• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Tipos de ábacos
 

Tipos de ábacos

on

  • 4,832 views

Tipos de Ábacos

Tipos de Ábacos

Statistics

Views

Total Views
4,832
Views on SlideShare
4,832
Embed Views
0

Actions

Likes
1
Downloads
30
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft Word

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Tipos de ábacos Tipos de ábacos Document Transcript

    • Tipo de Ábaco Foto Quando Utilidade para humanidade foi utilizadoBabilonico Aprox. Diferentes tipos de cálculos 2400 A.C.Ábaco Japonês Criado Cada coluna possui 5 pedras chamadasou Soroban na China contas. A primeira conta de cada coluna, e levado localizada na parte superior, representa o ao Japão número 5 enquanto as 4 contas inferiores no século representam 1 unidade cada. XVII Da direita para a esquerda, cada coluna representa uma potência de 10. Iniciando em unidade, dezena, centena, milhar, etc. Técnicas aperfeiçoadas permitem que o Soroban seja utilizado para cálculos complexos de adição, subtração, multiplicação, divisão e raiz quadrada.Ábaco Russo ou Século Para diversas operações matemáticas.Tschoty XVII Possui 10 contas centrais em cor diferente. As contas movem-se da esquerda para a direita e o seu desenho é baseado na fisionomia dasmãos humanas. Colocam-se ambas as mãos sobre o ábaco, as contas brancas correspondemaos polegares das mãos (os polegares devem estar sobre estas contas) e as restantes contasmovem-se com 4 ou 2 dedos
    • Ábaco chinês ou Século Utilizado para cálculos de adição eSuan-Pan XIV subtração, multiplicação, divisão, radiciação e potenciação.Ábaco Aprox. Para diferentes operações matemáticas.Asteca/Maia ou 900- Pode ser usado com base decimal ouNepohualtzintzin 1000 vigesimal. As contas de cima valem 5 D.C. unidades e as da parte debaixo valem uma unidade.Ábaco aberto Até os Utilizado para cálculos de adição e dias subtração, multiplicação, divisão, radiciação e atuais potenciação.Ábaco Romano Idade Tem oito longos sulcos contendo até 5 Média bolas em cada e 8 sulcos menores tendo tanto uma como nenhuma bola. Nos sulcos menores, o sulco marcado I marca unidades, o X dezenas e assim sucessivamente até aos milhões. As bolas nos sulcos menores marcam os cincos - cinco unidades, cinco dezenas- essencialmente baseado na numeração romana. As duas últimas colunas de sulcos serviam para marcar as subdivisões da unidade monetária. Temos de ter em conta que a unidade monetária se subdividia em 12 partes, o que implica que o sulco longo marcado como sinal 0(representando os múltiplos da onça ou duodécimos da unidade monetária) comporte um máximo de 5 botões, valendo cada uma 1 onça, e que o botão superior valha 6 onças. Os sulcos menores à direita são frações
    • da onça romana sendo respectivamente, de cima para baixo, ½ onça, ¼ onça.Ábaco Grego Não se tem fotos 300 É um ábaco de mármore de 149 cm A. C. decomprimento, 75 cm de largura e de 4,5 cm de espessura, no qual existem 5 grupos demarcações. No centro da tábua existe um conjunto de 5 linhas paralelas igualmente divididas por uma linha vertical, tampada por um semicírculo na intersecção da linha horizontal mais ao canto e a linha vertical única. Debaixo destas linhas, existe um espaço largo com uma rachadura horizontal a dividi-los. Abaixo desta rachadura, existe outro grupo de onze linhas paralelas, divididas em duas secções por uma linha perpendicular a elas, mas com o semicírculo no topo da intersecção; a terceira, sexta e nona linhas estão marcadas com uma cruz onde se intersectam com a linha verticalÁbaco Maia ou 1800 Feito de cordas de lã ou algodão coloridas comQuipu D. C. nós representando as unidades, dezenas, e assim por diante. Usado para contas e registros de números.
    • Bbliografia http://www.brasilescola.com/historiag/abaco.htm http://luzdequeijas.blogs.sapo.pt/2127119.html See J. M. Pullan, The History of the Abacus (1968); P. H. Moon, The Abacus(1971). http://encyclopedia2.thefreedictionary.com/Nepohualtzintzin http://www.educ.fc.ul.pt/docentes/opombo/seminario/abaco/historia.htm http://pt.scribd.com/doc/55483942/O-abaco http://www.educ.fc.ul.pt/docentes/opombo/seminario/abaco/historia.htm http://abacolivre.codigolivre.org.br/ IMENES, L. M. A numeração indo-arábica. São Paulo: Scipione, 2006. http://www.geocities.ws/abacosoroban/nepohualtzintzin.html http://es.wikipedia.org/wiki/Quipu