Your SlideShare is downloading. ×
Memórias de um sargento de milícias (Versão curta, foi a explicação)
Memórias de um sargento de milícias (Versão curta, foi a explicação)
Memórias de um sargento de milícias (Versão curta, foi a explicação)
Memórias de um sargento de milícias (Versão curta, foi a explicação)
Memórias de um sargento de milícias (Versão curta, foi a explicação)
Memórias de um sargento de milícias (Versão curta, foi a explicação)
Memórias de um sargento de milícias (Versão curta, foi a explicação)
Memórias de um sargento de milícias (Versão curta, foi a explicação)
Memórias de um sargento de milícias (Versão curta, foi a explicação)
Memórias de um sargento de milícias (Versão curta, foi a explicação)
Memórias de um sargento de milícias (Versão curta, foi a explicação)
Memórias de um sargento de milícias (Versão curta, foi a explicação)
Memórias de um sargento de milícias (Versão curta, foi a explicação)
Memórias de um sargento de milícias (Versão curta, foi a explicação)
Memórias de um sargento de milícias (Versão curta, foi a explicação)
Memórias de um sargento de milícias (Versão curta, foi a explicação)
Memórias de um sargento de milícias (Versão curta, foi a explicação)
Memórias de um sargento de milícias (Versão curta, foi a explicação)
Memórias de um sargento de milícias (Versão curta, foi a explicação)
Memórias de um sargento de milícias (Versão curta, foi a explicação)
Memórias de um sargento de milícias (Versão curta, foi a explicação)
Memórias de um sargento de milícias (Versão curta, foi a explicação)
Memórias de um sargento de milícias (Versão curta, foi a explicação)
Memórias de um sargento de milícias (Versão curta, foi a explicação)
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Memórias de um sargento de milícias (Versão curta, foi a explicação)

2,177

Published on

Todos os direitos reservados aos seus devidos autores.

Todos os direitos reservados aos seus devidos autores.

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
2,177
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
107
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Memórias de um sargento de milícias(1854-1855)
  • 2. Manuel Antônio de AlmeidaDiretor da Tipografia Nacional.Escreveu apenas um livro.Morreu num naufrágio nas costas fluminenses.
  • 3. A fórmula romântica: Retrato da alta burguesia; Personagens idealizadas; Sentimentalismo exacerbado; Linguagem educada, polida; Maniqueísmo: bem(herói) X mal(vilão) Estereótipos: figuras sem profundidade psicológica, cristalizadas, símbolos de uma classe; Final feliz.
  • 4. Quebra da fórmula romântica: Retrato da baixa burguesia; Personagens sem idealização; Situações ridículas, engraçadas; Humor, gozação; Narrador levemente irônico; Linguagem simples e giriesca; Relativização do Maniqueísmo.
  • 5. Elementos de contato com o Romantismo: A trama é simples, inocente, sem complexidade; Há um casal que passa por vários revezes até ficar junto; Há final feliz, desfecho preferido dos românticos brasileiros.
  • 6. Classificações do livro:Romance carnavalesco: promove a quebra de um estilo consagrado, fugindo de seus preceitos.Romance picaresco: um personagem vadio e safado passa por várias aventuras.
  • 7. Classificação de Leonardinho Pataca: (segundo o professor Antônio Cândido)Malandro: o típico enrolador e safado brasileiro, cheio de peraltices, artes, diabruras, brincadeiras.
  • 8. Narrador: Terceira pessoa onisciente; Brincalhão, bem- humorado; Conversa com o leitor; Faz digressões: comentários à margem da narrativa.
  • 9. Espaço:Rio de Janeiro
  • 10. Tempo: “Era no tempo do rei...” Início do século XIX
  • 11. Costumbrismo: retrato dos costumes de uma época
  • 12. Personagens (estereótipos): Leonardinho Pataca Luisinha (sobrinha de Dona Maria) Vidinha (mulata debochada, segunda namorada de Leonardinho) Leonardo Pataca (pai) Maria da Hortaliça (mãe) Padrinho barbeiro Madrinha parteira
  • 13.  Vizinha (eternamente chata)Dona Maria (adorava demandasjudiciais)José Manuel (gaiato oportunista)Mestre de cerimônias (padre safado)Cigana (amante do padre e de Leonardo)Sacristão da Sé (amigo de Leonardinho)Major Vidigal (incansável perseguidor deLeonardinho): representa a “ordemdesordenada” do ImpérioToma-largura (funcionário da Ucharia)Chico-Juca (arruaceiro)
  • 14. Críticas subliminares: Sugestão do caos social do Brasil à época da família real; Sugestão do espírito corrupto que perpassava as várias camadas do poder; Retrato bem-humorado da devassidão do clero; No reino da desordem (Quinto dos infernos), os malandros proliferam.
  • 15. ATENÇÃO:TAIS CRÍTICAS SÃO INDIRETAS, SUBLIMINARES, SUB-REPTÍCIAS, PASSANDO QUASE QUE DESPERCEBIDAS PARA O LEITOR DA ÉPOCA.O LIVRO ADQUIRE UMA CAPA DE ESPETÁCULO CIRCENSE, BRINCALHÃO, CÔMICO, FINGINDO NÃO SER UMA CRÍTICA SÉRIA.
  • 16. CONCLUSÃO:TAL LIVRO NÃO PODE SER CHAMADO DE PRÉ-REALISTA, POIS NÃO POSSUI A FORMA DE UM ROMANCE REALISTA, NEM TAMPOUCO POSSUI A FILOSOFIA DETERMINISTA QUE O EMBASA.TRATA-SE DE UM ROMANCE ROMÂNTICO EXCÊNTRICO, CARNAVALESCO, BURLESCO.
  • 17. FINAL ABSOLUTAMENTE ROMÂNTICO:Leonardinho acaba por ficar rico, belo e idealizado, ao lado de sua amada.

×