Your SlideShare is downloading. ×
Pesquisa-ação
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Pesquisa-ação

861

Published on

Minha experiência pessoal

Minha experiência pessoal

Published in: Education, Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
861
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Refletindo a prática pedagógica a partir do tema Pesquisa-ação Professora Marli Fiorentin Curso Especialização Tecnologias Em Educação – PUC-RIO 2006
  • 2. Paulo Freire enfatiza a necessidade de uma reflexão crítica sobre a prática educativa , sem a qual a teoria pode se tornar apenas discurso e a prática uma reprodução alienada, sem questionamentos.
  • 3. 1º PASSO: Identifique uma questão que possa estar trazendo dificuldades na sua prática pedagógica; 2o PASSO: Realize a coleta dos dados preliminares; 3o PASSO: Formule uma hipótese; 4o PASSO: Realize as mudanças necessárias; 5o PASSO: Avalie os efeitos das mudanças; 6o PASSO: Compartilhe suas conclusões com outros colegas. 7o PASSO: Planeje outras intervenções. Passos para uma pesquisa-ação segundo Nunan
  • 4. Sempre tive uma preocupação em dar significado às leituras e produções textuais dos alunos. Queria que percebessem a literatura como uma reescrita do mundo, uma recriação da vida e a produção textual como uma forma de expressão de cidadania, exercitando de fato a comunicação escrita. Geralmente ao devolver o que os alunos escreviam , jogavam fora com a sensação de que tinha sido apenas uma obrigação a mais. Somente eu, professora lia os textos. Portanto eu queria conseguir dos alunos uma motivação maior para a leitura e escrita. 1º PASSO: Identifique uma questão que possa estar trazendo dificuldades na sua prática pedagógica;
  • 5. Através da observação pude constatar que todas as vezes que levava os alunos ao laboratório de informática o entusiasmo era grande. O uso da tecnologia funcionava como um estopim para acender o interesse. No entanto isso não bastava. Era preciso ter uma proposta, pois diante do computador a tendência à dispersão era uma realidade. Que proposta daria conta de canalizar esse interesse para o meu objetivo de estimular a leitura e a produção textual? 2o PASSO: Realize a coleta dos dados preliminares;
  • 6. Estudei durante bastante tempo uso de ferramentas que a Internet poderia oferecer para uso educacional. Meu interesse estava voltado para o uso interativo da web , pois percebi que se os alunos utilizassem o computador apenas para receber informações, não faria nenhuma diferença de estar diante da TV como um consumidor passivo, nem diante do professor que despeja conteúdo. Fui descobrindo ferramentas como os chats, fóruns, correio eletrônico. Então um dia, num Seminário de tecnologia Educacional, descobri o BLOG. Senti na hora que poderia ser a ferramenta por excelência para o que eu pretendia colocar em prática. 3o PASSO: Formule uma hipótese;
  • 7. Novembro de 2004 I Seminário de Tecnologia na Educação Caxias do Sul Oficina de Blog
  • 8. Criando intimidade com a ferramenta Passei a estudar com mais profundidade a ferramenta, criando inicialmente um blog pessoal.
  • 9. Busquei ajuda com outros colegas da rede, a fim de debatermos as suas possibilidades de uso educacional. Utilizei o fórum do Portal Educacional Educarede para colocar essa minha ansiedade em descobrir mais. Através do fórum, agendei um chat aberto a interessados no assunto, no mesmo portal, com dia e hora marcados. Isso durante as férias de 2004.
  • 10. Fórum Internet na Escola - Portal Educarede
  • 11. No chat, vários professores compareceram. Tive um retorno positivo. Descobri que assim como eu, outros colegas também tinham as mesmas expectativas e dúvidas. Também descobri que a ferramenta ainda era bastante nova em relação ao uso educacional, havendo poucas experiências realizadas. A partir do chat, sentimos necessidade de nos juntarmos para continuar a discussão e os estudos sobre a ferramenta. Então criamos uma lista de discussão no yahoo: o Grupo Blogs Educativos( hoje contando com cerca de 200 participantes).
  • 12. Chat - Portal Educarede Trecho (14:26:36) Marli fala para Fatima: Boa tarde, tudo bem? Eu sou do Rio Grande do Sul e agendei esse bate-papo para trocarmos algumas idéias sobre blog . ando empolgada com isso (14:27:15) Fatima fala para Marli: Eu também ando empolgadíssima (14:27:24) Marli fala para Airton-SP: Então que tal direcionarmos para o assunto (blog)? (14:27:36) Lúcia fala para TODOS: Jà fiz um blog com meus alunos, só q fiz na uol. Os blogs são gratuitos? (14:27:53) Marli fala para Fatima: Você já trabalha com blog, já domina, sabe construir? (14:28:04) Dri fala para TODOS: por que estah todo mundo tao empolgado com o uso dos blogs ? o que eles tem de bom? (14:28:09) Fatima fala para Lúcia: A maioria são. (14:28:15) Lúcia fala para TODOS: Cada aluno pode ter o seu blog? (14:28:33) Marli fala para TODOS: Olha, no terra é gratuito ... (15:48:32) GAI fala para TODOS: Gostaria de receber sugestões de blogs para apresentar aos professores (15:48:39) Fatima fala para GAI: GAI, estamos criando uma lista de discussão sobre o uso de blogs na educação . Se quiser participar é só passar seu e-mail (15:49:09) Marli fala para TODOS: anotem todos aí. marlidf@yahoo.com.br (15:49:21) GAI fala para TODOS: claro que sim [email_address] ...
  • 13. Lista de discussão blogs educativos Entrar no grupo: [email_address]
  • 14. Senti que não poderia saber mais sobre a operacionalidade do blog se não colocasse em prática o seu uso. Então no início de 2005 resolvi iniciar a experiência com alunos, aplicando com duas turmas de oitava série. Tinha consciência de que o blog era apenas uma FERRAMENTA para desenvolver aquilo que tinha em mente: desenvolver e dar mais significado às competências da leitura e escrita. Que projeto seria lançado? Qual a proposta para o blog? 4o PASSO: Realize as mudanças necessárias;
  • 15. BLOG VIDAS SECAS - DA FICÇÃO À REALIDADE http://vidassecascolbachini.zip.net
  • 16. Primeira certeza: precisava partir da proposta da escola, abordando o tema gerador: a família. Segunda certeza: precisava contextualizar o tema numa situação vivida concretamente pelos alunos. Era o inicio do ano letivo em 2005. Iniciávamos as aulas abalados por uma forte seca. Todo o Rio grande do Sul estava sofrendo os efeitos ambientais, econômicos e emocionais da estiagem. Eu não poderia desprezar essa realidade. Então tive o insight: iniciaria analisando a problemática utilizando a literatura. Escolhi a obra Vidas Secas, de Graciliano Ramos. Através dessa obra poderíamos associar o sofrimento da família de Fabiano com o das próprias famílias dos estudantes e dos nordestinos. Poderia abordar também a leitura e produção textual.
  • 17. Proposta Vidas Secas- da ficção à realidade “ O título que alia ficção e realidade acaba por dar a dimensão da leitura de vocês. A literatura auxiliando na compreensão e no entendimento da vida; a vida se revelando matéria de invenção. Percebo uma grande motivação e um grande encantamento pelos livros. Esta é com certeza a mola propulsora para nosso crescimento como cidadãos, como seres melhores e também mais atentos às coisas do mundo.” Escritor Caio Riter “Análise de questões geradoras através de obras literárias.”
  • 18.  
  • 19.  
  • 20.  
  • 21. Socializando o andamento da experiência no fórum
  • 22. Lancei propostas no blog para serem realizadas pelos alunos. Entendi que somente a publicação dos trabalhos não surtiria o efeito desejado e procurei utilizar a potencialidade maior da ferramenta: a interação . Busquei parcerias, a fim de que os alunos pudessem socializar os conhecimentos, exercitando assim a utilização da escrita e a construção coletiva do conhecimento, conhecendo outras realidades, além da sua através do contato com pessoas de outros lugares geográficos.
  • 23. Intercâmbio Alunos de Joinville- Santa Catarina
  • 24. Divulguei o projeto no Portal Educarede, no fórum, na listas de discussão. Imediatamente nosso trabalho foi divulgado numa reportagem da Revista Educarede. Descobri que nosso projeto fazia parte ainda de uma experiência pioneira. Cerca de um mês depois, fomos convidados para realizar um vídeo para o programa Salto para o Futuro da TV Escola. Fiquei muito apreensiva. Tentei me esquivar, argumentando que ainda estávamos no início de uma experiência com a ferramenta. Houve insistência por parte das professoras Iris Tempel Costa e Beatriz Magdalena Corso, professoras pesquisadoras do Laboratório Cognitivo da UFRGS, dizendo que era exatamente isso o importante. Que a ferramenta fosse discutida durante o processo de realização do projeto. Em junho a TV Escola nos visitou e realizamos a experiência de produção do vídeo, o que foi um momento privilegiado também para avaliação por parte dos alunos.
  • 25.  
  • 26. [Sheila] [sheila.nb@bol.com.br] A filmagem foi muito legal algumas pessoas falaram sobre o trabalho do blog. Foi legal porque a gente conheceu como é a experiência de uma filmagem produzida na TV. E também porque esta imagem vai ser transmitida na TV ESCOLA, num programa que irá falar sobre o blog, aí eles filmaram nós e outras pessoas de outras turmas e turnos.Eles vão pegar 3 minutos daqui no colégio para mostrar. É legal porque a gente viu como é o procedimento de uma filmagem. 01/07/2005 09:53 Alunos avaliando durante o processo
  • 27. Embora a escola nunca tivesse colocado nenhum impedimento para a realização do trabalho, mesmo porque a informática educativa faz parte do projeto político pedagógico, tive de enfrentar resistências em relação ao novo. Nosso projeto era mais conhecido fora do que dentro da própria escola. Essa foi uma dificuldade encontrada. Foi preciso coragem, muita determinação e certeza dos objetivos a alcançar para poder seguir em frente. Houve quem dissesse que as aulas no laboratório eram uma forma mais light de passar o tempo. Outros achavam que ficava “feio” para a escola, expor a linguagem dos alunos na internet, ainda de forma imperfeita.
  • 28. Depois de estudada a obra de Graciliano Ramos, percebemos que poderíamos continuar com outras, dentro da mesma temática. Encontrei alguns contos e contatei com os autores solicitando autorização para a publicação e intercâmbio com os alunos. Foi muito estimulante esse contato com os escritores, incentivando a leitura e escrita.
  • 29.  
  • 30. Recado do ESCRITOR Welington Pinto Belo Horizonte -MG “ Vi o blog. Fiquei emocionado com a publicação do conto. Principalmente porque ilustrou um problema de falta de chuva. Que coisa! Daqui, com tanta água, não imaginava que o Nordeste está se transferindo para o Sul. Puxa! Incentivar a turma a plantar árvores, muitas árvores. O desmatamento é o fim, o caminho para o deserto.Esse conto foi construído da varanda do meu escritório, quando assistia o espetáculo da chuva. Lá de cima, do edifício Malleta, 17º, via a cortina pesada de água batendo no asfalto lá embaixo. Muito legal. É assim que nasce uma peça literária.        Chuva! que coisa, o sertão se expande! Minas tem uma grande área seca, sertão mesmo. Temos que recuperar, plantando árvores. Muitas árvores. Muitas.” Welington
  • 31.  
  • 32. Encerrado o primeiro trimestre, mudamos de tema gerador na escola e procuramos obras literárias que abordassem as novas temáticas. Continuamos com intercâmbio com outras escolas, escritores e outros professores e visitantes. Cada vez mais, a preocupação dos alunos com a escrita foi aumentando.Ao perceberem que suas produções eram lidas por muita gente e não apenas pela a professora, buscavam aperfeiçoar seus textos e escrevendo com mais motivação. Também o índice de leitura aumentou. Percebi que meus objetivos estavam no caminho de serem alcançados. No entanto tinha a consciência de que era apenas um passo de formiguinha. O blog não era a solução mágica para todos os problemas, mas uma iniciativa para conseguir pequenos avanços. Quem sabe os frutos viriam mais tarde.
  • 33.  
  • 34. [Marcelo Spalding][msperez@terra.com.br][www.marcelospalding.com] Gente, como fiquei feliz com os comentários inteligentes de vocês! E souberam ler muito bem o texto, entender direitinho minha intenção: não podemos viver SÓ para o trabalho, nem SÓ para o lazer, e isso é o mais difícil, encontrar o equilíbrio. O texto do La Fontaine incentiva as pessoas a trabalhar, trabalhar, trabalhar, lembram? Isso porque, naquela época, o governo precisava muito que as pessoas trabalhassem, não havia desemprego mas homens, mulheres e crianças chegavam a ficar 14 horas nas fábricas! Uma desumanidade... Hoje eu acho que o lobo ainda existe - e vocês deram bons exemplos. Mas de nada adianta, por medo do lobo, não vivermos, cantarmos, jogar futebol. Depois a vida passa e a gente não amou ninguém, não conheceu nenhum lugar diferente, nunca caiu de bicicleta nem pegou uma onda e se afogou depois (porque eu não sei surfar :-) Gente, parabéns de novo e lanço um desafio a vocês e a professora: escolham um outro conto de fadas e reescrevam para ver como fica. Recado do Escritor Marcelo Spalding Porto Alegre -RS
  • 35.  
  • 36. Participação de Thita, estudante de Portugal "Aos alunos da Professora Marli, fico agradecida pelos seus comentários. ( Acho que nunca tive tantos, hihi…) Sobre o que nos propusemos fazer, continua de pé o desafio no que a mim me diz respeito. De tal forma, que vou começar agora mesmo. O tema é A Gravidez na Adolescência , pela Professora Gládis no Conexão XXI . Como se deve calcular, a minha idade diz que ainda estou um pouco por fora dessas coisas. Sendo já “mulher”, hihi…vou começando a ter conhecimento sobre as modificações do meu próprio corpo mas ainda não tenho a noção de apetites sexuais mesmo que vá deitando um olhinho aos rapazes mais giros. Sei – estudei e li – algumas coisas sobre sexualidade, matrimónio e gravidez. ( A Nossa Vida Sexual de Fritz Kahn ) Por isso, tanto eu como as minhas amigas ainda nos preocupamo-nos mais com a qualidade de vida, com a alimentação saudável e tudo aquilo que nos aflige e assusta todos os dias: a guerra, a droga, a violência. A fome, a Natureza e o desequilíbrio social. No entanto, é sempre bom saber por todos tudo um bocadinho. Porque tudo isto é muito sério, na verdade. Importante seria os Professores portugueses interessarem-se um pouco mais neste Intercâmbio. Digo eu, hihi... Beijinhos a todos."
  • 37. Durante o processo, os alunos participaram avaliando a experimentação da ferramenta e a realização do projeto. 5o PASSO: Avalie os efeitos das mudanças;
  • 38. Estamos no final de mais um ano letivo e deste modo, encerrando nossa obra com o blog Vidas Secas. Neste ano aprofundamos muito mais nosso conhecimento com a ajuda da informática. Participamos de um documentário com a tv escola sobre a formação da nossa obra que foi e continuará sendo uma experiência para nossa vida.Tivemos contato com vários autores da literatura moderna e trabalhamos com suas obras, além de falar sobre a seca que afetou o RS no início deste ano.Então, encerrando por aqui gostaríamos de agradecer a todos que de um modo ou de outro nos incentivaram a manter essa obra viva e nos ajudaram com seus comentários e de modo especial à TV Escola, aos autores e as escolas de Santa Catarina e Portugal.A vocês um grande abraço das alunas...                                         Milena T, Vanessa e Juliana. ;) - Turma 82 Os blogs desse ano foram um grande aprendizado, tanto para os alunos quanto para os visitantes do nosso site. O blog ajuda de certa forma a melhorar a leitura, todos dão sua própria opinião em relação a diversos assuntos comentados no blog.O blog é comentado por diversas pessoas de diversas línguas.O blog é também um meio diferente de estudo, onde os alunos não ficam só numa sala de aula escrevendo e prestando atenção no professor, mas sim, dando sua própria opinião com a ajuda do professor e ampliando seu conhecimento de um jeito diferente e até mesmo divertido.                             Fernanda Dagnese e Gabriela Lima – Turma 82   Esta forma de aprendizado fez com que nós tivéssemos outras formas de aprender de uma forma nova e atual para o mundo em que vivemos o blog ajudou a aprender sobre os temas e interagir de forma cultural com outras escolas. Giovani B. e Rafael – Turma 81 Eu aprendi com o blog a interagir com pessoas de outras cidades, estados, e até de outros países.Lá eu publicava a minha idéia e pessoas do mundo inteiro podiam ler. O trabalho foi tão bom que chegamos de aparecer na TV Escola, em rede nacional.Eu gostei de trabalhar com o blog por que se sai um pouco da sala e vai num lugar onde o aprendizado é mais moderno. Ricardo – Turma 81
  • 39. Queremos agradecer primeiramente à professora Marli que nos ajudou a crescer com experiências um tanto diferentes ( o uso do blog ). Foi uma oportunidade especial porque conseguimos nos comunicar com outros colégios e pessoas de outros estados e países.Gostamos muito de ter participado dos trabalhos no blog,, com os autores, com a TV escola que nos abriu muitas portas importantes. Também gostamos do bate-papo com a Sônia Bertocchi e muitas outras coisas... Obrigada profe Marli......Beijos........ Jussara e Milena D. – turma 82
  • 40. Realizei outras experiências com o uso de blogs. O Blog Vidas Secas- da ficção à Realidade foi contemplado com o 4º lugar em um concurso de Blogs entre Brasil, Espanha e Portugal. Em 2006 retomei a proposta do blog com outras turmas em Ficção Versus Realidade.
  • 41. Blogosfera M@rli Blogs e outras ferramentas reunidas Em 2006...
  • 42. Nossa experiência foi divulgada de diversas formas, em reportagens de portais , revistas e jornal . (outras) Além disso no mesmo seminário onde conhecemos a ferramenta, levamos de volta o resultado, participando de um relato de experiência . Divulgamos também em uma videoconferência com a Universidade do Minho, de Braga, Portugal, em que participamos colegas do Brasil (Santa Catarina, Minas Gerais e Rio Grande do Sul) com as quais realizamos os intercâmbio. 6o PASSO: Compartilhe suas conclusões com outros colegas.
  • 43. A avaliação dos alunos da 8ª série de 2005 pela professora de Português Marli Fiorentin vai contemplar a participação deles no blog criado por ela. Marli leciona no Colégio Estadual Pe. Colbachini, em Nova Bassano (RS) e está trabalhando a relação entre a obra Vidas Secas , de Graciliano Ramos, e a falta de chuva no Estado. "Neste ano, aqui no meu Estado, vivemos uma situação difícil, que é a seca.  A vida de todos acabou sendo afetada com a alteração do clima", relata. A idéia do projeto, que está apenas começando, é fazer uma ponte entre a ficção, por meio de obras literárias como o livro e filme Vidas Secas, com a realidade observada na localidade ao redor e a do Nordeste. "Como é minha primeira experiência com blog, preciso concentrar esforços não apenas na prática, mas também na reflexão sobre essa prática para que seja bem sucedida e possa estimular futuros desdobramentos", explica. Trecho da primeira matéria a divulgar o blog, em 30.03.05 – no Portal Educarede, 18 dias após a primeira postagem                                                  Blog para comentários e textos dos alunos da professora Marli Reprodução
  • 44. Matérias que divulgaram o trabalho com os blogs: *Portal Educarede – Reportagem “ O mundo é aqui” *Portal do MEC – Reportagens “Blogs estimulam aprendizado no Rio Grande do Sul” Blogs: a interatividade a serviço da educação * Portal Poie “ Blog , uma experiência que deu certo” *TV Escola – Programa Salto para o Futuro *Portal Aprendiz - Blogs podem romper barreiras da sala de aula * Escola.com Blogs: Uma nova ferramenta para a educação *SIMPRO – SP Os blogs na sala de aula * Revista Nova Escola - Bloge-se
  • 45. Após realizar os estudos sobre a metodologia da Pesquisa-Ação passei a entender que de certa forma eu estou na categoria de professor pesquisador. Sempre me preocupei de refletir e melhorar minha prática, pesquisando novas ferramentas e fazendo experimentações. No entanto sempre o fiz de forma intuitiva, sem preocupação com o rigor de pesquisa científica, nem em sistematizar as etapas, embora tenha os registros. Seria isso uma pesquisa-ação??? Marli Dagnese Fiorentin

×