Poluição das Águas

40,809 views

Published on

0 Comments
6 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
40,809
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
44
Actions
Shares
0
Downloads
583
Comments
0
Likes
6
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Poluição das Águas

  1. 1. Escola E, B 2 e 3 de Mundão <br />Poluição das Águas <br />Docente: Professora Helena Marques <br />Disciplina: Geografia<br />Trabalho realizado por:<br /><ul><li> Carlos Mendes nº4
  2. 2. Inês Martins nº11
  3. 3. Miguel Rodrigues nº14
  4. 4. Sandra Gonçalves nº20</li></li></ul><li>O tema em estudo é “ A poluição das águas”, que tem como objectivo ficarmos a saber que devemos proteger a água, pois sem ela não existiria vida. O tema foi sugerido pela professora de Geografia, Helena Marques, para que nós tenhamos mais atenção pelo modo como tratamos a água. <br />Introdução<br />
  5. 5. Poluição da água:<br />Causas;<br />Consequências; <br />Algumas soluções; <br />
  6. 6. Poluição das águas - Causas:<br /><ul><li>Poluição das Águas é um tipo de poluição causado pelo lançamento de esgoto residencial ou industrial não tratados em cursos da água (rios, lagos ou mares) ou ainda pela contaminação por fertilizantes agrícolas.
  7. 7. Como damos conta quando a água está poluída ?...
  8. 8. Quando apresenta modificações das propriedades físicas, químicas e biológicas;
  9. 9. Quando há a adição de substâncias líquidas, sólidas ou gasosas;
  10. 10. Principais poluentes:</li></ul>Águas residuais resultantes da indústria, da agricultura e das actividades que estão carregadas sais minerais, substâncias não biodegradáveis, fertilizantes, pesticidas, detergentes e micróbios;<br />Os acidentes com petroleiros que derramam petróleo para o mar e provocam as “marés negras”;<br />A queima de resíduos no alto mar;<br />A lavagem de porões dos cargueiros e petroleiros;<br />Os derramamentos tóxicos das indústriasfeitos directamente para as praias ou costas;<br /> O despejo de lixo radioactivo das centrais nucleares;<br />
  11. 11. …<br />Para além destes aspectos, uma parte importante da poluição do mar é consequência da actividade humana na terra:<br /><ul><li>Os resíduos sólidos, plásticos, vidros, trapos e outros materiais, deixados nas praias.
  12. 12. Os pesticidas e adubos utilizados na agricultura, que através da acção da chuva e da erosão do solo, contaminam as águas subterrâneas e os rios.
  13. 13. Os produtos e as águas residuais não tratadas que são lançados directamente para os rios, e através destes chegam ao mar. </li></ul> <br />
  14. 14. Consequências:<br />Deterioração da qualidade das águas;<br />Morte da vida aquática;<br />Contaminação de toalhas freáticas;<br />Multiplicação dos genes patogénicos;<br />Maus cheiros;<br />Desenvolvimento excessivo de algas que absorvem oxigénio.<br />
  15. 15. <ul><li>Ao aumento da população;
  16. 16. Ao do desenvolvimento urbanístico;
  17. 17. À expansão industrial;
  18. 18. Os mares, rios e lagos têm vindo a ser utilizados como um gigantesco caixote do lixo, acreditando-se que grandes massas de água tudo diluem e tudo dispersam a uma velocidade suficiente para evitar qualquer poluição. </li></ul>A poluição da água está associada a diversos factores:<br />
  19. 19. <ul><li>Cólera;
  20. 20. Hepatite;
  21. 21. Poliomielite;
  22. 22. Diarreias infecciosas;
  23. 23. Às vezes, a água, que parece limpa, contém vírus, bactérias e parasitas que só podem ser vistos ao microscópio, são eles que provocam as doenças acima referidas. </li></ul>Doenças associadas com a poluição da água:<br />
  24. 24. Soluções:<br />Sendo a água um bem precioso e indispensável à vida, todos os cidadãos têm o dever de a defender, preservar e utilizar com cuidado<br />Para defender e preservar a qualidade da água é necessário:<br /> Poupar água.<br /> Tratar as águas residuais.<br />O tratamento das águas residuais é feito em Estações de Tratamento de Águas Residuais (ETAR). Este tratamento permite que a água que é lançada ao mar recupere as suas propriedades naturais.<br />
  25. 25. Para poupar água podemos adoptar no nosso dia-a-dia um conjunto de acções, tais como:<br />Ao lavar os dentes não deixes a torneira aberta com a água sempre a correr. Abre-a só para lavar a escova ou enxaguar a boca.<br />Prefere os duches aos banhos de imersão. Desliga o chuveiro enquanto te ensaboas ou lavas o cabelo.<br />Acumula as peças de roupa suja e lava tudo de uma só vez. Liga a máquina apenas quando estiver cheia e utiliza a menor quantidade possível de detergente. Se lavares a roupa no tanque, deixa a torneira fechada enquanto a ensaboas ou esfregas.<br />Antes de lavar louça, raspa os restos de comida e deixa de molho as peças muito sujas. Usa a máquina quando estiver bem cheia e com o mínimo de detergente. Se lavares a louça à mão... já sabes! Deixa a torneira fechada enquanto a ensaboas ou esfregas. Abre-a apenas na altura de a enxaguar.<br />Utiliza o autoclismo apenas quando for necessário. Deixa a válvula da descarga regulada para não gastar muita água.<br />Ao lavar o pátio ou o carro, em vez da mangueira, usa uma vassoura e um balde com água (que podes encher mais do que uma vez).<br />Ao regar as plantas do jardim usa um regador e não a mangueira.<br />
  26. 26. Carta Europeia da água<br />I. Não há vida sem água. A água é um bem precioso, indispensável a<br />todas as actividades humanas.<br />II. Os recursos de águas doces não são inesgotáveis. É indispensável<br />preservá-los, administrá-los e, se possível aumentá-los.<br />III. Alterar a qualidade da água é prejudicar a vida do homem e dos<br />outros seres vivos que dependem dela.<br />IV. A qualidade da água deve ser mantida a níveis adaptados à<br />utilização para que está prevista e deve, designadamente,<br />satisfazer as exigências da saúde pública.<br />V. Quando a água, depois de utilizada, volta ao meio natural, não<br />deve comprometer as utilizações ulteriores que dela se farão, quer<br />públicas, quer privadas.<br />VI. A manutenção de uma cobertura vegetal adequada, de preferência<br />florestal, é essencial para a conservação dos recursos de água.<br />VII. Os recursos aquíferos devem ser inventariados.<br />VIII. A boa gestão da água deve ser objecto de um plano promulgado<br />pelas autoridades competentes.<br />IX. A salvaguarda da água implica um esforço crescente de<br />investigação, de formação de especialistas e de informação pública.<br />X. A água é um património comum, cujo valor deve ser reconhecido<br />por todos. Cada um tem de a economizar e de a utilizar com<br />cuidado.<br />XI. A gestão dos recursos de água deve inscrever-se no quadro da<br />bacia natural, de preferência a ser inserida no das fronteiras<br />administrativas e políticas.<br />XII. A água não tem fronteiras. É um recurso comum que necessita de<br />uma cooperação internacional.<br />A defesa e conservação da <br />qualidade da água é uma<br /> preocupação de vários cidadãos, instituições e países. <br />Preocupados com o consumo excessivo da água e com o aumento<br /> da poluição, o Conselho<br /> da Europa proclamou a<br /> Carta Europeia da Água.<br />
  27. 27. !<br />Preserva e poupa a água. Lembra-te que os recursos de águas doces não são inesgotáveis.<br />
  28. 28. Conclusão<br />Com a realização deste trabalho, ficámos a conheceras causas da poluição das águas, as diversas doenças que esta provoca(..).<br />A água é muito importante para a nossa sobrevivência, por isso há que conhecer as principais soluções para a sua preservaçãoe tentar ao máximo respeitar a carta europeia da água.<br />
  29. 29.
  30. 30. Webgrafia<br />http://www.google.pt/images?hl=pt-PT&q=polui%C3%A7%C3%A3o+da+%C3%A1gua&wrapid=tlif129805743875411&um=1&ie=UTF-8&source=univ&sa=X&ei=38heTZ-1GIaw8QPi-pla&ved=0CC4QsAQ&biw=1659&bih=842<br />http://snirh.pt/junior/concurso2009/escolas/EscolaSecundariadaMaia/SJ4b4af24a2d166.pdf<br />

×