Registro pedagógico

  • 3,904 views
Uploaded on

Guia simples de como registrar atividades pedagógicas. Autora: Marta Rosenberg Beznos

Guia simples de como registrar atividades pedagógicas. Autora: Marta Rosenberg Beznos

More in: Technology , Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
3,904
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2

Actions

Shares
Downloads
42
Comments
0
Likes
1

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. GUIA PARA REGISTRO DE ATIVIDADES PEDAGÓGICAS
  • 2. ESCOLA DOCUMENTA
          • como manter viva a história e a memória da sua escola.
          • o que, como e quando registrar.
          • como e onde divulgar ou publicar.
          • como criar um banco de imagens da sua escola.
        • links úteis.
  • 3. PLANEJAMENTO
    • ao planejar as atividades pedagógicas, determina-se formas de sondagem e avaliação. Do mesmo modo, é preciso planejar e executar os registros de todo o processo de aprendizagem: começo, meio e fim e garantir desta forma, as visualizações das aquisições de alunos, professores, comunidade escolar. O registro sistemático, além de promover uma reflexão sobre a prática, permite trocas de informações entre as escolas de diferentes localidades.
  • 4. FOTO X VÍDEO Vídeo: audiovisual: garante o registro do som, além das imagens em movimento. Perfeito para atividades como leitura, teatro, música, etc. Exige alguns cuidados à mais na captação e edição. Foto: equipamento mais acessível e de simples manuseio. Facilidade para o compartilhamento. Ideal p/ registros rápidos, para compor cartazes, portifólios, ou postagem imediata na internet. dependendo da finalidade do registro será mais adequado utilizar foto ou vídeo.
  • 5. PAUTA
    • para se construir uma pauta básica, procure definir e responder por escrito as cinco perguntas que compõem um fato ou acontecimento: o que/ como/ quando/ onde/ porque. São 5 importantes alicerces que garantem uma boa pauta.
    • uma vez definido o que será registrado, e qual o modo mais adequado (foto ou vídeo) é hora de pensar na elaboração da pauta.
  • 6. PAUTA - EXEMPLO
    • se o seu objetivo é divulgar ações da sala de aula ou algum projeto da escola, você poderá usar o exemplo ao lado adaptado à sua realidade.
  • 7. MIDIAS
        • existem muitos formatos de mídias digitais e analógicas: fitas VHS, Betacam, DVcam, MiniDV, DVD...
  • 8. PRINCIPAIS CARACTERISTICAS EQUIPAMENTOS DE VÍDEO E FOTO
    • capacidade da bateria, que deve ser recarregável.
    • carregador de bateria.
    • cabo USB para descarregar as fotos no computador.
    • bolsa adequada que proteja o equipamento.
    • qualidade da imagem ou resolução, medida em megapixels.
    • capacidade de armazenamento, interno ou cartão de memória, medida em megabytes.
    • zoom óptico, indica a capacidade de aproximação do objeto.
    ZOOM ÓPTICO significa o Nº de vezes que o objeto é ampliado. ZOOM DIGITAL cria uma ampliação extra do objeto, porém deixa a desejar em termos de qualidade. Não é aconselhável sua utilização. para imprimir uma imagem tamanho 10X15 cm com qualidade de foto, é necessário uma câmera de 2 megapixels no mínimo.
  • 9. PRÉ PRODUÇÃO
    • a câmera está funcionando? Faça um teste se possível.
    • Vídeo: verifique a quantidade de fitas necessárias.
    • Fotos: verifique se o cartão de memória está vazio.
    • você recarregou as baterias da câmera?
    • as lentes estão limpas? Use material apropriado, como para limpar óculos.
    • um tripé poderá ser um grande aliado para evitar imagens tremidas.
    lembre-se de checar com antecedência os seguintes detalhes:
  • 10. PRODUÇÃO para não faltar nada no dia do registro, cheque os últimos detalhes
    • horário: confirme o horário com todos os envolvidos.
    • autorização de uso de imagem de todos ou dos responsáveis.
    • locação: o local deve estar limpo e organizado.
    cortinas sujas ou despregadas, pichações ou lixo aparente vão deixar o seu cenário poluído visualmente.
  • 11. modelo de autorização para menor: assinatura dos responsáveis
  • 12. modelo de autorização para maior:
  • 13. FIGURINO E MAQUIAGEM no dia da gravação
    • Figurino: evite roupas listradas, muito estampadas, decotadas e acessórios chamativos.
    • Maquiagem: sempre leve; importante suavizar o brilho da pele com pó compacto, evitando reflexos da luz.
  • 14. ILUMINAÇÃO:
    • balanço de branco: antes de começar a gravar aponte a câmera na direção de um objeto branco. Se aparecer amarelado ou esverdeado no visor da câmera, basta reiniciar o equipamento repetindo o teste.
    • procure sempre ambientes bem iluminados e utilize o modo automático da íris da câmera.
    • evite posicionar a câmera no contra-luz (isso escurece sua imagem).
    se mudar de ambiente interno para externo lembre de refazer o balanço de branco da câmera. *consulte o manual da câmera
  • 15. ÁUDIO
    • a escola não é o local mais silencioso para uma gravação. Procure os locais ou momentos menos barulhentos quando for fazer uma entrevista.
    • converse com os todos os envolvidos sobre o objetivo do registro.
    • Estabeleça alguns acordos, como por exemplo: falar um por vez, evitar tchauzinhos para a câmera, tentar ignorar a câmera.
    • observe se o equipamento tem uma ou mais entrada para microfones e, se possível, use o microfone mais adequado para a gravação.
    • é recomendável ir checando o áudio com um fone de ouvido, durante a gravação.
  • 16. TIPOS DE MICROFONE
    • boom: ideal para captação de manifestações coletivas como roda de conversa, teatro, coral.
    • direcional ou de mão: ideal para entrevistas.
    • lapela: discreto, fixo na pessoa. Ideal para palestras e entrevistas.
    CUIDADO: o boom não deve aparecer na cena.
  • 17. TIPOS DE MICROFONE
    • o microfone embutido da câmera de vídeo capta todos os sons e ruídos por igual. Tome cuidado: ele não destaca a fala de um ou outro participante.
    quando usar o microfone da câmera, atente para interferência de sons indesejáveis como recreio no pátio, aviões, cachorros latindo, sirenes, etc. Fone de ouvido é fundamental para conferir o que está sendo registrado.
  • 18. ENQUADRAMENTO os planos ou enquadramentos mais usados são:
    • Plano Geral: enquadra a cena em sua totalidade. É aberto, filmado a certa distância dos objetos e procura registrar o espaço onde as personagens estão. O corpo humano é enquadrado por inteiro e sempre temos o ambiente (interno ou externo) ocupando grande parte da tela.
    • exemplo: cena do grupo de alunos prestando atenção nas orientações da professora.
  • 19. ENQUADRAMENTO
    • Plano Médio / Americano: este plano caracteriza-se fundamentalmente pela ação da parte superior do corpo humano. O plano é cortado pela cintura.
    • exemplo: aluno e professora durante uma atividade.
  • 20. ENQUADRAMENTO
    • Plano Fechado / Close : é o plano enquadrado de uma maneira muito próxima do assunto, mostrando apenas os detalhes. Com isso, o cenário é praticamente eliminado e as expressões ou gestos tornam-se mais nítidas para o espectador.
    • exemplo: mão do aluno manipulando letras móveis.
  • 21.
    • para dar ritmo no seu vídeo, lembre-se de variar os enquadramentos, observando que quanto mais estável a câmera, melhor para seu espectador.
    ENQUADRAMENTO
  • 22. PLANO x CONTRA PLANO
    • Plano é a imagem em movimento, constituído do instante que você liga a câmera até você desligá-la.
    • contraplano cria um diálogo com o plano. Ele normalmente mostra a direção oposta do plano .
  • 23. quando for gravar as crianças, coloque a câmera na altura dos olhos delas, ou abaixo. Isso vai evitar o ponto de vista do adulto, onde as crianças parecem menores do que são.
  • 24. MOVIMENTOS DE CÂMERA
    • tilt : câmera se move verticalmente.
    • pan: câmera se move horizontalmente.
    • zoom in: a lente aproxima a cena (câmera não se move).
    • zoom out: a lente afasta a cena (câmera não se move).
    • Travelling: aproximando ou afastando a câmera, deslizando sobre rodas. - Pode ser feito com uma cadeira de escritório, ou carrinho que proporcione movimento suave da imagem.
  • 25. MOVIMENTOS DE CÂMERA O zoom permite uma aproximação sem tanta interferência de quem está gravando. Mas excesso de zoom torna o vídeo enjoativo: encontre o quadro desejado e deixe a ação por conta da cena. Confira se realmente você apertou o REC para gravar. Faça movimentos sempre suaves e contínuos para que você possa utilizá-los na edição.
  • 26. FOCO
    • Foco Manual: é ajustado pelo operador de câmera. Ideal para situações paradas. Exemplo: aula expositiva, palestras - neste caso vc garante que o foco não será perdido se passar alguém na frente da lente.
    • Foco Automático: neste modo a câmera varia o foco conforme a luminosidade, ou movimentos. Quando usar: em ambientes onde as pessoas estão em movimento. Exemplo: Educação Física, Teatro...
    cuidado com imagens fora de foco: elas comprometem seu produto final! * consulte o manual da câmera
  • 27. ACERVO DE IMAGENS
    • etiqueta na fita deverá conter: data e local de gravação, pessoas participantes, nome da atividade.
    • criar um banco de dados em programas como Word / Excel ajuda a organizar e encontrar o material.
    conserve as fitas em locais secos e arejados , abrigados do sol. fita sem etiqueta é fita perdida !
    • sempre numerar as fitas.
    • ao registrar uma atividade é necessário sempre identificar a fita ou mídia com informações.
    quando for arquivar, utilize a trava de segurança da fíta evitando apagá-la acidentalmente.
  • 28. EDIÇÃO
    • Gerralmente os computadores já contém um programa simples de edição: Windows Movie Maker, no pacote de aplicativos do Windows.
    • Existem muitos programas de edição de imagem disponíveis gratuitamente na internet.
    • Veja outras alternativas em links úteis .
  • 29. EDIÇÃO
    • Com a decupagem fica fácil montar seu roteiro, colocando os trechos selecionados na sequência de como você quer contar a história.
    decupagem e roteirização
    • Para editar você precisa decupar (selecionar) o material bruto, assistindo tudo que foi gravado e escolhendo os trechos que devem entrar no vídeo. Anote o timecode (tempo de fita) dos conteúdos na frente da descrição das cenas escolhidas, criando um “mapa das fitas”.
    exemplo de decupagem: FITA 1 / 30’15’’ - 40’05’’ Alunos listando suas histórias preferidas. FITA 2 / 00’10’’ - 00’40’’ Alunos registram lista de personagens no caderno. FITA 3 / 05’35’’ - 05’45’’ Aluna de camiseta amarela senta na roda. FITA 3 / 6’25’’ - 7’10’’ Profa apresenta a atividade aos alunos. mantenha as indicações de FITA / TIMECODE no roteiro, para localização no material bruto.
  • 30. ROTEIRO DE EDIÇÃO
    • o roteiro deve conter todas as informações sobre o produto final: tempo de duração, cenas escolhidas, sequência elaborada, passagens entre tópicos, efeitos, textos complementares e créditos finais.
    • veja o modelo de roteiro ou acesse links úteis .
    exemplo de roteiro simples: FITA 3 / 05’35’’ - 05’45’’ Aluna de camiseta amarela senta na roda. FITA 3 / 6’25’’ - 7’10’’ Profa apresenta a atividade aos alunos. FITA 1 / 30’15’’ - 40’05’’ Alunos listando suas histórias preferidas. FITA 2 / 00’10’’ - 00’40’’ Alunos registram lista de personagens no caderno
  • 31. LETREIROS E CARACTERES
    • Caracteres: a apresentação de quem está falando no vídeo. Escreva sempre o nome completo do entrevistado, sua escola e sua profissão ou função.
    • Letreiros: títulos ou dados complementares que podem conceituar, localizar e facilitar a compreensão do seu vídeo.
    JAIR DAVID DE SOUZA 6ª Série – E.E. Profa Cleide da Fonseca Fereira / D.E. MOGI MIRIM
  • 32. FINALIZAÇÃO
    • agora que você está com o seu vídeo quase pronto, é hora de pensar nos materiais que podem deixá-lo mais completo, como por exemplo, imagens e fotos escaneadas.
    • narração / locução: você também pode inserir um narrador que em certos momentos do seu roteiro, explica o que está acontecendo. Este texto deverá ser escrito e gravado.
    • trilha sonora é o que dá emoção e ritmo ao vídeo. Utilize as chamadas “trilhas brancas” que são liberadas de direitos autorais. veja links úteis .
    • créditos finais: ficha técnica, agradecimentos, data e local.
    procure formular textos curtos com linguagem simples.
  • 33. COMO PUBLICAR VÍDEOS NA INTERNET vídeos curtos de até 10 minutos são mais apropriados para internet.
    • existem vários canais na internet para postar seu vídeo: sites de relacionamento, redes sociais, blogs e outros.
    • é importante acessá-los e conhecer os procedimentos de postagem.
  • 34.
    • Nossos Contatos :
    • Atendimento Geral: [email_address]
    • Sala de Leitura: saladeleitura@edunet.sp.gov.br
    queremos saber o que você está fazendo na sua escola!
  • 35. LINKS ÚTEIS
    • para gravação:
    • http://www.fazendovideo.com.br/
    • programas de edição não linear grátis:
    • http://www.jaycut.com
    • http://www.youtube.com/watch?v=oDm6RHZxTQA&feature=player_embedded
    • programa gratuito para criação e gravação de DVD
    • http://www.baboo.com.br/conteudo/modelos/7-softwares-gratuitos-para-gravacao-de-CDs-DVDs_a31334_z0.aspx
    • outros sites:
    • http://www.telabr.com.br/oficinas-virtuais
    • http://yvypora.wordpress.com/videos-de-yvy-pora/
    • http://portaldoprofessor.mec.gov.br/
    • http://www.oficinasquero.com.br/
    • http://noticias.r7.com/blogs/querido-leitor/
    • http://educavideosp.wordpress.com/
  • 36.