Avicultura

26,746 views

Published on

Trabalho de Avicultura

Feito por Matheus

1º Ensino Médio intregado com Agropecuária

Published in: Technology, Business

Avicultura

  1. 1. Avicultura Avicultura de Postura
  2. 2. Índice <ul><li>Escolha das poedeiras </li></ul><ul><li>Sistemas de produção </li></ul><ul><li>Qualidade das pintainhas </li></ul><ul><li>Manejo na fase cria/recria </li></ul><ul><li>Manejo na fase de postura </li></ul><ul><ul><li>Manejo Inicial </li></ul></ul><ul><ul><li>Iluminação </li></ul></ul><ul><li>Manejo de ovos </li></ul><ul><ul><li>Classificação </li></ul></ul><ul><ul><li>Embalagem </li></ul></ul><ul><ul><li>Armazenamento e distribuição </li></ul></ul>
  3. 3. Escolha das poedeiras <ul><li>Atualmente existem no mercado várias linhagens recomendadas para poedeiras comerciais, tanto para ovos vermelhos como para brancos. São: Hy-line, Lohmann, ISA, Hisex e Shaver, etc. Estas, no entanto, apresentam pequenas variações quanto ao desempenho produtivo. </li></ul>
  4. 4. Hy-line
  5. 5. Sistema de Produção <ul><li>O sistema de produção para avicultura de postura pode variar de acordo com o interesse do avicultor e o fluxo de produção que se quer adotar ao empreendimento. A cria e recria podem ser realizadas em baterias, gaiolas e/ou galpões e a postura em gaiolas ou piso. O sistema de cria e recria em galpão e postura em gaiola é o mais utilizado, pois, otimiza a infra-estrutura disponível, permitindo que um galpão de cria/recria dê fluxo a três galpões de postura. Esse sistema contribui para a criação de lotes com idades diferentes e em diferentes fases de produção, favorecendo assim, para a manutenção de um volume regular de ovos para a comercialização. </li></ul>
  6. 7. Qualidade das Pintainhas <ul><li>O avicultor ao receber as pintainhas deve observar algumas características que determinam: </li></ul><ul><ul><li>Pintainhas ativas e olhos brilhantes; </li></ul></ul><ul><ul><li>Umbigo bem cicatrizado; </li></ul></ul><ul><ul><li>Tamanho e cor uniformes; </li></ul></ul><ul><ul><li>Canelas brilhantes e lustrosas; </li></ul></ul><ul><ul><li>Plumagem seca e macia; </li></ul></ul><ul><ul><li>Sem emplastamento na cloaca. </li></ul></ul><ul><li>Nota: verificar se foram vacinados contra marek, gumboro, bronquite e bouba aviária. </li></ul>
  7. 9. Manejo na Fase Cria/Recria <ul><li>As pintainhas são alojadas no galpão e são criadas até a 16ª semana de idade quando são transferidas para o galpão de postura. Nesse período, a densidade é determinada pelas condições de manejo, temperatura ambiente e idade das aves: </li></ul><ul><li>Densidade de aves por metro quadrado em função da idade </li></ul>19 a 15 7 a 18 18 a 22 3 a 6 30 a 40 1 a 2 Densidade (nº de aves por m²) Idades (semanas)
  8. 10. Alguns cuidados indispensáveis nesta fase: <ul><li>- Utilizar o sabugo triturado ou cepilho como &quot;cama&quot;; </li></ul><ul><li>- Proteger as pintainhas de corrente de ar, através do círculo de proteção; </li></ul><ul><li>- Fornecer 24 horas de luz diária nos primeiros três dias de vida, afim de dar as pintainhas boas condições para se ambientar com as instalações e equipamentos. A partir do 4o dia fornecer 20 horas de luz e diminuir gradativamente até deixar somente a luz natural; </li></ul><ul><li>- Fornecer calor nas primeiras semanas de vida das pintainhas; </li></ul><ul><li>- Acompanhar o comportamento das pintainhas quanto ao manejo adequado e uso da fonte de calor, observando: </li></ul><ul><li>A- A campânula ou fonte de calor está correta com 30 a 33o C. As pintainhas ficam circulando livremente, comendo ração e bebendo água. É a prova de que o aquecimento está correto. </li></ul><ul><li>B- Quando estão amontoados, há falta de calor. </li></ul><ul><li>C- Quando há corrente de ar dentro do galpão, ficam amontoado em um canto . </li></ul><ul><li>D- Quando o círculo das pintainhas está longe da fonte de calor significa que há excesso de calor. </li></ul><ul><li>- Realizar a debicagem, pois, previne o canibalismo e evita o desperdício de ração, além de contribuir para a uniformidade do lote. A primeira debicagem deve ser realizada entre sete e dez dias de idade, aproveitando-se que as pintainhas estão confinadas no círculo de proteção facilitando a apanha. Uma segunda debicagem, deve ser promovida entre a 10ª e 12ª semanas, em condições normais de criação. </li></ul><ul><li>- Acompanhar o desenvolvimento corporal das frangas, buscando-se uma uniformidade em torno de 80%. Esse resultado é a garantia de uma maturidade sexual a uma idade fisiologicamente adequada e um desempenho de produção economicamente esperado. </li></ul>
  9. 11. <ul><li>Equipamentos indispensáveis na fase de cria/recria: </li></ul><ul><li>* Escolher uma das três opções </li></ul>1 bebedouro / 50 aves 1 Bebedouro copo pressão 1 bandeja / 50 aves 1 Comedouro tipo bandeja (60 x 40 x 40 cm) Dimensionamento Idades (semanas) Equipamentos 1 bebedouro / 80 a 100 aves Até 16 Bebedouro Automático* 1 válvula / 15 a 20 aves Até 16 Bebedouro tipo válvula* 2,5 m / 100 aves Até 16 Bebedouro Linear* (calha)
  10. 12. Manejo na Fase de Postura <ul><li>As aves ficam alojadas, no galpão de postura, até a idade de 80 semanas ou conforme for a viabilidade econômica da produção de ovos. Alojar 3 ou 4 aves por gaiolas. Essa variação dependerá do tipo de gaiola e da característica da ave (pesada/leve). Vejamos a seguir Manejo Inicial e Iluminação. </li></ul>
  11. 13. Providenciar a transferência das frangas até 16ª semana de vida para o galpão de postura. Durante a transferência realizar a seleção e padronização das aves, agrupando-se frangas pela conformação corporal (peso corporal) e maturidade sexual (desenvolvimento da crista). A transferência das frangas é um fator de estresse e requer cuidados especiais, tais como: colocar ração à vontade nos comedouros; orientar as frangas como beber água, especialmente se se tratar de sistema de bebedouros diferentes daqueles usados durante a recria; evitar qualquer outra prática de manejo que represente estresse à ave, na semana que se segue a transferência. <ul><ul><li>Manejo inicial </li></ul></ul>
  12. 14. A luz tem papel importante na fisiologia das espécies animais. A quantidade de luz influencia na maturação sexual das aves e a taxa de produção de ovos. Para uma melhor produção de ovos deve-se promover um aumento semanal de 15 minutos no fotoperíodo diário, a partir de 18ª semanas de idade, até atingir um máximo de 16 horas de luz (natural + artificial), coincidindo com o pico de postura do lote. Num programa de iluminação durante a fase de produção, a partir do pico de postura é importante manter-se sempre constante o fotoperíodo diário (16 horas de luz), durante todo o ciclo de produção. <ul><ul><li>iluminação </li></ul></ul>
  13. 15. Manejo de Ovos <ul><li>A manutenção da qualidade dos ovos depende de algumas práticas utilizadas desde a postura até a distribuição ao mercado consumidor. Esta fase merece uma atenção especial do avicultor. Veja os cuidados: </li></ul><ul><li>- O nível do piso das gaiolas deve ter inclinação necessária para deslocamento natural dos ovos até o aparador; </li></ul><ul><li>- A limpeza diária dos bebedouros tipo calha, deverá ser feita no período da tarde e com cuidado, evitando-se molhar os ovos no aparador; </li></ul><ul><li>- Realizar no mínimo cinco coletas de ovos durante o dia, sendo que as três primeiras devem ser realizadas no período da manhã, em intervalos médios de uma hora entre as colheitas; </li></ul><ul><li>- Durante a colheita faz-se a primeira separação de ovos sujos, trincados ou quebrados; </li></ul><ul><li>- Retirar os ovos do ambiente dos galinheiros o mais rapidamente possível. </li></ul>
  14. 17. Os pequenos produtores podem utilizar classificadores de madeira do tipo crivo e as medições indiretas através dos diâmetros dos ovos. Durante a classificação, deve continuar a retirada de ovos trincados e sujos. <ul><ul><li>Classificação </li></ul></ul>
  15. 18. Após a classificação, os ovos são embalados. O ideal seria utilização de embalagens novas, seja para uma dúzia, 30 ovos ou outras quantidades. Contudo, ainda se pratica a reciclagem de embalagens nos pequenos e médios produtores. Neste caso, deve-se fazer a seleção, e utilizarem-se exclusivamente, bandejas limpas e íntegras para maior proteção dos ovos. <ul><ul><li>Embalagem </li></ul></ul>
  16. 19. A permanência dos ovos na granja deve ser mínima, recomendando-se o máximo de três dias. O ambiente deverá ser fresco, se possível com temperatura entre 10 e 15ºC, bem ventilado. Temperaturas altas e baixa umidade aceleram a perda de qualidade dos ovos. O ambiente de depósito dos ovos não deve conter outros produtos, especialmente com fortes odores. Nesta última etapa, ainda se chama atenção para o transporte, no qual se devem minimizar choques ou batidas fortes, no manuseio das caixas em carga e descarga, visando o consumidor final. <ul><ul><li>Armazenamento e distribuição </li></ul></ul>
  17. 20. FIM
  18. 21. <ul><li>Matheus Henrique </li></ul><ul><li>Elvis de Paula </li></ul><ul><li>Agro C </li></ul>
  19. 22. <ul><li>Matheus Henrique </li></ul><ul><li>Elvis de Paula </li></ul><ul><li>Agro C </li></ul>

×