisas históricas. Resolução O autor B. Brecht critica a visão histórica elitista, segundo a qual reis, césares e líderes são considerados responsá- veis por grandes feitos e obras, enquanto os trabalhadores, que de fato os realizaram, não são valorizados. Resposta: C▼ Questão 21 As ruínas do povoado de Canudos, no sertão norte da Bahia, além de significativas para a identidade cultural dessa região, são úteis às investigações sobre a Guerra de Canudos e o modo de vida dos antigos revoltosos. Essas ruínas foram reconhecidas como patrimônio cultural material pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histó- rio e Artístico Nacional) porque reúnem um conjunto de A) objetos arqueológicos e paisagísticos. B) acervos museológicos e bibliográficos. C) núcleos urbanos e etnográficos. D) práticas e representações de uma sociedade. E) expressões e técnicas de uma sociedade extinta. Resolução A questão é problemática, há duas possibilidades de resposta. A alternativa A elenca conjuntos de objetos e motivos para justificar o interesse do Iphan pela região. Contudo a alternativa D também aponta razões para o reconhecimento das ruínas pelo Instituto, pois elas constituiriam documentos das “práticas e representações de uma sociedade”. Resposta: A e D▼ Questão 22 Substitui-se então uma história crítica, profunda, por uma crônica de detalhes onde o patriotismo e a bravura dos nossos soldados encobrem a vilania dos motivos que levaram a Inglaterra a armar brasileiros e argentinos para a destruição da mais gloriosa república que já se viu na América Latina, a do Paraguai. CHIAVENATTO, J. J. Genocídio americano: A Guerra do Paraguai. São Paulo: Brasiliense, 1979 (adaptado). O imperialismo inglês, “destruindo o Paraguai, mantém o status quo na América Meridional, impedindo a as- censão do seu único Estado economicamente livre”. Essa teoria conspiratória vai contra a realidade dos fatos e não tem provas documentais. Contudo essa teoria tem alguma repercussão. DORATIOTO, F. Maldita guerra: nova história da Guerra do Paraguai. São Paulo: Cia. das Letras, 2002 (adaptado). Uma leitura dessas narrativas divergentes demonstra que ambas estão refletindo sobre A) a carência de fontes para pesquisa sobre os reais motivos dessa Guerra. B) o caráter positivista das diferentes versões sobre essa Guerra. C) o resultado das intervenções britânicas nos cenários de batalha. D) a dificuldade de elaborar explicações convincentes sobre os motivos dessa Guerra. E) o nível de crueldade das ações do exército brasileiro e argentino durante o conflito.ENEM/2010 — 1o Dia 13 ANGLO VESTIBULARES
  • 13. Resolução Podemos elencar três grandes eixos historiográficos de explicações para a Guerra do Paraguai. No século XIX, o nacionalismo e o patriotismo marcavam as primeiras leituras sobre o conflito, em que se enaltecia a vitória da Tríplice Aliança sobre o Paraguai. No século XX, o marxismo incentivou uma leitura crítica da atuação do Imperialismo Britânico na América Platina, segundo a qual a Inglaterra foi a principal motivadora do conflito, por estar interessada na destruição do Paraguai. Recentemente, o revisionismo historiográfico buscou, por meio de documentos, questionar as explicações anteriores. Cartas diplomáticas e dados econômicos, há pouco tempo levantados, são utilizados como elementos para questionar a motivação inglesa no início do conflito. Comentário: A Banca da Prova foi infeliz na escolha do vocabulário para a alternativa. As explicações para a guerra, em seus respectivos contextos históricos, foram, sim, convincentes. A História não se constitui num corpo de co- nhecimento cristalizado; a discussão historiográfica contribui para a constante renovação do conhecimento sobre o passado. Resposta: D▼ Questão 23 Negro, filho de escrava e fidalgo português, o baiano Luiz Gama fez da lei e das letras suas armas na luta pela liberdade. Foi vendido ilegalmente como escravo pelo seu pai para cobrir dívidas de jogo. Sabendo ler e escrever, aos 18 anos de idade conseguiu provas de que havia nascido livre. Autodidata, advogado sem di- ploma, fez do direito o seu ofício e transformou-se, em pouco tempo, em proeminente advogado da causa abolicionista. AZEVEDO, E. O Orfeu de carapinha. In: Revista de História. Ano 1, no 3. Rio de Janeiro: Biblioteca Nacional, jan. 2004 (adaptado). A conquista da liberdade pelos afro-brasileiros na segunda metade do séc. XIX foi resultado de importantes lutas sociais condicionadas historicamente. A biografia de Luiz Gama exemplifica a A) impossibilidade de ascensão social do negro forro em uma sociedade escravocrata, mesmo sendo alfabeti- zado. B) extrema dificuldade de projeção dos intelectuais negros nesse contexto e a utilização do Direito como ca- nal de luta pela liberdade. C) rigidez de uma sociedade, assentada na escravidão, que inviabilizava os mecanismos de ascensão social. D) possibilidade de ascensão social, viabilizada pelo apoio das elites dominantes, a um mestiço filho de pai português. E) troca de favores entre um representante negro e a elite agrária escravista que outorgara o direito advoca- tício ao mesmo. Resolução A vida do abolicionista Luiz Gama indica possibilidade, embora muito limitada, de ascensão social do negro no Brasil imperial e, ao mesmo tempo, revela a importância do Direito e de alguns advogados na luta pelo fim da escravidão no país. Resposta: B▼ Questão 24 Eu, o Príncipe Regente, faço saber aos que o presente Alvará virem: que desejando promover e adiantar a riqueza nacional, e sendo um dos mananciais dela as manufaturas e a indústria, sou servido abolir e revogar toda e qualquer proibição que haja a este respeito no Estado do Brasil. Alvará de liberdade para as indústrias (1o de Abril de 1808), in Bonavides, P.; Amaral, R. Textos políticos da História do Brasil. Vol. 1. Brasília: Senado Federal, 2002 (adaptado).ENEM/2010 — 1o Dia 14 ANGLO VESTIBULARES
  • 14. O projeto industrializante de D. João, conforme expresso no alvará, não se concretizou. Que características desse período explicam esse fato? A) A ocupação de Portugal pelas tropas francesas e o fechamento das manufaturas portuguesas. B) A dependência portuguesa da Inglaterra e o predomínio industrial inglês sobre suas redes de comércio. C) A desconfiança da burguesia industrial colonial diante da chegada da família real portuguesa. D) O confronto entre a França e a Inglaterra e a posição dúbia assumida por Portugal no comércio internacional. E) O atraso industrial da colônia provocado pela perda de mercados para as indústrias portuguesas. Resolução Em abril de 1808, D. João decreta o Alvará de Liberdade Industrial, revogando os decretos que proibiam a instalação de manufaturas na Colônia. No entanto, o crescimento industrial é dificultado pela assinatura dos tratados de 1810, que concediam tarifas alfandegárias preferenciais aos produtos ingleses, de 15% sobre o valor, tornando-os mais vantajosos que os nacionais e os portugueses. Resposta: B▼ Questão 25 Em 2008 foram comemorados os 200 anos da mudança da família real portuguesa para o Brasil, onde foi ins- talada a sede do reino. Uma sequência de eventos importantes ocorreu no período 1808-1821, durante os 13 anos em que D. João VI e a família real portuguesa permaneceram no Brasil. Entre esses eventos, destacam-se os seguintes: • Bahia — 1808: Parada do navio que trazia a família real portuguesa para o Brasil, sob a proteção da mari- nha britânica, fugindo de um possível ataque de Napoleão. • Rio de Janeiro — 1808: Desembarque da família real portuguesa na cidade onde residiriam durante sua permanência no Brasil. • Salvador — 1810: D. João VI assina a carta régia de abertura dos portos ao comércio de todas as nações ami- gas, ato antecipadamente negociado com a Inglaterra em troca da escolta dada à esquadra portuguesa. • Rio de Janeiro — 1816: D. João VI torna-se rei do Brasil e de Portugal, devido à morte de sua mãe, D. Maria I. • Pernambuco — 1817: As tropas de D. João VI sufocam a revolução republicana. GOMES, L. 1808: como uma rainha louca, um príncipe medroso e uma corte corrupta enganaram Napoleão e mudaram a história de Portugal e do Brasil. São Paulo: Editora Planeta, 2007 (adaptado). Uma das consequências desses eventos foi A) a decadência do império britânico, em razão do contrabando de produtos ingleses através dos portos bra- sileiros. B) o fim do comércio de escravos no Brasil, porque a Inglaterra decretara, em 1806, a proibição do tráfico de escravos em seus domínios. C) a conquista da região do rio da Prata em represália à aliança entre a Espanha e a França de Napoleão. D) a abertura de estradas, que permitiu o rompimento do isolamento que vigorava entre as províncias do país, o que dificultava a comunicação antes de 1808. E) o grande desenvolvimento econômico de Portugal após a vinda de D. João VI para o Brasil, uma vez que cessaram as despesas de manutenção do rei e de sua família. Resolução Das cinco alternativas, a C é a única possível como resposta, já que as demais contêm erros históricos eviden- tes. Tão evidentes quanto as falhas de elaboração da questão. Primeiro: não foi conquistada a ”região do Rio da Prata”, mas apenas a que corresponde ao atual Uruguai. Segundo: mais do que uma represália à aliança franco-espanhola, a ocupação da Banda Oriental foi a concretização de um antigo projeto lusitano na região platina. Terceiro: a conquista da Banda Oriental não foi consequência de nenhum dos eventos citados na ques- tão. Quarto: três dos eventos relatados contêm erros: D. João não fugiu de ”um possível ataque de Napoleão”, e sim do ataque; a abertura dos portos foi decretada em 1808, não em 1810; e, por fim, D. João tornou-se rei de Portugal em 1818, não em 1816. Resposta: CENEM/2010 — 1o Dia 15 ANGLO VESTIBULARES
  • 15. ▼ Questão 26 I — Para consolidar-se como governo, a República precisava eliminar as arestas, conciliar-se com o passado monarquista, incorporar distintas vertentes do republicanismo. Tiradentes não deveria ser visto como herói republicano radical, mas sim como herói cívico-religioso, como mártir, integrador, portador da imagem do povo inteiro. CARVALHO, J. M. C. A formação das almas: O imaginário da República no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1990. I — Ei-lo, o gigante da praça, / O Cristo da multidão! É Tiradentes quem passa / Deixem passar o Titão. ALVES, C. Gonzaga ou a revolução de Minas. In: CARVALHO, J. M. C. A formação das almas: O imaginário da República no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1990. A 1a República brasileira, nos seus primórdios, precisava constituir uma figura heroica capaz de congregar dife- renças e sustentar simbolicamente o novo regime. Optando pela figura de Tiradentes, deixou de lado figuras como Frei Caneca ou Bento Gonçalves. A transformação do inconfidente em herói nacional evidencia que o esforço de construção de um simbolismo por parte da República estava relacionado A) ao caráter nacionalista e republicano da Inconfidência, evidenciado nas ideias e na atuação de Tiradentes. B) à identificação da Conjuração Mineira como o movimento precursor do positivismo brasileiro. C) ao fato de a proclamação da República ter sido um movimento de poucas raízes populares, que precisava de legitimação. D) à semelhança física entre Tiradentes e Jesus, que proporcionaria, a um povo católico como o brasileiro, uma fácil identificação. E) ao fato de Frei Caneca e Bento Gonçalves, terem liderado movimentos separatistas no Nordeste e no Sul do país. Resolução A proclamação da República é marcada pela participação de setores da camada média e da elite econômica. Para legitimar o movimento junto às camadas subalternas da sociedade e conquistar sua simpatia, a República alça Tiradentes à condição de herói do novo regime. Essa personagem da história colonial do Brasil, perten- cente às camadas populares da sociedade mineira do século XVIII, foi condenado à morte ao defender o pro- jeto republicano em sua época. Resposta: C▼ Questão 27 O artigo 402 do Código penal Brasileiro de 1890 dizia: Fazer nas ruas e praças públicas exercícios de agilidade e destreza corporal, conhecidos pela denominação de capoeiragem: andar em correrias, com armas ou instru- mentos capazes de produzir uma lesão corporal, provocando tumulto ou desordens. Pena: Prisão de dois a seis meses. SOARES, C. E. L. A Negregada instituição: os capoeiras no Rio de Janeiro: 1850-1890. Rio de Janeiro: Secretaria Municipal de Cultura, 1994 (adaptado). O artigo do primeiro Código Penal Republicano naturaliza medidas socialmente excludentes. Nesse contexto, tal regulamento expressava A) a manutenção de parte da legislação do Império com vistas ao controle da criminalidade urbana. B) a defesa do retorno do cativeiro e escravidão pelos primeiros governos do período republicano. C) o caráter disciplinador de uma sociedade industrializada, desejosa de um equilíbrio entre progresso e civi- lização. D) a criminalização de práticas culturais e a persistência de valores que vinculavam certos grupos ao passado de escravidão. E) o poder do regime escravista, que mantinha os negros como categoria social inferior, discriminada e segre- gada. Resolução A proibição da capoeiragem pelo Código Penal Brasileiro, no início da República, revela a preocupação dos novos donos do poder em criminalizar práticas e valores vinculados ao passado escravista. Resposta: DENEM/2010 — 1o Dia 16 ANGLO VESTIBULARES
  • 16. ▼ Questão 28 Em nosso país queremos substituir o egoísmo pela moral, a honra pela probidade, os usos pelos princípios, as conveniências pelos deveres, a tirania da moda pelo império da razão, o desprezo à desgraça pelo desprezo ao vício, a insolência pelo orgulho, a vaidade pela grandeza de alma, o amor ao dinheiro pelo amor à glória, a boa companhia pelas boas pessoas, a intriga pelo mérito, o espirituoso pelo gênio, o brilho pela verdade, o tédio da volúpia pelo encanto da felicidade, a mesquinharia dos grandes pela grandeza do homem. HUNT, L. Revolução Francesa e Vida Privada, in: PERROT, M. (Org). História da Vida Privada: da Revolução Francesa à Primeira Guerra. Vol. 4. São Paulo: Companhia das Letras, 1991 (adaptado). O discurso de Robespierre, de 5 de fevereiro de 1794, do qual o trecho transcrito é parte, relaciona-se a qual dos grupos político-sociais envolvidos na Revolução Francesa? A) À alta burguesia, que desejava participar do poder legislativo francês como força política dominante. B) Ao clero francês, que desejava justiça social e era ligado à alta burguesia. C) A militares oriundos da pequena e média burguesia, que derrotaram as potências rivais e queriam reorgani- zar a França internamente. D) À nobreza esclarecida, que, em função do seu contato com os intelectuais iluministas, desejava extinguir o absolutismo francês. E) Aos representantes da pequena e média burguesia e das camadas populares, que desejavam justiça social e direitos políticos. Resolução O discurso de Robespierre caracteriza o pensamento jacobino do período da Convenção Nacional, no contexto da Revolução Francesa. Opondo-se às concepções liberais da alta burguesia, que entendiam democracia como mero direito à propriedade, os jacobinos entendiam-na como garantia de justiça social e direitos políticos, estendendo as transformações revolucionárias para a maioria da população. Resposta: E▼ Questão 29 A política foi, inicialmente, a arte de impedir as pessoas de se ocuparem do que lhes diz respeito. Posterior- mente, passou a ser a arte de compelir as pessoas a decidirem sobre aquilo de que nada entendem. VALÉRY, P. Cadernos. Apud BENEVIDES, M. V. M. A cidadania ativa. São Paulo: Ática, 1996. Nessa definição, o autor entende que a história da política está dividida em dois momentos principais: um pri- meiro, marcado pelo autoritarismo excludente, e um segundo, caracterizado por uma democracia incompleta. Considerando o texto, qual é o elemento comum a esses dois momentos da história política? A) A distribuição equilibrada do poder. B) O impedimento da participação popular. C) O controle das decisões por uma minoria. D) A valorização das opiniões mais competentes. E) A sistematização dos processos decisórios. Resolução A questão condiciona a resposta à interpretação do excerto proposto. Segundo o texto, nos dois momentos da história da política, o poder de decisão nas sociedades, com ou sem a legitimação das maiorias, é restrito a grupos organizados que representam minorias dominantes. Resposta: C▼ Questão 30 O príncipe, portanto, não deve se incomodar com a reputação de cruel, se seu propósito é manter o povo unido e leal. De fato, com uns poucos exemplos duros poderá ser mais clemente do que outros que, por muita piedade, permitem os distúrbios que levem ao assassínio e ao roubo. MAQUIAVEL, N. O Príncipe. São Paulo: Martin Claret, 2009.ENEM/2010 — 1o Dia 17 ANGLO VESTIBULARES
  • 17. No século XVI, Maquiavel escreveu O Príncipe, reflexão sobre a Monarquia e a função do governante. A ma- nutenção da ordem social, segundo esse autor, baseava-se na A) inércia do julgamento de crimes polêmicos. B) bondade em relação ao comportamento dos mercenários. C) compaixão quanto à condenação de transgressões religiosas. D) neutralidade diante da condenação dos servos. E) conveniência entre o poder tirânico e a moral do príncipe. Resolução Nicolau Maquiavel foi um pensador político do Renascimento, autor da obra O Príncipe, na qual defende que a manutenção do poder está acima da moral. O governante, portanto, teria por prioridade manter a ordem, podendo utilizar quaisquer meios para assegurar a unidade e a lealdade do seu povo. Resposta: E▼ Questão 31 Após a abdicação de D. Pedro I, o Brasil atravessou um período marcado por inúmeras crises: as diversas forças políticas lutavam pelo poder e as reivindicações populares eram por melhores condições de vida e pelo direito de participação na vida política do país. Os conflitos representavam também o protesto contra a centralização do governo. Nesse período, ocorreu também a expansão da cultura cafeeira e o surgimento do poderoso gru- po dos “barões do café”, para o qual era fundamental a manutenção da escravidão e do tráfico negreiro. O contexto do Período Regencial foi marcado A) por revoltas populares que reclamavam a volta da monarquia. B) por várias crises e pela submissão das forças políticas ao poder central. C) pela luta entre os principais grupos políticos que reivindicavam melhores condições de vida. D) pelo governo dos chamados regentes, que promoveram a ascensão social dos “barões do café”. E) pela convulsão política e por novas realidades econômicas que exigiam o reforço de velhas realidades sociais. Resolução O período regencial foi marcado por uma série de revoltas políticas e sociais e também pelo avanço da cafei- cultura pelo Vale do Paraíba. A nova realidade econômica criada pela cafeicultura exigiu o reforço da escravi- dão para atender às novas demandas produtivas. Resposta: E▼ Questão 32 De março de 1931 a fevereiro de 1940, foram decretadas mais de 150 leis novas de proteção social e de regu- lamentação do trabalho em todos os seus setores. Todas elas têm sido simplesmente uma dádiva do governo. Desde aí, o trabalhador brasileiro encontra nos quadros gerais do regime o seu verdadeiro lugar. DANTAS, M. A força nacionalizadora do Estado Novo. Rio de Janeiro: DIP, 1942. Apud BERCITO, S. R. Nos tempos de Getúlio: da revolução de 30 ao fim do Estado Novo. São Paulo: Atual, 1990. A adoção de novas políticas públicas e as mudanças jurídico-institucionais ocorridas no Brasil, com a ascensão de Getúlio Vargas ao poder, evidenciam o papel histórico de certas lideranças e a importância das lutas sociais na conquista da cidadania. Desse processo resultou a A) criação do Ministério do Trabalho, Indústria e Comércio, que garantiu ao operariado autonomia para o exercício de atividades sindicais. B) legislação previdenciária, que proibiu migrantes de ocuparem cargos de direção nos sindicatos. C) criação da Justiça do Trabalho, para coibir ideologias consideradas perturbadoras da “harmonia social”. D) legislação trabalhista que atendeu reivindicações dos operários, garantindo-lhes vários direitos e formas de proteção. E) decretação da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), que impediu o controle estatal sobre as atividades políticas da classe operária.ENEM/2010 — 1o Dia 18 ANGLO VESTIBULARES
  • 18. Resolução A instauração do regime de Vargas, entre 1930 e 1945, pautou a política trabalhista que atendeu a reivin- dicações das classes populares urbanas e outorgou-lhes os direitos assegurados na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) de 1943. Resposta: D▼ Questão 33 Não é difícil entender o que ocorreu no Brasil nos anos imediatamente anteriores ao golpe militar de 1964. A diminuição da oferta de empregos e a desvalorização dos salários, provocadas pela inflação, levaram a uma intensa mobilização política popular, marcada por sucessivas ondas grevistas de várias categorias profissionais, o que aprofundou as tensões sociais. Dessa vez, as classes trabalhadoras se recusaram a pagar o pato pelas “sobras” do modelo econômico juscelinista. MENDONÇA, S. R. A Industrialização Brasileira. São Paulo: Moderna, 2002 (adaptado). Segundo o texto, os conflitos sociais ocorridos no início dos anos 1960 decorreram principalmente A) da manipulação política empreendida pelo governo João Goulart. B) das contradições econômicas do modelo desenvolvimentista. C) do poder político adquirido pelos sindicatos populistas. D) da desmobilização das classes dominantes frente ao avanço das greves. E) da recusa dos sindicatos em aceitar mudanças na legislação trabalhista. Resolução O modelo desenvolvimentista implementado no governo JK (1956-1961) deixou heranças negativas, como dívi- da externa, inflação e desemprego. A crise do populismo manifestou-se nas greves e agitações que marcaram o governo Jango (1961-64) e que culminaram no golpe de Estado que o derrubou em 1o de abril de 1964. Resposta: B▼ Questão 34 A lei não nasce da natureza, junto das fontes frequentadas pelos primeiros pastores; a lei nasce das batalhas reais, das vitórias, dos massacres, das conquistas que têm sua data e seus heróis de horror: a lei nasce das cidades incendiadas, das terras devastadas; ela nasce com os famosos inocentes que agonizam no dia que está amanhecendo. FOUCAULT, M. Aula de 14 de janeiro de 1976, in: Em defesa da sociedade. São Paulo: Martins Fontes, 1999. O filósofo Michel Foucault (séc. XX) inova ao pensar a política e a lei em relação ao poder e à organização social. Com base na reflexão de Foucault, a finalidade das leis na organização das sociedades modernas é A) combater ações violentas na guerra entre as nações. B) coagir e servir para refrear a agressividade humana. C) criar limites entre a guerra e a paz praticadas entre os indivíduos de uma mesma nação. D) estabelecer princípios éticos que regulamentam as ações bélicas entre países inimigos. E) organizar as relações de poder na sociedade e entre os Estados. Resolução O filósofo francês Michel Foucault identifica as leis como expressão de um jogo de forças que articula e manifesta as relações de poder na sociedade. Resposta: E▼ Questão 35 Opinião Podem me prender Podem me bater Podem até deixar-me sem comer Que eu não mudo de opinião.ENEM/2010 — 1o Dia 19 ANGLO VESTIBULARES
  • 19. Aqui do morro eu não saio não Aqui do morro eu não saio não. Se não tem água Eu furo um poço Se não tem carne Eu compro um osso e ponho na sopa E deixa andar, deixa andar... Falem de mim Quem quiser falar Aqui eu não pago aluguel Se eu morrer amanhã seu doutor, Estou pertinho do céu Zé Ketti. Opinião. Disponível em: http:/www.mpbnet.com.br. Acesso em: 28 abr. 2010. Essa música fez parte de um importante espetáculo teatral que estreou no ano de 1964, no Rio de Janeiro. O papel exercido pela Música Popular Brasileira (MPB) nesse contexto, evidenciado pela letra de música citada, foi o de A) entretenimento para os grupos intelectuais. B) valorização do progresso econômico do país. C) crítica à passividade dos setores populares. D) denúncia da situação social e política do país. E) mobilização dos setores que apoiavam a Ditadura Militar. Resolução Com o golpe político-militar, deflagrado em março de 1964, a música popular brasileira passa a ser veículo de protesto com suas letras metaforizadas. A letra da música “Opinião” denuncia claramente a situação social, sobretudo no Rio de Janeiro, expressa nos versos “Se não tem água”, “Se não tem carne”, e a situação política do país, caracterizada pela repressão, abordada nos versos “Podem me prender”, “Podem me bater”. Resposta: D▼ Questão 36 A chegada da televisão A caixa de pandora tecnológica penetra nos lares e libera suas cabeças falantes, astros, novelas, noticiários e as fabulosas, irresistíveis garotas-propaganda, versões modernizadas do tradicional homem-sanduíche. SEVCENKO, N. (Org.). História da Vida Privada no Brasil 3. República: da Belle Époque a Era do Rádio. São Paulo: Cia. das Letras, 1998. A TV, a partir da década de 1950, entrou nos lares brasileiros provocando mudanças consideráveis nos hábitos da população. Certos episódios da história brasileira revelaram que a TV, especialmente como espaço de ação da imprensa, tornou-se também veículo de utilidade pública, a favor da democracia, na medida em que A) amplificou os discursos nacionalistas e autoritários durante o governo Vargas. B) revelou para o país casos de corrupção na esfera política de vários governos. C) maquiou indicadores socias negativos durante as décadas de 1970 e 1980. D) apoiou, no governo Castelo Branco, as iniciativas de fechamento do parlamento. E) corroborou a construção de obras faraônicas durante os governos militares. Resolução Desde que chegou ao Brasil, a TV denuncia casos de corrupção nas várias esferas do poder público, o que, sem dúvida, colaborou para a construção da democracia. Resposta: BENEM/2010 — 1o Dia 20 ANGLO VESTIBULARES
  • 20. ▼ Questão 37 Os meios de comunicação funcionam como um elo entre os diferentes segmentos de uma sociedade. Nas úl- timas décadas, acompanhamos a inserção de um novo meio de comunicação que supera em muito outros já existentes, visto que pode contribuir para a democratização da vida social e política da sociedade à medida que possibilita a instituição de mecanismos eletrônicos para a efetiva participação política e disseminação de informações. Constitui o exemplo mais expressivo desse novo conjunto de redes informacionais a A) Internet. B) fibra ótica. C) TV digital. D) telefonia móvel. E) portabilidade telefônica. Resolução A Internet foi o sistema tecnológico de mais rápida difusão pelo mundo, conquistando mais de 50 milhões de usuários em apenas quatro anos. Hoje há no mundo mais de 1 bilhão de usuários desse meio de comunicação. Seu uso para disseminar ideias, colher informações, divulgar dados, propor sugestões, realizar críticas, promo- ver debates, delatar atos ilegais, dentre outras possibilidades, tornou a Internet uma das mais eficientes for- mas de ação social e política, a que atualmente recorrem pessoas físicas, instituições, empresas e governos. Resposta: A▼ Questão 38 A poluição e outras ofensas ambientais ainda não tinham esse nome, mas já eram largamente notadas no século XIX, nas grandes cidades inglesas e continentais. E a própria chegada ao campo das estradas de ferro suscitou protestos. A reação antimaquinista, protagonizada pelos diversos luddismos, antecipa a batalha atual dos ambientalistas. Esse era, então, o combate social contra os miasmas urbanos. SANTOS, M. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. São Paulo: EDUSP, 2002 (adaptado). O crescente desenvolvimento técnico-produtivo impõe modificações na paisagem e nos objetos culturais vivenciados pelas sociedades. De acordo com o texto, pode-se dizer que tais movimentos sociais emergiram e se expressaram por meio A) das ideologias conservacionistas, com milhares de adeptos no meio urbano. B) das políticas governamentais de preservação dos objetos naturais e culturais. C) das teorias sobre a necessidade de harmonização entre técnica e natureza. D) dos boicotes aos produtos das empresas exploradoras e poluentes. E) da contestação à degradação do trabalho, das tradições e da natureza. Resolução De acordo com o texto, os movimentos sociais (“… diversos luddismos”) emergiram e se expressaram por meio da contestação à degradação do trabalho e da natureza. O desenvolvimento técnico-produtivo só aprofundou essa questão, sem modificar a sua essência. Resposta: E▼ Questão 39 A ética precisa ser compreendida como um empreendimento coletivo a ser constantemente retomado e redis- cutido, porque é produto da relação interpessoal e social. A ética supõe ainda que cada grupo social se organi- ze sentindo-se responsável por todos e que crie condições para o exercício de um pensar e agir autônomos. A relação entre ética e política é também uma questão de educação e luta pela soberania dos povos. É necessária uma ética renovada, que se construa a partir da natureza dos valores sociais para organizar também uma nova prática política. CORDI et al. Para filosofar. São Paulo: Scipione, 2007 (adaptado).ENEM/2010 — 1o Dia 21 ANGLO VESTIBULARES
  • 21. O século XX teve de repensar a ética para enfrentar novos problemas oriundos de diferentes crises sociais, conflitos ideológicos e contradições da realidade. Sob esse enfoque e a partir do texto, a ética pode ser com- preendida como A) instrumento de garantia da cidadania, porque através dela os cidadãos passam a pensar e agir de acordo com valores coletivos. B) mecanismo de criação de direitos humanos, porque é da natureza do homem ser ético e virtuoso. C) meio para resolver os conflitos sociais no cenário da globalização, pois a partir do entendimento do que é efetivamente a ética, a política internacional se realiza. D) parâmetro para assegurar o exercício político primando pelos interesses e ação privada dos cidadãos. E) aceitação de valores universais implícitos numa sociedade que busca dimensionar sua vinculação à outras sociedades. Resolução A partir da leitura do texto, identifica-se a ética como expressão de uma coletividade. Nesse sentido, ela atua como fundamento da prática da cidadania. Resposta: A▼ Questão 40 Homens da Inglaterra, por que arar para os senhores que vos mantêm na miséria? Por que tecer com esforços e cuidado as ricas roupas que vossos tiranos vestem? Por que alimentar, vestir e poupar do berço até o túmulo esses parasitas ingratos que exploram vosso suor — ah, que bebem vosso sangue? SHELLEY. Os homens da Inglaterra Apud HUBERMAN, L. História da Riqueza do Homem. Rio de Janeiro: Zahar, 1982. A análise do trecho permite identificar que o poeta romântico Shelley (1792-1822) registrou uma contradição nas condições socioeconômicas da nascente classe trabalhadora inglesa durante a Revolução Industrial. Tal contradição está identificada A) na pobreza dos empregados, que estava dissociada da riqueza dos patrões. B) no salário dos operários, que era proporcional aos seus esforços nas indústrias. C) na burguesia, que tinha seus negócios financiados pelo proletariado. D) no trabalho, que era considerado uma garantia de liberdade. E) na riqueza, que não era usufruída por aqueles que a produziam. Resolução Analisando o trecho do enunciado da questão, podemos observar uma das principais características da Revolução Industrial, ou seja, a contradição entre a riqueza produzida pelo desenvolvimento industrial e a pobreza gerada pela exploração do trabalho. Dessa forma, a separação entre capital e trabalho daria origem a uma classe operária geradora das riquezas, que seriam apropriadas pelos donos dos meios de produção. Resposta: E▼ Questão 41 “Pecado nefando” era expressão correntemente utilizada pelos inquisidores para a sodomia. Nefandus: o que não pode ser dito. A Assembleia de clérigos reunida em Salvador, em 1707, considerou a sodomia “tão péssimo e horrendo crime”, tão contrário à lei da natureza que “era indigno ser nomeado” e, por isso mesmo, nefando. NOVAIS, F; MELLO E SOUZA, L. História da Vida Privada no Brasil. V. 1. São Paulo: Companhia das Letras, 1997 (adaptado). O número de homossexuais assassinados no Brasil bateu o recorde histórico em 2009. De acordo com o Rela- tório Anual de Assassinato de Homossexuais (LGBT — Lésbicas, Gays, Bissexuais e Travestis), nesse ano foram registrados 195 mortos por motivação homofóbica no País. Disponível em: www.alemdanoticia.com.br/ultimas_noticias.php?codnoticia=3871. Acesso em: 29 abr. 2010 (adaptado).ENEM/2010 — 1o Dia 22 ANGLO VESTIBULARES
  • 22. A homofobia é a rejeição e menosprezo à orientação sexual do outro e, muitas vezes, expressa-se sob a forma de comportamentos violentos. Os textos indicam que as condenações públicas, perseguições e assassinatos de homossexuais no país estão associadas A) à baixa representatividade política de grupos organizados que defendem os direitos de cidadania dos ho- mossexuais. B) à falência da democracia no país, que torna impeditiva a divulgação de estatísticas relacionadas à violência contra homossexuais. C) à Constituição de 1988, que exclui do tecido social os homossexuais, além de impedi-los de exercer seus direitos políticos. D) a um passado histórico marcado pela demonização do corpo e por formas recorrentes de tabus e intolerância. E) a uma política eugênica desenvolvida pelo Estado, justificada a partir dos posicionamentos de correntes filosófico-científicas. Resolução A homofobia e suas manifestações discriminatórias e violentas são antigas e sólidas expressões de preconceito nas sociedades. Ainda que relativamente recentes, e apesar da frequente omissão do Estado, os grupos homossexuais vêm se articulando para enfrentar o segregacionismo e se autoafirmar no âmbito dos direitos da cidadania. Resposta: D▼ Questão 42 Judiciário contribuiu com ditadura no Chile, diz Juiz Guzmán Tapia As cortes de apelação rejeitaram mais de 10 mil habeas corpus nos casos das pessoas desaparecidas. Nos tribunais militares, todas as causas foram concluídas com suspensões temporárias ou definitivas, e os desaparecimentos políticos tiveram apenas trâmite formal na Justiça. Assim, o Poder Judiciário contribuiu para que os agentes estatais ficassem impunes. Disponível em: http://www.cartamaior.com.br. Acesso em: 20 jul. 2010 (adaptado). Segundo o texto, durante a ditadura chilena na década de 1970, a relação entre os poderes Executivo e Judiciário caracterizava-se pela A) preservação da autonomia institucional entre os poderes. B) valorização da atuação independente de alguns juízes. C) manutenção da interferência jurídica nos atos executivos. D) transferência das funções dos juízes para o chefe de Estado. E) subordinação do poder judiciário aos interesses políticos dominantes. Resolução O texto explicita o papel submisso do poder judiciário chileno durante o período ditatorial do país. Ele negava aos cidadãos o direito a defesa e julgamento justo, contribuindo assim para a ação impune do poder executivo e, portanto, para a desconstrução da democracia no país. Resposta: E▼ Questão 43 Um banco inglês decidiu cobrar de seus clientes cinco libras toda vez que recorressem aos funcionários de suas agências. E o motivo disso é que, na verdade, não querem clientes em suas agências; o que querem é reduzir o número de agências, fazendo com que os clientes usem as máquinas automáticas em todo tipo de transações. Em suma, eles querem se livrar de seus funcionários. HOBSBAWM, E. O novo século. São Paulo: Companhia das Letras, 2000 (adaptado). O exemplo mencionado permite identificar um aspecto da adoção de novas tecnologias na economia capitalista contemporânea. Um argumento utilizado pelas empresas e uma consequência social de tal aspecto estão em A) qualidade total e estabilidade no trabalho. B) pleno emprego e enfraquecimento dos sindicatos. C) diminuição dos custos e insegurança no emprego. D) responsabilidade social e redução do desemprego. E) maximização dos lucros e aparecimento de empregos.ENEM/2010 — 1o Dia 23 ANGLO VESTIBULARES
  • 23. Resolução No capitalismo atual, caracterizado pelo financeirismo monopolista global, empresas em busca de produtividade e lucros máximos têm provocado alterações profundas na relação capital-trabalho: a mais destacada é a prática constante da substituição de mão de obra humana por máquinas automatizadas, diminuindo sensivelmente os custos para o empregador e provocando enorme instabilidade empregatícia. Resposta: C▼ Questão 44 Na ética contemporânea, o sujeito não é mais um sujeito substancial, soberano e absolutamente livre, nem um sujeito empírico puramente natural. Ele é simultaneamente os dois, na medida em que é um sujeito histórico- social. Assim, a ética adquire um dimensionamento político, uma vez que a ação do sujeito não pode mais ser vista e avaliada fora da relação social coletiva. Desse modo, a ética se entrelaça, necessariamente, com a política, entendida esta como a área de avaliação dos valores que atravessam as relações sociais e que interliga os indivíduos entre si. SEVERINO, A. J. Filosofia. São Paulo: Cortez, 1992 (adaptado). O texto, ao evocar a dimensão histórica do processo de formação da ética na sociedade contemporânea, ressalta A) os conteúdos éticos decorrentes das ideologias político-partidárias. B) o valor da ação humana derivada de preceitos metafísicos. C) a sistematização de valores desassociados da cultura. D) o sentido coletivo e político das ações humanas individuais. E) o julgamento da ação ética pelos políticos eleitos democraticamente. Resolução O texto estabelece relações entre ética e política, identificando seu fundamento social e, portanto, coletivo. Resposta: D▼ Questão 45 QUINO. Toda Mafalda. São Paulo: Martins Fontes, 1991. Democracia: “regime político no qual a soberania é exercida pelo povo, pertence ao conjunto dos cidadãos.” JAPIASSÚ, H.; MARCONDES, D. Dicionário Básico de Filosofia. Rio de Janeiro: Zahar, 2006. Uma suposta “vacina” contra o despotismo, em um contexto democrático, tem por objetivo A) impedir a contratação de familiares para o serviço público. B) reduzir a ação das instituições constitucionais. C) combater a distribuição equilibrada de poder. D) evitar a escolha de governantes autoritários. E) restringir a atuação do Parlamento. Resolução Analisando as alternativas, a única que identifica uma forma de evitar o despotismo — a partir de um ambien- te democrático — é aquela que cita a rejeição a governantes autoritários. Resposta: DENEM/2010 — 1o Dia 24 ANGLO VESTIBULARES
  • 24. CIÊNC IAS DA NA UR E A E SU A T C O L G AS T Z S E N O I▼ Questão 46 A vacina, o soro e os antibióticos submetem os organismos a processos biológicos diferentes. Pessoas que viajam para regiões em que ocorrem altas incidências de febre amarela, de picadas de cobras peçonhentas e de leptospirose e querem evitar ou tratar problemas de saúde relacionados a essas ocorrências devem seguir determinadas orientações. Ao procurar um posto de saúde, um viajante deveria ser orientado por um médico a tomar preventivamente ou como medida de tratamento A) antibióticos contra o vírus da febre amarela, soro antiofídico caso seja picado por uma cobra e vacina contra a leptospirose. B) vacina contra o vírus da febre amarela, soro antiofídico caso seja picado por uma cobra e antibiótico caso entre em contato com a Leptospira sp. C) soro contra o vírus da febre amarela, antibiótico caso seja picado por uma cobra e soro contra toxinas bac- terianas. D) antibiótico ou soro, tanto contra o vírus da febre amarela como para veneno de cobras, e vacina contra a leptospirose. E) soro antiofídico e antibiótico contra a Leptospira sp e vacina contra a febre amarela caso entre em contato com o vírus causador da doença. Resolução A febre amarela é provocada por um vírus; a prevenção dessa doença se faz por meio de vacinação. Picadas de cobra são tratadas com soro antiofídico. A leptospirose é causada por uma bactéria; no tratamento dessa enfermidade empregam-se antibióticos. Resposta: B▼ Questão 47 As ondas eletromagnéticas, como a luz visível e as ondas de rádio, viajam em linha reta em um meio homogê- neo. Então, as ondas de rádio emitidas na região litorânea do Brasil não alcançariam a região amazônica do Brasil por causa da curvatura da Terra. Entretanto sabemos que é possível transmitir ondas de rádio entre essas localidades devido à ionosfera. Com a ajuda da ionosfera, a transmissão de ondas planas entre o litoral do Brasil e a região amazônica é pos- sível por meio da A) reflexão. B) refração. C) difração. D) polarização. E) interferência. Resolução As ondas eletromagnéticas emitidas na região litorânea do Brasil atingem a região amazônica após sofrer reflexão total na ionosfera. Resposta: AENEM/2010 — 1o Dia 25 ANGLO VESTIBULARES
  • 25. ▼ Questão 48 Todo carro possui uma caixa de fusíveis, que são utilizados para proteção dos circuitos elétricos. Os fusíveis são constituídos de um material de baixo ponto de fusão, como o estanho, por exemplo, e se fundem quando percorridos por uma corrente elétrica igual ou maior do que aquele que são capazes de suportar. O quadro a seguir mostra uma série de fusíveis e os valores de corrente por eles suportados. Fusível Corrente Elétrica (A) Azul 1,5 Amarelo 2,5 Laranja 5,0 Preto 7,5 Vermelho 10,0 Um farol usa uma lâmpada de gás halogênio de 55 W de potência que opera com 36 V. Os dois faróis são li- gados separadamente, com um fusível para cada um, mas, após um mau funcionamento, o motorista passou a conectá-los em paralelo, usando apenas um fusível. Dessa forma, admitindo-se que a fiação suporte a carga dos dois faróis, o menor valor de fusível adequado para proteção desse novo circuito é o A) azul. D) amarelo. B) preto. E) vermelho. C) laranja. Resolução Na ligação feita pelo motorista, a intensidade da corrente elétrica formada no fusível (iF) é igual à soma das intensidades das correntes elétricas formadas em cada uma das lâmpadas (i) ligadas em paralelo: iF = 2 • i A partir da definição de potência elétrica, temos: P P: potência elétrica nominal da lâmpada 321 P=U•i → i= , em que: U U: ddp nominal da lâmpada Dessa forma: P 55 iF = 2 • =2• ∴ iF ≈ 3 A U 36 Portanto, o motorista deve utilizar o fusível laranja. Resposta: C▼ Questão 49 A cárie dental resulta da atividade de bactérias que degradam os açúcares e os transformam em ácidos que corroem a porção mineralizada dos dentes. O flúor, juntamente com o cálcio e um açúcar chamado xilitol, agem inibindo esse processo. Quando não se escovam os dentes corretamente e neles acumulam-se restos de alimentos, as bactérias que vivem na boca aderem aos dentes, formando a placa bacteriana ou biofilme. Na placa, elas transformam o açúcar dos restos de alimentos em ácidos, que corroem o esmalte do dente forman- do uma cavidade, que é a cárie. Vale lembrar que a placa bacteriana se forma mesmo na ausência de ingestão de carboidratos fermentáveis, pois as bactérias possuem polissacarídeos intracelulares de reserva. Disponível em: http://www.diariodasaude.com.br. Acesso em: 11 ago. 2010 (adaptado). cárie 1. destruição de um osso por corrosão progressiva. *cárie dentária: efeito da destruição da estrutura dentária por bactérias. HOUAISS, Antônio. Dicionário eletrônico. Versão 1.0. Editora Objetiva, 2001 (adaptado). A partir da leitura do texto, que discute as causas do aparecimento de cáries, e da sua relação com as informa- ções do dicionário, conclui-se que a cárie dental resulta, principalmente, de A) falta de flúor e de cálcio na alimentação diária da população brasileira. B) consumo exagerado do xilitol, um açúcar, na dieta alimentar diária do indivíduo. C) redução na proliferação bacteriana quando a saliva é desbalanceada pela má alimentação.ENEM/2010 — 1o Dia 26 ANGLO VESTIBULARES
  • 26. D) uso exagerado do flúor, um agente que em alta quantidade torna-se tóxico à formação dos dentes. E) consumo excessivo de açúcares na alimentação e má higienização bucal, que contribuem para a prolifera- ção de bactérias. Resolução De acordo com o texto, a má higienização bucal e restos de alimentos, como açúcares, favorecem a prolifera- ção de bactérias que provocam a cárie dental. Resposta: E▼ Questão 50 Em nosso cotidiano, utilizamos as palavras “calor” e “temperatura” de forma diferente de como elas são usa- das no meio científico. Na linguagem corrente, calor é identificado como “algo quente” e temperatura mede a “quantidade de calor de um corpo”. Esses significados, no entanto, não conseguem explicar diversas situações que podem ser verificadas na prática. Do ponto de vista científico, que situação prática mostra a limitação dos conceitos corriqueiros de calor e temperatura? A) A temperatura da água pode ficar constante durante o tempo em que estiver fervendo. B) Uma mãe coloca a mão na água da banheira do bebê para verificar a temperatura da água. C) A chama de um fogão pode ser usada para aumentar a temperatura da água em uma panela. D) A água quente que está em uma caneca é passada para outra caneca a fim de diminuir sua temperatura. E) Um forno pode fornecer calor para uma vasilha de água que está em seu interior com menor temperatura do que a dele. Resolução No sentido científico, supondo que a água esteja fervendo a céu aberto, haverá, por conta do recebimento de energia (calor), ebulição. A temperatura da massa líquida permanecerá constante, logo, a energia cinética mé- dia por molécula permanece constante. Porém, haverá cada vez menos moléculas na massa líquida. Portanto, a quantidade de energia da massa líquida diminui, apesar do recebimento de energia. Dessa forma, se entendêssemos quantidade de calor do corpo como temperatura, como na linguagem corren- te, seríamos obrigados a dizer que a temperatura da água diminui durante o tempo em que estiver fervendo. Portanto, a alternativa A mostra as limitações da linguagem cotidiana. Resposta: A▼ Questão 51 O texto “O vôo das Folhas” traz uma visão dos índios Ticunas para um fenômeno usualmente observado na natureza. O vôo das Folhas Com o vento as folhas se movimentam. E quando caem no chão ficam paradas em silêncio. Assim se forma o ngaura. O ngaura cobre o chão da floresta, enriquece a terra e alimenta as árvores. As folhas velhas morrem para ajudar o crescimento das folhas novas. Dentro do ngaura vivem aranhas, formigas, escorpiões, centopeias, minhocas, cogumelos e vários tipo de outros seres muito pequenos.] As folhas também caem nos lagos, nos igarapés e igapós. A natureza segundo os Ticunas / Livros das Árvores. Organização Geral dos Professores Bilíngues Ticunas, 2000. Na visão dos índios Ticunas, a descrição sobre o ngaura permite classificá-lo como um produto diretamente relacionado ao ciclo A) da água. D) do carbono. B) do oxigênio. E) do nitrogênio. C) do fósforo.ENEM/2010 — 1o Dia 27 ANGLO VESTIBULARES
  • 27. Resolução A questão se refere aos restos orgânicos decompostos no solo. Esse material está diretamente relacionado ao ciclo do nitrogênio e também, em certa medida, ao ciclo do fósforo. Resposta: E e C▼ Questão 52 Com o objetivo de se testar a eficiência de fornos de micro-ondas, planejou-se o aquecimento em 10°C de amostras de diferentes substâncias, cada uma com determinada massa, em cinco fornos de marcas distintas. Nesse teste, cada forno operou à potência máxima. O forno mais eficiente foi aquele que A) forneceu a maior quantidade de energia às amostras. B) cedeu energia à amostra de maior massa em mais tempo. C) forneceu a maior quantidade de energia em menos tempo. D) cedeu energia à amostra de menor calor específico mais lentamente. E) forneceu a menor quantidade de energia às amostras em menos tempo. Resolução Admitindo que a potência elétrica total consumida é a mesma para os cinco fornos, e que eficiência seja sinô- nimo de rendimento, o forno com maior eficiência é aquele capaz de fornecer a maior potência útil às dife- rentes amostras, isto é, ceder a maior quantidade de energia no menor intervalo de tempo. Resposta: C▼ Questão 53 –3 O fósforo, geralmente representado pelo íon de fosfato (PO4 ), é um ingrediente insubstituível da vida, já que é parte constituinte das membranas celulares e das moléculas do DNA e do trifosfato de adenosina (ATP), principal forma de armazenamento de energia das células. O fósforo utilizado nos fertilizantes agrícolas é extraído de minas, cujas reservas estão cada vez mais escassas. Certas práticas agrícolas aceleram a erosão do solo, provocando o transporte de fósforo para sistemas aquáticos, que fica imobilizado nas rochas. Ainda, a colheita das lavouras e o transporte dos restos alimentares para os lixões diminuem a disponibilidade dos íons no solo. Tais fatores têm ameaçado a sustentabilidade desse íon. Uma medida que amenizaria esse problema seria: A) Incentivar a reciclagem de resíduos biológicos, utilizando dejetos animais e restos de culturas para produ- ção de adubo. B) Repor o estoque retirado das minas com um íon sintético de fósforo para garantir o abastecimento da in- dústria de fertilizantes. C) Aumentar a importação de íons fosfato dos países ricos para suprir as exigências das indústrias nacionais de fertilizantes. D) Substituir o fósforo dos fertilizantes por outro elemento com a mesma função para suprir as necessidades do uso de seus íons. E) Proibir, por meio de lei federal, o uso de fertilizantes com fósforo pelos agricultores, para diminuir sua extração das reservas naturais. Resolução A reciclagem de resíduos biológicos e a incorporação deles ao solo permite a reutilização de seus componentes minerais, dentre eles o fósforo, pela vegetação. Resposta: AENEM/2010 — 1o Dia 28 ANGLO VESTIBULARES
  • 28. ▼ Questão 54 Júpiter, conhecido como o gigante gasoso, perdeu uma das suas listras mais proeminentes, deixando o seu hemisfério sul estranhamente vazio. Observe a região em que a faixa sumiu, destacada pela seta. Disponível em: http://www.inovacaotecnologica.com.br. Acesso em: 12 maio 2010 (adaptado). A aparência de Júpiter é tipicamente marcada por duas faixas escuras em sua atmosfera — uma no hemisfério norte e outra no hemisfério sul. Como o gás está constantemente em movimento, o desaparecimento da faixa no planeta relaciona-se ao movimento das diversas camadas de nuvens em sua atmosfera. A luz do Sol, refle- tida nessas nuvens, gera a imagem que é captada pelos telescópios, no espaço ou na Terra. O desaparecimento da faixa sul pode ter sido determinado por uma alteração A) na temperatura da superfície do planeta. B) no formato da camada gasosa do planeta. C) no campo gravitacional gerado pelo planeta. D) na composição química das nuvens do planeta. E) na densidade das nuvens que compõem o planeta. Resolução De acordo com o enunciado, o desaparecimento da faixa no planeta relaciona-se ao movimento das diversas camadas de nuvens em sua atmosfera. Uma possível explicação é a alteração na densidade das nuvens do pla- neta, pois nuvens menos densas se posicionam em altitudes maiores. Resposta: E▼ Questão 55 Em visita a uma usina sucroalcooleira, um grupo de alunos pôde observar a série de processos de beneficiamento da cana-de-açúcar, entre os quais se destacam: 1. A cana chega cortada da lavoura por meio de caminhões e é despejada em mesas alimentadoras que a conduzem para as moendas. Antes de ser esmagada para a retirada do caldo açucarado, toda a cana é transportada por esteiras e passada por um eletroímã para a retirada de materiais metálicos. 2. Após se esmagar a cana, o bagaço segue para as caldeiras, que geram vapor e energia para toda a usina. 3. O caldo primário, resultante do esmagamento, é passado por filtros e sofre tratamento para transformar-se em açúcar refinado e etanol. Com base nos destaques da observação dos alunos, quais operações físicas de separação de materiais foram realizadas nas etapas de beneficiamento da cana-de-açúcar? A) Separação mecânica, extração, decantação. D) Imantação, combustão, peneiração. B) Separação magnética, combustão, filtração. E) Imantação, destilação, filtração. C) Separação magnética, extração, filtração. Resolução Processo 1 = Separação magnética. Processo 2 = O processo físico é uma espécie de extração. Nota: a combustão do bagaço é uma transformação química. Processo 3 = O processo físico é uma filtração. Resposta: CENEM/2010 — 1o Dia 29 ANGLO VESTIBULARES
  • 29. ▼ Questão 56 ZIEGLER, M. F. Energia Sustentável. Revista IstoÉ. 28 abr. 2010. A fonte de energia representada na figura, considerada uma das mais limpas e sustentáveis do mundo, é ex- traída do calor gerado A) pela circulação do magma no subsolo. B) pelas erupções constantes dos vulcões. C) pelo sol que aquece as águas com radiação ultravioleta. D) pela queima do carvão e combustíveis fósseis. E) pelos detritos e cinzas vulcânicas. Resolução Observando a figura apresentada, verificamos que o vapor empregado para impulsionar turbinas e gerar ener- gia elétrica provém do aquecimento da água subterrânea, ocasionado pela circulação do magma no subsolo. Resposta: A▼ Questão 57 O despejo de dejetos de esgotos domésticos e industriais vem causando sérios problemas aos rios brasilei- ros. Esses poluentes são ricos em substâncias que contribuem para a eutrofização de ecossistemas, que é um enriquecimento da água por nutrientes, o que provoca um grande crescimento bacteriano e, por fim, pode promover escassez de oxigênio. Uma maneira de evitar a diminuição da concentração de oxigênio no ambiente é: A) Aquecer as águas dos rios para aumentar a velocidade de decomposição dos dejetos. B) Retirar do esgoto os materiais ricos em nutrientes para diminuir a sua concentração nos rios. C) Adicionar bactérias anaeróbicas às águas dos rios para que elas sobrevivam mesmo sem o oxigênio. D) Substituir produtos não degradáveis por biodegradáveis para que as bactérias possam utilizar os nutrientes. E) Aumentar a solubilidade dos dejetos no esgoto para que os nutrientes fiquem mais acessíveis às bactérias. Resolução Uma maneira de evitar a eutrofização é tratar previamente o esgoto a fim de reduzir a quantidade de nutrien- tes (que provêm de materiais orgânicos). Dessa forma, reduz-se a proliferação bacteriana e o consequente consumo de oxigênio por esses micro-organismos. Resposta: B▼ Questão 58 Sob pressão normal (ao nível do mar), a água entra em ebulição à temperatura de 100°C. Tendo por base essa informação, um garoto residente em uma cidade litorânea fez a seguinte experiência: • Colocou uma caneca metálica contendo água no fogareiro do fogão de sua casa.ENEM/2010 — 1o Dia 30 ANGLO VESTIBULARES
  • 30. • Quando a água começou a ferver, encostou cuidadosamente a extremidade mais estreita de uma seringa de injeção, desprovida de agulha, na superfície do líquido e, erguendo o êmbolo da seringa, aspirou certa quantidade de água para seu interior, tapando-a em seguida. • Verificando após alguns instantes que a água da seringa havia parado de ferver, ele ergueu o êmbolo da seringa, constatando, intrigado, que a água voltou a ferver após um pequeno deslocamento do êmbolo. Considerando o procedimento anterior, a água volta a ferver porque esse deslocamento A) permite a entrada de calor do ambiente externo para o interior da seringa. B) provoca, por atrito, um aquecimento da água contida na seringa. C) produz um aumento de volume que aumenta o ponto de ebulição da água. D) proporciona uma queda de pressão no interior da seringa que diminui o ponto de ebulição da água. E) possibilita uma diminuição da densidade da água que facilita sua ebulição. Resolução A temperatura de ebulição da água depende da pressão exercida sobre sua superfície livre. Quanto maior a pressão sobre essa superfície, maior a temperatura de ebulição da água, e quanto menor, menor a temperatura de ebulição. Inicialmente, a pressão sobre a superfície é igual à pressão atmosférica. Ao erguer-se o êmbolo aquela diminui, acarretando a redução da temperatura de ebulição. Portanto, a água ferve a uma temperatura menor do que 100ºC. Resposta: D▼ Questão 59 As cidades industrializadas produzem grandes proporções de gases como o CO2, o principal gás causador do efeito estufa. Isso ocorre por causa da quantidade de combustíveis fósseis queimados, principalmente no transporte, mas também em caldeiras industriais. Além disso, nessas cidades concentram-se as maiores áreas com solos asfaltados e concretados, o que aumenta a retenção de calor, formando o que se conhece por “ilhas de calor”. Tal fenômeno ocorre porque esses materias absorvem o calor e o devolvem para o ar sob a forma de radiação térmica. Em áreas urbanas, devido à atuação conjunta do efeito estufa e das “ilhas de calor”, espera-se que o consumo de energia elétrica A) diminua devido à utilização de caldeiras por indústrias metalúrgicas. B) aumente devido ao bloqueio da luz do sol pelos gases do efeito estufa. C) diminua devido à não necessidade de aquecer a água utilizada em indústrias. D) aumente devido à necessidade de maior refrigeração de indústrias e residências. E) diminua devido à grande quantidade de radiação térmica reutilizada. Resolução O efeito estufa e as “ilhas de calor” causam o aumento da temperatura local, impondo a necessidade de maior refrigeração, tanto em indústrias cujas máquinas devem operar em certas faixas de temperatura, quanto em residências, a fim de garantir conforto térmico aos seus habitantes. Logo, haverá aumento do consumo de energia elétrica. Resposta: D▼ Questão 60 A lavoura arrozeira na planície costeira da região sul do Brasil comumente sofre perdas elevadas devido à salinização da água de irrigação, que ocasiona prejuízos diretos, como a redução de produção da lavoura. Solos com processo de salinização avançado não são indicados, por exemplo, para o cultivo de arroz. As plantas retiram a água do solo quando as forças de embebição dos tecidos das raízes são superiores às forças com que a água é retida no solo. WINKEL. H. L.; TSCHIEDEL, M. Cultura do arroz: salinização de solos em cultivos de arroz. Disponível em: http://agropage.tripod.com/saliniza.hml. Acesso em: 25 jun. 2010 (adaptado).ENEM/2010 — 1o Dia 31 ANGLO VESTIBULARES
  • 31. A presença de sais na solução do solo faz com que seja dificultada a absorção de água pelas plantas, o que provoca o fenômeno conhecido por seca fisiológica, caracterizado pelo(a) A) aumento da salinidade, em que a água do solo atinge uma concentração de sais maior que a das células das raízes das plantas, impedindo, assim, que a água seja absorvida. B) aumento da salinidade, em que o solo atinge um nível muito baixo de água, e as plantas não têm força de sucção para absorver a água. C) diminuição da salinidade, que atinge um nível em que as plantas não têm força de sucção, fazendo com que a água não seja absorvida. D) aumento da salinidade, que atinge um nível em que as plantas têm muita sudação, não tendo força de sucção para superá-la. E) diminuição da salinidade, que atinge um nível em que as plantas ficam túrgidas e não têm força de sudação para superá-la. Resolução O aumento da concentração de sais no solo impede que as células das raízes dos vegetais absorvam água por osmose. Resposta: A▼ Questão 61 No ano de 2000, um vazamento em dutos de óleo na baía de Guanabara (RJ) causou um dos maiores acidentes ambientais do Brasil. Além de afetar a fauna e a flora, o acidente abalou o equilíbrio da cadeia alimentar de toda a baía. O petróleo forma uma película na superfície da água, o que prejudica as trocas gasosas da atmosfera com a água e desfavorece a realização de fotossíntese pelas algas, que estão na base da cadeia alimentar hídrica. Além disso, o derramamento de óleo contribuiu para o envenenamento das árvores e, consequentemente, para a intoxicação da fauna e flora aquáticas, bem como conduziu a morte diversas espécies de animais, entre outras formas de vida, afetando também a atividade pesqueira. LAUBIER, L. Diversidade da Maré Negra. In: Scientific American Brasil. 4(39), ago. 2005 (adaptado). A situação exposta no texto e suas implicações A) indicam a independência da espécie humana com relação ao ambiente marinho. B) alertam para a necessidade do controle da poluição ambiental para a redução do efeito estufa. C) ilustram a interdependência das diversas formas de vida (animal, vegetal e outras) e o seu habitat. D) indicam a alta resistência do meio ambiente à ação do homem, além de evidenciar a sua sustentabilidade mesmo em condições extremas de poluição. E) evidenciam a grande capacidade animal de se adaptar às mudanças ambientais, em contraste com a baixa capacidade das espécies vegetais, que estão na base da cadeia alimentar hídrica. Resolução A situação exposta no texto põe em evidência as profundas relações entre as diversas formas de vida e delas com o ambiente em que vivem. Resposta: C▼ Questão 62 Para explicar a absorção de nutrientes, bem como a função das microvilosidades das membranas das células que revestem as paredes internas do intestino delgado, um estudante realizou o seguinte experimento: Colocou 200mL de água em dois recipientes. No primeiro recipiente, mergulhou, por 5 segundos, um pedaço de papel liso, como na FIGURA 1; no segundo recipiente, fez o mesmo com um pedaço de papel com dobras simulando as microvilosidades, conforme FIGURA 2. Os dados obtidos foram: a quantidade de água absorvida pelo papel liso foi de 8mL, enquanto pelo papel dobrado foi de 12mL. 5c m 5 cm 10 cm 10 cm FIGURA 1 FIGURA 2ENEM/2010 — 1o Dia 32 ANGLO VESTIBULARES
  • 32. Com base nos dados obtidos, infere-se que a função das microvilosidades intestinais com relação à absorção de nutrientes pelas células das paredes internas do intestino é a de A) manter o volume de absorção. B) aumentar a superfície de absorção. C) diminuir a velocidade de absorção. D) aumentar o tempo de absorção. E) manter a seletividade na absorção. Resolução O pedaço de papel dobrado, embora ocupe a mesma área (10 cm × 5 cm) do papel liso, apresenta uma maior superfície de contato com a água, o que permite uma absorção maior. Resposta: B▼ Questão 63 O crescimento da produção de energia elétrica ao longo do tempo tem influenciado decisivamente o progres- so da humanidade, mas também tem criado uma séria preocupação: o prejuízo ao meio ambiente. Nos próxi- mos anos, uma nova tecnologia de geração de energia elétrica deverá ganhar espaço: as células a combustível hidrogênio/oxigênio. e– – + 2e– H2 O2 2e– 2H+ O2 H2 H2O ânodo eletrólito cátodo VILLULLAS, H. M; TICIANELLI, E. A; GONZÁLEZ, E. R. Química Nova Na Escola. Nº 15, maio 2002. - Com base no texto e na figura, a produção de energia elétrica por meio da célula a combustível hidrogênio/ oxigênio diferencia-se dos processos convencionais porque A) transforma energia química em energia elétrica, sem causar danos ao meio ambiente, porque o principal subproduto formado é a água. B) converte a energia química contida nas moléculas dos componentes em energia térmica, sem que ocorra a produção de gases poluentes nocivos ao meio ambiente. C) transforma energia química em energia elétrica, porém emite gases poluentes da mesma forma que a pro- dução de energia a partir dos combustíveis fósseis. D) converte energia elétrica proveniente dos combustíveis fósseis em energia química, retendo os gases po- luentes produzidos no processo sem alterar a qualidade do meio ambiente. E) converte a energia potencial acumulada nas moléculas de água contidas no sistema em energia química, sem que ocorra a produção de gases poluentes nocivos ao meio ambiente. Resolução Nas “pilhas de combustível” baseadas em hidrogênio, há um processo de oxirredução (troca de elétrons) com a reação global: 1 H2 (g) + O2 (g) → H2O( ) l 2 Logo, há transformação de energia química em energia elétrica, com formação de água. Resposta: AENEM/2010 — 1o Dia 33 ANGLO VESTIBULARES
  • 33. ▼ Questão 64 Alguns anfíbios e répteis são adaptados à vida subterrânea. Nessa situação, apresentam algumas características corporais como, por exemplo, ausência de patas, corpo anelado que facilita o deslocamento no subsolo e, em alguns casos, ausência de olhos. Suponha que um biólogo tentasse explicar a origem das adaptações mencionadas no texto utilizando conceitos da teoria evolutiva de Lamarck. Ao adotar esse ponto de vista, ele diria que A) as características citadas no texto foram originadas pela seleção natural. B) a ausência de olhos teria sido causada pela falta de uso dos mesmos, segundo a lei do uso e desuso. C) o corpo anelado é uma característica fortemente adaptativa, mas seria transmitida apenas à primeira geração de descendentes. D) as patas teriam sido perdidas pela falta de uso e, em seguida, essa característica foi incorporada ao patrimô- nio genético e então transmitidas aos descendentes. E) as características citadas no texto foram adquiridas por meio de mutações e depois, ao longo do tempo, foram selecionadas por serem mais adaptadas ao ambiente em que os organismos se encontram. Resolução Sob um ponto de vista lamarckista clássico, a falta de uso da visão pelo animal levaria à ausência de olhos; tal característica acabaria por se perpetuar na descendência (lei do uso e desuso, seguida de herança dos caracteres adquiridos). Resposta: B▼ Questão 65 As misturas efervescentes, em pó ou em comprimidos, são comuns para a administração de vitamina C ou de medicamentos para azia. Essa forma farmacêutica sólida foi desenvolvida para facilitar o transporte, aumentar a estabilidade de substâncias e, quando em solução, acelerar a absorção do fármaco pelo organismo. As matérias-primas que atuam na efervescência são, em geral, o ácido tartárico ou o ácido cítrico que reagem com um sal de caráter básico, como o bicarbonato de sódio (NaHCO3), quando em contato com a água. A partir do contato da mistura efervescente com a água, ocorre uma série de reações químicas simultâneas: liberação de íons, formação de ácido e liberação do gás carbônico — gerando a efervescência. As equações a seguir representam as etapas da reação da mistura efervescente na água, em que foram omiti- dos os estados de agregação dos reagentes, e H3 A representa o ácido cítrico. – I. NaHCO3 → Na+ + HCO3 II. H2CO3 H2O + CO2 – III. HCO3 + H + H2CO3 IV. H3 A 3 H+ + A– A ionização, a dissociação iônica, a formação do ácido e a liberação do gás ocorrem, respectivamente, nas seguintes etapas: A) IV, I, II e III B) I, IV, III e II C) IV, III, I e II D) I, IV, II e III E) IV, I, III e II Resolução Analisando as equações fornecidas temos: IV. H3 A 3 H + + A– Essa equação representa a ionização do ácido cítrico. – I. NaHCO3 → Na + + HCO3 Essa equação representa a dissociação iônica do bicarbonato de sódio.ENEM/2010 — 1o Dia 34 ANGLO VESTIBULARES
  • 34. – III. HCO3 + H + H2CO3 Essa equação representa a formação do ácido carbônico. II. H2CO3 H2O + CO2 Essa equação representa a formação do gás carbônico. Resposta: E▼ Questão 66 Um ambiente capaz de asfixiar todos os animais conhecidos do planeta foi colonizado por pelo menos três espécies diferentes de invertebrados marinhos. Descobertos a mais de 3000 m de profundidade no Mediterrâ- neo, eles são os primeiros membros do reino animal a prosperar mesmo diante da ausência total de oxigênio. Até agora, achava-se que só bactérias pudessem ter esse estilo de vida. Não admira que os bichos pertençam a um grupo pouco conhecido, o dos loricíferos, que mal chegam a 1,0 mm. Apesar do tamanho, possuem cabe- ça, boca, sistema digestivo e uma carapaça. A adaptação dos bichos à vida no sufoco é tão profunda que suas células dispensaram as chamadas mitocôndrias. LOPES, R. J. Italianos descobrem animal que vive em água sem oxigênio. Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br. Acesso em: 10 abr. 2010 (adaptado). Que substâncias poderiam ter a mesma função do O2 na respiração celular realizada pelos loricíferos? A) S e CH4 – B) S e NO3 – C) H2 e NO3 D) CO2 e CH4 E) H2 e CO2 Resolução Na respiração celular aeróbia, o oxigênio é o aceptor final de elétrons na cadeia respiratória. Na respiração anaeróbia, essa função é desempenhada pelo enxofre, pelo nitrato e por outros aceptores. Resposta: B▼ Questão 67 O abastecimento de nossas necessidades energéticas futuras dependerá certamente do desenvolvimento de tecnologias para aproveitar a energia solar com maior eficiência. A energia solar é a maior fonte de energia mundial. Num dia ensolarado, por exemplo, aproximadamente 1 kJ de energia solar atinge cada metro qua- drado da superfície terrestre por segundo. No entanto, o aproveitamento dessa energia é difícil porque ela é diluída (distribuída por uma área muito extensa) e oscila com o horário e as condições climáticas. O uso efetivo da energia solar depende de formas de estocar a energia coletada para uso posterior. BROWN, T. Química e Ciência Central. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2005. Atualmente, uma das formas de se utilizar a energia solar tem sido armazená-la por meio de processos químicos endotérmicos que mais tarde podem ser revertidos para liberar calor. Considerando a reação: CH4(g) + H2O (v) + calor CO (g) + 3 H2(g) e analisando-a como potencial mecanismo para o aproveita- mento posterior da energia solar, conclui-se que se trata de uma estratégia A) insatisfatória, pois a reação apresentada não permite que a energia presente no meio externo seja absor- vida pelo sistema para ser utilizada posteriormente. B) insatisfatória, uma vez que há formação de gases poluentes e com potencial poder explosivo, tornando-a uma reação perigosa e de difícil controle. C) insatisfatória, uma vez que há formação de gás CO que não possui conteúdo energético passível de ser aproveitado posteriormente e é considerado um gás poluente. D) satisfatória, uma vez que a reação direta ocorre com absorção de calor e promove a formação das subs- tâncias combustíveis que poderão ser utilizadas posteriormente para obtenção de energia e realização de trabalho útil. E) satisfatória, uma vez que a reação direta ocorre com liberação de calor havendo ainda a formação das substâncias combustíveis que poderão ser utilizadas posteriormente para obtenção de energia e realização de trabalho útil.ENEM/2010 — 1o Dia 35 ANGLO VESTIBULARES
  • 35. Resolução Conforme a afirmação: “Uma das formas de se utilizar a energia solar tem sido armazená-la por meio de processos químicos endotér- micos que mais tarde podem ser revertidos para liberar calor.” A reação: CH4(g) + H2O (v) + calor CO (g) + 3 H2(g) é endotérmica e produz substâncias combustíveis que em contato com um comburente (O2) podem fornecer energia. Resposta: D▼ Questão 68 A energia elétrica consumida nas residências é medida, em quilowatt-hora, por meio de um relógio medidor de consumo. Nesse relógio, da direita para esquerda, tem-se o ponteiro da unidade, da dezena, da centena e do milhar. Se um ponteiro estiver entre dois números, considera-se o último número ultrapassado pelo ponteiro. Suponha que as medidas indicadas nos esquemas seguintes tenham sido feitas em uma cidade em que o preço do quilowatt-hora fosse de R$ 0,20. leitura atual 0 9 0 1 0 9 0 1 1 9 1 9 2 8 2 8 2 3 7 3 7 3 4 6 6 4 4 6 6 4 5 5 5 5 leitura do mês passado 0 9 0 1 0 9 0 1 1 9 1 9 2 8 2 8 2 3 7 3 7 3 4 6 6 4 4 6 6 4 5 5 5 5 FILHO, A. G.; BAROLLI, E. Instalação Elétrica. São Paulo: Scipione, 1997. O valor a ser pago pelo consumo de energia elétrica registrado seria de A) R$ 41,80. B) R$ 42,00. C) R$ 43,00. D) R$ 43,80. E) R$ 44,00. Resolução O relógio medidor indicou um consumo de 2563 kwh no mês anterior e de 2783 kwh na última leitura. A diferença entre essas duas medidas determina um consumo de 220 kwh no período de um mês. Assim, como o valor do kwh na cidade é de R$ 0,20, pode-se calcular o valor, (P) a ser pago. 1kwh ⎯⎯ R$ 0,20 220 kwh ⎯⎯ P P = R$ 44,00 Resposta: EENEM/2010 — 1o Dia 36 ANGLO VESTIBULARES
  • 36. ▼ Questão 69 No que tange à tecnologia de combustíveis alternativos, muitos especialistas em energia acreditam que os alcoóis vão crescer em importância em um futuro próximo. Realmente, alcoóis como metanol e etanol têm encontrado alguns nichos para uso doméstico como combustíveis há muitas décadas e, recentemente, vêm obtendo uma aceitação cada vez maior como aditivos, ou mesmo como substitutos para gasolina em veículos. Algumas das propriedades físicas desses combustíveis são mostradas no quadro seguinte. Densidade Calor de combustão Álcool a 25°C (g/mL) (kJ/mol) Metanol 0,79 –726,0 (CH3OH) Etanol 0,79 –1367,0 (CH3CH2OH) BAIRD, C. Química Ambiental. São Paulo: Artmed, 1995 (adaptado). Dados: Massas molares em g/mol: H = 1,0; C = 12,0; O = 16,0. Considere que, em pequenos volumes, o custo de produção de ambos os alcoóis seja o mesmo. Dessa forma, do ponto de vista econômico, é mais vantajoso utilizar A) metanol, pois sua combustão completa fornece aproximadamente 22,7 kJ de energia por litro de combus- tível queimado. B) etanol, pois sua combustão completa fornece aproximadamente 29,7 kJ de energia por litro de combustível queimado. C) metanol, pois sua combustão completa fornece aproximadamente 17,9 MJ de energia por litro de combus- tível queimado. D) etanol, pois sua combustão completa fornece aproximadamente 23,5 MJ de energia por litro de combustí- vel queimado. E) etanol, pois sua combustão completa fornece aproximadamente 33,7 MJ de energia por litro de combustí- vel queimado. Resolução Energia liberada por litro de metanol queimado: 123 0,79g 1mL x = 790g x 1000mL – 1L 123 libera 1 mol metanol 32g 726kJ y = 790 ⋅ 726 790g y 32 y = 17923kJ = 17,9MJ Energia liberada por litro de etanol queimado: 123 0,79g 1mL z = 790g z 1000mL 123 libera 1 mol etanol 46g 1367kJ w = 1367 ⋅ 790 790g w 46 w = 23476 kJ = 23,5 MJ Considerando que o volume dos dois combustíveis é o mesmo, é mais vantajoso utilizar o etanol, pois a sua combustão completa libera maior quantidade de energia. Resposta: DENEM/2010 — 1o Dia 37 ANGLO VESTIBULARES
  • 37. ▼ Questão 70 Observe a tabela seguinte. Ela traz especificações técnicas constantes no manual de instruções fornecido pelo fabricante de uma torneira elétrica. Especificações Técnicas Modelo Torneira Tensão Nominal (Volts∼) 127 220 (Frio) Desli gado Potência Nominal (Watts) (Morno) 2 800 3 200 2 800 3 200 (Quente) 4 500 5 500 4 500 5 500 Corrente Nominal (Ampères) 35,4 43,3 20,4 25,0 Fiação Mínima (Até 30 m) 6 mm2 10 mm2 4 mm2 4 mm2 Fiação Mínima (Acima 30 m) 10 mm2 16 mm2 6 mm2 6 mm2 Disjuntor (Ampères) 40 50 25 30 Disponível em: http://www.cardal.com.br/manualprod/Manuais/Torneira%20Suprema/-Manual_Torneira_Suprema_roo.pdf Considerando que o modelo de maior potência da versão 220 V da torneira suprema foi inadvertidamente conectada a uma rede com tensão nominal de 127 V, e que o aparelho está configurado para trabalhar em sua máxima potência. Qual o valor aproximado da potência ao ligar a torneira? A) 1.830 W B) 2.800 W C) 3.200 W D) 4.030 W E) 5.500 W Resolução Na versão 220 V, a torneira apresenta a potência máxima de 5500 W, e sua resistência elétrica pode ser obtida pela expressão: 2 P=U R (220)2 P= R 2 5500 = (220) ∴ R = 8,8Ω R Ao ligar essa torneira em tensão nominal de 127 V, a potência máxima nessa nova configuração será: U’2 (127)2 P’ = = R 8,8 P’ ≈ 1830W Resposta: A▼ Questão 71 O uso prolongado de lentes de contato, sobretudo durante a noite, aliado a condições precárias de higiene representam fatores de risco para o aparecimento de uma infecção denominada ceratite microbiana, que causa ulceração inflamatória da córnea. Para interromper o processo da doença, é necessário tratamento an- tibiótico. De modo geral, os fatores de risco provocam a diminuição da oxigenação corneana e determinam mudanças no seu metabolismo, de um estado aeróbico para anaeróbico. Como decorrência, observa-se a diminuição no número e na velocidade de mitoses do epitélio, o que predispõe ao aparecimento de defeitos epiteliais e à invasão bacteriana. CRESTA, F. Lente de contato e infecção ocular. Revista Sinopse de Oftalmologia. São Paulo: Moreira Jr., v. 04, n. 04, 2002 (adaptado).ENEM/2010 — 1o Dia 38 ANGLO VESTIBULARES
  • 38. A instalação das bactérias e o avanço do processo infeccioso na córnea estão relacionados a algumas caracte- rísticas gerais desses microrganismos, tais como: A) A grande capacidade de adaptação, considerando as constantes mudanças no ambiente em que se repro- duzem e o processo aeróbico como a melhor opção desses microrganismos para a obtenção de energia. B) A grande capacidade de sofrer mutações, aumentando a probabilidade do aparecimento de formas resis- tentes e o processo anaeróbico da fermentação como a principal via de obtenção de energia. C) A diversidade morfológica entre as bactérias, aumentando a variedade de tipos de agentes infecciosos e a nutrição heterotrófica, como forma de esses microrganismos obterem matéria-prima e energia. D) O alto poder de reprodução, aumentando a variabilidade genética dos milhares de indivíduos e a nutrição heterotrófica, como única forma de obtenção de matéria-prima e energia desses microrganismos. E) O alto poder de reprodução, originando milhares de descendentes geneticamente idênticos entre si e a diversidade metabólica, considerando processos aeróbicos e anaeróbicos para a obtenção de energia. Resolução A capacidade de reprodução acentuada e a plasticidade metabólica (aerobiose e anaerobiose) das bactérias são características gerais desses organismos. Resposta: E▼ Questão 72 Todos os organismos necessitam de água e grande parte deles vive em rios, lagos e oceanos. Os processos biológicos, como respiração e fotossíntese, exercem profunda influência na química das águas naturais em todo o planeta. O oxigênio é ator dominante na química e na bioquímica da hidrosfera. Devido a sua baixa solubilidade em água (9,0 mg/L a 20ºC) a disponibilidade de oxigênio nos ecossistemas aquáticos estabelece o limite entre a vida aeróbica e anaeróbica. Nesse contexto, um parâmetro chamado Demanda Bioquímica de Oxigênio (DBO) foi definido para medir a quantidade de matéria orgânica presente em um sistema hídrico. A DBO corresponde à massa de O2 em miligramas necessária para realizar a oxidação total do carbono orgânico em um litro de água. BAIRD, C. Química Ambiental. Ed. Bookmam, 2005 (adaptado). Dados: Massas molares em g/mol: C = 12; H = 1; O = 16. Suponha que 10 mg de açúcar (fórmula mínima CH2O e massa molar igual a 30 g/mol) são dissolvidos em um litro de água; em quanto a DBO será aumentada? A) 0,4 mg de O2 /litro B) 1,7 mg de O2 /litro C) 2,7 mg de O2 /litro D) 9,4 mg de O2 /litro E) 10,7 mg de O2 /litro Resolução A equação que representa a oxidação do açúcar é: CH2O + O2 → CO2 + H2O 1 mol 1 mol 30 g 32 g 10 mg/L x x = 10,7 mg/L de O2 Resposta: E▼ Questão 73 A composição média de uma bateria automotiva esgotada é de aproximadamente 32% Pb, 3% PbO, 17% PbO2 e 36% PbSO4. A média de massa da pasta residual de uma bateria usada é de 6 kg, onde 19% é PbO2, 60% PbSO4 e 21% Pb. Entre todos os compostos de chumbo presentes na pasta, o que mais preocupa é o sulfato de chumbo (II), pois nos processos pirometalúrgicos, em que os compostos de chumbo (placas das baterias) são fundidos, há a conversão de sulfato em dióxido de enxofre, gás muito poluente.ENEM/2010 — 1o Dia 39 ANGLO VESTIBULARES
  • 39. Para reduzir o problema das emissões de SO2(g) , a indústria pode utilizar uma planta mista, ou seja, utilizar o processo hidrometalúrgico, para a dessulfuração antes da fusão do composto de chumbo. Nesse caso, a redu- ção de sulfato presente no PbSO4 é feita via lixiviação com solução de carbonato de sódio (Na2CO3 ) 1M a 45ºC, em que se obtém o carbonato de chumbo (II) com rendimento de 91%. Após esse processo, o material segue para a fundição para obter o chumbo metálico. PbSO4 + Na2CO3 PbCO3 + Na2SO4 Dados: Massas Molares em g/mol Pb = 207; S = 32; Na = 23; O = 16; C = 12. Segundo as condições do processo apresentado para a obtenção de carbonato de chumbo (II) por meio da lixiviação por carbonato de sódio e considerando uma massa de pasta residual de uma bateria de 6 kg, qual quantidade aproximada, em quilogramas, de PbCO3 é obtida? A) 1,7 kg B) 1,9 kg C) 2,9 kg D) 3,3 kg E) 3,6 kg Resolução Massa de PbSO4 6 kg pasta 100% na pasta residual: x 60% x = 3,6 kg PbSO4 a reação que descreve a obtenção do PbCO3 é: PbSO4 + Na2CO3 → PbCO3 + Na2SO4 (1 mol) (1 mol) 303 g 267 g 3,6 kg y 3,6 kg ⋅ 267 g y= = 3,2 kg PbCO3 303 g Como o rendimento da reação é de aproximadamente 91%, temos a seguinte massa final de PbCO3 : 100% 3,2 kg PbCO3 91% z z = 2,9 kg PbCO3 Resposta: C▼ Questão 74 A eletrólise é muito empregada na indústria com o objetivo de reaproveitar parte dos metais sucateados. O cobre, por exemplo, é um dos metais com maior rendimento no processo de eletrólise, com uma recuperação de aproximadamente 99,9%. Por ser um metal de alto valor comercial e de múltiplas aplicações, sua recuperação torna-se viável economicamente. Suponha que, em um processo de recuperação de cobre puro, tenha-se eletrolisado uma solução de sulfato de cobre (II) (CuSO4 ) durante 3h, empregando-se uma corrente elétrica de intensidade igual a 10A. A massa de cobre puro recuperada é de aproximadamente Dados: Constante de Faraday F = 96500 C/mol; Massa molar em g/mol: Cu = 63,5. A) 0,02 g. B) 0,04 g. C) 2,40 g. D) 35,5 g. E) 71,0 g.ENEM/2010 — 1o Dia 40 ANGLO VESTIBULARES
  • 40. Resolução tempo = 3horas = (3 ⋅ 60 ⋅ 60) segundos = 10.800 s Q i= ⇒ Q = i ⋅ t ⇒ Q = 10 A ⋅ 10.800 s t Q = 108.000 C CuSO4(aq) ⎯→ Cu2+ (aq) + SO 2– (aq) 4 Durante a eletrólise: Cu 2+ + 2e – ⎯→ Cu (aq) 2 mol ⎯⎯⎯ 1mol 2 ⋅ 96500 C ⎯⎯⎯ 63,5 g 108.000 C ⎯⎯⎯ m m = 35,5 g Resposta: D▼ Questão 75 Dois pesquisadores percorreram os trajetos marcados no mapa. A tarefa deles foi analisar os ecossistemas e, encontrando problemas, relatar e propor medidas de recuperação. A seguir, são reproduzidos trechos aleató- rios extraídos dos relatórios desses dois pesquisadores. Trechos aleatórios extraídos do relatório do pesquisador P1: I. “Por causa da diminuição drástica das espécies vegetais deste ecossistema, como os pinheiros, a gralha-azul também está em processo de extinção”. II. “As árvores de troncos tortuosos e cascas grossas que predominam nesse ecossistema estão sendo utilizadas em carvoarias”. Trechos aleatórios extraídos do relatório do pesquisador P2: III. “Das palmeiras que predominam nesta região podem ser extraídas substâncias importantes para a econo- mia regional”. IV. “Apesar da aridez desta região, em que encontramos muitas plantas espinhosas, não se pode desprezar a sua biodiversidade”. Ecossistemas brasileiros: mapa da distribuição dos ecossistemas. Disponível em: http://educacao.uol.com.br/ciencias/ult1686u52.jhtm. Acesso em: 20 abr. 2010 (adaptado).ENEM/2010 — 1o Dia 41 ANGLO VESTIBULARES
  • 41. Os trechos I, II, III e IV referem-se, pela ordem, aos seguintes ecossistemas: A) Caatinga, Cerrado, Zona dos cocais e Floresta Amazônica. B) Mata de Araucárias, Cerrado, Zona dos cocais e Caatinga. C) Manguezais, Zona dos cocais, Cerrado e Mata Atlântica. D) Floresta Amazônica, Cerrado, Mata Atlântica e Pampas. E) Mata Atlântica, Cerrado, Zona dos cocais e Pantanal. Resolução Os biomas descritos nos trechos I, II, III e IV do texto correspondem, respectivamente, à Mata de Araucárias, no Cerrado, à Zona dos Cocais e à Caatinga. Resposta: B▼ Questão 76 Investigadores das Universidades de Oxford e da Califórnia desenvolveram uma variedade de Aedes aegypti geneticamente modificada que é candidata para uso na busca de redução na transmissão do vírus da dengue. Nessa nova variedade de mosquito, as fêmeas não conseguem voar devido à interrupção do desenvolvimento do músculo das asas. A modificação genética introduzida é um gene dominante condicional, isso é, o gene tem expressão dominante (basta apenas uma cópia do alelo) e este só atua nas fêmeas. FU, G. et al. Female-specific flightless phenotype for mosquito control. PNAS 107 (10): 4550-4554, 2010. Prevê-se, porém, que a utilização dessa variedade de Aedes aegypti demore ainda anos para ser implementa- da, pois há demanda de muitos estudos com relação ao impacto ambiental. A liberação de machos de Aedes aegypti dessa variedade geneticamente modificada reduziria o número de casos de dengue em uma determi- nada região porque A) diminuiria o sucesso reprodutivo desses machos transgênicos. B) restringiria a área geográfica de voo dessa espécie de mosquito. C) dificultaria a contaminação e reprodução do vetor natural da doença. D) tornaria o mosquito menos resistente ao agente etiológico da doença. E) dificultaria a obtenção de alimentos pelos machos geneticamente modificados. Resolução Fêmeas incapazes de voar, que deverão nascer em maior número nas gerações seguintes, também estão im- possibilitadas de se contaminar sugando o sangue de doentes, além de terem maior dificuldade em se repro- duzir. Resposta: C▼ Questão 77 No ano de 2004, diversas mortes de animais por envenenamento no zoológico de São Paulo foram evidencia- das. Estudos técnicos apontam suspeita de intoxicação por monofluoracetato de sódio, conhecido como com- posto 1080 e ilegalmente comercializado como raticida. O monofluoracetato de sódio é um derivado do ácido monofluoracético e age no organismo dos mamíferos bloqueando o ciclo de Krebs, que pode levar à parada da respiração celular oxidativa e ao acúmulo de amônia na circulação. O F O–Na+ monofluoracetato de sódio Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br. Acesso em: 05 ago. 2010 (adaptado). O monofluoracetato de sódio pode ser obtido pela A) desidratação do ácido monofluoracético, com liberação de água. B) hidrólise do ácido monofluoracético, sem formação de água. C) perda de íons hidroxila do ácido monofluoracético, com liberação de hidróxido de sódio.ENEM/2010 — 1o Dia 42 ANGLO VESTIBULARES
  • 42. D) neutralização do ácido monofluoracético usando hidróxido de sódio, com liberação de água. E) substituição dos íons hidrogênio por sódio na estrutura do ácido monofluoracético, sem formação de água. Resolução O monofluoracetato de sódio (um sal de ácido carboxílico) pode ser obtido pela reação de neutralização entre o ácido monofluoracético e o hidróxido de sódio, com liberação de água: F F O O CH2 — C + NaOH CH2 — C + H2O OH O–Na+ ácido hidróxido monofluoracetato monofluoracético de sódio de sódio Resposta: D▼ Questão 78 Duas irmãs que dividem o mesmo quarto de estudos combinaram de comprar duas caixas com tampas para guardarem seus pertences dentro de suas caixas, evitando, assim, a bagunça sobre a mesa de estudos. Uma delas comprou uma metálica, e a outra, uma caixa de madeira de área e espessura lateral diferentes, para fa- cilitar a identificação. Um dia as meninas foram estudar para a prova de Física e, ao se acomodarem na mesa de estudos, guardaram seus celulares ligados dentro de suas caixas. Ao longo desse dia, uma delas recebeu ligações telefônicas, enquanto os amigos da outra tentavam ligar e recebiam a mensagem de que o celular estava fora da área de cobertura ou desligado. Para explicar essa situação, um físico deveria afirmar que o material da caixa, cujo telefone celular não recebeu as ligações é de A) madeira, e o telefone não funcionava porque a madeira não é um bom condutor de eletricidade. B) metal, e o telefone não funcionava devido à blindagem eletrostática que o metal proporcionava. C) metal, e o telefone não funcionava porque o metal refletia todo tipo de radiação que nele incidia. D) metal, e o telefone não funcionava porque a área lateral da caixa de metal era maior. E) madeira, e o telefone não funcionava porque a espessura desta caixa era maior que a espessura da caixa de metal. Resolução A recepção dos telefones celulares está associada à chegada de ondas eletromagnéticas. Aparelhos no interior de caixas metálicas estão impedidos, por blindagem eletrostática, de receber tais ondas. Resposta: B▼ Questão 79 As mobilizações para promover um planeta melhor para as futuras gerações são cada vez mais frequentes. A maior parte dos meios de transporte de massa é atualmente movida pela queima de um combustível fóssil. A título de exemplificação do ônus causado por essa prática, basta saber que um carro produz, em média, cerca de 200g de dióxido de carbono por km percorrido. Revista Aquecimento Global. Ano 2, no 8. Publicação do Instituto Brasileiro de Cultura Ltda. Um dos principais constituintes da gasolina é o octano (C8H18 ). Por meio da combustão do octano é possível a liberação de energia, permitindo que o carro entre em movimento. A equação que representa a reação quí- mica desse processo demonstra que A) no processo há liberação de oxigênio, sob a forma de O2. B) o coeficiente estequiométrico para a água é de 8 para 1 do octano. C) no processo há consumo de água, para que haja liberação de energia. D) o coeficiente estequiométrico para o oxigênio é de 12,5 para 1 do octano. E) o coeficiente estequiométrico para o gás carbônico é de 9 para 1 do octano.ENEM/2010 — 1o Dia 43 ANGLO VESTIBULARES
  • 43. Resolução A equação que representa a combustão completa do octano é: 25 1 C8H18 + O2 → 8 CO2 + 9 H2O 2 25 A equação mostra que, para cada mol de octano, há consumo de mol = 12,5 mol de O2. 2 Resposta: D▼ Questão 80 Os pesticidas modernos são divididos em várias classes, entre as quais se destacam os organofosforados, mate- riais que apresentam efeito tóxico agudo para os seres humanos. Esses pesticidas contêm um átomo central de fósforo ao qual estão ligados outros átomos ou grupo de átomos como oxigênio, enxofre, grupos metoxi ou etoxi, ou um radical orgânico de cadeia longa. Os organofosforados são divididos em três subclasses: Tipo A, na qual o enxofre não se incorpora na molécula; Tipo B, na qual o oxigênio, que faz dupla-ligação com fósfo- ro, é substituído pelo enxofre; e Tipo C, no qual dois oxigênios são substituídos por enxofre. BAIRD, C. Química Ambiental. Bookmam, 2005. Um exemplo de pesticida organofosforado Tipo B, que apresenta grupo etoxi em sua fórmula estrutural, está representado em: O S H2N A) R O P O CH3 D) P O CH3 CH3O O CH3 O COCH(CH3)2 S S B) R O P O CH3 E) O2N O P OCH2CH3 O CH3 OCH2CH3 S C) R S P O CH3 O CH3 Resolução Átomo central fósforo = P metoxi = — O — CH3 321 321 grupos etoxi = — O — CH2 — CH3 – apresenta grupo etoxi Tipo B – o oxigênio que faz dupla com o fósforo é substituído pelo enxofre A única alternativa com grupo etoxi é a E. S O2N O P O — CH2 — CH3 O — CH2 — CH3 grupos etoxi Resposta: EENEM/2010 — 1o Dia 44 ANGLO VESTIBULARES
  • 44. ▼ Questão 81 Durante uma obra em um clube, um grupo de trabalhadores teve de remover uma escultura de ferro maciço colocada no fundo de uma piscina vazia. Cinco trabalhadores amarraram cordas à escultura e tentaram puxá-la para cima, sem sucesso. Se a piscina for preenchida com água, ficará mais fácil para os trabalhadores removerem a escultura, pois a A) escultura flutuará. Dessa forma, os homens não precisarão fazer força para remover a escultura do fundo. B) escultura ficará com peso menor. Dessa forma, a intensidade da força necessária para elevar a escultura será menor. C) água exercerá uma força na escultura proporcional a sua massa, e para cima. Esta força se somará à força que os trabalhadores fazem para anular a ação da força peso da escultura. D) água exercerá uma força na escultura para baixo, e esta passará a receber uma força ascendente do piso da piscina. Esta força ajudará a anular a ação da força peso na escultura. E) água exercerá uma força na escultura proporcional ao seu volume, e para cima. Esta força se somará à força que os trabalhadores fazem, podendo resultar em uma força ascendente maior que o peso da escultura. Resolução Um corpo imerso em um líquido recebe deste uma força vertical para cima chamada de empuxo. Pode-se demonstrar que o empuxo tem intensidade igual ao peso do líquido deslocado pelo corpo, que é proporcional ao volume de líquido deslocado. Como a estátua é feita de ferro, seu peso é maior que o da água deslocada, e isso faz com que ela não flutue. É possível, porém, que as duas forças somadas, o empuxo e a força aplicada pelos trabalhadores, tenham intensidade maior que o peso da estátua. Resposta: E▼ Questão 82 As baterias de Ni-Cd muito utilizadas no nosso cotidiano não devem ser descartadas em lixos comuns uma vez que uma considerável quantidade de cádmio é volatilizada e emitida para o meio ambiente quando as baterias gastas são incineradas como componente do lixo. Com o objetivo de evitar a emissão de cádmio para a atmos- fera durante a combustão é indicado que seja feita a reciclagem dos materiais dessas baterias. Uma maneira de separar o cádmio dos demais compostos presentes na bateria é realizar o processo de lixivia- ção ácida. Nela, tanto os metais (Cd, Ni e eventualmente Co) como os hidróxidos de íons metálicos Cd(OH) 2(s) , Ni(OH) 2(s) , Co(OH) 2(s) presentes na bateria, reagem com uma mistura ácida e são solubilizados. Em função da baixa seletividade (todos os íons metálicos são solubilizados), após a digestão ácida, é realizada uma etapa de extração dos metais com solventes orgânicos de acordo com a reação: M2+ (aq) + 2 HR (org) MR2(org) + 2 H + (aq) Onde: M2+ = Cd2+ , Ni2+ ou Co2+ HR = C16H34 –PO2H: identificado no gráfico por X HR = C12H12 –PO2H: identificado no gráfico por Y O gráfico mostra resultado da extração utilizando os solventes orgânicos X e Y em diferentes pH. 100 90 Cd 80 Co 70 Ni Extração (%) 60 X 50 Y 40 30 20 10 0 0 1 2 3 4 5 6 7 pH de equilíbrio Figura 1: Extração de níquel, cádimo e cobalto em função do pH da solução utilizando solventes orgânicos X e Y. Disponível em: http://www.scielo.br. Acesso em 28 abr. 2010.ENEM/2010 — 1o Dia 45 ANGLO VESTIBULARES
  • 45. A reação descrita no texto mostra o processo de extração dos metais por meio da reação com moléculas orgâ- nicas, X e Y. Considerando-se as estruturas de X e Y e o processo de separação descrito, pode-se afirmar que A) as moléculas X e Y atuam como extratores catiônicos uma vez que a parte polar da molécula troca o íon H + pelo cátion do metal. B) as moléculas X e Y atuam como extratores aniônicos uma vez que a parte polar da molécula troca o íon H + pelo cátion do metal. C) as moléculas X e Y atuam como extratores catiônicos uma vez que a parte apolar da molécula troca o íon 2– PO 2 pelo cátion do metal. D) as moléculas X e Y atuam como extratores aniônicos uma vez que a parte polar da molécula troca o íon 2– PO 2 pelo cátion do metal. E) as moléculas X e Y fazem ligações com os íons metálicos resultando em compostos com caráter apolar o que justifica a eficácia da extração. Resolução As moléculas X e Y atuam como extratores catiônicos, uma vez que são os cátions metálicos as espécies remo- vidas da solução aquosa. M2+(aq) + 2 R — PO2H (org) M + (R — PO2)2(org) + 2 H + (aq) 123 parte polar Resposta: A▼ Questão 83 Ao colocar um pouco de açúcar na água e mexer até a obtenção de uma só fase, prepara-se uma solução. O mesmo acontece ao se adicionar um pouquinho de sal à água e misturar bem. Uma substância capaz de dissol- ver o soluto é denominada solvente; por exemplo, a água é um solvente para o açúcar, para o sal e para várias outras substâncias. A figura a seguir ilustra essa citação. Disponível em: www.sobiologia.com.br. Acesso em: 27 abr. 2010. Suponha que uma pessoa, para adoçar seu cafezinho, tenha utilizado 3,42 g de sacarose (massa molar igual a 342 g/mol) para uma xícara de 50 mL do líquido. Qual é a concentração final, em mol/L, de sacarose nesse cafezinho? A) 0,02 D) 200 B) 0,2 E) 2000 C) 2 Resolução Massa soluto = 3,42 g Massa molar do soluto = 342 g ⋅ mol –1 Volume da solução = 50 mL = 50 ⋅ 10 –3 L = 5 ⋅ 10 –2 L 3,42 g n= = 0,01 mol = 10 –2 mol 342 g ⋅ mol–1 10–2 mol Concentração em mol/L = = 0,2 mol/L 5 ⋅ 10–2 L Resposta: BENEM/2010 — 1o Dia 46 ANGLO VESTIBULARES
  • 46. ▼ Questão 84 Um grupo de cientistas liderado por pesquisadores do Instituto de Tecnologia da Califórnia (Caltech), nos Esta- dos Unidos, construiu o primeiro metamaterial que apresentava valor negativo do índice de refração relativo para a luz visível. Denomina-se metamaterial um material óptico artificial, tridimensional, formado por peque- nas estruturas menores do que o comprimento de onda da luz, o que lhe dá propriedades e comportamentos que não são encontrados em materiais naturais. Esse material tem sido chamado de “canhoto”. Disponível em: http://www.inovacaotecnologica.com.br. Acesso em: 28 abr. 2010 (adaptado). Considerando o comportamento atípico desse metamaterial, qual é a figura que representa a refração da luz ao passar do ar para esse meio? A) metamaterial D) metamaterial luz incidente luz incidente B) metamaterial E) metamaterial luz incidente luz incidente C) metamaterial luz incidente Resolução De acordo com o enunciado, o metamaterial apresenta propriedades e comportamentos que não são en- contrados em materiais naturais. Assim sendo, a única alternativa que pode representar a refração da luz ao passar para o metamaterial é a D. Resposta: D▼ Questão 85 Decisão de asfaltamento da rodovia MG-010, acompanhada da introdução de espécies exóticas, e a prática de incêndios criminosos, ameaçam o sofisticado ecossistema do campo rupestre da reserva da Serra do Espi- nhaço. As plantas nativas desta região, altamente adaptadas a uma alta concentração de alumínio, que inibe o crescimento das raízes e dificultam a absorção de nutrientes e água, estão sendo substituídas por espécies invasoras que não teriam naturalmente adaptação para este ambiente, no entanto elas estão dominando as margens da rodovia, equivocadamente chamada de “estrada ecológica”. Possivelmente a entrada de espécies de plantas exóticas neste ambiente foi provocada pelo uso, neste empreendimento, de um tipo de asfalto (cimento-solo), que possui uma mistura rica em cálcio, que causou modificações químicas aos solos adjacentes à rodovia MG-010. Scientific American. Brasil. Ano 7, no 79, 2008 (adaptado). Essa afirmação baseia-se no uso de cimento-solo, mistura rica em cálcio que A) inibe a toxicidade do alumínio, elevando o pH dessas áreas. B) inibe a toxicidade do alumínio, reduzindo o pH dessas áreas. C) aumenta a toxicidade do alumínio, elevando o pH dessas áreas. D) aumenta a toxicidade do alumínio, reduzindo o pH dessas áreas. E) neutraliza a toxicidade do alumínio, reduzindo o pH dessas áreas.ENEM/2010 — 1o Dia 47 ANGLO VESTIBULARES
  • 47. Resolução O cimento-solo possui uma mistura rica em cálcio, o que tende a elevar o pH do solo. Essa elevação de pH faz com que parte do alumínio presente no solo (A 3 +) seja precipitado de acordo com a l equação: A 3 + + 3 OH – l A ( OH)3 (s) l A redução da quantidade desse íon alumínio livre é o que faz diminuir sua toxicidade. Resposta: A▼ Questão 86 Três dos quatro tipos de testes atualmente empregados para a detecção de príons patogênicos em tecidos cerebrais de gado morto são mostrados nas figuras a seguir. Uma vez identificado um animal morto infectado, funcionários das agências de saúde pública e fazendeiros podem removê-lo do suprimento alimentar ou ras- trear os alimentos infectados que o animal possa ter consumido. TESTE I Seringa Amostra de tecido A Cérebro bovino Camundongo (ou outro animal de teste) B TESTE II Anticorpo que reconhece o príon patogênico [PrPSC] A Amostra B Lâmina Microscópio TESTE III Marcador específico Protease para o príon patogênico Gel [PrPSC] A B Legenda: PrPSC – proteínas do Príon Scientific American. Brasil, ago. 2004 (adaptado). Analisando os testes I, II e III, para a detecção de príons patogênicos, identifique as condições em que os resultados foram positivos para a presença de príons nos três testes: A) Animal A, lâmina B e gel A. B) Animal A, lâmina A e gel B. C) Animal B, lâmina A e gel B. D) Animal B, lâmina B e gel A. E) Animal A, lâmina B e gel B.ENEM/2010 — 1o Dia 48 ANGLO VESTIBULARES
  • 48. Resolução No teste I, a morte do animal B revela a presença de príons patogênicos. No teste II, a lâmina A mostra um resultado positivo para anticorpos contra o príon patogênico. No caso do teste III, o gel B revela que não ocorreu digestão por proteases, às quais o príon patogênico é resistente. Resposta: C▼ Questão 87 De 15% a 20% da área de um canavial precisa ser renovada anualmente. Entre o período de corte e o de plantação de novas canas, os produtores estão optando por plantar leguminosas, pois elas fixam nitrogênio no solo, um adubo natural para a cana. Essa opção de rotação é agronomicamente favorável, de forma que municípios canavieiros são hoje grandes produtores de soja, amendoim e feijão. As encruzilhadas da fome. Planeta. São Paulo, ano 36, no 430, jul. 2008 (adaptado). A rotação de culturas citada no texto pode beneficiar economicamente os produtores de cana porque A) a decomposição da cobertura morta dessas culturas resulta em economia na aquisição de adubos industria- lizados. B) o plantio de cana-de-açúcar propicia um solo mais adequado para o cultivo posterior da soja, do amendoim e do feijão. C) as leguminosas absorvem do solo elementos químicos diferentes dos absorvidos pela cana, restabelecendo o equilíbrio do solo. D) a queima dos restos vegetais do cultivo da cana-de-açúcar transforma-se em cinzas, sendo reincorporadas ao solo, o que gera economia na aquisição de adubo. E) a soja, o amendoim e o feijão, além de possibilitarem a incorporação ao solo de determinadas moléculas disponíveis na atmosfera, são grãos comercializados no mercado produtivo. Resolução O cultivo das leguminosas (soja, amendoim e feijão), além de sua importância econômica, enriquece o solo em elementos nitrogenados, favorecendo o cultivo da cana, posteriormente. Resposta: E▼ Questão 88 Diversos comportamentos e funções fisiológicas do nosso corpo são periódicos, sendo assim, são classificados como ritmo biológico. Quando o ritmo biológico responde a um período aproximado de 24 horas, ele é de- nominado ritmo circadiano. Esse ritmo diário é mantido pelas pistas ambientais de claro-escuro e determina comportamentos como o ciclo do sono-vigília e o da alimentação. Uma pessoa, em condições normais, acorda às 8 h e vai dormir às 21 h, mantendo seu ciclo de sono dentro do ritmo dia e noite. Imagine que essa mesma pessoa tenha sido mantida numa sala totalmente escura por mais de quinze dias. Ao sair de lá, ela dormia às 18 h e acordava às 3 h da manhã. Além disso, dormia mais vezes durante o dia, por curtos períodos de tempo, e havia perdido a noção da contagem dos dias, pois, quando saiu, achou que havia passado muito mais tempo no escuro. BRANDÃO, M. L. Psicofisiologia. São Paulo: Atheneu, 2000 (adaptado). Em função das características observadas, conclui-se que a pessoa A) apresentou aumento do seu período de sono contínuo e passou a dormir durante o dia, pois seu ritmo bio- lógico foi alterado apenas no período noturno. B) apresentou pouca alteração do seu ritmo circadiano, sendo que sua noção de tempo foi alterada somente pela sua falta de atenção à passagem do tempo. C) estava com seu ritmo já alterado antes de entrar na sala, o que significa que apenas progrediu para um estado mais avançado de perda do ritmo biológico no escuro. D) teve seu ritmo biológico alterado devido à ausência de luz e de contato com o mundo externo, no qual a noção de tempo de um dia é modulada pela presença ou ausência do sol. E) deveria não ter apresentado nenhuma mudança do seu período de sono porque, na realidade, continua com o seu ritmo normal, independentemente do ambiente em que seja colocada.ENEM/2010 — 1o Dia 49 ANGLO VESTIBULARES
  • 49. Resolução O ritmo circadiano (palavra que significa “cerca de um dia”) é claramente perturbado pela ausência da alter- nância entre períodos de claro e de escuro. Resposta: D▼ Questão 89 Deseja-se instalar uma estação de geração de energia elétrica em um município localizado no interior de um pequeno vale cercado de altas montanhas de difícil acesso. A cidade é cruzada por um rio, que é fonte de água para consumo, irrigação das lavouras de subsistência e pesca. Na região, que possui pequena extensão territorial, a incidência solar é alta o ano todo. A estação em questão irá abastecer apenas o município apre- sentado. Qual forma de obtenção de energia, entre as apresentadas, é a mais indicada para ser implantada nesse mu- nicípio de modo a causar o menor impacto ambiental? A) Termelétrica, pois é possível utilizar a água do rio no sistema de refrigeração. B) Eólica, pois a geografia do local é própria para a captação desse tipo de energia. C) Nuclear, pois o modo de resfriamento de seus sistemas não afetaria a população. D) Fotovoltaica, pois é possível aproveitar a energia solar que chega à superfície do local. E) Hidrelétrica, pois o rio que corta o município é suficiente para abastecer a usina construída. Resolução Nas condições do enunciado, a melhor opção seria o uso das células fotovoltaicas, pois a incidência solar é alta o ano todo. Resposta: D▼ Questão 90 O lixão que recebia 130 toneladas de lixo e contaminava a região com o seu chorume (líquido derivado da decomposição de compostos orgânicos) foi recuperado, transformando-se em um aterro sanitário controlado, mudando a qualidade de vida e a paisagem e proporcionando condições dignas de trabalho para os que dele subsistiam. Revista Promoção da Saúde da Secretaria de Políticas de Saúde. Ano 1, no 4, dez. 2000 (adaptado). Quais procedimentos técnicos tornam o aterro sanitário mais vantajoso que o lixão, em relação às problemá- ticas abordadas no texto? A) O lixo é recolhido e incinerado pela combustão a altas temperaturas. B) O lixo hospitalar é separado para ser enterrado e sobre ele, colocada cal virgem. C) O lixo orgânico e inorgânico é encoberto, e o chorume canalizado para ser tratado e neutralizado. D) O lixo orgânico é completamente separado do lixo inorgânico, evitando a formação de chorume. E) O lixo industrial é separado e acondicionado de forma adequada, formando uma bolsa de resíduos. Resolução O aterro sanitário se diferencia do lixão porque nele adotam-se procedimentos técnicos em que o lixo é com- pactado e recoberto por uma camada de terra, sendo o chorume canalizado e tratado de modo a não conta- minar o solo e os lençóis freáticos. Resposta: CENEM/2010 — 1o Dia 50 ANGLO VESTIBULARES
  • 50. L I G AG NS, C Ó IGO E SU S T CNO O IA S N U E D S A E LG▼ Questão 91 Viva la Vida I used to rule the world Seas would rise when I gave the word Now in the morning and I sleep alone Sweep the streets I used to own I used to roll the dice Feel the fear in my enemy‘s eyes Listen as the crowd would sing “Now the old king is dead! Long live the king!” One minute I held the key Next the walls were closed on me And I discovered that my castles stand Upon pillars of salt and pillars of sand [...] MARTIN, C. Viva la vida, Coldplay. In: Viva la vida or Death and all his friends. Parlophone, 2008. Letras de músicas abordam temas que, de certa forma, podem ser reforçados pela repetição de trechos ou palavras. O fragmento da canção Viva la vida, por exemplo, permite conhecer o relato de alguém que A) costumava ter o mundo aos seus pés e, de repente, se viu sem nada. B) almeja o título de rei e, por ele, tem enfrentado inúmeros inimigos. C) causa pouco temor a seus inimigos, embora tenha muito poder. D) limpava as ruas e, com seu esforço, tornou-se rei de seu povo. E) tinha a chave para todos os castelos nos quais desejava morar. Resolução O fragmento da canção Viva la vida, aqui apresentado em três estrofes, é constituído de antíteses como, por exemplo, na primeira estrofe: “Eu costumava dominar o mundo, os oceanos se abriam quando eu ordenava, agora pela manhã durmo sozinho, varro as ruas que já foram minhas”. Resposta: A▼ Questão 92 THE WEATHER MAN They say that the British love talking about the weather. For other nationalities this can be a banal and boring subject of conversation, something that people talk about when they have nothing else to say to each other. And yet the weather is a very important part of our lives. That at least is the opinion of Barry Gromett, press officer for The Met Office. This is located in Exeter, a pretty cathedral city in the southwest of England. Here employees — and computers — supply weather forecasts for much of the world. Speak Up. Ano XXIII, no 275. Ao conversar sobre a previsão do tempo, o texto mostra A) o aborrecimento do cidadão britânico ao falar sobre banalidades. B) a falta de ter o que falar em situações de avaliação de línguas. C) a importância de se entender sobre meteorologia para falar inglês. D) as diferenças e as particularidades culturais no uso de uma língua. E) o conflito entre diferentes ideias e opiniões ao se comunicar em inglês.ENEM/2010 — 2o Dia 51 ANGLO VESTIBULARES
  • 51. Resolução O texto aborda uma característica cultural dos britânicos que é gostar de falar sobre o tempo, embora esse assunto possa não ser considerado relevante para pessoas de outras nacionalidades. Resposta: D▼ Questão 93 THE DEATH OF THE PC The days of paying for costly software upgrades are numbered. The PC will soon be obsolete. And BusinessWeek reports 70% of Americans are already using the tecnology that will replace it. Merrill Lynch calls it “a $160 billion tsunami.” Computing giants including IBM, Yahoo!, and Amazon are racing to be the first to cash in on this PC-killing revolution. Yet, two little-known companies have a huge head start. Get their names in a free report from The Motley Fool called, “The Two Words Bill Gates Doesn‘t Want You to Hear…” Click here for instant acess to this FREE report! BROUGHT TO YOU BY THE MOTLEY FOOL Disponível em: http://www.fool.com. Acesso em: 21 jul. 2010. Ao optar por ler a reportagem completa sobre o assunto anunciado, tem-se acesso a duas palavras que Bill Gates não quer que o leitor conheça e que se referem A) aos responsáveis pela divulgação desta informação na internet. B) às marcas mais importantes de microcomputadores do mercado. C) aos nomes dos americanos que inventaram a suposta tecnologia. D) aos sites da internet pelos quais o produto já pode ser conhecido. E) às empresas que levam vantagem para serem suas concorrentes. Resolução O texto traz uma notícia do mundo tecnológico sobre o fim dos PCs (Personal Computers), pois anuncia-se que essa tecnologia será substituída e duas empresas pouco conhecidas levarão vantagem com isso. Seus nomes não aparecem neste trecho, mas, se lesse a reportagem completa, o leitor viria a conhecê-las. Resposta: E▼ Questão 94 MILLENIUM GOALS Disponível em: http://www.chris-alexander.co.uk/1191. Acesso em: 28 jul. 2010 (adaptado).ENEM/2010 — 2o Dia 52 ANGLO VESTIBULARES
  • 52. Definidas pelos países membros da Organização das Nações Unidas e por organizações internacionais, as me- tas de desenvolvimento do milênio envolvem oito objetivos a serem alcançados até 2015. Apesar da diversida- de cultural, esses objetivos, mostrados na imagem, são comuns ao mundo todo, sendo dois deles: A) O combate à AIDS e a melhoria do ensino universitário. B) A redução da mortalidade adulta e a criação de parcerias globais. C) A promoção da igualdade de gêneros e a erradicação da pobreza. D) A parceria global para o desenvolvimento e a valorização das crianças. E) A garantia da sustentabilidade ambiental e o combate ao trabalho infantil. Resolução As metas encontram-se, respectivamente, nos cartazes 3 (Promover a igualdade de gêneros e dar poder às mulheres) e 1 (Erradicar a fome e a pobreza extrema). Resposta: C▼ Questão 95 Disponível em: http://www.meganbergdesigns.com/andrill/iceberg07/postcards/index.html. Acesso em: 29 jul. 2010 (adaptado). Os cartões-postais costumam ser utilizados por viajantes que desejam enviar notícias dos lugares que visitam a parentes e amigos. Publicado no site do projeto ANDRILL, o texto em formato de cartão-postal tem o pro- pósito de A) comunicar o endereço da nova sede do projeto nos Estados Unidos. B) convidar colecionadores de cartões-postais a se reunirem em um evento. C) anunciar uma nova coleção de selos para angariar fundos para a Antártica. D) divulgar às pessoas a possibilidade de receberem um cartão-postal da Antártica. E) solicitar que as pessoas visitem o site do mencionado projeto com maior frequência. Resolução Depreende-se a partir do seguinte trecho: “... and we’ll send a postcard to you from the ice.” [“... e nós lhe enviaremos um cartão-postal da Antártica (do gelo).”] Resposta: DENEM/2010 — 2o Dia 53 ANGLO VESTIBULARES
  • 53. ▼ Questão 96 Enquanto isso, na Amazônia, em 2059 ÁRVORE ERA ASSIM, DESSE JEITO, JUQUINHA… TÁ VENDO??? QUE BARATO VOVÔ!!! BESSINHA. Disponível em: http://pattindica.files.wordpress.com/2009/06bessinha458904- jpg-image_1245119001858.jpeg (adaptado). As diferentes esferas sociais de uso da língua obrigam o falante a adaptá-la às variadas situações de comuni- cação. Uma das marcas linguísticas que configuram a linguagem oral informal usada entre avô e neto neste texto é A) a opção pelo emprego da forma verbal “era” em lugar de “foi”. B) a ausência de artigo antes da palavra “árvore”. C) o emprego da redução “tá” em lugar da forma verbal “está”. D) o uso da contração “desse” em lugar da expressão “de esse”. E) a utilização do pronome “que” em início de frase exclamativa. Resolução Alterações na forma das palavras visando à sua simplificação são uma constante na linguagem oral, prin- cipalmente em situações informais. É o que ocorre com a forma verbal está, que usualmente é pronunciada com supressão da sílaba inicial (tá). Resposta: C▼ Questão 97 A biosfera, que reúne todos os ambientes onde se desenvolvem os seres vivos, se divide em unidades menores chamadas ecossistemas, que podem ser uma floresta, um deserto e até um lago. Um ecossistema tem múltiplos mecanismos que regulam o número de organismos dentro dele, controlando sua reprodução, crescimento e migrações. DUARTE, M. O guia dos curiosos. São Paulo: Companhia das Letras, 1995. Predomina no texto a função da linguagem A) emotiva, porque o autor expressa seu sentimento em relação à ecologia. B) fática, porque o texto testa o funcionamento do canal de comunicação. C) poética, porque o texto chama a atenção para os recursos de linguagem. D) conativa, porque o texto procura orientar comportamentos do leitor. E) referencial, porque o texto trata de noções e informações conceituais. Resolução O texto conceitua de forma científica a biosfera e as unidades menores que a compõem, os ecossistemas. Tal uso da linguagem caracteriza a chamada função referencial. Resposta: EENEM/2010 — 2o Dia 54 ANGLO VESTIBULARES
  • 54. ▼ Questão 98 Câncer 21/06 a 21/07 O eclipse em seu signo vai desencadear mudanças na sua autoestima e no seu modo de agir. O corpo indicará onde você falha — se anda engolindo sapos, a área gástrica se ressentirá. O que ficou guardado virá à tona para ser transformado, pois este novo ciclo exige uma “desintoxicação”. Seja comedida em suas ações, já que precisará de energia para se recompor. Há preocupação com a família, e a comunicação entre os irmãos tra- va. Lembre-se: palavra preciosa é palavra dita na hora certa. Isso ajuda também na vida amorosa, que será testada. Melhor conter as expectativas e ter calma, avaliando as próprias carências de modo maduro. Sentirá vontade de olhar além das questões materiais — sua confiança virá da intimidade com os assuntos da alma. Revista Cláudia. No 7, ano 48, jul. 2009. O reconhecimento dos diferentes gêneros textuais, seu contexto de uso, sua função social específica, seu objetivo comunicativo e seu formato mais comum relacionam-se aos conhecimentos construídos sociocultural- mente. A análise dos elementos constitutivos desse texto demonstra que sua função é A) vender um produto anunciado. B) informar sobre astronomia. C) ensinar os cuidados com a saúde. D) expor a opinião de leitores em um jornal. E) aconselhar sobre amor, família, saúde, trabalho. Resolução O texto parte de uma informação astrológica para alertar os cancerianos sobre os perigos de uma fase difícil pela qual terão de passar e dá conselhos para enfrentá-la. Resposta: E▼ Questão 99 S.O.S Português Por que pronunciamos muitas palavras de um jeito diferente da escrita? Pode-se refletir sobre esse aspecto da língua com base em duas perspectivas. Na primeira delas, fala e escrita são dicotômicas, o que restringe o ensino da língua ao código. Daí vem o entendimento de que a escrita é mais complexa que a fala, e seu ensino restringe-se ao conhecimento das regras gramaticais, sem a preocupação com situações de uso. Outra abordagem permite encarar as diferenças como um produto distinto de duas modalidades da língua: a oral e a escrita. A questão é que nem sempre nos damos conta disso. S.O.S Português. Nova Escola. São Paulo: Abril, Ano XXV, no 231, abr. 2010 (fragmento adaptado). O assunto tratado no fragmento é relativo à língua portuguesa e foi publicado em uma revista destinada a professores. Entre as características próprias desse tipo de texto, identificam-se marcas linguísticas próprias do uso A) regional, pela presença de léxico de determinada região do Brasil. B) literário, pela conformidade com as normas da gramática. C) técnico, por meio de expressões próprias de textos científicos. D) coloquial, por meio do registro de informalidade. E) oral, por meio do uso de expressões típicas da oralidade. Resolução O texto é marcado pela função metalinguística e, embora de entendimento acessível a um leitor médio, apresenta alguns termos técnicos dessa área, como língua, fala e código. Resposta: CENEM/2010 — 2o Dia 55 ANGLO VESTIBULARES
  • 55. ▼ Questão 100 MOSTRE QUE SUA MEMÓRIA É MELHOR DO QUE A DE COMPUTADOR E GUARDE ESTA CONDIÇÃO: 12X SEM JUROS. Campanha publicitária de loja de eletroeletrônicos. Revista Época. No 424, 03 jul. 2006. Ao circularem socialmente, os textos realizam-se como práticas de linguagem, assumindo configurações es- pecíficas, formais e de conteúdo. Considerando o contexto em que circula o texto publicitário, seu objetivo básico é A) influenciar o comportamento do leitor, por meio de apelos que visam à adesão ao consumo. B) definir regras de comportamento social pautadas no combate ao consumismo exagerado. C) defender a importância do conhecimento de informática pela população de baixo poder aquisitivo. D) facilitar o uso de equipamentos de informática pelas classes sociais economicamente desfavorecidas. E) questionar o fato de o homem ser mais inteligente que a máquina, mesmo a mais moderna. Resolução No texto publicitário, a função dominante é a conativa. Centrada no destinatário, visa a provocar ou mo- dificar atitudes. Em última análise, o que ele basicamente objetiva é influenciar o comportamento do leitor, visando à adesão ao consumo. Resposta: A▼ Questão 101 Testes Dia desses resolvi fazer um teste proposto por um site da internet. O nome do teste era tentador: “O que Freud diria de você”. Uau. Respondi a todas as perguntas e o resultado foi o seguinte: “Os acontecimentos da sua infância a marcaram até os doze anos, depois disso você buscou conhecimento intelectual para seu amadurecimento”. Perfeito! Foi exatamente o que aconteceu comigo. Fiquei radiante: eu havia realizado uma consulta paranormal com o pai da psicanálise, e ele acertou na mosca. Estava com tempo sobrando, e curiosidade é algo que não me falta, então resolvi voltar ao teste e responder tudo diferente do que havia respondido antes. Marquei umas alternativas esdrúxulas, que nada tinham a ver com minha personalidade. E fui conferir o resultado, que dizia o seguinte: “Os acontecimentos da sua infância a marcaram até os doze anos, depois disso você buscou conhecimento intelectual para seu amadurecimento”. MEDEIROS, M. Doidas e santas. Porto Alegre, 2008 (adaptado). Quanto às influências que a internet pode exercer sobre os usuários, a autora expressa uma reação irônica no trecho: A) “Marquei umas alternativas esdrúxulas, que nada tinham a ver”. B) “Os acontecimentos da sua infância a marcaram até os doze anos”. C) “Dia desses resolvi fazer um teste proposto por um site da internet”. D) “Respondi a todas as perguntas e o resultado foi o seguinte”. E) “Fiquei radiante: eu havia realizado uma consulta paranormal com o pai da psicanálise”. Resolução A autora ironiza o resultado absurdo da experiência que teve com o teste feito pela internet. Para isso, ela exagera a dimensão da expectativa que se criou: “Fiquei radiante: eu havia realizado uma consulta paranormal com o pai da psicanálise”. Mas a ilusão seria desfeita a seguir, de forma grotesca. Resposta: EENEM/2010 — 2o Dia 56 ANGLO VESTIBULARES
  • 56. ▼ Questão 102 Na busca constante pela sua evolução, o ser humano vem alternando a sua maneira de pensar, de sentir e de criar. Nas últimas décadas do século XVIII e no início do século XIX, os artistas criaram obras em que predomi- nam o equilíbrio e a simetria de formas e cores, imprimindo um estilo caracterizado pela imagem da respeita- bilidade, da sobriedade, do concreto e do civismo. Esses artistas misturaram o passado ao presente, retratando os personagens da nobreza e da burguesia, além de cenas míticas e histórias cheias de vigor. RAZOUK, J. J. (Org.). Histórias reais e belas nas telas. Posigraf: 2003. Atualmente, os artistas apropriam-se de desenhos, charges, grafismo e até de ilustrações de livros para com- por obras em que se misturam personagens de diferentes épocas, como na seguinte imagem: A) D) Romero Brito. “Gisele e Tom”. Andy Warhol. “Marlyn Monroe”. B) E) Andy Warhol. “Michael Jackson”. Pablo Picasso. “Retrato de Jaqueline Roque com as Mãos Cruzadas”. C) Funny Filez. “Monabean”. Resolução Entre os retratos apresentados na questão, o único que “mistura personagens de diferentes épocas”, como pede o enunciado, é o da alternativa C. Nele, temos uma paródia da “Mona Lisa”, o famoso quadro do pintor renascentista italiano Leonardo da Vinci. Sobre uma imagem do original, aplicou-se uma foto do personagem “Mr. Bean”, do comediante inglês Rowan Atkinson, cujo rosto substitui o da imagem original. Além disso, a paródia coloca nas mãos da “Mona Lisa” o ursinho de pelúcia, objeto característico de “Mr. Bean”. O título da obra reúne as duas referências: “Mona Lisa” + “Mr. Bean” = “Monabean”. Resposta: CENEM/2010 — 2o Dia 57 ANGLO VESTIBULARES
  • 57. ▼ Questão 103 Transtorno do comer compulsivo O transtorno do comer compulsivo vem sendo reconhecido, nos últimos anos, como uma síndrome caracterizada por episódios de ingestão exagerada e compulsiva de alimentos, porém, diferentemente da bulimia nervosa, es- sas pessoas não tentam evitar ganho de peso com os métodos compensatórios. Os episódios vêm acompanhados de uma sensação de falta de controle sobre o ato de comer, sentimentos de culpa e de vergonha. Muitas pessoas com essa síndrome são obesas, apresentando uma história de variação de peso, pois a comida é usada para lidar com problemas psicológicos. O transtorno do comer compulsivo é encontrado em cerca de 2% da população em geral, mais frequentemente acometendo mulheres entre 20 e 30 anos de idade. Pesquisas demonstram que 30% das pessoas que procuram tratamento para obesidade ou para perda de peso são por- tadoras de transtorno do comer compulsivo. Disponível em: http://www.abcdasaude.com.br. Acesso em: 1 maio 2009 (adaptado). Considerando as ideias desenvolvidas pelo autor, conclui-se que o texto tem a finalidade de A) descrever e fornecer orientações sobre a síndrome da compulsão alimentícia. B) narrar a vida das pessoas que têm o transtorno do comer compulsivo. C) aconselhar as pessoas obesas a perder peso com métodos simples. D) expor de forma geral o transtorno compulsivo por alimentação. E) encaminhar as pessoas para a mudança de hábitos alimentícios. Resolução • Considerando-se descrição, em sentido amplo, como enumeração de propriedades de um objeto posto sob investigação, há no texto essa forma de composição. O texto descreve a síndrome da compulsão alimentar com dados precisos e circunstanciados, o que serve de fundamento para que as pessoas se orientem a res- peito dessa compulsão. Esse comentário justifica a alternativa A. • Por outro lado, é possível também encontrar justificativa para o que se diz na alternativa D, desde que se interprete expor de forma geral como equivalente a expor o transtorno compulsivo por alimentação por meio de conceitos abstratos, válidos genericamente para qualquer tipo de transtorno em particular. Respostas: A e D▼ Questão 104 A gentileza é algo difícil de ser ensinado e vai muito além da palavra educação. Ela é difícil de ser encontrada, mas fácil de ser identificada, e acompanha pessoas generosas e desprendidas, que se interessam em contribuir para o bem do outro e da sociedade. É uma atitude desobrigada, que se manifesta nas situações cotidianas e das maneiras mais prosaicas. SIMURRO, S. A. B. Ser gentil é ser saudável. Disponível: em http://www.abqv.org.br. Acesso em: 22 jun. 2006 (adaptado). No texto, menciona-se que a gentileza extrapola as regras de boa educação. A argumentação construída A) apresenta fatos que estabelecem entre si relações de causa e de consequência. B) descreve condições para a ocorrência de atitudes educadas. C) indica a finalidade pela qual a gentileza pode ser praticada. D) enumera fatos sucessivos em uma relação temporal. E) mostra oposição e acrescenta ideias. Resolução O texto não trata da gentileza em si mesma, mas em contraste (ou oposição) com a educação e acrescenta várias informações a respeito daquele conceito: de ocorrência difícil, mas de fácil identificação; relacionada a pessoas generosas; atitude desobrigada (isto é, espontânea, sem finalidade); manifestação em situações cotidianas e das maneiras mais prosaicas. Resposta: EENEM/2010 — 2o Dia 58 ANGLO VESTIBULARES
  • 58. ▼ Questão 105 Disponível em: http://algarveturistico.com/wp-cotent/ uploads/2009/04/ptm-ginastica-ritmica-01.jpg. Acesso em: 01 set. 2010. O desenvolvimento das capacidades físicas (qualidades motoras passíveis de treinamento) ajuda na tomada de decisões em relação à melhor execução do movimento. A capacidade física predominante no movimento representado na imagem é A) a velocidade, que permite ao músculo executar uma sucessão rápida de gestos em movimentação de inten- sidade máxima. B) a resistência, que admite a realização de movimentos durante considerável período de tempo, sem perda da qualidade da execução. C) a flexibilidade, que permite a amplitude máxima de um movimento, em uma ou mais articulações, sem causar lesões. D) a agilidade, que possibilita a execução de movimentos rápidos e ligeiros com mudanças de direção. E) o equilíbrio, que permite a realização dos mais variados movimentos, com o objetivo de sustentar o corpo sobre uma base. Resolução A flexibilidade é a capacidade física necessária para se executar o Espacate, movimento que consiste na abertura das pernas de modo que formem um ângulo de 180° e fiquem paralelas em relação a um referencial como o representado na imagem do enunciado. Resposta: CENEM/2010 — 2o Dia 59 ANGLO VESTIBULARES
  • 59. ▼ Questão 106 O folclore é o retrato da cultura de um povo. A dança popular e folclórica é uma forma de representar a cultura re- gional, pois retrata seus valores, crenças, trabalho e significados. Dançar a cultura de outras regiões é conhecê- la, é de alguma forma se apropriar dela, é enriquecer a própria cultura. BREGOLATO, R. A. Cultura Corporal da Dança. São Paulo: Ícone, 2007. As manifestações folclóricas perpetuam uma tradição cultural, é obra de um povo que a cria, recria e a perpetua. Sob essa abordagem deixa-se de identificar como dança folclórica brasileira A) o Bumba-meu-boi, que é uma dança teatral onde personagens contam uma história envolvendo crítica social, morte e ressurreição. B) a Quadrilha das festas juninas, que associam festejos religiosos a celebrações de origens pagãs envolvendo as colheitas e a fogueira. C) o Congado, que é uma representação de um reinado africano onde se homenageia santos através de música, cantos e dança. D) o Balé, em que se utilizam músicos, bailarinos e vários outros profissionais para contar uma história em forma de espetáculo. E) o Carnaval, em que o samba derivado do batuque africano é utilizado com o objetivo de contar ou recriar uma história nos desfiles. Resolução O texto faz referência a danças folclóricas praticadas no Brasil. As alternativas A, B, C e E indicam danças tradicionais, que traduzem um recorte regional local ou foram adaptadas de expressões culturais estrangeiras. Tais danças buscam a construção de uma identidade nacional e histórica, enquanto o balé, citado na alternativa D, representa uma performance de movimentos, um estilo de dança criado no século XVI, na Itália. Resposta: D▼ Questão 107 Carnavália Repique tocou O surdo escutou E o meu corasamborim Cuíca gemeu, será que era meu, quando ela passou por mim? [...] ANTUNES, A.; BROWN, C.; MONTE, M. Tribalistas, 2002 (fragmento). No terceiro verso, o vocábulo ”corasamborim”, que é a junção coração + samba + tamborim, refere-se, ao mesmo tempo, a elementos que compõem uma escola de samba e à situação emocional em que se encontra o autor da mensagem, com o coração no ritmo da percussão. Essa palavra corresponde a um(a) A) estrangeirismo, uso de elementos linguísticos originados em outras línguas e representativos de outras culturas. B) neologismo, criação de novos itens linguísticos, pelos mecanismos que o sistema da língua disponibiliza. C) gíria, que compõe uma linguagem originada em determinado grupo social e que pode vir a se disseminar em uma comunidade mais ampla. D) regionalismo, por ser palavra característica de determinada área geográfica. E) termo técnico, dado que designa elemento de área específica de atividade. Resolução “Corasamborim” (junção de “coração”, “samba” e “tamborim”) é uma criação vocabular dos enunciadores da canção, portanto um neologismo, formado por um mecanismo previsto no sistema linguístico: a composição por aglutinação ou, mais especificamente, a formação de palavra-valise. Resposta: BENEM/2010 — 2o Dia 60 ANGLO VESTIBULARES
  • 60. ▼ Questão 108 MONET, C. Mulher com sombrinha. 1875, 100 × 81 cm. In: BECKETT, W. História da Pintura. São Paulo: Ática, 1997. Em busca de maior naturalismo em suas obras e fundamentando-se em novo conceito estético, Monet, Degas, Renoir e outros artistas passaram a explorar novas formas de composição artística, que resultaram no estilo denominado Impressionismo. Observadores atentos da natureza, esses artistas passaram a A) retratar, em suas obras, as cores que idealizavam de acordo com o reflexo da luz solar nos objetos. B) usar mais a cor preta, fazendo contornos nítidos, que melhor definiam as imagens e as cores do objeto re- presentado. C) retratar paisagens em diferentes horas do dia, recriando, em suas telas, as imagens por eles idealizadas. D) usar pinceladas rápidas de cores puras e dissociadas diretamente na tela, sem misturá-las antes na paleta. E) usar as sombras em tons de cinza e preto e com efeito esfumaçados, tal como eram realizadas no Renascimento. Resolução A alternativa D descreve uma das técnicas da pintura impressionista do século XIX, o que a torna correta. Mas a questão contém algumas imprecisões. Os impressionistas buscavam registrar os efeitos provocados pela incidência da luz nos objetos — o que nos conduziria à alternativa A. Além disso, costumavam retratar a mes- ma cena em diferentes horas do dia, como afirma a alternativa C. O equívoco dessas alternativas talvez resida no uso da noção de idealização — que destoaria da tendência impressionista a registrar o real. A alternativa A trata de cores idealizadas, o que é um conceito confuso. Já a alternativa C fala em imagens idealizadas — o que não parece tão fora de propósito. De fato, os impressionistas buscavam reproduzir a realidade, mas estavam menos interessados em mostrá-la diretamente do que apresentar uma visão — a sua visão — sobre ela. Nesse sentido, por que não considerar que essas imagens do real fossem, de fato, idealizadas por eles? Resposta: DENEM/2010 — 2o Dia 61 ANGLO VESTIBULARES
  • 61. ▼ Questão 109 O Chat e sua linguagem virtual O significado da palavra chat vem do inglês e quer dizer “conversa”. Essa conversa acontece em tempo real, e, para isso, é necessário que duas ou mais pessoas estejam conectadas ao mesmo tempo, o que chamamos de comunicação síncrona. São muitos os sites que oferecem a opção de bate-papo na internet, basta escolher a sala que deseja “entrar”, identificar-se e iniciar a conversa. Geralmente, as salas são divididas por assuntos, como educação, cinema, esporte, música, sexo, entre outros. Para entrar, é necessário escolher um nick, uma espécie de apelido que identificará o participante durante a conversa. Algumas salas restringem a idade, mas não existe nenhum controle para verificar se a idade informada é realmente a idade de quem está acessando, facilitando que crianças e adolescentes acessem salas com conteúdos inadequados para sua faixa etária. AMARAL, S. F. Internet: novos valores e novos comportamentos. In: SILVA, E. T. (Coord,). A leitura nos oceanos da internet. São Paulo: Cortez, 2003. (adaptado). Segundo o texto, o chat proporciona a ocorrência de diálogos instantâneos com linguagem específica, uma vez que nesses ambientes interativos faz-se uso de protocolos diferenciados de interação. O chat, nessa pers- pectiva, cria uma nova forma de comunicação porque A) possibilita que ocorra diálogo sem a exposição da identidade real dos indivíduos, que podem recorrer a apelidos fictícios sem comprometer o fluxo da comunicação em tempo real. B) disponibiliza salas de bate-papo sobre diferentes assuntos com pessoas pré-selecionadas por meio de um sistema de busca monitorado e atualizado por autoridades no assunto. C) seleciona previamente conteúdos adequados à faixa etária dos usuários que serão distribuídos nas faixas de idade organizadas pelo site que disponibiliza a ferramenta. D) garante a gravação das conversas, o que possibilita que um diálogo permaneça aberto, independente da disposição de cada participante. E) limita a quantidade de participantes conectados nas salas de bate-papo, a fim de garantir a qualidade e eficiência dos diálogos, evitando mal-entendidos. Resolução As interações por meio de chats são “uma nova forma de comunicação” pela possibilidade de o enunciador preservar sua identidade, assumindo um apelido momentâneo (nick). Como não existe qualquer tipo de controle sobre quem são os participantes das salas de bate-papo, há maior grau de liberdade para se expressarem valores e posicionamentos, favorecendo-se “o fluxo da informação em tempo real”. Resposta: A▼ Questão 110 Texto I Época. 12 out. 2009 (adaptado).ENEM/2010 — 2o Dia 62 ANGLO VESTIBULARES
  • 62. Texto II CONEXÃO SEM FIO NO BRASIL Onde haverá cobertura de telefonia celular para baixar publicações para o Kindle Época. 12 out. 2009. A capa da revista Época de 12 de outubro de 2009 traz um anúncio sobre o lançamento do livro digital no Brasil. Já o texto II traz informações referentes à abrangência de acessibilidade das tecnologias de comunicação e informação nas diferentes regiões do país. A partir da leitura dos dois textos, infere-se que o advento do livro digital no Brasil A) possibilitará o acesso das diferentes regiões do país às informações antes restritas, uma vez que eliminará as distâncias, por meio da distribuição virtual. B) criará a expectativa de viabilizar a democratização da leitura, porém, esbarra na insuficiência do acesso à internet por meio da telefonia celular, ainda deficiente no país. C) fará com que os livros impressos tornem-se obsoletos, em razão da diminuição dos gastos com os produtos digitais gratuitamente distribuídos pela internet. D) garantirá a democratização dos usos da tecnologia no país, levando em consideração as características de cada região no que se refere aos hábitos de leitura e acesso à informação. E) impulsionará o crescimento da qualidade da leitura dos brasileiros, uma vez que as características do produto permitem que a leitura aconteça a despeito das adversidades geopolíticas. Resolução O primeiro texto sugere que, com a aquisição de um aparelho como o Kindle, o acesso gratuito a livros digitais facilitará o contato com a palavra escrita. Para democratizá-lo, porém, deve haver uma distribuição mais igualitária das redes de conexão sem fio à internet, que atualmente não chegam a atingir metade do território brasileiro. Resposta: B▼ Questão 111 Texto I Sob o olhar do TWITTER Vivemos a era da exposição e do compartilhamento. Público e privado começam a se confundir. A ideia de privacidade vai mudar ou desaparecer. O trecho acima tem 140 caracteres exatos. É uma mensagem curta que tenta encapsular uma ideia complexa. Não é fácil esse tipo de síntese, mas dezenas de milhões de pessoas o praticam diariamente. No mundo todo, são disparados 2,4 trilhões de SMS por mês, e neles cabem 140 toques, ou pouco mais. Também é comum en- viar e-mails, deixar recados no Orkut, falar com as pessoas pelo MSN, tagarelar no celular, receber chamados em qualquer parte, a qualquer hora. Estamos conectados. Superconectados, na verdade, de várias formas. […] O mais recente exemplo de demanda por total conexão e de uma nova sintaxe social é o Twitter, o novo serviço de troca de mensagens pela internet. O Twitter pode ser entendido como uma mistura de blog e celu- lar. As mensagens são de 140 toques, como os torpedos dos celulares, mas circulam pela internet, como os tex- tos de blogs. Em vez de seguir para apenas uma pessoa, como no celular ou no MSN, a mensagem do Twitter vai para todos os “seguidores” — gente que acompanha o emissor. Podem ser 30, 300 ou 409 mil seguidores. MARTINS, I.; LEAL, R. Época. 16 mar. 2009 (fragmento adaptado).ENEM/2010 — 2o Dia 63 ANGLO VESTIBULARES
  • 63. Texto II DICAS Para usar melhor o Twitter Coloque-se no lugar de seu leitor: você gostaria de saber que alguém está comendo um lanche? Cuidado com o que você vai publicar: você quer mesmo que todo mundo saiba detalhes de sua vida afetiva ou sexual? Encontre uma velocidade ideal de mensagens: se forem poucas, ninguém vai seguí-lo; se forem muitas, as pessoas vão deixar você de lado Use a busca para encontrar pessoas e assuntos que lhe interessam. Se quiser seguir os resultados da busca, cadastre-a em seu leitor de RSS Aprecie com moderação: o Twitter pode dispersá-lo. Se estiver concentrado, deixe-o fechado. Dose o tempo que você gasta com ele Se a conversa começar a ficar longa, ligue para a pessoa ou use o MSN Não tente ler tudo. É impossível! De tempos em tempos, avalie se você quer realmente seguir todas aquelas pessoas Recent (7) Replies Messages MARTINS, I.; LEAL, R. Época. 16 mar. 2009. Da comparação entre os textos, depreende-se que o texto II constitui um passo a passo para interferir no comportamento dos usuários, dirigindo-se diretamente aos leitores, e o texto I A) adverte os leitores de que a internet pode transformar-se em um problema porque expõe a vida dos usuá- rios e, por isso, precisa ser investigada. B) ensina aos leitores os procedimentos necessários para que as pessoas conheçam, em profundidade, os prin- cipais meios de comunicação da atualidade. C) exemplifica e explica o novo serviço global de mensagens rápidas que desafia os hábitos de comunicação e reinventa o conceito de privacidade. D) procura esclarecer os leitores a respeito dos perigos que o uso do Twitter pode representar nas relações de trabalho e também no plano pessoal. E) apresenta uma enquete sobre as redes sociais mais usadas na atualidade e mostra que o Twitter é preferido entre a maioria dos internautas. Resolução O tema do texto “Sob o olhar do Twitter” é explicitado logo no primeiro parágrafo: “vivemos a era da exposição e do compartilhamento. Público e privado começam a se confundir.” Para sustentar essa tese, o au- tor enumera, em seguida, recursos modernos de interação social, como as mensagens SMS e as conversas via telefonia celular, os e-mails, o Orkut e o MSN. Após essa visão panorâmica acerca dos meios tecnológicos de interação, o segundo parágrafo é dedicado exclusivamente a uma dessas ferramentas, o Twitter: o autor da reportagem analisa as principais característi- cas dessa rede social, um exemplo de superconexão e de mudança nos paradigmas de privacidade. Resposta: CENEM/2010 — 2o Dia 64 ANGLO VESTIBULARES
  • 64. ▼ Questão 112 O dia em que o peixe saiu de graça Uma operação do Ibama para combater a pesca ilegal na divisa entre os Estados do Pará, Maranhão e Tocantins incinerou 110 quilômetros de redes usadas por pescadores durante o período em que os peixes se reproduzem. Embora tenha um impacto temporário na atividade econômica da região, a medida visa preservá-la ao longo prazo, evitando o risco de extinção dos animais. Cerca de 15 toneladas de peixes foram apreendidas e doadas para instituições de caridade. Época, 23 mar. 2009 (adaptado). A notícia, do ponto de vista de seus elementos constitutivos, A) apresenta argumentos contrários à pesca ilegal. B) tem um título que resume o conteúdo do texto. C) informa sobre uma ação, a finalidade que a motivou e o resultado dessa ação. D) dirige-se aos órgãos governamentais dos estados envolvidos na referida operação do Ibama. E) introduz um fato com a finalidade de incentivar movimentos sociais em defesa do meio ambiente. Resolução A notícia publicada pela revista Época “O dia em que o peixe saiu de graça” é estruturada em três partes: fato, finalidade e efeito. Ela começa informando sobre a operação do Ibama que incinerou 110 quilômetros de redes de pesca apreendidas na divisa entre os estados do Pará, Maranhão e Tocantins. Essa ação, segundo o texto, teve como finalidade preservar a economia da região e evitar o risco de extinção dos animais (objetivo evidenciado pelo verbo “visar”). Resultado da operação: 15 toneladas de peixes foram doados a instituições de caridade — fato originador do título da matéria. Resposta: C▼ Questão 113 Machado de Assis Joaquim Maria Machado de Assis, cronista, contista, dramaturgo, jornalista, poeta, novelista, romancista, crítico e ensaísta, nasceu na cidade do Rio de Janeiro em 21 de junho de 1839. Filho de um operário mestiço de negro e português, Francisco José de Assis, e de D. Maria Leopoldina Machado de Assis, aquele que viria tornar-se o maior escritor do país e um mestre da língua, perde a mãe muito cedo e é criado pela madrasta, Maria Inês, também mulata, que se dedica ao menino e o matricula na escola pública, única que frequentou o autodidata Machado de Assis. Disponível em: http://www.passeiweb.com. Acesso em: 1 maio 2009. Considerando os seus conhecimentos sobre os gêneros textuais, o texto citado constitui-se de A) fatos ficcionais, relacionados a outros de caráter realista, relativos à vida de um renomado escritor. B) representações generalizadas acerca da vida de membros da sociedade por seus trabalhos e vida cotidiana. C) explicações da vida de um renomado escritor, com estrutura argumentativa, destacando como tema seus principais feitos. D) questões controversas e fatos diversos da vida de personalidade histórica, ressaltando sua intimidade fami- liar em detrimento de seus feitos públicos. E) apresentação da vida de uma personalidade, organizada sobretudo pela ordem tipológica da narração, com um estilo marcado por linguagem objetiva. Resolução A biografia de Machado de Assis que serviu de base à questão apresenta informações encadeadas de maneira cronológica: seu nascimento, a perda da mãe, a criação pela madrasta e a matrícula na escola pública. Apesar de um trecho de maior subjetividade (“o maior escritor do país e um mestre da língua”), a linguagem da biografia é marcada pela objetividade, ou seja, os enunciados foram elaborados para enfatizar o assunto, as informações sobre a vida de Machado, não as impressões pessoais do enunciador sobre elas. Resposta: EENEM/2010 — 2o Dia 65 ANGLO VESTIBULARES
  • 65. ▼ Questão 114 A Herança Cultural da Inquisição A Inquisição gerou uma série de comportamentos humanos defensivos na população da época, especialmente por ter perdurado na Espanha e em Portugal durante quase 300 anos, ou no mínimo quinze gerações. Embora a Inquisição tenha terminado há mais de um século, a pergunta que fiz a vários sociólogos, historiadores e psicólogos era se alguns desses comportamentos culturais não poderiam ter-se perpetuado entre nós. Na maioria, as respostas foram negativas, ou seja, embora alterasse sem dúvida o comportamento da época, nenhum comportamento permanece tanto tempo depois, sem reforço ou estímulo continuado. Não sou psicólogo nem sociólogo para discordar, mas tenho a impressão de que existem alguns comportamentos estranhos na sociedade brasileira, e que fazem sentido se você os considerar resquícios da era da Inquisição. […] KANITZ, S. A Herança Cultural da Inquisição. In: Revista Veja. Ano 38, no 5, 2 fev. 2005 (fragmento). Considerando-se o posicionamento do autor do fragmento a respeito de comportamentos humanos, o texto A) enfatiza a herança da Inquisição em comportamentos culturais observados em Portugal e na Espanha. B) contesta sociólogos, psicólogos e historiadores sobre a manunteção de comportamentos gerados pela In- quisição. C) contrapõe argumentos de historiadores e sociólogos a respeito de comportamentos culturais inquisidores. D) relativiza comportamentos originados na Inquisição e observados na sociedade brasileira. E) questiona a existência de comportamentos culturais brasileiros marcados pela herança da Inquisição. Resolução Diante da complexidade do tema — a perpetuação, na sociedade brasileira, de comportamentos gerados pela Inquisição —, o autor do ensaio recorre ao parecer de especialistas como sociólogos, historiadores e psicó- logos, que sentenciam: um comportamento permanece por muito tempo apenas se for estimulado. Contestando o pensamento dessas autoridades, o autor inicia o último parágrafo com marcas formais de sua oposição: o verbo discordar e a conjunção adversativa mas. Vale ressaltar que, no trecho selecionado para a questão, a opinião dele, apesar de clara, não se fundamenta em argumentos, ou seja, é categórica. Resposta: B▼ Questão 115 Resta saber o que ficou das línguas indígenas no português do Brasil. Serafim da Silva Neto afirma: “No por- tuguês brasileiro não há, positivamente, influência das línguas africanas ou ameríndias”. Todavia, é difícil de aceitar que um longo período de bilinguismo de dois séculos não deixasse marcas no português do Brasil. ELIA, S. Fundamentos Histórico-Linguísticos do Português do Brasil. Rio de Janeiro: Lucerna, 2003 (adaptado). No final do século XVIII, no norte do Egito, foi descoberta a Pedra de Roseta, que continha um texto escrito em egípcio antigo, uma versão desse texto chamada “demótico”, e o mesmo texto escrito em grego. Até en- tão, a antiga escrita egípcia não estava decifrada. O inglês Thomas Young estudou o objeto e fez algumas des- cobertas como, por exemplo, a direção em que a leitura deveria ser feita. Mais tarde, o francês Jean-François Champollion voltou a estudá-la e conseguiu decifrar a antiga escrita egípcia a partir do grego, provando que, na verdade, o grego era a língua original do texto e que o egípcio era uma tradução. Com base na leitura dos textos conclui-se, sobre as línguas, que A) cada língua é única e intraduzível. B) elementos de uma língua são preservados, ainda que não haja mais falantes dessa língua. C) a língua escrita de determinado grupo desaparece quando a sociedade que a produzia é extinta. D) o egípcio antigo e o grego apresentam a mesma estrutura gramatical, assim como as línguas indígenas brasileiras e o português do Brasil. E) o egípcio e o grego apresentavam letras e palavras similares, o que possibilitou a comparação linguística, o mesmo que aconteceu com as línguas indígenas brasileiras e o português do Brasil.ENEM/2010 — 2o Dia 66 ANGLO VESTIBULARES
  • 66. Resolução No primeiro texto, o trecho “resta saber o que ficou das línguas indígenas no português do Brasil” deixa pressuposto que elementos de uma língua são preservados mesmo que não existam mais falantes dela. No segundo, a antiga escrita egípcia na Pedra de Roseta também comprova a preservação de elementos de uma língua, embora tenham desaparecido seus falantes. Resposta: B▼ Questão 116 Os filhos de Ana eram bons, uma coisa verdadeira e sumarenta. Cresciam, tomavam banho, exigiam para si, malcriados, instantes cada vez mais completos. A cozinha era enfim espaçosa, o fogão enguiçado dava estou- ros. O calor era forte no apartamento que estavam aos poucos pagando. Mas o vento batendo nas cortinas que ela mesma cortara lembrava-lhe que se quisesse podia parar e enxugar a testa, olhando o calmo horizon- te. Como um lavrador. Ela plantara as sementes que tinha na mão, não outras, mas essas apenas. LISPECTOR, C. Laços de família. Rio de Janeiro: Rocco, 1998. A autora emprega por duas vezes o conectivo mas no fragmento apresentado. Observando aspectos da orga- nização, estruturação e funcionalidade dos elementos que articulam o texto, o conectivo mas A) expressa o mesmo conteúdo nas duas situações em que aparece no texto. B) quebra a fluidez do texto e prejudica a compreensão, se usado no início da frase. C) ocupa posição fixa, sendo inadequado seu uso na abertura da frase. D) contém uma ideia de sequência temporal que direciona a conclusão do leitor. E) assume funções discursivas distintas nos dois contextos de uso. Resolução Na primeira ocorrência, o conectivo “mas” expressa conteúdo de oposição: o vento batendo na cortina contrasta com o calor do apartamento. Na segunda, não tem valor de adversidade, mas de reiteração: o nar- rador diz que a personagem plantara “as sementes que tinha na mão, não outras”; logo, o trecho “mas essas apenas” enfatiza a informação dada. Resposta: E▼ Questão 117 A Internet que você faz Uma pequena invenção, a Wikipédia, mudou o jeito de lidarmos com informações na rede. Trata-se de uma enciclopédia virtual colaborativa, que é feita e atualizada por qualquer internauta que tenha algo a contribuir. Em resumo: é como se você imprimisse uma nova página para a publicação desatualizada que encontrou na biblioteca. Antigamente, quando precisávamos de alguma informação confiável, tínhamos a enciclopédia como fonte segura de pesquisa para trabalhos, estudos e pesquisa em geral. Contudo, a novidade trazida pela Wikipédia nos coloca em uma nova circunstância, em que não podemos confiar integralmente no que lemos. Por ter como lema principal a escritura coletiva, seus textos trazem informações que podem ser editadas e reeditadas por pessoas do mundo inteiro. Ou seja, a relevância da informação não é determinada pela tradição cultural, como nas antigas enciclopédias, mas pela dinâmica da mídia. Assim, questiona-se a possibilidade de serem encontradas informações corretas entre sabotagens deliberadas e contribuições erradas. NÉO, A. et al: A Internet que você faz. In: Revista PENSE! Secretaria de Educação do Estado do Ceará. Ano 2, no 3, mar.-abr. 2010 (adaptado). As novas Tecnologias de Informação e Comunicação, como a Wikipédia, têm trazido inovações que impactaram significativamente a sociedade. A respeito desse assunto, o texto apresentado mostra que a falta de confiança na veracidade dos conteúdos registrados na Wikipédia A) acontece pelo fato de sua contrução coletiva possibilitar a edição e reeditação das informações por qualquer pessoa no mundo inteiro. B) limita a disseminação do saber, apesar do crescente número de acessos ao site que a abriga, por falta de legitimidade.ENEM/2010 — 2o Dia 67 ANGLO VESTIBULARES
  • 67. C) ocorre pela facilidade de acesso à página, o que torna a informação vulnerável, ou seja, pela dinâmica da mídia. D) ressalta a crescente busca das enciclopédias impressas para as pesquisas escolares. E) revela o desconhecimento do usuário, impedindo-o de formar um juízo de valor sobre as informações. Resolução No terceiro parágrafo, o trecho “por ter como lema principal a escritura coletiva, seus textos trazem infor- mações que podem ser editadas e reeditadas por pessoas no mundo inteiro” usa como argumento de causa para os textos serem editados e reeditados por qualquer pessoa o fato de serem escritos coletivamente. Isso, segundo o texto, leva à falta de confiança na veracidade dos conteúdos veiculados na Wikipédia. Resposta: A▼ Questão 118 Texto I Logo depois transferiram para o trapiche o depósito dos objetos que o trabalho do dia lhes proporcionava. Estranhas coisas entraram então para o trapiche. Não mais estranhas, porém, que aqueles meninos, moleques de todas as cores e de idades as mais variadas, desde os nove aos dezesseis anos, que à noite se estendiam pelo assoalho e por debaixo da ponte e dormiam, indiferentes ao vento que circundava o casarão uivando, indife- rentes à chuva que muitas vezes os lavava, mas com os olhos puxados para as luzes dos navios, com os ouvidos presos às canções que vinham das embarcações... AMADO, J. Capitães da Areia. São Paulo: Companhia das Letras, 2008 (fragmento). Texto II À margem esquerda do rio Belém, nos fundos do mercado de peixe, ergue-se o velho ingazeiro — ali os bêba- dos são felizes. Curitiba os considera animais sagrados, provê as suas necessidades de cachaça e pirão. No trivial contentavam-se com as sobras do mercado. TREVISAN, D. 35 noites de paixão: contos escolhidos. Rio de Janeiro: BestBolso, 2009 (fragmento). Sob diferentes perspectivas, os fragmentos citados são exemplos de uma abordagem literária recorrente na literatura brasileira do século XX. Em ambos os textos, A) a linguagem afetiva aproxima os narradores dos personagens marginalizados. B) a ironia marca o distanciamento dos narradores em relação aos personagens. C) o detalhamento do cotidiano dos personagens revela a sua origem social. D) o espaço onde vivem os personagens é uma das marcas de sua exclusão. E) a crítica à indiferença da sociedade pelos marginalizados é direta. Resolução No fragmento de Capitães da areia, o trapiche em que moram os meninos é descrito como depósito de objetos e, de certa forma, dos próprios moleques marginalizados. Já no texto de Dalton Trevisan, os “animais sagrados” vivem nos fundos do mercado de peixe, espaço de despejo das sobras. Em ambos os casos, por mais que o local não seja a causa direta da exclusão, é por sua caracterização que se evidencia a marginalidade das personagens. Os romances neorrealistas do século XX, mais especificamente os urbanos, são marcados por semelhante contextualização espacial no retrato que fazem das camadas periféricas da sociedade. Resposta: D▼ Questão 119 Soneto Já da morte o palor me cobre o rosto, Nos lábios meus o alento desfalece, Surda agonia o coração fenece, E devora meu ser mortal desgosto! Do leito embalde no macio encosto Tento o sono reter!… já esmorece O corpo exausto que o repouso esquece… Eis o estado em que a mágoa me tem posto!ENEM/2010 — 2o Dia 68 ANGLO VESTIBULARES
  • 68. O adeus, o teu adeus, minha saudade, Fazem que insano do viver me prive E tenha os olhos meus na escuridade. Dá-me a esperança com que o ser mantive! Volve ao amante os olhos por piedade, Olhos por quem viveu quem já não vive! AZEVEDO, A. Obra completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2000. O núcleo temático do soneto citado é típico da segunda geração romântica, porém configura um lirismo que o projeta para além desse momento específico. O fundamento desse lirismo é A) a angústia alimentada pela constatação da irreversibilidade da morte. B) a melancolia que frustra a possibilidade de reação diante da perda. C) o descontrole das emoções provocado pela autopiedade. D) o desejo de morrer como alívio para a desilusão amorosa. E) o gosto pela escuridão como solução para o sofrimento. Resolução Este soneto de Álvares Azevedo ficcionaliza a tradicional tópica do desequilíbrio emocional que o amante sofre com o afastamento da amada. No primeiro quarteto, o eu lírico descreve os efeitos letais da perda amorosa por meio de uma gradação crescente (seus lábios, seu coração e todo o seu ser são atingidos pela sensação de morte); no segundo, chega a um epílogo parcial a respeito do seu próprio estado de espírito (“Eis o estado em que a mágoa me tem pos- to!”); no primeiro terceto, atribui a privação do gozo e da vida a um gesto de loucura suscitado pela ausência da amada (“O adeus, o teu adeus, minha saudade / Fazem que insano do viver me prive”); no último terceto, faz um epílogo definitivo, requerendo à amada uma atitude regeneradora de seu quadro mental. Infelizmente, nenhuma das alternativas propostas traduz com correção a temática do texto. As alternati- vas A e B falam, respectivamente, em “irreversibilidade da morte” e “[im]possibilidade de reação diante da perda”, o que é desmentido no último terceto. A alternativa E (“o gosto pela escuridão”) erra ao interpretar de forma literal o verso “tenha os olhos meus na escuridade”, metáfora para a morte. Dessa forma, restam as alternativas C e D, que também apresentam problemas. A D (que diz: “o desejo de morrer como alívio para a desilusão amorosa”) atribui ao eu lírico uma liberdade de agir e uma deliberação estra- tégica que ele não possui. Quando expressa desejo como fruto da vontade racional, como nos versos 5-6 (“Do lei- to embalde no macio encosto / Tento o sono reter...”) e 12-13 (“Dá-me a esperança com que o ser mantive! / Volve ao amante os olhos por piedade”), evita a morte e procura o gozo da vida. Quando confessa que “O adeus, o teu adeus, minha saudade / Fazem que insano do viver me prive / E tenha os olhos meus na escuridade”, nos versos 10-11, diz-se privado da liberdade de decisão, como que impelido, à revelia de si mesmo, à morte. A alternativa C, que fala em “descontrole das emoções” e “autopiedade”, não deixa de conter incorreção. Em diversos momentos, o eu lírico se põe como vítima que sofre, passiva, os efeitos mortais do amor (“o palor me cobre o rosto”, “devora meu ser mortal desgosto”, “a mágoa me tem posto”) e simula um quadro de emo- ções descontroladas (como seu domínio pela sensação de morte). A caracterização do eu lírico como vítima pode, portanto, ser entendida como um gesto de autopiedade, que adquire ao final do texto, na função co- nativa da linguagem, o papel de sensibilizar o interlocutor e chamá-lo à ação. No entanto, o descontrole das emoções não é causado pela “autopiedade”; ambos são, antes, efeitos da perda do objeto amado. Sem resposta▼ Questão 120 Figura 1: Disponível em: http://www.clicrbs.com.br/blog/fotos/235151post_foto.jpg. Figura 2: Disponível em: http://esporte.hsw.uol.com.br/volei-jogos-olimpicos.htm. Figura 3: Disponível em: http://www.arel.com.br/eurocup/volei/ Acesso em: 27 abr. 2010.ENEM/2010 — 2o Dia 69 ANGLO VESTIBULARES
  • 69. O voleibol é um dos esportes mais praticados na atualidade. Está presente nas competições esportivas, nos jogos escolares e na recreação. Nesse esporte, os praticantes utilizam alguns movimentos específicos como: saque, manchete, bloqueio, levantamento, toque, entre outros. Na sequência de imagens, identificam-se os movimentos de A) sacar e colocar a bola em jogo, defender a bola e realizar a cortada como forma de ataque. B) arremessar a bola, tocar para passar a bola ao levantador e bloquear como forma de ataque. C) tocar e colocar a bola em jogo, cortar para defender e levantar a bola para atacar. D) passar a bola e iniciar a partida, lançar a bola ao levantador e realizar a manchete para defender. E) cortar como forma de ataque, passar a bola para defender e bloquear como forma de ataque. Resolução Na imagem 1, o jogador está em posição de saque, logo está colocando a bola em jogo. Na 2, a manchete indica a defesa da bola. Em 3, a cortada é uma jogada em que o atleta está em posição de ataque. Resposta: A▼ Questão 121 O presidente Lula assinou, em 29 de setembro de 2008, decreto sobre o Novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. As novas regras afetam principalmente o uso dos acentos agudo e circunflexo, do trema e do hífen. Longe de um consenso, muita polêmica tem-se levantado em Macau e nos oito países de língua portuguesa: Brasil, Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste. Comparando as diferentes opiniões sobre a validade de se estabelecer o acordo para fins de unificação, o ar- gumento que, em grande parte, foge a essa discussão é A) “A Academia (Brasileira de Letras) encara essa aprovação como um marco histórico. Inscreve-se, finalmente, a Língua Portuguesa no rol daquelas que conseguiram beneficiar-se há mais tempo da unificação de seu sistema de grafar, numa demonstração de consciência da política do idioma e de maturidade na defesa, difusão e ilustração da língua da Lusofonia.” SANDRONI, C. Presidente da ABL. Disponível em: http://www.academia.org.br. Acesso em: 10 nov. 2008. B) “Acordo ortográfico? Não, obrigado. Sou contra. Visceralmente contra. Filosoficamente contra. Linguistica- mente contra. Eu gosto do “c” do “actor” e o “p” de “cepticismo”. Representam um património, uma pega- da etimológica que faz parte de uma identidade cultural. A pluralidade é um valor que deve ser estudado e respeitado. Aceitar essa aberração significa apenas que a irmandade entre Portugal e o Brasil continua a ser a irmandade do atraso.” COUTINHO, J. P. Folha de S.Paulo. Ilustrada. 28 set. 2008, E1 (adaptado). C) “Há um conjunto de necessidades políticas e econômicas com vista à internacionalização do português como identidade e marca econômica.” “É possível que o (Fernando) Pessoa, como produto de exportação, valha mais do que a PT (Portugal Telecom). Tem um valor econômico único.” RIBEIRO, J. A. P. Ministro da Cultura de Portugal. Disponível em: http://ultimahora.publico.clix.pt. Acesso em: 10 nov. 2008. D) “É um acto cívico batermo-nos contra o Acordo Ortográfico.” “O acordo não leva a unidade nenhuma.” “Não se pode aplicar na ordem interna um instrumento que não está aceito internacionalmente” e nem assegura “a defesa da língua como património, como prevê a Constituição nos artigos 9 o e 68o.” MOURA, V. G. Escritor e eurodeputado. Disponível em: www.mundoportugues.org. Acesso em: 10 nov. 2008. E) “Se é para ter uma lusofonia, o conceito [unificação da língua] deve ser mais abrangente e temos de estar em paridade. Unidade não significa que temos que andar todos ao mesmo passo. Não é necessário que nos tornemos homogéneos. Até porque o que enriquece a língua portuguesa são as diversas literaturas e formas de utilização.” RODRIGUES, M. H. Presidente do Instituto Português do Oriente, sediado em Macau. Disponível em: http://taichungpou.blogspot.com. Acesso em: 10 nov. 2008 (adaptado). Resolução Nas outras alternativas, as opiniões sobre a validade do acordo são apresentadas utilizando argumentos de base linguística. Em C, em contrapartida, as razões para a unificação têm fundamento político e econômico. Resposta: CENEM/2010 — 2o Dia 70 ANGLO VESTIBULARES
  • 70. ▼ Questão 122 Texto I O chamado “fumante passivo” é aquele indivíduo que não fuma, mas acaba respirando a fumaça dos cigarros fumados ao seu redor. Até hoje, discutem-se muito os efeitos do fumo passivo, mas uma coisa é certa: quem não fuma não é obrigado a respirar a fumaça dos outros. O fumo passivo é um problema de saúde pública em todos os países do mundo. Na Europa, estima-se que 79% das pessoas estão expostas à fumaça “de segunda mão”, enquanto, nos Estados Unidos, 88% dos não fuman- tes acabam fumando passivamente. A Sociedade do Câncer da Nova Zelândia informa que o fumo passivo é a terceira entre as principais causas de morte no país, depois do fumo ativo e do uso de álcool. Disponível em: www.terra.com.br. Acesso em: 27 abr. 2010 (fragmento). Texto II Disponível em: http://rickjaimecomics.blogspot.com.br. Acesso em: 27 abr. 2010. Ao abordar a questão do tabagismo, os textos I e II procuram demonstrar que A) a quantidade de cigarros consumidos por pessoa, diariamente, excede o máximo de nicotina recomendado para os indivíduos, inclusive para os não fumantes. B) para garantir o prazer que o indivíduo tem ao fumar, será necessário aumentar as estatísticas de fumo passivo. C) a conscientização dos fumantes passivos é uma maneira de manter a privacidade de cada indivíduo e ga- rantir a saúde de todos. D) os não fumantes precisam ser respeitados e poupados, pois estes também estão sujeitos as doenças causadas pelo tabagismo. E) o fumante passivo não é obrigado a inalar as mesmas toxinas que um fumante, portanto depende dele evitar ou não a contaminação proveniente da exposição ao fumo. Resolução Ambos os textos destacam os malefícios do fumo passivo, ou seja, da inalação involuntária da fumaça pro- duzida pelos fumantes com os quais se conviva. Disso se infere a conclusão de que os não fumantes devem ser poupados dos riscos decorrentes do tabagismo alheio. Resposta: D▼ Questão 123 ”Todas as manhãs quando acordo, experimento um prazer supremo: o de ser Salvador Dalí.” NÉRET, G. Salvador Dalí. Taschen, 1996. Assim escreveu o pintor dos ”relógios moles” e das ”girafas em chamas” em 1931. Esse artista excêntrico deu apoio ao general Franco durante a Guerra Civil Espanhola e, por esse motivo, foi afastado do movimento sur- realista por seu líder, André Breton. Dessa forma, Dalí criou seu próprio estilo, baseado na interpretação dos sonhos e estudos de Sigmund Freud, denominado ”método de interpretação paranoico”.ENEM/2010 — 2o Dia 71 ANGLO VESTIBULARES
  • 71. Esse método era constituído por textos visuais que demonstram imagens A) do fantástico, impregnado de civismo pelo governo espanhol, em que a busca pela emoção e pela drama- ticidade desenvolveram um estilo incomparável. B) do onírico, que misturava sonho com realidade e interagia refletindo a unidade entre o consciente e o in- consciente como um universo único ou pessoal. C) da linha inflexível da razão, dando vazão a uma forma de produção despojada no traço, na temática e nas formas vinculadas ao real. D) do reflexo que, apesar do termo ”paranoico”, possui sobriedade e elegância advindas de uma técnica de cores discretas e desenhos precisos. E) da expressão e intensidade entre o consciente e a liberdade, declarando o amor pela forma de conduzir o enredo histórico dos personagens retratados. Resolução A representação do onírico é uma das principais características da pintura surrealista de Salvador Dalí. A relação intrínseca entre o surrealismo e as pesquisas de Sigmund Freud no campo da interpretação dos sonhos deu origem ao que se chamou de “método de interpretação paranoico”, em que se misturam consciente e inconsciente no desenvolvimento de um estilo único que marcou o trabalho do autor dos “relógios moles” e das “girafas em chamas”. Resposta: B▼ Questão 124 Choque a 36000 km/h A faixa que vai de 160 quilômetros de altitude em volta da terra assemelha-se a uma avenida congestionada onde orbitam 3000 satélites ativos. Eles disputam espaço com 17000 fragmentos de artefatos lançados pela Terra e que se desmancharam — foguetes, satélites desativados e até ferramentas perdidas por astronautas. Com um tráfego celeste tão intenso, era questão de tempo para que acontecesse um acidente de grandes pro- porções, como o da semana passada. Na terça-feira, dois satélites em órbita desde os anos 90 colidiram em um ponto 790 quilômetros acima da Sibéria. A trombada dos satélites chama a atenção para os riscos que oferece a montanha de lixo espacial em órbita. Como os objetos viajam a grande velocidade, mesmo um pequeno frag- mento de 10 centímetros poderia causar estragos consideráveis no telescópio Hubble ou na estação espacial Internacional — nesse caso pondo em risco a vida dos astronautras que lá trabalham. Revista Veja, 18 set. 2009 (adaptado). Levando-se em consideração os elementos constitutivos de um texto jornalístico, infere-se que o autor teve como objetivo A) exaltar o emprego da linguagem figurada. B) criar suspense e despertar temor no leitor. C) influenciar a opinião dos leitores sobre o tema, com as marcas argumentativas de seu posicionamento. D) induzir o leitor a pensar que os satélites artificiais representam um grande perigo para toda a humanidade. E) exercitar a ironia ao empregar “avenida congestionada”; “tráfego celeste tão intenso”; “montanha de lixo”. Resolução Todo texto jornalístico tem como objetivo trazer informações que sirvam como argumentos para o leitor assumir determinado ponto de vista a respeito do assunto sob exame. No caso do texto de Veja, o objetivo era conscientizar o leitor sobre os riscos decorrentes do excesso de objetos artificiais postos em órbita. Dada a velocidade com que esses objetos se movem, prováveis colisões podem danificar custosos equipamentos de pesquisa e até mesmo pôr sob ameaça a vida de astronautas alojados na estação espacial internacional. Resposta: CENEM/2010 — 2o Dia 72 ANGLO VESTIBULARES
  • 72. Texto para as questões 125 e 126 A carreira do crime Estudo feito por pesquisadores da Fundação Oswaldo Cruz sobre adolescentes recrutados pelo tráfico de dro- gas nas favelas cariocas expõe as bases sociais dessas quadrilhas, contribuindo para explicar as dificuldades que o Estado enfrenta no combate ao crime organizado. O tráfico oferece aos jovens de escolaridade precária (nenhum dos entrevistados havia completado o ensino fundamental) um plano de carreira bem estruturado, com salários que variam de R$ 400,00 a R$ 12.000 men- sais. Para uma base de comparação, convém notar que, segundo dados do IBGE de 2001, 59% da população brasileira com mais de dez anos que declara ter uma atividade remunerada ganha no máximo o ‘piso salarial’ oferecido pelo crime. Dos traficantes ouvidos pela pesquisa, 25% recebiam mais de R$ 2.000 mensais; já na população brasileira essa taxa não ultrapassa 6%. Tais rendimentos mostram que as políticas sociais compensatórias, como o Bolsa-Escola (que paga R$ 15 men- sais por aluno matriculado), são por si só incapazes de impedir que o narcotráfico continue aliciando crianças provenientes de estratos de baixa renda: tais políticas aliviam um pouco o orçamento familiar e incentivam os pais a manterem os filhos estudando, o que de modo algum impossibilita a opção pela delinquência. No mesmo sentido, os programas voltados aos jovens vulneráveis ao crime organizado (circo-escolas, oficinas de cultura, escolinhas de futebol) são importantes, mas não resolvem o problema. A única maneira de reduzir a atração exercida pelo tráfico é a repressão, que aumenta os riscos para os que escolhem esse caminho. Os rendimentos pagos aos adolescentes provam isso: eles são elevados precisamente porque a possibilidade de ser preso não é desprezível. É preciso que o Executivo federal e os estaduais des- montem as organizações paralelas erguidas pelas quadrilhas, para que a certeza de punição elimine o fascínio dos salários do crime. Editorial. Folha de S.Paulo, 15 jan. 2003.▼ Questão 125 No Editorial, o autor defende a tese de que “as políticas sociais que procuram evitar a entrada dos jovens no tráfico não terão chance de sucesso enquanto a remuneração oferecida pelos traficantes for tão mais compen- satória que aquela oferecida pelos programas do governo”. Para comprovar sua tese, o autor apresenta A) instituições que divulgam o crescimento de jovens no crime organizado. B) sugestões que ajudam a reduzir a atração exercida pelo crime organizado. C) políticas sociais que impedem o aliciamento de crianças no crime organizado. D) pesquisadores que se preocupam com os jovens envolvidos no crime organizado. E) números que comparam os valores pagos entre os programas de governo e o crime organizado. Resolução O principal argumento empregado pelo texto em defesa de sua tese é a enorme disparidade constatada pela Fundação Oswaldo Cruz entre a remuneração oferecida pelos programas sociais e pelo mercado de trabalho, de um lado, e o plano de carreira estruturado pelo narcotráfico para atrair seus operadores, de outro. Enquanto o bolsa-escola oferecia R$ 15,00 mensais por aluno matriculado e o mercado de trabalho praticava o teto de R$ 400,00 para 59% dos assalariados, no tráfico os mesmos R$ 400,00 mensais funcionavam como piso salarial e 25% dos aliciados chegavam a ganhar mais de R$ 2000,00. Resposta: E▼ Questão 126 Com base nos argumentos do autor, o texto aponta para A) uma denúncia de quadrilhas que se organizam em torno do narcotráfico. B) a constatação de que o narcotráfico restringe-se aos centros urbanos. C) a informação de que as políticas sociais compensatórias eliminarão a atividade criminosa a longo prazo. D) o convencimento do leitor de que para haver a superação do problema do narcotráfico é preciso aumentar a ação policial. E) uma exposição numérica realizada com o fim de mostrar que o negócio do narcotráfico é vantajoso e sem riscos.ENEM/2010 — 2o Dia 73 ANGLO VESTIBULARES
  • 73. Resolução Os argumentos apresentados no editorial conduzem à conclusão exposta no último parágrafo: “a única maneira de reduzir a atração exercida pelo tráfico é a repressão”. Ou seja, o texto aponta para a necessidade de aumentar a ação policial, tal como consta na alternativa D. Resposta: D▼ Questão 127 Venho solicitar a clarividente atenção de Vossa Excelência para que seja conjurada uma calamidade que está prestes a desabar em cima da juventude feminina do Brasil. Refiro-me, senhor presidente, ao movimento entusiasta que está empolgando centenas de moças, atraindo-as para se transformarem em jogadoras de fu- tebol, sem se levar em conta que a mulher não poderá praticar este esporte violento sem afetar, seriamente, o equilíbrio fisiológico das suas funções orgânicas, devido à natureza que dispôs a ser mãe. Ao que dizem os jornais, no Rio de Janeiro, já estão formados nada menos de dez quadros femininos. Em São Paulo e Belo Horizonte também já estão se constituindo outros. E, neste crescendo, dentro de um ano, é provável que em todo o Brasil estejam organizados uns 200 clubes femininos de futebol: ou seja: 200 núcleos destroçados da saúde de 2,2 mil futuras mães, que, além do mais, ficarão presas a uma mentalidade depressiva e propensa aos exibicionismos rudes e extravagantes. Coluna Pênalti. Carta Capital. 28 abr. 2010. O trecho é parte de uma carta de um cidadão brasileiro, José Fuzeira, encaminhada, em abril de 1940, ao então presidente da República Getúlio Vargas. As opções linguísticas de Fuzeira mostram que seu texto foi elaborado em linguagem A) regional, adequada à troca de informações na situação apresentada. B) jurídica, exigida pelo tema relacionado ao domínio do futebol. C) coloquial, considerando-se que ele era um cidadão brasileiro comum. D) culta, adequando-se ao seu interlocutor e à situação de comunicação. E) informal, pressupondo o grau de escolaridade de seu interlocutor. Resolução A carta de José Fuzeira a Getúlio Vargas, então presidente da República, foi escrita na variante culta da língua, empregando formas de tratamento respeitosas e vocabulário requintado, como se espera de uma situação de comunicação caracterizada pela formalidade. Resposta: D▼ Questão 128 Negrinha Negrinha era uma pobre órfã de sete anos. Preta? Não; fusca, mulatinha escura, de cabelos ruços e olhos assus- tados. Nascera na senzala, de mãe escrava, e seus primeiros anos vivera-os pelos cantos escuros da cozinha, sobre velha esteira e trapos imundos. Sempre escondida, que a patroa não gostava de crianças. Excelente senhora, a patroa. Gorda, rica, dona do mundo, amimada dos padres, com lugar certo na igreja e camarote de luxo reservado no céu. Entaladas as banhas no trono (uma cadeira de balanço na sala de jantar), ali bordava, recebia as amigas e o vigário, dando audiências, discutindo o tempo. Uma virtuosa senhora em suma — “dama de grandes virtudes apostólicas, esteio da religião e da moral”, dizia o reverendo. Ótima, a dona Inácia. Mas não admitia choro de criança. Ai! Punha-lhe os nervos em carne viva. [...] A excelente dona Inácia era mestra na arte de judiar de crianças. Vinha da escravidão, fora senhora de escravos — e daquelas ferozes, amigas de ouvir cantar o bolo e estalar o bacalhau. Nunca se afizera ao regime novo — essa indecência de negro igual. LOBATO, M. Negrinha. In: MORICONE, I. Os cem melhores contos brasileiros do século. Rio de Janeiro: Objetiva, 2000 (fragmento).ENEM/2010 — 2o Dia 74 ANGLO VESTIBULARES
  • 74. A narrativa focaliza um momento histórico-social de valores contraditórios. Essa contradição infere-se, no contexto, pela A) falta de aproximação entre a menina e a senhora, preocupada com as amigas. B) receptividade da senhora para com os padres, mas deselegante para com as beatas. C) ironia do padre a respeito da senhora, que era perversa com as crianças. D) resistência da senhora em aceitar a liberdade dos negros, evidenciada no final do texto. E) rejeição aos criados por parte da senhora, que preferia tratá-los com castigos. Resolução O conto “Negrinha” retrata um panorama social do Brasil patriarcal entre o fim do século XIX e o início do século XX. Os valores contraditórios referidos no enunciado encontram a sua ocorrência na alternativa D. Essa alternativa, ao afirmar a resistência da senhora diante da criada, manifesta o preconceito racial típico dos escravo- cratas e a postura “embranquecedora” das famílias tradicionais, que rejeitavam a liberdade dos escravos e, por consequência, qualquer equivalência social diminuir deles com os patrões. Resposta: D▼ Questão 129 Capítulo III Um criado trouxe o café. Rubião pegou na xícara e, enquanto lhe deitava açúcar, ia disfarçadamente miran- do a bandeja, que era de prata lavrada. Prata, ouro, eram os metais que amava de coração; não gostava de bronze, mas o amigo Palha disse-lhe que era matéria de preço, e assim se explica este par de figuras que aqui está na sala: um Mefistófeles e um Fausto. Tivesse, porém, de escolher, escolheria a bandeja, — primor de ar- gentaria, execução fina e acabada. O criado esperava teso e sério. Era espanhol; e não foi sem resistência que Rubião o aceitou das mãos de Cristiano; por mais que lhe dissesse que estava acostumado aos seus crioulos de Minas, e não queria línguas estrangeiras em casa, o amigo Palha insistiu, demonstrando-lhe a necessidade de ter criados brancos. Rubião cedeu com pena. O seu bom pajem, que ele queria pôr na sala, como um pedaço da província, nem o pôde deixar na cozinha, onde reinava um francês, Jean; foi degradado a outros serviços. ASSIS, M. Quincas Borba. In: Obra completa. V.1. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1993 (fragmento). Quincas Borba situa-se entre as obras-primas do autor e da literatura brasileira. No fragmento apresentado, a peculiaridade do texto que garante a universalização de sua abordagem reside A) no conflito entre o passado pobre e o presente rico, que simboliza o triunfo da aparência sobre a essência. B) no sentimento de nostalgia do passado devido à substituição da mão de obra escrava pela dos imigrantes. C) na referência a Fausto e Mefistófeles, que representam o desejo de eternização de Rubião. D) na admiração dos metais por parte de Rubião, que metaforicamente representam a durabilidade dos bens produzidos pelo trabalho. E) na resistência de Rubião aos criados estrangeiros, que reproduz o sentimento de xenofobia. Resolução No trecho extraído de Quincas Borba, nota-se um jogo de contrários construído sobre as qualidades dos objetos domésticos (ouro e prata vs. bronze, estatuetas artísticas vs. utensílios) e dos criados (livre vs. escravo, negro vs. branco, estrangeiro vs. nacional). Tais antíteses expressam as tensões entre aparência e essência que levam Rubião, cioso de seu estado de novo rico, a preferir sempre a primeira à segunda, como se nota na dileção pela prata (em desprezo ao do bronze, figurado em temas universais da literatura) e na opção pelo criado espanhol (em desfavor do crioulo, por quem Rubião sentia afetividade). Resposta: A▼ Questão 130 O Flamengo começou a partida no ataque, enquanto o Botafogo procurava fazer uma forte marcação no meio campo e tentar lançamentos para Victor Simões, isolado entre os zagueiros rubro-negros. Mesmo com mais posse de bola, o time dirigido por Cuca tinha grande dificuldade de chegar à área alvinegra por causa do bloqueio montado pelo Botafogo na frente da sua área.ENEM/2010 — 2o Dia 75 ANGLO VESTIBULARES
  • 75. No entanto, na primeira chance rubro-negra, saiu o gol. Após cruzamento da direita de Ibson, a zaga alvinegra rebateu a bola de cabeça para o meio da área. Kléberson apareceu na jogada e cabeceou por cima do goleiro Renan. Ronaldo Angelim apareceu nas costas da defesa e empurrou para o fundo da rede quase que em cima da linha: Flamengo 1 a 0. Disponível em: http://momentodofutebol.blogspot.com (adaptado). O texto, que narra uma parte do jogo final do Campeonato Carioca de futebol, realizado em 2009, contém vários conectivos, sendo que A) após é conectivo de causa, já que apresenta o motivo de a zaga alvinegra ter rebatido a bola de cabeça. B) enquanto tem um significado alternativo, porque conecta duas opções possíveis para serem aplicadas no jogo. C) no entanto tem significado de tempo, porque ordena os fatos observados no jogo em ordem cronológica de ocorrência. D) mesmo traz ideia de concessão, já que “com mais posse de bola”, ter dificuldade não é algo naturalmente esperado. E) por causa de indica consequência, porque as tentativas de ataque do Flamengo motivaram o Botafogo a fazer um bloqueio. Resolução O advérbio “mesmo” estabelece uma relação de concessão. No trecho “Mesmo com mais posse de bola, o time dirigido por Cuca tinha grande dificuldade de chegar à área alvinegra”, pressupõe-se que ter mais posse de bola deveria facilitar a chegada à área adversária. Mas, como isso não ocorria, emprega-se o “mesmo”, para mostrar que a posse de bola era insuficiente para ameaçar a equipe rival. Resposta: D▼ Questão 131 CADA UM NA SUA O que o sexo dos matriculados nas universidades brasileiras diz sobre a mente dos machos e das fêmeas. % MULHERES Eles… 100 Tendem a usar a cabeça para 84% 90 lidar com as coisas inanimadas 75% 72% 80 e abstrações. Por isso são 63% 70 maioria nos cursos de exatas. 60 50 38% Psicologia Humanas-artes 40 27% Educação 30 21% 20% Medicina 20 10 Matemática PESSOAS COISAS Engenharia –10 Mineração 16% –20 Física 25% –30 28% …e Elas 37%–40 Têm mais habilidade em –50 compreender as pessoas –60 e emoções. Então dominam –70 62% as carreiras que têm –80 73% 79% 80% a ver com isso. –90 –100 % HOMENS Superinteressante. Ed. 256, set. 2008. Segundo pesquisas recentes, é irrelevante a diferença entre sexos para se avaliar a inteligência. Com relação às tendências para áreas do conhecimento, por sexo, levando em conta a matrícula em cursos universitários brasileiros, as informações do gráfico asseguram queENEM/2010 — 2o Dia 76 ANGLO VESTIBULARES
  • 76. A) os homens estão matriculados em menor proporção em cursos de Matemática que em Medicina por lidarem melhor com pessoas. B) as mulheres estão matriculadas em maior percentual em cursos que exigem capacidade de compreensão dos seres humanos. C) as mulheres estão matriculadas em percentual maior em Física que em Mineração por tenderem a trabalhar melhor com abstrações. D) os homens e as mulheres estão matriculados na mesma proporção em cursos que exigem habilidades seme- lhantes na mesma área. E) as mulheres estão matriculadas em menor número em Psicologia por sua habilidade de lidarem melhor com coisas que com sujeitos. Resolução De acordo com os dados do infográfico, as mulheres têm mais facilidade para lidar com “pessoas”, por estarem mais matriculadas em cursos que exigem essa capacidade, como Psicologia, Medicina e cursos na área de Educação. Resposta: B▼ Questão 132 Após estudar na Europa, Anita Malfatti retornou ao Brasil com uma mostra que abalou a cultura nacional do início do século XX. Elogiada por seus mestres na Europa, Anita se considerava pronta para mostrar seu trabalho no Brasil, mas enfrentou as duras críticas de Monteiro Lobato. Com a intenção de criar uma arte que valorizasse a cultura brasileira, Anita Malfatti e outros artistas modernistas A) buscaram libertar a arte brasileira das normas acadêmicas europeias, valorizando as cores, a originalidade e os temas nacionais. B) defenderam a liberdade limitada de uso da cor, até então utilizada de forma irrestrita, afetando a criação artística nacional. C) representaram a ideia de que a arte deveria copiar fielmente a natureza, tendo como finalidade a prática educativa. D) mantiveram de forma fiel a realidade nas figuras retratadas, defendendo uma liberdade artística ligada à tradição acadêmica. E) buscaram a liberdade na composição de suas figuras, respeitando limites de temas abordados. Resolução A libertação da arte brasileira das normas acadêmicas europeias é uma das principais propostas dos artistas modernistas brasileiros que participaram da Semana de Arte Moderna de 1922. A busca da originalidade na abordagem de temas principalmente nacionais e a valorização das cores também são características presentes nas obras de Anita Malfatti (“Tropical”, “O homem amarelo”, “A mulher de cabelos verdes”) exibidas na exposição realizada em 1917, em São Paulo, quando a artista foi duramente criticada por Monteiro Lobato, no artigo “Paranoia ou mistificação”. Resposta: A▼ Questão 133 É muito raro que um novo modo de comunicação ou de expressão suplante completamente os anteriores. Fala-se menos desde que a escrita foi inventada? Claro que não. Contudo, a função da palavra viva mudou, uma parte de suas missões nas culturas puramente orais tendo sido preenchida pela escrita: transmissão dos conhecimentos e das narrativas, estabelecimento de contratos, realização dos principais atos rituais ou sociais etc. Novos estilos de conhecimento (o conhecimento “teórico”, por exemplo) e novos gêneros (o código de leis, o romance etc.) surgiram. A escrita não fez com que a palavra desaparecesse, ela complexificou e reorga- nizou o sistema da comunicação e da memória social. A fotografia substituiu a pintura? Não, ainda há pintores ativos. As pessoas continuam, mais do que nunca, a visitar museus, exposições e galerias, compram as obras dos artistas para pendurá-las em casa. Em contrapar- tida, é verdade que os pintores, os desenhistas, os gravadores, os escultores não são mais — como foram até o século XIX — os únicos produtores de imagens. LÉVY, P. Cibercultura. São Paulo: Ed. 34, 1999 (fragmento).ENEM/2010 — 2o Dia 77 ANGLO VESTIBULARES
  • 77. A substituição pura e simples do antigo pelo novo ou do natural pelo técnico tem sido motivo de preocupação de muita gente. O texto encaminha uma discussão em torno desse temor ao A) considerar as relações entre o conhecimento teórico e o conhecimento empírico e acrescenta que novos gêneros textuais surgiram com o progresso. B) observar que a língua escrita não é uma transcrição fiel da língua oral e explica que as palavras antigas devem ser utilizadas para preservar a tradição. C) perguntar sobre a razão das pessoas visitarem museus, exposições etc., e reafirma que os fotógrafos são os únicos responsáveis pela produção de obras de arte. D) reconhecer que as pessoas temem que o avanço dos meios de comunicação, inclusive on-line, substitua o homem e leve alguns profissionais ao esquecimento. E) revelar o receio das pessoas em experimentar novos meios de comunicação, com medo de sentirem retró- gradas. Resolução Pode-se admitir que o texto relaciona criticamente o conhecimento teórico (pressuposto na hipótese de que uma forma de comunicação nova possa suplantar completamente as anteriores) ao conhecimento empí- rico, prático (indicador de que essa substituição não ocorre). Além disso, o texto fala do surgimento de novos gêneros por causa da escrita, como “o código de leis” e “o romance”. Resposta: A▼ Questão 134 Texto I Eu amo a rua. Esse sentimento de natureza toda íntima não vos seria revelado por mim se não julgasse, e razões não tivesse para julgar, que este amor assim absoluto e assim exagerado é partilhado por todos vós. Nós somos irmãos, nós nos sentimos parecidos e iguais; nas cidades, nas aldeias, nos povoados, não porque soframos, com a dor e os desprazeres, a lei e a polícia, mas porque nos une, nivela e agremia o amor da rua. É este mesmo o sentimento imperturbável e indissolúvel, o único que, como a própria vida, resiste às idades e às épocas. RIO, J. A rua. In: A alma encantadora das ruas. São Paulo: Companhia das Letras, 2008 (fragmento). Texto II A rua dava-lhe uma força de fisionomia, mais consciência dela. Como se sentia estar no seu reino, na região em que era rainha e imperatriz. O olhar cobiçoso dos homens e o de inveja das mulheres acabavam o sentimento de sua personalidade, exaltavam-no até. Dirigiu-se para a rua do Catete com o seu passo miúdo e sólido. […] No caminho trocou cumprimento com as raparigas pobres de uma casa de cômodos da vizinhança. […] E debaixo dos olhares maravilhados das pobres raparigas, ela continuou o seu caminho, arrepanhando a saia, satisfeita que nem uma duquesa atravessando os seus domínios. BARRETO, L. Um e outro. In: Clara dos anjos. Rio de Janeiro: Editora Mérito (fragmento). A experiência urbana é um tema recorrente em crônicas, contos e romances do final do século XIX e início do XX, muitos dos quais elegem a rua para explorar essa experiência. Nos fragmentos I e II, a rua é vista, respec- tivamente, como lugar que A) desperta sensações contraditórias e desejo de reconhecimento. B) favorece o cultivo da intimidade e a exposição dos dotes físicos. C) possibilita vínculos pessoais duradouros e encontros casuais. D) propicia o sentido de comunidade e a exibição pessoal. E) promove o anonimato e a segregação social. Resolução O texto I explora o sentido de comunidade proporcionado pela “alma encantadora das ruas”. Tal encanto re- side na sensação de que este espaço “nos une, nivela e agremia” e porque “nós nos sentimos parecidos e iguais”. Por sua vez, o texto II descreve a consciência que uma mulher possui de sua presença ao se exibir pelas ruas, “debaixo de olhares admirados”, percebendo “o olhar cobiçoso dos homens e o de inveja das mulheres”. Resposta: DENEM/2010 — 2o Dia 78 ANGLO VESTIBULARES
  • 78. ▼ Questão 135 Fora da ordem Em 1588, o engenheiro militar italiano Agostinho Romelli publicou Le Diverse et Artificiose Machine, no qual descrevia uma máquina de ler livros. Montada para girar verticalmente, como uma roda de hamster, a inven- ção permitia que o leitor fosse de um texto ao outro sem se levantar de sua cadeira. Hoje podemos alternar entre documentos com muito mais facilidade — um clique no mouse é suficiente para acessarmos imagens, textos, vídeos e sons instantaneamente. Para isso, usamos o computador, e principalmen- te a internet — tecnologias que não estavam disponíveis no Renascimento, época em que Romelli viveu. BERCITTO, D. Revista Língua Portuguesa. Ano II. No 14. O inventor italiano antecipou, no século XVI, um dos princípios definidores do hipertexto: a quebra de lineari- dade na leitura e a possibilidade de acesso ao texto conforme o interesse do leitor. Além de ser característica essencial da internet, do ponto de vista da produção do texto, a hipertextualidade se manifesta também em textos impressos, como A) dicionários, pois a forma do texto dá liberdade de acesso à informação. B) documentários, pois o autor faz uma seleção dos fatos e das imagens. C) relatos pessoais, pois o narrador apresenta sua percepção dos fatos. D) editoriais, pois o editorialista faz uma abordagem detalhada dos fatos. E) romances românticos, pois os eventos ocorrem em diversos cenários. Resolução Considerando que uma das características do hipertexto é a quebra da linearidade, pode-se dizer que os di- cionários também têm essa característica, pois eles permitem o “acesso ao texto de acordo com o interesse do leitor”. Resposta: AENEM/2010 — 2o Dia 79 ANGLO VESTIBULARES
  • 79. T MA EM Á ICA E S U S T C O L G AS T A E N O I▼ Questão 136 Um professor dividiu a lousa da sala de aula em quatro partes iguais. Em seguida, preencheu 75% dela com conceitos e explicações, conforme a figura seguinte. xxxxx xxx xxxx xxxxx xxx xxxx xxxxx xxx xxxx xxxxxxxx xxxxx xxxxxxxx xxxxx xxxxxxxx xxxxx xxxx xx xx xxxx xxxx xx xx xxxx xxxx xx xx xxxx xx xxxxxx xxxxx xx xxxxxx xxxxx xx xxxxxx xxxxx xxxx xx xxxx xx xxxx xx xxxx xx xxxx xx xxxx xx xxxxx xxx xxxx xxxxx xxx xxxx xxxxx xxx xxxx Algum tempo depois, o professor apagou a lousa por completo e, adotando um procedimento semelhante ao anterior, voltou a preenchê-la, mas, dessa vez, utilizando 40% do espaço dela. Uma representação possível para essa segunda situação é xxxxx xxx xxxx xxxxxxxx xxxxx A) xxxx xx xx xxxx xx xxxxxx xxxxx xxxx xx xxxx xx xxxxx xxx xxxx xxxxx xxx xxxx xxxxx xxx xxxx xxxxxxxx xxxxx xxxxxxxx xxxxx B) xxxx xx xx xxxx xx xxxxxx xxxxx xxxx xx xxxx xx xxxx xx xx xxxx xx xxxxxx xxxxx xxxx xx xxxx xx xxxxx xxx xxxx xxxxx xxx xxxx xxxxx xxxxx xxxxx xxxxx xxxxxx xxxx xxxxxx xxxx C) xxxx xx xxxx xxxx xxxxx x xxxx xx xxxx xxxx xxxxx x xx xxxx xxxx xx xxxx xxxx xxxxxxxxxxx xxxxxxxxxxx xxxxx xxxxx xxxxx xxxxx xxxxx xxxxx xxxxxx xxxx xxxxxx xxxx xxxxxx xxxx D) xxxx xx xxxx xxxx xxxxx x xx xxxx xxxx xxxx xx xxxx xxxx xxxxx x xx xxxx xxxx xxxx xx xxxx xxxx xxxxx x xx xxxx xxxx xxxxxxxxxxx xxxxxxxxxxx xxxxxxxxxxx xxxxx xxxxx xxxxx xxxxx xxxxx xxxxx xxxxx xxxxx xxxxxx xxxx xxxxxx xxxx xxxxxx xxxx xxxxxx xxxx E) xxxx xx xxxx xxxx xxxxx x xxxx xx xxxx xxxx xxxxx x xxxx xx xxxx xxxx xxxxx x xxxx xx xxxx xxxx xxxxx x xx xxxx xxxx xx xxxx xxxx xx xxxx xxxx xx xxxx xxxx xxxxxxxxxxx xxxxxxxxxxx xxxxxxxxxxx xxxxxxxxxxx Resolução Inicialmente, note que: 40 2 40% = = 100 5 Assim, preencher 40% da lousa corresponde a dividi-la em 5 partes iguais e ocupar 2 partes com conceitos e explicações. Desse modo, uma possível representação para essa situação é: xxxxx xxxxx xxxxx xxxxx xxxxxx xxxx xxxxxx xxxx xxxx xx xxxx xxxx xx xxxx xxxx xxxxx x xxxx xxxxx x xx xxxx xxxx xx xxxx xxxx xxxxxxxxxxx xxxxxxxxxxx Resposta: C▼ Questão 137 Alguns testes de preferência por bebedouros de água foram realizados com bovinos, envolvendo três tipos de bebedouros, de formatos e tamanhos diferentes. Os bebedouros 1 e 2 têm a forma de um tronco de cone circular reto, de altura igual a 60 cm, e diâmetro da base superior igual a 120 cm e 60 cm, respectivamente. O bebedouro 3 é um semicilindro, com 30 cm de altura, 100 cm de comprimento e 60 cm de largura.ENEM/2010 — 2o Dia 80 ANGLO VESTIBULARES
  • 80. Os três recipientes estão ilustrados na figura. 120 cm 60 cm 60 cm 60 cm Bebedouro 1 Bebedouro 2 60 cm 100 cm 30 cm Bebedouro 3 Considerando que nenhum dos recipientes tenha tampa, qual das figuras a seguir representa uma planificação para o bebedouro 3? A) 100 cm D) 60 cm 60 cm 100 cm 60 cm 60 cm B) 100 cm E) 60 cm 100 cm C) 100 cm 60 cm 60 cm Resolução O sólido que representa o bebedouro 3 é um semicilindro circular reto, cuja base é um semicírculo de diâme- tro 60 cm e a superfície lateral é limitada por um retângulo de altura 100 cm; das figuras apresentadas, a que melhor representa a planificação é aquela que aparece na alternativa E. Resposta: E▼ Questão 138 No monte de Cerro Armazones, no deserto de Atacama, no Chile, ficará o maior telescópio da superfície terrestre, o Telescópio Europeu Extremamente Grande (E-ELT). O E-ELT terá um espelho primário de 42 m de diâmetro, “o maior olho do mundo voltado para o céu”. Disponível em: http://www.estadao.com.br. Acesso em: 27 abr. 2010 (adaptado). Ao ler esse texto em uma sala de aula, uma professora fez uma suposição de que o diâmetro do olho humano mede aproximadamente 2,1 cm.ENEM/2010 — 2o Dia 81 ANGLO VESTIBULARES
  • 81. Qual a razão entre o diâmetro aproximado do olho humano, suposto pela professora, e o diâmetro do espelho primário do telescópio citado? A) 1 : 20 B) 1 : 100 C) 1 : 200 D) 1 : 1000 E) 1 : 2000 Resolução Sendo E a razão pedida, do enunciado, temos: 2,1 cm 2,1 cm E= = 42 m 4200 cm Logo, 21 1 E= ∴ E= 42000 2000 Resposta: E▼ Questão 139 Uma fábrica produz barras de chocolates no formato de paralelepípedos e de cubos, com o mesmo volume. As arestas da barra de chocolate no formato de paralelepípedo medem 3 cm de largura, 18 cm de comprimento e 4 cm de espessura. Analisando as características das figuras geométricas descritas, a medida das arestas dos chocolates que têm o formato de cubo é igual a A) 5 cm. B) 6 cm. C) 12 cm. D) 24 cm. E) 25 cm. Resolução Sendo a medida da aresta do cubo, em centímetros, do enunciado, temos: l l3 = 3 ⋅ 18 ⋅ 4 l3 = 3 ⋅ 2 ⋅ 32 ⋅ 22 3 l= 33 ⋅ 23 = 3 ⋅ 2 ∴ l =6 Resposta: B▼ Questão 140 Em sete de abril de 2004, um jornal publicou o ranking de desmatamento, conforme gráfico, da chamada Amazônia Legal, integrada por nove estados. Ranking do Desmatamento em km2 9º Amapá 4 8º Tocantins 136 7º Roraima 326 6º Acre 549 5º Maranhão 766 4º Amazonas 797 3º Rondônia 3463 º á Disponível em: www.folhaonline.com.br. Acesso em: 30 abr. 2010 (adaptado).ENEM/2010 — 2o Dia 82 ANGLO VESTIBULARES
  • 82. Considerando-se que até 2009 o desmatamento cresceu 10,5% em relação aos dados de 2004, o desmatamen- to médio por estado em 2009 está entre A) 100 km2 e 900 km2. B) 1000 km2 e 2700 km2. C) 2800 km2 e 3200 km2. D) 3300 km2 e 4000 km2. E) 4100 km2 e 5800 km2. Resolução O desmatamento médio por estado em 2004 (D1) era tal que: 10416 + 7293 + 3463 + 797 + 766 + 549 + 326 + 136 + 4 D1 = 9 D1 2638,9 km2 Assim, o desmatamento médio por estado em 2009 (D2) é: D2 1,105 ⋅ 2638,9 ∴ D2 2916,0 km2 O desmatamento médio, em 2009, está entre 2800 km2 e 3200 km2 Resposta: C▼ Questão 141 Os dados do gráfico foram coletados por meio da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios. Estudantes que possuem telefone móvel celular com idade de 10 anos ou mais 70 63 64 62 Porcentagem (%) 60 56 58 50 44 42 40 37 36 38 30 20 10 0 Possuíam entro-Oeste Nordeste Sudeste Sul Norte Não Possuíam Fonte: IBGE. Disponível em: http://www.ibge.gov.br. Acesso em: 28 abr. 2010 (adaptado). Supondo-se que, no Sudeste, 14900 estudantes foram entrevistados nessa pesquisa, quantos deles possuíam telefone móvel celular? A) 5513 B) 6556 C) 7450 D) 8344 E) 9536 Resolução Do gráfico, temos que 56% dos entrevistados do Sudeste possuíam telefone móvel celular. Assim, 0,56 ⋅ 14900 = 8344 estudantes. Resposta: D▼ Questão 142 Acompanhando o crescimento do filho, um casal constatou que, de 0 a 10 anos, a variação da sua altura se dava de forma mais rápida do que dos 10 aos 17 anos e, a partir de 17 anos, essa variação passava a ser cada vez menor, até se tornar imperceptível. Para ilustrar essa situação, esse casal fez um gráfico relacionando as alturas do filho nas idades consideradas.ENEM/2010 — 2o Dia 83 ANGLO VESTIBULARES
  • 83. Que gráfico melhor representa a altura do filho desse casal em função da idade? A) Altura (cm) D) Altura (cm) 180 171 180 171 148 148 51 51 10 17 0 10 17 Idade (anos) 0 Idade (anos) B) Altura (cm) E) Altura (cm) 180 171 180 148 171 148 51 51 0 10 17 Idade (anos) 0 10 17 Idade (anos) C) Altura (cm) 180 171 148 51 0 10 17 Idade (anos) Resolução Observando que todos os gráficos representados são compostos por segmentos de retas, temos: (1) Como de 0 a 10 anos o crescimento é maior que dos 10 aos 17 anos, a inclinação desse segmento de reta é maior que a do segundo intervalo. (2) Como após os 17 anos o crescimento é quase imperceptível, os segmentos que podem representar essa situação devem ter inclinação menor que o de 10 a 17 anos. (3) Como em 10 e 17 a altura é a mesma, segmentos consecutivos devem ter um ponto em comum. Considerando (1), (2) e (3), o gráfico que melhor representa a altura do filho é: Altura (cm) 180 171 148 51 0 10 17 Idade (anos) Resposta: AENEM/2010 — 2o Dia 84 ANGLO VESTIBULARES
  • 84. ▼ Questão 143 A classificação de um país no quadro de medalhas nos Jogos Olímpicos depende do número de medalhas de ouro que obteve na competição, tendo como critérios de desempate o número de medalhas de prata seguido do número de medalhas de bronze conquistados. Nas Olimpíadas de 2004, o Brasil foi o décimo sexto colocado no quadro de medalhas, tendo obtido 5 medalhas de ouro, 2 de prata e 3 de bronze. Parte desse quadro de medalhas é reproduzida a seguir. Medalhas Medalhas Medalhas Total de Classificação País de ouro de prata de bronze medalhas 8o Itália 10 11 11 32 Coreia do 9o 9 12 9 30 Sul 10o Grã-Bretanha 9 9 12 30 11o Cuba 9 7 11 27 12o Ucrânia 9 5 9 23 13o Hungria 8 6 3 17 Disponível em: http://www.quadroademedalhas.com.br. Acesso em: 05 abr. 2010 (adaptado). Se o Brasil tivesse obtido mais 4 medalhas de ouro, 4 de prata e 10 de bronze, sem alteração no número de medalhas dos demais países mostrados no quadro, qual teria sido a classificação brasileira no quadro de me- dalhas das Olimpíadas de 2004? A) 13o B) 12o C) 11o D) 10o E) 9o Resolução Se tivesse obtido mais 4 medalhas de ouro, 4 de prata e 10 de bronze, o Brasil teria terminado as Olimpíadas de 2004 com 9 medalhas de ouro, 6 de prata e 13 de bronze. Assim, teria o mesmo número de medalhas de ouro que Cuba e a Ucrânia, perdendo para Cuba e ganhando da Ucrânia no número de medalhas de prata. Portanto ficaria na 12ª colocação. - Resposta: B▼ Questão 144 A resistência elétrica e as dimensões do condutor A relação da resistência elétrica com as dimensões do condutor foi estudada por um grupo de cientistas por meio de vários experimentos de eletricidade. Eles verificaram que existe proporcionalidade entre: resistência (R) e comprimento ( ) , dada a mesma secção transversal (A); l resistência (R) e área da secção transversal (A), dado o mesmo comprimento ( ) e l comprimento ( ) e área da secção transversal (A), dada a mesma resistência (R). l Considerando os resistores como fios, pode-se exemplificar o estudo das grandezas que influem na resistência elétrica utilizando as figuras seguintes. fio condutor A resistência R l fios de mesmo material fios de mesmo material fios de mesmo material A resistência R A resistência R A resistência R l l l A resistência 2R 2A resistência R 2A resistência R 2 2 l 2 l l Disponível em: http://www.efeitojoule.com. Acesso em: abr. 2010 (adaptado).ENEM/2010 — 2o Dia 85 ANGLO VESTIBULARES
  • 85. As figuras mostram que as proporcionalidades existentes entre resistência (R) e comprimento ( ), resistência (R) e l área da secção transversal (A), e entre comprimento ( ) e área da secção transversal (A) são, respectivamente, l A) direta, direta e direta. B) direta, direta e inversa. C) direta, inversa e direta. D) inversa, direta e direta. E) inversa, direta e inversa. Resolução Das figuras, temos: (1) Mantendo-se a secção transversal constante e dobrando-se o comprimento ( ) do fio, a resistência (R) dobra. l Assim, a proporcionalidade entre e R é direta. l (2) Mantendo-se o comprimento constante e dobrando-se a área da secção transversal (A), a resistência (R) fica dividida por dois. Assim, a proporcionalidade entre A e R é inversa. (3) Mantendo-se a resistência constante e dobrando-se o comprimento ( ) do fio, a área da secção transversal (A) l dobra. Assim, a proporcionalidade entre e A é direta. l De (1), (2) e (3), concluímos que a alternativa correta é C. Resposta: C▼ Questão 145 Os dados do gráfico seguinte foram gerados a partir de dados colhidos no conjunto de seis regiões metropolitanas pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). Taxas de desemprego nas regiões metropolitanas março/2010 São Paulo 13,1 Salvador 19,9 Recife 19,3 Porto Alegre 9,8 Belo Horizonte 10,2 Distrito Federal 14,7 0 5 10 15 20 25 Disponível em: http://g1.globo.com. Acesso em: 28 abr. 2010 (adaptado). Supondo que o total de pessoas pesquisadas na região metropolitana de Porto Alegre equivale a 250 000, o número de desempregados em março de 2010, nessa região, foi de A) 24500. B) 25000. C) 220500. D) 223000. E) 227500. Resolução Do gráfico, temos que 9,8% das 250000 pessoas pesquisadas em Porto Alegre estão desempregadas. O número de desempregados entre os pesquisados em março de 2010 é dado por: 9,8 ⋅ 250000 = 24500, ou seja, 24500 pessoas. 100 Resposta: AENEM/2010 — 2o Dia 86 ANGLO VESTIBULARES
  • 86. ▼ Questão 146 A siderúrgica “Metal Nobre” produz diversos objetos maciços utilizando o ferro. Um tipo especial de peça fei- ta nessa companhia tem o formato de um paralelepípedo retangular, de acordo com as dimensões indicadas na figura que segue. 1,3 m Metal Nobre 0,5 m 2,5 m O produto das três dimensões indicadas na peça resultaria na medida da grandeza A) massa. B) volume. C) superfície. D) capacidade. E) comprimento. Resolução O produto das três dimensões é 2,5 m ⋅ 0,5 m ⋅ 1,3 m = 1,625 m3, que representa a medida da grandeza volume. Resposta: B▼ Questão 147 A figura a seguir é a representação de uma região por meio de curvas de nível, que são curvas fechadas re- presentando a altitude da região, com relação ao nível do mar. As coordenadas estão expressas em graus de acordo com a longitude, no eixo horizontal, e a latitude, no eixo vertical. A escala em tons de cinza desenhada à direita está associada à altitude da região. Um pequeno helicóptero usado para reconhecimento sobrevoa a região a partir do ponto X = (20; 60). O he- licóptero segue o percurso: 0,8°L → 0,5°N → 0,2°O → 0,1°S → 0,4°N → 0,3°L. Ao final, desce verticalmente até pousar no solo. De acordo com as orientações, o helicóptero pousou em um local cuja altitude é A) menor ou igual a 200 m. B) maior que 200 m e menor ou igual a 400 m. C) maior que 400 m e menor ou igual a 600 m. D) maior que 600 m e menor ou igual a 800 m. E) maior que 800 m.ENEM/2010 — 2o Dia 87 ANGLO VESTIBULARES
  • 87. Resolução Do enunciado, temos: comando de posição inicial posição final percurso X (20; 60) 0,8° L A (20,8; 60) A (20,8; 60) 0,5° N B (20,8; 60,5) B (20,8; 60,5) 0,2° O C (20,6; 60,5) C (20,6; 60,5) 0,1° S D (20,6; 60,4) D (20,6; 60,4) 0,4° N E (20,6; 60,8) E (20,6; 60,8) 0,3° L F (20,9; 60,8) O percurso é dado pela poligonal que une os pontos X, A, B, C, D, E e F, como é mostrado na figura: E F C B D X A Assim, da escala de tons apresentada, podemos concluir que o helicóptero pousou num local cuja altitude é menor ou igual a 200 m. Resposta: A▼ Questão 148 O gráfico a seguir apresenta o gasto militar dos Estados Unidos, no período de 1988 a 2006. O GASTO MILITAR DOS ESTADOS UNIDOS SUPERA O DO FIM DA GUERRA FRIA Em bilhões de dólares 600 Queda do Muro de Berlim 536,6 528,7 (fim da Guerra Fria) Atentado de 11 de setembro; 486,4 500 ação militar no Afeganistão 426,8 417,4 403,7 400 374,4 422,1 354,3 354,8 341,5 Início da guerra 334,6 no Iraque 315,1 301,7 298,1 290,5 300 EUA entram na 315,1 304,1 Guerra do Golfo 289,7 200 1988 1989 1990 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 Fonte: Instituto Internacional de Pesquisa da Paz de Estocolmo (Sipri) Almanaque Abril 2008. Editora Abril. Com base no gráfico, o gasto militar no ínicio da guerra no Iraque foi de A) U$ 4.174.000,00. B) U$ 41.740.000,00. C) U$ 417.400.000,00. D) U$ 41.740.000.000,00. E) U$ 417.400.000.000,00.ENEM/2010 — 2o Dia 88 ANGLO VESTIBULARES
  • 88. Resolução Temos, marcado no gráfico, o ano de início da guerra no Iraque com valor de 417,4 na ordenada. Observando a legenda, vemos que a unidade do eixo é bilhões de dólares, portanto o gasto é de: US$ 417.400.000.000,00. Resposta: E▼ Questão 149 Uma professora realizou uma atividade com seus alunos utilizando canudos de refrigerantes para montar figu- ras, onde cada lado foi representado por um canudo. A quantidade de canudos (C) de cada figura depende da quantidade de quadrados (Q) que formam cada figura. A estrutura de formação das figuras está representada a seguir. Figura I Figura II Figura III Que expressão fornece a quantidade de canudos em função da quantidade de quadrados de cada figura? A) C = 4Q B) C = 3Q + 1 C) C = 4Q – 1 D) C = Q + 3 E) C = 4Q – 2 Resolução O enunciado nos dá três situações: I) Em um quadrado, são usados quatro canudos. II) Para formar um segundo quadrado, é aproveitado um lado já existente, e são adicionados três novos canu- dos, formando o segundo quadrado. III) Mais uma vez é aproveitado um lado já existente, e assim três novos canudos formam mais um quadrado. I) II) III) Legenda Canudos já existentes Canudos novos Portanto serão usados 3 canudos por quadrado e mais um por causa do quadrado inicial. C = 3Q + 1. Resposta: B▼ Questão 150 A loja Telas & Molduras cobra 20 reais por metro quadrado de tela, 15 reais por metro linear de moldura, mais uma taxa fixa de entrega de 10 reais. Uma artista plástica precisa encomendar telas e molduras a essa loja, suficientes para 8 quadros retangulares (25 cm × 50 cm). Em seguida, fez uma segunda encomenda, mas agora para 8 quadros retangulares (50 cm × 100 cm). O valor da segunda encomenda será A) o dobro do valor da primeira encomenda, porque a altura e a largura dos quadros dobraram. B) maior do que o valor da primeira encomenda, mas não o dobro. C) a metade do valor da primeira encomenda, porque a altura e a largura dos quadros dobraram. D) menor do que o valor da primeira encomenda, mas não a metade. E) igual ao valor da primeira encomenda, porque o custo de entrega será o mesmo.ENEM/2010 — 2o Dia 89 ANGLO VESTIBULARES
  • 89. Resolução 8 quadros (25 cm × 50 cm): área = 25 ⋅ 50 ⋅ 8 = 10000 cm2 = 1 m2 moldura = (50 ⋅ 2 + 25 ⋅ 2) ⋅ 8 = 1200 cm = 12 m ∴ custo = 20 ⋅ 1 + 15 ⋅ 12 + 10 = 210,00 reais 8 quadros (50 cm × 100 cm): área = 50 ⋅ 100 ⋅ 8 = 40000 cm2 = 4 m2 moldura = (50 ⋅ 2 + 100 ⋅ 2) ⋅ 8 = 2400 cm = 24 m ∴ custo = 20 ⋅ 4 + 15 ⋅ 24 + 10 = 450,00 reais Portanto o valor da segunda encomenda é maior do que o da primeira, mas não o dobro. Resposta: B▼ Questão 151 Dona Maria, diarista na casa da família Teixeira, precisa fazer café para servir as vinte pessoas que se encon- tram numa reunião na sala. Para fazer o café, Dona Maria dispõe de uma leiteira cilíndrica e copinhos plásticos, também cilíndricos. 8 cm 4 cm 20 cm 4 cm Com o objetivo de não desperdiçar café, a diarista deseja colocar a quantidade mínima de água na leiteira para encher os vinte copinhos pela metade. Para que isso ocorra, Dona Maria deverá A) encher a leiteira até a metade, pois ela tem um volume 20 vezes maior que o volume do copo. B) encher a leiteira toda de água, pois ela tem um volume 20 vezes maior que o volume do copo. C) encher a leiteira toda de água, pois ela tem um volume 10 vezes maior que o volume do copo. D) encher duas leiteiras de água, pois ela tem um volume 10 vezes maior que o volume do copo. E) encher cinco leiteiras de água, pois ela tem um volume 10 vezes maior que o volume do copo. Resolução Sejam, em cm3 : Vc: volume de um copinho; Va : volume de água a ser utilizado; VL: volume da leiteira. Supondo que a leiteira e os copinhos sejam cilindros circulares retos, do enunciado, temos: Vc = π ⋅ 22 ⋅ 4 ∴ Vc = 16 π (I) 1 Va = 20 ⋅ ⋅ π ⋅ 22 ⋅ 4 ∴ Va = 160 π (II) 2 VL = π ⋅ 42 ⋅ 20 ∴ VL = 320 π (III) De (II) e (III), podemos concluir que Dona Maria deverá encher a leiteira até a metade (IV). De (I) e (III), podemos concluir que o volume da leiteira é igual a 20 vezes o volume do copo (V). De (IV) e (V), resulta a alternativa A. Resposta: AENEM/2010 — 2o Dia 90 ANGLO VESTIBULARES
  • 90. ▼ Questão 152 Em canteiros de obras de construção civil é comum perceber trabalhadores realizando medidas de comprimen- to e de ângulos e fazendo demarcações por onde a obra deve começar ou se erguer. Em um desses canteiros foram feitas algumas marcas no chão plano. Foi possível perceber que, das seis estacas colocadas, três eram vértices de um triângulo retângulo e as outras três eram os pontos médios dos lados desse triângulo, conforme pode ser visto na figura, em que as estacas foram indicadas por letras. A região demarcada pelas estacas A, B, M e N deveria ser calçada com concreto. B Nessas condições, a área a ser calçada corresponde A) à mesma área do triângulo AMC. M P B) à mesma área do triângulo BNC. C) à metade da área formada pelo triângulo ABC. D) ao dobro da área do triângulo MNC. E) ao triplo da área do triângulo MNC. A C N Resolução Do enunciado, temos a figura, em que S representa a medida da área dos triângulos congruentes MNC, BPM, NMP e PAN: B 1 a MN = BA c S 2 b M P 1 PM = AC S a 2 c a c S S 1 PN = BC A b b C 2 N Nessas condições, a área de medida 3S a ser calçada corresponde ao triplo da área de medida S do triângulo MNC. Resposta: E▼ Questão 153 O jornal de certa cidade publicou em uma página inteira a seguinte divulgação de seu caderno de classificados. 26 mm 4% x mm outros jornais 96% 400 mm Pessoas que consultam nossos classificados 260 mmENEM/2010 — 2o Dia 91 ANGLO VESTIBULARES
  • 91. Para que a propaganda seja fidedigna à porcentagem da área que aparece na divulgação, a medida do lado do retângulo que representa os 4%, deve ser de aproximadamente A) 1 mm. B) 10 mm. C) 17 mm. D) 160 mm. E) 167 mm. Resolução A área da região que representa a página do jornal, em mm2, é igual a 260 mm ⋅ 400 mm = 104000 mm2. A área destinada à propaganda é 4% de 104000, ou seja, 4160 mm2. Logo, devemos ter 26 ⋅ x = 4160 e, portanto, x = 160. Resposta: D▼ Questão 154 Uma empresa possui um sistema de controle de qualidade que classifica o seu desempenho financeiro anual, tendo como base o do ano anterior. Os conceitos são: insuficiente, quando o crescimento é menor que 1%; regular, quando o crescimento é maior ou igual a 1% e menor que 5%; bom, quando o crescimento é maior ou igual a 5% e menor que 10%; ótimo, quando é maior ou igual a 10% e menor que 20%; e excelente, quando é maior ou igual a 20%. Essa empresa apresentou lucro de R$132000,00 em 2008 e de R$145000,00 em 2009. De acordo com esse sistema de controle de qualidade, o desempenho financeiro dessa empresa no ano de 2009 deve ser considerado A) insuficiente. B) regular. C) bom. D) ótimo. E) excelente. Resolução O crescimento em 2009 é dado por: 145000 – 132000 0,098, 132.000 ou seja, aproximadamente 9,8%, que é classificado como bom. Resposta: C▼ Questão 155 Uma escola recebeu do governo uma verba de R$ 1000,00 para enviar dois tipos de folhetos pelo correio. O diretor da escola pesquisou que tipos de selos deveriam ser utilizados. Concluiu que, para o primeiro tipo de folheto, bastava um selo de R$ 0,65 enquanto para folhetos do segundo tipo seriam necessários três selos, um de R$ 0,65, um de R$ 0,60 e um de R$ 0,20. O diretor solicitou que se comprassem selos de modo que fossem postados exatamente 500 folhetos do segundo tipo e uma quantidade restante de selos que permitisse o en- vio do máximo possível de folhetos do primeiro tipo. Quantos selos de R$ 0,65 foram comprados? A) 476 B) 675 C) 923 D) 965 E) 1538ENEM/2010 — 2o Dia 92 ANGLO VESTIBULARES
  • 92. Resolução De acordo com o enunciado, serão enviados 500 folhetos do segundo tipo. Cada um deles deve ter 3 selos: um de R$ 0,65; um de R$ 0,60 e um de R$ 0,20. Para tanto, podem ser usados R$ 1000,00. O que sobrar do dinheiro deve ser utilizado para o envio de folhetos do primeiro tipo. Cada um destes leva um selo de R$ 0,65. O custo do folheto 2: 0,65 + 0,60 + 0,20 = 1,45 1,45 ⋅ 500 = R$ 725,00 Assim, para enviar 500 folhetos do segundo tipo, são usados R$ 725,00 e sobram R$ 275,00 para a remessa de folhetos do primeiro tipo. Como o custo do folheto do primeiro tipo é de R$ 0,65, temos: 275,00 n= = 423,07 0,65 Serão enviados, dessa maneira, 423 folhetos do primeiro tipo e 500 do segundo. Tanto os folhetos do primeiro quanto do segundo tipo usam um selo de R$ 0,65, portanto, o número destes é: 500 + 423 = 923 Resposta: C▼ Questão 156 A figura I abaixo mostra um esquema das principais vias que interligam a cidade A com a cidade B. Cada número indicado na figura II representa a probabilidade de pegar um engarrafamento quando se passa na via indicada. Assim, há uma probabilidade de 30% de se pegar engarrafamento no deslocamento do ponto C ao ponto B, passando pela estrada E4, e de 50%, quando se passa por E3. Essas probabilidades são independentes umas das outras. C C E3 0,5 E1 0,8 E4 0,3 B A B A E6 0,6 E2 0,7 E5 0,4 D D Figura I Figura II Paula deseja se deslocar da cidade A para a cidade B usando exatamente duas das vias indicadas, percorrendo um trajeto com a menor probabilidade de engarrafamento possível. O melhor trajeto para Paula é A) E1E3. B) E1E4. C) E2E4. D) E2E5. E) E2E6. Resolução Do enunciado, temos a tabela: Probabilidade de não pegar Probabilidade de pegar engarrafamento Trajeto engarrafamento no 1o nem no 2o trecho em pelo menos um trecho E1E3 (1 – 0,8) • (1 – 0,5) = 0,10 1 – 0,1 = 0,90 E1E4 (1 – 0,8) • (1 – 0,3) = 0,14 1 – 0,14 = 0,86 E2E5 (1 – 0,7) • (1 – 0,4) = 0,18 1 – 0,18 = 0,82 E2E6 (1 – 0,7) • (1 – 0,6) = 0,12 1 – 0,12 = 0,88 Portanto, dos quatro trajetos possíveis para Paula, o de menor probabilidade de engarrafamento é E2E5. Resposta: DENEM/2010 — 2o Dia 93 ANGLO VESTIBULARES
  • 93. ▼ Questão 157 Para construir uma manilha de esgoto, um cilindro com 2 m de diâmetro e 4 m de altura (de espessura despre- zível), foi envolvido homogeneamente por uma camada de concreto, contendo 20 cm de espessura. Supondo que cada metro cúbico de concreto custe R$ 10,00 e tomando 3,1 como valor aproximado de π , então o preço dessa manilha é igual a A) R$ 230,40. B) R$ 124,00. C) R$ 104,16. D) R$ 54,56. E) R$ 49,60. Resolução Na figura, cotada em metros, está representada a manilha de esgoto, com a forma de um cilindro circular reto. “boca” da manilha concreto 20 cm = 0,2 m O: centro da base do cilindro menor 4 O 0,2 1 1 0,2 Sendo V o volume de concreto, em metros cúbicos, e fazendo π = 3,1, temos: V = 3,1 ⋅ (1,2)2 ⋅ 4 – 3,1 ⋅ 12 ⋅ 4 V = 3,1 ⋅ 4 ⋅ [(1,2)2 – 12] ∴ V = 5,456 Logo, o preço dessa manilha em reais é igual a 10 • 5,456, ou seja, 54,56. Resposta: D▼ Questão 158 No manejo sustentável de florestas, é preciso muitas vezes obter o volume da tora que pode ser obtida a partir de uma árvore. Para isso, existe um método prático, em que se mede a circunferência da árvore à altura do peito de um homem (1,30 m), conforme indicado na figura. A essa medida denomina-se ”rodo” da árvore. O quadro a seguir indica a fórmula para se cubar, ou seja, obter o volume da tora em m3 a partir da medida do rodo e da altura da árvore. O volume da tora em m3 é dado por V = rodo2 × altura × 0,06 O rodo e a altura da árvore devem ser medidos em metros. O coeficiente 0,06 foi obtido experimentalmente. Um técnico em manejo florestal recebeu a missão de cubar, abater e transportar cinco toras de madeira, de duas espécies diferentes, sendo • 3 toras da espécie I, com 3 m de rodo, 12 m de comprimento e densidade 0,77 toneladas/m3 ; • 2 toras da espécie II, com 4 m de rodo, 10 m de comprimento e densidade 0,78 toneladas/m3.ENEM/2010 — 2o Dia 94 ANGLO VESTIBULARES
  • 94. Após realizar seus cálculos, o técnico solicitou que enviassem caminhões para transportar uma carga de, apro- ximadamente, A) 29,9 toneladas. B) 31,1 toneladas. C) 32,4 toneladas D) 35,3 toneladas. E) 41,8 toneladas. Resolução Do enunciado, temos: • o volume de uma tora da espécie I, em m3, é igual a 32 ⋅ 12 ⋅ 0,06 = 6,48; • o volume de uma tora da espécie II, em m3, é igual a 42 ⋅ 10 ⋅ 0,06 = 9,60. Sabendo que a densidade de uma tora da espécie I é de 0,77 toneladas/m3, então cada tora dessa espécie tem massa 0,77 ⋅ 6,48 = 4,99 toneladas; a densidade de cada tora da espécie II é de 0,78 toneladas/m3 ; então, cada tora dessa espécie tem massa 0,78 ⋅ 9,60 = 7,49 toneladas. Assim, para transportar 3 toras da espécie I e 2 toras da espécie II são necessários caminhões que transportem uma carga de 3 ⋅ 4,99 + 2 ⋅ 7,49 ≈ 29,9 toneladas. Resposta: A▼ Questão 159 Embora o Índice de Massa Corporal (IMC) seja amplamente utilizado, existem ainda inúmeras restrições teó- ricas ao uso e às faixas de normalidade preconizadas. O Recíproco do Índice Ponderal (RIP), de acordo com o modelo alométrico, possui uma melhor fundamentação matemática, já que a massa é uma variável de dimen- sões cúbicas e a altura, uma variável de dimensões lineares. As fórmulas que determinam esses índices são: massa(kg) altura(cm) IMC = RIP = 3 [altura(m)]2 massa(kg) ARAUJO, C. G. S.; RICARDO, D. R. Índice de Massa Corporal: Um Questionamento Científico Baseado em Evidências. Arq. Bras. Cardiologia, volume 79, no 1, 2002 (adaptado). Se uma menina, com 64 kg de massa, apresenta IMC igual a 25 kg/m2, então ela possui RIP igual a A) 0,4 cm/kg1/3. B) 2,5 cm/kg1/3. C) 8 cm/kg1/3. D) 20 cm/kg1/3. E) 40 cm/kg1/3. Resolução Do enunciado, temos o índice de massa corporal (IMC) de uma menina, assim como sua massa: Massa = 64 kg IMC = 25 kg/m2 Assim, podemos calcular a altura da menina usando a fórmula dada: massa(kg) IMC = 2 ⇒ 25 = 64 [altura(m)] a2 64 2 6 6 23 8 a2 = = 2 ⇒ a = 22 = = = 1,6 25 5 5 5 5 Lembrando que a é dado em metros, temos que sua altura é de 1,6 m. Em seguida, usamos sua altura e massa para calcular o RIP pedido: altura(cm) 160 160 RIP = 3 ⇒ RIP = 3 = 2 = 40. massa(kg) 26 2 RIP = 40 cm/kg1/3 Resposta: EENEM/2010 — 2o Dia 95 ANGLO VESTIBULARES
  • 95. ▼ Questão 160 Um balão atmosférico, lançado em Bauru (343 quilômetros a Noroeste de São Paulo), na noite do último domingo, caiu nesta segunda-feira em Cuiabá Paulista, na região de Presidente Prudente, assustando agricultores da região. O artefato faz parte do programa Projeto Hibiscus, desenvolvido por Brasil, França, Argentina, Inglaterra e Itália, para a medição do comportamento da camada de ozônio, e sua descida se deu após o cumprimento do tempo previsto de medição. Disponível em: http://www.correiodobrasil.com.br. Acesso em: 02 maio 2010. Balão 60º 30º B 1,8 km A 3,7 km Na data do acontecido, duas pessoas avistaram o balão. Uma estava a 1,8 km da posição vertical do balão e o avistou sob um ângulo de 60º; a outra estava a 5,5 km da posição vertical do balão, alinhada com a primeira, e no mesmo sentido, conforme se vê na figura, e o avistou sob um ângulo de 30º. Qual a altura aproximada em que se encontrava o balão? A) 1,8 km B) 1,9 km C) 3,1 km D) 3,7 km E) 5,5 km Resolução h Seja h a altura do balão. Da figura, temos: tg 60º = ∴ h = 1,8 ⋅ 3 ∴ h ≈ 3,1 km. 1,8 Resposta: C▼ Questão 161 Um satélite de telecomunicações, t minutos após ter atingido sua órbita, está a r quilômetros de distância do centro da Terra. Quando r assume seus valores máximo e mínimo, diz-se que o satélite atingiu o apogeu e o perigeu, respectivamente. Suponha que, para esse satélite, o valor de r em função de t seja dado por 5865 r(t) = 1 + 0,15 ⋅ cos(0,06t) Um cientista monitora o movimento desse satélite para controlar o seu afastamento do centro da Terra. Para isso, ele precisa calcular a soma dos valores de r, no apogeu e no perigeu, representada por S. O cientista deveria concluir que, periodicamente, S atinge o valor de A) 12765 km. B) 12000 km. C) 11730 km. D) 10965 km. E) 5865 km. Resolução Como –1 cos(0,06t) 1, temos: 5865 Apogeu: r = = 6900 1 + 0,15 ⋅ (–1) 5865 Perigeu: r = = 5100 1 + 0,15 ⋅ 1 S = 6900 + 5100 = 12000 km Resposta: BENEM/2010 — 2o Dia 96 ANGLO VESTIBULARES
  • 96. ▼ Questão 162 Uma empresa vende tanques de combustíveis de formato cilíndrico, em três tamanhos, com medidas indicadas nas figuras. O preço do tanque é diretamente proporcional à medida da área da superfície lateral do tanque. O dono de um posto de combustível deseja encomendar um tanque com menor custo por metro cúbico de capacidade de armazenamento. 6m 4m 4m 6m 8m 8m (I) (II) (III) Qual dos tanques deverá ser escolhido pelo dono do posto? (Considere π 3) 1 A) I, pela relação área/capacidade de armazenamento de . 3 4 B) I, pela relação área/capacidade de armazenamento de . 3 3 C) II, pela relação área/capacidade de armazenamento de . 4 2 D) III, pela relação área/capacidade de armazenamento de . 3 7 E) III, pela relação área/capacidade de armazenamento de . 12 Resolução Do enunciado, temos a tabela seguinte, que considera os cilindros circulares retos: Área lateral Volume AL Cilindros AL(m2) V(m3 ) V AL = 2 ⋅ 3 ⋅ 2 ⋅ 6 V = 3 ⋅ 22 ⋅ 6 72 (I) =1 AL = 72 V = 72 72 AL = 2 ⋅ 3 ⋅ 2 ⋅ 8 V = 3 ⋅ 22 ⋅ 8 96 (II) =1 AL = 96 V = 96 96 AL = 2 ⋅ 3 ⋅ 3 ⋅ 8 V = 3 ⋅ 32 ⋅ 8 144 2 (III) = AL = 144 V = 216 216 3 2 Assim, o tanque escolhido deverá ser o tanque (III), por conta da relação igual a , que é o menor valor entre 3 as relações disponíveis. Resposta: D▼ Questão 163 Nos processos industriais, como na indústria de cerâmica, é necessário o uso de fornos capazes de produzir elevadas temperaturas e, em muitas situações, o tempo de elevação dessa temperatura deve ser controlado, para garantir a qualidade do produto final e a economia no processo. Em uma indústria de cerâmica, o forno é programado para elevar a temperatura ao longo do tempo de acordo com a função 34241 7 t + 20, para 0 t 100 T(t) = 5 2 2 16 t – t + 320, para t 100 125 5 em que T é o valor da temperatura atingida pelo forno, em graus Celsius, e t é o tempo, em minutos, decorrido desde o instante em que o forno é ligado. Uma peça deve ser colocada nesse forno quando a temperatura for 48°C e retirada quando a temperatura for 200°C.ENEM/2010 — 2o Dia 97 ANGLO VESTIBULARES
  • 97. O tempo de permanência dessa peça no forno é, em minutos, igual a A) 100. B) 108. C) 128. D) 130. E) 150. Resolução Observe que, para 0 t100, T(t) = 7 t + 20 é uma função do 1o grau crescente. 5 Fazendo T(0) = 7 ⋅ 0 + 20 = 20 e T(100) = 7 ⋅ 100 + 20 = 160, concluímos que: 5 5 0 t 100 ⇔ 20 T 160. Como a peça é colocada quando está a 48°C, o tempo decorrido desde que o forno foi ligado é dado por: 7 t + 20 = 48 ⇒ t = 20, ou seja, 20 minutos. 5 A peça deve ser retirada quando estiver a 200ºC. Assim, o tempo (t) é dado por: 2 t2 – 16 t + 320 = 200, t 100 125 5 t2 – 200t + 7500 = 0 Resolvendo essa equação, temos t = 150. Desse modo, o tempo que a peça deve ficar no forno é dado por: 150 – 20 = 130, ou seja, 130 minutos. Resposta: D▼ Questão 164 Uma metalúrgica recebeu uma encomenda para fabricar, em grande quantidade, uma peça com o formato de um prisma reto com base triangular, cujas dimensões da base são 6 cm, 8 cm e 10 cm e cuja altura é 10 cm. Tal peça deve ser vazada de tal maneira que a perfuração na forma de um cilindro circular reto seja tangente às suas faces laterais, conforme mostra a figura. 8c cm m 6 10 cm O raio da perfuração da peça é igual a A) 1 cm. B) 2 cm. C) 3 cm. D) 4 cm. E) 5 cm.ENEM/2010 — 2o Dia 98 ANGLO VESTIBULARES
  • 98. Resolução A 8c cm P m N 6 M B C 10 cm Da figura, considere o triângulo ABC, retângulo em A, no qual M, N e P representam os pontos de tangência, O representa o centro e r a medida do raio da circunferência inscrita: A r r P N 8–r O r 6–r r r B C M 10 O quadrilátero APON é um quadrado cujo lado mede r. Da congruência dos triângulos BNO e BMO, temos BM = BN = 6 – r; da congruência dos triângulos CPO e CMO, temos CM = CP = 8 – r. Como BM + CM = BC, temos 6 – r + 8 – r = 10 ∴ r = 2. Resposta: B▼ Questão 165 A ideia de usar rolos circulares para deslocar objetos pesados provavelmente surgiu com os antigos egípcios ao construírem as pirâmides. BOLT, Brian. Atividades matemáticas. Ed. Gradiva. Representando por R o raio da base dos rolos cilíndricos, em metros, a expressão do deslocamento horizontal y do bloco de pedra em função de R, após o rolo ter dado uma volta completa sem deslizar, é A) y = R. B) y = 2R. C) y = πR. D) y = 2πR. E) y = 4 πR.ENEM/2010 — 2o Dia 99 ANGLO VESTIBULARES
  • 99. Resolução O deslocamento da tora em relação ao solo é 2π R. O deslocamento do bloco em relação à tora é 2π R. Logo, o deslocamento y pedido é dado por y = 4 π R. Resposta: E▼ Questão 166 O gráfico mostra o número de favelas no município do Rio de Janeiro entre 1980 e 2004, considerando que a variação nesse número entre os anos considerados é linear. 750 573 372 1980 1992 2004 Favela Tem Memória. Época. No 621, 12 abr. 2010 (adaptado). Se o padrão na variação do período 2004/2010 se mantiver nos próximos 6 anos, e sabendo que o número de favelas em 2010 é 968, então o número de favelas em 2016 será A) menor que 1150. B) 218 unidades maior que em 2004. C) maior que 1150 e menor que 1200. D) 177 unidades maior que em 2010. E) maior que 1200. Resolução y 968 750 2004 2010 2016 Sendo y o número de favelas em 2016, temos y – 968 = 968 – 750. Dessa igualdade, resulta y = 1186. Portanto o número de favelas em 2016 será maior que 1150 e menor que 1200. Resposta: CENEM/2010 — 2o Dia 100 ANGLO VESTIBULARES
  • 100. ▼ Questão 167 O gráfico apresenta a quantidade de gols marcados pelos artilheiros das Copas do Mundo desde a Copa de 1930 até a de 2006. Quantidades de Gols dos Artilheiros das Copas do Mundo Gols 14 12 10 8 6 4 2 0 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1980 1990 2000 2010 Ano Disponível em: http://www.suapesquisa.com. Acesso em: 23 abr. 2010 (adaptado). A partir dos dados apresentados, qual a mediana das quantidades de gols marcados pelos artilheiros das Copas do Mundo? A) 6 gols B) 6,5 gols C) 7 gols D) 7,3 gols E) 8,5 gols Resolução Do gráfico, temos o rol: (4, 5, 5, 6, 6, 6, 6, 6, 6, 7, 7, 8, 8, 9, 9, 10, 11, 13). 6+7 Observando esse rol, a mediana é = 6,5 gols. 2 Resposta: B▼ Questão 168 Em um casamento, os donos da festa serviam champanhe aos seus convidados em taças com formato de um hemisfério (Figura 1), porém um acidente na cozinha culminou na quebra de grande parte desses recipientes. Para substituir as taças quebradas, utilizou-se um outro tipo com formato de cone (Figura 2). No entanto, os noivos solicitaram que o volume de champanhe nos dois tipos de taças fosse igual. R = 3 cm R = 3 cm h Figura 1 Figura 2 Considere: 4 1 Vesfera = π R3 e Vcone = πR2h 3 3ENEM/2010 — 2o Dia 101 ANGLO VESTIBULARES
  • 101. Sabendo que a taça com o formato de hemisfério é servida completamente cheia, a altura do volume de cham- panhe que deve ser colocado na outra taça, em centímetros, é de A) 1,33. B) 6,00. C) 12,00. D) 56,52. E) 113,04. Resolução 1 4 O volume V1, em cm3, do champanhe servido na taça representada na figura 1 é igual a ⋅ ⋅ π ⋅ 33, ou seja, 18π. 2 3 Na taça representada pela figura 2, o volume V2, em cm 3, do champanhe é igual a 1 ⋅ π ⋅ 32 ⋅ h, onde h é a 3 medida da altura pedida, em cm. 1 Do enunciado, devemos ter 18 π = ⋅ π ⋅ 32 ⋅ h, ou seja, h = 6. 3 Resposta: B▼ Questão 169 O Salto Triplo é uma modalidade do atletismo em que o atleta dá um salto em um só pé, uma passada e um salto, nessa ordem. Sendo que o salto com impulsão em um só pé será feito de modo que o atleta caia primeiro sobre o mesmo pé que deu a impulsão; na passada ele cairá com o outro pé, do qual o salto é realizado. Disponível em: www.cbat.org.br (adaptado). Um atleta da modalidade Salto Triplo, depois de estudar seus movimentos, percebeu que, do segundo para o primeiro salto, o alcance diminuía em 1,2 m, e, do terceiro para o segundo salto, o alcance diminuía 1,5 m. Querendo atingir a meta de 17,4 m nessa prova e considerando os seus estudos, a distância alcançada no pri- meiro salto teria de estar entre A) 4,0 m e 5,0 m. B) 5,0 m e 6,0 m. C) 6,0 m e 7,0 m. D) 7,0 m e 8,0 m. E) 8,0 m e 9,0 m. Resolução Sendo x o alcance, em metros, do primeiro salto, devemos ter: x + (x – 1,2) + (x – 1,2 – 1,5) = 17,4 3x – 3,9 = 17,4 ∴ x = 7,1 Assim, o alcance no primeiro salto deve estar entre 7,0 m e 8,0 m. Resposta: D▼ Questão 170 Um grupo de pacientes com Hepatite C foi submetido a um tratamento tradicional em que 40% desses pacien- tes foram completamente curados. Os pacientes que não obtiveram cura foram distribuídos em dois grupos de mesma quantidade e submetidos a dois tratamentos inovadores. No primeiro tratamento inovador, 35% dos pacientes foram curados e, no segundo, 45%. Em relação aos pacientes submetidos inicialmente, os tratamentos inovadores proporcionaram cura de A) 16%. B) 24%. C) 32%. D) 48%. E) 64%.ENEM/2010 — 2o Dia 102 ANGLO VESTIBULARES
  • 102. Resolução Sendo x o número total de pacientes, inicialmente, o número de indivíduos submetidos aos tratamentos ino- vadores é 0,6 x (60% de x). O número y de pacientes curados pelos tratamentos inovadores é dado por: y = 0,35 ⋅ 0,3 x + 0,45 ⋅ 0,3 x y = (0,35 + 0,45) ⋅ 0,3 x y = 0,24 x Logo, y é 24% de x. Resposta: B▼ Questão 171 Marco e Paulo foram classificados em um concurso. Para classificação no concurso o candidato deveria obter média aritmética na pontuação igual ou superior a 14. Em caso de empate na média, o desempate seria em favor da pontuação mais regular. No quadro a seguir são apresentados os pontos obtidos nas provas de Mate- mática, Português e Conhecimentos Gerais, a média, a mediana e o desvio padrão dos dois candidatos. Dados dos candidatos no concurso Matemática Português Conhecimentos Gerais Média Mediana Desvio Padrão Marco 14 15 16 15 15 0,32 Paulo 8 19 18 15 18 4,97 O candidato com pontuação mais regular, portanto mais bem classificado no concurso, é A) Marco, pois a média e a mediana são iguais. B) Marco, pois obteve menor desvio padrão. C) Paulo, pois obteve a maior pontuação da tabela, 19 em Português. D) Paulo, pois obteve maior mediana. E) Paulo, pois obteve maior desvio padrão. Resolução Da tabela, o candidato com pontuação mais regular é Marco, pois obteve o menor desvio padrão. Resposta: B▼ Questão 172 Em 2006, a produção mundial de etanol foi de 40 bilhões de litros e a de biodiesel, de 6,5 bilhões. Neste mes- mo ano, a produção brasileira de etanol correspondeu a 43% da produção mundial, ao passo que a produção dos Estados Unidos da América, usando milho, foi de 45%. Disponível em: planetasustentavel.abril.com.br. Acesso em: 02 maio 2009. Considerando que, em 2009, a produção mundial de etanol seja a mesma de 2006 e que os Estados Unidos produzirão somente a metade de sua produção de 2006, para que o total produzido pelo Brasil e pelos Esta- dos Unidos continue correspondendo a 88% da produção mundial, o Brasil deve aumentar sua produção em, aproximadamente, A) 22,5%. B) 50,0%. C) 52,3%. D) 65,5%. E) 77,5%.ENEM/2010 — 2o Dia 103 ANGLO VESTIBULARES
  • 103. Resolução Produção brasileira de etanol em 2006: 43% de 40 = 17,2 bilhões de litros. Produção dos Estados Unidos em 2006: 45% de 40 = 18,0 bilhões de litros. Portanto, em 2006, o Brasil e os Estados Unidos produziram 35,2 bilhões de litros de etanol. Produção dos Estados Unidos em 2009: 9,0 bilhões de litros (metade da sua produção de 2006). Logo, o aumento da produção brasileira, em 2009, é de 9,0 bilhões de litros, para manter a produção de 35,2 bi- lhões de litros. O aumento porcentual da produção brasileira é dado por: 9,0 ⋅ 100% = 52,3% 17,2 Resposta: C▼ Questão 173 O diretor de um colégio leu numa revista que os pés das mulheres estavam aumentando. Há alguns anos, a média do tamanho dos calçados das mulheres era de 35,5 e, hoje, é de 37,0. Embora não fosse uma informa- ção científica, ele ficou curioso e fez uma pesquisa com as funcionárias do seu colégio, obtendo o quadro a seguir: TAMANHO DOS CALÇADOS NÚMERO DE FUNCIONÁRIAS 39,0 1 38,0 10 37,0 3 36,0 5 35,0 6 Escolhendo uma funcionária ao acaso e sabendo que ela tem calçado maior que 36,0 a probabilidade de ela calçar 38,0 é 1 A) 3 1 B) 5 2 C) 5 5 D) 7 5 E) 14 Resolução Da tabela, a probabilidade pedida é: 10 10 5 = = 3 + 10 + 1 14 7 Resposta: DENEM/2010 — 2o Dia 104 ANGLO VESTIBULARES
  • 104. ▼ Questão 174 João mora na cidade A e precisa visitar cinco clientes, localizados em cidades diferentes da sua. Cada trajeto possível pode ser representado por uma sequência de 7 letras. Por exemplo, o trajeto ABCDEFA, informa que ele sairá da cidade A, visitando as cidades B, C, D, E e F nesta ordem, voltando para a cidade A. Além disso, o número indicado entre as letras informa o custo do deslocamento entre as cidades. A figura mostra o custo de deslocamento entre cada uma das cidades. B 6 4 A C 5 8 9 12 6 3 6 2 7 10 D 8 F 13 5 E Como João quer economizar, ele precisa determinar qual o trajeto de menor custo para visitar os cinco clientes. Examinando a figura, percebe que precisa considerar somente parte das sequências, pois os trajetos ABCDEFA e AFEDCBA têm o mesmo custo. Ele gasta 1min30s para examinar uma sequência e descartar sua simétrica, conforme apresentado. O tempo mínimo necessário para João verificar todas as sequências possíveis no problema é de A) 60 min. B) 90 min. C) 120 min. D) 180 min. E) 360 min. Resolução O número de sequências possíveis para visitar as 5 cidades é 5! = 120. Do enunciado, cada sequência possui uma única simétrica, que não precisa ser examinada. Assim, o número de sequências que João precisa verificar 120 é = 60. 2 Desse modo, o tempo necessário é 1,5 ⋅ 60 = 90 minutos. Resposta: B▼ Questão 175 O quadro seguinte mostra o desempenho de um time de futebol no último campeonato. A coluna da esquer- da mostra o número de gols marcados e a coluna da direita informa em quantos jogos o time marcou aquele número de gols. Gols marcados Quantidade de partidas 0 5 1 3 2 4 3 3 4 2 5 2 7 1ENEM/2010 — 2o Dia 105 ANGLO VESTIBULARES
  • 105. Se X, Y e Z são, respectivamente, a média, a mediana e a moda desta distribuição, então A) X = Y Z. B) Z X = Y. C) Y Z X. D) Z X Y. E) Z Y X. Resolução A média X de gols por partida é: 0 ⋅ 5 + 1 ⋅ 3 + 2 ⋅ 4 + 3 ⋅ 3 + 4 ⋅ 2 + 5 ⋅ 2 + 7 ⋅ 1 45 X= = = 2,25 20 20 No rol dos gols marcados por partida, a mediana Y é a média entre os gols marcados nas 10a e 11a partidas. Assim: 2+2 Y= =2 2 A moda Z dos gols marcados é: Z=0 Logo, Z Y X Resposta: E▼ Questão 176 A disparidade de volume entre os planetas é tão grande que seria possível colocá-los uns dentro dos outros. O planeta Mercúrio é o menor de todos. Marte é o segundo menor: dentro dele cabem três Mercúrios. Terra é o único com vida: dentro dela cabem sete Martes. Netuno é o quarto maior: dentro dele cabem 58 Terras. Júpiter é o maior dos planetas: dentro dele cabem 23 Netunos. Revista Veja. Ano 41, no 25, 25 jun. 2008 (adaptado). Seguindo o raciocínio proposto, quantas Terras cabem dentro de Júpiter? A) 406 B) 1334 C) 4002 D) 9338 E) 28014 Resolução Do enunciado, temos a relação volumétrica que pode ser representada pela tabela: 1 Marte = 3 Mercúrios 1 Terra = 7 Martes 1 Netuno = 58 Terras 1 Júpiter = 23 Netunos Assim sendo, temos que, para cada Netuno que cabe em Júpiter, caberão 58 Terras. Se em Júpiter cabem 23 Netunos, o número de Terras que nele cabem, é: 58 ⋅ 23 = 1334 Resposta: B▼ Questão 177 Um dos grandes problemas da poluição dos mananciais (rios, córregos e outros) ocorre pelo hábito de jogar óleo utilizado em frituras nos encanamentos que estão interligados com o sistema de esgoto. Se isso ocorrer, cada 10 litros de óleo poderão contaminar 10 milhões (107) de litros de água potável. Manual de etiqueta. Parte integrante das revistas Veja (ed. 2055), Cláudia (ed. 555), National Geographic (ed. 93) e Nova Escola (ed. 208) (adaptado).ENEM/2010 — 2o Dia 106 ANGLO VESTIBULARES
  • 106. Suponha que todas as famílias de uma cidade descartem os óleos de frituras através dos encanamentos e con- somem 1000 litros de óleo em frituras por semana. Qual seria, em litros, a quantidade de água potável contaminada por semana nessa cidade? A) 10 –2 B) 10 3 C) 10 4 D) 10 6 E) 10 9 Resolução Sendo x a quantidade, em litros, de água contaminada, nas condições dadas temos: x = 103 , ou seja, x = 109. 107 10 Resposta: E▼ Questão 178 Ronaldo é um garoto que adora brincar com números. Numa dessas brincadeiras, empilhou caixas numeradas de acordo com a sequência conforme mostrada no esquema a seguir. 1 1 2 1 1 2 3 2 1 1 2 3 4 3 2 1 ... Ele percebeu que a soma dos números em cada linha tinha uma propriedade e que, por meio dessa proprieda- de, era possível prever a soma de qualquer linha posterior às já construídas. A partir dessa propriedade, qual será a soma da 9ª linha da sequência de caixas empilhadas por Ronaldo? - A) 9 B) 45 C) 64 D) 81 E) 285 Resolução Pelas linhas apresentadas, a soma dos números da linha n é dada por n2 . Assim, a soma da 9a linha é 92 = 81. Resposta: D▼ Questão 179 Um porta-lápis de madeira foi construído no formato cúbico, seguindo o modelo ilustrado a seguir. O cubo de dentro é vazio. A aresta do cubo maior mede 12 cm e a do cubo menor, que é interno, mede 8 cm.ENEM/2010 — 2o Dia 107 ANGLO VESTIBULARES
  • 107. O volume de madeira utilizado na confecção desse objeto foi de A) 12 cm3. B) 64 cm3. C) 96 cm3. D) 1216 cm3. E) 1728 cm3. Resolução Dos dados do enunciado, volume do cubo maior = 123 cm3 e volume do cubo menor = 83 cm3. Portanto o volume de madeira utilizado na confecção desse objeto é dado pela diferença entre os volumes do cubo maior e do menor, isto é, (123 – 83 ) cm3, ou seja, 1216 cm3. Resposta: D▼ Questão 180 Para conseguir chegar a um número recorde de produção de ovos de Páscoa, as empresas brasileiras começam a se planejar para esse período com um ano de antecedência. O gráfico a seguir mostra o número de ovos de Páscoa produzidos no Brasil no período de 2005 a 2009. Revista Veja, São Paulo: Abril, ed. 2107, no 14, ano 42. De acordo com o gráfico, o biênio que apresentou maior produção acumulada foi A) 2004-2005. B) 2005-2006. C) 2006-2007. D) 2007-2008. E) 2008-2009. Resolução Como as duas maiores produções são as de 2008 e 2009, esse foi o biênio que apresentou a maior produção acumulada. Resposta: EENEM/2010 — 2o Dia 108 ANGLO VESTIBULARES
  • 108. RE D Ç ÃO A Com base na leitura dos seguintes textos motivadores e nos conhecimentos construídos ao longo de sua for- mação, redija texto dissertativo-argumentativo em norma culta escrita da língua portuguesa sobre o tema O trabalho na Construção da Dignidade Humana, apresentando experiência ou proposta de ação social, que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista. O que é trabalho escravo Escravidão contemporânea é o trabalho degradante que envolve cerceamento da liberdade A assinatura da Lei Áurea, em 13 de maio de 1888, representou o fim do direito de propriedade de uma pessoa sobre a outra, acabando com a possibilidade de pos- suir legalmente um escravo no Brasil. No entanto, persistiram situações que man- têm o trabalhador sem possibilidade de se desligar de seus patrões. Há fazendeiros que, para realizar derrubadas de matas nativas para formação de pastos, produzir carvão para a indústria siderúrgica, preparar o solo para plantio de sementes, entre outras atividades agropecuárias, contratam mão de obra utilizando os contratado- res de empreitada, os chamados “gatos”. Eles aliciam os trabalhadores, servindo de fachada para que os fazendeiros não sejam responsabilizados pelo crime. Trabalho escravo se configura pelo trabalho degradante aliado ao cerceamen- to da liberdade. Este segundo fator nem sempre é visível, uma vez que não mais se utilizam correntes para prender o homem à terra, mas sim ameaças físicas, terror psicológico ou mesmo as grandes distâncias que separam a pro- priedade da cidade mais próxima. Disponível em: http://www.reporterbrasil.org.br. Acesso em: 02 set. 2010 (fragmento). O futuro do trabalho Esqueça os escritórios, os salários fixos e a aposentadoria. Em 2020, você trabalhará em casa, seu chefe terá menos de 30 anos e será uma mulher Felizmente, nunca houve tantas ferramentas disponíveis para mudar o modo como trabalhamos e, consequente- mente, como vivemos. E as transformações estão acontecendo. A crise despedaçou companhias gigantes tidas até então como modelos de administração. Em vez de grandes conglomerados, o futuro será povoado de empresas menores reunidas em torno de projetos em comum. Os próximos anos também vão consolidar mudanças que vêm acontecendo há algum tempo: a busca pela qualidade de vida, a preocupação com o meio ambiente, e a vontade de nos realizarmos como pessoas também em nossos trabalhos. “Falamos tanto em desperdício de recursos natu- rais e energia, mas e quanto ao desperdício de talentos?”, diz o filósofo e ensaísta suíço Alain de Botton em seu novo livro The Pleasures and Sorrows of Works (Os prazeres e as dores do trabalho, ainda inédito no Brasil). Disponível em: http://revistagalileu.globo.com. Acesso em: 02 set. 2010 (fragmento).ENEM/2010 — 2o Dia 109 ANGLO VESTIBULARES
  • 109. Instruções: • Seu texto tem de ser escrito à tinta, na folha própria. • Desenvolva seu texto em prosa: não redija narração, nem poema. • O texto com até 7 (sete) linhas escritas será considerado texto em branco. • O texto deve ter, no máximo, 30 linhas. • O Rascunho da redação deve ser feito no espaço apropriado. Análise da Proposta A proposta de redação seguiu o formato já consagrado: tema explícito e textos verbais e não verbais como “motivadores”. O candidato deveria produzir um texto de caráter dissertativo-argumentativo em norma culta escrita sobre o tema “O Trabalho na Construção da Dignidade Humana”, apresentando experiência ou proposta de ação social que respeitasse os direitos humanos. Mais uma vez, a preferência foi por tema de interesse público, ligado à realidade brasileira. A redação deveria ter entre 7 e 30 linhas. O primeiro texto aproxima a escravidão que perdurou no Brasil até 1888 a práticas arcaicas ainda remanescen- tes no interior do país, em que o trabalhador, aliciado por intermediários, não consegue se desvencilhar do patrão. Obviamente, há nesse fragmento uma definição do que seria o trabalho que degrada e não dignifica: aquele que cerceia a liberdade. A imagem ao lado do fragmento figurativiza a reificação do homem. Observa-se um trabalha- dor de costas, sem identidade, com a camisa rasgada, em estado subumano. O segundo texto, de uma perspectiva mais otimista, aborda as projeções para a situação do trabalho no futuro, tomando como base circunstâncias já presentes no mundo atual. Afirma-se que “nunca houve tantas ferramen- tas para mudar o modo como trabalhamos”, deixando explícito que o trabalho pode ser sinônimo de “busca de qualidade de vida... e vontade de nos realizarmos como pessoas também em nossos trabalhos”. De forma bem-hu- morada, o texto começa dizendo que em 2020 trabalharemos em casa, o “chefe terá menos de trinta anos e será uma mulher”. Segue-se uma equação que sintetiza essa visão otimista: a relação com o trabalho como resultado da busca de qualidade de vida, preocupação com o meio ambiente e inovação, potencializadas pela globalização. Encaminhamentos Possíveis O candidato poderia, entre outras opções: — contrastar as duas realidades descritas nos textos “motivadores”: permanência de trabalho escravo e exis- tência de relações trabalhistas mais flexíveis e satisfatórias; — associar os contrastes observados no mundo do trabalho às desigualdades sociais: submissão a trabalhos degradantes devido à pauperização do indivíduo e possibilidade de escolha de trabalhos satisfatórios por parte da população oriunda das classes média e alta; — criticar a visão otimista do texto 2, abordando relações de trabalho no mundo globalizado que continuam a degradar o homem ou mencionando que possibilidades de transformação estão ao alcance apenas de setores sociais mais privilegiados; — abordar o desenvolvimento tecnológico e a atuação política como formas de libertar o homem da degra- dação do trabalho, observada de forma mais violenta nos casos de escravidão e de forma mais branda nos casos de ocupações que não exigem criatividade e invenção; — assumir que a globalização seria fator positivo na mudança das relações de trabalho. A fragmentação de companhias gigantes, aliada à necessidade do mercado — voltado para a busca de qualidade de vida e preo- cupação com o meio ambiente — teria como consequência a criação de profissões mais criativas e flexíveis. Propostas de Intervenção Social O candidato poderia propor: — sanções de práticas que cerceiam a liberdade do trabalhador por meio de efetiva fiscalização (feita por órgãos como o Ministério do Trabalho, o Ministério Público e a Polícia Federal) e aplicação das leis — o que garantiria um ambiente propício a uma realidade mais digna hoje e no futuro; — criação, aprimoramento e ampliação de medidas inclusivas, como programas de redistribuição de renda e de estímulo à formalização do emprego — o que levaria ao aumento do mercado consumidor e, conse- quentemente, à abertura de postos de trabalho;ENEM/2010 — 2o Dia 110 ANGLO VESTIBULARES
  • 110. — a qualificação dos trabalhadores por meio de novos recursos de formação, voltados para as necessidades do mundo globalizado tais como cursos de gestão ambiental, estímulos a novas formas de aprendizado que privilegiem a inovação e ampliação das formas de aprendizado à distância; — estímulos ao investimento em tecnologia objetivando a mecanização do campo e, ao mesmo tempo, à criação de postos de trabalho relacionados direta ou indiretamente com a tecnologia, o que estimularia a absorção da mão de obra liberada; — aceleração dos processos de integração do Brasil com o mundo, para que o país se beneficie das possibili- dades abertas pela globalização, como a criação de prestadoras de serviços a transnacionais e de empresas capazes de lidar com a transferência de tecnologia. Experiências de ação social O candidato poderia também fazer menção a práticas ou projetos já adotados, como: — a fiscalização feita pelo Ministério Público do Trabalho, que, se não consegue extinguir o trabalho escravo, tem sido capaz de tornar a legislação vigente uma realidade, reduzindo a impunidade. — diversas organizações não governamentais têm promovido qualificação dos trabalhadores como forma de inclusão social, preparando-os para as necessidades do mercado.ENEM/2010 — 2o Dia 111 ANGLO VESTIBULARES
  • 111. C M NT RI O O E Á S Ciências Humanas e suas Tecnologias Filosofia As questões de Filosofia exigiram do candidato capacidade de leitura e compreensão de texto, bem como o emprego de conceitos (incluindo sua contextualização). Geografia Prova complexa. Vários textos tinham grau de dificuldade acima do normal para estudantes do Ensino Médio. A falta de gráficos, mapas e tabelas, necessários para verificar diversas das habilidades exigidas, comprometeu seriamente a capacidade de avaliação da prova. História do Brasil A prova incluiu 16 questões relativas à História do Brasil, sendo que a maioria abordava aspectos relevantes da programação do Ensino Médio. Dessa vez cobrou-se mais conteúdo do que nas provas anteriores. Duas questões apresentaram problemas. A número 25 (prova azul), continha erros nos eventos citados no enunciado, e a questão 21 admitia duas respostas (alternativas A e D). História Geral A aparente ausência de questões de História Antiga é recompensada pela presença do tema Democracia nas questões de Filosofia. A opção pela abordagem da contemporaneidade evidencia um projeto de fazer do estudo histórico uma ferramenta para a compreensão e a contextualização dos problemas da sociedade. O aluno que, ao longo de sua vida escolar, aprendeu a empregar conceitos foi amplamente beneficiado. Sociologia Dois testes apenas, mas baseados em temas relevantes, serviram à avaliação da disciplina. Os textos dados tanto no primeiro, que aborda um conceito de política, como no segundo, referente à questão do preconceito e da segregação na sociedade brasileira, dão aos alunos subsídios para responder corretamente. Ciências da Natureza e suas Tecnologias Física A prova do ENEM 2010 mostrou-se coerente com a meta de avaliar o Ensino Médio em função das habilidades e competências propostas pelo MEC. Em geral, as questões exigem leitura e interpretação de textos associadas a conhecimentos de Física em nível adequado, poucas exigências algébricas, contextualização com fenômenos de grande relevância (efeito estufa, energia geotérmica, transformações de energia, etc.), pontos que merecem elogios. Uma pequena ressalva é a imprecisão em alguns enunciados que exigiram do aluno que assumisse pressupostos que deveriam ter sido fornecidos. Química Com o objetivo de contextualizar os temas abordados foram fornecidos alguns enunciados longos, com informações irrelevantes para a resolução de algumas questões. Além disso, a prova não foi abrangente, pois diversos assuntos importantes não foram cobrados. Biologia A prova certamente privilegiou a capacidade de leitura, compreensão e interpretação de textos. As alternati- vas, infelizmente, nem sempre foram suficientemente precisas, permitindo, desse modo, que mais de uma, por questão, fosse aceita como resposta correta. A distribuição das questões não cobriu todos os assuntos traba- lhados no Ensino Médio, havendo uma clara predominância da Ecologia. Dois terços das questões de Biologia cobraram algum tipo de conhecimento, enquanto as demais possibilitavam ao aluno chegar à resposta apenas a partir das informações contidas no enunciado.ENEM/2010 — 1o Dia 112 ANGLO VESTIBULARES
  • 112. Linguagens, Códigos e suas Tecnologias Ingles O ENEM 2010 apresentou cinco questões elaboradas a partir de cinco textos de gêneros diferentes: uma letra de música, um texto informativo referente à cultura britânica, uma notícia sobre o mundo tecnológico, um cartaz sobre as Metas do milênio da ONU e um cartão postal. Todas as questões apresentaram alternativas em português, e a leitura atenta permitia, sem maiores difi- culdades, encontrar a alternativa correta. Prova bem elaborada e criativa. Português Como se esperava, a prova de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias constituiu-se dominantemente de questões de leitura. O aspecto mais elogiável da prova foi a variedade de gêneros dos textos em que se baseavam as questões: charges, divulgação científica, horóscopo, publicidade, ficção, fotos, informática, infográficos. Fica evidente a intenção de avaliar aptidões de leitura crítica de textos com que os alunos convivem nas suas práticas diárias. Tem-se a impressão também de que os textos foram selecionados com o cuidado de não exigirem o conheci- mento de nomenclatura especializada. Apesar disso, não se pode dizer que esses propósitos tenham sido plenamente atingidos, como se pode demonstrar pelos exemplos que seguem. No que se refere à nomenclatura, nota-se uma contradição incômoda: se de um lado evita-se a termino- logia da tradição gramatical (sujeito, oração subordinada, conjunção coordenativa adversativa, etc.), de outro não se procede da mesma forma com termos especializados de outras teorias. É o caso de palavras tais como função fática, emotiva, conativa, poética, referencial (questão 97). A questão 120 faz uso de terminologia específica do voleibol: sacar, bloquear, cortar, manchete. Sabe-se que a interpretação de um texto fica muito facilitada quando o léxico adotado pertence ao universo referencial do leitor. As questões de língua materna têm-se concentrado monotonamente no âmbito das variantes linguísticas, da argumentação e de uns parcos recursos de construção de sentido. Não se explora quase nada relativo ao código linguístico propriamente dito: as questões, na quase totalidade, perguntam que significados os textos produzem, mas não que manobras do código foram acionadas para produzi-los, embora componham a prova de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias. Não se pode deixar de registrar alguns deslizes de transcrição e de adaptação dos textos de base para as questões: • na 133, por exemplo, há uma vírgula sem nenhum cabimento (linha 4 do original); • na 124, no texto adaptado, apagou-se um trecho cuja omissão provocou ruído no entendimento. O texto original (sem corte) é: A faixa que vai de 160 quilômetros até 36.000 quilômetros de altitude em volta da Terra assemelha-se a... O mesmo excerto, na prova, foi assim transcrito: A faixa que vai de 160 quilô- metros de altitude em volta da terra (sic) assemelha-se a... Sem o corte, o trecho seria mais compreensível e evitaria uma impressão de incoerência com a informação subsequente: ...dois satélites em órbita desde os anos 90 colidiram em um ponto 790 quilômetros acima da Sibéria. No texto original, se esclarece de que ponto a que ponto se estende a faixa em que ocorreu o acidente; na adaptação, cortou-se um dos marcos do limite, injustificadamente. Além disso, trata-se de um texto da Revista Veja de 18 de fevereiro de 2009, e não de 18 de setembro do mesmo ano, como vem registrado na referência bibliográfica. Literatura e Artes Os setores de Literatura e Artes compareceram, neste exame do ENEM, com 11 questões (5 de Literatura, 4 de Artes Visuais, 2 de Dança), que não se preocuparam em cobrir, em termos de extensão, o programa de Ensino Médio. As questões de Artes Visuais, por exemplo, limitaram-se a focalizar correntes de vanguardas europeias, além do Impressionismo. Embora os enunciados estivessem bem menores e, portanto, mais ade- quados que os dos anos anteriores, a redação das alternativas apresentou imprecisões conceituais e lexicais que podem ter comprometido o desempenho de candidatos bem preparados. Foram contemplados textos literários do Romantismo, Realismo, Pré-Modernismo e Modernismo em questões que voltaram a insistir nas relações entre o texto e o momento de sua produção, a partir de aspectos do contexto histórico, social, polí- tico e artístico. De modo geral, as questões posicionaram-se num grau elevado, acima do que foi cobrado nas provas dos anos anteriores. De alguma maneira, o ENEM precisa resolver o seguinte dilema: como avaliar o Ensino Médio, em âmbito nacional, sem correr o risco de se distanciar dessa faixa de escolaridade.ENEM/2010 — 1o Dia 113 ANGLO VESTIBULARES
  • 113. Matemática e suas Tecnologias A prova avalia alguns tópicos essenciais do Ensino Médio. Apresentou questões interessantes, algumas contextualizadas, outras com enunciados relativamente curtos e outras, ainda, de resolução imediata. Resumindo, foi uma boa prova.ENEM/2010 — 1o Dia 114 ANGLO VESTIBULARES

×